Created with Sketch.
Susana Pinto

“Um real wedding por dia…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

… nem sabe o bem que lhe fazia!” é umas das novidades que temos aqui no Simplesmente Branco, editada regularmente pela Teresa Real, do blog Amor às Riscas (e claro, uma noiva SB, pois então!). Sei que vão gostar e esta foi a primeira selecção!

Quase conseguimos sentir a luz e o calor da California enquanto olhamos para as imagens do casamento de Melanie + Jade.

A simplicidade e a elegância de cada detalhe são arrebatadoras e dizer que o sorriso da noiva é maravilhoso e totalmente contagiante, parece-me tão pouco!

Fotografia de Allison C Photography.

 

Susana Pinto

Elisabete + João: tsurus, bom design e momentos cheios!

Hoje temos o casamento giro, giro, da Elisabete e do João, fotografados pelo fantástico Pedro Vilela.

A Elisabete e o João são designers e vão ver as coisas fantásticas que eles criaram para um dia tão especial…

Love is in the details, seguramente!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Foi no dia em que comemorámos 10 anos de namoro. Fomos jantar fora, como sempre fazemos no nosso aniversário, e no regresso a casa passámos pela faculdade, ele pára o carro, liga os quatro piscas e diz-me: “Lembras-te? Foi aqui que nos conhecemos…” enquanto mostra uma caixa. Não o levei a sério e a minha reacção foi: “A caixa está vazia não está?“ Quando vi o anel percebi que era mesmo a sério e não mais uma brincadeira dele. Disse-me “o anel tem 9 brilhantes, 1 por cada ano de namoro, ao décimo casamos…Queres casar comigo?” Claro que a resposta foi sim!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Já tínhamos falado em casar e gostávamos que fosse naquele ano. O pedido foi em Março, casámos em Outubro. Como queríamos fazer uma cerimónia pequena e simples que reflectisse aquilo que somos e do que gostamos, só nos preocupámos em marcar a Igreja e a Quinta. Pensámos num tema e o resto foi surgindo com o tempo.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Pensámos num ambiente que envolvesse os convidados, que participassem da nossa festa e da nossa alegria. Queríamos marcar a presença deles no nosso dia. Como o fizémos? Como o tema era o Origami  (arte japonesa de dobrar papel) pensámos em vários pormenores alusivos a esse tema e ao Oriente. Foi tudo pensado ao pormenor, começámos pelos convites desafiando os convidados na construção de um Tsuru (símbolo da felicidade) em origami. Ao chegarem à mesa tinham a indicação que teriam que colocar o tsuru no coração que se encontrava no local da festa. Na igreja colocámos saquinhos de arroz com um texto explicativo do porquê dessa tradição (tradição antiga da China). O suporte para as alianças era um tsuru, as ementas eram origamis do famoso jogo “quantos queres?”, o brinde feminino era chá e o brinde masculino sake, (bebidas mais tradicionais do Japão).

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Porque sendo uma cerimónia pequena (cerca de 80 convidados) o objectivo foi tornar a festa bastante pessoal e como somos designers (eu de comunicação e o João de equipamento e espaço) quisemos fazer tudo cheios de dedicação e pensando em todos os pormenores para que o nosso dia fosse mesmo “nosso”, à nossa maneira.

 

 

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

As peças (convites, brindes, telas, tsurus, saquinhos, etc), fizemos tudo sozinhos! Desde imprimir, cortar colar, dobrar, etc, sim…tudo! Mas recorremos à ajuda de alguns familiares em certos detalhes, como distribuir os saquinhos de arroz na igreja, o tule para pôr no carro, pendurar os tsurus nos candeeiros, etc…E claro que não vou esquecer a ajuda de grandes profissionais nomeadamente: o fotógrafo Pedro Vilela, que desde o início percebeu aquilo que pretendíamos e a maquilhadora Kabuki – Rita Amorim, que teve uma paciência enorme pois como não tenho o hábito de me maquilhar ajudou-me imenso na escolha. 

 

O que era o mais importante para ti?

Proporcionar um dia feliz para nós e para todos os nossos familiares e amigos.

 

 

 

 

 

 

 

E secundário?

Se estávamos lindos e esbeltos… o importante era estarmos felizes e confortáveis!

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No copo d’água.

