Created with Sketch.
Susana Pinto

Inês + José, e um fantástico sorriso!

Fechamos o ano com o casamento da Inês + José, fotografado pela Marta Marinho, da Beija-me, com um dedinho Brancoprata nos materiais gráficos e da LSS Produção de Eventos na pista de dança!

E se é especial esta festa… deixa-nos com um belo sorriso, muito semelhante ao da Inês,  que foi uma das nossas maravilhosas leitoras de 2012.

Conhecemo-nos por acaso, um comentário puxa outro, ambas fãs de tranças à la Valentino, sapatos dourados (tinham que ser!) e verniz de glitter… daí para trocas de ideias sobre a festa foi um pulinho e tive o prazer de acompanhar o desenrolar da viagem. E digo-vos, foi hilariante e verdadeiramente fantástico, ver pôr de pé uma festaça destas, à distância, juntar pontas e expectativas tão diferentes, agradar a todos (mesmo quando isso inclui mesas de leitão e rissóis às 9h da manhã e bailarico de aldeia no meio de Agosto…!), sempre com elegância e uma alegria contagiante.

É absolutamente maravilhoso (assim como o vestido da Inês, reparem bem)

 

Venham ver!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O meu pedido de casamento foi inesperado e simples. O meu marido estava de férias de Natal em Portugal e convidou-me para jantar, como fazíamos sempre. Depois como ambos gostamos do mar, fomos até ao areal. Nesse local pediu-me em casamento e ofereceu-me um anel de noivado, desenhado por ele. Ainda hoje, recordo esse dia, e sei que vou recordar sempre.

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Começámos com ano de antecedência e como primeira tarefa tivemos a visita às quintas. Sucedeu-se uma consulta diária de sites e blogs sobre este tema, em busca de inspiração, para criar o nosso ambiente. Apesar que no fim, acabei por seguir praticamente o Simplesmente Branco e os seus fornecedores, como ritual diário. Em simultâneo fomos escolhendo os nossos fornecedores.

 

 

 

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Nós queríamos criar um ambiente muito romântico, elegante mas ao mesmo tempo com um toque acolhedor. E tudo começou a partir do nosso convite de casamento, que serviu de elo de ligação para a decoração. Depois fui introduzindo elementos, como rendas, fitas, relíquias da antiguidade de um museu, bastidores… de forma que, tanto no interior, como no exterior da quinta se criassem pequenos espaços de decoração.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Essa opção surgiu, porque queria que o meu casamento fosse à nossa imagem, com ideias e pormenores com significado e quebrando determinadas tendências.

 

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Posso dizer que, não era possível fazer o casamento que fizemos, sem ajuda das nossas famílias, madrinhas, padrinhos e amigos. Uma vez que não podíamos ir a Portugal frequentemente, distribuímos algumas tarefas por todos!

 

O que era mais importante para ti?

Que todos os convidados se divertissem e que partilhassem a nossa felicidade.

 

 

 

 

 

E secundário?

Sinceramente, após algum tempo a pensar nesta pergunta, apercebi-me que nada passou para secundário. Vivi tão intensamente a preparação do meu casamento (mesmo estando longe) que todos pormenores eram importantes. Para mim foi a concretização de um sonho e talvez por isso fui demasiada perfeccionista!

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Certamente na quinta, mas valeu bem a pena, uma vez que  estava tudo maravilhoso.

 

 

 

 

 

Onde gastaste menos?

No vestido de noiva (oferecido pela mãe) e nos brincos (oferecidos madrinha Sónia).

 

O que foi mais fácil?

O mais fácil foi, sem dúvida, a escolha do meu vestido de noiva.

 

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

O momento mais complicado foram as três semanas anteriores ao casamento. Por não estarmos em Portugal, tivemos que decidir muita coisa num curto espaço de tempo, que só era mesmo possível, com a nossa presença. Como as provas de degustação e os acertos finais com os nossos fornecedores.

 

O que te deu mais prazer criar?

O que me deu mais prazer, foi mesmo a criação de toda a decoração do espaço. Fiquei completamente absorvida, com o meu caderno de casamento, onde tinha as imagens de inspiração e todos os conselhos de amigas e fornecedores. E claro, depois visualizar no dia do casamento todos estes pormenores e as suas histórias, foi tudo muito especial.

 

 

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo o caminho?

Sim, completamente a nossa cara e não foram feitas cedências. Sabíamos muito bem o queríamos e por isso trabalhámos para esse objectivo.

 

Um pormenor especial?

Para mim foram os brincos, trevos da sorte em filigrana, oferecidos pela minha madrinha Sónia.

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas algumas coisa?

Não mudava completamente nada.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Sugeria, que tivessem em mente, que o casamento não é uma festa a dois, mas de todos os convidados. É realmente importante que toda a gente se sinta feliz! E que vivam intensamente a preparação do casamento, porque o dia passa a correr!

 

 

 

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: Brancoprata

local e catering: Quinta da Quintã

fato do noivo: Prada e  sapatos Salvatore Ferragamo

vestido de noiva: Pronovias, de Manuel Mota  e sapatos Anonima sugeridos e personalizados pela Biscuit

anel de noivado, alianças: Marcolino

cabelos e maquilhagem: Isaurinha Cabeleireiro (local)

florista: Lurdes Florista (local)

lembranças para os convidados: Brancoprata  e mãe do noivo (bonecas e bolas de trapos)

fotografia: Beija-me

luzes, som e djs: LSS Produção de Eventos

 

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  • Sara cangueiro

    Que sapatos bonitos! Essa da mesa de rissóis de leitão e camarão e bailarico da aldeia está boa! A mim passa-me igual, conciliar oque nós queremos com o que agrada a todos não é fácil!