Created with Sketch.
Susana Pinto

A Pajarita – convites de casamento tem casa nova!

Deste lado, somos completamente fãs do trabalho bonito da Alexandra Barbosa, que faz convites de casamento e outros detalhes, sob o nome A Pajarita.

Conheço bem estas peças de papel artesanal, delicadíssimas, e já tive a oportunidade de visitar o estúdio da Alexandra, onde ficámos umas boas horas alegremente à conversa, entre gravuras, papéis e um chá quentinho.

Quando a Alexandra me contou que estava a trabalhar num novo site, a sua casa digital, fiquei muito entusiasmada e tenho estado pacientemente à espera dessa estreia.

Aconteceu ontem e o novíssimo site de A Pajarita está online para vos receber…

 

E que casa bonita, esta!

Luminosa, concisa, clara. Toda a informação que precisam, encontram-na lá: quem é a Alexandra Barbosa, os serviços que presta, o seu magnífico portefólio, bem seleccionado, publicações que contam um pouco de cada trabalho, feedback de clientes e contactos detalhados.

Este é um site bem feito e, sobretudo, bem pensado para vos receber. Está cheio de imagens bonitas, que são a assinatura de A Pajarita.

 

Passem por lá, deixem-se encantar com o trabalho da Alexandra Barbosa e não deixem de lhe dar os parabéns: esta nova casa foi feita para vos receber, sejam muito bem-vindos!

 

Convites de casamento A Pajarita Convites de casamento A Pajarita Convites de casamento A Pajarita Convites de casamento A Pajarita Convites de casamento A Pajarita Convites de casamento A Pajarita

Há umas semanas sentámo-nos à conversa com a Alexandra e falámos sobre o seu processo criativo, o seu percurso e o que a move para desenhar convites de casamento, impressos em papel artesanal e com uma forte inspiração nas técnicas artísticas de gravura, a área em que se formou e que tanto a apaixona. Não deixem de ler e de a conhecer melhor, vão gostar muito.

E para ver a amplitude da sua imaginação e capacidade criativa, nada melhor do que o casamento da Joana + Duarte, que partilhámos há dias: uma maravilha!  Há convites, cartões de agradecimento, pulseiras para as madrinhas, bouquet para a noiva, flor de lapela para o noivo e muitos detalhes gráficos aqui e acolá.

 

Os contactos detalhados de A Pajarita, estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem a Alexandra directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

O trabalho da Alexandra Barbosa não se fica pelos convites: das suas mãos sai tudo o que é papel e também belas flores: bouquets de noiva, flores de lapela e outras delicadas maravilhas.

Sigam tudo aqui!

Susana Pinto

À conversa com: A Pajarita, convites de casamento

Hoje sentamo-nos a conversar com a Alexandra Barbosa, que assina como A Pajarita, convites de casamento.

E que bonito e incrivelmente delicado é o trabalho da Alexandra! Já o vi ao vivo várias vezes e já visitei a Alexandra no seu belíssimo estúdio na Póvoa do Varzim: conversamos sempre sobre o seu trabalho de gravura e o nosso fascínio pelos papéis artesanais.

É sempre um prazer perceber as técnicas, processos e acabamentos destas peças tão singulares e femininas, de uma beleza discreta e intrigante.

Venham conhecer A Pajarita!

Acredito que cada casal é uma fórmula. Se pensarmos nas pessoas, não há duas iguais. Quando conheço um casal, conheço duas pessoas diferentes e é a soma deles que eu tenho de calcular para lhes puder apresentar uma fórmula que respeite quem são juntos. É nessa comunhão que nasce a fórmula que retrata o casal. Se não há duas pessoas iguais, não há duas somas iguais, logo não há duas fórmulas iguais.

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional, das artes plásticas para o universo dos casamentos. Foi um caminho natural ou uma situação específica que o apontou?

Sou artista plástica e especializei-me (mestrado) em obra gráfica (gravura) e produção artística.

Terminada a licenciatura, parti para Espanha onde estudei e trabalhei, e acabei por ficar por lá cinco anos. A minha vida profissional era partilhada pela docência e pelo desenvolvimento da minha investigação e trabalho artístico (e por consequência concursos, bienais e exposições).

