Created with Sketch.
Susana Pinto

Um casamento simples e elegante: Sofia + Paulo

Esta semana é fechada em modo singelo: com o casamento simples e elegante da Sofia + Paulo, em Coimbra.

Sabedores do que desejavam (e do que não queriam), prepararam um dia à sua medida: “o mais natural possível, rodeados dos amigos e família mais próximos”.

Escolheram os seus fornecedores com o mesmo foco e, entre eles, estava a Bouquet de Liz, fornecedora seleccionada Simplesmente Branco, que se esmerou na decoração e bouquet da Sofia.

Sem mais demoras, fiquem com o casamento simples e elegante da Sofia + Paulo e tenham um óptimo fim-de-semana.

 

Um aviso nosso: na próxima semana, estaremos em modo adormecido: vamos estar a arrumar a nova casa The Destination, com toda atenção e entusiasmo.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Não imaginámos propriamente o dia, mas sim uma vida inteira.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sentíamo-nos preparados porque tínhamos bem presentes que queríamos um dia o mais natural possível, rodeados dos amigos e família mais próximos.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

No decorrer de todo o dia, foi tudo perfeito. Mas o sentimento de satisfação no final do dia foi especial.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado correspondeu 100% às expectativas que fomos construindo. Desde o início sabíamos bem aquilo que não queríamos, o que tornou muito mais fácil perceber o que queríamos.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental para nós era sem dúvida que o dia fosse à nossa imagem, de forma simples mas elegante. As coisas que valorizamos teriam de estar presentes, que eram na verdade muito poucas – amigos, família, um espaço agradável e um excelente serviço. Tudo o resto considerámos desde sempre acessório.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi a escolha do espaço e dos fornecedores que nos entenderam perfeitamente e com quem gostámos muito de trabalhar. O mais difícil foi perceber que o dia passava tão rapidamente e que iria terminar.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A despedida

 

E o pico de diversão?

Um questionário surpresa que os nossos padrinhos e madrinhas organizaram para todos os convidados.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Um pormenor especial…

Não conseguimos individualizar um pormenor especial, porque todo o dia foi um pormenor. Mas o facto de ter sido um casamento muito jovem e simples, foi algo muito apreciado por todos.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Não complicar. Perceber o que é realmente importante e imprescindível nesse dia. Nos pontos em que há dúvidas, não há dúvida.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Markate;

catering e bolo: Encontrus;

vestido de noiva e sapatos: UHMA;

maquilhagem: Vanessa Kuzer Makeup;

bouquet e decoração: Bouquet de Liz;

fotografia: Luís Ala;

luzes, som e Dj: Dj Xico.

 

Susana Pinto

Casamento elegante no Porto: Rute + Diogo

Trazemos memórias de verão com um casamento elegante no Porto: é a festa da Rute + Diogo, elegantíssimos no seu fantástico dia!

Para a festa perfeita, os noivos empenharam-se convictamente no seu planeamento, como nos contam em detalhe, e contaram com uma bela lista de fornecedores seleccionados Simplesmente Branco: a Lounge Fotografia fez a fotografia, as meninas da Invite – Momentos Felizes trataram dos detalhes gráficos, a LSS – Produção de Eventos animou a pista de dança noite fora e a We Love Film tratou do vídeo.

Sem mais demoras, fiquem com este casamento elegante no Porto e leiam com atenção os conselhos finais: são óptimos!

Bom fim-de-semana.

 

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia concebido para nós a 100% e, também, para toda a nossa família e amigos. Sempre pensámos num casamento mais restrito e em que conseguíssemos dar atenção a todos os convidados, partilhando, verdadeiramente, o nosso dia com todos eles. O conseguir estar um pouquinho que fosse com todos, tornando-os ainda mais especiais no nosso dia, era essencial para nós.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

 Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Apesar de termos alguns receios, a preparação foi vivida com calma e segurança. Sentimo-nos sempre bastante certos das escolhas dos fornecedores, do que pretendíamos em relação ao espaço escolhido, à decoração, ao alinhamento do dia, etc.

Apesar disso, temos que admitir que os últimos dias, nomeadamente as duas semanas que antecedem o casamento, são de uma intensidade brutal. Até a mais segura das pessoas demonstrará, nesses dias, alguma ansiedade. Seja com o aproximar do dia, com alguma escolha que motive dúvida…  Este nervosismo faz, contudo, parte deste ritual de preparação e torna a chegada do grande dia ainda mais especial.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Sempre que pensávamos em algo, surgia a questão: “Será mesmo isto?”, “Será a opção certa?”. A dúvida é sempre algo que nos vai acompanhando durante o processo. Claro que existem processos mais fáceis e em que a decisão é imediata. Mas, mesmo assim, nos dias finais, a dúvida regressa sempre: “Será que escolhemos bem?”, “Será que vai resultar?”. O facto de se tratar de um dia irrepetível faz com que pensemos e repensemos os assuntos, isto, claro, até ao momento em que, perante os inúmeros dossiês e decisões em aberto, temos que colocar o sentido pragmático em acção.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Podemos dizer que o resultado final foi bastante fiel às nossas ideias iniciais. Existiram, naturalmente, alguns pormenores que “fugiram” àquilo que idealizámos. Pensámos, por exemplo, em realizar votos durante a cerimónia religiosa e, na última semana, não nos autorizaram a fazê-lo. Ficámos um bocadinho desanimados, mas aceitámos o “contratempo” e, hoje, percebemos que a cerimónia tem, além de um fio condutor, uma intensidade única só por si.

No que se refere à festa, tirando um ou outro aspecto, foi tudo concebido exatamente como tínhamos sonhado. Embarcámos, na última semana, na loucura de construir uma parede de origamis, que ficou “a meio,” tendo em conta as mil prioridades que tínhamos. Ainda assim, conseguimos ter, não uma parede, mas alguns “passarinhos” com a ajuda de alguns amigos e com os decoradores do Palácio.

