Created with Sketch.
Susana Pinto

Bolo dos noivos alternativo, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Um bolo dos noivos alternativo abre o post de hoje. Sim, porque o que estão a ver não são versões alternativas de Magnuns, mas sim porções individuais de bolo… Não é genial?

São da autoria de Raymond Tan, um baker de Seoul, que se dedica a fazer variantes desta ideia, sempre com cores e texturas incríveis e muito espectaculares. Uma ideia a reter e que merece a vossa atenção, porque será o ponto alto da festa! Falem com os vossos pasteleiros de serviço, testem sabores e combinações de cobertura e o sucesso e delícia estão garantidos.

Para um bolo alternativo deste calibre, os sapatos de noiva escolhidos têm de ser igualmente interessantes e alinhados no estilo.Por isso mesmo, escolhi estes botins de veludo rosa  com aplicações de brilhantes e pérolas, ligeiramente inspirados nos anos 70, mas que vão lindamente com um vestido boho com mangas de sino.

Rematamos o trio de bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva com um ramo orgânico nestes tons de rosa velho e leite-creme,  com anémonas, heleborus, tão delicado e etéreo… uma maravilha!

 

Bolo dos noivos alternativo

 

Sapatos de noiva alternativos: botins de veludo cor de rosa com aplicações

 

Bouquet de noiva orgânico

 

Diferente, moderno e romântico. Meninas, se achavam que estes três adjectivos não combinavam entre si, espero que tenham ficado agradavelmente surpreendidas!

De cima para baixo, bolo dos noivos  em porções individuais, com diferentes coberturas, feito por Raymond Tan; botins de noiva em veludo rosa com aplicações, Zara, por 45,95 euros; bouquet de noiva orgânico com heleborus e anémonas de Myrtle et Olive.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Susana Pinto

Um casamento simples e elegante: Sofia + Paulo

Esta semana é fechada em modo singelo: com o casamento simples e elegante da Sofia + Paulo, em Coimbra.

Sabedores do que desejavam (e do que não queriam), prepararam um dia à sua medida: “o mais natural possível, rodeados dos amigos e família mais próximos”.

Escolheram os seus fornecedores com o mesmo foco e, entre eles, estava a Bouquet de Liz, fornecedora seleccionada Simplesmente Branco, que se esmerou na decoração e bouquet da Sofia.

Sem mais demoras, fiquem com o casamento simples e elegante da Sofia + Paulo e tenham um óptimo fim-de-semana.

 

Um aviso nosso: na próxima semana, estaremos em modo adormecido: vamos estar a arrumar a nova casa The Destination, com toda atenção e entusiasmo.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Não imaginámos propriamente o dia, mas sim uma vida inteira.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sentíamo-nos preparados porque tínhamos bem presentes que queríamos um dia o mais natural possível, rodeados dos amigos e família mais próximos.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

No decorrer de todo o dia, foi tudo perfeito. Mas o sentimento de satisfação no final do dia foi especial.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado correspondeu 100% às expectativas que fomos construindo. Desde o início sabíamos bem aquilo que não queríamos, o que tornou muito mais fácil perceber o que queríamos.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental para nós era sem dúvida que o dia fosse à nossa imagem, de forma simples mas elegante. As coisas que valorizamos teriam de estar presentes, que eram na verdade muito poucas – amigos, família, um espaço agradável e um excelente serviço. Tudo o resto considerámos desde sempre acessório.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi a escolha do espaço e dos fornecedores que nos entenderam perfeitamente e com quem gostámos muito de trabalhar. O mais difícil foi perceber que o dia passava tão rapidamente e que iria terminar.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A despedida

 

E o pico de diversão?

Um questionário surpresa que os nossos padrinhos e madrinhas organizaram para todos os convidados.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Um pormenor especial…

Não conseguimos individualizar um pormenor especial, porque todo o dia foi um pormenor. Mas o facto de ter sido um casamento muito jovem e simples, foi algo muito apreciado por todos.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Não complicar. Perceber o que é realmente importante e imprescindível nesse dia. Nos pontos em que há dúvidas, não há dúvida.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Markate;

catering e bolo: Encontrus;

vestido de noiva e sapatos: UHMA;

maquilhagem: Vanessa Kuzer Makeup;

bouquet e decoração: Bouquet de Liz;

fotografia: Luís Ala;

luzes, som e Dj: Dj Xico.

