Created with Sketch.
Susana Pinto

Dicas para casar: os discursos de casamento

Hoje dedicamos as dicas para casar aos discursos de casamento.

Os discursos de casamento são, tradicionalmente, um costume anglo-saxónico. Por cá ainda somos muito tímidos com as palavras e quando os há, são simples e curtos, deixando de fora lágrimas, risos e todas as emoções mais fortes e histórias hilariantes e de fazer corar os noivos.

 

Eu sou particularmente apreciadora de discursos e de votos de casamento: acrescentar palavras bem medidas e anda mais bem sentidas a um dia de tantas emoções parece-me uma combinação extremamente feliz.

 

Reconhecendo que existe uma tradição e um figurino no que respeita aos discursos, irei abordá-los, mas, como em tantos outros aspectos da organização do vosso casamento, a palavra de ordem é «vosso». Adaptem, moldem, ajustem à vossa vontade e à vossa realidade. O que importa verdadeiramente é que possam todos ouvir as palavras de algumas das pessoas mais relevantes na vossa história comum.

Estes minutos de voz trémula e sonante com a ajuda de um microfone ficarão para sempre nas vossas memórias, assim como nas de todos os presentes.

 

Padrinho a fazer o seu discurso de casamento. Discurso de casamento dos padrinhosdiscursos de casamento

Convencionalmente, os principais oradores dos discursos de casamento são o padrinho do noivo e a madrinha da noiva, os pais dos noivos e, claro, o próprio casal. Agora, estamos a falar do padrão. Os discursos decorrem pelo final da refeição, quando todos estão mais relaxados e bebidos, é altura para os brindes, e quem abre o palco, digamos assim, é o anfitrião.

 

Lá está, tradicionalmente este papel cabe aos pais da noiva, mas se são vocês os responsáveis máximos pela festa, então deverão ser vocês os primeiros a falar. A ideia é celebrar a união das duas famílias, agradecer a presença dos convidados e dizer algumas palavras simpáticas sobre os recém-casados. Passa a palavra para o padrinho do noivo, seguido da madrinha da noiva e, a finalizar, fala o noivo (ou ambos). Padrinhos e madrinhas contam, normalmente, histórias divertidas sobre o casal, rematando com algum sentimentalismo. E a vocês cabe-vos fechar o microfone com agradecimentos generalizados, algumas respostas aos desafios deixados nos discursos anteriores, e palavras doces para a vossa cara-metade. Podem finalizar com o convite para o corte do bolo, por exemplo, ou abrir a pista de dança, para desanuviar de tantas emoções!

 

Este é o croquis de base. A partir daqui, risquem e reescrevam o que for necessário para terem um plano que seja a vossa cara.

Se precisarem de ajuda porque vos faltam as palavras para revelar o que têm no coração, se não sabem por onde começar, então o vosso par perfeito é a a Rafaela Martins, que assina como Somos as Palavras e escreve criativamente para casamentos e ocasiões especiais.

 

escrita de votos de casamento Somos as Palavras escrita de votos de casamento Somos as Palavras escrita de votos de casamento Somos as Palavras

Algumas regras para que tudo corra sobre rodas:

 

  • convidem as pessoas que gostariam que discursassem no vosso casamento com muita antecedência, isso dar-lhes-á tempo de sobra para se prepararem, para vencerem alguma resistência inicial e se afeiçoarem à ideia e responsabilidade, para comporem o seu texto e para praticarem, caso sintam necessidade;
  • para os entusiastas mas tímidos e avessos a falar em público, sugiram a leitura de um texto pré-escrito (pode até ser uma bela citação ou excerto), os serviços da Somos as Palavras e deixem-lhes espaço para recusar, se se sentirem demasiado pressionados e ansiosos;
  • organizem bem a sequência dos discursos e informem cada interveniente acerca dessa mesma sequência: quando falarão, quem falará antes e depois, durante quanto tempo deverão discursar;
  • informem previamente os profissionais envolvidos sobre a dinâmica e sequência dos discursos: os chefes de sala, o fotógrafo e equipa de vídeo, o DJ e todos os que tiverem funções nos mesmos timings, para que todos estejam a postos;
  • estabeleçam, gentilmente, um limite: não é à toa que uma canção ronda os três minutos de duração. Entre três e cinco minutos deverá ser o tempo ocupado por cada discurso ou brinde. Sejam elegantemente firmes, para que não haja grandes desequilíbrios entre os diversos intervenientes e também para que toda a gente consiga manter a atenção do público do início ao fim;
  • nomeiem alguém da vossa inteira confiança para articular tudo isto no dia: um padrinho ou uma madrinha, a pessoa que vos pareça mais indicada para ir regendo a orquestra e para garantir que tudo acontece nos timings previstos;
  •  tenham lencinhos à disposição, porque há sempre quem não aguente as lágrimas nestes momentos.

 

As fotos que ilustram este artigo são do casamento de Jamie + Brian, captados pelo Hugo Coelho, que já publicámos aqui: fica clara a energia que enche a sala neste momento das palavras sentidas e cheias de risos e lágrimas – é fantástico!

 

Se esta ideia vos agrada, mas sentem-se tímidos nas palavras  e emoções, entrem em contacto com a Rafaela Martins, através da sua ficha de fornecedor e iniciem esta conversa.

Os dias que vivemos, com tantas emoções acumuladas, pedirão mensagens mais bonitas e especiais.

 

Se estão a tratar da organização do vosso casamento, acompanhem as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

Comentar

Para saber como tratamos e protegemos os seus dados, leia a nossa política de privacidade