Vanessa & Ivo Handmade Films Arquivos -  Simplesmente Branco 

1 Comentário

Mariana + Francisco: um casamento rústico e oh so chic!

Da Holanda para Viseu, com a ajuda dos amigos e família: assim aconteceu o bonito casamento rústico e oh so chic da Mariana + Francisco, filmado pela dupla Vanessa & Ivo, e fotografado lindamente por outra dupla, Marta Barata e Luís Mateus, da Lounge Fotografia.

Hoje, para além das imagens, trazemos o filme, o que faz desta publicação um belo momento. Tomem nota da belíssima e generosa oferta dos noivos aos convidados.

Celebremos então esta primavera que chegou, antecipando o fim-de-semana com sol, festa, amizade e muito amor!

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Boutonnière rústica com flores brancas

 

Convites de casamento em papel kraft

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos que seria sobretudo um dia para nos reunirmos com a nossa família e os nossos melhores amigos. Uma festa familiar, “informal”, relaxada e com muita cor para celebrar o amor e a amizade. Imaginámos que gostaríamos de festejar ao ar livre e de experimentar um conceito mais espontâneo de casamento.

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Bouquet de noiva rústico e romântico

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

O empenho foi máximo e o entusiasmo ainda maior. O facto de termos decidido preparar este projeto de fio a pavio (desde o conceito à execução) trouxe alguns nervos e muitas responsabilidades. Queríamos que tudo corresse conforme as nossas expectativas e conforme planeámos e imaginámos. Isso traz naturalmente muitos nervos! De qualquer modo, olhando para trás, isso fez do nosso dia – e dos 9 meses antecedentes – tempos fantásticos que iremos recordar com muita saudade. Lembramo-nos por exemplo do dia em que com o nosso amigo Nuno criámos o início da nossa identidade gráfica. Comprámos tintas, fomos à florista, e fizemos os decalques de plantas em nossa casa. Quando as coisas são pensadas e feitas de um modo tão pessoal, acaba por ser tudo especial.

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Em relação à decisão de casar não houve propriamente um momento “é mesmo isto”. Era definitivamente isto!

Em relação aos preparativos, foi o dia em que visitámos a Quinta da Cerca pela primeira vez. Como moramos na Holanda, contámos com o apoio incansável dos nossos pais que visitaram todas as quintas por nós. Enviaram-nos dezenas e dezenas de fotografias e vídeos (até esquiços!) e foi a Quinta da Cerca que mais nos entusiasmou. Quando visitámos a quinta pessoalmente, a decisão tomou-se de imediato. “É mesmo isto”. Desde os espaços exteriores (jardins, relvados, pomares e vinhas) aos edifícios e espaços interiores tudo estava feito à medida daquilo que imaginámos. A disponibilidade dos donos da quinta para nos receber inúmeras vezes depois dessa primeira visita foi um facilitador extra.

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

De um modo geral, o resultado foi fiel às ideias, mas naturalmente nem tudo corre conforme planeado, desde já porque a semana anterior ao casamento passou a correr e algumas cedências tiveram de ser feitas. Mas isso acabou por ser absolutamente irrelevante. Tudo e todos que importavam estavam lá.

Para os arranjos florais e para as montagens da decoração, contratámos ajuda profissional.

A nossa família e aos nossos amigos juntaram-se a esta aventura a 100%, e a ajuda deles foi absolutamente preciosa. Desde o design gráfico, até ao som/luz, passando pela organização, pela almofada das alianças, pelo transporte de colunas e luzes, pela montagem e logística de mil e uma coisas, tudo foi feito com a ajuda imprescindível destas pessoas. O Francisco esteve na quinta quase até às 3 da manhã na véspera do casamento a fazer montagens. A Mariana esteve em casa com as amigas onde se costurou até às tantas! Não sabemos se já agradecemos ao nossos amigos e à nossa família o suficiente, mas esperamos que sim!

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Decoração de casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

O fundamental para nós seria passar um dia muito feliz e aproveitar a oportunidade de o partilhar com as pessoas que nos são tão importantes. É uma oportunidade irrepetível. Quanto aos formalismos típicos de um casamento, esses, para nós, tiveram muito pouca importância. Queríamos um casamento à nossa medida e por essa razão teria de ser definitivamente um casamento fresco e leve.

