Created with Sketch.
Susana Pinto

#ÉTempoDeSonhar, diz-nos a Bouquet de Liz, e muito bem.

Continuamos, de forma tranquila, o nosso trabalho nestes tempos diferentes.

Vou acompanhando a família, os amigos reais e os virtuais, e os meus clientes, sempre com as palavras de alento possíveis e genuínas, um breve “como estás?” ou um animado “bom dia!”

Falamos sobre trabalho, sobre a vida, sobre algum futuro e pomos em prática uma gestão que se resume ao presente, agora, a este momento, o que nos parece o caminho mais saudável.

 

Ao espreitar a conta da Bouquet de Liz, que faz flores tão bonitas e também organiza casamentos a partir de Coimbra, não quis deixar de partilhar a mensagem bonita e valiosa que a Rosário Pinho preparou para os noivos. É um conjunto de dicas para adiar o casamento, feitas de palavras sábias e uma visão clara: a combinação certa nestes momentos incertos.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

Conta-nos a Rosário:

“No meio de toda esta situação gravíssima, nem tudo é negativo. As pessoas com que me tenho cruzado são excepcionais e sei que tenho muita sorte por isso. Não tem sido propriamente um drama para a maioria das minhas noivas remarcarem o casamento. Ficam profundamente tristes e com muitas dúvidas, é certo, mas isso é mais do que compreensível. Mas estão também calmas e conscientes de que é uma decisão que se tiver que ser tomada o será, de forma serena e responsável.

Para combater esse desalento, decidi lançar um conjunto de dicas para projectos e tarefas que se estendem no tempo e não estejam ligados às necessidades mais imediatas. Vamos manter activo o processo de organização, agora que o horizonte é mais espaçoso e cada detalhe pode ocupar o espaço mental que merece. Este é o tempo de sonhar!”

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

Vamos a isto? Estas são as dicas principais da Bouquet de Liz. O processo não se esgota aqui, mas estes pontos vão guiar-vos nestes momentos e manter-vos a cabeça ocupada com planos bonitos. Se, ao passarem os olhos por toda esta lista, se sentirem assoberbados, falem com a Rosário, ela é uma excelente profissional – como se vê -, e terá todo o gosto em ajudar-vos a pôr de pé o mais bonito dos dias!

 

// organizar o orçamento:

este assunto é fundamental para quem não tem ajuda profissional. E mesmo para quem tem wedding planner, é sempre importante manter actualizadas as alterações ao longo de todo o processo de organização, sobretudo

. prazos de pagamentos, que é possível ajustar falando nominalmente com cada fornecedor;

. custos-extra que o adiamento do casamento e este novo cenário podem implicar;

 

// organizar o que já foi adjudicado e o que ainda falta contratar:

tenham atenção ao facto de que alguns fornecedores vão ficar com as datas mais limitas, à conta deste reajuste colectivo (o vosso e o dos outros noivos);

 

// contactar os fornecedores envolvidos:

no caso da vossa decisão ser adiar a data do casamento, entrem em contacto com todos, começando pelos que têm menos disponibilidade de calendário, para comunicar a vossa decisão, encontrar nova data e perceber o impacto que esta acção terá no vosso orçamento;

 

// organizar as listas de convidados de forma cuidada e completa:

listar os nomes correctos e completos com apelidos, idades das crianças, grupos de amigos e familiares, números de telefone e e-mails, numa base de dados quase profissional! O Excel será um excelente companheiro nesta tarefa e, ao organizarem também a distribuição de mesas e layout da sala, poderão colocar aqui também as presenças e alterações. Tudo junto num só sítio, pronto a passar a lista ao vosso designer, com tempo e calma, será uma ajuda fantástica. Sabemos que esta é sempre uma tarefa que vos custa domar e as alterações de última hora que chocam com os timings de produção dos planos de sala são sempre tensas.Com o tempo que têm em mãos, podem ser uns ases neste assunto!

