Created with Sketch.

Escolhi ser profissional de casamento porque...

... "simplesmente" aconteceu, um dia, encontrarmos o amor. E foi por esse amor, que encontrámos no papel e nas palavras a forma de o expressar e o partilhar. Olhando para as páginas que a nossa história já conta - como que uma lengalenga que nos deixa de sorriso no rosto - percebemos que os casamentos é que vieram um dia até nós, numa espécie de galanteio! Hoje, completamente enamoradas pelas "petites histoires" de cada novo amor, encanta-nos toda a magia que a preparação de um casamento permite viver. Entre muitos papéis sobre a mesa, rabiscam-se ideias que surgem de sonhos com um só propósito - criar o estacionário que define o carácter e a personalidade de duas pessoas que, enamoradas, desejam "simplesmente" amar e num só dia - o do casamento - expressar esse sentimento maravilhoso que é o amor!

Orgulho-me muito de...

... de sentir que o nosso coração sorri e palpita por cada nova história de amor que vem ao nosso encontro e com ela criamos matéria para dar forma ao "capítulo do sim"! Adoramos encontrar no papel a forma de dar expressão aos sentimentos dos "enamorados" e orgulhamo-nos muito de trabalhar cada peça, quase de forma artesanal, com imenso carinho. Orgulhamo-nos de observar as nossas mãos a dobrar tantas e tantas folhas de papel, a dar nós sem fim, a encontrar "ali naquele pedacinho" tanto amor...

Vou procurar inspiração...

... nas pessoas, nos olhares, nos sorrisos, nas suas pequenas histórias. Depois, quando saímos do nosso atelier, "branco", deixamo-nos inspirar pelas texturas, pelas cores, pelos sons, pelos cheiros, pelas paredes gastas pela história dos tempos e dos seus usos... Depois, deixamo-nos também inspirar pelos outros. Os outros que arriscam com novos moldes, parelhas e opostos. E depois, ainda, e sem fim, vamos buscar "a" inspiração "àquele amor" que nos bate sorrateiramente à porta do atelier, um tanto envergonhado, mas que semeia em nós a vontade de o contar com "palavras e papel".

Daqui a 5 anos vejo-me...

... a folhear muitas memórias. A olhar para muito papel. A desejar mais papel ainda e, sobretudo, a continuar a depositar no papel a expressão do amor.

Palavras com Papel

A Palavras com Papel começaram com a Neusa, a alma criativa, a sonhadora que, enquanto tiver papel em seu redor e as vossas histórias de amor para se inspirar, criará peças até onde a infinita imaginação a levar. Depois, chegou a Tânia, ‘terra a terra’, que adora meter as mãos à obra. Juntas criam convites e estacionários para momentos felizes. Com o intuito de fazer as pessoas sorrir. «Adoptámos um lema – Se nos encontrámos foi por amor – pois dedicamo-nos a criar para quem está enamorado. Se nos encontrarmos, um dia, de certeza que será por amor.»

Acompanhem os nossos posts acerca do trabalho da Palavras com Papel.

  • contacto: Neusa Silva dos Reis
  • morada: Rua Ana Maria Bastos, Ed. Fonte Nova, Lj. 15, 2560-306 Torres Vedras

Escolhi ser profissional de casamento porque...

... "simplesmente" aconteceu, um dia, encontrarmos o amor. E foi por esse amor, que encontrámos no papel e nas palavras a forma de o expressar e o partilhar. Olhando para as páginas que a nossa história já conta - como que uma lengalenga que nos deixa de sorriso no rosto - percebemos que os casamentos é que vieram um dia até nós, numa espécie de galanteio! Hoje, completamente enamoradas pelas "petites histoires" de cada novo amor, encanta-nos toda a magia que a preparação de um casamento permite viver. Entre muitos papéis sobre a mesa, rabiscam-se ideias que surgem de sonhos com um só propósito - criar o estacionário que define o carácter e a personalidade de duas pessoas que, enamoradas, desejam "simplesmente" amar e num só dia - o do casamento - expressar esse sentimento maravilhoso que é o amor!

Orgulho-me muito de...

... de sentir que o nosso coração sorri e palpita por cada nova história de amor que vem ao nosso encontro e com ela criamos matéria para dar forma ao "capítulo do sim"! Adoramos encontrar no papel a forma de dar expressão aos sentimentos dos "enamorados" e orgulhamo-nos muito de trabalhar cada peça, quase de forma artesanal, com imenso carinho. Orgulhamo-nos de observar as nossas mãos a dobrar tantas e tantas folhas de papel, a dar nós sem fim, a encontrar "ali naquele pedacinho" tanto amor...

Vou procurar inspiração...

... nas pessoas, nos olhares, nos sorrisos, nas suas pequenas histórias. Depois, quando saímos do nosso atelier, "branco", deixamo-nos inspirar pelas texturas, pelas cores, pelos sons, pelos cheiros, pelas paredes gastas pela história dos tempos e dos seus usos... Depois, deixamo-nos também inspirar pelos outros. Os outros que arriscam com novos moldes, parelhas e opostos. E depois, ainda, e sem fim, vamos buscar "a" inspiração "àquele amor" que nos bate sorrateiramente à porta do atelier, um tanto envergonhado, mas que semeia em nós a vontade de o contar com "palavras e papel".

Daqui a 5 anos vejo-me...

... a folhear muitas memórias. A olhar para muito papel. A desejar mais papel ainda e, sobretudo, a continuar a depositar no papel a expressão do amor.