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi escolher a valsa! Um dia estávamos na praia e ouvimos uma canção dos Los Hermanos – canção essa que nos era mais ou menos indiferente até então – e pensámos: é esta. Foi um click mútuo. O mais difícil foi controlar os nervos no dia, infelizmente esses não conseguimos evitar.

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A hora de confirmar a nossa intenção de casar e de jurar amor “todos os dias da nossa vida”. Foi uma explosão de felicidade inacreditável e sem explicação.

 

E o pico de diversão?

A festa foi extremamente divertida, mas um dos momentos engraçados foi quando os amigos sportinguistas do Francisco prepararam um momento quase solene para lhe oferecer um pin do Sporting. No entanto, os amigos benfiquistas trocaram-lhes as voltas e em segredo trocaram o pin do Sporting por um pin do Benfica. O Francisco é sportinguista, e o resultado foi uma boa gargalhada.

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Um pormenor especial…

Decidimos jantar sozinhos numa mesa no meio da sala e iluminados pelo nosso candeeiro que acompanha as nossas refeições diariamente em casa. Queríamos que o jantar fosse um momento de pausa, onde pudéssemos conversar e celebrar de um modo mais íntimo, conforme fazemos depois de um dia igual aos outros.

 

Decoração de casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Decoração de casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Definitivamente teríamos decidido não nos preocupar tanto durante o decorrer do dia. Correu realmente tudo muito bem e temos fotografias e vídeos maravilhosos que nos ajudam a recordar tudo o q se passou e que nos emocionam muito.

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Decoração de casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Casamento rústico em Viseu, fotografado por Lounge Fotografia

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Para as próximas noivas e noivos, definitivamente aconselharíamos a, chegado o dia, largar todas as preocupações. Foquem-se no amor e na imensa felicidade que é estarem juntos e aproveitem aquela que é uma oportunidade irrepetível de reunir todas as pessoas de quem gostam e vice-versa. É uma sensacao incrível!

 

E fechamos com a versão em movimento!

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Nuno Beijinho;

local: Quinta da Cerca;

catering e bolo: Encontrus

fato do noivo e acessórios: fato Hugo Boss, sapatos Geox, relógio Tissot, Laço “The Tie Bar”;

vestido de noiva e sapatos: vestido Aire Barcelona, sapatos Aldo;

maquilhagem: Maria Edite Martins;

cabelos: Conceição Campos;

bouquet: Guida Eventos;

decoração: projeto dos noivos com ajuda na montagem e nos arranjos florais da Guida Eventos, na quinta e do Jardim da Ângela, na igreja;

ofertas aos convidados: Doação ao Instituto Português de Oncologia e marcador de livros com uma mensagem de apelo à dádiva de sangue e inscrição como dadores de medula;

fotografia: Lounge Fotografia;

vídeo: Vanessa & Ivo Handmade Films;

Dj: DJ Sérgio Gonçalves.

 

Save

1 Comentário

Raquel + Mário: um casamento intimista ao ar livre

Bom dia! Estreamos hoje mais uma das pequenas mudanças que vamos implementando devagarinho, até ao grande final que será o novo layout.

Decidimos refrescar as nossas peguntas que contam as histórias dos noivos desde 2010 (!!!), e a estreia coube à Raquel + Mário, que escolheram a Quinta da Boeira, em Gaia, e o mês de Julho para criar o seu casamento intimista e ao ar livre.
Deixem-se levar pelas palavras dos dois e pelo vídeo lindo da Vanessa+Ivo Handmade Films (prestem atenção ao bouquet Pinga Amor!).

Trabalho bonito resulta da soma das partes: as ideias e vontades dos noivos, o talento criativo dos fornecedores e a capacidade (e vontade) de todos de se ajustarem e fazerem mais e melhor para que o dia seja o mais bonito dos dias!