 

Marta Ramos

Felicidário: já andamos a pensar no Natal

Falta praticamente um mês para o Natal. Nós sabemos que vocês têm a cabeça noutro lugar, que só pensam em casamento, ementas, flores e listas de convidados, mas o calendário não pára. Para vos ajudar a gerir a vida real enquanto põem de pé o vosso dia de sonho, vamos começar a deixar-vos aqui algumas sugestões de presentes: só coisas bonitas, bem feitas e bem intencionadas! A maior parte delas também ficará bem na vossa festa ou na vossa nova casa, pelo que isto é, de facto, um dois-em-um.

Como estes quadros do Felicidário. Já conhecem o projecto? Começou por ser um calendário e, dia após dia, somou 365 sugestões práticas de felicidade para maiores de 65 anos. Na verdade, as sugestões assentam bem a qualquer idade! Criado pela ENCONTRAR+SE, em parceria com a Lintas, o Felicidário reune ilustrações de Afonso Cruz, André Letria e Ricardo Henriques, André da Loba, Aka Corleone, Bernardo Carvalho, Carolina Celas, Irmão Lucia, Julio Dolbeth, Madalena Matoso, Maria Imaginário, Tiago Albuquerque e Yara Kono, entre outros.

Agora, as ilustrações também se emolduram para alegrar as paredes das nossas casas. Cada quadro custa 25 euros e as receitas das vendas revertem a favor da ENCONTRAR+SE – Associação Para a Promoção da Saúde Mental, um dos parceiros Simplesmente Branco.

Vamos às compras?

 

 

 

 

 

 

Naveguem pela loja do Felicidário para conhecerem todas as ilustrações disponíveis. E divirtam-se, porque é disso mesmo que se trata!

A ENCONTRAR+SE – Associação Para a Promoção da Saúde Mental, fundada a 10 de Outubro de 2006, tem como missão contribuir o aumento do acesso a tratamento no domínio da saúde mental, bem como diminuir o estigma associado a estes problemas. Em Portugal, cerca de 30% da população passa pela experiência de um problema de saúde mental. No entanto, 65% destas pessoas não têm acesso a tratamento e o estigma é um dos maiores obstáculos à promoção da saúde mental.

Saibam mais sobre este parceiro SB – incluindo como é que podem transformar as vossas lembranças para os convidados numa bonita contribuição para esta instituição.

Marta Ramos

Je t’aime, moi aussi – por Edgar Félix Videography

Lembram-se da dupla Edgar Félix Videography, recentemente chegada a esta nossa casa? O Edgar e a Rita são uma equipa a tempo inteiro, ou seja, tanto no trabalho como na vida – e isso, segundo eles, torna tudo mais fácil! Escolheram fazer vídeos de casamento porque se entusiasmam com as pessoas e as suas particularidades. Sentem-se privilegiados por viver o espaço e o tempo de quem sonha casar.

Para eles, os casamentos têm muitos traços comuns, mas a única coisa que os distingue totalmente é a história dos seus protagonistas — os noivos. Daí oferecerem um tipo de videografia que pretende criar uma recordação com valor artístico dos momentos mais importantes da vida dos seus clientes até ao dia do casamento. As histórias e os  actores são verdadeiros e essas são as principais ferramentas com que trabalham.

Todos os filmes Edgar Félix Videography têm uma coisa em comum (e é uma coisa que eu adoro): a primazia da palavra. Os protagonistas de cada história contam-na também de viva voz, e esse relato entrelaça-se com o outro, o das imagens, proporcionando-nos um retrato muito vivo e emotivo.

Conhecemos todas as histórias dos noivos e como estes se conheceram. Desta vez, considerámos a história inédita: Sothida queria comprar casa há algum tempo. Contacta um agente imobiliário e marca uma visita ao apartamento que ambicionava ser a sua nova casa. Quando faz a visita apaixona-se pelo agente imobiliário, o Antoine. Um amor que dura até aos dias de hoje. E residem, ainda, nessa mesma casa. Agora já com Soan, o seu filho, com o riso mais contagiante de sempre.

A Sothida e o Antoine encontraram o trabalho da Edgar Félix Videography e não descansaram enquanto não os contrataram como videógrafos do seu grande dia. O casamento decorreu em Noisy Le-Grand, próximo de Paris, e tratou-se de uma cerimónia simbólica com discursos de muitos amigos e família, que culminaram na troca de votos e alianças entre o casal. O melhor amigo deles foi o guia da cerimónia, contando histórias, declamando poemas e exteriorizando desejos dirigidos aos noivos. No fim do jantar, estava garantido que a noite se prolongaria uma festa muito intensa e divertida.

