Created with Sketch.
Susana Pinto

Isabel + Filipe, love is a fine art

As imagens bonitas de hoje, numa selecção pouco habitual – menos detalhes, mais retratos do casal, magníficos – são da Matilde Alçada e a festa e conversa doce são da Isabel + Filipe, em trânsito para uma vida a dois na capital inglesa.

Na lista de boas escolhas dos noivos, estão os seleccionados Páteo Velho, à frente da Quinta do Convento e a Jukebox, a dar conta da incrível pista de dança.

Acompanhem o relato sereno da Isabel e pausem nas imagens lindas e orgânicas que a Matilde captou… Fine art, na verdadeira descrição do termo, imagens perenes, requintadas, valiosas, exquisite…

Que óptima maneira de fecharmos a semana!

 

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-1

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-2

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-3

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-4

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O Filipe estava, na altura, em Londres e tinha vindo passar as férias de verão a Portugal. Estávamos no Algarve e tínhamos combinado que, para celebrar o nosso terceiro aniversário de namoro, iriamos jantar ao restaurante da praia onde começámos a namorar.

Foi muito engraçado porque o Filipe é sempre muito descontraído e naquela noite estava bastante nervoso. No fim de jantar ele quis ir até a praia e enquanto observávamos as estrelas, sentados na areia, fui pedida em casamento. Foi um momento muito emotivo e especial.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-5

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-6

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-7

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-8

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-9

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Como ia mudar-me para Londres em Outubro e não sabia quando iria regressar a Portugal, quis tratar do maior número de coisas possível.

Comecei por procurar o vestido e como já tinha uma ideia definida do que queria, não demorei muito a encontrá-lo.

Quanto ao espaço, tinha agendado algumas visitas para um fim-de-semana em que o Filipe vinha a Portugal, tendo a Quinta do Convento sido, sem dúvida, a favorita.

Depois de escolhida a Quinta, comecei a ver igrejas nas proximidades e assim que visitei a Basílica de Santa Quitéria de Meca, apaixonei-me. Enviei umas imagens ao Filipe e como ele também gostou, foi só falar com o padre e reservar a data.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-10

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-11

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-12

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Sempre imaginei o meu casamento com um estilo muito clean, sofisticado e ao mesmo tempo romântico. Os tons pastel foram os escolhidos, sendo que o branco e o rosa-claro predominavam.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Surgiu de uma brincadeira com um primo do Filipe. Fiquei super feliz quando consegui lembrar-me de como se fazia um quantos-queres. Foi aí que mostrei ao Filipe a minha “maquete”, com todos os desenhos e frases correspondentes e decidimos que seria um convite diferente e original, feito por mim.

Um amigo nosso ajudou, posteriormente, com a parte gráfica e com a impressão.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-13

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-14

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-15

 

Tiveste ajuda?

Muita. Nao sei como teria sido sem ajuda dos pais, dos familiares e amigos. No fundo, essa foi também uma parte muito importante, porque conseguimos envolver quem mais gostamos no nosso dia.

 

O que era o mais importante para ti?

Tudo. Não conseguimos eleger apenas uma coisa importante, mas termos a nossa família e amigos reunidos e poder partilhar com eles a nossa felicidade, foi, sem dúvida, melhor do nosso casamento.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-18

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-19

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-20

 

E secundário?

A dança, que apesar de também ser importante, acabou por ser aquilo a que menos nos dedicámos. Inspirámo-nos na dança da Cinderela e só treinámos duas horas, dois dias antes do casamento. Tinha tudo para correr muito mal, mas na hora descontraímos e, à nossa maneira, correu muito bem.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-21

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-22

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-24

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-25

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na quinta e no catering.

 

Onde gastaste menos?

Nos convites e nas ofertas.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-26

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-27

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-28

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-29

 

O que foi mais fácil?

Houve várias coisas fáceis, porque tanto eu como o Filipe estivemos sempre em sintonia. A quinta, a igreja, a Matilde Alçada, os Souzas e a Jukebox foram decisões que tomámos com muita facilidade, porque correspondiam, exactamente, aquilo que procurávamos.

 

O que foi mais difícil?

Segurar as lágrimas. Emocionei-me imenso ao longo do dia, ao entrar na igreja, quando a família e amigos nos vieram desejar felicidades e quando nos fizeram uma surpresa ao passar um vídeo com imagens nossas.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-30

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-31

 

O que te deu mais prazer criar?

Tudo me deu imenso prazer. Adoro casamentos e poder organizar o meu foi uma enorme felicidade. Há sempre alguns receios de que algo não corra da maneira que idealizámos, mas no fim, tudo correu muito bem. Por mim, repetia tudo novamente!

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

O casamento foi a nossa cara, mas claro que houve algumas cedências pelo caminho. Cedências necessárias para que as coisas funcionassem melhor.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-32

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-33

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-34

 

Um pormenor especial?

Houve vários pormenores especiais, mas destaco alguns, como o momento em que entrei na igreja com o meu pai, a ouvir a Ave Maria pela voz da Mariana, uma cantora lírica maravilhosa; o momento em que o Filipe ofereceu um ramo de flores à minha mãe e lhe fez uma dedicatória; o fogo de artifício e, claro, o vídeo que os nossos amigos nos fizeram.