 

 

 

 

 

Onde gastaste menos? 

Tudo o que fizemos (convites, lembranças e adereços).

 

O que foi mais fácil?

Tratar de tudo com João, trabalhamos super bem em equipa.

Ele participou em tudo, foi perfeito.

 

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

Abdicar de alguns fins-de-semana de praia para maquetizar convites, embalar chás, etc…

 

O que te deu mais prazer criar?

Tudo o que fizemos pois funcionou na perfeição e o resultado final foi bastante elogiado.

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Fizemos algumas cedências económicas, pois fizemos questão de pagar tudo (igreja, copo d’água, vestuário, alianças, lua-de-mel, etc), mas sendo sempre a nossa cara!

 

 

 

 

Um pormenor especial?

De entre tantos especiais tenho que salientar o pendente que cozi na fita do meu bouquet.

É da minha avó que infelizmente se encontra com a doença de alzheimer e não pôde estar presente no meu casamento.

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não…queremos recordá-lo tal e qual como aconteceu.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Não queiram fazer tudo sozinhas. O melhor é fazê-lo a dois! É o vosso casamento e não o da noiva!

 

 

Os nossos fornecedores:

 

Convites e materiais gráficos NOZDIZAIN (os noivos)

Local e catering: Quinta de MonfalimImpério Catering

Fato do noivo e acessórios: Fato Zara + Ténis Adidas

Vestido de noiva e sapatos: Vestido Atelier Diagonal + Sapatos Bianca

Anel de noivado, alianças e brincos: Anel Espirit, Alianças First Day, Brincos Swarovski

Adereços: Fita para cabelo feita pela mãe da noiva com fio Claire’s + pulseira Claire’s

Maquilhagem: Kabuki – Make-up by Rita Amorim

Cabelos: Edith B – Ericeira

Flores: Bouquet –  Conceição Florista – Mercado da Ericeira

Lembranças para os convidados: NOZDIZAIN (os noivos)

Fotografia: Pedro Vilela Photography

Luzes, som e Dj: Amigos dos noivos

 

E para mais imagens e detalhes fantásticos, passem pelo site do Pedro!

 

Susana Pinto

Inês + Antoine: simplicidade e muito amor!

A Marta Marinho, da Beija-me, já me tinha falado deste casal que fotografou no Verão, mas quando me mostrou a primeira imagem, quis logo guardá-lo para vos mostrar.

É delicioso, verdadeiramente descontraído e muito, muito doce… venham comigo e conheçam a Inês e o Antoine!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?
Na cama!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?
O pedido foi no fim do mês de Janeiro. A primeiro coisa que fizemos foi decidir a data e escolhemos o dia 4 de Junho porque em França era um fim-de-semana com uma ponte (o Antoine é francês, assim como metade dos convidados).

Tivemos 4 meses para organizar tudo!

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?
Somos os dois muitos simples e não imaginávamos um casamento sumptuoso. Procurámos alguma inspiração nos lenços dos namorados, mas também não queríamos que fosse evidente de mais. As cores vivas dos lenços agradam-nos bastante, com o vermelho como cor dominante.

Queríamos que as pessoas se sentissem confortáveis, como se estivessem em nossa casa.

 

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?
Não conseguimos imaginar fazer de outra maneira… Além de gostarmos de trabalhos manuais em geral, o facto de fazermos nós mesmos também permite ter exactamente aquilo que desejamos. Fizemos todos os trabalhos de impressão (convites, ementas, números das mesas, etc.), os diferentes elementos de decoração, as lembranças dos convidados, etc.

 

Tiveste ajuda?
Pusemos toda a família a ajudar naquilo em que eles são bons: a minha mãe com a decoração, a mãe do Antoine com os doces, a tia Fernanda com a árvore genealógica, a minha cunhada com o vestido de noiva, os amigos com a animação, etc. Tentámos guardar o máximo de coisas surpresa à excepção da tarefa que atribuímos a cada um. Gostamos muito da ideia de que o nosso casamento é o resultado da contribuição de muitos.

 

O que era o mais importante para ti?
Que o casamento se parecesse connosco!

 

 

 

 

 

E secundário?
Antes do casamento nada nos pareceu secundário…

 

Onde gastaste mais dinheiro?
No local e catering.

