Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento romântico na Pousada de Amares: Carolina + Ricardo

Fechamos esta semana invernosa com um glorioso e muito romântico casamento na Pousada de Amares.
É a festa da Carolina+ Ricardo, cheia de detalhes bonitos e que nos deixam de coração quentinho.

Com eles, estiveram a dupla Um dia de sonho, que fotografou e filmou, a Jenny Makeup Land, que maquilhou a noiva, a equipa Por Magia, que tratou da decoração floral e do bonito bouquet e o livro das mensagens é da Sílvia Pontes. Uma equipa de luxo ao serviço deste casal de ideias arrumadas e visão clara. Festas que incluem o patudo lá de casa são ainda mais doces!
Bom fim-de-semana!

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?
O “sim” foi um momento muito emotivo e especial, todo ele num ambiente romântico e planeado ao pormenor pelo Ricardo e a sua “groom team” (e sim, exigiu trabalho de equipa!). Desde então que estava criada a expectativa de um dia mágico, em que fosse possível contagiar toda a nossa família e amigos com a alegria e felicidade que sentimos.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?
Este dia foi o culminar de uma história com 8 anos, numa fase da vida de grande transformação, em que mudámos e crescemos lado a lado. Cada passo deste crescimento veio com naturalidade e sempre com a certeza de querermos passar o resto das nossas vidas juntos. Podemos dizer, por isso (se excluirmos, claro, os “nervos de noiva” de quando em quando), que sempre nos sentimos preparados.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?
Nós temos uma relação que se complementa na perfeição. O Ricardo é uma fonte infindável de ideias, inspirações, planos… Eu sou mais pragmática e objectiva, para selecionar as ideias que vão funcionar melhor. Sempre que nos debruçávamos sobre algum aspecto da organização do casamento, concluíamos este nosso brainstorming com um convicto “é mesmo isto”! Às vezes ao fim de cinco minutos, às vezes ao fim de duas horas…

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?
Explorar o mundo em conjunto foi algo que sempre nos uniu e definiu como casal. De todas essas viagens vieram histórias e momentos únicos, que queríamos que fossem o tema do nosso dia. Para além disto, idealizávamos um dia relaxado em que todos (incluindo os noivos…!) se pudessem divertir. Para concretizar tudo isto contámos com a ajuda dos Por Magia. A Andreia e o Bruno foram excepcionais, sempre com óptimas sugestões e com uma disponibilidade e profissionalismo incríveis. E o resultado final não só foi ao encontro ao que queríamos, como excedeu todas as nossas expectativas.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?
Do nosso ponto de vista, o casamento é uma celebração, uma festa, em que assumimos perante as pessoas que mais gostamos que queremos começar uma família e uma vida em conjunto. Por isso, era fundamental para nós conseguir trasmitir e partilhar todo esse amor e felicidade com os nossos convidados. Por outro lado, queríamos conseguir aproveitá-lo ao máximo, sem nos aborrecermos se eventualmente não corresse tudo como planeado. Assim, mentalizámo-nos que não iríamos dar importância se surgissem precalços ao longo do “nosso dia perfeito”.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?
A escolha do espaço (a Pousada Mosteiro de Amares é um cenário de conto de fadas!), bem como de todos os nossos fornecedores (wedding planners, fotografia e vídeo, DJ, vestido, coro…) foi muito rápida e intuitiva. Desde o primeiro encontro que criámos com todos eles uma ligação e empatia que nos deram a certeza que seriam a escolha certa. O mais difícil foi, sem dúvida, a incógnita da previsão do tempo. Decidimos arriscar e optar por um jantar ao ar livre; afinal de contas o casamento era em Junho. No entanto, confessamos que a partir do momento em que faltavam duas semanas para o dia, íamos todas as manhãs ver a previsão metereológica. E não é que, uma semana antes, estava prevista trovoada…?! Quando finalmente já tínhamos feito paz com esse assunto, eis que magicamente tudo se altera para um dia de sol e calor tórrido. E assim foi…

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?
Somos ambos católicos praticantes e, por isso, a cerimónia foi toda ela muito emotiva, celebrada pelo padre que conhece o Ricardo desde pequeno. Também convidámos algumas pessoas que nos são particularmente próximas a discursar durante o jantar. E estes momentos criaram um segundo pico profundamente sentimental e inesquecível.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

E o pico de diversão?

