Created with Sketch.
Marta Ramos

Wise words: Pão e vinho sobre a mesa

Iris Murdoch imortalizou, no seu livro O Mar, o Mar, a recomendação de que «claro que ler e pensar é importante, mas, meu Deus, a comida também é importante.» Isto, vindo de uma das maiores escritoras e filósofas do séc. XX, é, por Deus, para ser levado a sério!

Serve este preâmbulo para introduzir o assunto da ementa da festa. Já pensaram nisso? Temos vindo a focar, nesta rubrica de wise words, alguns dos aspectos mais importantes da organização do vosso casamento. Ora bem, a comida é um deles. É bem sabido que por cá gostamos de comer, a hora da refeição é sempre um dos momentos altos e memoráveis de qualquer comemoração. Já chegar a um consenso na ementa da festa poderá ser um caminho atribulado, é preciso agradar a uma boa centena de convivas e esta decisão traz sempre alguma pressão associada!

O que é mais a vossa cara? Uma mesa gloriosamente tradicional ou algo simples e leve, com toques de modernidade? Este será um dos prováveis duelos que terão de arbitrar até chegarem a uma conclusão final. As opções são de facto, variadas, e o fio condutor deverá ser uma combinação equilibrada entre o local, o tipo de festa que delinearam e a variedade de convidados que esperam.
Pode ser uma refeição servida dentro de portas, sentada ou em pé, no exterior, em formato de buffet livre, um dia inteiro, um cocktail ou apenas um jantar; e pode incluir ceia ou não.
Como daqui sairá a maior tranche do vosso orçamento, preparámos algumas notas a ter em atenção e uma mão cheia de bons conselhos.

 

 

 

Comecemos pelo cenário mais habitual, com a refeição a ser servida num espaço fechado bem climatizado, com alguma formalidade (um salão ou uma tenda). A ementa será de três pratos: entrada (ou sopa), primeiro (peixe) e segundo (carne). Façam escolhas refinadas, mas com uma boa dose de simplicidade, servir 100 pratos praticamente em simultâneo requer competência e celeridade para que cheguem ao seu lugar à temperatura correcta e nas condições certas. E não se esqueçam de verificar se alguns dos vossos convidados são vegetarianos ou têm algum tipo de restrição alimentar (como alergias ou intolerâncias a certos alimentos, por exemplo).
Sugerimos que peçam uma entrada (fria ou quente) que deixe os olhos a brilhar e o palato a salivar, mas sem esquecer, como opção, uma sopa para os mais sensíveis.
Sigam para o prato de peixe, seleccionando algo que possa chegar à mesa já empratado, e fechem com um prato de carne de excelente qualidade: pouco, mas muito bom deve ser o mote, e sempre já empratado. No caso de algumas das refeições a servir serem vegetarianas, sejam generosos e peçam ao vosso fornecedor de catering que preveja igualmente dois pratos diferentes que cumpram os requisitos – e não se preocupem, para um bom profissional isso não constitui dificuldade alguma.
Chegada a hora da sobremesa, provavelmente terão duas opções à escolha: serviço à mesa ou um generoso e variado buffet livre.
Este é o formato clássico e infalível, apropriado para ambientes fechados e com muitos convivas. Se a vossa festa está marcada para uma época mais invernosa e que pede aconchego, considerem uma ementa mais calorosa e de substância, e juntem uma mesa de chás e chocolates quentes variados, bolachinhas e petit fours. Se casam em tempos de calor, entradas e sopas frias, receitas mais leves (nada de comida de forno!) e uma bela mesa de frutas e sobremesas frescas.
Para uma opção mais contemporânea e ligeira (mas igualmente infalível), apostem numa entrada elaborada e deliciosa (e que tal um risotto?) e apenas um prato principal. A surpresa da apresentação e a sofisticação dos sabores irão deixar uma impressão muito positiva.