 

// organizar as inspirações e o moodboard:

o Pinterest é um grande parceiro nesta tarefa e, caso estejam a mudar de estação, pode ser um belo momento para reajustar e redesenhar a inspiração inicial. Por aqui dizemos muitas vezes que os casamentos de outono e até de inverno têm um charme por descobrir, pode ser este o momento em que vão partilhar o nosso entusiasmo;

 

// organizar uma lista de inspirações e tópicos que gostariam de ter registados e partilhar com o fotógrafo:

provavelmente nunca pensaram nisto e um bom fotógrafo sabe de antemão o principal, mas há sempre excepções: se querem um conjunto de imagens não habitual, como o detalhe do convite, do bouquet e outras peças, falem com o vosso fotógrafo e preparem as condições para que tal aconteça, em conjunto. Se há pessoas muito especiais cujo retrato a solo ou na vossa companhia querem registar, falem sobre isso, indiquem as pessoas e contem a vossa história. Toda esta informação preciosa soma para que o resultado final cumpra as vossas expectativas;

 

// preparar a possível mudança de estação:

se estão a adiar o vosso casamento, é bem possível que a data caia na estação seguinte. Falem com quem vos está a acompanhar na questão do vestido (designer de vestidos de noiva ou loja) e avaliem se é necessário complementar a vossa escolha com algum acessório mais confortável ou fazer alguma alteração pontual.

E se mudamos de estação, o impacto também acontece na decoração floral e de ambiente, não só pelas próprias espécies florais disponíveis, mas também pelo novo moodboard.  Mudando uma flor aqui e ali, trocando umas cores ou tecidos nas almofadas dos sofás pode ser suficiente, sem saltos no orçamento. E o resultado pode ser uma bela surpresa;

 

// procurar ajuda profissional ou não:

se não contrataram um wedding planner ou assessoria, talvez neste momento e contexto, essa ajuda seja ainda mais valiosa. Há muita logística, alguma incerteza e mais nervos que o habitual e é nestas alturas que um timoneiro experiente, capaz de nos levar a bom porto através do nevoeiro, é o melhor dos companheiros.

Façam uma pesquisa (naveguem na nossa lista seleccionada e pela internet), consultem valores e avaliem a vossa disponibilidade financeira e o valor acrescentado que esta ajuda traz para o vosso dia e para o caminho até lá.

 

Dicas para adiar o casamento, com a Bouquet de Liz

Bela lista de dicas, não é? A Rosário Pinho quis deixar-vos mais tranquilos e animados enquanto atravessamos este cenário incerto. Eu acho que fez um óptimo trabalho!

 

Estas imagens são do mais bonito dos dias da Sofia + Paulo, que já publicámos aqui, com flores e decoração da Bouquet de Liz.

 

Espreitem aqui o trabalho bonito da Bouquet de Liz, e não deixem de contactar a Rosário, através do formulário, para desenhar convosco o dia mais bonito. A emoção será o dobro e os abraços, cheios de saudades, muito mais sentidos!

Susana Pinto

Dicas para casar: catering consciente, casamento sem desperdício!

Nas dicas para casar de hoje, falamos de comida.

O vosso serviço de catering é a fatia mais gorda do orçamento do casamento e ocupa, sozinho, mais de metade do bolo total. É também, certamente, o grande factor de ansiedade, já que, juntamente com o enorme custo, estão a fazer escolhas que devem acomodar os gostos e necessidades específicas de umas boas dezenas de pessoas de quem gostam tanto e a quem querem proporcionar um dia inesquecível. A pressão para fazer a escolha certa é real, e também por isso, é muito importante escolherem fornecedores muito profissionais.

 

Há umas semanas falámos por aqui sobre sustentabilidade e deixámos um conjunto de sugestões para um casamento mais sustentável, é o assunto do momento e todos temos o poder de fazer pequenas grandes mudanças.

Quando falamos de casamento, a sustentabilidade não fica exclusivamente do lado de quem consome, mas também de quem providencia os serviços. Combater o desperdício de forma consciente é um processo que tem sido abraçado pelos fornecedores  e, por isso mesmo, hoje conversamos com a Palace Catering sobre ementas de casamento sem desperdício.

