Created with Sketch.
Susana Pinto

Perfeito!

 

Palavras para quê…amor, pessoas que nos querem bem e um cenário genial e memorável é a fórmula perfeita. Há qualquer coisa de absolutamente mágico e hipnotizante quando duas pessoas, perante uma plateia de outras tantas, se olham nos olhos e explicam porque se querem tanto e para o resto da vida.

Tão, tão bonito…!

 

Fotografia de Kelland Photography, via Pinterest.

 

 

Susana Pinto

O sítio perfeito!

 

E a decoração perfeita, também… Rosa fúcsia com beige pedra, na proporção certa, e o cenário, bom, sem palavras, verdade!

CAsamento de Regina + Zaheen, em Zacatecas, México, para ver em detalhe aqui.

Chique, chique!

 

Susana Pinto

Give me your forever…

 

 

 

 

 

“Give me your forever”… mais bonito é difícil! Um altar civil (já perceberam o quanto e o porquê de sermos fãs por aqui…?) lindo de morrer, que cumpre à risca aquilo que escrevi no outro dia… é o ponto focal perfeito, para onde se olha durante toda a cerimónia e que propicia todas as fotografias maravilhosas que se seguirão… Absolutamente perfeito para um casamento civil, e a prova provada que qualquer local, é um bom local, desde que assim decidido, entendido e devidamente adereçado!

 

Via Style me Pretty, com event design de Engaged & Inspired e fotografia de  Jason + Anna Photography.

 

 

 

 

 

Susana Pinto

Altar civil refreshed: porque não?

Para primeira edição da S, quisemos explorar o “altar civil”, algo ainda muito pouco trabalhado por cá e com um imenso potencial visual e criativo, ao qual não consigo resistir…!

Afinal, é para esta peça/espaço que estão dirigidos todos os olhares durante a cerimónia e entre outras qualidades, um altar civil bem desenhado é uma fabulosa paisagem fotográfica, enquadrando os noivos de maneira totalmente cenográfica.

 

À semelhança do convite, em momentos distintos, o altar começa por contar um pouco da história de amor que une o casal e lança o mote para o ambiente que se vai experimentar a seguir… Para desenhar esta peça, que se pode resumir a um foco de atenção, não há limites criativos nem orçamentais, basta escolher um local e deixar a magia acontecer!

 

 

 

 

 

 

Esta foi uma das sugestões desenhadas por mim e pela Elisa Arnaud, da Design com Texto: uma placa de platex perfurada (comprada no Aki), pintada de branco com tinta de esmalte e bordada a ponto cruz com as iniciais dos noivos e um coração (desenhei as letras e motivos numa folha de papel quadriculado, para ter noção das dimensões que deveria escolher – 4 quadradinhos para cada ponto, e recortei, para perceber onde deveria colocar cada letra e calcular os espaços entre elas). Usámos fios sortidos, um de rolinho, acetinado, e um menos macio, prateado, para alternar cores e texturas.

 

Com esta peça feita, decidimos qual o sítio mais interessante para a colocar e esta porta/passagem para as salas seguintes, ladeada pela escada e corrimão trabalhado pareceu-nos perfeita. Bastou juntar a mesa alta e decorar a preceito: a jarra com a lavanda fora do vaso e cheia de lantejoulas, e a pequena manteigueira que guarda as alianças, peças fundamentais e suficientes para uma cerimónia civil e significativa.

 

 

 

 

 

Nesta segunda produção, com uma tábua de aglomerado comprada também no Aki, pintada com tinta acrílica em azul royal, criámos o bloco principal. As andorinhas da Otchipotchi (maravilhosas e que foram o ponto de partida para este altar) estão penduradas em 2 pequenos pregos e o remate de cor foi dado com as fitas rosa fúcsia.

Novamente, escolhemos um sítio interessante na sala, e ladeámos com duas mesinhas Lack, do Ikea, onde colocámos uns posters com palavras significativas e doces. Simples, mas eficaz e com muita emoção, e claro, cravos com fartura, uma das nossas flores favoritas!

 

 

 

 

 

A terceira proposta é ainda mais simples: fita cola de papel (daquela usada para proteger os interruptores e rodapés, quando se está em pinturas lá por casa!), pintada com tinta acrílica dourada: cortei vários pedaços a olho (cerca de 50cm), colei-os num plástico e pintei todos de uma vez, com uma trincha larga. Deixei secar e desenhei o coração, cortando à medida necessária para os vários segmentos.

 

Depois, foi só escolher fotos de família, momentos especiais e uma fotografia com mais significado, que ficasse dentro do coração.

Colámos tudo com a mesma fita cola, deixando as fotografias meio soltas, com um aspecto espontâneo e dinâmico. No fim do dia, foi só descolar com cuidado, deixando as fotografias e a parede impecáveis.

 

Simples, simples e tudo budget friendly: altar civil em ponto cruz, cerca de 50 euros (platex perfurado, tinta, fitas e fios, lantejoulas e lavanda), altar civil azul royal, cerca de 125 euros (placa de aglomerado, com corte e transporte, andorinhas, tinta, fitas, cravos e impressões), e altar civil com fotografias, cerca de 7 euros (fita cola e tinta dourada).

 

Interessante, verdade? Vão experimentar?

 

Aqui está uma tendência que esperamos conseguir lançar, devagarinho, e com muito amor, mostrando que é fácil, acessível e muito, muito memorável… Assim como  os cravos, que por cá (e não só…!) adoramos e cumprem todos estes requisitos com muito, muito estilo!

 

Prometo que insistiremos com elegância e frescura, e sempre com olho nos números!

Fotografias do André Castanheira, arc | fotografia.