Tratando-se de um dia tão “nosso”, a tendência para gerirmos todos os processos é enorme. Teimamos em não delegar tarefas e a não aceitar ajuda (mesmo do outro membro do casal, neste caso, do noivo). E a verdade é que os amigos e a família são (e, no meu caso, foram) importantíssimos neste processo. A família porque soube ouvir as ideias, os progressos e retrocessos e esteve sempre lá para apoiar e mimar. Os amigos por tudo isso e, ainda, porque nos ajudaram na conceção dos convites (obrigada Joana Lopes), na decoração floral da igreja, nos últimos preparativos (cones de arroz, fitinhas para os carros), etc. Pequenos pormenores, mas que nos tiram preocupações da mente.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Criarmos um dia especial e com o qual nos identificássemos. Foi, desde o primeiro dia, a nossa preocupação. Queríamos que a cerimónia tivesse uma música especial para nós, que a festa representasse a nossa essência e que espelhasse o nosso gosto pessoal – os tons claros, a luz ambiente, as velas, etc. Queríamos, ainda, que os nossos familiares e amigos soubessem que estavam a participar de um dia que havia sido preparado, não apenas para nós, mas também para eles.

A questão do carro, por exemplo, foi uma decisão um pouco mais acessória, mas ainda assim, algo que nos consumiu algum tempo de análise e decisão. Acho mesmo que, tratando-se de um dia tão importante, irrepetível, nenhuma noiva consegue ter um item na categoria “sem importância”.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

A escolha dos padrinhos, o conceito do dia, o estilo do vestido de noiva e do fato, as alianças… Estes aspectos essenciais estavam muito bem definidos. Claro que as inseguranças surgem e pensamos se tomamos a decisão certa e se era mesmo isso que pretendíamos. Mas, tirando algumas dúvidas existenciais, esses aspectos foram pacíficos.

A gestão do tempo foi o aspecto mais difícil, mesmo no nosso caso, que preparámos o casamento com alguma margem (cerca de 14 meses). O facto de sabermos que tínhamos um período razoável para planear os processos fez com que, no início, demorássemos imenso tempo a tomar qualquer decisão, o que acabou por nos desgastar em diversos momentos. Mesmo na entrega dos convites – em que tínhamos que gerir as nossas agendas com a dos convidados –, foi, uma vez mais, o factor tempo que nos causou mais stress. Nas semanas finais – em que temos imensos processos para finalizar, imensas reuniões, decisões para tomar, tudo isto a juntar aos compromissos profissionais – o stress atinge-nos de tal forma que é praticamente impossível impedir que as lágrimas de nervosismo apareçam.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Sem dúvida, a entrada na Igreja. Apesar de, no nosso caso, nos termos preparado no mesmo local (em divisões distintas, naturalmente), existe sempre aquele espaço de tempo (minutos apenas) em que estamos sozinhas e que pensamos: “É agora”. Fazemos todo o caminho até à Igreja a pensar no momento em que nos iremos encontrar no altar e, também, nas pessoas queridas que iremos vislumbrar nesse caminho. Apesar da curtíssima separação, é nesse momento que reencontramos a pessoa, aquela que aceitou partilhar a sua vida connosco… E isso é, sem dúvida, a melhor e mais intensa sensação, não só do dia, como da vida.

O momento em que nos dirigimos para o corte do bolo (e em que passámos, em conjunto, por todos os nossos amigos e família) e a mensagem surpresa preparada pelos nossos padrinhos foram, sem dúvida, outro dos momentos que mais nos marcaram e que guardamos com mais carinho no coração.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

E o pico de diversão?

Acho que não conseguimos eleger apenas um. O dia foi recheado de momentos divertidos: desde a preparação da parte da manhã – em que conseguimos reunir família e amigos –, até à abertura da pista. Ainda assim, acho que a nossa entrada na sala, imediatamente antes do momento do jantar, deverá ter sido um dos momentos mais engraçados. O facto de não termos preparado absolutamente nada tornou o momento espontâneo e muito divertido. Decidimos improvisar, dançar, interagir com os convidados… Que saudades…

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Um pormenor especial…

Tentámos que o nosso dia fosse “a nossa cara” e, por isso, empenhámo-nos em personalizá-lo em alguns aspectos, por exemplo com os origamis, com as placas que os meninos usaram na igreja ou mesmo com os vasinhos das lembranças, que foram preparados por nós nos dias anteriores.

Temos que destacar, contudo, o design floral, que estava perfeito e que fez toda a diferença; a mensagem criada para os sparkles: “Deixem o amor brilhar”, que os convidados adoraram e partilharam imenso nas redes socais; e, ainda, as polaroids. Todos os convidados conseguiram levar, assim, no final da noite, uma lembrança “sua”…

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Durante o processo, falávamos muito sobre como correria o dia. No dia seguinte, quando abordámos esse assunto, confessámos que o dia tinha sido ainda mais perfeito do que aquilo que tínhamos sonhado. Foi um dia único, o mais feliz das nossas vidas, com todos os pormenores previsíveis e imprevisíveis …

Olhando para trás, acho que, por vezes, a solução passa mesmo por simplificar. Para os noivos, e principalmente para a noiva, todos os pormenores são pensados e repensados, e isto quando falamos mesmo apenas de um pequeno pormenor. A verdade é que acabámos por nos desgastar com pormenores sem grande importância, ao invés de estarmos focados em nós e no nosso dia. Dito isto, acho que, se fosse hoje, decidiria ser apenas um pouco mais relaxada em alguns aspectos.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Planeamento: Planear, planear, planear. Apesar do planeamento inicial sofrer, invariavelmente, mil alterações, é muito importante termos os aspectos gerais muito bem definidos na nossa cabeça, passando-os depois para o papel. Os esquemas ajudam sempre imenso…

Confiança: Confiarmos nas nossas escolhas e na nossa intuição é, sem dúvida, um dos pontos mais importantes. Só dessa forma conseguimos fazer um “check” definitivo num ponto e avançar para os seguintes.

Partilha: Trata-se de um dia único também para o noivo. É importante ouvir as expectativas do outro e encontrar um equilíbrio. Em conjunto as ideias fluem muito mais e as decisões tornam-se mais simples.

Serenidade: Para aproveitar ao máximo cada etapa e cada momento, principalmente porque o casamento é um processo super exigente, mas que passa a correr e que deixa imensas saudades…

Amor: Colocar todo o amor e dedicação na mais pequena tarefa. Quando damos o melhor de nós, só pode correr bem!

