Created with Sketch.
Susana Pinto

Como entregar os convites de casamento, por A Pajarita

Continuamos a partilhar o série “Preparar o caminho descomplicando-o“, criada pela Alexandra Barbosa, de A Pajarita, e publicada no seu site todas as semanas.

 

Hoje a Alexandra Barbosa fala-nos sobre como entregar os convites de casamento, que tem mais especificidades e desafios do que possa parecer!

 

O sim foi dito, o dia está marcado e estão em pulgas porque os vossos convites bonitos acabaram de chegar.  Ansiosos por ver a reacção dos vossos convidados, vamos planear a sua entrega.

Peguem na vossa lista de convidados, a partir da qual fizeram as vossas contas e encomenda, e vamos lá.

 

A tradição manda entregar os convites de casamento em mão. Temos oportunidade de rever as pessoas, ver as suas caras ao abrir os envelopes e receber aquele primeiro abraço entusiasmado.

Mas com uma lista grande de convites para entregar (umas boas dezenas), convém ter um plano eficaz.

Se a entrega é manual, façam uma lista por ordem de distribuição, até para organizarem o vosso tempo livre com combinações que se calhar incluem almoços de família e deslocações. Se a vossa família é muito tradicional, os pais de ambos deverão ser os primeiros a receber os convites, seguindo-se os familiares mais próximos e assim, sucessivamente, até ao convidado mais formal.

Se a vossa família é mais descontraída e informal, dividir a lista de convidados por áreas geográficas ou de residência é a melhor opção.

 

como endereçar os convites de casamento como fechar os convites de casamento

A entrega não precisa de ser individualizada:  podem ir de casa em casa ou organizar um jantar de família e de amigos, entregando os convites aos diferentes convidados, em simultâneo, o que vos simplifica a logística. Dependendo do número de convidados, esta tarefa pode ser mais ou menos longa e a ideia de um almoço ou jantar é óptima para grupos muito grandes.

Ir de casa em casa irá ocupar-vos alguns fins-de-semana, por isso é importante gerir o tempo livre e planear um roteiro generoso. Avisem os vossos convidados que os irão visitar, para serem esperados e não fazerem uma deslocação em vão. Gentilmente, expliquem que estão a fazer a entrega dos convites de casamento e, por isso, a visita é mais curta do que desejariam. Eles vão compreender e adorar a consideração do gesto.

 

Muitos casais confidenciam-me, sobretudo os que planeiam uma festa com muitos convidados, que é uma tarefa menos prazerosa, com muitas deslocações e intermináveis fins-de-semana dedicados às entregas. Não se trata de não gostar de visitar a família e os amigos, mas esta é uma fase em que o tempo livre é escasso e há inúmeras tarefas, solicitações e decisões, muitos nervos, enquanto a vida pessoal e profissional continuam a acontecer.

Se não têm muita disponibilidade ou trabalham ao fim-de-semana, podem optar por enviar os vossos convites por correio.

Pode ser apenas para os familiares e amigos que estão longe ou para todos os convidados. Neste cenário, não se esqueçam de contemplar os custos de envio no vosso orçamento.
O valor dos portes irá variar pouco consoante as vossas escolhas: peso, dimensões do envelope do convite e serviço de envio.

 

A normalização

Se decidirem entregar os convites de casamento atraavés dos CTT, devem ter em conta algumas caractristicas para evitar escolhas que pesem demasiado no vosso orçamento. O ideal é que tenham tomado esta decisão antecipadamente e a tenham partilhado com o vosso designer de convites.

Há essencialmente dois factores que fazem diferença: a cor e o formato do envelope. E como em tudo, a normalização é sempre mais barata do que a singularidade.

 

O envio de um envelope em papel branco ou de cor pálida e sem brilho é mais barato do que um envelope escuro, translúcido ou com cores fortes.

Os  tamanhos normalizados mais recomendados são o DL (11x22cm), o DP (12×17,6cm) e o C5 (16,2×22,9cm). Se o vosso envelope bonito foge destas dimensões, considerem colocá-lo num segundo envelope, normalíssimo. Assim garantem também que chegará limpo, sem marcas,  impecável e protegido, além de que acabam por gastar menos (os envelopes normalizados são processados automaticamente, enquanto que os não normalizados são processados manualmente). No site dos CTT encontram as várias opções de normalização.