Todo o dia foi extremamente divertido, com o pico na pista de dança. Tudo começou na primeira dança, em que, no meio de tanta descontração (e com alguma culpa da cauda do vestido da noiva…), nada correu como planeado. Mas o Ricardo foi, sem sombra de dúvida, capaz de fazer um figuraço no meio de toda a sua improvisação! Também tínhamos máscaras à disposição dos convidados, que criaram momentos inesquecíveis e fotografias fantásticas.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Um pormenor especial…
Dificilmente poderá ser considerado um pormenor, mas a presença do nosso cão, o Kaiser, foi muito especial e imprescindível. O Kaiser está connosco desde os dois mesinhos, quando o fomos buscar ao canil do Porto, e desde então que é um elemento central nas nossas vidas. A sua presença no nosso casamento era indispensável, e a alegria que ele expressou durante o dia mostrou que também ele ficou muito feliz por participar!

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?
Para nós, tudo foi perfeito. Mas se fôssemos obrigados a mudar alguma coisa, talvez pedíssemos a São Pedro que baixasse a temperatura em dois ou três graus durante a tarde…

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Casamento romântico na Pousada de Amares, com fotografia Um dia de sonho.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Imagino que todas as noivas saibam que o dia de casamento é algo maravilhoso. Mas a verdade é que tudo começa no planeamento. Toda a fase de preparação é mágica e extremamente romântica e, por isso, aconselhamos que façam tudo isso em conjunto, como casal. Tentem sempre ir de encontro ao que ambos esperam desse dia, sem se deixarem incomodar quando houver choque de ideias (e acreditem, vai haver!!). E, quando chegar o dia, aproveitem ao máximo, divirtam-se, deixem-se ir… sem querer controlar todos os detalhes. Achamos que esse é o segredo para um dia de sonho.

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Linhas Coloridas;

local e catering: Pousada Mosteiro de Amares, Santa Maria do Bouro;

bolo: Cupcake, de Francisca Neves;

fato do noivo e acessórios: fato da Crialme, botões de punho da Nortejóias;

vestido de noiva e sapatos: vestido e acessórios da estilista Ana Resende, sapatos da Haity;

maquilhagem e cabelos: Jenny MakeUp Land;

bouquet da noiva e decoração: Por Magia;

fotografia e vídeo: Um Dia de Sonho;

luzes, som e Dj: DJ Miguel Vaz (MvMusic).

Marta Ramos

Uma caixa para o vestido de noiva

As coisas preciosas querem-se bem guardadas e foi isso mesmo que a Alexandra pensou em relação ao seu vestido de noiva. Daí ter contactado a Sílvia Pontes para saber se era possível fazer uma caixa para o efeito. Foi um desafio para a Sílvia, habituada a trabalhar com medidas bem mais reduzidas; mas depois de se certificar que o seu equipamento lhe permitia alguma margem de manobra, abraçou a proposta com entusiasmo.

Trata-se de um vestido pouco volumoso mas, ainda assim, a base da caixa ficou com 60x60x20cm. Para tornar a estrutura de cartão mais resistente, já que tem de perdurar o máximo possível no tempo, optaram por contra-colar 2 cartões de 3mm. Após medir, cortar e unir todas as partes, faltava lixar as arestas – e só este processo demorou mais de uma tarde a completar.

«Nem sempre inicio e termino uma encomenda de seguida», conta-nos a Sílvia. Depende do estado de espírito, dos contratempos, ou dos vários trabalhos que temos em agenda e que vamos fazendo em simultâneo. Neste caso, foi preciso deixar a caixa respirar uns dias em cima da mesa para lhe voltar a pôr a mão, já que sai do padrão standard e precisamos de extrema calma e paciência para fazê-la no dia certo, com concentração, para que fique o melhor possível à primeira. Sobretudo, é algo que tem de ser aprimorado com prazer – e claro, com boa música sempre de acompanhamento.»
Desenrolar o tecido e cortá-lo inteiro na máxima largura requer muito espaço, e embora o atelier tenha mesas grandes de corte, pareceu tudo pequeno na hora de riscar e cortar. «Às tantas tínhamos quatro mãos, duas já não chegavam, com os braços emaranhados dentro da caixa a acertar, esticar e a colar o tecido. Foi giro.»

