Created with Sketch.
Susana Pinto

À conversa com: Atmosfia, fotografia de casamento

Hoje sentámo-nos com a Raquel Castro, da Atmosfia –  fotografia de casamento, para conversar sobre o que é isto de fotografar, como se chega aqui, e o significado incrível que uma imagem pode ter.

O trabalho da Raquel é sempre muito feminino e luminoso, atento as muitos detalhes quem compõem a história do mais bonito dos dias. Vão gostar de a “ouvir”!

 

Os fotógrafos têm um privilégio muito grande de poder de ter parte do tempo nas suas mãos… A máquina do tempo existe e é a máquina fotográfica. Com ela conseguimos reter momentos no tempo que existiram verdadeiramente e que de outra forma não seria possível reviver ao detalhe.

 

Conta-nos um pouco da tua viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

A descoberta da fotografia profissional aconteceu numa altura de vida completamente inesperada. Com uma atividade profissional “fechada” ligada a números, cálculos, análises, gestão de informação, a necessidade de um escape mental surgiu com a oferta de uma máquina fotográfica no Natal de 2011. Nessa altura, com dois filhos pequenos, uma vida profissional que exigia uma disponibilidade que sobrepunha a uma vida pessoal, comecei a repensar muito no que tinha alcançado e como gostaria no futuro. Os workshops em fotografia, que fazia em horário pós-laboral, mantinham a minha mente sã e a visão optimista de que a vida não se perde se a agarrarmos, mesmo que a algo tão inesperado e tão incerto.

 

Há quanto tempo fotografas? E porquê casamentos?

Sempre andei com uma máquina fotográfica atrás, assim como a maioria das pessoas, mas profissionalmente foi no início de 2014 que registo a minha atividade profissional. Tal como referi, sempre que possível tinha uma máquina fotográfica comigo e sempre que ia a casamentos como convidada, fazia a minha foto-reportagem que depois oferecia como cortesia aos noivos. Acontecia que os noivos mostravam a minha foto-reportagem em conjunto com a do fotógrafo contratado e e os comentários eram muito positivos. Sempre achei que nos casamentos há imensos assuntos interessantes para registar e sempre me foi muito natural e me senti à vontade em fazê-lo.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vais buscar inspiração?

A minha inspiração surge nas pessoas e nos lugares. Mas a luz, para mim é uma grande fonte de inspiração. A luz tem a capacidade de criar o cenário, iluminar rostos e expressões. Inspiram-me ambientes bonitos, cuidados, pessoas alegres e de bem com elas próprias e com os outros, descomplicadas. Também me inspiram situações mais cómicas ou invulgares.

 

Atmosfia - fotografia de casamento

 

Atmosfia - fotografia de casamento

 

Atmosfia - fotografia de casamento

 

Como construíste essa tua assinatura, como te defines?

A minha assinatura está definida por imagens luminosas. O nome Atmosfia, inventado por mim, pois é uma palavra que não existe no vocabulário, é a conjugação de atmos (energia, luz) e fotografia.

 

Achas que o ponto de vista feminino, os detalhes que escolhes fotografar e como o fazes, a narrativa que constróis, é diferente das escolhas que vês num trabalho de um profissional masculino?

Pessoalmente acho que sim e ainda bem. Há áreas da fotografia onde a visão homem e a visão mulher são muito próprias e se distinguem. Para mim, claramente, a nível profissional, sessões boudoir, despedida de solteira, sessões com bebés recém-nascidos são onde noto que as mulheres têm uma visão que se distingue do homem. Outros trabalhos, como o caso de fotografia de casamentos, a diferença pode não ser tão evidente.

 

Quando precisas de fazer reset, para onde olhas, o que fazes?

Quando estou em modo fotógrafa profissional, entro numa esfera diferente da minha personalidade. É interessante perceber isso porque, acima de tudo, tenho muito respeito pelo meu trabalho, pelo meu tempo e naturalmente faço sentir isso nos outros. Não me deixo afetar por situações inesperadas ou desagradáveis, tenho a capacidade olhar a situação e rapidamente dar o passo à frente para fazer o que tem de ser feito. Quando preciso fazer um reset e se for conveniente assumo o reset e levo todos no meu reset… Assumo que não está a funcionar, repenso e assumo. Esta forma de estar funciona sempre bem porque é uma questão de autenticidade e energia, e, apenas vale a pena alimentar se for boa e isso sente-se.