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e ementas: conceito criativo da nossa querida amiga Joana Lopes e impressão gentilmente oferecida pela Vinil Forma;

marcadores de mesa e placa boas-vindas: Invite – Momentos Felizes;

sinalética dos pajens (entrada na igreja) e photoboth: Cor Púrpura;

local, catering e decoração: Palácio da Igreja Velha, em Famalicão;

bolo: Casa das Natas;

fato do noivo e acessórios: fato Gio Rodrigues, sapatos Aldo, boutonnière Rute Moreda;

vestido de noiva e sapatos: vestido Manuela Noivas, sapatos Haity;

maquilhagem: Patrícia Lima;

cabelos: Pedro Ferreira;

bouquet: Rute Moreda;

ofertas aos convidados: polaroids feitas pela Lounge Fotografia,  suculentas da Jardiland, com personalização feita por nós e lollipops chocolate da Chocolataria Equador;

fotografia: Lounge Fotografia;

vídeo: We Love Film;

luzes, som e Dj: LSS.

 

Susana Pinto

Um casamento romântico no Porto: Catarina + Nuno

Damos as boas-vindas a Novembro com o delicioso relato do casamento romântico da Catarina + Nuno, na Casa do Ribeirinho, no Porto.

Cheios de sentido de humor e com uma imensa descontracção (que inclui uns quantos bons conselhos e ideias com graça), estes noivos escolheram a bela dupla Vanessa & Ivo – filmes feitos à mão,para guardar as memórais do mais bonito dos dias.
O toucado da Catarina (que fez um vistaço, como vão ver!) é da Cata Vassalo e as ofertas aos convidados, dos nossos queridos parceiros, Operação Nariz Vermelho.

Fiquem com este belo vídeo e leiam tudo até à última linha. Catarina + Nuno, you did well!

Bom fim-de-semana!

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Romântico! Um dia de sol, num lugar maravilhoso, rodeados de quem nos quer bem, cheio de alegria e amor. Achamos que o conseguimos na perfeição!

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Não estávamos nada preparados! Ficámos noivos em outubro, só começámos a preparar coisas em dezembro para casar em junho! Tinha tudo para ser um caminho de nervos, mas fomos fazendo escolhas certas, que nos trouxeram bastante tranquilidade e correu tudo lindamente! Nervos só mesmo no dia, antes de começar.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando nos aventurámos, num dia chuvoso de inverno, a conhecer a Casa do Ribeirinho. Foi o primeiro e único espaço que visitámos! Tinha tudo o que procurávamos, desde o romantismo da casa ao intimismo do jardim, passando pela disponibilidade e entusiasmo de quem nos recebeu, foi amor à primeira vista… e ainda bem! Depois disso, descemos a rua e sentimos exatamente o mesmo no estúdio do João Almeida! O melhor fotógrafo, que, afinal, se revelou um amigo “disfarçado” de fotógrafo!

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Ideias tínhamos muitas… Umas exequíveis, outras mais mirabolantes, mas todas foram possíveis (e impulsionadas) graças à paixão e profissionalismo com que o Sr. João, a Maria João, o Abílio Vieira e restante equipa da Casa do Ribeirinho sempre nos brindaram. Foram incansáveis ao agradar a noiva! E ao noivo, por extensão. Toda a logística e pormenores do(s) espaço(s) ficaram por conta da equipa da Casa do Ribeirinho. Só tivemos que lhes dizer o que pretendíamos. Aliás, tivemos esta experiência com todos os fornecedores! Além deles, contámos com a ajuda dos nossos padrinhos e madrinhas de casamento, nos pormenores finais.

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Queríamos que os convidados sentissem que a festa também era deles! Era um dia muito importante para nós e gostávamos que a nossa felicidade envolvesse e fosse partilhada por todos. E de facto, achamos que isso foi algo muito evidente no nosso casamento, um ambiente de harmonia e felicidade plenas partilhadas por todas as pessoas. Nada foi de menor importância, tudo foi pensado ao pormenor.

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Além da escolha do local e do fotógrafo, o mais fácil foi, sem dúvida, a escolha do vestido, sapatos e acessórios da Catarina! Saiu só para dar uma vista de olhos e voltou com tudo comprado. Já o Nuno, ui…! O mais difícil foi a interminável saga para encontrar os videógrafos. Ninguém nos enchia realmente as medidas… até que, sem querer, “tropeçámos” num vídeo da Vanessa e do Ivo (Vanessa & Ivo – Filmes feitos à mão) e ficámos absolutamente rendidos! A partir daí, difícil foi resistir-lhes!

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A leitura dos votos na cerimónia! Apesar de nenhum de nós ter chorado, foi um momento muito emotivo para toda a gente, com muitos lencinhos de papel a salvar a makeup!

 

E o pico de diversão?

A entrada no salão de jantar! #BestDayEver! Tínhamos a musica escolhida, mas mais nada ensaiado ou pensado. No momento, improvisámos e foi muito giro porque toda a gente aderiu e se divertiu connosco. Também tivemos um vídeo preparado pelos nossos padrinhos/madrinhas e amigos, que arrancou muitas gargalhadas… e algum embaraço aos noivos!

 

Um pormenor especial…

Tivemos muitos pormenores, desde as lembranças e a forma como foram entregues (numa caixa personalizada escrita à mão), ao livro de honra, que incluía uma máquina fotográfica instantânea para que, além do que nos queriam transmitir, ficássemos com recordações de todos os que estiveram connosco a viver aquele dia em imagem… Mas aquele que, se calhar, destacamos, por ser o mais original, é o sitting plan. Partiu da ideia do save the date (fotos nossas do dia da comunhão, uma vez que o casamento decorreu no feriado em que geralmente se realizam as comunhões), pedimos a todos os convidados que nos enviassem uma fotografia sua em criança, que recriamos ao estilo polaroid, e misturamos em molduras grandes. Para saberem o seu lugar, os convidados tiveram que se encontrar “lá atrás no tempo” e foi muito engraçado. Além de se procurarem a si, quiserem também encontrar outros e acabou por ser um momento também de muita diversão. A mini-polaroid foi até acessório de vários convidados ao jantar.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

A Catarina punha os brincos que ficaram esquecidos na azáfama de vestir, apesar de só ter reparado quando, já depois do jantar, lhe disseram que estava uma noiva “muito limpinha, sem brincos, a apostar todos os brilhos no toucado”. De resto, tudo perfeito! Mal podemos esperar pelas bodas de 25 anos!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Não conseguimos fugir ao cliché do “aproveitem cada minuto porque passa a V-O-A-R!” Quando éramos noivos pensávamos, “outra vez? Hum hum…”, mas é mesmo verdade! Por isso, o nosso conselho é mesmo esse, aproveitar tudo! A escolha de fornecedores que percebam exatamente o que pretendem e que vos ajudem a concretizar as vossas ideias, é fundamental para que o percurso seja o mais tranquilo possível e para que, no grande dia, se foquem exclusivamente naquilo que é realmente importante: serem absoluta e simplesmente felizes!