 

Onde gastaste menos?
Acabou por ser o vestido de noiva e o fato oferecidos pela cunhada/irmão e os pais respectivos.

 

 

 

 

O que foi mais fácil?
A escolha do tema. Eu já tinha a ideia mesmo antes do pedido de casamento!

 

O que foi mais difícil?
A escolha do local… Primeiro a escolha do país: sabíamos que qualquer que fosse a escolha haveria membros da família que não viriam. Em segundo, foi complicado escolher o local a mais de 2000 km de distância. Felizmente pudemos contar com a ajuda da família! Quanto descobrimos a Quinta do Medronheiro não tivemos nenhuma dúvida que seria lá o nosso casamento!

 

O que te deu mais prazer criar?
O lenço dos namorados que bordei para o Antoine, que lhe ofereci no dia do casamento e que ele usou com o seu fato!

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?
Fizemos muitas concessões, mas acabaram por ser pequenas coisas e o nosso casamento tinha “a nossa cara”!

 

Um pormenor especial?
O meu vestido estava simplesmente perfeito! Quando via vestidos de noiva nunca me conseguia imaginar com um deles. O vestido foi criado especialmente para mim, pela minha cunhada, que se mostrou muito sensível às minhas ideias. Partimos da ideia dos lenços dos namorados, mas tal como para a decoração, não queria que fosse óbvio de mais. Por isso utilizámos simplesmente o bordado vermelho que os lenços têm à volta. Senti-me muito bem com o meu vestido e acho que ele também era a minha cara!

O meu ramo de flores também estava lindíssimo e ficava lindamente com o vestido (foi a minha mãe que o fez!).

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?
Teria preparado melhor a animação musical.

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?
Acho que o casamento deve ser algo muito pessoal, que se pareça convosco. Pode haver tendência para que outras pessoas decidam por nós (normalmente os pais!) e acho que se não desejarem que assim seja devem deixá-lo bem claro desde o início. E isso não impede de deixar as pessoas ajudar, o que os faz muito contentes e é bastante útil!

 

 

Os nossos fornecedores:

Local e catering : Quinta do Medronheiro
Fotografia:  Beija-me

Susana Pinto

Mariana + Gualter e um vestido fabuloso!

Hoje temos connosco a Mariana e o Gualter, fotografados pela Lounge Fotografia.

Meninas, que vestido fabuloso…!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O meu pedido de casamento foi em Leça, precisamente à meia noite do último dia do ano 2009, entre fogos de artifício e chuva miudinha.

Apesar de na altura já termos 10 anos de namoro, fui surpreendida.

Falávamos em casar primeiro pelo civil, e mais tarde quando tivéssemos mais disponibilidade financeira, fazer uma festa mais elaborada. Mas o tempo foi passando e nunca mais falámos do assunto, pelo menos de forma pormenorizada.

Nos dias anteriores ao pedido sentia-o nervoso e a sair diversas vezes para tratar de “assuntos”. Na verdade nunca associei nada ao que estava para vir, pensando que ele estaria apenas a organizar uma surpresa de fim de ano. E foi então que num dia tão frio surgiram as palavras tímidas mas muito calorosas… Queres casar comigo? É claro que a resposta foi sim!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Casámos a 15 de Julho 2011 por isso na altura do pedido de casamento ainda tínhamos muito tempo para organizar tudo calmamente.

O primeiro passo foi fazer uma lista do que seria necessário, por ordem de prioridade e importância. Escolhemos sem pestanejar a Lounge Fotografia para a fotografia e vídeo, por serem nossos conhecidos e pelo seu trabalho de qualidade. Eles indicaram-nos o Aqueduto, que depois de visitar escolhemos como local de copo d’água.

O próximo passo seria a igreja. A Igreja Românica de São Pedro de Rates, monumento nacional foi indicada pelo meu pai e foi uma óptima escolha, pela sua beleza arquitectónica e proximidade ao local da festa. Seguiram-se os convites e a jornada de entrega destes pois tentámos entregar a maioria pessoalmente. Tudo o resto fluiu naturalmente e fomos fazendo no decorrer do tempo, recorrendo a muita pesquisa na internet, pedidos de orçamento e algumas opiniões de familiares e amigos.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Queríamos um ambiente romântico, moderno, divertido e sobretudo intemporal.