Uma das maiores preocupações da Palace Catering, como empresa socialmente responsável, é de diminuir os excedentes de alimentos confeccionados nos eventos. Mas, ainda assim, sobra comida que não chega a ser consumida. Nestes casos, a nossa prioridade é encaminhar essa comida, que continua em perfeitas condições, para quem dela mais necessita.

Para combater o desperdício alimentar, há que começar pelo início: produzir menos comida. Nós socializamos à mesa, e é aqui que somos felizes. Comemos, falamos, bebemos, rimos, celebramos. A mesa quer-se bonita e farta, sobretudo nos dias de festa, mesmo que esta fartura, seja, nos dias de hoje, mais frugal. A abundância será sempre sinónimo de “sejam muito bem-vindos” e mesmo que os mais novos sejam mais descontraídos, a geração dos pais e avós estará muito atenta.

 

Espaços e catering para casamentos no Porto: Palace Catering Espaços e catering para casamentos no Porto: Palace Catering Espaços e catering para casamentos no Porto: Palace Catering

«Há ainda alguns noivos que ficam receosos quanto à quantidade de comida», confirma Cristina Barros. «Este receio prende-se, sobretudo, com a ideia de que os bons anfitriões põem mesas fartas. Mas fará sentido aumentar as quantidades para lá do que se sabe que será, efectivamente, consumido, sabendo de antemão que grande parte do que esteve exposto irá para o lixo? Valerá a pena?»

 

Na nossa opinião, não – e acreditamos que concordam connosco. Tendo em conta que o catering corresponde à maior fatia do vosso orçamento para o casamento, vale a pena ponderar bem este assunto e fazer escolhas informadas e sensatas. Gastar dinheiro a mais e deixar que se desperdice comida são duas coisas a evitar e um bom profissional proporá as melhores opções.

 

A Palace Catering faz algumas sugestões para um casamento sem desperdício:

«Começamos por apresentar um aperitivo (volante e buffet) em que apostamos na variedade e na quantidade calculadas em função do número de pessoas esperado. Fazemos os cálculos internos com base num rácio de cerca de 12 peças (unidades ou gramas) por pessoa. Uma vez que apostamos num bom aperitivo, sugerimos um menu com uma entrada de peixe, um prato principal e o bolo dos noivos como sobremesa. Não nos parece necessário mais, temos buffets de frutas, queijos e doces de seguida e uma ceia para os mais resistentes! Não pode faltar bebida… et voilá: um casamento sem sobras!»

 

Exactamente porque produz q.b., a Palace Catering tem conseguido evitar sobras exageradas nos seus serviços. No entanto, e porque ainda acontece restar alguma coisa (sobretudo doces do buffet), existem algumas práticas a serem adoptadas, mas sempre com muito rigor, pois estamos a falar de alimentos, com tempos de exposição e intervalos de temperatura a cumprir.
Por exemplo, se os clientes quiserem levar consigo o que sobrar no final da festa, são convidados a fazê-lo, desde que tratem dos recipientes e assinem um termo de responsabilidade: «Somos uma empresa certificada em HACCP e não nos podemos responsabilizar pelo acondicionamento que noivos ou familiares farão dos produtos que recolherem.»

 

catering consciente para um casamenro sem desperdício Catering consciente para um casamento sem desperdício Catering consciente para um casameno sem desperdício

Quando há comida a sobrar e ninguém para a levar, então a estratégia da Palace Catering passa por contactar uma instituição que possa fazer a recolha em boas condições e dar-lhe utilidade junto de quem precisa. Actualmente, Coração da Cidade é a sua instituição parceira.

 

A sugestão deixada por Cristina Barros para quem está agora a planear o casamento é a de que abordem este assunto junto das empresas de catering que contactarem, pedindo uma proposta para um casamento sem desperdício. Enquanto cidadãos, a nossa melhor ferramenta para melhorar o mundo é o consumo consciente, privilegiando produtos e empresas alinhados na mesma visão.

