0 Comentários

Diana + João, celebramos a três!

Hoje trazemos a festa da Diana + João celebrada a três, com o seu pequeno filhote.

A distância não foi impedimento para uma festa bonita, onde tudo foi pensado e preparado a seu tempo, com passos serenos e sabedores: que bonito é fazer o caminho assim!

Fiquem com as imagens das meninas da My Frame – Photography & Design, e um dedinho da Molde Design Weddings.

Bom fim-de-semana!

 

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O pedido de casamento foi feito na praia no dia 17 de Maio 2014. O João tinha comprado a aliança aqui em Lyon, e esperou que fôssemos de férias a Portugal para poder fazer o pedido, para o fazer em “casa”. Foi um lindíssimo momento, com o nosso filhote de dois anos a brincar na areia, quando depois de me dizer o quão importantes somos na sua vida, fez a pergunta!

 

 

 

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Começámos imediatamente a ver ideias, blogs, comentários, etc.. Este “mundo” dos casamentos é muito bonito e não faltam ideias fantásticas! Percebemos logo a importância de seleccionar a quinta para definir a data e depois contactar todos os outros serviços. Contactámos várias quintas por telefone e email e fizemos uma pré-selecção através das respostas e das fotografias. Só conseguimos visitar e reservar definitivamente em Agosto, um ano antes. Queríamos um casamento de Agosto, de preferência perto do dia 21 (faria nove anos que estávamos juntos). Depois do dia seleccionado, fizemos a reserva de todos os outros serviços, tendo sido a escolha sempre feita via internet. Felizmente voltámos a Portugal no final do ano, o que nos permitiu marcar algumas reuniões, embora fossem dias muito atarefados, já que o tempo era contado!

 

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Tendo em conta que o nosso casamento era civil, a cerimónia era um momento muito importante para nós. Quisémos desde o principio algo muito natural, com muita luz, muita leveza e alegria! O espaço da quinta convenceu-nos imediatamente porque reunia as condições para fazer exactamente isto! Na sala para o copo-d’água quisemos o mesmo, cores muito claras e suaves (o rosa velho foi a cor eleita desde o princípio!) com um ambiente simples, mas delicado.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Quando se sabe exatamente o que se quer e como se quer, torna-se difícil deixar as coisas nas mãos de alguém. Chegámos a considerar um wedding planner, mas visto que não queríamos ultrapassar o nosso orçamento, acabámos por decidir fazer nós mesmos. E assim foi! Com imenso trabalho, acabámos por decidir tudo, desde todos os objetos de decoração e centros de mesa, a todo o espaço para a cerimónia civil, as ofertas aos convidados, arranjos florais, tudo!

 

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Sim, felizmente! Para as ofertas, que foram feitas por nós, até a minha avó ajudou
a colocar o mel nos frasquinhos! Para fazer os recipientes para as bolhinhas de sabão, as caixas decorativas para os centros de mesa, as fitas para os guardanapos, entre outros, toda a família trabalhou dois dias antes até muito, muito tarde. Para determinados objectos e “mobiliário”, tivemos a ajuda da madrinha do noivo, que trabalha como designer numa empresa de decoração e que conseguiu encontrar, pintar e fornecer-nos muitos objetos bonitos.
Para as flores, inicialmente pensámos em fazer nós mesmos os arranjos, mas acabámos por fazer um documento com o que queríamos, quais as fores e com fotografias e pedimos ajuda à florista, que fez um óptimo trabalho. A quinta foi também extremamente disponível e flexível. Deixaram-me usar todos os objectos que quis para a decoração e trazer outros de fora, desde flores aos próprios bancos da cerimónia ou a árvore decorativa para o seating plan!

 

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

O mais importante era de facto que o casamento traduzisse aquilo que somos e a nossa história! E acredito que conseguimos!

 

E secundário?

É uma questão difícil! Acho que nada foi secundário. Tudo tem a sua importância num casamento, mesmo as coisas mais diferentes, para que tudo corra bem, seja bonito e contribua para um lindo dia, quer para os noivos quer para os convidados.

 

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na quinta e catering. Acho que é sempre a fatia mais pesada…

 

Onde gastaste menos?

Na decoração! Embora tenha tido os seus custos, creio que o facto de termos sido nós a fazer muita coisa acabou por se tornar menos dispendioso.

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

Toda a tomada de decisões, em tudo! Não houve indecisões, nem dúvidas em praticamente nada. Sabíamos bem como queríamos o nosso casamento.

 

O que foi mais difícil?

Sem dúvida o mais difícil foi ultrapassar a distância. Planear um casamento de longe, principalmente quando queremos envolver-nos tanto e fazermos nós muita coisa, é extremamente difícil. Tínhamos que aproveitar os dias de férias passados no Porto e sobretudo as vantagens da internet!

Foi também complicado saber se, a nível de decoração, o que tínhamos pensado iria funcionar. Como não conseguimos experimentar tudo por falta de tempo e oportunidade, tínhamos medo que, no dia, nao houvesse muita harmonia na decoração (afinal, nunca tínhamos feito isto antes).

 

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

Tudo! É fantástico sentir que o teu casamento foi criado por ti, todos os pormenores, e no dia tens uma sensação de concretização tremenda!

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Acho que foi a nossa cara! Não tivemos que fazer cedências. Talvez algumas modificações ou alterações, mas acabou por ser tudo muito próximo do que tínhamos imaginado.

 

 

 

 

Um pormenor especial?

As gaiolas decorativas! As gaiolas foram sempre, desde o princípio, um elemento-chave na decoração. De alguma forma sempre adorámos todas as fotos que víamos de casamentos com gaiolas e decidimos desde o início que as queríamos no nosso casamento. O problema é que as comprámos pela internet e soubemos pouco tempo antes que tinham ficado presas na alfândega! Foi o pânico!! Mas depois de uns telefonemas insistentes para uma simpática funcionária (que foi muito sensível à nossa causa), conseguimos que estivessem cá três dias antes do casamento!

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não! Se me dissessem antes que determinadas coisas iriam correr menos bem, entraria em pânico, mas o dia é tão mágico, que tudo faz parte, tal e qual como é e está, mesmo que imprevisto ou diferente do planeado. Nunca senti, durante o dia, que deveria ter feito algo diferente.

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Apostem na pesquisa e trabalho de “casa” para saberem exatamente o que querem! Depois, aproveitem ao máximo todo o planeamento. É cansativo, mas extremamente positivo! E no final, vivam o vosso dia tal e qual como ele é, sem se prenderem ao facto de existirem pequenas alterações ao plano original.

 

Os nossos fornecedores:

convites e materiais gráficos: Linhas Coloridas
local, catering e bolo: Quinta O Campo, propriedade de Duplos Gemini
topo de bolo: Molde Design Weddings e Linhas Coloridas
fato do noivo e acessórios: fato e camisa Hugo Boss; laço: The Knot

vestido de noiva e sapatos: vestido Noivas Luso, sapatos Badgley Mischka, acessórios Swarovsky
maquilhagem: Makeup by Barbara Brandão
cabelos: João Pereira Hairdressing
fores: Florista dos Prados
ofertas aos convidados: feitas pelos noivos, com pormenores gráficos Linhas Coloridas
fotografia: My Frame – Photography & Design
vídeo: Os Tais do Video
luzes, som e Dj: Feedback Produções

 

Submeter um Comentário