 

A vossa festa é ao ar livre? O modelo anterior aplica-se, mas com muita atenção à escolha de alimentos, ao sol e à temperatura exterior. Ar livre será certamente sinónimo de descontracção e este ambiente pede uma ementa mais leve, mas sem esquecer algum planeamento e organização.
Vistam a camisola de anfitriões irrepreensíveis e, à chegada, recebam os convidados com um cocktail de arrasar: finger food criativa e variada, acompanhada de um bar de bebidas interessantes (simples e de qualidade, sempre!), uma signature drink criada a preceito para a vossa festa, martinis apresentados à maneira, uns mojitos bem ginasticados, vinho branco na temperatura adequada, águas e sumos naturais ou cocktails não alcoólicos serão a base.
Se possível, sirvam o cocktail de boas vindas longe do local da refeição e se puderem criar dois ambientes distintos, façam-no.
Para a refeição propriamente dita, e porque já apostaram num cocktail refinado e bem composto, considerem uma ementa mais simples, com muita qualidade: uma entrada fresquinha e crocante, como uma sopa fria e muito bem apresentada, será uma óptima escolha, e um prato único, uma transgressão muito respeitosa e aceitável. Fechem com uma sobremesa espectacular: se existirem condições, um gelado inesquecível devidamente acompanhado (fruta fresca, merengue, bolachinha crocante…?) e um belo café servido à mesa fecham o assunto em grande e saboroso estilo.

 

 

 

Vejamos agora a alternativa buffet, usada cada vez com mais frequência. Neste cenário (interior ou exterior), toda a comida estará exposta e cada um serve-se a seu bel-prazer. É o formato para festas descontraídas, em modo quase familiar, e quando bem organizado, tem muita graça e aquece o ambiente.
Para que funcione lindamente, escolham uma ementa mesmo muito simples: algo que resista ao ar livre sem perder qualidade. Nada de mariscos, sopas frias são bem vindas, saladas sofisticadas também. Prevejam um cantinho na mesa para um festival de massas servidas frias, com molhos saborosos e acompanhamentos interessantes e variados. Apostem em produtos locais e da época: quanto mais artesanais, mais deliciosos.
Dividam as mesas, uma para a comida principal, outra para queijos e acompanhamentos, e uma terceira para os doces e frutas. Acrescentem também uma para as bebidas, em local espaçoso, pois irá ser bem concorrida: preparem uma sangria requintada e uma boa lista de vinhos locais. As cervejas artesanais também serão muito bem recebidas – e, neste caso, tal como os vinhos, também há combinações a ter em conta para que o ‘casamento’ prato-bebida seja perfeito.

Agora que estão bem artilhados de informação, está na altura de darem início à vossa busca do serviço de catering perfeito para o modelo de refeição que elegerem. Não se preocupem, que iremos debruçar-nos sobre esse assunto muito em breve. Até lá, analisem estas nossas propostas, peçam sugestões a familiares e amigos, vejam e revejam os diferentes cenários no papel e afinem a vossa escolha final. Lembrem-se que as memórias gustativas são das mais duradouras!

 

Fotos: Silva Carvalho Catering

Susana Pinto

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva: hoje elegemos o verde!

Dos tons de musgo aos tons de garrafa, um bonito verde adiciona sempre frescura onde quer que o coloquemos. Seja porque é o greenery da moda, ou porque combina na perfeição com branco e dourado, é uma combinação infalível!

Estas combinações de bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva começam, invariavelmente pela escolha dos sapatos, o meu assunto favorito!

Os sapatos de noiva de hoje não são excepção: uns belíssimos e aveludados Prada de cor verde musgo… Gloriosos! E o veludo continua a dar cartas, já viram…?

A acompanhar, um clássico bolo branco com cobertura de fondant e um ligeiro padrão geométrico, cuja estrutura é quebrada pela leveza orgânica das flores e folhas naturais – aqui, jasmim e helleborus, umas florinhas adoráveis, cujos tons variam do verde clarinho quase branco, ao vermelho escuríssimo quase preto.

A fechar o trio, um bouquet de noiva totalmente clássico em branco cremoso total: rosas de jardim, peónias, ranúnculos e ervilhas de cheiro, com apontamentos de verde… Ton sur ton no seu melhor, sem um pingo de aborrecimento… Classe, é isto!

 

Bolo dos noivos branco, com cobertura de fondant com padrão geométrico e flores naturais

 

 

Sapatos de noiva em veludo verde Prada

 

Bouquet de noiva com flores brancas - rosas, peónias e ranúnculos

 

Que combinação maravilhosa, esta, não vos parece? Elegante, intemporal e com a dose certa de frescura!

