Created with Sketch.
Susana Pinto

Gi + Rui, uma história de amor

Hoje trazemos a história de amor da Gilda + Rui, de quem já mostrámos o emocionante video da Something Blue, há uns meses atrás.

As imagens bonitas são do Nuno Ferreira e esta festa foi uma verdadeira celebração do Amor, com letra maiúscula.

É indiferente por onde começam, seja pelo vídeo – se não o viram ainda, seja pelas imagens, mas ambos devem ser vistos, porque são feitos de mel!

Deliciem-se (e já agora, de caixa de Kleenex à mão, recomendo!)

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

No Verão de 2011, o Rui decidiu fazer-me uma surpresa e organizar a viagem dos nossos sonhos sem que eu soubesse de nada….

Planeou uma viagem a Itália, e foi no topo da cúpula da Catedral de Santa Maria del Fiore, após uma subida de 463 degraus, que me diz que não poderia encontrar melhor local para fazer o que verdadeiramente tinha planeado para aquela viagem… Tirou o anel que trazia guardado no bolso desde o primeiro dia, e pediu-me em casamento. Mágico!

 

 

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Um ano e meio antes, começámos a visitar algumas quintas em Viseu. Queríamos casar numa data especifica e portanto teríamos que nos apressar. Encontrámos uma quinta linda, a Quinta do Medronheiro. Pelo site não esperávamos encontrar um espaço tão bonito, mas quando lá entrámos apaixonámo-nos por cada recanto… Soubemos logo que era ali que queríamos ser felizes. Depois foi começar a procurar inspirações e planear tudo muito direitinho.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Sempre gostámos de estar entre amigos e festejar os momentos importantes. Adoramos festas e já tínhamos tido o privilégio de ajudar amigos próximos na organização do seu dia de sonho.

Por isso o nosso casamento foi pensado e executado por nós desde o inicio.

Quisemos criar um ambiente romântico e descontraído, capaz de expressar o que sentimos um pelo outro.  E nada melhor do que um “bosque encantado” para celebrar a nossa cerimónia.

Todas as peças seguiram essa ideia, desde o convite ao mais pequeno pormenor, inspiramo-nos na natureza e na elegância.

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Eu e o Rui somos designers e por isso não poderia ser de outra maneira. O DIY é um bocadinho de nós e esteve presente em todas as fases dos preparativos.

No dia do casamento, o Rui foi bem cedo para o bosque para preparar o nosso sonho. Ele sabia o quanto era importante para mim que tudo estivesse como tínhamos imaginado. Quando cheguei, aquele espaço refletia todo o carinho e amor que sentimos um pelo outro. Estava ali uma das melhores provas de amor…

 

 

 

 

Tiveste ajuda?
Contámos com amigos extraordinários que nos ajudaram desde o início dos preparativos ao último minuto do dia do nosso casamento.

Lembro com carinho (e alguma saudade) as noites animadas a finalizar convites, a encadernar programas,  a preparar as ofertas dos convidados, a dobrar os cones de pétalas, a minha irmã a pintar os bonecos para o topo do bolo…

Contámos ainda com o apoio de fornecedores fantásticos em quem confiamos a 100%, que deram o melhor de cada um num dia de muito calor.

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

Tudo era importante. Mas desde o inicio que queríamos que o nosso dia contasse uma história. Que fosse a nossa cara. Que pudéssemos expressar o nosso amor e que amigos e familiares o recordassem como um dia único.  E foi isso que aconteceu!

 

E secundário?

Tentámos não deixar nada para segundo plano.

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No catering e na quinta.

 

Onde gastaste menos? 

Por termos sido nós a fazer, nos materiais gráficos e na decoração.

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

O mais fácil foi sem duvida a escolha do sitio. Sabíamos o que queríamos e quando encontrámos o pequeno bosque da Quinta do Medronheiro foi amor à primeira vista.

 

O que foi mais difícil?

Conseguir que tudo estivesse como nós queríamos. Sermos em simultâneo organizadores, designers e noivos, tudo ao mesmo tempo não foi fácil. Mas conseguimos.

 

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

Um dos pormenores da decoração do copo de água.