 

 

Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado de Edgar Félix Videography para ficarem a conhecer melhor o Edgar e a Rita e o seu trabalho. E falem com eles – se há coisa que dá para perceber dos seus trabalhos é que eles são magníficos ouvintes!

Marta Ramos

Vestidos de noiva Aire Barcelona, na Bridal’s Boudoir

O vestido de noiva é um dos assuntos que mais espaço mental vos ocupa desde o dia do pedido – ou, muito possivelmente, desde antes disso. O vestido perfeito – eis aquilo com que todas as mulheres sonham para o dia do seu casamento. Mas como encontrá-lo? Se têm data marcada para 2018, está na altura de começar a procurar: 9 meses de antecedência para vestidos de catálogo e de 6 a 8 quando se tratar de um vestido feito de raiz. O processo incluirá sempre várias provas (duas ou três, pelo menos), com a última nas semanas que antecedem o grande dia.

Hoje queremos chamar-vos a atenção para o conceito Bridal’s Boudoir, uma bonita loja com uma seleccionada oferta para noivas e noivos: vestidos, fatos, sapatos, véus, acessórios para o cabelo, joalharia e lingerie. Todos os produtos são escolhidos criteriosamente, tendo em conta a sua singularidade e elegância, e as marcas representadas são as que melhor reflectem estes critérios, como os designers Manu Alvarez, Cabotine by Gema Nicolás, Patricia Avendaño e Miguel Vieira.

A Carla Ferreira escolheu trabalhar nesta área por querer oferecer um produto de excelência, distinto e diferenciador às noivas e aos noivos. Orgulha-se da qualidade de tudo aquilo que vende na Bridal’s Boudoir, da excelência do serviço que presta e da capacidade de toda a equipa para ir ao encontro das expectativas de cada cliente. Que tal agendarem uma visita à Briadal’s Boudoir? Para abrir o apetite, deixo-vos com uma amostra de vestidos de noiva Aire Barcelona – a marca catalã que, desde 1999, nos encanta com a sua linha elegante e fresca, a prova de que é possível apresentar bom design e qualidade a preços aceitáveis.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Falem com a Carla sobre o vosso vestido de noiva de sonho e marquem um atendimento personalizado na Bridal’s Boudoir. De certeza que vão sair de lá mais esclarecidas – e, possivelmente, com o vosso vestido já escolhido! Até lá, espreitem aquilo que já aqui publicámos sobre este nosso fornecedor seleccionado de vestidos de noiva.

Susana Pinto

À conversa com: Jardin d’ Époque – flores para casamento

Hoje  converso com a Ema Ramos, da Jardin D’ Époque – flores para casamento.

A primeira vez que vi o seu trabalho, fiquei curiosa: é desarrumado, esquisito, tem qualquer coisa de bicho – e foi mesmo isso que lhe disse. Ao segundo olhar, percebe-se a inteção, o caminho, a conversa, e isso é muito especial. Porque é novo, porque é inesperado, porque é original e porque é bonito. Exige de nós uma atenção redobrada, uma pausa e foco para entrarmos nesse belíssimo diálogo em que somos recompensados.

Com esta conversa, descobri que temos muito em comum: o rigor, a curiosidade variada e um certo desassobramento em relação ao nosso trabalho. Gostei muito, mesmo!

Fiquem com o trabalho da Ema e, sobretudo, com as suas palavras. Façam uma pausa e deixem-se cativar!

 

Gosto de definir o Jardin d’ Époque como um projecto descomprometido com as regras sedimentadas no mundo da arte floral e extremamente focado nas particularidades daqueles que me procuram e que confiam no meu trabalho.

 

Como é que nasce a Jardin d’ Époque?

A Jardin d’ Époque nasce no momento em que tomo a decisão de regressar a Portugal. Depois de ter vivido alguns anos em França, comecei a sentir a necessidade de me dedicar a um projecto totalmente meu, onde o infinito fosse o limite e onde a criatividade fosse a matéria prima primordial.