Queríamos que o ambiente envolvesse e reflectisse o nosso gosto pessoal e que ao mesmo tempo proporcionasse momentos de alegria a todos.

Tentámos transmitir isso mesmo através das nossas escolhas, envolvendo-nos em todos os pormenores.

Os convites foram o ponto de partida pois seria a primeira impressão do que se viria a esperar do nosso dia. Fizémos em conjunto com a Sonhei Assim o convite de raiz, escolhendo o papel, cores, pormenor do laço de cetim a envolvê-lo como um presente, coração-alfinete no meio do laço como oferta prévia às senhoras e para usarem no dia.

A presença das peónias foi imprescindível para mim pelo seu simbolismo, pois fiquei a conhecer e a adorar esta flor no ramo que acompanhou o pedido de casamento. Por isso mesmo, no dia elas estiveram presentes no meu ramo, igreja e local da festa em tons de branco e rosa.

Outros pormenores como as nossas fotografias de cada ano de namoro nas mesas, a banda, a actuação do Males com didgeridoo, os balões “noivo” e “noiva”, o photobooth também foram importantes para ir de encontro ao que pretendíamos transmitir.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

O “feito por nós” surgiu no empenho e dedicação àquele dia, em cada  escolha, em cada elemento e pormenor  para que reflectissem quem somos e o nosso amor.

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Tivémos em consideração as opiniões de amigos próximos, padrinhos do casamento e familiares. Recorrendo à ajuda deles no dia em certos detalhes, como guardar flores, distribuir os saquinhos de arroz, o tule para pôr nos carros…

E claro que a ajuda de grandes profissionais nomeadamente os fotógrafos Luís e Marta da Lounge, a Cristina e Francisco do Aqueduto que tiveram sempre em conta todos os nossos pedidos e gosto pessoal, a maquilhadora Carolina da Mac que também foi excelente e não posso deixar de falar da Vanessa que me atendeu na Pronovias, uma excelente profissional.Todos eles foram importantes para desmistificar dúvidas e incertezas e orientar no melhor caminho, respeitando sempre as nossas escolhas.

 

O que era o mais importante para ti?

Que fosse um dia marcante na nossa vida e na dos que a presenciassem e acima de tudo um dia feliz.

 

 

 

E secundário?

Todos os detalhes foram importantes e tidos em conta para culminar num dia único e especial.

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No local do copo d’água que incluiu a decoração, catering e o bolo de chocolate branco com pão de ló simples e chocolate, deliciooooso. Ainda hoje sonho com ele.

 

Onde gastaste menos? 

Na minha liga, comprei-a numa loja da baixa do Porto. Era a última liga branca no meio de muitas em tom pérola e foi muito baratinha.

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

O que pensei que iria ser mais dificil foi o mais fácil, a escolha do vestido. Foi o último que experimentei e em imagem não lhe dei muita importância mas quando o vesti deu-se a magia. Não hesitei em decidir que era aquele e que não experimentaria mais nenhum. E é completamente a minha cara.

 

O que foi mais difícil?

Foi sem dúvida fazer o plano das mesas, decidir quem se sentaria ao lado de quem. Escolher o penteado também foi uma tarefa árdua.

 

O que te deu mais prazer criar?

Fazer a coleira com laçarote para a nossa cadela, a preta, as provas de make-up, planear a decoração da igreja, a ementa…

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Fizémos cedências económicas mas dentro dos limites que estabelecemos, fizémos tudo 100% a nossa cara.

 

Um pormenor especial?

Só um é difícil, pois gostei de tantos mas posso dizer que emocionalmente gostei muito da “boa vibe” transmitida pelo coro de 5 raparigas e seu professor pianista presentes na cerimónia religiosa na igreja. E também o acto, a dada altura da cerimónia, em que o Padre nos apertou ainda mais as mãos. Foi um acto muito especial pois só nós o sentimos.

Materialmente a minha flor de organza que usei no pulso, com camadas de romantismo e criatividade de uma artista holandesa. Gostei tanto do trabalho dela que me inspirou e actualmente também faço, por hobbie, acessórios de noiva.