 

envelopes para convites de casamento

O fecho do envelope

Como dissemos acima, a opção de usar um segundo envelope é uma óptima solução para proteger o convite original. Isto faz sentido, sobretudo quando há papéis mais sensíveis, acabamentos delicados e com requinte, ou volume. Ao investirem num fecho de envelope bem bonito, como o lacre, flores secas ou um laço de fita, vão querer que o vosso convite chegue aos seus destinatários tal como saiu das vossas mãos. Neste caso, aconselho que enviem o convite com um segundo envelope ou numa caixinha para evitar que se danifique.

 

Endereçar o convite

Os envelopes podem ser endereçados manualmente, impressos com o mesmo tipo de letra do convite (tenham em atenção a sua legibilidade, não o queremos devolvido!) ou etiquetados.
se este trabalho é feito por vocês, peçam ao vosso fornecedor uma pequena reserva (mais ou menos uma dezena) de envelopes a mais, para os acidentes que possam acontecer.

Nunca se esqueçam de colocar a vossa morada no remetente (por causa das devoluções) e certifiquem-se de que todas as moradas dos destinatários estão actualizadas, correctamente escritas e com o código postal completo. É uma trabalheira, mas com tanto mimo depositado neste singelo objecto que conta o início da vossa história, queremos garantir o sucesso total!

 

Usar selos personalizados

Num envelope tão bonito, ou que contenha um convite tão delicado, não vamos querer usar aqueles selos brancos que saiem da máquina ao balcão, onde a única coisa que se vê é o valor, certo?

Podem explorar os catálogos de selos e escolher uma das coleções, que combine até com as cores que estão a usar, ou um tema que tenha a ver convosco (os Correios Portugueses têm selos absolutamente lindos, muitos deles de artistas, designers e fotógrafos).

Mas se forem fãs da personalização, saibam que podem optar por personalizar os vossos selos e, assim, combinar toda a vossa linha gráfica.

 

como entegar os convites de casamento

O prazo de entrega

Ao entregar os convites de casamento, tenham em atenção o modo como o vão fazer e o tempo que vão demorar neste processo (um mês tem quatro fins-de-semana, o que dá, por exemplo, para 100 convidados, um compromisso de entrega de 25 exemplares de cada vez… já estão a ver o cenário, certo?)

Os convites devem ser entregues com seis meses de antecedência, no entanto, se têm familiares que viajam de longe, alarguem este prazo para um ano. Lembrem-se que esses convidados vão precisar de tempo para procurar voos, alojamento e marcar férias para esta ocasião, a antecedência será uma grande ajuda, e a mesma lógica aplica-se aos noivos que queiram casar for a da sua região ou no estrangeiro.

Com a entrega feita, em mão ou à distância, vão absorver as reacções dos vossos convidados e acredito que ficarão de coração cheio a aguardar as confirmações.

 

As confirmações

As resposta são muito ansiadas, e muitos familiares até as tomam como garantidas.

Para evitar equívocos e facilitar o vosso planeamento (têm de confirmar os números com o espaço, o serviço de catering, a decoração e passar a lista final ao vosso designer de estacionário), um mês antes da data do vosso dia tão desejado, entrem em contacto com todos os convidados que não deram uma resposta clara.

 

Não se sintam constrangidos com esta acção, façam um telefonema simpático e confirmem se os vossos convidados receberam o convite (caso o tenham enviado por correio) e se vos darão o prazer de estarem presentes no grande dia. A falta de resposta não é sinónimo de falta de interesse, não fiquem desconcertados.

Há sempre quem se tenha distraído com o tempo da resposta, quem só se consiga organizar e tomar uma decisão mais próximo da data ou quem tenha algum constrangimento, não possa ir e não saiba como vos dar a notícia.

 

Este post foi originalmente publicado em A Pajarita.

Susana Pinto

Something Borrowed – organização de casamentos: nova galeria!

Estas semanas têm sido de primavera também por aqui: chegaram-nos inúmeras galerias novas!

Hoje damos destaque às imagens do trabalho mais recente da Something Borrowed, que faz organização de casamentos nacionais e internacionais.

 

A Teresa Perdigão e a sua equipa sabem que, na altura de festejar um momento especial, nenhum detalhe pode ser deixado ao acaso. Têm para vos “emprestar” a sua dedicação, criatividade e know-how; e estão prontíssimas para vos ajudar a criar um dia onde cada detalhe é pensado à vossa medida. Do convite ao menu, do espaço à decoração, da animação às memórias captadas numa só imagem, garantem que tudo esteja, no mínimo… perfeito!