Regresso a Portugal e começo a dar aulas e a criar peças personalizados num atelier: foi aí que conheci uma noiva, que acabei por ajudar, ao criar detalhes que ela idealizava e não tinha conseguido encontrar.

Esta experiência despertou algo em mim. A alegria dela foi contagiante, e desafio tinha sido estimulante. Como gosto de desafios e de fazer coisas sempre diferentes (a monotonia desconcerta-me!), a ideia foi amadurecendo e ganhando forma e, assim, “nasceu” A PAJARITA.

 

Há quanto tempo trabalha nesta área? E porquê este universo dos casamentos?

Desde Dezembro de 2014.

O universo dos casamentos, tal como eu o encaro, é estimulante, cheio de desafio e aventuras. Não é estático nem monótono. É algo contagiante e que me faz levantar de manhã cheia de energia e de vontade de trabalhar.

 

Estacionário de casamento criado por A Pajarita (9) Estacionário de casamento criado por A Pajarita (5) Estacionário de casamento criado por A Pajarita (3)

Como define o seu trabalho e como construiu essa assinatura?

É um trabalho feito de raiz, a medida de cada casal e tem como base a partilha. Tudo é pensado e desenhado com base no que os noivos partilham comigo: os seus gostos, expectativas, histórias, interesses, viagens…

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolheu para explorar e trabalhar este ano? Porquê?

É, sem dúvida, o ADN. O fascinante é começar do zero. O caminho estimulante do processo ao produto final. Se deixar de existir, A PAJARITA não tem fundamento, não tem razão para existir.

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

É sempre importante conhecer e debater as tendências, mas não serão um caminho a seguir se não se enquadram com a personalidade dos noivos dessa estação.

 

Boas-vindas ao Outono, por A Pajarita (26) Boas-vindas ao Outono, por A Pajarita (17) Boas-vindas ao Outono, por A Pajarita (22)

Ter o controle das decisões é importante? Tem uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como quer que o seu trabalho seja consumido ou é o prazer de discutir ideias, de criar, que lhe interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Tenho de controlar a qualidade da execução, sou perfecionista, cada detalhe conta. Os materias são fundamentais e gosto de ter o controlo dos materiais usados e a sua qualidade. O processo criativo em si é muito orgânico, e parte sempre das conversas que tenho com cada casal. É delas que vou extrair os pormenores, as subtilezas em que me vou basear para criar os protótipos que lhes irei apresentar posteriormente.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplica, ou cada convite, produto ou serviço é pensado totalmente de raiz?

Fórmulas vencedoras? Eu acredito que cada casal é uma fórmula. Se pensarmos nas pessoas, não há duas iguais. Quando conheço um casal, conheço duas pessoas diferentes e é a soma deles que eu tenho de calcular para lhes puder apresentar uma fórmula que respeite quem são juntos. É nessa comunhão que nasce a fórmula que retrata o casal. Se não há duas pessoas iguais, não há duas somas iguais, logo não há duas fórmulas iguais.

 

Onde busca inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Para além de me inspirar na singularidade e personalidade de cada casal, busco-a nas exposições, nos filmes, na moda…

 

Convites de casamento artesanais, feitos por A Pajarita

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?

Faço coisas simples, mergulhos nos livros, foco-me na minha família, perco-me nas risadas do Vasquinho e na tranquilidade do bebé Gustavo (os meus sobrinhos e afilhados), vou ouvir o mar, desenho casas (que é uma forma simplista de descrever o meu trabalho artístico).

 

Qual é a importância do convite de casamento (e respectivo conjunto de estacionário), na grande lista de itens e tarefas?

Normalmente é encarada como uma tarefa secundária, e, a meu ver, erradamente. É a primeira impressão do dia que estamos a preparar. O convite é a imagem do nosso dia, logo, a nossa. Daí trabalhamos para que o feedback do convidado seja sempre: “o convite é mesmo a tua/vossa cara”.

