Created with Sketch.

Escolhi ser profissional de casamento porque...

Mais que caras e expressões, interessa-me captar sentimentos e emoções. Amo criar imagens que contam histórias e os casamentos encaixam-se perfeitamente nessa abordagem que procuro para a minha fotografia. A minha fotografia é íntima e pessoal; gosto que ela tenha uma simplicidade poética e uma leveza natural. Dedico-me intensamente na procura da singularidade que cada ser humano me mostra e me dá o prazer de contar.

Orgulho-me muito de...

Do amor, dedicação e honestidade que ponho em tudo aquilo que faço. Vejo o meu trabalho como uma colaboração com os meus clientes, que rapidamente se tornam amigos. Não sou jornalista, e por isso não capto apenas o que ali está mas também o que sinto sobre aquilo que vejo. Nunca peço nada que não seja totalmente honesto. Apenas estou interessado em sorrisos reais, em expressões reais e principalmente em emoções verdadeiras. Os momentos que ficam eternizados nas fotografias de casamento são aqueles em que as pessoas “baixam a guarda” e ficam dispostos a mostrar toda a vulnerabilidade dos seus sentimentos.

Vou procurar inspiração...

Sou um apaixonado pela vida e pelas pessoas... muita da minha inspiração vem daquilo que vou vivendo e sentido nas minhas relações interpessoais. Além disso, com certeza que as viagens, os livros, a música e os filmes são outra grande fonte de inspiração. Obviamente também sigo e admiro muitos fotógrafos nacionais e internacionais (vários que se tornaram bons amigos pelos caminho). No entanto, apesar de ser fã dos seus trabalhos, tento sempre apenas apreciar e não procurar inspiração porque me importa salvaguardar a minha própria identidade. Da mesma forma que não existem pessoais iguais, acredito que não existem abordagens fotográficas iguais.

Daqui a 5 anos vejo-me...

Fotografar intensamente com o mesmo amor e dedicação de hoje.

Renato Ribeiro Photography

Renato Ribeiro é um portuense apaixonado pela vida e pelas pessoas. Sediado no Porto, desde 2012 que conta histórias de amor um pouco por todo o mundo. O seu trabalho é bastante cinematográfico e emocional: fascina-o explorar as conexões que as pessoas estabelecem umas com ao longo da vida. O que podem esperar das suas imagens é uma constante procura dos pequenos detalhes, da interacção de olhares e dos gestos mais ternos que acontecem em qualquer história de amor: «Acredito que as melhores imagens são as que contam momentos genuínos e isso apenas se alcança quando a nossa ligação é verdadeira». Talvez por isso não seja de admirar que os seus clientes rapidamente se tornem seus amigos.

Acompanhem os nossos posts acerca do trabalho de Renato Ribeiro Photography.

  • contacto: Renato Ribeiro
  • morada: Porto

Escolhi ser profissional de casamento porque...

Mais que caras e expressões, interessa-me captar sentimentos e emoções. Amo criar imagens que contam histórias e os casamentos encaixam-se perfeitamente nessa abordagem que procuro para a minha fotografia. A minha fotografia é íntima e pessoal; gosto que ela tenha uma simplicidade poética e uma leveza natural. Dedico-me intensamente na procura da singularidade que cada ser humano me mostra e me dá o prazer de contar.

Orgulho-me muito de...

Do amor, dedicação e honestidade que ponho em tudo aquilo que faço. Vejo o meu trabalho como uma colaboração com os meus clientes, que rapidamente se tornam amigos. Não sou jornalista, e por isso não capto apenas o que ali está mas também o que sinto sobre aquilo que vejo. Nunca peço nada que não seja totalmente honesto. Apenas estou interessado em sorrisos reais, em expressões reais e principalmente em emoções verdadeiras. Os momentos que ficam eternizados nas fotografias de casamento são aqueles em que as pessoas “baixam a guarda” e ficam dispostos a mostrar toda a vulnerabilidade dos seus sentimentos.

Vou procurar inspiração...

Sou um apaixonado pela vida e pelas pessoas... muita da minha inspiração vem daquilo que vou vivendo e sentido nas minhas relações interpessoais. Além disso, com certeza que as viagens, os livros, a música e os filmes são outra grande fonte de inspiração. Obviamente também sigo e admiro muitos fotógrafos nacionais e internacionais (vários que se tornaram bons amigos pelos caminho). No entanto, apesar de ser fã dos seus trabalhos, tento sempre apenas apreciar e não procurar inspiração porque me importa salvaguardar a minha própria identidade. Da mesma forma que não existem pessoais iguais, acredito que não existem abordagens fotográficas iguais.

Daqui a 5 anos vejo-me...

Fotografar intensamente com o mesmo amor e dedicação de hoje.