 

Atmosfia - fotografia de casamento

 

Atmosfia - fotografia de casamento

 

Atmosfia - fotografia de casamento

 

Qual é o teu processo de trabalho, como acontece a ligação com os teus clientes?

O meu trabalho tem sido construído a um ritmo com alguma exigência mas que ainda assim torna possível o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal. Assim fui conquistando consistência e coerência que o cliente valoriza. Esta valorização por parte do cliente tem retorno na fidelização e em novos clientes, pela passagem de testemunho positivo.

 

O teu trabalho é local ou nacional?

O meu trabalho é local e nacional.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostas de fotografar?

As festas que mais gosto de fotografar são as festas em que as pessoas estão verdadeiramente envolvidas a nível emocional. E esse tipo de envolvimento, por norma, acontece em casamentos mais pequenos, em celebrações mais intimistas. Os casamentos mais intimistas permitem às pessoas desfrutar com mais calma do dia e partilhar esse momento com mais proximidade de todos os presentes. A festa acaba por ser de todos.

 

Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte é saber que fui a pessoa a quem confiaram a sua história de amor. E contar uma história através de imagens é uma grande responsabilidade que tem de ser aceite com todo o amor também. Eu dou o máximo sempre a pensar no que faz sentido para o casal. Também isso é desafiante porque envolve toda a parte social e psicológica que é saber lidar com pessoas e querer agradar. Existe um pré-conhecimento antes do dia do casamento, mas no dia em si há imprevistos até em relação ao próprio comportamento das pessoas que estão sob pressão e nervosas, e esta considero a parte mais difícil. A mais desafiante, e que mais me preenche, é exigência de estar constantemente a pensar rápido, é preciso ter o “olho treinado” para acompanhar as mudanças de luz bem como antecipar momentos que sabemos que estão prestes a acontecer e serão importantes registar.

Os fotógrafos têm um privilégio muito grande de poder de ter parte do tempo nas suas mãos… A máquina do tempo existe e é a máquina fotográfica. Com ela conseguimos reter momentos no tempo que existiram verdadeiramente e que de outra forma não seria possível reviver ao detalhe.

 

Escolhe uma imagem favorita do teu portfolio e conta-nos porquê:

Com tantos trabalhos e tantas memórias, é muito difícil escolher apenas uma imagem favorita. Escolhi um conjunto de duas imagens como gosto de fazer nas minhas publicações onde há sempre um detalhe a acrescentar… este conjunto é da sessão que fiz hoje e traduz muito do que me representa enquanto fotógrafa. É uma imagem onde se vê luz, alegria, romance e uma relação de confiança. Em resumo, quando ambas as partes se envolvem e estão em sintonia, o resultado é sempre feliz para todos.

 

Atmosfia - fotografia de casamento

 

Os contactos detalhados da Raquel Castro estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria e contactem-na directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  • Sara Serrão

    A Atmosfia foi a escolha perfeita para o meu casamento!
    Não foi um simples casamento… nesse mesmo dia batizámos a nossa princesa Maria Teresa.
    Após conversar e ver o trabalho de diversos fotógrafos, verifiquei que nenhum entendia o nosso conceito, o nosso ideal! Descobri a Raquel Castro e tudo fluiu naturalmente…
    Recordar aquele dia, através do trabalho da Atmosfia, é sentir, é cheirar, é ver e vivenciar tudo novamente, com a mesma intensidade, com o mesmo carinho e com o mesmo amor!
    Estou eternamente grata por teres feito parte (para sempre) daquele dia único e inesquecível!
    Parabéns por todo o sucesso! Espero que continues a fazer muitos noivos felizes…

  • ATMOSFIA

    Sara, que bom ter notícias tuas.
    Já passaram alguns anos desde o teu casamento e Batizado da Maria Teresa, e, ainda assim depois de tanto tempo ler um comentário como este, escrito com tanta amizade e carinho, deixa-me imensamente feliz! Obrigada, obrigada, obrigada!