 

Organização de casamentos em Lisboa, com Something Borrowed Organização de casamentos em Lisboa, com Something Borrowed Organização de casamentos em Lisboa, com Something Borrowed Organização de casamentos em Lisboa, com Something Borrowed Organização de casamentos em Lisboa, com Something Borrowed

A Teresa Perdigão quis ser profissional de casamento porque, juntamente com a sua equipa, adora ajudar a escrever um capítulo da história dos casais com quem se cruza. Quiseram, desde o início, emprestar um pouco da sua natureza, do seu romantismo e ideias, da sua capacidade de organização e daquilo que adoram fazer, ao processo de organização do casamento.

 

Ouvir é o segredo do seu sucesso: é certo que falam pelos cotovelos, e quando se entusiasmam num brainstorming criativo, é um desafio travar as ideias… Mas gostam sobretudo de ouvir: as vossas ideias, os sonhos que contam, o que vos deixa ansiosos e como podem tornar esta vossa viagem mais tranquila.

A inspiração da Something Borrowed surge aqui e ali. Em revistas, nas horas a fio passadas em blogs e no Instagram. A Teresa Perdigão confessa que tem uma ligeira obsessão pelo Pinterest (como eu a compreendo!) e acompanha quem faz bonito, quem faz bem.

 

Passem pela refrescada ficha de fornecedor da Something Borrowed, espreitem o portefólio e entrem em contacto com a Teresa Perdigão, através do formulário, que vos vai ajudar a navegar estes tempos e a pensar no mais bonito casamento de outono ou inverno!

Susana Pinto

À conversa com: Sílvia Pontes – encadernação personalizada

Hoje conversamos com a doce Sílvia Pontes, que cria, manualmente, bonitos livros de honra, álbuns fotográficos e outras espécies de guardiões de memórias.

 

Eu e a Sílvia conhecemo-nos há mais de dez anos (pelo menos!), através de uma cliente comum. Eu fiz-lhe os convites, a Sílvia, o livro de honra. Na altura, para que o trabalho ficasse perfeito e a pedido da nossa noiva, pusemo-nos em contacto. Eu enviei-lhe a ilustração do convite e mais algumas indicações sobre a fonte e as cores usadas, e a Sílvia criou de raiz um livro de honra lindo, incorporando esses elementos no seu trabalho. A cliente ficou deliciada.

 

Criámos uma ligação imediata: partilhamos uma ética de trabalho e forma de estar, temos cabeças parecidas e um imenso respeito e admiração pelo trabalho de cada uma. Ver o caminho feito e os passos certeiros, tanto em termos de gestão de negócio como no design de novos produtos e linhas, tem sido muito entusiasmante, e é um prazer imenso receber a Sílvia no nosso showcase anual: é garantido que trará peças novas incrivelmente bonitas e que fez o seu trabalho de casa de forma muito profissional, com muitos visitantes à espera para conversar, marcar reuniões e ver de perto o seu trabalho único.

 

O tempo é sempre pouco para pormos a conversa em dia: quando vou de visita a Guimarães, ao seu atelier, é como se entrasse num mundo mágico. Sob a luz bonita que entra pelas janelas, no meio das aparas de papel, há um gato felpudo que dorme numa das longas mesas de trabalho. Puxo de uma cadeira e a Sílvia mostra-me o que planeou para vocês este ano, os novos formatos, os texteis e papeis, as cores. Tudo sempre incrivelmente bem feito, pronto a receber as mais bonitas memórias.

 

Álbuns fotográficos personalizados por Sílvia POntes - Encadernação Personalizada

Experimentaste várias áreas antes de chegar ao que fazes hoje. De onde vem esta tua paixão pela manufactura e detalhe?

Experienciei muitas coisas, mas nenhuma em contacto directo com esta área. Surgiu do somatório de percurso, venho de uma linhagem de artesãos, do saber fazer e isso dá-nos vantagem.

Passei grande parte da infância com a minha avó, uma excelente costureira. Aprendi a paciência e a perícia. Marcar os tecidos, cortar pelas linhas de contorno, depois cosê-los à mão, leva tempo… Eu ficava com as “xitinhas”, as sobras da obra dos clientes que aproveitava para fazer os vestidos das minhas bonecas.