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Faire-art Créatif e Abílio Vieira PDF;

local, decoração e catering: Casa do Ribeirinho;

bolo: Pshysalis Cake;

fato do noivo e acessórios: fato Prassa, sapatos Aldo;

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido Pronovias, sapatos Haity e toucado Cata Vassalo;

maquilhagem: irmã da noiva;

cabelos: Isabel Queirós Cabeleireiros;

bouquet: Lisa Flores – Florista e Decorações;

ofertas aos convidados: Operação Nariz Vermelho;

fotografia: João Almeida Fotografia;

vídeo: Vanessa & Ivo – filmes feitos à mão;

luzes, som e Dj: Serbeats DJ.

 

Susana Pinto

Um casamento DIY: Bruna + César

Fechamos o doce Outubro de modo muito especial e igualmente doce: com um casamento DIY, o dia bonito da Bruna + César.

São muitas imagens, mais de meia centena, captadas pela Carina Oliveira, e vou explicar-vos o que é tão bonito nelas.

Começo por vos apresentar a Carina, que foi nossa cliente no projecto S Baby. Tem um trabalho muito delicado e feminino, e um olhar muito atento aos detalhes e aos pequenitos, o que faz dela uma óptima fotógrafa de famílias. Sem nos conhecermos pessoalmente, conhecemo-nos virtualmente há vários anos e temos muitas coisas que nos aproximam e sobre as quais gostamos de conversar. Acompanhar o seu trabalho, vê-lo crescer, chegar a sítios, é um prazer imenso, sempre.

Ora a Carina não foi apenas a fotógrafa de serviço no casamento da Bruna + César: é a irmã do noivo e a mãe do Hugo, o muito divertido menino das alianças. Com tanto amor no ar, não se espantem com a quantidade de fotografias de abraços que vão encontrar nesta selecção.

Este não é um casamento sobre detalhes, e os próprios noivos o afirmam. É um casamento sobre pessoas e o amor palpável, visível, que as une. As fotografias da Carina fazem, genuinamente, justiça ao momento. São feitas de amor, e por isso, são perfeitas.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos sempre um dia tranquilo e super relaxado. Um dia em que estivessem presentes os nossos mais íntimos, para que estivéssemos todos rodeados de amor e mais amor. Procurámos, acima de tudo, fugir de um casamento tradicional com demasiada etiqueta e protocolo.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Tentámos levar as coisas sempre na maior das calmas. Contudo, acabámos por perceber que estávamos demasiado relaxados! Digamos que começámos a organizar o casamento propriamente dito, no mês anterior. Mas claro, nas semanas antecedentes não poderíamos negar os nervos.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Nos dois dias imediatamente antes do grande dia, quando andávamos a colocar a iluminação e a tratar da decoração do espaço.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sim, sem dúvida. Ficou tudo como queríamos, graças à ajuda de todos os nossos queridos. Amigos, padrinhos, tios, tias, as senhoras responsáveis da Casa da Portela e claro, as nossas mães que foram uma ajuda fundamental. Tudo feito com muito amor, carinho e dedicação. O resultado só poderia ser mágico.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Era fundamental que todos os nossos convidados se sentissem confortáveis e que fosse um dia relaxado essencialmente para nós, pois sabemos aquilo que os noivos passam no dia do casamento. Só o queríamos aproveitar ao máximo e não ser ‘marionetas’ do dia.

Tudo o que se aproximasse de um casamento tradicional (nada contra, só não nos identificamos) como carros de luxo, foguetes, danças exóticas, cuspidores de fogo ou qualquer situação que não faz parte da nossa identidade, não era de todo importante.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi dizer o “sim” e comunicarmos ao mundo que íamos casar. O mais difícil foi tudo o resto!

 

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Da noiva: a coisa começou a ficar real no momento em que me vestiram o vestido,  puseram a coroa de flores e o pico foi, claro, o momento em que os meus dois irmãos (em representação do meu falecido pai) me abraçaram e levaram até ao altar civil, onde se estava o amor da minha vida à espera.

Do noivo: quando a noiva entra, como não poderia deixar de ser… Uma emoção indescritível.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

E o pico de diversão?

Logo após a cerimónia, quando nos juntámos aos nossos amigos e familiares, até noite dentro.

 

Um pormenor especial…

Os presentes que os amigos nos prepararam, nomeadamente o vídeo que nos dedicaram e os alunos da noiva que apareceram de surpresa, após o jantar.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Tentaríamos que fosse ainda mais relaxado. De resto, há sempre coisas que se podem mudar, mas não nos arrependemos de nada. Foi o casamento que queríamos.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Mandei fazer o meu vestido e este  passou por um odisseia que iria terminar muito mal. Por isso, caso mandem fazer os vossos vestidos, pesquisem bem sobre quem o vai confeccionar, incluindo historial da pessoa com as clientes.

Aconselho também a relaxar ao máximo, pois só assim conseguirão aproveitar não só todo o processo de organização, como também o próprio dia.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Vejam a reportagem completa na página da Carina Oliveira Fotografia.

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos:  o noivo, que é designer gráfico;

local e catering: Casa da Portela Eventos;

bolo: Feito e decorado pela mãe da noiva;

fato do noivo e acessórios: fato e camisa Sacoor, sapatos Massimo Dutti e laço Zara;

vestido de noiva e sapatos: vestido de noiva desenhado pela própria e executado por duas costureiras do Porto,  sapatos Uterque;

maquilhagem e cabelo: Alexandra Castro;

bouquet: Arte Bruna;

decoração: feita por todos nós;

ofertas aos convidados: feitas pelo marido;

fotografia: Carina Oliveira Fotografia;

vídeo: Ricardo Marques e Gonçalo Rodrigues;

luzes, som e Dj: amigos.

 

Susana Pinto

Casamento rústico em Alenquer: Margarida + Joaquim

Esta semana trazemos o casamento rústico da Margarida + Joaquim, em Alenquer, uma festa clássica e impecável fotografada pela Matilde Alçada e com video de Live Wedding Video.

