Paper Moons with Diana Nobre Arquivos - Página 8 de 8 -  Simplesmente Branco 

1 Comentário

Madrugada, por Diana Nobre

A Diana Nobre fotografou a Daniela e o Pedro de madrugada e o resultado é um misto de silêncio e encantamento. Tudo pode acontecer, às seis da manhã.

 

 

 

 

 

O casal dá o nó em Setembro e nós estamos em crer que esta forte ligação à natureza se fará, igualmente, sentir no grande dia.

 

0 Comentários

À luz do mar, por Diana Nobre

A Cláudia e o Diogo casaram em Setembro passado, rodeados de verde, numa quinta do Norte. Já marido e mulher, rumaram à beira-mar, acompanhados da Diana Nobre, e registaram alguns momentos doces, libertos da tensão do grande dia. Assim, felizes, apenas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma sessão trash the dress que cheira a sol e a maresia.

 

0 Comentários

Damos as boas vindas: Diana Nobre!

As boas vindas de hoje são dadas à Diana Nobre.

A Diana é fotógrafa e confessa-se particularmente emotiva, desde miúda, aliás. Encontrou na fotografia a melhor forma de expressar emoções, sentimentos e estados de espírito.

Espreitem as suas expressões feitas imagens na galeria da ficha de fornecedor e no seu site, onde podem conhecer também as suas prestações no universo da moda.

 

BoasVindas_DianaNobre

 

DianaNobre_4

 

DianaNobre_5

 

Diana Nobre, bem vinda ao Simplesmente Branco!

 

0 Comentários

Uma menina do mar (sem mar), por Diana Nobre

Mal vi estas fotos da Diana Nobre, ocorreu-me o final do conto Menina do Mar, de Sophia de Mello Breyner Andresen, uma linha muito específica do final: “Agora nunca mais nos separamos – disse o rapaz.”

 

A Joana e André vão casar no próximo ano e pediram à Diana para assinalar esta nova fase das suas vidas. Um sessão fotográfica onírica, que evoca histórias de amor épicas e, claro, finais felizes – como o da Menina do Mar, por exemplo.

As imagens são belíssimas e a rapariga é encantadora, uma “Uma Thurman” fresca e doce.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conta-nos a Diana que a Joana e o André “transbordam de uma felicidade genuína de fazer inveja e não pararam de rir a sessão inteira, com um enorme respeito um pelo outro.”

Happy days!