Created with Sketch.
Susana Pinto

Isabel + Filipe, love is a fine art

As imagens bonitas de hoje, numa selecção pouco habitual – menos detalhes, mais retratos do casal, magníficos – são da Matilde Alçada e a festa e conversa doce são da Isabel + Filipe, em trânsito para uma vida a dois na capital inglesa.

Na lista de boas escolhas dos noivos, estão os seleccionados Páteo Velho, à frente da Quinta do Convento e a Jukebox, a dar conta da incrível pista de dança.

Acompanhem o relato sereno da Isabel e pausem nas imagens lindas e orgânicas que a Matilde captou… Fine art, na verdadeira descrição do termo, imagens perenes, requintadas, valiosas, exquisite…

Que óptima maneira de fecharmos a semana!

 

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-1

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-2

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-3

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-4

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O Filipe estava, na altura, em Londres e tinha vindo passar as férias de verão a Portugal. Estávamos no Algarve e tínhamos combinado que, para celebrar o nosso terceiro aniversário de namoro, iriamos jantar ao restaurante da praia onde começámos a namorar.

Foi muito engraçado porque o Filipe é sempre muito descontraído e naquela noite estava bastante nervoso. No fim de jantar ele quis ir até a praia e enquanto observávamos as estrelas, sentados na areia, fui pedida em casamento. Foi um momento muito emotivo e especial.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-5

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-6

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-7

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-8

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-9

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Como ia mudar-me para Londres em Outubro e não sabia quando iria regressar a Portugal, quis tratar do maior número de coisas possível.

Comecei por procurar o vestido e como já tinha uma ideia definida do que queria, não demorei muito a encontrá-lo.

Quanto ao espaço, tinha agendado algumas visitas para um fim-de-semana em que o Filipe vinha a Portugal, tendo a Quinta do Convento sido, sem dúvida, a favorita.

Depois de escolhida a Quinta, comecei a ver igrejas nas proximidades e assim que visitei a Basílica de Santa Quitéria de Meca, apaixonei-me. Enviei umas imagens ao Filipe e como ele também gostou, foi só falar com o padre e reservar a data.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-10

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-11

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-12

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Sempre imaginei o meu casamento com um estilo muito clean, sofisticado e ao mesmo tempo romântico. Os tons pastel foram os escolhidos, sendo que o branco e o rosa-claro predominavam.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Surgiu de uma brincadeira com um primo do Filipe. Fiquei super feliz quando consegui lembrar-me de como se fazia um quantos-queres. Foi aí que mostrei ao Filipe a minha “maquete”, com todos os desenhos e frases correspondentes e decidimos que seria um convite diferente e original, feito por mim.

Um amigo nosso ajudou, posteriormente, com a parte gráfica e com a impressão.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-13

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-14

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-15

 

Tiveste ajuda?

Muita. Nao sei como teria sido sem ajuda dos pais, dos familiares e amigos. No fundo, essa foi também uma parte muito importante, porque conseguimos envolver quem mais gostamos no nosso dia.

 

O que era o mais importante para ti?

Tudo. Não conseguimos eleger apenas uma coisa importante, mas termos a nossa família e amigos reunidos e poder partilhar com eles a nossa felicidade, foi, sem dúvida, melhor do nosso casamento.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-18

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-19

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-20

 

E secundário?

A dança, que apesar de também ser importante, acabou por ser aquilo a que menos nos dedicámos. Inspirámo-nos na dança da Cinderela e só treinámos duas horas, dois dias antes do casamento. Tinha tudo para correr muito mal, mas na hora descontraímos e, à nossa maneira, correu muito bem.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-21

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-22

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-24

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-25

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na quinta e no catering.

 

Onde gastaste menos?

Nos convites e nas ofertas.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-26

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-27

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-28

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-29

 

O que foi mais fácil?