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Nós sempre imaginámos o nosso dia como uma cerimónia bonita, intimista e familiar. Nunca colocámos a hipótese de um casamento com muitos convidados e sempre preferimos algo simples, mas que refletisse o nosso amor e as nossas personalidades. Quando o “sim” ecoou no ar, começámos logo a pensar qual seria o melhor local para reunir os nossos amigos e familiares mais próximos. Nunca quisémos ir pela tradicional quinta de casamento e, para dizer a verdade, conseguir com que todos os factores mais importantes para nós estivessem alinhados (localização central, dentro do orçamento, com bonitos espaços ao ar livre e completamente personalizável), não foi particularmente fácil. Como vivemos em Londres, tivemos de fazer tudo à distância e de forma planeada. Antes que conseguíssemos reunir uma mão cheia de locais que pudéssemos ir visitar de uma vez, todas as nossas pesquisas e contactos foram feitos pela internet. Não é tarefa fácil, sobretudo para um país que não está tão habituado a comunicar apenas por email.  Casar ao ar livre no meio da natureza, era a nossa ideia. Sempre soubemos que não queríamos casar pela igreja e que a cerimónia e a recepção seriam num cenário natural. Nunca pensámos que sair da ideia tradicional de casar numa quinta, fosse tão difícil. Quando somámos os orçamentos para deslocação de material, mobiliário e catering para o meio do monte, vimos que era totalmente insustentável. Tentámos dar a volta a este modelo de casamento através de uma solução que melhor se adaptasse ao que queríamos e tentámos encontrar um sitio que nos permitisse personalizar o mais possível e usar os seus jardins como envolvente. Queríamos algo único, só nosso, feito para nós e para os nossos convidados onde as regras de organização seriam coordenadas por nós. Tivemos sorte de termos encontrado a Quinta da Boeira e de eles terem entrado no nosso desafio com a mesma ambição.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Nunca houve muitos nervos e sempre tivemos preparados e confiantes. Claro, que no grande dia há sempre alguns nervos, sobretudo quando a família ainda não está pronta e a noiva está quase a sair pela porta. Mas acho que faz parte do processo, um casamento sem uns nervos à mistura deve ser quase impossível. No nosso casamento, como houve muito trabalho da nossa parte na organização da decoração do espaço e de todos os pormenores, Há sempre um nrvoso miudinho permanente, com receio que algo falhe.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Como vivemos fora de Portugal, decidimos voar uma semana antes do casamento para organizar tudo de uma forma mais relaxada. No entanto, já eram 5 da tarde do dia anterior ao casamento e ainda estávamos nós na Quinta da Boeira a montar tudo para o dia seguinte. Julgamos que foi só no dia anterior que conseguimos perceber que tínhamos tudo pronto para o grande dia. Olhando agora para trás, vemos que foi muito cansativo, mas adorámos todos os momentos. Sem dúvida que todos esses momentos de preparação antes do grande o dia, vão fazer parte da nossa memória para sempre.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado foi tal e qual como imaginámos. Escolhemos um tema que ambos gostávamos, romântico, vintage e ligado à natureza e espaços verdes. Conseguimos o mais importante, que era uma cerimónia e recepção ao ar livre, a mesa corrida sobre uma ramada de luzes mágicas que deixou todos os nossos convidados deliciados. Tudo foi preparado por nós a nível gráfico e de ideias. Houve muito trabalho de arts and crafts feito pela mãe e irmã da noiva que ajudou a compor o espaço de uma forma deliciosa. Houve todo um processo criativo que até passou pela criação de um website onde colocávamos todas as últimas notícias sobre o nosso casamento, e que permitiu actualizações periódicas com dicas e vídeos para manter os nossos convidados a par das nossas preparações para o grande dia. Queríamos que eles também pudessem fazer parte do nosso casamento a longo prazo e não só no próprio dia. Depois houve o trabalho da parte da Anica – a decoradora da Quinta da Boeira –  que criou todos os arranjos florais e completou o espaço com alguns objectos e pormenores essenciais. A equipa do catering foi incansável e espectacular. O sr. Francisco da Grandes Encontros tem uma equipa muito profissional e disponível, que fez com que o nosso dia corresse sem qualquer problema. Um serviço 5 estrelas e comida deliciosa!

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Um dos nossos principais requisitos era fazer um casamento ao ar livre e a única coisa que nos podia demover disso seria a chuva. Como casámos no Verão, estivemos mais descansados quanto a isso e fizemos de tudo para planear o nosso grande dia no exterior, em mesa corrida debaixo do cenário mais maravilhoso que encontrámos. Nós nunca fomos a favor de mesas redondas, até por julgamos que não funcionam muito bem e acabam por segregar os convidados em pequenos grupos. Como o nosso casamento foi mais pequeno e familiar, a mesa corrida resultou muito bem e todos os nossos convidados interagiram uns com os outros de uma forma mágica. Era fundamental que tivéssemos completo controlo sobre a decoração e organização e que todo o ambiente fosse decorado de forma sofisticada, mas simples e intimista.