Antes de chegar às mesas, os nossos amigos e familiares encontraram um tecto repleto de balões com as nossas fotografias desde pequeninos, e no verso das fotografias escrevemos algumas frases sobre o Amor.

A recolha das fotografias que eu e o Rui fizemos deu lugar a momentos únicos. Ao desfolhar os nossos álbuns de crianças partilhámos e recordámos histórias bem divertidas da nossa infância. Cada fotografia dava lugar a uma história ou uma brincadeira, recordar amigos de longa data e aventuras de infância foi um momento que não esqueceremos.

Para além disso, conseguimos manter em segredo dos nossos familiares até à entrada do salão. A expressão de surpresa na cara dos nossos pais e avós é algo maravilhoso que tanto o Nuno Ferreira  como a Something Blue conseguiram captar na perfeição. Foi um dos momentos mágicos que quisemos oferecer aos nossos convidados.

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

O casamento foi sem duvida a nossa cara. Fizemos algumas cedências pelo caminho mas ainda bem que as fizemos, foi uma forma de amadurecer as nossas ideias e focar no que realmente é importante.

 

Um pormenor especial?

O nosso ninho das alianças.

Reflete tudo o que quisemos para o nosso dia. A simplicidade da natureza com o romantismo do dia mais feliz das nossas vidas.

É uma peça que simboliza o nosso amor e que tem um cantinho especial em nossa casa.

(Só mais um…) O filme que o Rui me dedicou após o corte do bolo com alguns dos momentos mais importantes do nosso namoro e com os votos em versão alargada…  foi mais um momento único que não esquecerei.

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Casámos num dos dias mais quentes do ano. Se nos fosse permitido teríamos baixado a temperatura em alguns graus. Mas tal como o nosso amor, aquele dia viveu dos momentos perfeitos e imperfeitos. Só assim pudemos dar valor a tudo.

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Escolham as pessoas e as equipas certas, para que tudo corra como planeado e sem imprevistos.

Partilhem o vosso sonho com cada um dos fornecedores e nunca se esqueçam que este dia é único e que deve refletir a vossa história e a vossa identidade enquanto casal.

Elaborem também uma lista com as 5 coisas mais importantes que querem fazer durante o dia. Pode ajudar a não deixar escapar algum pormenor mais especial.

Mais importante de tudo: aproveitem cada bocadinho! O dia passa a correr e não há nada a fazer para atrasar o tempo, por isso vivam cada momento sem preocupações e sem stress.

 

 

 

 

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites, materiais gráficos, ofertas aos convidados e decoração: Makemyday * Portugal weddings

local, catering e bolo: Quinta do Medronheiro, Viseu

fato do noivo e acessórios: Marques Soares, Aveiro

vestido de noiva e sapatos: vestido Marylise, sapatos Sapataria Serra e Vale, Viseu, acessórios oferecidos pelo noivo uns meses antes

makeup: Dionisia Pereira (uma amiga com talento)

cabelos: Joana Silva, Irreverente Cabeleireiro & Estética, Aveiro

flores: Cravo e Canela, Viseu

fotografia: Nuno Ferreira Photography

video: Something Blue

luzes, som e Dj: Limites do Sonho, Dueto de cordas – Amar Cordas.

 

Marta Ramos

O mapa do amor e da amizade, por Something Blue

Todos os filmes Something Blue têm uma história para acrescentar à história contada em imagens. Neste caso, é a história da amizade de infância entre a Vanessa e a noiva, a norte-americana Jessica. Conhecem-se desde os oitos anos e muitas cartas foram trocadas, desde então, entre Portgal e os EUA. Quis o destino que viessem a ser a Vanessa e o Ivo a registar o belo e emotivo casamento da Jessica com o Rafael, brasileiro, sediado na Irlanda.

 

Neste mapa de saudades definiu-se que Portugal seria o ponto mais acolhedor para reunir familiares de diversas partes do mundo. Contam-nos a Vanessa e o Ivo: «O dia de sol e as famílias de todo o mundo (EUA, França, Brasil e mais!) fizeram a festa mais internacional das redondezas. Nós sabíamos que ia ser especial: a amizade que temos com os noivos, os discursos dos padrinhos, as damas de honra, os cavalheiros e um amor que suportou a distância entre os Estados Unidos da América e a Irlanda!»