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Gostava de ter tirado uma fotografia de grupo com todos os presentes. E se fosse possível duplicar as horas.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

São realmente necessários muitos passos a percorrer até ao grande dia mas comecem por fazer uma lista  com os tópicos mais importantes do casamento.  Estabeleçam os vossos limites a nível financeiro e gostos para que tenham uma ideia prévia do que pretendem ao apresentar as vossas ideias aos profissionais. Visitem os locais,  pesquisem online, peçam orçamentos. Sejam flexíveis, um com o outro e com os outros, é natural que ouçam diversas opiniões, mas por último as escolhas são vossas.  Por isso é essencial fazer tudo com tempo e rodearem-se de profissionais de confiança. Nos dias e meses anteriores já se preocuparam o suficiente, mantenham a calma. O dia voa e é único por isso deixem-se levar, afinal de contas, todos queremos ser felizes!

 

 

 

Os nossos fornecedores:

 

Convites e materiais gráficos: Sonhei Assim

Local e catering: Aqueduto Eventos

Fato do noivo e acessórios: Penhalta, Decenio,Tie Rack

Vestido de noiva e sapatos: Pronovias, Haity

Anel de noivado, alianças e brincos: Eternis, Breuning, Swarovsky

Adereços: Arroz colorido da Arroz pintado, balões da Party Fiesta

Maquilhagem: Mac

Cabelos: Sublime Tentação

Flores: Rd Eventos

Lembranças para os convidados: Molde Design Weddings

Fotografia: Lounge Fotografia

Luzes, som e Dj: Bruce Brothers, animação da Grupo Spirit

 

Susana Pinto

Sandra + Juan: geek chic!

Hoje temos mais um casamento giro! A Sandra e Juan casaram em Outubro no Porto e, para além de um dia e detalhes muito especiais, contaram com fornecedores de topo: Brancoprata, Design com Texto e Wise_up Weddings, em mais um momento “working together is good“!

Num mix perfeito entre o geek e o chic, sapatos Jimmy Choo e botões de punho e frases tiradas do Star Treck, as imagens são deliciosas e adivinha-se o quão especial foi… Venham comigo!

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Foi num restaurante, a meio de uma conversa casual, mesmo antes de ficarmos impedidos de voar para Portugal devido a um nevão inacreditável!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Visto que estávamos a organizar um casamento a partir de outro país e tínhamos muitos convidados internacionais, iniciámos o processo com um ano e meio de antecedência. Os primeiros itens que tratamos foram a data, marcação da Igreja, fotógrafo e local da recepção. Marcámos data no Mosteiro da Serra do Pilar para 01/10/11 (em formato binário). Além de ser a minha Igreja, o local é lindíssimo e ficámos com a certeza de que todos os nossos convidados iriam gostar. Como estávamos fora, a internet foi um recurso elementar. Após vários contactos por email para diversos locais, refinámos a escolha e decidimos visitar apenas dois. Acabámos por escolher a Real Companhia Velha pela sua proximidade à Igreja e pelo seu charme. Ainda me lembro da sensação de entrar na RCV e de sentir o odor magnífico do Vinho do Porto! Para a fotografia, soube desde o início que tinha de ser o fabuloso André, da Brancoprata. O seu trabalho é maravilhoso! Fizemos o jantar de pedido de noivado com as respectivas famílias nesse mesmo Junho e um ano depois, no S.João, fizemos uma e-session com o André. A e-session correu super bem e andámos pelas ruas decoradas do Porto a tirar fotos com o cheirinho de manjerico a pairar no ar. Para os restantes aspectos da organização, tentámos ao longo do ano tratar de tudo com a maior antecedência possível para evitar imprevistos.

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

O conceito do ambiente de casamento demorou muito a surgir. Logo após o pedido, iniciei a minha pesquisa e vi-me confrontada com a realidade dos casamentos portugueses:os temas! Dei muitos nós na cabeça a tentar encontrar um tema que nos definisse… No entanto, depois de uma reunião com a Sofia, fiquei mais descansada por saber de que não precisava de cair no mesmo conceito. O nosso objectivo era criar uma atmosfera clássica e elegante para a família mas que ao mesmo tempo fosse moderna, divertida e geeky como nós… Comecei a pensar como poderia combinar os dois aspectos; a minha inspiração nasceu de uma imagem que encontrei e a partir daí as ideias foram nascendo… Aquando o processo de selecção dos fornecedores, alguns dos que contactámos ficaram supresos com o tipo de casamento que tínhamos em mente porque não era nada mainstream. Mas tivemos a sorte de contar com recursos preciosos: o blog  Brancoprata e a meio do meu projecto de casamento… o Simplesmente Branco!

