Pedro Taborda

0 Comentários

Inês+ Tiago, e uns sapatinhos vermelhos!

E fechamos esta semana com a festa bonita da da Inês + Tiago, nos arredores de Lisboa.

Contou com dedinho super profissional da Kabuki Makeup by Rita Amorim na maquilhagem e as fotografias são do Pedro Taborda. Os materiais gráficos, divertidos, são da responsabilidade dos simpáticos Love Stories by Urbanink.

 

Fiquem com o relato da Inês e para quem está por Lisboa, bom Santo António!

 

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Foi no dia dos namorados. Jantámos na nossa futura casa e no final ele deu-me uma caixinha onde estavam uma serie de peças de puzzle para eu fazer. O puzzle era uma fotografia nossa que dizia “Queres casar comigo?” Claro que disse que sim!

 

Como te organizaste? Por onde começaste. Com que antecedência?

Optámos por começar por aquilo que exigia disponibilidade de datas, junto dos fornecedores. O primeiro passo foi a escolha do local onde iríamos realizar a cerimónia e o copo de água. Começámos a ver com um ano de antecedência e mesmo assim o sítio que escolhemos já tinha muitas datas preenchidas. Depois do espaço escolhemos o fotógrafo, a animação e a maquilhadora/cabeleireiro.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como fizeste?

Queríamos um ambiente romântico, mas divertido e descontraído. O tema passou a ser “os nossos momentos” e os convites, o seating plan e os marcadores de mesa reflectiram diversos momentos da nossa vida.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Para que o casamento tivesse um toque pessoal e fosse possível concretizar as nossas ideias. Claro que também permitiu-nos poupar algum dinheiro.

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

A ajuda preciosa dos meus pais!

 

O que era mais importante para ti?

Que os votos que escrevemos um ao outro transmitissem o sentimento que nos une há 12 anos. Incrivelmente não chorámos, mas é verdade que a voz tremeu…

Era também importante que estivesse um dia bonito de sol (nos dias anteriores tinha chovido imenso) para que todos aproveitassem o espaço ao ar livre. A qualidade da comida e da animação eram também importantes mas, a nosso ver, superaram largamente as expectativas.

 

E secundário?

Num dia tão importante e especial, tudo tem a sua importância.

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na quinta e respetivo catering.

 

Onde gastaste menos?

Nas ofertas para os convidados. Foi tudo feito em casa, com a ajuda dos meus pais, aos quais só tenho a agradecer a dedicação, carinho e paciência…

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

Foi rápida a escolha da quinta. Adorámos logo o espaço. Talvez tenha sido este o aspecto mais fácil. A escolha das alianças também foi fácil. Sabíamos o que queríamos, algo simples e tradicional, por isso foi ver preços e escolher.

 

O que foi mais difícil?

A distribuição dos convidados pelas mesas… não é fácil separar grupos de amigos/família e fazer com que a mesa funcione.

 

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

A nossa dança de abertura da pista! Eu adoro dançar e queria fazer uma coisa diferente mas o meu marido não é muito dessas coisas. Tive de a simplificar mas acho que ficou engraçada e deu para surpreender os convidados.

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

No geral, o casamento decorreu como pensámos e ficámos muito felizes por todos terem gostado.

 

Um pormenor especial?

Os meus sapatos vermelhos. Foram um sucesso!

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Há sempre alguns aspectos que mudávamos ou que deveríamos ter pensado mas de um modo geral correu tudo como planeado e correspondeu às nossas expectativas.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?
Aproveitem cada minuto do dia! Será um dos dias mais bonito das vossas vidas e que irá deixar uma pontinha de saudade…

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: Love Stories by Urbanink

local e catering: Herdade do Monte Novo – Grupo Imppacto

fato do noivo e acessórios: fato, laço e camisa da Hugo Boss; botões de punho da Dielmar

vestido da noiva e sapatos: vestido San Patrick, sapatos Atelier Fátima Alves

maquilhagem: Kabuki Makeup by Rita Amorim

cabelos: Fátima Romão Cabeleireiro

flores: All Flowers

ofertas aos convidados: imaginadas por nós, executadas pelos nosso pais

fotografia: Pedro Taborda

luzes, som e DJ: Deluxe Eventos

 

0 Comentários

De Praga a Lisboa, por Pedro Taborda

A Elena, italiana, e o Vasco, português, conheceram-se em Malta há 7 anos e escolheram o Pedro Taborda para registar os dias felizes que vivem agora, juntos, já em solo luso.