 

 

Eu podia ter-vos avisado para terem os lencinhos à mão, mas não seria a mesma coisa… E não acham que o Português do Brasil tem o condão especial de falar-nos directamente ao coração?

Bem, pela parte que me toca, vou rever mais algumas vezes este filme tão cheio de palavras, tão cá ao meu gosto.

 

 

Susana Pinto

Sara + Filipe, um amor sereno

Hoje partilhamos uma festa cheia de uma doçura serena e bonita.

É o casamento da Sara+ Filipe, no belo cenário de Miranda do Douro, gentilmente fotografado pela dupla Momento Cativo.

Preparados para uma bela dose de imagens bonitas?

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

O pedido oficial foi junto ao rio Douro, em Sendim, num piquenique com os nossos pais e irmãs, o Filipe pôs a aliança num açucareiro bonito e queria que eu bebesse chá. Tinha o açúcar no carro e ia lá buscá-lo! Entretanto eu disse que não queria açúcar e fui atrás dele a dizer “Oh Filipe anda cá que eu não quero!”Ele vira-se para trás muito vermelho, a rir envergonhado com o jeitinho dele e diz “Deixa-me ir, volta lá para a mesa!”

Comecei-me a rir e percebi logo o que se ia passar, como é óbvio!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Começámos com mais ou menos um ano de antecedência, escolhemos a data (muito fácil), escolhemos o local do copo de água dentro das poucas opções disponíveis, e marcámos o local da cerimónia porque tínhamos medo que alguém nos roubasse a data e queríamos mesmo casar ali, naquele dia especifico. Tanta coisa e nem se casou mais ninguém naquela capela este ano! Também começámos logo à procura dos nossos fotógrafos e videógrafos para não nos escaparem aqueles de que gostávamos mais!

(Eu confesso…já andava a ver blogs e sites de casamentos antes de ser feito o pedido oficial, por isso eu comecei por aí! Mulheres!

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Pela vontade do Sr. Filipe tínhamos feito um encontro de músicos, mas depois de algumas conversas lá lhe conseguir dar a volta!

Agora falando a sério…Nós queríamos um ambiente descontraído em que os convidados nos conhecessem melhor enquanto casal e indivíduos, e que se envolvessem na nossa história sentindo um pouco do que nós sentimos um pelo o outro. Porque verdade seja dita os convidados ou conhecem a noiva ou conhecem o noivo, muito poucos conhecem os dois ou nos conhecessem juntos, o que é perfeitamente natural!

Para criar esse ambiente, começámos logo pelo convite onde escrevemos pequenos pormenores sobre nós, porque é pelo convite que se começa a festa!

O Filipe cantou e tocou a nossa música para a minha entrada na capela.

Para distribuir os convidados fizemos uma cronologia de cada um que depois se entrelaçava na nossa cronologia. Escolhemos os anos em que aconteceram coisas importantes na nossa vida pessoal e depois em comum. Nas mesas encontravam-se textos escritos na primeira pessoa sobre esses acontecimentos.

Fizemos um vídeo com os Something Blue para mostrar aos convidados.

Não tivemos medo de usar os microfones para falar com toda a gente.

Depois a decoração em tons de lavanda e roxo (é a nossa cor preferida) e muitas flores ajudaram a complementar todo o ambiente.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Nós os dois somos pessoas bastante criativas e de pôr as mãos na massa. Juntam uma arquitecta e um músico e é o que dá!

Acho que sinceramente nem fazia sentido de outra maneira, uma vez que éramos capazes de o fazer. O meu amor pelo design sempre foi imenso, satisfaz-me de uma maneira que a arquitectura não consegue e eu vi no nosso casamento um meio para mostrar todo esse amor no seu grande exponencial, pois um casamento envolve muitas áreas do design que eu adoro.

A minha cabeça estava sempre a trabalhar e acho que quanto mais tempo tivesse mais inventava, o que vale é que o Filipe sempre me apoiou e fez muitas coisas só para satisfazer muitas das minhas vontades porque sabia que era importante para mim. Os dois dias antes do casamento foram muito muito cansativos, desde pendurar bolas e luzes, fazer arranjos florais, pôr velas, fazer lacinhos e eu como sou maníaca, tive de por o dedo em tudo.