O caminho até aqui foi feito de muitos detalhes e muito foco, desde, literalmente, o primeiro minuto, como vão ver, já que a Margarida nos conta detalhadamente como foram os preparativos.

Reparem no fiel companheiro, que também participou na festa e na abertura da pista com as damas de honor: que maneira bonita de celebrar a amizade!

Vamos a isto?

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Quando o Joaquim me pediu em casamento, no próprio dia, comecei a enviar e-mails para quintas e hóteis para saber datas disponíveis, orçamentos, etc. Não tinha ideia de nada em concreto, sabia que queria primeiro assegurar os “básicos” e depois tratar dos pormenores. Tendo alguma experiência em organização de eventos, sabia que a data e o local eram o ponto de partida para qualquer outra coisa. Assim, foram 2 semanas de muitos e-mails, de muitos “nãos”, porque em Outubro a maior parte das quintas já não tinha sábados disponíveis para a altura do ano em que queríamos. Visitámos cerca de 10 locais, e no dia em que visitámos a Quinta de São Gonçalo ficámos apaixonados com o espaço, com a disponibilidade com que nos receberam, mas sobretudo com a confiança que nos transmitiram. No entanto, o último sábado disponível tinha acabado de ser marcado, e foi aí que decidimos que seria uma sexta-feira, dia 25 que é um número com significado para os dois, pois foi o dia em que começámos a namorar, e até aí acho que nunca conseguimos bem imaginar como seria o dia. Depois de confirmarmos o espaço, fomos logo à Basílica de Meca, onde foi a cerimónia, para marcarmos o dia e, aí sim, acho que foi o momento em que percebemos os dois “ok, vamos mesmo casar” e que conseguimos pela primeira vez imaginar! Lembro-me de olhar para o Joaquim à saída da igreja e de lhe dizer “vai ser aqui!!!” e de ele olhar para mim e se rir! A sensação de estar na igreja a marcar o dia penso que foi a que nos marcou mais, porque de repente tínhamos o dia e os locais fechados, e apenas a partir daí começámos a imaginar como seria.

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Para o passo do casamento estávamos os dois preparados, já vivíamos juntos, por isso, estávamos muito calmos e serenos com a nossa decisão. Os nervos vieram, claro, mas porque tínhamos visões diferentes do dia, da organização e dos pormenores necessários para que tudo corresse como imaginávamos. Somos os dois muito perfeccionistas e não queríamos, como qualquer pessoa, que nada falhasse. O Joaquim achava que muitos pormenores podiam correr mal, eu achava que poucos pormenores não tinham nada a ver connosco. No final, chegámos a um consenso, em que o resultado final foi o que os dois tínhamos imaginado.

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Eu sou muito perfeccionista e (tenho o defeito) de reparar muito em detalhes. Perdi imenso tempo a ver vídeos de casamentos, a pesquisar centros de mesa, temas, decorações, etc. Por isso, na verdade, só senti o “é mesmo isto” no dia antes, quando fomos à quinta e estava tudo montado para o nosso casamento e lembro-me de entrar na sala e pensar exatamente “é mesmo isto”! Com o Joaquim foi a mesma coisa, acho que até aquele momento ele não sabia muito bem o que imaginar, como é normal nos homens. Por isso, acima de tudo, durante todo o processo, uma das minhas preocupações foi que o Joaquim se identificasse também com todas as escolhas, que por vezes os maridos ficam um pouco de fora, mas ele não, foi parte de tudo e dei-lhe tudo a escolher para que tal pudesse acontecer. Claro que, escusado será dizer, que ele estava já um pouco “farto” do tema, mas no dia ficou radiante e deu-me os parabéns.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Bem, na verdade, ao longo dos 11 meses de preparativos, existiram várias ideias… Todas à volta do mesmo estilo. Sabíamos que queríamos algo clássico, sóbrio e com elegância. Acho que essas 3 premissas foram cumpridas e o resultado ficou muito bonito e recebeu muitos elogios, o que nos deixou muito felizes. Acima de tudo, queríamos uma festa que fosse intemporal.

Quanto à ajuda, fiz tudo sozinha. Tive apenas ajuda para fazer os convites e, a partir daí, arranjei um programa online onde fiz as artes-finais de todas as peças e defini a decoração com a quinta.

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós existiram sempre 2 pontos fundamentais. O primeiro, era que a cerimónia na igreja fosse bonita, completa, mas sem ser muito demorada. Para tal preparámos com muito cuidado toda a cerimónia e, um ponto que fez toda a diferença, contratámos a fantástica Ana Brissos, que tem uma voz que não existem palavras para descrever. Lembro-me de passarmos uma noite inteira em casa dos meus pais a escolhermos o reportório, porque para nós, esse ponto era mesmo muito importante. Quanto à missa estávamos “descansados” pois quem nos casou foi um padre amigo da família do Joaquim e de quem já conhecíamos o registo e com o qual nos identificávamos.

O segundo ponto era que a comida e bebida fossem boass e em quantidade suficiente para todos os convidados. Para esse ponto, procurámos feedback sobre a quinta e mesmo amigos que já lá tinham ido e todos eram unânimes, excelente serviço. No dia, foi igual!

Sem importância não havia assim nada de que me lembre. Tentámos prestar atenção a tudo, mas chega a um ponto na preparação que existem pormenores que deixamos cair e acho que esses são os pontos sem importância.

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais difícil foi sem dúvida a fase inicial, encontrar os “básicos”, nomeadamente ajustar a escolha do local com datas. Sabíamos que não queríamos catering nem tenda e que tinha que ser em Agosto. A partir daí, tivemos alguma dificuldade em conciliar a disponibilidade dos espaços com os nossos requisitos e foi quando decidimos que seria a uma sexta-feira, essa também uma decisão difícil.

O mais fácil foi, sem dúvida, escolher a Matilde Alçada para fotógrafa do nosso casamento. Conhecíamos o trabalho dela de um casamento de uns amigos nossos e, lembro-me de estarmos a ver o álbum deles e comentarmos “um dia tem que que ser ela a fazer o nosso casamento!”, e assim foi.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

O pico sentimental foi, sem dúvida, a entrada na igreja. Lembro-me da minha mãe me vir dar um abraço ao carro antes de entrar e do meu pai me dar um beijinho na testa imediatamente antes de abrirem a porta e de entrarmos. Quando abriram a porta, lembro-me de ouvir a Avé Maria de Schubert, de ver toda a gente a olhar para mim e, ao fundo, lá estava o Joaquim, lindo de morrer! Só me apetecia chegar ao altar o mais rapidamente possível e abraçá-lo! Ficámos os dois a olhar um para o outro até meio da passadeira, mas no mesmo momento, virámos os dois a cara para o lado para não começarmos a chorar, e conseguimos!