Houve várias coisas fáceis, porque tanto eu como o Filipe estivemos sempre em sintonia. A quinta, a igreja, a Matilde Alçada, os Souzas e a Jukebox foram decisões que tomámos com muita facilidade, porque correspondiam, exactamente, aquilo que procurávamos.

 

O que foi mais difícil?

Segurar as lágrimas. Emocionei-me imenso ao longo do dia, ao entrar na igreja, quando a família e amigos nos vieram desejar felicidades e quando nos fizeram uma surpresa ao passar um vídeo com imagens nossas.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-30

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-31

 

O que te deu mais prazer criar?

Tudo me deu imenso prazer. Adoro casamentos e poder organizar o meu foi uma enorme felicidade. Há sempre alguns receios de que algo não corra da maneira que idealizámos, mas no fim, tudo correu muito bem. Por mim, repetia tudo novamente!

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

O casamento foi a nossa cara, mas claro que houve algumas cedências pelo caminho. Cedências necessárias para que as coisas funcionassem melhor.

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-32

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-33

 

matilde-alcada-fotografia_isabelfilipe-34

 

Um pormenor especial?

Houve vários pormenores especiais, mas destaco alguns, como o momento em que entrei na igreja com o meu pai, a ouvir a Ave Maria pela voz da Mariana, uma cantora lírica maravilhosa; o momento em que o Filipe ofereceu um ramo de flores à minha mãe e lhe fez uma dedicatória; o fogo de artifício e, claro, o vídeo que os nossos amigos nos fizeram.

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não, repetia tudo outra vez. Foi um dia maravilhoso, único e tão nosso.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Dormir bem é extremamente importante e foi algo que nao consegui fazer. É um dia muito exigente e como tal, uma boa noite de descanso vai ajudar muito. Depois disto, o mais importante é sorrir, abraçar, beijar e divertirem-se muito.

 

 

Os nossos fornecedores:

 

local, catering, bolo, materiais gráficos: Quinta do Convento, Páteo Velho

fato do noivo e acessórios: Hugo Boss

vestido de noiva e sapatos: vestido Nova Noiva e sandálias Schutz

maquilhagem e cabelos: Joana by Hairfusion

flores: Flores e Cores

ofertas aos convidados: narizes vermelhos da Missão Sorriso

fotografia: Matilde Alçada

video: SouzaFilmes

luzes, som e Dj: Jukebox

música da igreja: Daniel Oliveira (órgão) e Mariana (voz)

 

Susana Pinto

Joana + Bruno, uma doçura só…

A semana termina com a festa do doce casal Joana + Bruno, e uma mão cheia de fornecedores seleccionados Simplesmente Branco.

As fotografias são do Miguel Ribeiro Fernandes, o catering ficou a cargo da equipa do Páteo Velho, tudo foi filmado pela DreamCatchers e a pista, animadíssima, é dos habituais Jukebox, tudo gente cá de casa, recomendadíssima!

Começamos este post assim, de forma singela e directa, porque assim é este casal: doce, bonito, tranquilo. Não é precisa muita conversa nossa, porque as palavras da Joana são especiais: serenidade feliz é isto mesmo!

Bom fim-de-semana!

 

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O meu pedido começou com uma prenda de aniversário: um fim de semana num sítio surpresa. O Bruno levou-me para a Casa das Penhas Douradas, um lugar lindo na Serra da Estrela. Fiquei encantada… com o passeio, a surpresa, o espaço, a paisagem, a lareira, tudo cheio de pormenores pequeninos que eu adoro …! Quando o sol se estava quase a ir embora o Bruno fez-me um simples pedido. Foi a pergunta mais bonita que já me fizeram e só podia ter sido feita por ele!

 

 

 

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Comecámos por escolher o espaço. Hoje em dia existe tanta oferta de espaços e tantos casamentos a acontecer, que queríamos ter a certeza que o sítio que escolhessemos tinha um dia para nós em Setembro. Depois decidimos o fotógrafo e o videógrafo, com cerca de 8 meses de antecedência e o resto foi acontecendo sem grande pressa.