 

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Primeiro é necessário perceber se sou o fornecedor ideal. Se for, preciso de conversar com eles, perceber quem são, o que perspetivam. Seja pessoalmente, por videoconferência ou por email, quanto mais informações me derem, mais matéria prima tenho. Mostro exemplos, acabamentos, papéis para ir percebendo as preferências. As conversas costumam ser amenas e muito interessantes. Posteriormente, apresento-lhes um protótipo. Ele sofre o processo necessário de forma a responder às expectativas, e só depois passa para a produção.

 

Convite de casamento personalizado A Pajarita Convite para madrinha, por A Pajarita Bouquet de noiva rústico, por A Pajarita

Qual é a melhor parte de criar convites de casamento, ser o primeiro capítulo visível da história que leva ao grande dia? E o mais desafiante e difícil?

O melhor é não termos limites nem condicionantes estabelecidos pelo trabalho já desenvolvido e conhecermos pessoas novas. O que se torna desafiante, é o facto de se começar do zero, encontrar a imagem do casal sem usar recursos evidentes. O difícil, que é diferente de desafiante, a meu ver, é não ficar empolgado com os projetos e dizer aos noivos que a A PAJARITA não é o seu fornecedor ideal (acontece quando procuram convites padronizados).

 

Escolha o convite de que mais gosta no vosso portefólio, e conte-nos porquê:

É difícil escolher, mas os que mais me empolgam são os convites com intervenção manual, sem dúvida! O facto de cada um ser inevitavelmente diferente do outro, esse cunho pessoal e irrepetível desperta aquele brilhinho no meu olhar.

 

Os contactos detalhados de A Pajarita, estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem a Alexandra directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

O trabalho da Alexandra Barbosa não se fica pelos convites: das suas mãos sai tudo o que é papel e também belas flores: bouquet de noiva, flor de lapela, pulseira para as madrinhas e outras delicadas maravilhas. Sigam tudo aqui!

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

Marta Ramos

Palavras com Papel e flores, muitas flores

Se as flores são o vosso motivo preferido e querem que os vossos convites de casamento sejam verdadeiros jardins impressos, falem com a Palavras com Papel.

Tudo começou com a Neusa, a alma criativa, a sonhadora que, enquanto tiver papel em seu redor e as vossas histórias de amor para se inspirar, criará peças até onde a infinita imaginação a levar. Depois, chegou a Tânia, ‘terra a terra’, que adora meter as mãos à obra. Juntas criam convites e estacionários para momentos felizes. Com o intuito de fazer as pessoas sorrir. «Adoptámos um lema – Se nos encontrámos foi por amor – pois dedicamo-nos a criar para quem está enamorado. Se nos encontrarmos, um dia, de certeza que será por amor.»
Escolheram trabalhar na área dos casamentos porque encanta-as toda a magia que a preparação de um casamento permite viver. Entre muitos papéis sobre a mesa, rabiscam ideias que surgem de sonhos com um só propósito: «criar o estacionário que define o carácter e a personalidade de duas pessoas que, enamoradas, desejam simplesmente amar e num só dia – o do casamento – expressar esse sentimento maravilhoso que é o amor.»

 

Convites Palavras com PapelConvites Palavras com Papel Convites Palavras com Papel Convites Palavras com Papel Convites Palavras com PapelNeusa e Tânia ogulham-se muito de vibrar com cada nova história de amor que vai ao seu encontro; de trabalhar cada peça, quase de forma artesanal, com imenso carinho; de observar as suas mãos a dobrar tantas e tantas folhas de papel, a dar nós sem fim, «a encontrar “ali naquele pedacinho” tanto amor.»
Vão procurar inspiração nas pessoas, nos olhares, nos sorrisos, nas suas pequenas histórias. Depois, quando saem do atelier, deixam-se inspirar pelas texturas, pelas cores, pelos sons, pelos cheiros, pelas paredes gastas, pela história dos tempos e dos seus usos. E pelos outros.

 

Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado Palavras com Papel para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho. E falem com a Neusa: ela e a Tânia estão à vossa espera para se deixarem enamorar pela vossa história de amor.