Para além do casamento, queríamos de alguma forma agradecer a todos os amigos que vieram de várias partes do mundo para o nosso dia e como tal, decidimos fazer uma wedding after party no dia seguinte. Tentámos encontrar um espaço acolhedor no centro do Porto e depois de algumas pesquisas… descobrimos o Castelo de Santa Catarina. No final, conseguimos organiar duas festas!

Confesso que tive de pesquisar muita coisa e atrás de cada detalhe e/ou escolha presente no nosso casamento esteve muita procura envolvida até encontrar o que pretendia, mas valeu a pena!

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Infelizmente, não pude utilizar a opção feito por mim neste casamento por razões geográficas. Apenas preparei as caixas para colocar os M&Ms, os saquinhos com arroz e os convites para a wedding after party no dia seguinte.

 

 

 

 

 

 

Tiveste ajuda?
Sim, muita! Especialmente da minha querida mãe! Além de ajudar muitíssimo com as suas opiniões em longas conversas por skype sobre os mais ínfimos detalhes, fez muitas maratonas pela cidade do Porto para nos ajudar com os assuntos burocráticos relativos ao casamento. Quem diria que casar com um espanhol residente na Holanda fosse tão difícil?

As minhas madrinhas que me ajudaram imenso no dia do casamento, nos preparativos que antecederam o casamento e na fantástica despedida de solteira em Milão com o pretexto de comprar os meus sapatos de noiva com as minhas amigas. Divertimo-nos imenso a entrar em todas as lojas, e no final acabei por comprar dois pares de sapatos…

 

O que era o mais importante para ti?

O mais importante para mim foi sempre tentar proporcionar um dia inesquecível para todos, especialmente para as famílias portuguesa e espanhola, assim como para os nossos amigos internacionais. E conseguimos!

Sentimos uma imensa satisfação, por ser obviamente o nosso casamento, mas também por todas as pessoas que nos abordaram felicíssimas com o dia excelente que lhes foi proporcionado.

 

 

 

 

E secundário?

O tempo… toda a gente preocupada por ser em Outubro, e no final acabamos por ter 33C ! Obrigada Santa Clara!

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No catering, no vestido, material gráfico, música, decoração e fotografia. Mas valeu mesmo a pena! Todos foram extremamente profissionais e fizeram um excelente trabalho!

 

 

 

 

Onde gastaste menos?

Nos cupcackes Pacman e alguns detalhes, como a faixa: “live long and prosper”, pulseiras fluorescentes, chinelos para dançar, tabaco e lembranças.

 

O que foi mais fácil?

Seleccionar os serviços de decoração, fotografia e música. Como sei que a Sofia e o André fazem um trabalho fantástico não precisei de me preocupar com nada. Quanto a música, a voz poderosa da Ana Celeste combinada com a melodia de Bossa Nova/Jazz da Vanessa Sassine, juntamente com a boa disposição do Ricardo foram um sucesso!

 

 

O que foi mais difícil?

A burocracia! Tanto o processo civil como o católico deram-nos muitas dores de cabeça. O lado positivo é que para além de termos conseguido finalizado ambos os processos, muitos dos nossos amigos adoraram as nossas histórias burocráticas rocambolescas que mais pareciam saídas de um filme. Houve uma altura na qual acreditei mesmo que o casamento não se iria realizar por causa dos papeis…e aí tanto o Juan como a minha família e amigos deram imenso apoio. Mas como diz o meu sogro…mais histórias para contar aos netos!

 

O que te deu mais prazer criar?

A visão do nosso casamento. A Igreja, a Real Companhia Velha e todo o simbolismo envolvido em todos os detalhes presentes. E claro, todos os apontamentos geek que incluímos.

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Posso dizer com muito orgulho que efectivamente o casamento que fizemos é a nossa cara. Claro que tivemos que fazer algumas cedências, mas apenas ao nível da lista de convidados.

 

Um pormenor especial?

A nossa cerimónia religiosa. Foi extremamente simbólica e com muito significado. A troca das arras, do galinho de Barcelos e do Robô comoveu toda a gente. A luz que nos seguiu desde que entrámos na Igreja até ao altar foi especialmente mágica!

