Created with Sketch.
Susana Pinto

Catarina + Isaías, “o amor é paciente, o amor é bondoso”

Fechamos a semana em modo doce e em tons dourados: com o casamento da Catarina + Isaías, com fotografia dos simpáticos One Love Photography, em plena lezíria ribatejana.

Acompanhem este casal no seu caminho tranquilo e firme, até ao grande dia: “O amor é paciente, o amor é bondoso…”

 

 

 

 

 

 

Como foi o vosso pedido de casamento?

Não houve um pedido de casamento especial. Para nós, casar era um acontecimento que iria surgir de forma natural, uma vez que era algo que ambos ambicionávamos…

Depois de alguns anos juntos e de já termos conversado várias vezes sobre o assunto, um dia sentamo-nos e enumerámos os motivos pelos quais deveríamos casar… Daí resultaram frases como: “porque juntos já ultrapassámos muitos obstáculos e dificuldades…”, “porque nos aceitamos e respeitamos como somos, com os nossos defeitos e as nossas qualidades…”, “porque somos confidentes e temos plena confiança um no outro…”, “porque a partilha de opiniões é fundamental para as nossas decisões…”, “porque quando nos afastamos sentimos falta um do outro e quando estamos juntos aumenta o nosso equilíbrio e bem-estar…”, “porque juntos nos sentimos felizes…”, “porque juntos somos e seremos mais fortes…”.

Algum tempo depois… Num jantar muito “nosso” surgiu o anel de noivado criado em grande parte pelo noivo… Mas a decisão já estava tomada!

A partir daqui, decidimos avançar para o planeamento do nosso grande dia.

 

 

 

 

 

Como se organizaram? Por onde começaram, com que antecedência?

Primeiro decidimos a data: o mês de Junho foi sempre o preferido e o dia 6 a nossa primeira opção (o que felizmente veio a acontecer!).

Depois, definimos algumas prioridades e elaborámos um orçamento para termos noção dos valores que iriam estar envolvidos na organização e concretização do dia. Para isso foram muito importantes as pesquisas que efectuámos em vários sites direccionados para estes fins, onde se inclui o Simplesmente Branco.

Começámos a formalizar contactos cerca de seis meses antes. O primeiro deles e ainda sem o conhecimento dos nossos familiares foi com a dupla OneLove Photography. Conhecíamos a qualidade do trabalho do Nuno e do Nelson de outros eventos familiares anteriores e, desde então, tínhamos decidido que a reportagem fotográfica do nosso casamento tinha que ficar ao seu cargo.

Paralelamente, começámos a projetar a parte gráfica do casamento. Era importante, desde logo, escolher cores e definir um “tema” que fosse a linha orientadora do casamento.

 

 

 

 

 

 

Que ambiente quiseram criar? Como o fizeram?

Queríamos criar um ambiente familiar, acolhedor e ao mesmo tempo descontraído. Procurámos escolher um espaço onde todos se sentissem confortáveis e em que não houvesse grande dispersão dos convidados. Era importante que o dia 6 de Junho fosse um dia de convívio e partilha, onde a alegria e a felicidade fossem os sentimentos dominantes entre nós e todos aqueles que aceitaram estar presentes.

A Quinta das Vendas reunia tudo isso: um espaço rústico, de grande simplicidade e requinte, isolado no meio de campos de milho. Foi aquele sítio que visitámos e, sem sombra de dúvida, decidimos: “Tem que ser aqui!”.

 

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Porque era para nós um desafio! Não tínhamos experiência na organização de eventos mas queríamos dar um cunho especial e pessoal ao nosso casamento. Queríamos criar algo nosso, que fosse a nossa imagem de marca e que as pessoas associassem ao nosso casamento.

O ponto de partida foram as frases e motivos pelos quais decidimos casar. Associámos então à nossa causa o talento e a paciência da irmã do noivo, Maria Lúcia, e conseguimos, em conjunto, conceber uma árvore cujo tronco e ramos eram as frases.

Foi essa árvore que colocámos no convite, missais, marcadores de mesa, ementas e outros pormenores que incluímos no nosso casamento.

Foi trabalhoso e dedicámos muito do nosso tempo, durante aqueles meses, a organizar o dia e a pensar nos detalhes… Mas sem dúvida valeu a pena!