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não, repetia tudo outra vez. Foi um dia maravilhoso, único e tão nosso.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Dormir bem é extremamente importante e foi algo que nao consegui fazer. É um dia muito exigente e como tal, uma boa noite de descanso vai ajudar muito. Depois disto, o mais importante é sorrir, abraçar, beijar e divertirem-se muito.

 

 

Os nossos fornecedores:

 

local, catering, bolo, materiais gráficos: Quinta do Convento, Páteo Velho

fato do noivo e acessórios: Hugo Boss

vestido de noiva e sapatos: vestido Nova Noiva e sandálias Schutz

maquilhagem e cabelos: Joana by Hairfusion

flores: Flores e Cores

ofertas aos convidados: narizes vermelhos da Missão Sorriso

fotografia: Matilde Alçada

video: SouzaFilmes

luzes, som e Dj: Jukebox

música da igreja: Daniel Oliveira (órgão) e Mariana (voz)

 

Susana Pinto

Andreia + Diogo, classy!

As imagens de hoje chegam-nos pela lente da doce Matilde Alçada. Mostramos a festa da Andreia + Diogo, cheia de classe e boa disposição contagiante.

Relaxados (dentro dos possíveis) e sabedores nas escolhas que fizeram, os noivos prepararam uma festa acolhedora num cenário bonito – parece simples, é certamente o desejo de todos, mas não se esqueçam que é uma bela equipa de profissionais que leva a bom porto esta aventura (entre os escolhidos pela Andreia e Diogo, está também o nosso fornecedor recomendado de catering, Páteo Velho.

 

Venham ver como foi!

 

Interior da Quinta do Torneiro

 

Interior da Quinta do Torneiro

 

Sapatos de noiva Badgley Mishka

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Aconteceu em Londres. Eu tinha oferecido uma viagem ao Diogo, como presente de aniversário, e como temos amigos que vivem lá, ia convencida que íamos apenas descontrair e passear uns dias. Mas o Diogo, juntamente com um dos nossos amigos (que foi o escolhido para nosso padrinho), organizou um passeio especial no London Eye.

Quando estávamos mesmo no topo, no ponto mais alto da volta, tirou o anel do bolso… e eu disse que sim!!

 

 

Retrato da noiva, em preto e branco

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Comecei em Novembro, 9 meses antes, logo após o pedido. Começámos por encontrar um local que ambos gostássemos e por verificar se estava disponível para o dia em que queríamos casar.

Simultaneamente, fomos à paróquia da igreja para perceber se havia viabilidade e vaga para casarmos no dia que escolhemos. Quando tivemos a data fechada nestes dois locais, começámos a avançar para as outras coisas.

 

Nos preparativos, com as amigas

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Queríamos um ambiente clássico, mas que não fosse demasiado formal. Que fosse bonito, mas sobretudo acolhedor para os nossos convidados, sem ser forçado ou pretensioso. Queríamos, sobretudo, que as todas as coisas tivessem significado para ambos.

Escolhemos um coro que cantasse temas mais acústicos, semelhantes aos que se cantam nos colégios católicos. Ambos fomos educados nesse tipo de instituição, bem como a maioria dos convidados, e queríamos que na cerimónia religiosa fossem incluídas músicas conhecidas pela maioria, para que todos pudessem orar e cantar, sentindo-se parte da cerimónia.

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

No nosso caso, essa opção não se colocou, sentimos que não íamos ter tempo ou disponibilidade mental, por isso pedimos ajuda na parte da decoração.

 

Tiveste ajuda?
Sim. A decoração da igreja e do copo d’água ficou a cargo da Lima Limão, bem como os elementos gráficos.

Os amigos e família (especialmente os que estavam também noivos ou que já tinham casado) também ajudaram muito, com contactos, orçamentos, ideias…

 

 

Decoração romântica para o exterior

 

Retrato da noiva com as amigas e madrinhas

 

O que era o mais importante para ti?

Era muito importante que a festa fosse a nossa cara e tivesse significado para nós e para a nossa história, mas que ao mesmo tempo fosse uma festa bonita e feliz para todos os convidados.

 

E secundário?

Não consideramos que nada se possa chamar “secundário”, porque era o nosso dia especial, e por isso queríamos que tudo estivesse e corresse bem.

 

Mesa do bolo dos noivos e doces

 

Bolo de noiva clássico, com flores de açúcar brancas

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na lua-de-mel. Sentimos que era uma oportunidade única para fazermos uma viagem inesquecível.

 

Onde gastaste menos? 

Acho que quando um casal toma a decisão de se casar, tem que ter consciência que não se vai gastar pouco em quase nada. Afinal de contas, é um dia que se quer o mais perfeito possível.

 

Decoração romântica na Quinta do Torneiro

 

Decoração romântica na Quinta do Torneiro

 

Centros de mesa e decoração em tons de rosa

 

Centros de mesa com candelabros e decoração floral em tons de rosa

 

O que foi mais fácil?