Consumir produtos locais (queijo, pão, vinhos, carne, peixe…), consumir produtos da época, reduzir a quantidade, apostando na qualidade, e aproveitar o que sobra, seja trazendo ou distribuindo, é o caminho. Com estas ideias bem presentes, sentem-se à conversa com o vosso fornecedor seleccionado, discutam o assunto “casamento sem desperdício” e criem uma ementa que deixará todos de coração (e estômago) cheio!

 

Não deixem de acompanhar as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

The W Experience – é ja este fim-de-semana!

Estamos em contagem decrescente para o evento do ano: The W Experience.

Se estão noivos, a nossa dica para casar desta semana é claríssima: façam uma visita a este evento para noivos, pensado e executado por quem é profissional do mercado de casamentos, quem trabalha diariamente convosco, quem concretiza o mais bonito dos vossos dias.

 

 

Durante o fim-de-semana, para além da bela lista de expositores seleccionados, entre eles a Design Events Wedding, a Molde Design Weddings, A Pajarita, a Amor e Lima, a Feel Creations, a I Go Travel, haverá desfiles de vestidos de noiva da Pureza Mello Breyner e da Rita Costumista, muita música com live acts e concertos, e experiências várias, patrocinadas pelas marcas presentes e pelos expositores. É um programa recheado de coisas giras e trabalho bonito, por isso garantimos que será um fim-de-semana muito bem passado!

 

Os profissionais não foram esquecidos e há toda uma programação para eles também: uma mesa redonda sobre longevidade e excelência, com os Branco Prata, Pureza Mello Breyner e Lucyana Sposito, moderada pelo João Pedro Correia, uma talk sobre storytelling com o Martim Mariano e dois workshops, um sobre fotografia mobile, com a Filipa Simões Freitas e outro de design floral, com o atelier Flowers by Bornay.

 

Vemo-nos lá?

Susana Pinto

Dicas para casar: como escolher o bouquet de noiva

Hoje, nas nossas dicas para casar, vamos escolher o bouquet de noiva!

 

Com o vestido de noiva já escolhido, e os sapatos de noiva a serem namorados, é altura de passar ao terceiro elemento que define o look da noiva (sem esquecer a maquilhagem e os acessórios, claro!): o bouquet de noiva.

 

A ligação entre estas duas peças é inequívoca – o protocolo diz que o bouquet deve seguir a linha do vestido, com volume adequado à figura, primeiro, e ao estilo, a seguir.

Para um vestido clássico, de princesa, com saia imponente, poderá ser de leve caída ou redondo. As flores serão mais clássicas, de uma variedade (rosas, peónias, hortênsias, por exemplo), e de cores suaves e delicadas, harmonizando o conjunto.

Um vestido de linhas direitas e rico em detalhes, em meninas altas, pede um bouquet mais elaborado, com atenção às cores: harmonia e elegância são o mote, mais verduras e menos cores tornarão o conjunto mais refinado. Valem várias espécies, mas de uma cor ou em ton sur ton.

O estilo mais boémio e descontraído pede bouquets mais orgânicos e naturais. As formas são menos estruturadas e as misturas mais criativas. São os mais complicados de executar e seguramente os mais dispendiosos, já que dependem dum conjunto bonito das várias espécies. Fitas coloridas, tecidos bonitos ou fio rústico finalizarão na perfeição estes belos arranjos.

Para as meninas mais baixinhas, recomendamos uma versão muito mignonne: um bouquet pequeno e harmonioso é o indicado, feito de flores pequeninas e delicadas. Um par perfeito!

 

Como escolher um bouquet de noiva com flores silvestres.

Como escolher um bouquet de noiva com flores desidratadas.

Bouquet de noiva com mix de flores frescas e flores desidratadas.

O bouquet de noiva é um actor secundário, mas muito presente, no imaginário do casamento. Acompanha a noiva nos preparativos, está na linha de visão à saída da cerimónia e é o assunto central do enquadramento num conjunto largo de imagens.

Com uma presença tão consistente, vamos pensá-lo como fazendo parte de um cenário mais alargado e não um objecto bonito e solitário.

