Created with Sketch.
Susana Pinto

Vera + Cesar, o amor fala muitas línguas

Hoje trazemos uma festa animadíssima, da Vera + Cesar, ela portuguesa, ele peruano e um amor nascido no Qatar!

Foi pelo Algarve, em Setembro, e as fotografias bonitas são do João Almeida, as imagens em movimento, da Videoart, a animada pista de leds esteve por conta da Leds4Dance e a decoração contou com dedinho de uma amiga de longa data (da Vera e minha), a Margarida Vargues, do inspirado Pano p’ra Mangas.

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O pedido de casamento foi em Lisboa no Castelo de São Jorge num dia de inverno sob um sol maravilhoso e um céu do mais azul que há, a 15 de Dezembro de 2013 aquando da primeira visita do César a Portugal para conhecer a minha família e passar o Natal.

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Começámos a fazer planos de imediato, e uma vez que o casamento seria em Portugal teríamos de aproveitar todo o tempo possível durante esta viagem. Era importante que o César pudesse participar na escolha do local para fazer a celebração, bem como da igreja, afinal iríamos organizar o nosso dia à distância e só tínhamos 9 meses para o fazer. Primeiro decidimos que o casamento seria no mês de Setembro ou Outubro, depois fizemos uma pesquisa de lugares onde poderíamos realizar a festa e chegámos a agendar uma reunião com uma empresa de wedding planning. Entre visitar família e compras natalícias conseguimos visitar 3 espaços diferentes. Quando começámos a receber os orçamentos constatámos que sabíamos muito pouco sobre o quanto pode custar um casamento em Portugal, sobretudo no Algarve. Sentámo-nos e fizemos contas; decidimos o nosso budget e o número de convidados. Depois elegemos o lugar e, mediante a disponibilidade, escolhemos o dia 20 de Setembro de 2014.

A partir daqui começámos um processo de brainstorming sobre o tema e como o poderíamos por em prática, tendo sempre em conta que seria um evento a três línguas, português, espanhol – porque o noivo é Peruano – e inglês porque vivemos fora e muitos dos convidados seriam de outras nacionalidades diferentes das nossas.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Uma vez que nos conhecemos no Médio Oriente, Qatar, e como adoramos viajar, escolhemos como tema as “Viagens”. No entanto queríamos um ambiente rústico-chique, o que encaixava perfeitamente com a quinta que escolhemos para a festa. Queríamos muito que os nossos convidados se sentissem em casa e em família.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Estudei Design e sempre gostei do conceito handmade ,por isso acordámos que fazermos as coisas traria um valor especial ao nosso dia, teria um cunho pessoal e diferente. Através do DIY poderíamos transmitir quem somos e como somos!

 

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Ambos tínhamos uma grande preocupação: como iríamos conseguir organizar o nosso dia sem ajuda,uma vez que vivemos no estrangeiro e por questões de orçamento decidimos não contratar wedding planners. A minha mãe ofereceu-se desde o primeiro dia para nos ajudar sobretudo com as questões burocráticas: falou com o padre, deu entrada com os papéis no registo civil, enviou convites, recebeu confirmações, procurou hotéis para os convidados que viriam de fora, entre muitas outras coisas. Mas havia algo que faltava: a decoração! Embora a quinta tivesse muito material de decoração bonito e rústico a questão voltava-se para o ter ideias originais e não repetir o que já havia sido feito naquele lugar! Foi aí que sem hesitar levei o noivo a conhecer uma grande amiga, a Margarida do Pano p’ra Mangas! – amiga de longa data e com quem sempre aprendi muito sobre DIY! Desafiámos a Margarida para ser a decoradora da nossa festa que, sem hesitar aceitou o desafio de imediato! Foi também ela que nos ajudou a seleccionar alguns fornecedores, nomeadamente o fotógrafo e o videógrafo.E assim tivemos as melhores wedding planners que poderíamos ter tido. Foram quem mais nos ajudou. A três meses do casamento passámos a ter que gerir a diferença horária de 3 países, o noivo no Perú, a noiva no Qatar e a mãe da noiva e a Margarida em Portugal! Elas foram os pilotos desta nossa viagem que foi a organização do nosso casamento. Nunca teríamos tido o dia que tivemos se não fosse a sua colaboração.

Depois eu, enquanto noiva, embora já tivesse uma ideia do tipo de vestido que queria, tive a ajuda de uma amiga consultora de imagem que me ajudou a perceber as formas dos vestidos e o que me favorecia mais, o tipo de maquilhagem, e que também contribui para a escolha dos vestidos das bridesmaids.

Para a igreja também tivemos a ajuda de uma amiga que cantou e encantou a todos com a sua linda voz.

 

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

Para mim era a escolha de um bom fotógrafo, que registasse exactamente o amor que nos une, as nossas emoções, a energia positiva de todos e claro a decoração. Para o noivo o importante era a festa e a sua pista de dança com luzes led; tinha que ser uma festa que ficasse na memória dos convidados e familiares.

 

E secundário?

Seguir o protocolo à risca. O noivo é diplomata de carreira e a sua vida profissional já por si é regida por muitas regras de protocolo, assim sendo o nosso casamento tinha que ser tudo menos um dia onde as regras estivessem constantemente presentes. No entanto tínhamos embaixadores entre os convidados e não poderíamos colocar totalmente de parte o protocolo.

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No espaço/catering

 

Onde gastaste menos?

Na decoração.

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

A escolha do tema e das cores.

 

O que foi mais difícil?