A escolha do local do copo-d’água e da igreja.

 

O que foi mais difícil?

Entregar os convites em mão a todos os convidados.

 

Retrato descontraído dos noivos

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

Não criámos nada de raiz. Ou comprámos ou contratámos.

A minha parte preferida foi o processo de escolha do vestido de noiva. Também gostei das provas de comida, mas isso é porque adoro comer!

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

O casamento foi a nossa cara. O nosso esforço, pelo menos, foi sempre nesse sentido, construir um dia que tivesse significado para ambos e que fosse à nossa imagem.

Em algumas situações teve que haver cedências. Há sempre, pois são muitas decisões diferentes para serem tomadas, mas do que me lembro, chegámos sempre a um acordo rápido.

 

Retrato natural da noiva, em preto e branco

 

Retrato natural do noivo, em preto e branco

 

Um pormenor especial?

Alguns. Casámos na igreja onde os meus pais casaram e onde eu e a minha irmã fomos baptizadas; usei o véu da minha mãe e casei de baton e unhas vermelhas (o que não é nada comum numa noiva!), tal como a minha mãe, há 33 anos atrás. A inspiração do décor era britânica, porque foi em Londres que o Diogo me pediu em casamento. Enfim, pequenas coisas que foram pensadas, porque tinham significado para mim ou para ambos.

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não. Nada. Nem uma única coisa! Foi o dia mais bonito e mais feliz das nossas vidas!

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Três conselhos:

primeiro, não ponham o “carro à frente dos bois”. Estabeleçam prioridades e sigam essa lista antes de avançarem para assuntos menos importantes. Assim não têm demasiadas coisas na vossa cabeça ao mesmo tempo, e não criam uma ansiedade desnecessária;

segundo, se há alguma coisa que sintam que não são capazes de resolver ou fazer sozinhos, peçam ajuda. Não vale a pena perderem tempo e encherem-se de angústias. Pode até ficar um pouco mais caro ter essa ajuda externa, mas compensa, pois vai poupar-vos muitas dores de cabeça e tempo para outras coisas importantes;

terceiro, é um cliché, mas nunca é demais reforçar: aproveitem o dia, vai passar num instante!

E vai correr bem, pois é o vosso dia, e o que se espera é, mais do que qualquer outra coisa, que seja um dia feliz e inesquecível para ambos.

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites, materiais gráficos, ofertas aos convidados, decoração floral e bolo: Lima Limão Festas com Charme;

local: Quinta do Torneiro;

catering: Páteo Velho;

fato do noivo e acessórios: fato Wesley e sapatos Sebago;

vestido de noiva e sapatos: vestido Atelier Isabel Ribeiro e sapatos Badgley Mishka;

maquilhagem: Inês Marques Make-up

cabelos: Patrícia Rodrigues

fotografia: Matilde Alçada Photography

Luzes, som e Dj: António Batalha Eventos

Coro: Figo Maduro

 

Save

Save

Save

Save

Mónica Aragão

Sunny love, por Matilde Alçada

Com o Verão a desvanecer aos poucos (e para nossa grande infelicidade!), nada como uma e-session luminosa da Matilde Alçada para nos fazer acreditar que estes dias de sol perfeitos, como aquele em que fotografou o igualmente luminoso amor de Cláudia + Bruno, ainda vão continuar por aí…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Summer may be leaving, but we’ll always have sunny Sintra…

 

Matilde Alçada é fornecedora seleccionada Simplesmente Branco. Podem encontrar mais informação e contactos detalhados na sua ficha de fornecedor, arquivada em Fotografia e Despedida de Solteira.

 

Mónica Aragão

És a minha praia, por Matilde Alçada

Uma praia deserta, algumas pegadas resistentes, uma brisa leve, o sol a espreitar, um mar a acordar, pés descalços, mãos entrelaçadas, Isabel + Filipe a celebrar o amor, a caminho de uma nova vida… e a Matilde Alçada a captar tudo na perfeição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já te disse hoje que és a minha praia?

 

Matilde Alçada é fornecedora seleccionada Simplesmente Branco. Podem encontrar mais informação e contactos detalhados na sua ficha de fornecedor, arquivada em Fotografia e Despedida de Solteira.

 

Mónica Aragão

Outono cor-de-rosa, por Matilde Alçada

Dias mais frescos, mas aquecidos por um sol que só pode ser de Outono, folhas secas mas vibrantes, que ora dançam ao vento, ora criam uma banda sonora debaixo dos pés… casar com o cair das folhas e aquela luz dourada que parece parar o tempo, não tem palavras. O brilho nos olhos, os sorrisos contagiantes, os pequenos e inesperados detalhes fazem o resto. Assim foi este casamento, realizado na Quinta do Hespanhol e fotografado pela Matilde Alçada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma experiência autêntica, momentos para guardar e relembrar.

 

Matilde Alçada é fornecedora seleccionada Simplesmente Branco. Podem encontrar mais informação e contactos detalhados na sua ficha de fornecedor, arquivada em Despedida de Solteira e Fotografia.