De cima para baixo, bolo dos noivos branco, com cobertura de fondant com padrão geométrico e decoração com flores naturais, via Studio Mondine; sapatos de noiva em veludo verde musgo, Prada, via Style me Pretty; bouquet de noiva all white, com rosas de jardim, peónias, ranúnculos e ervilhas de cheiro, via Wedding Sparrow.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Susana Pinto

Casamento vintage em Lisboa: Eliana + Alejandro

Esta semana trazemos um casamento vintage transatlântico: Eliana + Alejandro, vindos de Nova York, escolheram Lisboa para casar.

Foi uma festa intimista, muito relaxada e belíssimamente retratada pelo Miguel Ribeiro Fernandes. Os sorrisos são contagiantes!

Os noivos relembram o dia de forma telegráfica, mas imagens preenchem as palavras que faltam. Foi muito bonito!

 

Bom fim-de-semana!

 

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

When the answer was “yes!”, how did you imagine your day?

Intimate, loving day shared with our closest family and friends.

 

Did you feet prepared or was it a nerve-racking journey?

We felt stress free thanks to the wonderful wedding venue staff, photographer, videographer, and makeup artist. We did not have to move a finger on our special day. We were truly blessed.

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

At what point in the wedding planning did you feet, “this is for real”?

Bride: When my father entered my room, ready to walk me down to the chapel.

Groom: When I saw my beautiful bride walk down the aisle.

 

Is the result true to the initial ideas or is it very different? Did you had any help?

The result was fantastic! We could not have dreamt a better outcome. It was the most beautiful wedding and our family and friends loved it.

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

What was fundamental to you? And unimportant?

Fundamental: an intimate small wedding, and to not have to plan much. We wanted an all-inclusive venue and we did not really want to worry about the details. We fully trusted our vendors and wedding venue staff to do what they felt was best, using our ideas. Unimportant: we did not really care for being demanding or exacting in the ideas we had for the wedding. We just wanted a vague idea of color theme and decorations.

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

What was easier? And what was more difficult?

The whole planning process was super easy. The difficult part was communication via email with the wedding venue since we are from the United States. It took weeks sometimes to get e-mails replied to. In the end though, communication was really good.

 

What was the sentimental peak of your day?

When we were saying our vows to each other in front of our family and friends during our church ceremony.

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

 

And the peak of fun?

Our self-choreographed first dance as wife and husband. It was a blast!

 

A special detail…

Having our wedding vows secretly recorded on microphone during the wedding ceremony. It was truly a special thing to be able to hear them again in our wedding video! Thank you Miguel (our photographer/videographer)!

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Now that it has happened, would you change anything?

Nothing! It was truly perfect for us.

 

Some words of advice for upcoming brides…

Do not stress over fine details. In the end, it is about you and your husband. Enjoy every single second of the wedding day because if flies!

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Casamento vintage em The Quinta, com fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes

 

Fechamos em movimento, com o vídeo deste bonito casamento:

 

 

 

Os fornecedores seleccionados:

 

convites e materiais gráficos: My Wedding Online;

espaço, catering, bolo dos noivos, decoração, bouquet de noiva e DJ: The Quinta – My Vintage Wedding Portugal;

fato do noivo: JcPenney;

vestido de noiva: Bridal Galeria;

makeup e cabelo: Débora Makeup Artist & Hair;

lembranças para os convidados: my groom’s mother hand made our wedding favors;

fotografia e vídeo: Miguel Ribeiro Fernandes.