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

E o pico de diversão?

O pico de diversão foi, sem dúvida, a entrada na sala de jantar com as nossas madrinhas! Tivemos um vídeo nosso com imagens de uma sessão que fizemos com a Matilde, antes do casamento, que antecederam a entrada e depois entrámos com foguetes e balões com as nossas iniciais. Estava tudo escuro e quando entrámos acenderam a pista de LED’s, que fez um efeito muito giro e que ficará nas nossas memórias para sempre.

 

Um pormenor especial…

Quem nos entregou as alianças foi o nosso sobrinho Francisco, com apenas 2 meses. Foi um momento que teve muito significado e uma forma de ele estar já muito presente apesar de ser tão pequenino.

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Casamento rústico em Alenquer, com fotografia de Matilde Alçada

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não, nada. O dia foi único, nosso e muito muito especial. Só gostávamos de o poder reviver outra vez!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem bem os meses que antecedem o casamento. Divirtam-se com a preparação, porque apesar de dar imenso trabalho (na verdade, mais no último mês) depois é uma fase que deixa saudades! E, apesar dos homens não gostarem dos pormenores que nós teimamos em ter, não os deixem de fora, porque o dia é dos dois.

No dia do casamento, aproveitem bem a manhã, porque depois a partir do momento do inicio da cerimónia passa tudo a correr e, quando damos conta, já nos estamos a despedir das pessoas.

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: feitos pela noiva, com ajuda de uma amiga nos convites;

local, catering e bolo dos noivos: Quinta de São Gonçalo;

fato do noivo e acessórios: fraque Dielmar; camisa Hackett London, botões de punho: Montblanc; sapatos Sebago e relógio Smart Watch Fossil;

vestido de noiva e sapatos: vestido de noiva Rosa Clará, sapatos Gio Rodrigues e toucado Franc Sarabia;

maquilhagem: Susana Reimão, MAC;

cabelos: Ana Paula Roseiro, Sanjam Oeiras;

bouquet: Graça O’Neill;

ofertas aos convidados: Não oferecemos nada físico aos convidados, optámos por fazer uma doação no valor de 2€ por convidado, à União Zoófila;

fotografia: Matilde Alçada, acompanhada por Sofia Oliveira, LineWithLine;

vídeo: Live Wedding Video;

luzes, som e Dj: MCEventos.

 

Save

Save

Save

Save

Susana Pinto

Um casamento rústico e uma festa maravilhosa: Rubina + Filipe

Um casamento rústico e muito descontraído era o desejo da Rubina + Filipe, e foi exactamente essa a festa que tiveram.

Tudo muito bonito, relaxado e uma festa épica que terminou com o sol já a espreitar. A acompanhá-los nesta aventura, uma mão cheia de óptimos fornecedores, muito profissionais e disponíveis, e, nas palavras dos noivos, como vão poder ler, peças fundamentais para que o seu dia fosse tão bonito e perfeito.

As fotografias são da dupla Menino conhece Menina, o vídeo, que publicámos aqui há umas semanas, e que é tão bonito que merece ser revisto, é dos Pixel, o bouquet da noiva é da Isabel Castro  Freitas e o acessório do cabelo que a Rubina usou é da Cata Vassalo. Os sapatos maravilhosos são Guava.

Não digo mais nada, que as palavras da Rubina + Filipe descrevem na perfeição o mais bonito dos dias, o deles!

Bom fim-de-semana!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

O “sim” aconteceu em pleno deserto da Namíbia, num sítio lindíssimo chamado Dead Vlei, e estávamos no início de uma viagem por África que incluiu dormirmos com um elefante encostado à nossa tenda no Botswana, pelo que a “ficha” só caiu quando voltámos. Penso que para ambos o “sonho” começou a ganhar forma no momento em que conhecemos a Quinta da Torre e a amorosa Rocío (a dona do espaço, que foi sempre incansável), e decidimos nesse momento que queríamos uma festa ao ar livre, bem rústica e descontraída (não porque pudesse estar na moda, mas porque o espaço assim o exige).

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Gostávamos de ser uns noivos muito cool e dizer que não foi um processo de nervos e estivemos sempre muito tranquilos, mas estaríamos claramente a mentir! Sobretudo quando se organiza um casamento à distância de 5000 Km (ambos trabalhamos e residimos em Angola). Estamos naquela idade em que vários amigos nossos casaram recentemente e então chovem conselhos e dicas, o que tem aspectos positivos e negativos – de cada vez que nos perguntavam “Então, já têm isto ou aquilo?” e a resposta é “Isso é necessário?” ou “Nem tínhamos pensado nisso”, o nível de ansiedade disparava!! Sobretudo para a Rubina (que não é nada control freak). Valeram-nos os fornecedores maravilhosos que escolhemos e a nossa família e amigos que nos ajudaram tanto!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Difícil escolher, porque apesar de ser um processo de nervos, foi um percurso que nos deu bastante prazer, ver o nosso dia a ganhar forma. Há dois que nos marcaram por terem sido totalmente espontâneos e não planeados:

o momento em que conhecemos a Quinta da Torre que não conhecíamos até então. A escolha foi instantânea – a Rubina visualizou no momento o lugar onde seria a cerimónia com o seu corredor de oliveiras e ambiente etéreo; e o clique instantâneo que sentimos com a Isabel (da Crachá Wedding Agency) e o seu bom gosto que captou tão bem aquilo que pretendíamos e que nos ajudou muito para além do “contrato”. A cada reunião (ainda que por Skype e com todas as dificuldades de rede inerentes a África) conseguia sempre surpreender-nos e deixar os nossos corações mais descansados. Como esquecer a escolha da decoração das mesas que foi feita por Facetime, nas escadas do escritório com o telemóvel apontado para o teto para conseguir melhor rede.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado final não foi fiel à nossa ideia inicial… foi 1000 vezes melhor! Contámos com muita ajuda, não apenas da nossa família e amigos, mas também dos nossos fornecedores que foram absolutamente maravilhosos e incansáveis – escolhemos uma equipa de profissionais que se preocupa verdadeiramente com proporcionar um dia inesquecível aos noivos, e colocam “mãos à obra” para que isso aconteça. Um episódio (agora) engraçado que ilustra perfeitamente o que acabámos de referir – o local e cenário que tínhamos planeado para o corte do bolo teve que ser alterado inesperadamente uns minutos antes, e sem nos apercebermos os Pixel, os Menino Conhece Menina e os VW Pão de Forma para alugar fizeram o impossível e montaram o cenário (lindo!) que podem ver nas fotos para esse momento. E como esquecer o Rúben dos Musicbox que mesmo tendo que trabalhar no dia seguinte (se calhar não devíamos dizer isto…) nos deu as “nossas” músicas até ao último momento, enquanto esperávamos pela última pão de forma e só restávamos nós, os padrinhos e o sol já a brilhar lá no alto.