A máquina de tipos que Sílvia utiliza para este detalhe tem um prato de 30x30cm, por isso em vez de timbrar o texto depois do tecido estar colado, fez-se o inverso. Timbrar primeiro o tecido e depois colar sobre o cartão. É preciso alguma perícia para a esquadria bater certo no fim.
Visualmente é uma peça simples, mas o processo exige raciocínio e muita paciência pela dimensão que apresenta.
Para tornar a caixa única e com aquele toque especial, timbraram o nome e a data do casamento em tom cobre sobre um linho rosa blush, escolhido pela Alexandra.
Resultado final elegante, discreto e intemporal.

 

caixa para o vestido

 

caixa para o vestido

 

caixa para o vestido

 

«Foi uma excelente oportunidade de concretizar algo que tinha imaginado há muito tempo e de poder registar alguns momentos com a câmara, ainda que de telemóvel, na hora de embalar para enviá-la pela transportadora. Demorámos cerca de 45 minutos a protegê-la com plástico de bolha de ar para chegar imaculada ao destino.»

E que bom terá sido para a Alexandra receber esta obra de arte em casa!

Não deixem de ler mais artigos sobre o maravilhoso trabalho da Sílvia Pontes – e falem com ela, contem-lhe as vossas ideias, que ela faz o impossível para torná-las realidade. Sempre com muita classe!

Susana Pinto

À conversa com: Sílvia Pontes – encadernação personalizada

Hoje conversamos com a doce Sílvia Pontes, que cria, manualmente, os bonitos livros de honra e álbuns fotográficos que vos chegarão às mãos nos próximos meses.

Eu e a Sílvia conhecemo-nos há uns 10 anos (pelo menos!), através de uma cliente comum. Eu fiz-lhe os convites, a Sílvia, o livro de honra. Na altura, para que o trabalho ficasse perfeito e a pedido da nossa noiva, pusemo-nos em contacto. Eu enviei-lhe a ilustração do convite e mais algumas indicações sobre a fonte e as cores usadas, e a Sílvia criou de raiz um livro de honra lindo, incorporando esses elementos no seu trabalho. A cliente ficou deliciada.

Criámos uma ligação imediata: partilhamos uma ética de trabalho e forma de estar, temos cabeças parecidas e um imenso respeito pelo trabalho de cada uma. Ver o caminho feito e os passos certeiros, tanto em termos de gestão de negócio como no design de novos produtos e linhas, tem sido muito entusiasmante, e é um prazer imenso receber a Sílvia no nosso showcase anual: é garantido que trará peças novas incrivelmente bonitas e que fez o seu trabalho de casa de forma muito profissional, com muitos visitantes à espera para conversar, marcar reuniões e ver de perto o seu trabalho único.

O tempo é sempre pouco para pormos a conversa em dia – e nem de propósito, enquanto estão a ler esta entrevista eu estou de visita a Guimarães para beber um café com a Sílvia!

 

Experimentaste várias áreas antes de chegar ao que fazes hoje. De onde vem esta tua paixão pela manufactura e detalhe?

Experienciei muitas coisas, mas nenhuma em contacto directo com esta área. Surgiu do somatório de percurso, venho de uma linhagem de artesãos, do saber fazer e isso dá-nos vantagem.
Passei grande parte da infância com a minha avó, uma excelente costureira. Aprendi a paciência e a perícia. Marcar os tecidos, cortar pelas linhas de contorno, depois cosê-los à mão, leva tempo… Eu ficava com as “xitinhas”, as sobras da obra dos clientes que aproveitava para fazer os vestidos das minhas bonecas.

A primeira aventura séria aconteceu por volta dos 11 anos, quando entrei para o Conservatório de Piano. Trabalhei a sensibilidade, delicadeza e dureza dos dedos e mãos, como assim o próprio piano o exige.

Como gostava muito de desenho livre e era criativa, aos 17, os meus pais incentivaram a inscrever-me na Escola Profissional Academia de Moda – Artes e Técnicas, do Porto. Muita da bagagem que uso hoje é resultado dessa experiência. Ainda não existiam computadores nas escolas, todas as ilustrações, planificações, portefólios eram feitos manualmente, muitas vezes com recortes, colagens e letras de decalque. Não tinha acesso a grandes formatos de materiais para fazer as capas de dossiers, portanto o desafio colocava-me à prova.