A primeira aventura séria aconteceu por volta dos 11 anos, quando entrei para o Conservatório de Piano. Trabalhei a sensibilidade, delicadeza e dureza dos dedos e mãos, como assim o próprio piano o exige.

Como gostava muito de desenho livre e era criativa, aos 17, os meus pais incentivaram a inscrever-me na Escola Profissional Academia de Moda – Artes e Técnicas, do Porto. Muita da bagagem que uso hoje é resultado dessa experiência. Ainda não existiam computadores nas escolas, todas as ilustrações, planificações, portefólios eram feitos manualmente, muitas vezes com recortes, colagens e letras de decalque. Não tinha acesso a grandes formatos de materiais para fazer as capas de dossiers, portanto o desafio colocava-me à prova.

Mais tarde fiz formação em desenho técnico e tive oportunidade de viver o dia-a-dia em gabinetes de arquitectura. Desenvolvi o rigor, a perfeição.
Depois de saltear várias experiências, senti que seria mais feliz se fosse dona do meu próprio tempo, juntei todos os ingredientes que tinha até então e segui em frente, sem medo. Tudo que sei e disponibilizo hoje como serviço, aprendi-o com o apoio de livros e muitas horas com as mãos na massa. O álbum de casamento dos meus pais serviu de cobaia e foi desfeito para analisar o processo. Há uns tempos, comprometi-me e ofereci-lhes um novo e a dívida foi saldada!

 

Álbuns fotográficos personalizados por Sílvia POntes - Encadernação Personalizada Álbuns fotográficos personalizados por Sílvia POntes - Encadernação Personalizada

O teu trabalho é, essencialmente manual. Como é que esse compasso lento convive com a velocidade e imediatismo do mundo digital? Um serve o outro ou chocam de frente?

Assim como o próprio trabalho, educar o público nesse sentido levou tempo. Remei contra a maré muitas vezes e ainda não é tudo um mar de rosas, mas felizmente existem seres humanos que se identificam com esta forma de estar e de fazer. São clientes com gostos específicos que valorizam a qualidade, a essência e a forma tradicional como ainda se fazem estas coisas nos dias de hoje. Cada pormenor tem um traço pessoal e isso torna as peças únicas e especiais para quem idealizou cada detalhe por medida. O processo é lento e aprimorado e, para essas pessoas, são objectos como pedras preciosas. Para mim, é um prazer servir esses desejos.

Hoje, em geral sinto que existe  respeito e um grande carinho para comigo. É um público simpático, compreensível e aguarda pacientemente. É bom sentir que temos esta liberdade para dar mais e melhor.

 

As tendências – como a cor Pantone do ano, por exemplo – têm influência no teu trabalho ou a sua existência é intemporal e exclusiva da tua cabeça?

Às vezes influencia, mas damos a volta da melhor forma que nos é possível. Como se utilizam bastante fitas de cetim, tentamos encontrar a tonalidade mais aproximada para que se inclua um pormenor e é o suficiente. Às vezes imprimimos as guardas dos livros e dos álbuns, e aí utilizamos o pantone desejado. Noutras situações, as cores dos tecidos são intemporais e então é fácil ultrapassar as tendências.

 

Conta-me como é o teu dia de trabalho…

Os bastidores são um autêntico jogo de cintura. Atender os pedidos que vão chegando e conciliar atendimento ao cliente,  criação, produção, timings de entrega, etc., exige uma logística complexa, mas não transparece para fora quanto realmente o é. Dedicação extrema e disciplina a todos os níveis para ter sucesso é o ponto chave, e isso é contínuo. Existem dias previsíveis e outros que nos pregam algumas surpresas e podem ser boas ou menos boas, mas fazem sempre parte do ofício e da evolução. Diariamente tenta-se ao máximo seguir todos os requisitos e garantir que cada encomenda vai ter o tempo dedicado que merece.

 

Álbuns fotográficos personalizados por Sílvia POntes - Encadernação Personalizada

De tudo o que fazes, de que é que gostas mais? E o que é mais desafiante e difícil?