Como não tínhamos um orçamento muito alargado, decidimos fazer muitas coisas pelas nossas próprias mãos, mas se houve algo que não podíamos abdicar foi da nossa equipa de fotógrafos e videógrafos. Olhando agora para todo o trabalho envolvido e o resultado final, podemos dizer que ter alguém em quem confiar para registar o dia para sempre, é fundamental.

Nós não demos importância a convites de casamento, porque decidimos fazer tudo online (website e pagina de Facebook) e criar uma plataforma que pudesse interagir com os nossos convidados de uma forma mais directa e regular. Com isso também conseguimos cortar alguns custos associados com a impressão e envio a que os convites de casamento normalmente obrigam.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi encontrar um tema e inspirações para o nosso casamento. Hoje em dia é possível encontrar muita informação pela internet e para pessoas criativas como nós, encontrar um fio condutor de ideias foi relativamente fácil. O resto foi só pôr as mãos à obra. Os cones de arroz, vasos, frascos decorados para velas, a árvore de família com fotos espalhadas pelo jardim, o photobooth e a mesa do livro de convidados foram pensados e feitos por nós e por membros das nossas famílias.

O mais difícil foi gerir as expectativas do que pretendemos com a realidade, numa posição à distância. É muito difícil organizar tudo via email e houve muito trabalho da nossa parte na coordenação com o espaço e a decoradora. Se não tivéssemos nervos de aço, paciência, mas também alguma compreensão, teria sido uma situação muito stressante para quem tenta organizar tudo sem a ajuda de uma wedding planner.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

O pico sentimental do dia foi a nossa leitura de votos. Todos ficaram emocionados.

 

E o pico de diversão?

Foi quando mostrámos aos nossos convidados um vídeo que preparámos exclusivamente para eles durante o nosso casamento. Foi muito emotivo e divertido.

 

Um pormenor especial…

A nossa mesa corrida. Tivemos imenso cuidado com tudo o que se colocou na mesa, incluíndo o tipo de flores e arranjos, a marcação das mesas, cadeiras, atoalhados, arranjo dos menus e guardanapos. A iluminação da mesa acrescentou um toque especial à medida que anoitecia, o que ajudou a recriar um ambiente familiar e inesquecível. Outro pormenor especial foi o carimbo que mandámos fazer com um design nosso e com as nossas iniciais. Com isso conseguimos personalizar muitos pormenores e acrescentar aquele toque diferente sobretudo nas ofertas aos nossos convidados.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Como o nosso dia correu tão bem podemos dizer que não mudávamos nada.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Para as noivas de Portugal que planeiam organizar o seu casamento à distância com um orçamento limitado, posso dizer que é preciso encarem todo o processo como um desafio e um projecto unicamente vosso, um pouco como uma pequena grande missão. É um caminho cheio de perseverança, de frustrações, mas também cheio de satisfação à chegada do grande dia e da meta final. Para quem não quer seguir o tradicional ou o normal, ainda é difícil encontrar serviços que estejam preparados sem que os noivos rebentem o orçamento. Para quem quer fugir das habituais quintas e planear algo mais seu e personalizado, é preciso fazer algumas cedências. Mas com esforço e preserverança (e as tradições já não são totalmente o que eram), o mercado vai mudando todos os dias um bocadinho e casar já não é apenas o dia em que a noiva vai de branco.

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: feitos pela noiva Raquel;

local: Quinta da Boeira;

catering e bolo: Grandes Encontros Catering (o melhor bolo de noiva de todos os tempos!);

fato do noivo e acessórios: fato Ben Shermann, sapatos Ted Baker, laço Mrs. Bow Tie;

vestido de noiva e sapatos: vestido White One by Pronovias, sapatos Charlotte Mills e Converse All Star, acessórios de cabelo Britten Weddings e jóias de família;

maquilhagem: Bárbara Brandão;

cabelos: Vanessa Campos Hairstyle;

bouquet: Pinga Amor;

decoração: feita pelos noivos e família em coordenação com Ana Magalhães Queiroz e Sara Castro, da Quinta da Boeira;

ofertas aos convidados: abre caricas em forma de chave vintage com caixinha de cartão para rebuçados Bola de Neve e carimbo personalizado pelos noivos;

fotografia: Memories Fotografia;

vídeo: Vanessa&Ivo Handmade Films;

luzes, som e Dj: MusicBox Porto.