Mais tarde fiz formação em desenho técnico e tive oportunidade de viver o dia-a-dia em gabinetes de arquitectura. Desenvolvi o rigor, a perfeição.
Depois de saltear várias experiências, senti que seria mais feliz se fosse dona do meu próprio tempo, juntei todos os ingredientes que tinha até então e segui em frente, sem medo. Tudo que sei e disponibilizo hoje como serviço, aprendi-o com o apoio de livros e muitas horas com as mãos na massa. O álbum de casamento dos meus pais serviu de cobaia e foi desfeito para analisar o processo. Há uns tempos, comprometi-me e ofereci-lhes um novo e a dívida foi saldada!

 

O teu trabalho é, essencialmente manual. Como é que esse compasso lento convive com a velocidade e imediatismo do mundo digital? Um serve o outro ou chocam de frente?

Assim como o próprio trabalho, educar o público nesse sentido levou tempo. Remei contra a maré muitas vezes e ainda não é tudo um mar de rosas, mas felizmente existem seres humanos que se identificam com esta forma de estar e de fazer. São clientes com gostos específicos que valorizam a qualidade, a essência e a forma tradicional como ainda se fazem estas coisas nos dias de hoje. Cada pormenor tem um traço pessoal e isso torna as peças únicas e especiais para quem idealizou cada detalhe por medida. O processo é lento e aprimorado e, para essas pessoas, são objectos como pedras preciosas. Para mim, é um prazer servir esses desejos.
Hoje, em geral sinto que existe  respeito e um grande carinho para comigo. É um público simpático, compreensível e aguarda pacientemente. É bom sentir que temos esta liberdade para dar mais e melhor.

Cada pormenor tem um traço pessoal e isso torna as peças únicas e especiais para quem idealizou cada detalhe por medida. O processo é lento e aprimorado e, para essas pessoas, são objectos como pedras preciosas. Para mim, é um prazer servir esses desejos.

As tendências – como a cor Pantone do ano, por exemplo – têm influência no teu trabalho ou a sua existência é intemporal e exclusiva da tua cabeça?

Às vezes influencia, mas damos a volta da melhor forma que nos é possível. Como se utilizam bastante fitas de cetim, tentamos encontrar a tonalidade mais aproximada para que se inclua um pormenor e é o suficiente. Às vezes imprimimos as guardas dos livros e dos álbuns, e aí utilizamos o pantone desejado. Noutras situações, as cores dos tecidos são intemporais e então é fácil ultrapassar as tendências.

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

Conta-me como é o teu dia de trabalho…

Os bastidores são um autêntico jogo de cintura. Atender os pedidos que vão chegando e conciliar atendimento ao cliente,  criação, produção, timings de entrega, etc., exige uma logística complexa, mas não transparece para fora quanto realmente o é. Dedicação extrema e disciplina a todos os níveis para ter sucesso é o ponto chave, e isso é contínuo. Existem dias previsíveis e outros que nos pregam algumas surpresas e podem ser boas ou menos boas, mas fazem sempre parte do ofício e da evolução. Diariamente tenta-se ao máximo seguir todos os requisitos e garantir que cada encomenda vai ter o tempo dedicado que merece.

 

De tudo o que fazes, de que é que gostas mais? E o que é mais desafiante e difícil?

Adoro quando tenho tempo extra (o que não tem sido fácil!) para pôr ideias em prática e fazer experiências com novos materiais. Adoro um bom desafio e quando há oportunidade de sair do padrão. Claro que nem todos os dias é possível ter bons desafios, porque sigo formatos de modo a simplificar ambas as partes (a maior fatia de encomendas surge à distância) e ter um bom fluxo de funcionamento, mas quando há essa possibilidade, abraço-a com grande prazer. Dá-nos orientação e combustível para continuar.

O mais difícil é conciliar tudo que já aprendemos, com toda a evolução e mudança constante a nível global. Acompanhar a informação, digerir e tentar melhorar a cada dia, se queremos manter-nos dentro da carruagem. Estar em equilíbrio com todas as adversidades que se cruzam connosco e ter a capacidade de nos ajustarmos constantemente.

 

Onde vais buscar inspiração?