Conta-nos o Pedro: «Aceitaram a nossa sugestão, fazer uma e-session por Lisboa, a começar no Príncipe Real, onde o casal comprou uma bonita casa. Descemos até ao Miradouro, Praça de Camões, Chiado, Rua Augusta e acabámos com o pôr do Sol no Terreiro do Paço. Foi um passeio descontraído, que também aproveitámos para acertar os últimos pormenores do casamento.»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

«A Elena e o Vasco tentaram que a sua cadelinha Brownie se juntasse à sessão… mas o mais novo elemento da família proporcionou mais gargalhadas do que boas fotografias, já que estava imparável de alegria!»

 

1 Comentário

Nádia + Pedro, e os seus!

Hoje trazemos a doce e oh so very special festa da Nádia + Pedro, na bonita Quinta do Hespanhol, com fotografias do Pedro Taborda.

 

É só amor e carinho em doses industriais, venham ver…!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Foi no dia em que fizemos 4 anos de namoro, depois de um jantar incrível, bem no meio do Miradouro de São Pedro de Alcântara, num dia de chuva miudinha.

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Penso que começámos a pensar no sítio logo na semana a seguir ao pedido de casamento… Tínhamos sete meses para preparar tudo, por isso pusemos logo mãos-à-obra. Eu sou muito organizada, por isso pensei no que queria que fosse o dia e fui criando pastas de imagens com ideias para o vestido, para o ambiente, para os pormenores especiais…

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Queríamos um ambiente romântico e rústico, mas também muito divertido, descontraído e, essencialmente, que fosse a nossa cara. A cor que escolhemos, o verde água, ajudou a dar o ar fresco que queríamos.

Eu sei que a maior parte das pessoas pensa nisto – em criar algo à sua medida – mas o que nós queríamos, além disso e mais ainda, era que todas as pessoas se sentissem parte do dia, que todos se sentissem especiais e incluídos.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Era um imperativo. Tenho um gostinho especial por pôr as mãos na massa e organizar eventos e festas, por isso o nosso casamento tinha de combinar as duas componentes – deixar-me fazer e ser um reflexo de nós.

 

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

Penso que o mais importante era tornar uma cerimónia de quase 200 pessoas num evento íntimo, participativo, nosso. Que tivéssemos recordações incríveis (fotográficas – e, nessa medida, o fotógrafo era obviamente importante – e da participação de todos), que pudéssemos ter a oportunidade de mostrar às pessoas de quem gostamos e que gostam de nós o que sentimos por elas e um pelo outro, que tivéssemos oportunidade de nos celebrarmos e a nossa relação de uma maneira única e inesquecível.

Havia um milhão de pormenores que queria tornar realidade e para isso tive a ajuda especial de uma amiga (criadora, em conjunto comigo, dos convites e do resto dos elementos gráficos do casamento) e ajudas de outras amigas que têm uma imaginação que não acaba e que me enviavam imagens inspiradoras que ajudavam a concretizar o que tinha imaginado.

 

 

 

 

 

E secundário?

Secundário era que tudo corresse exatamente como planeado, tim tim por tim tim. Não estivemos preocupados com as horas e com a programação ao minuto, embora este sentimento tenha resultado de um exercício de preparação (muitas horas a pensar: “não stressar, não stressar”).

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No local da festa, definitivamente.

 

 

 

 

 

Onde gastaste menos?

Não sei exatamente… Era preciso um sem número de páginas para descrever a quantidade de pequenas coisas que havia no nosso casamento (pequenos apontamentos especiais que criámos) e alguns deles foram inteiramente criados por nós e impressos em casa – logo, sem nenhum custo.