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não mudava nada! Gostava era de ter tido mais tempo para tirar mais fotos! Realmente o dia passa muito depressa….

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Não tenham medo de fazer as coisas à vossa maneira, o casamento é vosso, não dêem demasiada atenção ao que os outros dizem. Apostem em bons profissionais que se identifiquem com vocês, não se deixem intimidar pelo pacote standard. O vosso casamento deve ser único e especial.

Por vezes, não é necessário muito dinheiro para fazer algo diferente, basta imaginação!

 

 

 


 

Os nossos fornecedores:

 

Convites e materiais gráficos: Wise_up Weddings e Design com texto

Local e catering: Real Companhia Velha e Numial Catering

Fato do noivo e acessórios: fato e sapatos Hugo Boss, botões de punho Star Trek, ThinkGeek,  caneta Montblanc

Vestido de noiva e sapatos: vestido Rosa Clará, sapatos Jimmy Choo e Vivienne Westwood for Melissa

Anel de noivado, alianças e brincos: alianças Meister, brincos e peça de cabelo Glitzy Secrets, pulseira Vintage Bella Bride

Outras peças: caketopper Betteroffwed, carteira Maushomevintage, liga: Florrie Mitton, almofada das alianças: CMYKrafty, Galo de Barcelos Águas Furtadas

Maquilhagem: Leonor Gonçalves, D’Ouro Clinica e Spa, Matosinhos

Cabelos: Sónia – Inês Pereira Cabeleireiros, Porto

Bouquet: Flores do Bolhão, Porto

Ofertas para os convidados: Licor Beirão e M&Ms personalizados

Fotografia e decoração: Brancoprata

Luzes, som e Dj: Ana Celeste, Ensemble MinneSang, Vanessa Sassine Quarteto e Ricardo Machado, Factor Música

 

Susana Pinto

Ângela + Luís: so in love…!

 

Hoje o dia é da Ângela e do Luís e o que vão ver e ler é muito, muito bonito. As imagens belíssimas são do João Pádua, um dos fotógrafos muito especiais que temos no Simplesmente Branco e mais não digo!

Preparadas…? Tenho a certeza que vão gostar muito!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Na verdade, foram vários! O primeiro foi feito por mim, ao Luís, num bar manhoso, namorávamos há poucas semanas. Ele disse logo que sim, e o que começou um pouco como uma brincadeira foi-se consolidando. Em Maio do ano passado fomos viver juntos e a decisão de casar passou apenas por marcar uma data e comunicarmos às nossas famílias num almoço informal. No entanto, em Dezembro, o Luís surpreendeu-me com um pedido (com anel e tudo e tudo!) num pôr do sol lindíssimo em Salvador da Bahia!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Começámos pensar a sério no casamento com cerca de 9 meses de antecedência. A primeira coisa que escolhemos foi o local, o restaurante DOC, em Armamar, pela vista maravilhosa que o envolve e pelo excelente serviço! Mais ou menos por esta altura, também escolhi o vestido.

Achava que estas seriam as decisões mais complicadas mas na verdade foram as mais simples… Quando me comecei a aperceber da quantidade de coisas de que era preciso tratar senti-me perdida no meio de tanta oferta! Naveguei na net que nem doida (tendo o vosso site como uma grande referência!), fui fazendo listas do que era preciso, seleccionando as opções que mais gostava e tudo acabou por se organizar.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Quisemos criar um ambiente de contrastes! Por um lado mais romântico, e mais louco por outro. Por exemplo, na decoração usamos cores suaves e alegres, contrastando com as minhas damas de honor, as 4 vestidas de preto!

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Penso que como a maior parte das pessoas que optam por fazer elas próprias alguns elementos do casamento, a ideia é juntar o útil ao agradável: por um lado, sentimos que poupámos algum dinheiro, por outro, que conseguimos dar aquele toque pessoal e sentir que temos algo só nosso. Fizemos os convites, a identificação das mesas, as ementas, as caixinhas para as lembranças (umas pregadeiras lindas feitas pela Ana Jordão!), e alguns pormenores da decoração.