Podíamos contratar outras pessoas para por em prática as nossas ideias, podíamos delegar noutras pessoas a tomada das decisões necessárias. Poder, podíamos… Mas, efetivamente, não era a mesma coisa!

Afinal de contas, era o nosso dia e só esperamos casar uma vez na vida!

 

 

 

 

 

Tiveram ajuda?

Sim… Dos nossos familiares e amigos mais próximos que nos ajudaram em tantas coisas. É injusto personalizar alguém, mas destacar a Maria Lúcia, irmã do noivo, que fez um excelente trabalho ao nível do design.

A engenheira Raquel responsável pela quinta das Vendas que nos apoiou e aconselhou relativamente ao espaço e decoração, a sra. Andreia e o sr. João Paulo, da Encontrus (Catering) que, com muita paciência, nos ajudaram a definir as ementas e também a decoração.

 

 

 

 

 

O que era o mais importante para vocês?

Estarmos bem, felizes. E que as pessoas se sentissem bem ali, que estivessem de corpo e alma connosco.

 

E secundário?

Pensamos que atribuímos a cada momento a importância que achámos adequada e, por isso, não houve nada que fosse secundário… Apenas importâncias diferentes.

 

 

 

 

 

Onde gastaram mais dinheiro?

No catering, um aspecto bastante relevante. Era, para nós, importante que as pessoas ficassem satisfeitas com a comida e com o serviço… Afinal, tal como incluímos na ementa “Barriga vazia não traz alegria…”!

 

Onde gastaram menos?

No porta-alianças, criação do noivo: um pedaço de madeira com dois arames forrados com cordel e flores a decora. Simples, mas muito giro!

 

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

A escolha dos fotógrafos. Era uma decisão tomada ainda antes do casamento ter data.

 

O que foi mais difícil?

Decidir se devíamos incluir vídeo ou não no casamento. Foi dos últimos serviços que contratámos.

 

 

 

 

 

O que vos deu mais prazer criar?

Muitas coisas. Mas destaco o convite e a personalização da cerimónia religiosa.

 

O casamento que planearam, é a vossa cara, ou foram fazendo cedências pelo caminho?

É, sem dúvida, a nossa cara. Estava muito de nós naquele dia. Muita coisa, com muito significado. Há momentos irrepetíveis e inesquecíveis que irão para sempre ficar connosco.

É inevitável haver algumas cedências pelo caminho, mas acima de tudo procurámos consensos e ver as alternativas numa perspectiva positiva.

 

 

 

 

 

Um pormenor especial?

A árvore que criámos para os convidados deixarem mensagens.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Provavelmente não… Existem sempre alguns pormenores que não acontecem da forma como foram idealizados, muitos deles apenas os noivos sabem.

Mas, genericamente, foi para nós um dia único e fantástico que vamos sempre recordar!

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Percebemos, agora, que o habitual é tratar de tudo com maior antecedência. Mas achamos que as coisas surgiram com naturalidade e tivemos tempo suficiente e necessário para organizar o nosso dia. Se contactámos alguém que não pode estar presente ou não foi possível termos alguma coisa, foi porque não tinha que ser. Existem sempre alternativas para tudo.

Muitas pessoas gostam de opinar, muitas vezes até no sentido positivo e para ajudar… Valorizem o que é realmente importante para vocês, mas sejam vocês próprios. Projectem e personalizem o vosso casamento, acima de tudo é o vosso dia.

E vai ser sempre memorável!

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: Maria Lúcia Lopes Pedro (designer), Simples Gestos.

local, catering e bolo maravilhoso: Quinta das Vendas, Encontrus- Sabores Felizes

decoração, design floral e bouquet: Florista O Canteiro – Abrantes

fato do noivo e acessórios: fato Massimo Dutti, sapatos e gravata Hugo Boss, relógio Tissot.

vestido de noiva e sapatos: A Bela Noiva

alianças: Ourivesaria Dara Jewels

maquilhagem e cabelos: Tânia Carvalho; Bela Cabeleireira

ofertas aos convidados: compotas e bolos caseiros confeccionados pela mãe do noivo

fotografia: One Love Photography

vídeo: LWV LiveWeddingVideo

luzes, som e Dj: Dj Carlos Rodrigues

 

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.