 

O que foi mais fácil?

Escolher o noivo! O mais fácil foi saber que o espaço era aquele, que a decoração era aquela, e que queríamos que todo o casamento fosse cheio de surpresas e animação. Saber que queríamos que fosse sobre nós e com os nossos.

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

Conseguir fazer tudo no tempo que tínhamos – não é fácil gerir fornecedores, ideias, gráfica, a expectativa dos familiares, a nossa própria expectativa e ainda continuar a trabalhar e a viver nos intervalos!

 

O que te deu mais prazer criar?

Deu-me muito prazer preparar a minha surpresa para o Pedro (cantei para ele). Os ensaios tiveram sempre o nervoso miudinho de imaginar como ia ser no próprio dia. E adorei escrever, à mão, um postal personalizado para cada um dos meus convidados – loucura, eu sei – que ficaram a identificar os lugares nas mesas. Foram bons momentos de pausa, a pensar no que cada pessoa significa para mim e a imaginar a cara dessa pessoa enquanto o lia. Foi especial.

 

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Totalmente. Nós somos pessoas dinâmicas e animadas e não me lembro de ter visto tanto dinamismo num casamento. Houve tanta gente a querer participar – discursos, músicas, vídeos – que aqueles que não tinham preparado nada quiseram também levantar-se e dizer alguma coisa. Foi melhor do que alguma vez podíamos ter imaginado.

 

Um pormenor especial?

A nível material, os postais personalizados e os noivos de cartão em tamanho real. E apresentarmos o vídeo do dia (feito incrivelmente e no local pela equipa do Pedro Taborda) antes de abrirmos a pista foi ótimo – é um momento em que todos paramos para ver o que já aconteceu e em que ainda estamos ali, presentes. É mesmo incrível, aconselho a qualquer pessoa.

A nível sentimental, os discursos dos nossos pais. E dos amigos. E dos chefes. E nós a cantar (onde parar? Foi tudo especial!)!

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Acho que só mudava uma coisa: fazia com que o noivo se virasse mais cedo na igreja do que se virou. Não o avisaram que eu já ia a entrar e ele acabou por não ver toda a minha entrada. Sem ser isso (que agora vamos corrigir vendo o vídeo até à eternidade), não mudava uma vírgula.

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Deixem-se ir; parem de vez em quando para ver, para observar, para absorver todo o processo; estejam com as pessoas que mais vos dizem; se precisarem de ajuda, peçam ajuda; aproveitem os bocadinhos para abraçar o maridão; se for um casamento católico, escolham bem o Padre (vai ser uma peça essencial); escolham bem o fotógrafo; e pensem naquilo que é mesmo importante para vocês no dia, naquele pormenor ou momento que vos deixaria mesmo felizes. Mas, acima de tudo, nunca nunca nunca se preocupem em excesso, não tentem controlar o incontrolável. Deleguem as preocupações do dia (se tiverem uma wedding planner que possa lá estar no dia, melhor). Não há nada como olhar para trás e ver que não houve uma chatice e que todas as pessoas se sentiram parte da nossa união. Rir muito, esquecer que há fotógrafo, aproveitar as pessoas que vos adoram todas reunidas num espaço. Vão ver que, como eu, repetiam aquele dia todos os dias.

 

 

 

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: Constança Soromenho

local, catering e bolo: Quinta do Hespanhol

decoração: pensada pelos noivos, concretizada pela Quinta do Hespanhol

fato do noivo e acessórios: fraque Dielmar, lapela Loja das Meias, cinto e meias Hugo Boss, botões de punho Carolina Herrera, gravata El Corte Inglès,

vestido de noiva e sapatos: véu e vestido pensado por mim e feito em costureira (Elitza Ivanova), acessório da cabeça do casamento dos pais (usado pela mãe), sapatos New Look, brincos da bisavó, pulseira da sogra to be

maquilhagem: Sónia Godinho

cabelos: Dora Mendes

bouquet e coroa de flores: Graça O’Neill

ofertas aos convidados: Narizes da Operação Nariz Vermelho, raspadinhas e charutos

fotografia  e video: Pedro Taborda

luzes, som e Dj: DJ Gonçalo Portela

 

1 Comentário

Mafalda + Alexandre, sorrisos contagiantes!