 

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Nós queríamos um ambiente simples e acolhedor com pormenores românticos e uma decoração rústica. A nossa festa tinha de ter um bocadinho de Trás-os-Montes e de Lisboa!

 

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Quando é “feito por nós”, damos um toque muito pessoal às coisas. Para mim significa que estou a dar um pouco de mim às outras pessoas. Eu adoro os pormenores que fazem a diferença em qualquer situação.

 

Tiveste ajuda?

Sim, sem dúvida! Tivemos ajuda dos nossos pais, manos, cunhados, madrinhas e padrinhos. Todos foram incríveis. Cada um deu o seu contributo para que o dia fosse perfeito.

 

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

O mais importante era que o dia fosse perfeito para nós e que os nossos convidados se sentissem bem com as nossas escolhas. Queríamos boa comida e uma festa animada. Tudo correu na perfeição.

 

E secundário?

Acho que nada foi secundário.

 

 

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No espaço e no catering.

 

Onde gastaste menos?

Nos elementos gráficos (convites, menus, seating plan, ofertas) porque foram feitos por nós com a ajuda da minha madrinha e dos nossos pais.

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

Foi escolher o espaço e a igreja. Entrámos em ambos os sítios e dissemos, “É aqui!”

 

O que foi mais difícil?

Tivemos alguns contratempos nos dias anteriores ao casamento, mas com calma tudo se resolve. No dia, sabíamos que nada ia correr mal!

 

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

O quadro das mesas que tinha uma fotografia polaroid com os nomes de cada convidado, tudo feito por nós e que era uma lembrança que podiam levar.

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Acho que tudo foi planeado para ser a nossa cara. Acho que fiz poucas cedências.

 

 

 

 

Um pormenor especial?

Acho que não posso eleger um pormenor porque existiram vários. Os brincos que usei são muito especiais, são da minha mãe e foram oferecidos pelo meu pai no primeiro Natal de casamento (já lá vão 43 anos!). O gancho feito pela MVG-Craft (Mafalda) que foi ao encontro do que sonhei. O azeite que oferecemos em pequenas garrafas aos nossos convidados, foi preparado por nós desde a apanha da azeitona até à simples etiqueta que desenhei para colocar na garrafa. Tivemos o Coro de Santo Amaro de Oeiras a cantar para nós durante a cerimónia. Amigos e familiares que vieram dos vários cantos do mundo de propósito para o nosso casamento. Por coincidência, casámos no mesmo dia que os pais do Bruno! Pormenores que para nós fizeram a diferença!

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não me tinha enganado na dança que preparámos com os nossos amigos e família!!!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

O dia é vosso!! Vai haver sempre qualquer coisa que nos escapa na preparação mas a verdade é que um casamento nunca corre mal! É um dia em que tudo nos faz sorrir e é uma emoção muito especial!

 

 

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: feitos por nós e pela madrinha Ana Zilhão;

local: Quinta Valle do Riacho;

catering e bolo: Páteo Velho;

fato do noivo e acessórios: fato Hugo Boss, sapatos Rui Branco e botões de punho Maria João Bahia;

vestido de noiva e sapatos: vestido Joana Montez e sapatos Rui Branco

maquilhagem: Raquel Maria Peres

cabelos: Sónia Barrelas, Barrelas Secrets

flores: Decoflorália

ofertas aos convidados: Feitos pelos noivos

fotografia: Miguel Ribeiro Fernandes

vídeo: Dreamcatchers, by Frederico Jesus

luzes, som e Dj: Jukebox

 

Save

Susana Pinto

Andreia + Diogo, classy!

As imagens de hoje chegam-nos pela lente da doce Matilde Alçada. Mostramos a festa da Andreia + Diogo, cheia de classe e boa disposição contagiante.