Marta Ramos

Convite à aventura, com Palavras de Papel

As Palavras com Papel começaram com a Neusa, a alma criativa, a sonhadora que, enquanto tiver papel em seu redor e as vossas histórias de amor para se inspirar, criará peças até onde a infinita imaginação a levar. Depois, chegou a Tânia, ‘terra a terra’, que adora meter as mãos à obra. Juntas criam convites e estacionários para momentos felizes. Com o intuito de fazer as pessoas sorrir. «Adoptámos um lema – Se nos encontrámos foi por amor – pois dedicamo-nos a criar para quem está enamorado. Se nos encontrarmos, um dia, de certeza que será por amor.»

Foi por amor que se encontraram com a Joana e o Luca e que criaram uma identidade gráfica para o seu casamento com muito do casal e da sua história nas entrelinhas: ela, portuguesa, ele, italiano, uma história de amor sem fronteiras, como tantas que vos temos trazido ao longo dos tempos. E que bem que sabe, nesta época de férias, pensar em passaportes e malas de viagem, não sabe?

Convite de casamento, por Palavras com Papel

A Neusa e a Tânia escolheram trabalhar na área dos casamentos porque encanta-as toda a magia que a preparação de um casamento permite viver. Entre muitos papéis sobre a mesa, rabiscam ideias que surgem de sonhos com um só propósito: «criar o estacionário que define o carácter e a personalidade de duas pessoas que, enamoradas, desejam simplesmente amar e num só dia – o do casamento – expressar esse sentimento maravilhoso que é o amor.»
Orgulham-se muito de vibrar com cada nova história de amor que vai ao seu encontro; de trabalhar cada peça, quase de forma artesanal, com imenso carinho; de observar as suas mãos a dobrar tantas e tantas folhas de papel, a dar nós sem fim, «a encontrar “ali naquele pedacinho” tanto amor.»
Vão procurar inspiração nas pessoas, nos olhares, nos sorrisos, nas suas pequenas histórias. Depois, quando saem do atelier, deixam-se inspirar pelas texturas, pelas cores, pelos sons, pelos cheiros, pelas paredes gastas, pela história dos tempos e dos seus usos. E pelos outros.

 

Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado Palavras com Papel para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho. E falem com a Neusa: ela e a Tânia estão à vossa espera para se deixarem enamorar pela vossa história de amor.

Marta Ramos

Signed, sealed, delivered: por Molde Design Weddings

Hoje desvendamos mais um detalhe bonito e delicado da Molde Design Weddings, que consiste no modo como fecham o envelope dos vossos convites de casamento. Há sempre espaço para personalizar o vosso dia e tudo começa na forma como o comunicam àqueles que escolheram para o passarem convosco.

Lembram-se dos selos de lacre de antigamente? A Joana Duarte recupera essa tradição romântica e aplica-a aos convites que cria, dando-lhe inúmeros formatos. Podem ser corações, vieiras ou outros objectos que vos digam algo; podem ser selos de lacre com um sinete a imprimir-lhes uma imagem que queiram associar à vossa união; ou, tal como nos tempos das cartas escritas com pena e tinta, um lacre com sinete personalizado (com o vosso monograma, por exemplo). A imaginação é o limite. Vejam os exemplos que reunimos nas imagens abaixo e depois discutam as vossas ideias com a Joana, que terá todo o prazer em criar um selo à vossa imagem.

 

A Molde Design Weddings é, sobretudo, vossa conhecida por criar convites de casamento muito especiais. Elegantes, com a mistura perfeita entre design e sofisticação, são o resultado da flexibilidade e dedicação da Joana Duarte, que acredita em resultados únicos, dedicados, feitos à sua medida: “Basta que nos digam, nós fazemos o resto!”
Mas contem também com a criatividade desta marca para os livros de honra, peças decorativas, cake toppers, acessórios e muitas outras coisas que, sempre que surgem, nos surpreendem.
Não deixem de acompanhar os nossos posts acerca do trabalho Molde e falem com a Joana, que está à vossa espera para criar detalhes bonitos – a condizer convosco.

Marta Ramos

Palavras com Papel: uma combinação perfeita!