Adoro quando tenho tempo extra (o que não tem sido fácil!) para pôr ideias em prática e fazer experiências com novos materiais. Adoro um bom desafio e quando há oportunidade de sair do padrão. Claro que nem todos os dias é possível ter bons desafios, porque sigo formatos de modo a simplificar ambas as partes (a maior fatia de encomendas surge à distância) e ter um bom fluxo de funcionamento, mas quando há essa possibilidade, abraço-a com grande prazer. Dá-nos orientação e combustível para continuar.

O mais difícil é conciliar tudo que já aprendemos, com toda a evolução e mudança constante a nível global. Acompanhar a informação, digerir e tentar melhorar a cada dia, se queremos manter-nos dentro da carruagem. Estar em equilíbrio com todas as adversidades que se cruzam connosco e ter a capacidade de nos ajustarmos constantemente.

 

Onde vais buscar inspiração?

A Internet é um universo ilimitado onde nos podemos mover livremente entre ideias, mas acima disso, sigo sempre a minha essência e tento ser fiel ao traço pessoal. Às vezes sai de forma espontânea. À parte da área profissional, sempre que possível, gosto de procurar e de me pôr a par de outras áreas para alargar horizontes e trazer outros ingredientes. Relaxar na natureza é também um fluir de ideias luminosas.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescas a mente e o olhar?

Quando acontece, a melhor forma de refrescar é fazer a mala, fechar a porta por uns dias e dar uma volta por lugares desconhecidos. Quanto mais longe melhor!
Em casos extremos, só me curo em contacto profundo com a natureza. Adoro pequenos refúgios onde me permito desligar de todo o ruído mental. É o melhor revigorante e energizante. Quando regresso, venho com ideias a fervilhar e volto a arregaçar mangas e a bulir.

 

Álbuns fotográficos personalizados por Sílvia POntes - Encadernação Personalizada Álbuns fotográficos personalizados por Sílvia POntes - Encadernação Personalizada

Estás instalada num hub criativo e o teu atelier é um espaço maravilhoso, à tua imagem. Essa mudança teve impacto no teu quotidiano de trabalho, nos teus produtos e serviços?

É um espaço magnífico! A luz natural e a paz que se sente é incrível e são factores cruciais para o workflow de qualquer criativo. Há liberdade de movimentos e espaço para crescer. Deu-me impulso, mais visibilidade e transmite uma imagem profissional e mais credibilidade.

 

Os teus álbuns guardam de modo físico as memorias do mais bonito dos dias, atravessarão gerações. Pensas nisso alguma vez?

Muitas vezes.

Há alegria e amor nessas memórias. Tudo passa pelas minhas mãos e é algo que se sente ser especial para aquelas pessoas, mesmo à distância. É o meu contributo para tornar o momento ainda mais feliz e isso dá um grande alento.

 

Como guardas as tuas fotografias? Confirma-se o ditado, “em casa de ferreiro, espeto de pau”?

Bela pergunta! Acho que conseguem adivinhar a resposta. Não sou diferente do que diz o ditado, mas estou a tentar fazer progressos!

 

O trabalho impecável da Sílvia Pontes – encadernação personalizada pode ser visto com detalhe na galeria da sua ficha de fornecedor. Para além das imagens bonitas, podem contactá-la directamente, através do nosso formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão resposta atenciosa da Sílvia Pontes.

Save

Save

Save

Susana Pinto

Lugar – Eventos e coisas mais: nova galeria!

Damos as boas-vindas à primavera que já sabe a verão, abrindo as portas do Lugar – Eventos e Coisas Mais, em Ponte de Lima.

 

Neste espaço magnífico, as simpáticas anfitriãs Maria João e Rita Novo irão receber-vos com estas palavras para lá de bonitas, que são um verdadeiro cartão de visita!

 

“Eis-vos chegados a este LUGAR, que é mais do que um espaço para casamentos: é  um dia feliz, um sorriso no rosto, uma memória que não se pode repetir.
Na Casa Grande de Fontão, um solar do Minho com cantos e recantos especiais, prometemos materializar os vossos sonhos em cenários reais e inesquecíveis.
Em troca, esperamos presenciar as vossas histórias de amor e amizade, lágrimas de alegria e muitos felizes para sempre.
Assim o imaginamos: um LUGAR cheio, para eventos e outras coisas mais. Um lugar de partilha e de sentimentos.
Que este nosso LUGAR se torne o vosso também.”