E claro, fundamental a ajuda da Crachá Wedding Agency, a quem nunca teremos palavras suficientes para agradecer. Foram todos tão brutais que até nos custa usar a palavra “fornecedores”, pois foram muito mais do que isso, foram verdadeiros companheiros. Podíamos ficar aqui horas a agradecer a todos que não seria suficiente.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós era fundamental que fosse um dia cheio de alegria, boa música e amor e mais do que isso, que todos os convidados se divertissem e sentissem quão importante era a sua presença para nós – para isso apostámos em pormenores que acreditávamos os fariam sentir bem recebidos como ter as duas carrinhas pão de forma a fazer o transporte dos convidados de e para a quinta, tínhamos protetores de saltos e chinelos para as senhoras descansarem os pés e dançarem à vontade, leques e welcome drink para ajudar a suportar o calor (estava um calor incrível naquele dia), escolhemos com muito cuidado a playlist, que o Rúben da Musicbox interpretou tão bem, etc.. Tivemos muitos convidados que viajaram grandes distâncias para estar connosco neste dia tão especial, alguns de Angola inclusive, e, portanto, quisemos retribuir essa demonstração de carinho.

Era também para nós fundamental fugir da tradicional cerimónia civil, com a leitura entediante e fria da celebração de contrato, e por essa razão queríamos imprimir um cunho pessoal e especial à mesma, e então cada um dos padrinhos e madrinhas teve espaço para dizer algumas palavras, e escolhemos com muito carinho as músicas para acompanhar as várias fases da cerimónia. No final o Filipe fez uma bonita declaração à Rubina que pôs todos os convidados em lágrimas (nem a senhora da conservatória resistiu).

O que demos menos importância foi ao cumprimento de tradições protocolares só porque sim – seguimos aquilo que para nós fazia sentido e deixámos de lado o que achámos que não acrescenta nada à festa e à experiência das pessoas.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Boa pergunta… Diríamos que o mais fácil, e que decidimos sem necessidade de pensar muito, foi a escolha dos padrinhos e madrinhas (o Filipe teve 3 padrinhos e 1 madrinha e a Rubina, 5 madrinhas). São pessoas muito importantes para nós, que nos acompanham há tantos anos e, portanto, não faria sentido que fosse de outra forma.

Houve ainda vários outros aspetos que foram para nós fáceis de decidir – a escolha da dupla vídeo e fotografia, neste caso os Pixel e os Menino Conhece Menina foi instantânea, unânime (importante, pois toda a gente sabe que em caso de dúvida, quem tem razão é a noiva!) e a primeira que fizemos, ainda antes de saber o local e data. Sabíamos que era esta dupla que queríamos que registasse o nosso dia. Inclusive, aconteceu um episódio caricato, porque a data que tínhamos marcado inicialmente (24 de Junho) teve que ser alterada para o dia 17 de Junho. Antes de sabermos se estariam disponíveis chegamos a ponderar – bom, se eles não estiverem disponíveis no dia 17, mudamos de videógrafos e/ou fotógrafos, ou mudamos o sítio? Acho que nem eles sabem isso, portanto será uma surpresa para eles. A escolha da cabeleireira também foi muito fácil para a Rubina, pois a Carla e a Paula do Ixia Salon, são a quem confia o cabelo há vários anos e como sempre, acertaram em cheio. Aliás, nem se tratou de escolha, porque na verdade nem sequer colocou outra hipótese.

O mais difícil e tal como esperávamos, pois foi unanimemente referido nos inúmeros conselhos e dicas dados pelos amigos recém-casados referidos anteriormente – o temível plano de mesas!!! Temos que admitir, fazer isto na semana que antecede o casamento, com os nervos em franja foi a pior experiência na organização do casamento.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Ufa… difícil de decidir! Toda a cerimónia civil foi muito emotiva (a generalidade das senhoras queixou-se imenso porque ficou logo com a maquilhagem arruinada) – os discursos dos padrinhos e madrinhas, o discurso do Filipe, o momento do “sim”. No entanto, não podemos deixar de referir o discurso (mais um) que o Filipe fez para “as mulheres da vida dele”, em especial a avó, durante o jantar. Foi um momento muito especial e que toda a gente presente leva também na memória, de certeza.

Foi o que nos deixou de coração cheio no final do dia e sempre que o recordamos – sentir que todas as pessoas presentes estavam genuinamente contentes por nós e elas próprias de coração cheio também. Foi de facto um dia de muito amor partilhado com as pessoas que mais significam para nós.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

E o pico de diversão?

Acho que não conseguimos escolher um pico. Foram tantas as surpresas boas que os nossos amigos nos preparam –  a Rubina teve direito a um mini concerto de originais preparados pelas madrinhas (recordando o hobby de adolescência que partilharam, de pegar em músicas conhecidas e alterar-lhes as letras), os nossos amigos da faculdade preparam um vídeo à lá “How I Met Your Mother” a caricaturar a nossa história, a nossa entrada no jantar com os padrinhos e madrinhas, a dançar ao som de “Kids” dos MGMT… Acho que é impossível escolher só um momento… isso é bom, não é?