 

Save

Save

Save

Marta Ramos

Organic bridal inspiration, parte I

Tudo começou com um vestido de noiva. A Marta e o Luís, o casal Lounge Fotografia, apaixonaram-se por um vestido muito delicado e quiseram trabalhar a partir dele. Desafiaram a Ana e o Francisco, o casal Histórias com Alma, a planear uma sessão fotográfica no seu belo espaço da Casa Grande do Fontão, em Ponte de Lima. Conta-nos a Ana:

«A ideia era desenhar algo muito natural e orgânico, mas ao mesmo tempo elegante e simples, em concordância com os espaços naturais e intemporais da Casa Grande do Fontão. Optámos por uma paleta de cores intemporal e característica de 2017: verde e branco. Trouxemos a oliveira para o cenário indoor (para trazer o verde do exterior para o interior), e guardámos as flores mais delicadas e orgânicas (ranúnculos e helleborus) para a mesa. Introduzimos também elementos decorativos pretos e dourados, com linhas modernas e elegantes, de modo a contrastar com o rústico da mesa e cadeiras.»

À festa juntou-se ainda a Jenny Makeup Land e uma mão cheia de outros parceiros com muita pinta (vejam os créditos no final do artigo). Conclusão: o Francisco vestiu duas camisolas em simultâneo, Histórias com Alma e Um dia de sonho, e filmou a sessão. Os Lounge fotografaram. E o resultado traduziu-se em tantas e tão belas imagens, que decidimos apresentar-vos este trabalho em duas partes.

Assim sendo, hoje apreciem o vídeo e a intimidade das fotografias boudoir do dia. E para a semana há mais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Créditos:

 

fotografia: Lounge Fotografia

vídeo: Um dia de sonho

styling e decoração: Histórias com Alma

cabelo e maquilhagem: Jenny Makeup Land

headpiece: Wildwood flower

vestido: Manuela Noivas

espaço: Casa Grande do Fontão

modelo: Ailiny – Best Models

Marta Ramos

Amor e uma ilha, por We Love Film

Natureza deslumbrante, cidades e vilas encantadoras, praias de sonho, comida deliciosa e flores, muitas flores. Sim, estou a falar da Madeira. O clima quente e húmido do arquipélago, juntamente com a dedicação dos seus habitantes, criam jardins de beleza rara. E não falo apenas de jardins públicos. Cada casa, cada varanda, cada janela oferece um espectáculo de cor e perfume naturais. A força luxuriante da natureza manifesta-se neste nosso arquipélago de várias formas. Temos, claro, o mar omnipresente, com temperaturas convidativas a banhos a qualquer hora do dia (ou da noite), e as paisagens dramáticas que, nos pontos mais altos, nos elevam acima das nuvens.

Em Maio deste ano, os We Love Film voaram até à Madeira para registar o casamento da Isa e do Nuno, que escolheram a Igreja do Colégio, em pleno centro da bonita cidade do Funchal, para dizer o sim. O César Sousa optou por uma combinação de paisagens e momentos do casal para montar o vídeo que nos mostra hoje – e é compreensível que assim seja. Há sítios que são, eles mesmos, uma personagem da história que lá se desenrolar.

Estão presentes muitas imagens dos noivos em ambientes de luz e num cenário de floresta mágica, o que mostra a diversidade enorme que a ilha oferece a nível de paisagens bonitas.

 

Ainda há dias vos falámos nas vantagens de casar fora de época: a Madeira é um destino perfeito para essa opção, porque o clima da ilha é agradável durante todo o ano. Quem é que nunca viu as imagens dos grandiosos festejos da passagem de ano no Funchal? Se repararem bem na forma como as pessoas se vestem para celebrar ao ar livre, perceberão que ali o inverno é uma coisa diferente daquela a que estamos habituados no continente.

Não deixem de ver outros trabalhos dos We Love Film que já aqui publicámos; e falem com eles para começarem a planear a melhor maneira de capturar, para sempre, o cenário que escolheram para o vosso grande dia.

Susana Pinto

À conversa com: Design Events Wedding

Hoje sentamo-nos a conversa com a sábia e bem-humorada Maria João Soares, wedding planner de mão-cheia, que assina como Design Events Wedding.

Conheço a Maria João há mais de uma década, ainda muito antes de mergulhar nestes assuntos de casar. Sempre afinámos na conversa, no humor e nas ideias, mais ou menos amalucadas ou ambiciosas – depende apenas do ponto de vista -, com que nos desafiamos mutuamente e, juntas, escrevemos o nosso bonito livro “Queres casar comigo? – guia prático para um dia muito feliz”, um livro cheio de bons conselhos e boas práticas, como se fôssemos as fadas madrinhas da vossa festa.