 

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Sim tivemos, nos dois dias antes do casamento, familiares e amigos ajudaram-nos a montar tudo o que tínhamos feito e preparado anteriormente. A mãe do Filipe também coseu os panos para os centros de mesa.  A minha mãe ajudou-me a tingir as velas e os tecidos para cobrir os fardos de palha que o meu tio arranjou e ainda tratou ela com ajuda da minha irmã e da minha prima, dos cones para o arroz.

 

O que era o mais importante para ti?

Tudo era importante.

 

 

 

 

 

E secundário?

Praticamente nada.

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No copo de água.

 

 

 

 

Onde gastaste menos?

Em muitos pormenores da decoração.

 

O que foi mais fácil?

Escolher a capela, o dia e casar-me com o Filipe.

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

Tudo o resto foi difícil na sua medida proporcional, porque não era bem o que pretendíamos, ou porque era caro, ou porque isto ou porque aquilo.

 

O que te deu mais prazer criar?

Acho que não consigo especificar só uma coisa, todas as coisas que queríamos complementaram-se entre si!

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Na sua essência conseguimos que fosse a nossa cara, o que não quer dizer que não fomos fazendo algumas cedências pelo caminho. Tínhamos preferido um casamento ao ar livre mas a logística era demasiado complicada e ia ficar mais dispendioso.

 

Um pormenor especial?

A mesa dos meus avós paternos e as caixas de madeira onde o meu avó materno guardava as ferramentas que o Filipe lixou e envernizou. E a nossa almofada as alianças, muito linda!

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?Estaria a mentir se dissesse que não mudava. Mudava algumas pantominices que na minha cabeça não estiveram tão bem mas isso sou eu e a minha cabeça.

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Se têm uma ideia definida do ambiente que querem, mantenham essa ideia até ao fim sem perderem a sua essência.

É normal muita gente dar opiniões mas mantenham a vossa e lembrem-se que às vezes também é importante ceder em algumas coisas.

 

Os nossos fornecedores:

local da cerimonia: Capela do Barrocal do Douro, Picote, Miranda do Douro

catering: Estalagem Santa Catarina, Miranda do Douro

vestido de noiva e sapatos: vestido Isabel Ribeiro, sapatos Vicenza, Eureka Shoes

fato do noivo e sapatos:   Saroni na Loja Amour Glamour, sapatos Cohibas

acessórios e jóias: Parfois, Bijou Brigitte e Ourivesaria Cardoso e Filhas

convites, material gráfico, decoração e almofada para as alianças: Hoje é Especial

bolo dos noivos: Pingo de Mel

flores e bouquet: Arco Iris Florista e Hoje é Especial

maquilhagem: SaraCangueiro Makeup

cabelo: Cabeleireira Isamar

fotografia: Momento Cativo

video: Something blue

música e animação: Banda Triângulo e Amigos 

 

Marta Ramos

Daqui para o Congo, um amor de filme Something Blue

A Sónia e o João vão ver este filme no Congo. É lá que estão a construir o seu projecto de vida, um projecto que começou há muito tempo atrás, quando se conheceram – mesmo que não tivessem tido disso noção imediatamente. É que a Sónia e o João foram feitos um para o outro e isso transparece neste belíssimo resumo do filme do seu casamento, rodado pela Something Blue em Setembro de 2013. O casamento foi cá, em Portugal, junto da família e dos amigos, e é cá que estão as saudades que este post vai inflamar. Ah, pois vai.

 

 

Contam-nos a Vanessa e o Ivo: “O casamento foi lindo, com as flores silvestres, o photobooth feito por uma amiga, os acessórios africanos. Até tiveram um jogo: o convidado que tivesse um sinal debaixo da cadeira podia levar o lindo arranjo floral que era o centro de mesa. Agora mostramos os melhores momentos daquele dia e esperamos provocar sorrisos e lágrimas lá longe no Congo.”

 

Lá e cá, Vanessa e Ivo, lá e cá.

