Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento no Funchal: Cristina + Tiago, o amor é partilhado

Fechamos mais um ano de publicações de casamentos bonitos, próximos, emotivos, pessoais e que são o espelho de cada casal que celebra desta forma o mais bonito dos dias. Publicamos quase meia centena de histórias de amor e de partilha, cheias de abraços apertados, algumas lágrimas, sorrisos que não terminam e muitas emoções.
As nossas sextas-feiras são sempre mais ricas, mais especiais, somos também convidados dos nossos queridos noivos e esta partilha colectiva de informação, conhecimento e memórias é um acto de generosidade. Agradecemos de coração cheio, com a responsabilidade e a honra que merece.

O último casamento que publicamos em 2017,  chega-nos do clima tropical do Funchal, é a festa da Cristina + Tiago, pensada com tanto carinho e entusiasmo, a duas cabeças, para que o dia fosse, dizem eles, “a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos.”

De Coimbra para o Funchal, com dedinho da Molde Design Weddings, da In Love Unique Weddings e toucado da Cata Vassalo, fechamos 2017 com a mesma convicção: “é mesmo isto!”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia que fosse a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos. Queríamos que tudo fluísse naturalmente, sem grandes imposições, nem preocupações em cumprir protocolos. Acima de tudo, imaginámos um dia com muita energia positiva com as pessoas que nos são mais queridas, presentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi, acima de tudo, um caminho muito divertido. Adorámos cada fase do planeamento do casamento e vivemos esses meses (foi quase um ano!) em clima de grande entusiasmo. Idealizámos todos os pormenores e preparámos tudo com muito carinho e dedicação. Claro que também foi um caminho com algum stress. Principalmente porque tivemos de organizar tudo à distância (vivemos em Coimbra e o casamento foi no Funchal, terra natal da noiva).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Acho que sentimos isso muitas vezes. Sempre que sentíamos o entusiasmo das pessoas à nossa volta com o nosso casamento. Sempre que tínhamos alguma ideia e a concretizávamos… Mas o autêntico “é mesmo isto”, fomos sentindo verdadeiramente ao longo do próprio dia do casamento, em que vimos tudo o que idealizámos a acontecer e a conseguir até superar as nossas melhores expectativas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sabíamos bem qual o estilo de casamento que queríamos e tinha que combinar connosco. Queríamos algo descontraído, emotivo, intimista e intenso.

O maior problema foi mesmo surgirem muitas ideias e ter um noivo que embarcava em todas as loucuras, sem nunca colocar um travão. Todos os pormenores foram pensados por nós e deu-nos um gozo tremendo executar algumas coisas, como os rótulos das garrafas de cerveja que tínhamos para o primeiro brinde, os missais, os livrinhos para as crianças e parte do estacionário. Também contámos com a ajuda das meninas da Molde Design Weddings que conseguiram captar muito bem o nosso estilo e desenvolveram peças lindas. O nosso cunhado Maligno também se revelou uma preciosa ajuda ao executar diversas peças em madeira que idealizámos. O resultado final não nos podia ter deixados mais felizes, e os elogios e sorrisos genuínos das pessoas não nos podiam ter deixado mais orgulhosos.

 

 

 

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental era conseguirmos estar com as pessoas e vivermos tudo com grande intensidade. Demos importância a tudo o que fazia sentido para nós.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi desfrutar em pleno aquele maravilhoso dia. Para o noivo o mais difícil foi encontrar o “pantone” certo da gravata. Para a noiva foi encontrar os brincos. Para ambos, foi pagar a conta no final!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Tivemos vários picos sentimentais durante o dia. Mas se só pudessemos escolher um, escolheríamos o momento na cerimónia onde lemos um texto escrito por nós e que relatava metaforicamente a nossa história e onde demos graças pelo sentimento que estávamos a viver. Tivemos a sorte de ser o Padre Tolentino Mendonça a fazer a nossa celebração e foi um momento verdadeiramente emotivo, do início até ao fim. Desde as palavras sabiamente escolhidas, a toda a serenidade e sensibilidade que só ele nos consegue transmitir. É algo que vamos guardar para sempre como um momento mágico e único!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o pico de diversão?

A festa foi para nós tão divertida, que toda ela foi um longo pico, dando a sensação que estávamos nas nuvens. Mas a escolher um momento, escolhemos a loucura da nossa entrada na sala de jantar ao som da música “I was born to love you” dos Queen. Nada foi planeado, mas chegámos lá e foi como se disséssemos um ao outro “Isto é tudo nosso!”. Foi engraçado porque, tendo sido o casamento num hotel, vários turistas assistiram à nossa entrada, e deixaram-se também contagiar pela música e animação, fotografando e filmando o momento.

Mas tivemos tantos outros momentos. O discurso do noivo, num registo cómico-sentimental, deixou toda a gente a rir… A nossa primeira dança, que depois de tantos ensaios à porta fechada, saiu um pouco ao lado. Mas divertimo-nos imenso!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…

A escolha da #bastaquesim logo que começámos a planear o casamento. Trata-se de um regionalismo madeirense, que exprime admiração por algo que aconteceu ou serve para quebrar o silêncio entre conversas. Foi engraçado porque, mesmo antes do casamento, os convidados interiorizaram o conceito e já se referiam ao nosso casamento como o “bastaquesim”.

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não mudávamos nada. Talvez me tivesse preocupado um pouco menos com as flores e com a decoração e tivesse entrado na igreja um pouco mais devagar!

 

 

 

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem e vivam com intensidade a fase de preparação do casamento. Apesar de dar muito trabalho e de a certa altura já não sabermos para onde nos virar, é tão bom sonhar e idealizar cada pormenor. É uma fase que deixa muitas saudades.

Não se deixem influenciar pelas opiniões das outras pessoas. O casamento é vosso e deve espelhar as vossas opções. E acima de tudo, não contem tudo, deixem algumas surpresas para o próprio dia. Ninguém viu o meu vestido e outros pormenores antes do dia do casamento. Foi difícil aguentar, mas valeu a pena!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Molde Design Weddings, In love Unique Moments e os noivos;

espaço, catering e bolo dos noivos: Pestana Casino Park Hotel;

fato do noivo e acessórios: fato e botões de punho Dielmar; camisa Vicri; sapatos Aldo; gravata HolmesTies

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido de noiva Inês Pimentel; sapatos Atelier Fátima Alves; brincos Juliana Bezerra Jewellery; toucado Cata Vassalo;

maquilhagem e cabelo: Ricardo Cecílio (Urban Hair Studio);

bouquet de noiva: A Tulipa;

decoração: idealizada e feita por nós, com a preciosa ajuda do nosso cunhado Maligno que executou grande parte dos materiais em madeira;

ofertas aos convidados: feitas por nós: um frasquinho de mel, da produção dos pais do Tiago;

fotografia e video: No Words Productions;

luzes, som e Dj: Xevents.

 

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  • Daniela

    Como é que os noivos conseguiram os rótulos personalizados para as minis? Foi algum fornecedor vosso? Obrigado!

  • Susana Pinto

    Daniela, certamente colaram por cima – qualquer designer – como quem faz os vossos convites, poderá dar conta do recado.
    O Licor Beirão – nossos clientes – tem esse serviço incluído.
    Cumprimentos
    Susana