 

Um pormenor especial…

Como lembrança aos convidados, decidimos oferecer uma peça de artesanato feita por crianças de uma favela do Quénia, que estão inseridas num projeto fundado por uma jovem de Amarante (a terra natal do Filipe) e que se chama Há Ir e Voltar. Pela nossa ligação evidente a África (estamos cá há 5 anos), sempre soubemos que queríamos ajudar uma instituição de cá – ainda tentamos procurar em Angola, mas como não tínhamos garantia que o donativo chegasse a quem devia, decidimos pelo Há Ir e Voltar, pois o Filipe conhece a Diana (fundadora do projeto) e sabemos a paixão que ela emprega à causa. Não podíamos pedir melhor garantia do que essa. A melhor parte – tivemos vários convidados que após o casamento nos contactaram a pedir os dados do projeto para poderem efetuar donativos individuais!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Esta é a pergunta mais fácil de responder – não mudávamos nada!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Planeamento, planeamento, planeamento… Acho que esta é a chave para gerir nervos. Aceitem toda a ajuda que vos oferecerem e a que possam recorrer. O conselho mais importante de todos – no dia esqueçam tudo o que pode correr mal e desfrutem muito! É um dia tão inesquecível e cheio de amor, rodeado pelas pessoas de que mais gostam, que não o devem desperdiçar a tentar controlar todos os pormenores. Acreditem nos profissionais que escolheram, que corre tudo bem!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Anita Geraz;

local: Quinta da Torre – Lanhelas;

catering: Maria José Pinho Catering;

bolo: Ameadella Pastelarias;

fato do noivo e acessórios: Prassa;

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido Rosa Clara, sapatos Guava, tocado Cata Vassalo;

maquilhagem: Marlene Vinha, Pretty Exquisite Image Consulting;

cabelos: Ixia Salon;

bouquet: Isabel Castro Freitas Arte Floral;

decoração: Cracha Wedding Agency;

ofertas aos convidados: peças de artesanato do projeto Há ir e Voltar;

fotografia: Menino conhece Menina;

vídeo: Pixel;

luzes, som e Dj: Musicbox Porto e Quarteto Pop;

babysitting: SoAnimarte;

transporte convidados: VW Pão de Forma para alugar.

Save

Susana Pinto

Casamento rústico na Quinta de Sant’Ana: Emily + Nuno

Um casamento rústico é sempre perfeito neste cenário de outono gentil e quentinho. A festa da Emily + Nuno, vindos de Londres para a Quinta de Santana, juntou uma mão cheia de fornecedores seleccionados do Simplesmente Branco e o resultado é, claro, impecável.

As fotografias são do Rui Gaiola, que assina como Golden Days Wedding Photography, a maquilhagem da noiva ficou por conta da Kabuki Makeup by Rita Amorim e o bouquet orgânico é a GreenPic’k.

Segue a festa, e uma ideia para pensar: o discurso, um hábito tão formalmente anglo-saxónico e emotivo, que nos passa ao lado a nós, calorosos latinos de gema. Uma curiosa contradição, que este casal de ambas as origens resolveu na perfeição, de forma memorável e muito especial!

Vamos espreitar?

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

When the answer was “yes!”, how did you imagine your day?

I saw Quinta de Sant’ Ana on Pinterest right around the time we got engaged, and knew right away it was the place. Wedding plans got put on hold for a year as we went backpacking around Asia, but as soon as we got home I contacted the venue and straight away booked it. We didn’t look at any other venues as I couldn’t imagine it taking place anywhere else. The lush green vineyards, vibrant yellow walls, white doves and endless wine were hard to beat – luckily Nuno agreed!

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Did you feel prepared or was it a nerve-racking journey?

I was quite relaxed throughout the planning process. Ann and everyone was wonderful and made everything super easy. There was a lot of updating and sending back and fourth of excel spreadsheets, but it all came together smoothly.

 

At what point in the wedding planning did you feet, “this is for real”?

I always felt I was planning someone else’s wedding up until the night before, when all our friends and family arrived together in the beach town of Ericeira – where we decided to be based. We were lucky to have those who love us come from all over the world, so it was a surreal experience to finally see everyone’s faces all in one place!

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Is the result true to the initial ideas or is it very different? Did you have any help?

We didn’t go into the planning with any specific vision, but the end result was better than we could have every imagined. So many people remarked that it was the best wedding they had every attended. From the celebratory chapel bells, wine tasting in the cellar, exceptional waiter service and beautiful organic floral arrangements, it was all a dream come true.

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

What was fundamental to you? And unimportant?

It was really important to me that everyone had a great time – so an open bar was necessary! Coming from two different cultures, there were some differences in expectations for the day – but the food and drinks were always priority for us both. We were not so worried about a particular colour scheme or theme and chose mostly neutral/natural tones to keep things clean and fresh. It was important for me to have soft candle lighting during the dinner, which the venue achieved well with interwoven greenery.

 

What was the easiest? And what was more difficult?

Deciding we wanted to get married in Portugal was definitely the easiest decision, as we couldn’t chance the London rain and you can’t beat the Portuguese sun! However, on the day, an unexpected heat wave and 40 degree temperature made the outside ceremony quite a challenge…!

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

What was the sentimental peak of your day?

The speeches were undeniably the peak for me. It was the first moment I felt as though I was able to sit back, relax and take in the day. My father passed away when I was very young and my brother made an incredible speech in his place – acknowledging the fact that we had chosen to marry on father’s day. The Portuguese do not traditionally do speeches like we do in England, and as a surprise my brother did half of the speech in Portuguese. It was such an amazing moment that bridged the two cultures – everyone was crying, standing and clapping by the end!

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

And the peak of fun?

I really loved the cake cutting. The fireworks and champagne really signified the start of the party!

 

Now that it has happened, would you change anything?

I would ensure to make more time for myself in the lead up to the day. It is so important to be relaxed and calm so you can really take everything in and remember it all. Our favours could have been better – we left it until the last minute, and although the tequilla bottles were a hit, due to the extreme heat all of the chocolate Portuguese tiles melted and turned into liquid!

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Some words of advice for upcoming brides …

Don’t stress over the small details!! Someone gave this advice to me before the day, and having now gone through the experience I couldn’t agree more. The day flies by and you will hardly notice them – and neither will anyone else!

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Casamento rústico na Quinta de Sant'Ana

 

Our selected vendors:

 

invitations, graphic materials and favors: bride & groom;

venue, decor, catering and cake: Quinta de Sant’Ana;

groom apparel and accessories: Hugo Boss;

wedding dress and shoes:  dress by Vera Wang and shoes ASOS;

makeup: Kabuki Makeup by Rita Amorim;

hair: Kerry Forster, the bride’s aunt;

bouquet: GreenPic’k;

photography: Golden Days Wedding Photography;

cinematography: Bruno Costarelli;

lights, sound and Dj: Rui Franjas.

 

Save

Save