A Internet é um universo ilimitado onde nos podemos mover livremente entre ideias, mas acima disso, sigo sempre a minha essência e tento ser fiel ao traço pessoal. Às vezes sai de forma espontânea. À parte da área profissional, sempre que possível, gosto de procurar e de me pôr a par de outras áreas para alargar horizontes e trazer outros ingredientes. Relaxar na natureza é também um fluir de ideias luminosas.

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescas a mente e o olhar?

Quando acontece, a melhor forma de refrescar é fazer a mala, fechar a porta por uns dias e dar uma volta por lugares desconhecidos. Quanto mais longe melhor!
Em casos extremos, só me curo em contacto profundo com a natureza. Adoro pequenos refúgios onde me permito desligar de todo o ruído mental. É o melhor revigorante e energizante. Quando regresso, venho com ideias a fervilhar e volto a arregaçar mangas e a bulir.

Estás instalada num hub criativo e o teu atelier é um espaço maravilhoso, à tua imagem. Essa mudança teve impacto no teu quotidiano de trabalho, nos teus produtos e serviços?

É um espaço magnífico! A luz natural e a paz que se sente é incrível e são factores cruciais para o workflow de qualquer criativo. Há liberdade de movimentos e espaço para crescer. Deu-me impulso, mais visibilidade e transmite uma imagem profissional e mais credibilidade.

 

Os teus álbuns guardam de modo físico as memorias do mais bonito dos dias, atravessarão gerações. Pensas nisso alguma vez?

Muitas vezes.

Há alegria e amor nessas memórias. Tudo passa pelas minhas mãos e é algo que se sente ser especial para aquelas pessoas, mesmo à distância. É o meu contributo para tornar o momento ainda mais feliz e isso dá um grande alento.

Como guardas as tuas fotografias? Confirma-se o ditado, “em casa de ferreiro, espeto de pau”?

Bela pergunta! Acho que conseguem adivinhar a resposta. Não sou diferente do que diz o ditado, e a agravá-lo, aqui em casa há um fotógrafo! Mas estou a tentar fazer progressos. No mês passado assinalei um momento pessoal especial e tenho o projeto em agenda, por isso este não escapa. Vai ficar giro e digno de exibi-lo aqui numa prateleira!

 

Silvia Pontes - encadernação personalizada, livros de honra e álbuns fotográficos

 

O trabalho impecável da Sílvia Pontes – encadernação personalizada pode ser visto com detalhe na galeria da sua ficha de fornecedor. Para além das imagens bonitas, podem contactá-la directamente, através do nosso formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão resposta atenciosa da Sílvia Pontes.

Save

Save

Save

Mónica Aragão

Sílvia Pontes, uma fornecedora Simplesmente Branco

Apesar da sua pequena dimensão, o Atelier Sílvia Pontes chega a todos os públicos com um trabalho personalizado, manual e com detalhes de artesão a que já não estamos habituados. Longe da produção em série, os álbuns, caixas e livros de honra são criados especialmente para cada cliente, com uma atenção e perfeição verdadeiramente dedicadas, perfeitos para guardar os seus momentos mais especiais.

 

É impossível ficar indiferente ao trabalho da Sílvia Pontes! Para entrar em contacto com ela, espreitem a sua ficha de fornecedor.

 

Mónica Aragão

Uma caixinha de surpresas, por Sílvia Pontes

Feitas à mão, com amor e tradição, as caixas pensadas e criadas pela Sílvia Pontes estão recheadas das surpresas mais agradáveis: seja a textura, as cores, os detalhes únicos, o acabamento perfeito, o nome personalizado, a vontade de guardar este tesouro para sempre.

 

 

 

 

Caixinhas mágicas para incorporar no dia do casamento, para dar ou receber, para guardar as memórias mais especiais, caixinhas onde cabe tudo e mais alguma coisa…

 

As fotografias são de José Caldeira e as caixas fotografadas foram especialmente criadas para oferecer às nossas queridas oradoras da 1ª edição da The Destination – international wedding conference – Lisboa 2016.

 

Sílvia Pontes é fornecedora seleccionada Simplesmente Branco. Podem encontrar mais informação e contactos detalhados na sua ficha de fornecedor, arquivada em Detalhes Especiais, Ofertas, Convites e Álbuns.

 

Susana Pinto

…da importância do Simplesmente Branco: Luísa + Filipe

Nesta semana em que retomo uma certa normalidade profissional (falarei disso a seguir), trago-vos um um casamento que é a mais absoluta doçura: estava aqui bem guardado à espera da minha atenção para o mostrar como merece e partilhar as palavras bonitas da querida Luísa, que me enviou um email muito especial.