Relaxados (dentro dos possíveis) e sabedores nas escolhas que fizeram, os noivos prepararam uma festa acolhedora num cenário bonito – parece simples, é certamente o desejo de todos, mas não se esqueçam que é uma bela equipa de profissionais que leva a bom porto esta aventura (entre os escolhidos pela Andreia e Diogo, está também o nosso fornecedor recomendado de catering, Páteo Velho.

 

Venham ver como foi!

 

Interior da Quinta do Torneiro

 

Interior da Quinta do Torneiro

 

Sapatos de noiva Badgley Mishka

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Aconteceu em Londres. Eu tinha oferecido uma viagem ao Diogo, como presente de aniversário, e como temos amigos que vivem lá, ia convencida que íamos apenas descontrair e passear uns dias. Mas o Diogo, juntamente com um dos nossos amigos (que foi o escolhido para nosso padrinho), organizou um passeio especial no London Eye.

Quando estávamos mesmo no topo, no ponto mais alto da volta, tirou o anel do bolso… e eu disse que sim!!

 

 

Retrato da noiva, em preto e branco

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Comecei em Novembro, 9 meses antes, logo após o pedido. Começámos por encontrar um local que ambos gostássemos e por verificar se estava disponível para o dia em que queríamos casar.

Simultaneamente, fomos à paróquia da igreja para perceber se havia viabilidade e vaga para casarmos no dia que escolhemos. Quando tivemos a data fechada nestes dois locais, começámos a avançar para as outras coisas.

 

Nos preparativos, com as amigas

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Queríamos um ambiente clássico, mas que não fosse demasiado formal. Que fosse bonito, mas sobretudo acolhedor para os nossos convidados, sem ser forçado ou pretensioso. Queríamos, sobretudo, que as todas as coisas tivessem significado para ambos.

Escolhemos um coro que cantasse temas mais acústicos, semelhantes aos que se cantam nos colégios católicos. Ambos fomos educados nesse tipo de instituição, bem como a maioria dos convidados, e queríamos que na cerimónia religiosa fossem incluídas músicas conhecidas pela maioria, para que todos pudessem orar e cantar, sentindo-se parte da cerimónia.

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

No nosso caso, essa opção não se colocou, sentimos que não íamos ter tempo ou disponibilidade mental, por isso pedimos ajuda na parte da decoração.

 

Tiveste ajuda?
Sim. A decoração da igreja e do copo d’água ficou a cargo da Lima Limão, bem como os elementos gráficos.

Os amigos e família (especialmente os que estavam também noivos ou que já tinham casado) também ajudaram muito, com contactos, orçamentos, ideias…

 

 

Decoração romântica para o exterior

 

Retrato da noiva com as amigas e madrinhas

 

O que era o mais importante para ti?

Era muito importante que a festa fosse a nossa cara e tivesse significado para nós e para a nossa história, mas que ao mesmo tempo fosse uma festa bonita e feliz para todos os convidados.

 

E secundário?

Não consideramos que nada se possa chamar “secundário”, porque era o nosso dia especial, e por isso queríamos que tudo estivesse e corresse bem.

 

Mesa do bolo dos noivos e doces

 

Bolo de noiva clássico, com flores de açúcar brancas

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na lua-de-mel. Sentimos que era uma oportunidade única para fazermos uma viagem inesquecível.

 

Onde gastaste menos? 

Acho que quando um casal toma a decisão de se casar, tem que ter consciência que não se vai gastar pouco em quase nada. Afinal de contas, é um dia que se quer o mais perfeito possível.

 

Decoração romântica na Quinta do Torneiro

 

Decoração romântica na Quinta do Torneiro

 

Centros de mesa e decoração em tons de rosa

 

Centros de mesa com candelabros e decoração floral em tons de rosa

 

O que foi mais fácil?

A escolha do local do copo-d’água e da igreja.

 

O que foi mais difícil?

Entregar os convites em mão a todos os convidados.

 

Retrato descontraído dos noivos

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

Não criámos nada de raiz. Ou comprámos ou contratámos.

A minha parte preferida foi o processo de escolha do vestido de noiva. Também gostei das provas de comida, mas isso é porque adoro comer!

