Created with Sketch.
Susana Pinto

À conversa com: Sublime Films – filmes de casamento

Hoje conversamos com a Marta e Rui, a dupla que assina como Sublime Films – filmes de casamento.

Falamos sobre desafios, o que é importante e fundamental e como se cria empatia com o casal que se senta à nossa frente.

Estreamos três novos filmes, do seu trabalho desta estação. Venham conhecê-los!

 

Cada casamento é um casamento e, apesar de muita gente achar que “são todos iguais”, a verdade é que as coisas não são bem assim. Todos os casais têm expectativas, famílias e formas de expressão diferentes. Tudo isso é um desafio! A isto temos de somar o facto de ser tudo momentâneo e irrepetível, o que faz com que o foco e sensibilidade tenham de funcionar em conjunto.

 

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, ao vídeo de casamento.

O nosso percurso é muito pouco linear e apesar de já trabalharmos com marca própria desde 2014, muitas coisas mudaram e se alteraram ao longo dos últimos 4 anos.

Ambos tirámos o curso de Ciências da Comunicação. No segundo ano de licenciatura propuseram-nos escrever, realizar, filmar e editar um programa de televisão e nós aceitamos o desafio. A Marta era uma das apresentadoras do programa e o Rui, além de apresentador, também editava e filmava. Podemos dizer que foi aí que começou o gosto pela edição e captação de imagem.

Depois de editar vários vídeos para o curso e para alguma empresas, o Rui recebeu uma proposta para filmar um casamento e aí percebeu que este era um mercado cheio de potencial e resolveu começar a pensar na própria marca.

Algum tempo depois convidou a Marta para embarcar no projeto e ela aceitou! A Marta sempre adorou casamentos e edição de vídeo (que fazia na altura como jornalista), e como não se sentia realizada profissionalmente, resolveu arriscar!

 

Há quanto tempo filmam? E porquê casamentos?

O Rui filma desde 2012 e a Marta desde 2014. Na verdade nem sabemos bem explicar o porquê. Os casamentos entraram na nossa vida por acaso e, quando reparámos, já estávamos envolvidos neste mundo e apaixonados por filmar alguns dos momentos mais felizes da vida das pessoas. Além disso, é um desafio constante, e o facto de lidarmos com tantas pessoas diferentes fez-nos crescer muito, não só a nível profissional como pessoal!

 

Como construíram a vossa assinatura, o vosso ponto de vista? Como é que o definem?

Acreditamos que ainda estamos a construir a nossa assinatura e achamos que assim vamos continuar (pelo menos nos próximos anos). Estamos constantemente a evoluir e sentimos esse crescimento de ano para ano. Conforme vamos fazendo casamentos, vamos tentando evoluir e melhorar sempre. No entanto, nós costumamos dizer que não trabalhamos com “fórmulas”. Achamos que cada casamento é um casamento, as pessoas e a forma como lidam umas com as outras também é o que cria a energia do vídeo e nos inspira!

 

 

Num casamento, para onde olham, o que vos prende a atenção? O que procuram?

Costumamos dizer que os noivos são importantes mas que não são  a única coisa a que devemos dar importância. Ou seja, achamos fundamental captar aquilo que vêem todos os dias mas a que não prestam atenção: desde objetos antigos e com história, até ao andar descalço pela casa por exemplo… Todos esses pormenores nos prendem atenção. Quando escolhemos filmar certas coisas, costumamos pensar se daqui a dez anos aqueles pormenores vão fazer a diferença naquilo que irão sentir, ao relembrar o casamento.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

Sabemos que é um pouco cliché, mas o que nos inspira são desde os momentos felizes que temos, aos mais dolorosos, a uma comida nova que experimentamos ou filme que vimos. Às vezes a inspiração surge do nada, enquanto conduzimos ou antes de dormir, e às vezes queremos que ela apareça mas achamos que anda perdida por aí!

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Quando queremos mesmo desligar, gostamos de estar com pessoas que em nada estão ligadas a este mundo dos casamentos.  As nossas famílias e alguns amigos ajudam-nos a desligar e a perceber que há outras coisas interessantes para falar. Também gostamos de viajar ou ver séries no sofá e experimentar comidas de países diferentes. O Rui também costuma jogar PS4 e a Marta pratica Yoga!

 

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Para nós é importante conversar e a conversa não tem de ser relacionada com o casamento. Achamos importante, acima de tudo, conhecer a pessoa. Muitas vezes começamos por falar do casamento e terminamos a debater as últimas séries que vimos ou as bandas favoritas que temos. Este tipo de conversas ajuda-nos a criar uma “ligação”, tendo em conta os pontos que temos em comum, o que facilita imenso a fluidez do trabalho no dia do casamento.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

Sinceramente é difícil escolher. A verdade é que já fizemos casamentos grandes e pequenos, nacionais e internacionais e chegamos conclusão que a diferença que existe entre eles é o que nos motiva neste trabalho. Achamos que se a nossa agenda se resumisse a casamentos pequenos ou a festas de arromba acabaríamos por entrar na monotonia.

 

Qual é a melhor parte de ser videógrafo de casamentos? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte é o facto de conhecermos sítios bonitos enquanto fazemos o que gostamos. Achamos que não há maior privilégio do que esse! O mais desafiante é sem dúvida o “improviso”. Cada casamento é um casamento e apesar de muita gente achar que “são todos iguais”, a verdade é que as coisas não são bem assim. Todos os casais têm expectativas, famílias e formas de se exprimir diferentes. Tudo isso é um desafio! A isto temos de somar o facto de ser tudo momentâneo e irrepetível, o que faz com que o foco e sensibilidade tenham de funcionar em conjunto.

 

 

Escolham um filme favorito do seu portfolio e contem-nos porquê:

Sinceramente, não conseguimos escolher um vídeo favorito. Ao longo deste nosso percurso, percebemos que cada vídeo tem o seu próprio valor. Cada vez que olhamos para o nosso portefólio percebemos que todos os vídeos são diferentes, não só no estilo musical, como nos lugares ou na energia do casamento e isto faz com que seja impossível escolher apenas um.

 

 

Os contactos detalhados da Sublime Films estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem a Marta e o Rui directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.