O casamento da Luísa + Filipe não é recente (Outubro de 2014!), já mostrámos por aqui os deliciosos sapatinhos feitos à medida pela Helsar, e acompanhei-o à distância, como espectadora, porque conheço de perto quase todos os fornecedores envolvidos  – e o seu trabalho muito especial para esta festa.

 

Não me alongo mais, porque as palavras da Luísa completam as imagens e deixam-me de coração cheio: a Primavera começou há umas semanas, mas bem podia ser agora neste instante, em que tudo recomeça e floresce devagarinho.

 

 

 

 

“Sou a Luísa,  uma das milhares de seguidoras do Simplesmente Branco! Quando digo seguidora é no termo literal, ou seja, sou aquela pessoa que todos os dias vê 3 vezes o SB: às 9h, à 13h e às 17h, sem excepção!!! E, acredite que, apesar de já ter casado, continuo a fazê-lo todos os dias, mas agora de outro lado, na Alemanha.
Casei em outubro de 2014 mas continuo a manter contacto com alguns fornecedores e a seguir o trabalho de todos e, depois de me terem perguntado “mas porquê que o teu casamento nunca saiu no SB?”, decidi escrever este mail.

Contudo, julgo que dada a qualidade do trabalho dos “meus” fornecedores, este mail é mais do que obrigatório… mesmo passado todo este tempo!
Antes de mais há que notar que todos os “meus” fornecedores foram escolhidos através do SB, uns directamente da lista de fornecedores, outros de forma indirecta, por recomendação de quem já não tinha agenda. Por isso, como pode imaginar o SB  teve uma importância fundamental no meu casamento!

 

 

 

 

Não escolhi nenhum pacote (falo na 1.ª pessoa porque o Filipe estava a viver na Alemanha e eu tive a difícil tarefa de pesquisar tudo), preferi partir de ideias minhas e contratar quase todos os serviços à parte da quinta!! Detesto ideias “empacotadas”!

Este foi o ponto de partida, e como já conhecia o trabalho, diga-se absolutamente maravilhoso, da Ana Jordão, da Pinga Amor, e a perfeição da Francisca Neves, da Cupcake, estas escolhas foram logo imediatas. Depois, vi o trabalho da Susana Almeida, do projecto “Feliz é quem diz” aqui no SB e contactei-a logo de imediato! Queria que a nossa decisão – acompanhar o Filipe na Alemanha – estivesse presente em alguns detalhes e pedi-lhe que fizesse uma ilustração com a nossa decisão. A ilustração da Susana serviu para a distribuição das mesas e foi uma ideia perfeita!!

 

 

 

 

Quando li e vi alguns testemunhos no SB sobre a importância dos votos contactei logo a Marta Ramos, a Costureira de Palavras! Mais do que acertada a decisão foi transmitir, em palavras, para as pessoas a emoção do nosso casamento.

Casámos pelo civil e a leitura dos votos veio trazer um sentimento muito especial, a sensação que o nosso passo passou para os convidados!!
Por serem um marco tão importante no nosso dia, mal vi o trabalho da Levado à letra publicado também aqui, pedi logo à Ana Pinto que lhe desse o tratamento que mereciam. Estão agora escritos numa bonita caligrafia e emoldurados. Ofereci-os  ao Filipe quando fizemos 1 ano de casados!

Para os convites, sempre soube o que queria. Desenhei um rabisco que partia de um ramo de oliveira e de uma frase de José Saramago, “sempre chegamos ao lugar onde nos esperam” e depois, a Teresa Montenegro, da Diferente, fê-los a preceito, clássicos, bonitos e cheios de pormenores,  fechados com um fio rosa unido por um sinete.

 

 

 

 

 

Depois, a Célia Fernandes, do Caderno de Recortes (adoro o trabalho desta senhora!!!), fez um bonito recorte para colocar na mesa da cerimónia. Quando os fornecedores são bons, não precisamos de estar a especificar o quer que seja, basta dizer a ideia e a minha ideia era apenas e tão somente que o recorte tivesse de alguma forma um ramo de oliveira. Ficou perfeito e hoje está na nossa sala!
A música ficou a cargo dos Acoustic Lounge Musics ou não fossemos nós bons ouvintes de jazz! Contratámos este serviço para acompanhar toda a refeição  e posso garantir que valeu todo o dinheiro! As pessoas gostaram, podiam falar calmamente e isso trouxe tranquilidade ao dia.