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

O casamento foi a nossa cara. O nosso esforço, pelo menos, foi sempre nesse sentido, construir um dia que tivesse significado para ambos e que fosse à nossa imagem.

Em algumas situações teve que haver cedências. Há sempre, pois são muitas decisões diferentes para serem tomadas, mas do que me lembro, chegámos sempre a um acordo rápido.

 

Retrato natural da noiva, em preto e branco

 

Retrato natural do noivo, em preto e branco

 

Um pormenor especial?

Alguns. Casámos na igreja onde os meus pais casaram e onde eu e a minha irmã fomos baptizadas; usei o véu da minha mãe e casei de baton e unhas vermelhas (o que não é nada comum numa noiva!), tal como a minha mãe, há 33 anos atrás. A inspiração do décor era britânica, porque foi em Londres que o Diogo me pediu em casamento. Enfim, pequenas coisas que foram pensadas, porque tinham significado para mim ou para ambos.

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não. Nada. Nem uma única coisa! Foi o dia mais bonito e mais feliz das nossas vidas!

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Três conselhos:

primeiro, não ponham o “carro à frente dos bois”. Estabeleçam prioridades e sigam essa lista antes de avançarem para assuntos menos importantes. Assim não têm demasiadas coisas na vossa cabeça ao mesmo tempo, e não criam uma ansiedade desnecessária;

segundo, se há alguma coisa que sintam que não são capazes de resolver ou fazer sozinhos, peçam ajuda. Não vale a pena perderem tempo e encherem-se de angústias. Pode até ficar um pouco mais caro ter essa ajuda externa, mas compensa, pois vai poupar-vos muitas dores de cabeça e tempo para outras coisas importantes;

terceiro, é um cliché, mas nunca é demais reforçar: aproveitem o dia, vai passar num instante!

E vai correr bem, pois é o vosso dia, e o que se espera é, mais do que qualquer outra coisa, que seja um dia feliz e inesquecível para ambos.

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites, materiais gráficos, ofertas aos convidados, decoração floral e bolo: Lima Limão Festas com Charme;

local: Quinta do Torneiro;

catering: Páteo Velho;

fato do noivo e acessórios: fato Wesley e sapatos Sebago;

vestido de noiva e sapatos: vestido Atelier Isabel Ribeiro e sapatos Badgley Mishka;

maquilhagem: Inês Marques Make-up

cabelos: Patrícia Rodrigues

fotografia: Matilde Alçada Photography

Luzes, som e Dj: António Batalha Eventos

Coro: Figo Maduro

 

Save

Save

Save

Save

Marta Ramos

Páteo Velho, um fornecedor Simplesmente Branco

Eça de Queiroz disse “O homem põe tanto do seu carácter e da sua individualidade nas invenções da cozinha, como nas da arte” e no Páteo Velho isto é levado à letra!

Cada evento é único para quem o vive. O Páteo Velho é uma empresa de catering que actua a nível nacional, com ampla experiência em eventos de cariz familiar e empresarial. Não tratam apenas da alimentação, mas de toda a organização, desde o espaço, aos serviços de animação e ao aconselhamento nos mais variados níveis.

As ementas são adaptadas de acordo com gostos e preferências e esta é uma equipa ganhadora.

 

Pateo Velho_SB aprova

 

Para conhecer melhor o trabalho do Páteo Velho e falar com a Milá Veloso, basta enviar-lhe um email ou ligar para um dos seguintes números: 961 738 027, 917 714 123 ou 964 944 087.
O Páteo Velho é fornecedor seleccionado Simplesmente Branco. Para mais detalhes, consulte a ficha de fornecedor, arquivada em Catering e Espaços.

 

Susana Pinto

Filipa + Nuno, o caminho para a felicidade!

Hoje trazemos a festa feliz da Filipa + Nuno, que contou com uma bela mão cheia de fornecedores cá de casa, os ingredientes certos para um dia especial.