Hoje trazemos a festa da Mafalda + Alexandre, nos dias frios e cinzentos de Março.

O mau tempo foi irrelevante para os festejos, como se vê pelo fantástico sorriso da Mafalda!

A decoração e convites é das meninas da In Love Unique Weddings, as fotografias, do Pedro Taborda e o makeup, da querida Rita Amorim, da Kabuki Makeup.

 

Comecemos pelos sapatos, portentosos!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Muito giro e inesperado. Surpreendi o Alexandre com uma viagem a Barcelona no fim-de-semana em que fazíamos dez anos de namoro (sendo a sua expressão e reacção, quando às 4 da manhã,  lhe disse “acorda faz a mala que temos de estar no aeroporto dentro de 2 horas”, inapagável da minha memória). No dia do nosso aniversário, após visitarmos alguns locais históricos, decidimos sentar-nos num banquinho de jardim, mesmo em frente à Sagrada Família, para descansar e petiscar alguma coisa. Nesse momento, o Alexandre ajoelha-se e mostrando-me o anel, pede-me em casamento. Foi muito giro e completamente inesperado.

 

 

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Começamos por escolher uma data que tivesse significado para nós (1 de Março, véspera de fazermos 11 anos de namoro). Posteriormente e dada a estação do ano escolhida, iniciámos a organização do casamento procurando uma quinta que se adaptasse bem à nossa visão da festa e às várias possibilidades de condições meteorológicas.

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Quisemos criar um ambiente romântico e simples, onde houvesse vários apontamentos que marcassem a diferença ou causassem algum impacto no meio da decoração. Fizemo-lo recorrendo a peças relacionadas com o nosso tema, como por exemplo gaiolas e passarinhos.

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Porque achámos que o tema lovebirds, além de ser romântico adequava-se muito bem à estação do ano em que nos casámos assim como com a envolvência da quinta que escolhemos.

 

Tiveste ajuda?

Sim. Tivemos a ajuda preciosa e incansável da irmã do Alexandre, dos familiares mais próximos e da equipa fantástica da In Love Unique Weddings.

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

Que as pessoas gostassem e se sentissem bem no espaço escolhido e criado por nós.

 

E secundário?

Nada!

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na quinta e fotografia/vídeo

 

Onde gastaste menos? 

Na animação das crianças.

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

Saber precisamente o que queríamos em termos de decoração, pormenores e layout dos convites.

 

O que foi mais difícil?

Gerir e tratar de todos os pormenores ligados ao casamento, em cima da data.

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

As máscaras usadas no photobooth e as ofertas das crianças.

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

De um modo geral, podemos afirmar que é a nossa cara. Contudo, é natural que por razoes de logística, tempo e às vezes condições atmosféricas (que foi o nosso caso) tivemos de abdicar de alguns momentos que eram importantes para nós (como a largada de balões LED).

 

 

 

Um pormenor especial?

As nossas ementas (ementa de carnaval) e o nosso estendal de fotos.

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Apenas as condições atmosféricas, fazia com que estivesse um dia maravilhoso de sol.

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Organizem com bastante antecedência todos os pormenores do vosso casamento.

Não façam como eu, que a uma semana de me casar ainda não tinha maquilhadora ou cabeleireira, bolo de noiva escolhido e tantos outros pormenores por definir e acertar!

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: In Love Unique Weddings;

local e catering: Quinta do Pé da Serra

bolo: Susana Pinto Sweets Stylist

fato do noivo e acessórios: fato Wesley, sapatos Hugo Boss

vestido de noiva e sapatos: vestido e acessórios San Patrick, sapatos Menbur

maquilhagem: Kabuki Makeup by Rita Amorim

cabelo: Rita Vicente

fotografia: Pedro Taborda

video: LiveWeddings

luzes, som e Dj: DJ – Ricardo Estrela