 

Como defines a assinatura da Jardin d’ Époque?
Gosto de definir o Jardin d’ Époque como um projecto descomprometido com as regras sedimentadas no mundo da arte floral e extremamente focado nas particularidades daqueles que me procuram e que confiam no meu trabalho. Há uma frase dos fundadores do FLO Atelier Botânico (Antonio Jotta e Carol Nóbrega), uma das minhas referência no mundo das flores, que trago sempre presente e que me ajuda a manter o rumo: “É essencial não se limitar a regras, nem levar tão a sério o que já foi escrito sobre como montar um arranjo. É importante trabalhar com ingredientes frescos, de boa qualidade, mas também com itens menos convencionais. Depois, use sua bagagem estética e privilegie o que combina com você, com seu estilo de vida.”

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolheste para explorar e trabalhar este ano? Porquê?
Mais do que o ADN da marca, creio que este estilo é o meu próprio ADN. Desconstruir linguagens e processos de trabalho sempre foi transversal a todas as áreas profissionais em que estive envolvida. Do ballet clássico à produção cultural, do design à arquitectura… Conhecer a história, o que já existe, o que é produzido… E permitires-te experimentar e dessa forma evoluíres e definires o teu percurso e a tua identidade.

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

As tendências da estação… São um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Inevitavelmente as tendências estão quase sempre presentes. O Pinterest e o Instagram estão à distância de um clique para toda a gente e é muito comum receber e-mails com pedidos de orçamento acompanhados de “imagens tendência”. O grande desafio, é desenvolveres um projecto a partir das premissas que são as expectativas daqueles que te procuram, em função do teu método de trabalho e das tuas convicções.

 

E as estações do ano, o ritmo de produção de cada época, são influências, contingências ou indiferenças nestes tempos globais?
O nome Jardin d’ Époque não foi escolhido de ânimo leve. Quis que o nome da marca fosse uma alusão directa à forma como gosto de trabalhar. E por isso, o ritmo e as características de cada estação do ano são, sem dúvida, a principal influência no meu trabalho.

 

Ter o controlo das decisões é importante? Tens uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como queres que o teu trabalho seja mostrado e vivido ou é o prazer de discutir ideias, de criar e acompanhar o processo, que te interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Sou extremamente perfeccionista e picuinhas. E é por isso mesmo que discutir ideias e desenvolver um processo de trabalho é de extrema importância para mim. Nos tempos de faculdade, quando estudava arquitectura, na disciplina de Projecto tínhamos assiduamente as chamadas “críticas comparadas” onde discutíamos os exercícios que estávamos a desenvolver. Eram momentos de exposição e discussão que nos faziam repensar o que estávamos a produzir e assimilar novas possibilidades que surgiam na partilha e na crítica. Tento trazer esta dinâmica, hoje, para o Jardin d’ Époque, esteja com um cliente ou com um outro profissional. A partilha permite-nos chegar muito mais longe.

 

A melhor parte de trabalhar com flores e plantas é a energia que elas me dão. Claro que há momentos de tal forma intensos que a última coisa que quero fazer é levar flores para casa! Não sinto aquele cliché do “gosto tanto do que faço que não sinto que seja trabalho”. Eu gosto mesmo muito do que faço mas o sentido de responsabilidade que tenho para comigo e para com os meus clientes não me permite sentir este projecto como uma ocupação de Domingo à tarde. E é isso que torna o Jardin d’ Époque um desafio permanente.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplicas ou cada projecto de decoração floral é pensado totalmente de raiz?

Não creio que aplique uma fórmula aos projectos. Desenvolvo-os, sim, de acordo com o meu método de trabalho e esse método evolui de acordo com as especificidades de cada desafio, criando propostas totalmente individualizadas e únicas.

 

Onde buscas inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Ai… É muito difícil responder a esta pergunta! Sempre tive imensa dificuldade em focar-me apenas numa área porque tenho imensa curiosidade por uma série de temas, muitos deles, completamente díspares. E a inspiração tanto pode vir de uma peça gráfica ou arquitectónica da Bauhaus, como de um incrível espaço interior contemporâneo branquinho, com apontamentos de mármore de Estremoz e madeira clara de pinho… No fundo, ela pode espreitar de um qualquer pormenor que se cruze comigo nas tarefas diárias!

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescas a mente e o olhar?