 

Acabámos de receber a nova galeria deste espaço: a ficha de fornecedor está recheada de imagens de belas decorações de mesa e de ambiente. Os detalhes são delicados, românticos e de uma elegância quase minimalista, muito feminina. Tenho a certeza de que vão adorar! Eu tenho grandes expectativas sobre o trabalho que esta dupla irá fazer, na sua assinatura criativa há uma sensibilidade muito especial e elegante, que me deixa sempre a sorrir – e é disso que são feitos os sonhos do mais bonito dos dias!

 

Espaço para casamentos em Ponte de Lima - Lugar Eventos e Coisas Mais Espaço para casamentos em Ponte de Lima - Lugar Eventos e Coisas Mais Espaço para casamentos em Ponte de Lima - Lugar Eventos e Coisas Mais Espaço para casamentos em Ponte de Lima - Lugar Eventos e Coisas Mais

A Maria João e a Rita decidiram trabalhar no mercado de casamentos porque, para elas, celebrar o amor é simultaneamente leve e profundo. Adoram a delicadeza e importância destes momentos e ter a oportunidade de traduzir isso em formas, cores, texturas e aromas, é algo que as deixa muito felizes.

 

Orgulham-se de colocar amor e dedicação em tudo o que fazem, como é bem visível nas imagens que vos mostramos aqui, e vão procurar inspiração aos detalhes que lhes captam a atenção e enchem de emoções. Todos os dias irão continuar a receber-vos, a celebrar convosco, a criar memórias. Hoje e sempre com o compromisso de vos dar o melhor.

 

Contactem o Lugar – eventos e coisas mais, através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias e entrem em contacto com a Rita Novo, directamente através do formulário, para marcar uma visita: é só preencher com os vossos dados e mensagem e, na volta do correio, terão uma resposta simpática.

Susana Pinto

Wedwings Wedding Planning: nova galeria

A Wedwings actualizou as novidades na sua galeria e temos imagens novas, bem bonitas, para vos mostrar.

 

Com a ajuda Rita Soares-Alves, descobrirão que é possível organizar um casamento com tranquilidade e usufruir, com confiança, de todo o processo de planeamento e organização daqueles que serão os melhores momentos da vossa vida.

Para a Wedwings, não há dois casamentos iguais. Cada casal e cada família têm histórias e tradições únicas. É sempre com essa perspectiva e com essas singularidades que planeia cada casamento: «Atrevam-se a ter um dia inesquecível, planeado até ao mais ínfimo pormenor. E não se esqueçam: divirtam-se e sejam felizes. É o vosso grande dia!»

 

Wedding planner em Lisboa: Wedwings

ecoração da mesa de doces, com Wedwings Wedding Planner Decoração da cerimónia civil com arco de flores

A Rita Soares-Alves quis ser profissional de casamento porque trabalhar na essência da felicidade de alguém é concretizar desejos e criar memórias eternas. No seu serviço, orgulha-se dos sorrisos e da descontracção que proporciona aos seus noivos no dia do casamento: os sonhos realizados, a amizade que constrói com cada casal e dos novos noivos que começaram por ser apenas convidados.

 

Procura inspiração nas histórias dos noivos, nos seus sonhos, nas suas tradições familiares e no futuro quer continuar a inspirar os casais a tornarem o seu dia verdadeiramente único e a fazer desta celebração um projecto a dois. E, se possível, claro, a organizar os casamentos dos irmãos mais novos de cada par de noivos!

 

Nestes tempos desafiantes, um wedding planner pode ser um braço direito muito valioso, ao ajudar-vos a navegar contratos, agendas, fornecedores e algumas tensões inesperadas. Se estão de casamento marcado (e adiado e remarcado), não deixem de considerar esta ideia.

 

Contactem a Wedwings, através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias e entrem em contacto com a Rita Soares-Alves, directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem e, na volta do correio, terão uma resposta simpática.

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

Susana Pinto

Dicas para casar: e se o tempo mudar de repente?

Nas dicas para casar de hoje, falamos sobre imprevistos: e se o tempo mudar de repente?

Passámos Março e Abril em casa, regressámos às camisolas de lã, choveu que se fartou e a uma semana de Junho parece que estamos todos de fim-de-semana num daqueles verões tórridos do Alentejo! Isto tudo para vos dizer que a improbabilidade das condições atmosféricas existe e ter um plano B quando estamos a planear um evento ao ar livre, é mesmo importante.

 

Na semana passada, quando vos mostrei um belíssimo casamento decorado pela Inspirarte na Pousada de Amares, foi precisamente isso que aconteceu.