O processo de casamento católico. Não vivendo em Portugal e sendo um dos cônjuges estrangeiro, os procedimentos e a obtenção de documentos e carimbos foram o único momento de stress em toda a organização do nosso casamento.

 

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

Tudo! Fiz muita pesquisa no Pinterest e fui partilhando com o noivo e com a Margarida, que nos ía dando sempre o seu feedback para que víssemos os prós e os contras.

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Sim! O nosso casamento em todos os detalhes e nos vários momentos ao longo do dia reflectiu o que somos e como somos! Sim, abdicámos de algumas coisas como por exemplo o ter música ao vivo, não só por questões de budget mas também porque o grupo que queríamos já não se encontrava disponível e não houve mais nenhum que nos fizesse sentir “é isto que queremos”.

Optámos, assim, por um DJ excelente com quem eu já havia trabalhado e que nos deu muita tranquilidade em relação à música – não tivemos que nos preocupar muito com a selecção musical. O photobooth que inicialmente havíamos pensado também acabámos por não fazer porque encarecia os custos e optámos por algo feito por nós.

 

 

 

 

Um pormenor especial?

Tudo! No entanto tenho que referir 5, e sem qualquer ordem de preferência!

O termos tido tradições de ambos os países: tivemos um cocktail com bebida e canapés peruanos e o jantar foi português. Já durante a festa depois do jantar tivemos um momento de diversão conhecido por “La hora loca” no Peru, onde foram distribuídos chapéus, balões e insufláveis alusivos a vários países do mundo. Todos entraram neste espírito de diversão. Combinar tradições foi a maneira que encontrámos de fazer com que todos se sentissem em casa.

O facto de termos tido convidados que viajaram dos mais diversos países para celebrar connosco, vieram desde Colômbia, Qatar, Suiça, Peru, EUA e Portugal. Um casal amigo viajou desde o Qatar só mesmo para o fim-de-semana, chegaram sexta-feira de manhã e partiram no Domingo bem cedo. Isto foi, sem dúvida, uma grande prova de carinho por parte dos nossos amigos e familiares. Sentimo-nos muito amados e queridos.

A ardósia gigante feita pela Margarida, a mensagem nela escrita transmite tudo!

Os meus sapatos, foram feitos à medida por uma estilista Peruana e com as cores exactas do casamento; nunca os experimentei e chegaram com o noivo 7 dias antes do grande dia. Os sapatos combinavam com o meu segundo bouquet que era feito de tecido.

O elemento cómico de todo o evento! As meias do noivo combinavam com a cor dos sapatos da noiva.

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Penso que a única coisa que mudaria seria a quantidade de material impresso, o que representou algum custo, como o termos tido um menú para cada convidado e os cartões marcadores de lugar. Chegámos à conclusão que teria sido suficiente dois ou três menus por mesa, e quanto aos marcadores de lugar acabaram por não ter o devido efeito porque os nossos amigos e familiares estavam tão descontraídos e animados que acabaram por se sentar em lugares diferentes, ainda que na mesa a que estavam designados.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Que aproveitem ao máximo a organização do vosso casamento, com ou sem wedding planner, é importante que os noivos façam parte de tudo, que definam um budget e que o sigam mantendo um ficheiro de custos actualizado.

Que pequenas situações que apareçam sejam vistas como desafios e não como problemas, há solução para tudo. E se no próprio dia houver algo que não esteja totalmente como pensaram ou escolheram. o melhor é aceitar e procurar o lado positivo, não deixar que isso afecte o dia, o momento e alegria que estarão a viver.

A escolha de um bom fotógrafo é igualmente muito importante, o dia passará e certamente ficará na memória dos noivos, família e amigos, mas uma boa fotografia é a descrição desse momento sem ter que se usar palavras.

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: GROOP8 Qatar

local e catering: Monte Os Agostos, com catering Hortelã da Ribeira – Santa Bárbara de Nexe, Algarve

decoração: Margarida Vargues

bolo: Sonhos de Açúcar, por Joana Morcela – Tavira

topo de bolo Bride & Groom: Googly

topo de bolo Wedding: Chicago Factory

fato do noivo e acessórios: feito por medida no Perú

vestido de noiva e sapatos: vestido Pronovias, modelo BIA na cor pink blush, sapatos LaLaLove, jóias Swarovski, lingerie Victoria’s Secret

maquilhagem: MAC – Andreia

cabelos: Perfumes & Companhia Forum Algarve

flores: bouquet de tecido, RBK Creations,  bouquet de flores naturais feito por uma florista local

vestidos bridesmaids: Twist dresses Dessy

consultoria de Imagem: GLAM Your Image by Elisabete Reis

ofertas aos convidados bolachas por Sonhos de Açúcar,  ímans com a fotografia dos noivos, FUNctionalMinis by Christy G.

fotografia: www.joaoalmeidafotografia.com

video: www.videoart.com.pt

luzes, som e Dj: DJ Fábio Palma

projecção vídeo e VJ: VJ The Eye

saxofonista:  Paulo Ribeiro

pista de LED: Leds4Dance

 

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  • Vera Mónica

    obrigada Susana pela publicação, continuamos em êxtase com o nosso dia e por mais que escrevamos só mesmo as fotografias podem ajudar a transmitir o bonito e divertido que foi! Obrigada também à minha mãe e à Margarida! Equipa top!

  • Susana

    Vera, obrigado nós pela partilha, esta casa é feita disso, amor partilhado 🙂
    Felicidades!