Created with Sketch.
Susana Pinto

À conversa com: Arte Magna – fotografia de casamento

Arte Magna, fotógrafos de casamento são os nossos companheiros de conversa de hoje.

Apresento-vos a Teresa e o Dado, dois sotaques de língua portuguesa, de Joane, Vila Nova de Famalicão, para Portugal de lés a lés.

Sentem-se connosco, fiquem a conhecê-los melhor e prestem atenção demorada ao seu trabalho: é assim bonito!

 

Não temos nenhuma fórmula, somos apenas genuínos e queremos que os nossos clientes se sintam seguros e relaxados. Gostamos de ser organizados e de ir mantendo contacto até e depois do casamento. No fundo, o que procuramos criar é uma relação de confiança.

 

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

Teresa: eu posso dizer que a minha viagem sempre esteve na mesma rota. Comecei de mão dada com o meu pai, mais tarde estudei no IPF Porto e hoje, junto com o Dado, temos a nossa Arte Magna.

A história do Dado é bem mais longa, mas por mais empregos que tivesse todos foram sempre relacionados com fotografia: laboratórios, edição de imagem, fotógrafo de festas infantis, até chegar aos casamentos.

 

Há quanto tempo fotografam? E porquê casamentos?

Dado: juntos, fotografamos desde 2014. Porquê casamentos? Acho que esta é a resposta mais fácil que podemos dar: o pai da Teresa sempre foi um apaixonado pelo que fazia (também ele fotógrafo de casamentos e fundador da Arte Magna há 40 anos) e ele era tão feliz no que fazia que contagiou a Teresa e ela, anos mais tarde, contagiou-me a mim.

 

O vosso trabalho é feito a duas mãos. Como o definem e como construíram essa assinatura?

Dado: acho que tudo surgiu de uma forma natural. Temos olhares e experiências de vida diferentes e achamos que isso é o que influencia e caracteriza o nosso trabalho e formas de fotografar. Procuramos fotografias que tenham alma para contar histórias que serão as memórias de uma família.

 

Achas que o ponto de vista feminino, os detalhes que escolhes fotografar e como o fazes, a narrativa que constróis, é diferente das escolhas que o Dado faz, do seu ponto de vista masculino? Como convergem?

Teresa: sim, mas acho que vai além da questão de género. Como o Dado disse, temos olhares diferentes e as nossas experiências de vida fazem com que sejamos únicos. Estas diferenças é que enriquecem o nosso trabalho e por isso é que consideramos vantajoso ter dois olhares diferentes, mas cúmplices, num casamento.

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

Teresa: inicialmente devorávamos muito o trabalho de outros colegas fotógrafos de casamento, mas com o tempo, tanto eu como o Dado temos procurado encontrar inspiração nos filmes que vemos e livros que lemos, mas sobretudo nas pessoas que fotografamos. Queremos um olhar e uma mente limpa.

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Dado: viajar, ver um filme projectado na parede do nosso sotão e estar com as nossas pessoas. Gostamos de momentos simples, mas que nos renovem.

 

Do Norte para o mundo, ou Portugal de lés a lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?

Dado: fotografar fora é sempre um prazer, mas também gostamos de explorar o nosso país. Adoramos sair dos “nossos lugares” e é isso o que nos fascina. Mesmo a fotografar dentro de Portugal, basta mudar de região e já vemos tradições diferentes tal como quando saímos do país. E agora, com Portugal na moda e cada vez mais estrangeiros a casar por cá, será que podemos considerar isto como um dois em um?

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Teresa: não temos nenhuma fórmula, somos apenas genuínos e queremos que os nossos clientes se sintam seguros e relaxados. Gostamos de ser organizados e de ir mantendo contacto até e depois do casamento. No fundo, o que procuramos criar é uma relação de confiança.

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

Dado: nos casamentos mais pequenos e inimistas acabamos por conseguir criar uma ligação especial não só com os noivos, mas também com os convidados. Sentimo-nos todos mais próximos uns dos outros e isso faz com que as pessoas se sintam mais soltas na nossa presença. No final, damos valor à emoção e muita diversão na pista sejam 20 ou 180 convidados.

 

Qual é a melhor parte de fotografar casamentos? E o mais desafiante e difícil?

Teresa: somos uns privilegiados, pois temos a oportunidade de contar uma bonita história, conhecer novos lugares e fazer o que mais gostamos. Durante o dia do casamento estamos numa posição privilegiada a ver como se olham quando se vêem pela primeira vez como noiva e noivo, sentimos a alegria na pista de dança, a emoção ao ouvirem as palavras carinhosas dos amigos e familiares.

Desafiante: estar sempre alerta por mais simples que o momento possa ser. Difícil: eu como chorona que sou, confesso que é segurar as lágrimas. Na entrega de cada trabalho, sentimos a honra de estar a criar memórias para as gerações futuras.

 

Escolham uma imagem favorita do vosso portfolio e contem-nos porquê:

fotografia de casamento Arte Magna

 

Teresa: a escolha foi a mesma! Esta fotografia da Alice e do João, pode não ser a mais perfeita nem com o melhor enquadramento, mas é umas das fotografias que mais nos fez e faz rir sempre que recordamos o momento. Quando estávamos a fotografar eu, Teresa, ia a andar de costas cheia de confiança e bati com a cabeça numa ávore. O Dado apanhou o momento em que eles se riram! Tivemos que parar uns momentos para recuperarmos todos: eu da dor e eles do ataque de riso. Doeu, mas valeu a pena! Se for preciso voltarei a bater com a cabeça com a segurança de que o Dado fará uma grande fotografia.

 

Os contactos detalhados da Arte Magna estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem a Teresa e o Dado directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.