Esta é mais fácil! Pego na Margarida e na Bolota e vamos até à Praia da Luz… Eu tomo um café e elas fazem buracos na areia! É incrível o privilégio que temos na nossa localização geográfica. A proximidade com o mar é um bálsamo para os momentos mais intensos e o facto de ter vivido durante algum tempo longe dele, faz-me dar-lhe ainda mais valor.

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Como é o teu processo de trabalho, como crias uma ligação com os teus clientes?

Gosto muito de conversar e, mesmo numa fase inicial, tento estar presencialmente com as pessoas que me contactam. Nem sempre são possíveis as visitas ao estúdio e por isso, muitas vezes, os contactos são feitos através de e-mail ou skype. Mesmo com as “imagens tendência” que referimos há pouco, é muito importante para mim perceber as expectativas, as estórias e os sonhos de cada um. E a partir daí, desenhar um plano. Começo pela definição de uma paleta de cores, selecção de espécies e construção das estruturas das peças florais no chamado mood board. E numa fase posterior, desenvolvo todo o processo através do desenho, fotografias e maquetas. Quando trabalhamos com elementos vegetais há coisas muito difíceis de definir… Não conseguimos adivinhar a dimensão exacta de determinada espécie… Nada nos garante que não existirá uma praga que colocará em causa a maturação “daquela” flor… Mas acredito que desenvolver um projecto de design floral à semelhança de um projecto de design de produto ou de arquitectura permite-me deixar portas abertas para soluções de eventuais problemas. E, acima de tudo, permite que os meus clientes percebam toda a minha dedicação e entrega.

 

Qual é a melhor parte de trabalhar com flores e plantas, em decoração? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte de trabalhar com flores e plantas é a energia que elas me dão. Claro que há momentos de tal forma intensos que a última coisa que quero fazer é levar flores para casa! Não sinto aquele cliché do “gosto tanto do que faço que não sinto que seja trabalho”. Eu gosto mesmo muito do que faço mas o sentido de responsabilidade que tenho para comigo e para com os meus clientes não me permite sentir este projecto como uma ocupação de Domingo à tarde. E é isso que torna o Jardin d’ Époque um desafio permanente.
Difícil, difícil… É ter de limpar o estúdio depois de dias intensos de trabalho em que todas as tesouras desapareceram e, afinal, estavam camufladas no meio dos desperdícios de folhas e pétalas!

 

Qual foi o casamento em que mais gostaste de trabalhar? Porquê?

O casamento que mais gostei de fazer foi precisamente o primeiro em que a primeira frase do e-mail de contacto dizia: “descobrimos o teu trabalho através do Simplesmente Branco”. Tinha terminado de empacotar as minhas coisas em França, a transportadora viria no dia seguinte e restava apenas o computador em cima de um pequeno aparador. O e-mail era escrito em francês!  E de repente, comecei o projecto de um casamento na deliciosa Comporta!
Todo o processo foi maravilhoso, pelos lugares e pelas espécies que a Justine e o Paulo elegeram. E o mais incrível foi o privilégio de desenvolver o projecto de design floral para um espaço como o Sublime Comporta, onde a articulação com a arquitectura e com as peças de mobiliário contemporâneos me deixaram como peixe num oceano!
O facto do casamento ter sido bem longe do Porto também me permitiu perceber que a ambição que tenho de executar projectos em todo o país e mesmo fora dele é possível e exequível, se meticulosamente planeado e com os maravilhosos e incansáveis fornecedores de flores de corte com quem trabalho.

 

Escolhe uma imagem favorita do teu portfolio e conta-nos porquê. 

Esta imagem é uma das minhas favoritas por várias razões. Foi o bouquet que construí para o primeiro editorial para o qual me convidaram a participar. A primeira vez que senti e vivi o trabalho de equipa entre vários fornecedores de serviços do mundo dos casamentos e a incrível confiança e liberdade que depositaram no meu trabalho. Liberdade que me permitiu construir uma peça “descabelada”, mesmo como eu gosto, utilizando flores de compra e amoras silvestres que colhi numa tarde de Agosto e às quais retirei todos os espinhos, bagas de campos abandonados, dálias oriundas de bolbos que já estiveram no jardim da minha avó e que a minha mãe replantou, hortênsias do jardim de casa dos meus pais… É uma imagem que me traz memórias e estórias.

 

bouquet de noiva Jardin d' Époque
Os contactos detalhados da Jardin D’ Époque estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, vejam as imagens bonitas e contactem directamente a Ema Ramos através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!