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Sim! A principal foi sem dúvida do Luís que foi incansável para que todos os pormenores se aproximassem o mais possível do que eu idealizei! Também tivemos ajuda de amigos… Um amigo nosso ofereceu-se para fazer os centros de mesa, que ficaram lindíssimos! E na semana anterior ao casamento tinha uma verdadeira linha de montagem para a construção das caixinhas para as lembranças!

 

O que era o mais importante para ti?

O mais importante para nós era fazer uma grande festa para celebrar o nosso amor e o facto de as nossas vidas fazerem parte uma da outra… E partilhar isso com aqueles que mais gostamos! Daí para nós ter sido muito importante encontrar um sítio perfeito para acolher este momento tão especial. Também demos muita importância à escolha do fotógrafo e cameraman (que sem dúvida recomendamos), porque como se costuma dizer, o dia passa muito depressa, e os momentos captados pela fotografia são para nós muito preciosos.

 

 

 

 

E secundário?

Inicialmente não tínhamos pensado em contratar um profissional para filmar o casamento, mas fomos ouvindo algumas opiniões e acabamos por ceder com medo de nos arrependermos de não ter filmado o grande dia! E de facto, ainda bem que o fizemos!

 

Onde gastaste mais dinheiro?

O mais dispendioso, foi sem dúvida o restaurante, mas não nos arrependemos de ter apostado na qualidade!

Houve ainda outros pequenos luxos, para os quais usamos o casamento como a desculpa perfeita… Os meus sapatos, o fato do noivo, enfim! Mas nós merecemos!

 

 

 

 

Onde gastaste menos?

Houve vários pormenores em que economizámos… Os convites (feitos por nós) e os centros de mesa (feitos de restos de tecido e galhos de arbustos) ficaram bastante em conta!

 

O que foi mais fácil?

Por incrível que pareça, o mais fácil foi mesmo a escolha do vestido! Não hesitei nenhuma vez, depois de ter experimentado 3 ou 4 vestidos, experimentei o meu e não tive qualquer dúvida… Foi como quando encontrei o noivo (!)

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

Acho que o mais difícil foi mesmo o Luís conseguir aturar os meus ataques de pânico! Houve momentos em que só achava que ia correr tudo mal, que ia chover, e que nada iria ficar como idealizara… Ele conseguia sempre apaziguar-me e fazer-me entender que nada poderia falhar, porque ia ser o NOSSO DIA.

 

O que te deu mais prazer criar?

Divertimo-nos muito a ensaiar a coreografia com que abrimos a pista de dança! Fizemos a nossa interpretação do “Bad Romance” da Lady GaGa.

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

O casamento foi completamente a nossa cara… As únicas cedências foram à conta bancária, se tivéssemos um orçamento maior, tenho a certeza que ia cair em tentações exageradas e extravagantes!

 

Um pormenor especial?

Em vez de termos crianças a levar as alianças convidámos o meu irmão e o irmão do Luís para o fazer! Eles ficaram muito lisonjeados e nós também ficamos muito felizes por eles participarem na cerimónia.

 

 

 


 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Talvez tenha havido pequenas coisas pelas quais não esperava, mas que no fundo, acabaram por fazer parte deste dia maravilhoso… No entanto, admito se fizesse tudo outra vez optaria por uma cerimónia mais intimista.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Não sei se vale a pena insistir neste cliché mas não posso deixar de dizer: não se deixem dominar pelos nervos! A sério, não vale a pena… Divirtam-se e não se esqueçam que só passam por esta experiência uma vez na vida… Ou pelo menos a ideia é essa!

 

 

 

 

Os nossos fornecedores:

Convites e materiais gráficos: feitos pelos noivos

Local e catering: D.O.C.

Fato do noivo e acessórios: fato e camisa Ermenegildo Zegna, botões de punho Sacoor, gravata Decenio e sapatos Cortefiel;

Vestido de noiva e sapatos: vestido Pronovias e sapatos Manolo Blahnik

Anel de noivado e alianças: anel de noivado Pandora e alianças Aqua Verdi

Acessórios: flor cabelo da noiva e damas de honor Pinga Amor

Maquilhagem: Tinoca Make Up

Cabelos: Rui Mota

Flores: Flores para ti

Lembranças para os convidados: pregadeiras Pinga Amor, em caixas feitas pelos noivos

Fotografia: João Pádua

Vídeo: Jorge Ventura

Dj: Ruben Abreu (Dj Rubes)