Achámos que fazia falta informação arrumada, desmistificada e doce, que vos ajudasse a chegar ao mais bonito dos dias sem solavancos de maior, sabedores e, genuínamente, prontos para casar. Foi uma aventura emocionante editá-lo, e ainda hoje (celebramos o 3º aniversário em Novembro), é um livro precioso, gentil, honesto e valioso.

Sentamo-nos todas as semanas para conversas longas e o estado geral do mercado de casamento, para onde caminhamos e projectos futuros são assuntos recorrentes e sempre estimulantes.

 

O sucesso de uma boa festa é gente que nos ama, boa comida, boa bebida e óptima música. É isso que nos deixa boas memórias para sempre e é nisto que penso para refrescar a mente. Visualizo sempre esta festa, em função das pessoas que tenho à minha frente… O modelo estético? Esse aparece naturalmente depois.

 

Maria João, conte-nos como começou esta aventura de ser wedding planner, com a Design Events Wedding:

O nosso começo foi muito lá atrás. A nossa formação em gestão de recursos humanos, levou-nos à organização de eventos na área corporativa e, mais tarde, saltar para a organização de casamentos foi quase natural: trata-se, de igual forma, de gerir pessoas, vontades e criar consensos.

 

Organizar um casamento é coordenar tarefas mas também também gerir emoções e expectativas. Um destes lados pesa mais ou no meio está a virtude?

No meio está sempre a virtude! Um casamento vive de uma boa organização de tarefas, meios e de uma apertada disciplina. Mas como não há casamentos iguais, muitas vezes gerir emoções é a tarefa mais dura de um wedding planner. Bom senso, análise e cabeça fria são essenciais!

 

Tem uma perspectiva perfeccionista sobre o resultado ou é o prazer de acompanhar o processo que é o factor dominante?

Infelizmente somos ainda dependentes da ideia da perfeição, do resultado espectacular, mas a verdade é que fazer “nascer” um casamento é bastante desafiante. É uma combinação de muitas emoções, criatividade e análise fria sobre o que há para trabalhar. Por vezes é também gerir cenários de crise.

O factor dominante para os noivos é a incógnita sobre tudo o que vai acontecer. O que é claro para nós, fruto da experiência, não é facilmente lido por eles. Para nós, profissionais, a chave reside na clareza da transformação das suas ideias em algo tangível. Apaziguar o stress, adequar as ideias e desenhar um dia com que se identifiquem verdadeiramente, criar confiança no outro lado são factores dominantes, sendo este último o mais difícil de conseguir.

É por isso que aconselhamos sempre os noivos a disfrutarem verdadeiramente deste processo: de cabeça aberta e sem preconceitos. Idealizar um dia tão especial para eles pode e deve ser um motivo de partilha e de grande motivação.

 

Design Events - wedding planner, decoração de casamentos e aluguer

 

 

Design Events - wedding planner, decoração de casamentos e aluguer

 

Design Events - wedding planner, decoração de casamentos e aluguer

 

Ainda há alguma resistência à figura do wedding planner, que é vista mais como um custo adicional do que um genuíno valor acrescentado. Quais são as claras vantagens em contratá-la?

Não sou super optimista quanto a isto, ainda há muito caminho para andar. O pensamento do “podemos fazer tudo sozinhos” ainda é muito forte. Se é certo que alguns noivos conseguem, sem esforço, organizar-se, para a maior parte não é bem assim, e acabam por fazer este caminho com dificuldades desnecessárias. Não saber valorizar e reconhecer o papel de um profissional ou expert do meio, não é uma atitude que favoreça a chegada a um bom resultado. Por outro lado, sendo uma actividade ainda muito incipiente e pouco transparente, os noivos não a vêm como uma mais-valia a considerar. Creio no entanto, que o cenário vai mudando, acabando o factor económico por perder importância.

Existem vantagens enormes, mas sublinho as mais importantes : uma óptima gestão de tempos, o quanto e onde gastar de forma inteligente, a certeza de contratar óptimos fornecedores e ideias. Chegado o dia D, o acompanhamento no terreno e o encontrar a melhor solução para problemas inesperados é o que pode esperar de nós.