 

Marta Ramos

2013 em imagens doces

O Luís Mateus, fotógrafo da Lounge, chamou-nos a atenção para as retrospectivas de 2013 que vários fotógrafos e videógrafos estavam a publicar nos seus blogues. O ano de 2013 foi, de facto, marcante para muitos, mas o Luís e a Marta têm, para além do rico portefólio, mais uma recordação preciosa: foi o ano em que deram o nó.

Convidamo-vos a espreitar as retrospectivas dos fornecedores seleccionados Simplesmente Branco que aderiram a esta iniciativa. E começamos pela Lounge Fotografia:

 

1-Lounge

 

A Cláudia Casal dividiu as suas memórias de 2013 da Hello Twiggs em dois posts: parte 1 e parte 2:

 

2-Twiggs

 

O João Almeida uniu-se à Pixel para apresentar os trabalhos do ano passado. O vídeo é excelente, claro, mas não deixem de ir ver também as fotos.

 

 

Para o Nuno Ferreira, recordar é a melhor forma de começar:

 

4-Nuno Ferreira

 

 

O Pedro Vilela percorre uns quilómetros consideráveis neste apanhado. E quem é que reconhece os noivos desta sua foto?

 

5-Pedro Vilela

 

 

No caso da Something Blue, claro, a recordação de 2013 é feita em movimento:

 

 

E, para terminar, aqueles que, deste lote, mais recentemente chegaram cá à nossa casa: The Framers.

 

theFramers

 

Têm aqui muito por onde se entreter. E há lá entretenimento melhor do que testemunhar a felicidade alheia através do talento alheio?

 

Susana Pinto

Sofia + Nuno, um amor feliz em Serralves

Hoje partilhamos o casamento da Sofia + Nuno, deliciosamente filmado pela talentosa dupla Something Blue. Foi no dia 14 de Setembro de 2013, na fantástica Casa de Serralves e foi o casamento de sonho numa casa de princesa como a Sofia sempre quis.
A Sofia e o Nuno conhecem-se desde sempre. Estudaram juntos desde crianças e o Nuno sempre gostou da Sofia. Cresceram, separaram-se e reencontraram-se na adolescência. Aí o amor envolveu-os, e 10 anos e um mês depois de o Nuno pedir a Sofia em namoro, em frente da Confeitaria Bonitos, no Porto, o Nuno voltou ao mesmo sítio e pediu-a em casamento.
Emigrados há três anos na Suíça, mostraram a vida e o amor que os une, aos convidados, através de uma bonita Love Story, produzida também pela Something Blue.

 

http://vimeo.com/81771511

 

A fazer deste dia uma bela festa, estiveram também outros fornecedores Simplesmente Branco! A pista de dança esteve a cargo do Luís Silva Santos, da LSS Produção de Eventos  e o catering da Silva Carvalho Catering.
Doce, doce!

 

Marta Ramos

Sorangel e Anuj, uma festa! Por Something Blue

Nós vemos muitos filmes de casamentos. São todos belíssimos, trabalhos cuidados e atentos de profissionais empenhados em contar uma história, em registar emoções, em preservar a verdade por entre a edição. Mas há filmes que me tocam mais do que outros e este é um deles. Vibro com os casamentos em que se percebe, nitidamente, que os convidados estão tão ou mais felizes do que os noivos, em que a alegria transborda, em que a festa, a dança, os risos são uma comunhão genuína.

 

Muitos parabéns à Something Blue por nos transmitir tudo isso no highlight que se segue.

 

 

Contam-nos a Vanessa e o Ivo: “A noiva, Sorangel, é venezuelana. Estudou em Aveiro e trabalhou nos Estados Unidos da América, onde conheceu o noivo, Anuj, indiano. A 27 de Julho de 2013, depois de um maravilhoso casamento indiano, a Sorangel e o Anuj deram largas à alegria e trouxeram a festa para o maravilhoso Curia Palace – Hotel, Spa e Golf, onde nos mostraram como é fácil misturar culturas diferentes.

Fomos emparelhados com o fotógrafo André Castanheira, da Arc Fotografia, e foi um prazer trabalhar com ele!”

 

E foi um prazer para nós ver este filme.