Created with Sketch.
Mónica Aragão

Se eu me casasse… por Débora Água-Doce

Apaixonada pela vida e pelas pessoas, Débora Água-Doce fez da psicologia clínica a sua missão maior! Exerce a sua profissão em contexto de clínica privada e escreve diariamente (ou quase) no seu Blog “A Psicóloga que também é Blogger”. Movida pelo Amor e pela capacidade de Sonhar, transporta esse brilho para os seus processos clínicos. No cruzar do Amor e Desamor espelhado no seu sofá terapêutico, editou o livro “De uma Mulher para Mulheres que Amam Demais”, que lhe abriu ainda mais o leque desta coisa tão especial do “viveram felizes para sempre”!

 


Desde menina que me lembro de sonhar com o dia em que me vestiria de princesa. Lembro-me das tardes de infância, onde as brincadeiras com as barbies acabavam sempre com um “viveram felizes para sempre”, existindo sempre um vestidinho branco para encantar esse momento. Os anos passaram, os sonhos transformaram-se, mas o dia do “sim”, continua nos meus desejos mais íntimos, ou não fosse eu, movida pelo Amor a cada passo que dou.

 

De cabelo solto, enfeitado com flores ou com um véu discreto, de vestidinho simples mas romântico, assim caminharia, num tapete de flores, com os pés bem perto do chão [certa da minha decisão], no dia em que me “vestiria de princesa”.

Envolta em campo e aromas florais, a festa seria num monte alentejano [a minha origem], decorado por mim e pelos próximos deste Amor, de forma a que o sol desse lugar à lua e nos brindasse com as estrelas numa noite quente de Verão, tão típica…

Ambiente descontraído e repleto de Amor, a cada detalhe, cuidado como uma flor [como os amores devem ser cuidados] para que não perca a sua beleza e encanto natural, afinal, estaremos a festejar o Amor num sítio de Amor.

De alianças no dedo, voaríamos até Bali, onde a paz, a beleza e o Amor se conjugam no tempo presente em uníssono.

Seria assim… Por não ter acontecido até agora, não quer dizer que não venha a acontecer nunca. Será assim!

 

Imagens: 1, 2, 3, 4, 5, 6

 

Comentar