Como fotografo escolhi o André Castanheira, da ARC Fotografia. Já conhecia o trabalho dele através do SB e foi fácil a escolha. Registou o dia na perfeição, tal como esperava.
A querida Sílvia Pontes fez o caderno de mensagens e o álbum. Esta escolha era obrigatória depois do que vi aqui!!! No Natal, pedi-lhe ainda que fizesse os mini-álbuns para oferecer a algumas pessoas especiais com as nossas fotografias de casamento.

 

 

 

 

 

 

 

Casámos na Sertã, a cerca de 80 km do local onde vivíamos, porque várias foram as vezes que fomos até lá de propósito só para jantar.  E porque uma cerimónia civil pode e deve ser especial, optámos pelo Convento da Sertã Hotel, e a cerimónia foi na antiga capela do próprio convento: foi especial, mágico!!

Este foi um dia mais do que especial, foi cheio de pequenas coisas que o tornaram inesquecível. Fomos nós do princípio ao fim: simples, mas bonito!

 

 

 

 

 

Tudo isto graças ao Simplesmente Branco e aos “meus” fornecedores, em quem confiei a 100%.

Casei a um sábado, trabalhei até quarta e na quinta-feira imediatamente a seguir ao casamento fiz o exame da agregação na Ordem. Foi uma nervoseira? Não, graças a eles, no dia do casamento até adormeci… cheguei meia hora atrasada à cabeleireira.!

A mensagem que quero passar é apenas e tão somente a importância de ter bons fornecedores.
Em Portugal, talvez graças ao Simplesmente Branco, as coisas foram mudando um pouco nos últimos anos. Contudo, ainda há muito a ideia de comprar os serviços todos empacotados… e depois há ainda (e infelizmente) a ideia de que só o vestido de noiva é importante. Estas ideias deixam-me absolutamente transtornada!

 

 

 

 

 

 

O dia quer-se simples e verdadeiro mas, ao mesmo tempo, bonito e  cheio de sentimento, e isso só se consegue com bons fornecedores, quando o trabalho de um não apaga o trabalho do outro,  pelo contrário,  complementam-se na perfeição e tornam o dia absolutamente único. De que adianta, por exemplo, ter um vestido bonito se não tenho um bom fotógrafo?  Ou ter um espaço bonito sem decoração. É que, decoração do espaço não é colocar apenas umas flores nas mesas… é criar uma harmonia, é trazer bem-estar, é convidar as pessoas a entrarem e a ficar.

 

 

 

 

 

Para terminar, uma das coisas que constatei foi que pessoas com um trabalho “amador” pedem o mesmo valor,  ou mais, que verdadeiros fornecedores, o que é absolutamente desconcertante. Quando me apercebi disso, olhei apenas para os fornecedores do Simplesmente Branco.”

 

Bom, admito que pareça quase um post patrocinado, mas não é. É genuíno e feliz, e comprova que o trabalho que fazemos todos os dias, os sins e os nãos que damos de resposta a quem nos contacta, as ideias que partilhamos e defendemos, os fornecedores que recomendamos e o amor que partilhamos de forma dedicada e generosa, tem fruto e multiplica-se, é contagioso.

Aos queridos Luisa + Filipe, um abraço luminoso e feliz. Aos fornecedores fantásticos, um brinde: juntos, somos melhores e fazemo-nos – mutuamente – bem.

Esta é uma bonita viagem e é um prazer fazê-la na vossa companhia!

 

Mónica Aragão

Sílvia Pontes, no You+Us=Fun!

Apesar da sua pequena dimensão, o Atelier Sílvia Pontes chega a todos os públicos com um trabalho personalizado, manual e com detalhes de artesão a que já não estamos habituados.
Longe da produção em série, os álbuns, caixas e livros de honra são criados especialmente para cada cliente, com uma atenção e perfeição verdadeiramente dedicadas, perfeitos para guardar os seus momentos mais especiais.

 

 

 

Descubram estes e outros trabalhos da Sílvia Pontes no Facebook e depois venham conhecê-la pessoalmente!