Estava tudo planeado para uma bela cerimónia ao ar livre, no Claustro do Laranjal e em vésperas, toca a recolher para dentro de portas, replicando o mesmo ambiente mágico que estava nas expectativas e sonhos destes noivos. Estas mudanças repentinas, que parecem improvisadas, só correm bem quando os vossos fornecedores estão preparados e à altura da situação. E um bom profissional, maduro e experiente, saberá sempre levar tudo a bom porto: o resultado final e as expectativas iniciais dos noivos.

 

Vamos então falar sobre a mudança de planos (ou a importância de ter um plano B) quando o tempo promete instabilidade ou se altera de repente.

Sentamo-nos à conversa com a Joana Coelho, da Quinta da Quintã, que tem conselhos muito valiosos para vos dar – até porque a Quinta da Quintã tem um “plano de chuva” para que nenhuma surpresa climatérica possa estragar o brilho do vosso dia!

Hoje em dia, e cada vez mais, é complicado prever em antecipação o tempo que se vai fazer sentir na data escolhida com tanta antecedência para um evento. Mesmo os meses que costumavam ser garantia de dias de sol e noites agradáveis, já não são de fiar. – Joana Coelho

«O meu primeiro conselho para os noivos é que, na procura do local para a recepção, ponderem esta questão e escolham com alguma cautela um espaço que ofereça alternativas convenientes para um serviço ‘dentro de portas’, caso seja necessário. Espaços cobertos distintos para os vários momentos da festa, em que os convidados se sintam confortáveis, possam circular e mudar de cenário ao longo do dia (ou da noite, se for o caso), com boas condições térmicas e em que o espírito da festa que idealizaram seja penalizado o mínimo possível caso não possam depender do exterior.»

 

Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography

Assegurado este ponto, e se a previsão meteorológica não for favorável, Joana Coelho recomenda que se desenhe um plano B nas reuniões de planeamento do evento – «o que chamamos na Quinta da Quintã de “plano de chuva”» – para todos os momentos originalmente idealizados no exterior. O facto de se definir este plano com antecedência, e de se comunicar o mesmo aos intervenientes no evento, vai reduzir a tensão no dia e vai permitir que tudo se desenrole com a fluidez desejada. No caso de haver alguns serviços extra contratados exclusivamente para o exterior (como é o caso de fogo de artifício, sparklers, etc.), também é conveniente confirmar com antecedência quais as condições que os respectivos fornecedores oferecem para se alterarem ou até cancelarem os planos feitos. Assim, garante-se que não haverá dissabores no dia em que tudo se quer perfeito.

 

«No caso de haver crianças na vossa lista de convidados, estas não deverão ser esquecidas no planeamento do dia. Pode ser desafiante organizar jogos, brincadeiras e dinâmicas que não necessitem de tanto espaço quanto o que as crianças, quando estão todas juntas, exigem. A melhor forma será contratar animadores infantis que ajudem nesta tarefa e que os orientem ao longo do dia, e pensar num recanto giro para os acomodar. Para os mais pequeninos recomendo um berçário onde os pais possam refugiar-se de vez em quando ao longo da festa e que permita aos mais novos dormir uma sesta longe da confusão.»

 

Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography

Outro ponto que Joana Coelho considera muito importante, senão o mais importante, é a atitude dos próprios noivos, os anfitriões da festa:

«É essencial que se mentalizem de que o tempo é um factor que ninguém pode controlar e que não permitam que isso vos arruíne o dia. Antes pelo contrário, devem abusar da criatividade e boa disposição e tentar usá-lo como um ponto charneira para redefinir a festa e torná-la – porque não? – num casamento “de inverno” maravilhoso (os eventos de inverno são especialmente charmosos, acreditem!). Estou certa de que uma atitude positiva dos anfitriões perante a obrigatória mudança de planos vai ajudar e muito a que a festa seja um sucesso e a que os próprios convidados não sintam que se penalizou de alguma forma o plano original. Isto vai valer a recordação de uma festa fantástica, com uma excelente energia e algumas histórias divertidas de como o improviso tornou este e aquele momento ainda mais especial.»

 

Este improviso refere-se a alguns detalhes ou apontamentos que se podem acrescentar à última hora e que podem contribuir bastante para um evento inesquecível.