E do que vão ler, vão perceber a importância destas pequenas sugestões que vamos dando – a empatia no contacto com o fornecedor, a partilha da experiência de quem já casou e de que é feita uma bonita festa: amor a rodos! Bom, não só, porque fornecedores impecáveis são essenciais e as escolhas deste casal mostram isso: Kabuki Makeup by Rita Amorim, na maquilhagem, Rui Barros na animação da pista de dança, Maria Imaginária no vídeo que mostramos abaixo, espaço e boa comida por conta do Páteo Velho – Convento da Visitação.

 

Querem saber como foi?

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?
Foi na passagem de ano 2013/2014 que o pedido aconteceu. Num restaurante à beira rio, depois da meia-noite, o Nuno fez o esperado pedido e claro que a resposta foi o “simmm…!”

 

Como te organizaste? Por onde começaste. Com que antecedência?
Começámos em Janeiro a fazer a seleção da quinta e da igreja, reservámos um fim de semana para visitar as quintas e felizmente decidimos logo! Não tínhamos qualquer data em mente… Apenas sabíamos que queríamos casar pelo outono, e felizmente que o espaço que elegemos tinha uma data disponível.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como fizeste?
Não tínhamos nenhuma temática específica, o ambiente pensado foi de descontração e festa! Acabamos por atribuir o nome de personagens da vida portuguesa às mesas e pedir aos convidados que nos deixassem conselhos em pequenos cartões, permitindo brincar um pouco e fugir ao tradicional livro de honra.

 

Tiveste ajuda?
Tivémos a preciosa ajuda de um dos padrinhos que idealizou todos os desenhos para os convites e para os marcadores das mesas! E também de uma amiga que me ajudou a reciclar uma velha mala de viagem (com mais de 50 anos), que foi usada colocar os cones com arroz e pétalas.

 

 

 

 

O que era mais importante para ti?
Que o dia fosse idílico, que tudo corresse bem, que fosse um dia a recordar não só por nós como também para a nossa família e amigos.

 

E secundário?
Nada foi secundário… Tudo foi encarado como prioritário!

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?
No espaço e catering, mas valeu bem a pena!

 

Onde gastaste menos?
Nos convites e marcadores das mesas.

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil?
A decisão de alguns fornecedores foi bastante fácil pela relação que se estabeleceu desde o primeiro contato!

 

O que foi mais difícil?
A escolha dos músicos para a cerimônia religiosa, foi o mais difícil… Só na última semana fechámos este capítulo. Mas o resultado foi excelente!

 

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?
O bouquet! As flores foram escolhidas ao pormenor por mim e pela minha mãe!

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?
A nossa cara, sem dúvida! Foi um dia mágico! Felicidade, alegria e diversão, foram as palavras de ordem!

 

 

 

 

Um pormenor especial?
O bouquet levava uma medalha da Nossa Senhora do Almortão, de Idanha-a-Nova

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?
Apenas antecipava o início do evento, para desfrutar de mais umas horas…

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?
Depois de ler algumas words of advice de outras noivas, tentei seguir algumas, e a melhor é sem dúvida, aproveitar o dia ao máximo, porque passa a correr! Confiar nos fornecedores e ser muuuuito feliz!!

 

Os nossos fornecedores:

 

convites, materiais gráficos e ofertas aos convidados: Palavras com Papel (Neusa Silva) / Ricardo Venâncio (ilustrador – padrinho)
local e catering: Quinta do Convento de Nossa Senhora da Visitação / Páteo Velho
fato do noivo e acessórios: Dielmar
vestido da noiva e sapatos: Pronovias / Foreva
anel noivado, alianças e brincos: Passion/Eternis/Swarovski
maquilhagem: Kabuki Make-Up by Rita Amorim
cabelos: Elsa
flores: Flores e Cores (Torres Vedras)
fotografia: Bluebird Photography ( Cláudia Martins e Rita Tojal Quintela)
luzes, som e DJ: DJ Rui Barros
Vídeo: Maria Imaginária

 

Marta Ramos

Páteo Velho, um fornecedor Simplesmente Branco

Eça de Queiroz disse “O homem põe tanto do seu carácter e da sua individualidade nas invenções da cozinha, como nas da arte” e no Páteo Velho isto é levado à letra!