As Palavras com Papel começaram com a Neusa, a alma criativa, a sonhadora que, enquanto tiver papel em seu redor e as vossas histórias de amor para se inspirar, criará peças até onde a infinita imaginação a levar. Depois, chegou a Tânia, ‘terra a terra’, que adora meter as mãos à obra. Juntas criam convites e estacionários para momentos felizes. Com o intuito de fazer as pessoas sorrir. «Adoptámos um lema – Se nos encontrámos foi por amor – pois dedicamo-nos a criar para quem está enamorado. Se nos encontrarmos, um dia, de certeza que será por amor.»
Escolheram trabalhar na área dos casamentos porque encanta-as toda a magia que a preparação de um casamento permite viver. Entre muitos papéis sobre a mesa, rabiscam ideias que surgem de sonhos com um só propósito: «criar o estacionário que define o carácter e a personalidade de duas pessoas que, enamoradas, desejam simplesmente amar e num só dia – o do casamento – expressar esse sentimento maravilhoso que é o amor.»
Orgulham-se muito de vibrar com cada nova história de amor que vai ao seu encontro; de trabalhar cada peça, quase de forma artesanal, com imenso carinho; de observar as suas mãos a dobrar tantas e tantas folhas de papel, a dar nós sem fim, «a encontrar “ali naquele pedacinho” tanto amor.»
Vão procurar inspiração nas pessoas, nos olhares, nos sorrisos, nas suas pequenas histórias. Depois, quando saem do atelier, deixam-se inspirar pelas texturas, pelas cores, pelos sons, pelos cheiros, pelas paredes gastas, pela história dos tempos e dos seus usos. E pelos outros.

Quando olham o futuro, gostam de ver-se a folhear muitas memórias. A olhar para muito papel. A desejar mais papel ainda e, sobretudo, a continuar a depositar no papel a expressão do amor.

Palavras com papel - convites de casamento   Palavras com papel - convites de casamento Palavras com papel - convites de casamento Palavras com papel - convites de casamento Palavras com papel - convites de casamento Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado Palavras com Papel para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho. E falem com a Neusa: ela e a Tânia estão à vossa espera para se deixarem enamorar pela vossa história de amor.

Marta Ramos

Wise words: tudo sobre caligrafia, com Telmo Nunes

Na semana passada, as nossas wise words dedicaram-se aos votos de casamento. E em Janeiro falei-vos de convites de casamento. Dois bons assuntos para articular com esta preciosidade que vos trago hoje: a caligrafia de Telmo Nunes, que eleva esta arte de desenhar a escrita a um nível extraordinário: «Curiosamente, quando decidi entrar para o mundo da caligrafia a minha ideia era fazer convites de casamento. No entanto, o destino acabou por me apontar mais na direcção de eventos de luxo e habitualmente o que faço é escrever nomes ou moradas nos convites, e não desenhar o convite em si.»
Mas se quiserem um convite inteiramente caligrafado, é claro que é possível. Partindo do texto com todos os detalhes informativos, passa-se à escolha do estilo de letra. Tendo em conta que o tamanho mínimo aceitável para as letras minúsculas é de 3mm, as dimensões do convite não deverão ser inferiores a A5. Depois, discutem-se os elementos decorativos, os monogramas, mapas e outros, e com base em todos estes elementos Telmo Nunes cria um esboço para apresentar aos clientes.

São sempre convites com um aspecto clássico, com escrita essencialmente histórica, apesar de se poder fazer uma escrita mais moderna e contemporânea – mas nada que tenha a ver com as formas idiossincráticas da tipografia. As regras e os preceitos da caligrafia são algo que valorizo bastante.