Imaginem que é um daqueles momentos de passadeira vermelha e contratem uma pequena equipa de hospedeiros que recebem e acompanham os convidados com guarda-chuvas até ao interior. Este detalhe vai conferir um toque extra de requinte à festa e os convidados vão sentir-se especialmente mimados.

Outra opção, semelhante, é oferecer guarda-chuvas giros aos convidados e fazer com eles uma fotografia fantástica de grupo à chuva, ou mesmo desafiá-los para um ou outro momento no exterior. Podem escolher guarda-chuvas completamente transparentes, para não serem muito ruidosos na fotografia ou, pelo contrário, personalizá-los com o vosso monograma e deixar que os convidados os levem no regresso. Um guarda-chuva a mais dá sempre jeito!

 

Para resguardar do frio (a chuva não é o único elemento do mau tempo), disponibilizem mantinhas que ajudam a contornar o frio num momento especial que se queira no exterior (a Joana conta-nos, por experiência própria, que os convidados gostam mais das mantinhas do que dos chinelos de praia para o baile!) e não se esqueçam de garantir que há aquecedores de exterior junto a conjuntos de sofás ajuda a criar recantos confortáveis de esplanada e a alargar o leque de espaços possíveis nos dias em que não chove mas está frio. Os fumadores vão ficar especialmente gratos!

Por fim, não há nada como exagerar na quantidade de velas dos centros de mesa (que aquecem e criam ambiente) para enaltecer o charme de um jantar brindado com a chuva que cai lá fora!

 

Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography

Excelentes conselhos da Joana Coelho! Tenho a certeza de que se sentem mais sabedores e preparados para o cenário imprevisto que todos temos pela frente.

Lembrem-se disto: a vida é feita de imprevistos e este ano está a lembrar-nos muito bem disso. O mesmo acontecerá no vosso dia, por muito bem que esteja alinhado, haverá sempre margem para surpresas, mas não é isso que vai definir as memórias que ficarão. A forma como vocês lidarão com isso, a energia que transportam para o momento é o motor e a âncora dessas memórias, como diz a Joana e muito bem! Um pouco de preparação, boa disposição e confiança na vossa equipa profissional farão a festa!

 

Sobram dúvidas? Falem connosco! E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira, que vos ajudarão a sentir-se os anfitriões mais prevenidos do mundo! E se tiverem alguma dúvida, falem com a Quinta da Quintã. Eles são especialistas em fazer com que tudo corra maravilhosamente bem.

Susana Pinto

Um casamento no Tivoli Seteais: a elegância de Diana + Pierre

Hoje mostramos um casamento no Tivoli Seteais, muito especial. É o mais bonito dos dias de Diana + Pierre, em segundas núpcias, com filhos crescidos e uma elegância à prova de bala!

 

As fotografias são de Alex Tome e fazem justiça à elegância do sítio, do dia e destes noivos.

 

A viver em Genebra, Diana + Pierre escolheram Portugal como destino para casar e, claro, apaixonaram-se pela beleza romântica do Palácio de Setais, com os seus jardins, vistas e interiores neo-clássicos; à imagem dos quais foi criado o seu fantástico bolo dos noivos.

A cerimónia aconteceu ao ar livre, no belo relvado da entrada, com vista para o arco triunfal que enquadra a vila de Sintra, e foi celebrada num ameno fim de tarde, com direito a nuvens de cor pastel e bruma do mar. Sintra no seu melhor, a receber os noivos e os seus convidados!

 

Casamento em Seteais Casamento em Seteais

Casamento em Seteais Casamento no Tivoli Seteais CASAmento ao ar livre no TIvoli Seteais Bolos dos noivos clássico e elegante inspirado no Tivoli Seteais Salão Tivoli Seteais Salão Tivoli Seteais Salão Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais

Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Casamento no Tivoli Seteais Sapatos de noiva em renda

 

Há todo um charme no amor maduro: as pressas desaparecem e instala-se uma confiança que nos faz donos do mundo nos dias felizes. Isso é mesmo bonito!

 

A decoração floral é da fantástica equipa Decorelle e a pista de dança ficou por conta da Jukebox.

 

Espreitem o portefólio do Alex Tome e contactem-no através do formulário.

Passem pelo casamento da Camille + Nicolas, no Jardim Botânico da Ajuda: o Alex Tome é um perito a captar esta bela luz feita de ouro e felicidade!