 

Cada evento é único para quem o vive. O Páteo Velho é uma empresa de catering que actua a nível nacional, com ampla experiência em eventos de cariz familiar e empresarial. Não tratam apenas da alimentação, mas de toda a organização, desde o espaço, aos serviços de animação e ao aconselhamento nos mais variados níveis.

As ementas são adaptadas de acordo com gostos e preferências e esta é uma equipa ganhadora.

 

PateoVelho_SBaprova

 

Para conhecer melhor o trabalho do Páteo Velho e falar com a Milá Veloso, basta enviar-lhe um email ou ligar para um dos seguintes números: 961 738 027, 917 714 123 ou 964 944 087.
O Páteo Velho é fornecedor seleccionado Simplesmente Branco. Para mais detalhes, consulte a ficha de fornecedor, arquivada em Catering e Espaços.

 

Susana Pinto

Sofia + Mário, uma viagem pelo amor!

Estreamos o novo ano com a festa da Sofia + Mário, na Quinta do Convento da Visitação, um dos belíssimos espaços do Páteo Velho. As meninas da Como Branco trataram dos convites e décor e a pista de dança, ficou ao cuidado da equipa da Jukebox!

Uma festaça, portanto!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Foi numa noite de verão num sítio muito especial para nós, Cacela Velha. Depois de um jantar super romântico, o Mário fez o pedido. Foi um momento inesquecível!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

A preparação para o casamento representava todo um novo mundo para mim, pelo que comecei por ler alguns blogs de casamento. Arranjei uma check-list com as prioridades e comecei a tratar das coisas. A primeira coisa a fazer com antecedência (cerca de 1 ano antes) é o local do copo-de-águ e, se fôr uma cerimónia religiosa, a igreja.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

O que mais gostamos de fazer juntos é viajar, pelo que queríamos que fosse o nosso tema, aliado a ambiente romântico e simples que completasse o espaço, já de si tão bonito, da quinta. Para adaptar o tema aos pormenores do casamento contámos com a preciosa ajuda da Como Branco.

 

Tiveste ajuda?

Para além da ajuda profissional da Como Branco, fomos pedindo algumas opiniões às mães e madrinhas, mas tratámos nós de tudo.

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

A qualidade da comida era muito importante, mas sobretudo que todos se sentissem bem na festa do nosso dia.

 

E secundário?

Sinceramente, num dia tão importante em que despendemos tanto tempo na preparação e em cada pormenor, nada era secundário para nós.

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No espaço e catering do copo-de-água.

 

Onde gastaste menos? 

No bolo da noiva.

 

O que foi mais fácil?

Escolher o vestido (demorei 40 minutos)!

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

A organização do casamento com todos os pormenores que implica no timing certo para não haver stresses de última hora, acho que é o mais complicado.

 

Um pormenor especial?

O clip do dia feito pelos VIP Weddings, estava fantástico! Maravilhou os noivos e todos os presentes.

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não. Foi perfeito!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Tenham a vossa check-list com os tempos que devem cumprir, para que corra tudo como desejaram e passaram tantos meses a planear. E o mais importante, aproveitem e desfrutem do vosso dia sem preocupações!

 

 

 

 

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites, materiais gráficos e ofertas aos convidados: Como Branco

local e catering: Quinta do Convento, Páteo Velho

fato do noivo e acessórios: Hugo Boss

vestido de noiva e sapatos: vestido Pronovias, sapatos Christian Louboutin

makeup: Carina Quintiliano

cabelos: Ana Sousa

flores: Alda Salavisa

fotografia: Bluebird Photography

video: VIP Weddings

luzes, som e Dj: Jukebox