 

Tem uma assinatura visível no seu trabalho, um estilo próprio e favorito, ou o é a voz do cliente que define a totalidade do resultado?

Para mim é a voz do cliente que define o modelo base, entendo que a nossa assinatura vem depois, nos detalhes, na interpretação geral da imagem do casamento. Claro que todos temos um estilo onde nos sentimos mais à vontade e que é a nossa cara, mas o foco é seguir e executar a vontade do cliente. É o ADN do cliente que deve ditar o caminho, mas é também verdade que o nosso know how pode e deve ajudar a criar o tal conjunto harmonioso.

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Francamente achamos que são fait divers mas podemos usá-los a nosso favor. Se o mundo nos diz que a cor do futuro vai ser o vermelho tomate (uma das cores Pantone apontadas para 2018), podemos sempre pensar nele… mas se os Noivos gostam mesmo é de amarelo, pois é o amarelo a tendência do nosso trabalho.

 

Onde busca inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Ao fim de tantos anos de trabalho e de avalanches de imagens, cada vez mais olho para o lado. Tento não me influenciar por outros trabalhos e manter uma imagem limpa, fresca e sem obedecer à “moda do momento”. Gosto de interpretar as primeiras palavras dos noivos – o que gostam, o que não gostam, as cores e em que ambiente se sentem bem. Para mim essa é a mãe de todas as inspirações!

 

Design Events Wedding, um fornecedor seleccionado SImplesmente Branco (3)

 

Design Events - wedding planner, decoração de casamentos e aluguer

 

Design Events - wedding planner, decoração de casamentos e aluguer

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refresca a mente e o olhar?

Pensar fora da caixa! Acho que cada vez mais a festa do casamento vive de muitas outras situações. O ambiente em geral a prevalecer sobre aquela flor que tem de se ter ou uma pista de dança a piscar. O respeito pelo enquadramento da natureza, não querer um palácio de Versalhes no meio do campo, ou querer recrear o campo no meio da cidade. Menos é mais! Não consigo compreender o “circo”, a festa na pista de karting, os noivos a descerem de pára-quedas… Este dia é uma experiência emocional muito forte, é um dia irrepetível… O sucesso de uma boa festa é gente que nos ama, boa comida, boa bebida e óptima música. É isso que nos deixa boas memórias para sempre e é nisto que penso para refrescar a mente. Visualizo sempre esta festa, em função das pessoas que tenho à minha frente… O modelo estético? Esse aparece naturalmente depois.

 

Qual é a melhor parte de organizar um casamento? E o mais desafiante e difícil?

“Ler” os noivos, criar o elo de confiança, fazê-los descobrir as possibilidades, no fundo “pensar” no seu casamento como um guião escrito a três e viver aquele tempo em que ainda tudo é uma novidade.

O mais desafiante é manter as ideias, torná-las realidade e ajudá-los a vencer os medos.

 

“Ler” os noivos, criar o elo de confiança, fazê-los descobrir as possibilidades, no fundo “pensar” no seu casamento como um guião escrito a três e viver aquele tempo em que ainda tudo é uma novidade.

O mais desafiante é manter as ideias, torná-las realidade e ajudá-los a vencer os medos.

 

Qual foi o casamento em que mais gostou de trabalhar? Porquê?

Não conto troféus, sei que já fiz muitos casamentos, alguns foram fantásticos e outros mais difíceis, mas não consigo eleger um em especial. Mas gosto, especialmente e em particular, dos casamentos em que vi os noivos relaxados, felizes e cheios de vontade de se divertirem, a esses reservo-me o direito de pensar que contribui, fazendo um trabalho bem feito.

 

Escolha uma imagem favorita do seu portfolio e conte-nos porquê:

Esta noiva foi levada ao altar pela mão da mãe e vieram de muito longe (da longínqua América Latina), para elas o importante foi a cerimónia, e sentirem-se cómodas e seguras num dia tão emotivo. Foi um casamento muito íntimo e pessoal, tal como gostamos.

 

Design Events Wedding - wedding planner e organização de casamentos

 

Os contactos detalhados da Design Events Wedding estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, com o seu trabalho mais recente e contactem directamente a Maria João Soares através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!