Chegados ao formato final, o prazo ideal para produzir um convite seria uma semana: «Eu gostava de poder dizer que consigo ter prazos alargados para trabalhar com calma e tranquilidade, mas em geral 90% do que faço é com urgência, o que às vezes é extremamente stressante. Existe quase como que um ritual para começar a escrever, é preciso preparar a tinta, preparar a folha, o aparo, pensar como o texto vai ficar na folha, onde é que as linhas vão terminar no papel; temos de pensar qual a dimensão da letra, fazer a grelha onde toda a escrita vai assentar; a escrita em si é lenta, todas as letras têm de bater nas linhas para todas terem a mesma altura.» Já se falarmos em escrever as moradas nos envelopes, 200 moradas deveriam poder demorar três semanas a ser escritas. Não é que Telmo não o tenha já feito, e muito bem feito, em bastante menos tempo. Mas fica toda a gente a ganhar se houver espaço para respirar.
E quanto a valores? Quanto pode custar um trabalho destes e como é feito um orçamento, perguntam vocês? É impeditivo?
Não, de todo. «Após alguns anos a trabalhar unicamente com caligrafia e com uma grande ajuda do meu mentor, que é um dos melhores mestres calígrafos do mundo e me tem ensinado tudo o que existe para saber sobre caligrafia, já sei que a melhor forma de calcular qualquer orçamento para qualquer trabalho é o tempo. Eu sei que demoro X horas para produzir X trabalho é com base nisso que faço os orçamentos.»
Então, para terem uma ideia concreta, um convite caligrafado pode custar qualquer coisa desde 105€, dependendo do grau de complexidade da encomenda (decoração, monograma, cartão de confirmação, etc). Se a impressão ficar também a cargo de Telmo Nunes, esse valor é diluído pela quantidade de impressões e há todo um novo conjunto de factores a determinar o preço final do conjunto, como sendo o tipo de papel, se a impressão é digital ou letterpress, se querem usar um fio ou apenas tinta, entre outros. Contas feitas, na realidade, o valor não difere muito de um convite escrito em tipografia. E há um projecto em curso, em parceria com a Inpressed, para a criação de alguns modelos de convites caligrafados em catálogo, o que reduzirá, claro, os preços.

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Depois há todo um mundo de suportes em que poderão utilizar o trabalho de Telmo Nunes: «Não só no caso dos monogramas, mas também com os convites ou qualquer outra coisa que a pessoa tenha em mente, caso queira imprimir ou fazer uma gravação a laser, o cliente recebe um ficheiro preparado e que pode ser aplicado em qualquer lado – aqui o limite é mesmo a imaginação. No caso do monograma que fiz para o meu casamento, gerou as medalhas em prata e o alfinete de lapela que foram gravados a laser. Foi uma ideia que surgiu já em cima da hora pela nossa amiga joalheira Sofia Trejeira, que tratou da produção destas peças. Deram umas prendas de casamento fantásticas que toda a gente adorou e ainda hoje vejo as pessoas a usá-las. O preço para uma prenda destas anda na casa dos 12€ a unidade, já incluindo o design do monograma. No caso das alianças, tanto o nome como a data foram escritas e gravadas a laser no interior, uma opção também interessante para os leitores do Simplesmente Branco.»
No fundo, o seu trabalho é uma missão: «Foram precisos mais de 2500 anos de desenvolvimento do nosso alfabeto para conseguirmos ter algo que realmente apela aos nossos sentidos e que tantas vezes negligenciamos. Portugal já não tinha um calígrafo há mais de 100 anos que honrasse todas as técnicas e preceitos da escrita histórica. Eu trabalho todos os dias para honrar essa história e deixar a minha marca no nosso país. Existem algumas coisas que gostava de fazer mais, ou com mais frequência, como certificados de casamento, os votos dos noivos, pedidos de casamento, árvores genealógicas… pode-se fazer tanta coisa com esta arte que era capaz de passar o dia a enunciar possibilidades. No fundo as que mencionei agora são aquelas que dão mais gozo produzir e que têm um impacto maior nas pessoas. Não precisam ser peças muito complexas, como o meu certificado de casamento, mas uma coisa simples fica lindíssimo e perdura uma vida inteira.»
Podem contactar o Telmo Nunes através do número 910 329 893 ou através do e-mail.E acompanhem-no também no Facebook e no Instagram, onde vão sendo publicadas as pequenas maravilhas que ele vai produzindo.
Sobram dúvidas? Falem connosco, têm a caixa dos comentários inteiramente à vossa disposição. E não deixem de acompanhar todos os artigos de wise words que vamos publicando, sempre à segunda-feira.