 

O nosso trio de domingo é um bom exemplo deste exercício – pode parecer uma ideia maluca combinar os sapatos de noiva, o bouquet e o bolo dos noivos, mas aqui o que conta é o fio condutor, a ideia, o conceito de fundo que sustenta e liga todos os elementos. Pensem numa cor dominante, num estilo, nos pormenores que poderão estabelecer a ligação entre todas as partes e depois deleitem-se com as fotografias fabulosas que daí resultarão.

 

Mas há mais, claro. As flores serão, muito provavelmente, um dos elementos decorativos mais presentes na festa – uma grande parte dos nossos fornecedores seleccionados de flores trata, precisamente, de todos esses assuntos (do bouquet à decoração floral) e tudo se conjuga na perfeição. No caso de escolherem profissionais distintos para esses dois assuntos, certifiquem-se de que inspiração, ideias e resultado são partilhados entre todos, para que o resultado final seja perfeito.

 

como escolher um bouquet de noiva económico com cravos cor-de-rosa

Bouquet de noiva com rosas, dálias e hortênsias azuis e vermelhas.

Bouquet de noiva colorido com peónias

E como escolher? Bom, começar uma colecção de bonitos bouquets no Pinterest é sempre uma boa opção, que serve de referência para o que vos agrada e prende o olhar, quando se reunirem com o vosso designer floral. Mas atenção, sentem-se nesta conversa com disponibilidade para novas ideias, porque este é um assunto com alguma imprevisibilidade e muitas variantes com impacto no preço final.

 

Expliquem as vossas ideias e ouçam os comentários e sugestões do profissional que têm à vossa frente. Considerem flores da época e de produção nacional, sempre que possível, não por ser mais barato (pode, de facto, não ser), mas porque a pegada ecológica é mais pequena e estão menos sujeitos aos imprevistos do transporte e despacho. Discutam uma segunda opção, nem sempre as as encomendas são tão rigorosas como se esperaria e o mercado floral é cheio de imprevistos (pragas, intempéries, greves de transportadores, aumentos nos combustíveis…), que se reflectem na disponibilidade e preço final do produto. O orçamento é pedido com meses de antecedência, mas encomenda é feita uma ou duas semanas antes, as surpresas não são tão improváveis quanto isso. Não duvidem do profissionalismo do vosso fornecedor seleccionado, que será um óptimo gestor de todos estes solavancos e imprevistos que tão bem conhece, e foquem-se no resultado final – será perfeito!

 

Considerem também o peso do arranjo e falem sobre isso, é relevante. Vão passar uma boa parte do tempo com o bouquet na mão, quanto mais leve e resistente ao manuseamento, mais confortável e fotogénico será. Não se esqueçam dele a um canto durante as fotografias, se investiram tempo e dinheiro nesta peça tão especial e pessoal, merece retrato próprio e dedicado.

 

Bouquet de noiva orgânico.

Bouquet de noiva com flores de Outono

Bouquet de noiva orgânico

Quanto a valores, não há paralelismo entre os preços da florista do bairro e um bouquet finalizado: para garantir meia dúzia de peónias em perfeito estado de maturação no grande dia, encomendam-se 30 pés (estragam-se, não vêm em condições, abrem demais ou abrem de menos, vêm em pacotes de dúzia, etc.) e a taxa de desperdício é muito grande. O valor final do bouquet somará o custo das flores (e verduras), a sua variedade, a qualidade das fitas e acabamentos, e o talento criativo e de execução do profissional: não pode ser pouco, mas será a justa retribuição por uma peça que vos fará quase tanta companhia como o noivo, pelo menos na primeira parte do grande dia, e que ficará imortalizada nas imagens registadas. Sim, estas flores são mesmo para sempre!

 

Estes bouquets de noiva bonitos fazem parte dos nossos trios de domingo. Espreitem os nossos favoritos!

 

Não deixem de acompanhar as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Dicas para casar: como escolher os sapatos de noiva?

Olá! Continuamos a explorar a nossa lista de dicas para casar e hoje o assunto é um dos meus favoritos: como escolher os sapatos de noiva!

Como já devem ter adivinhado, eu adoro sapatos e acredito que qualquer par bonito, que nos pisque o olho, tem o mérito de ser considerado um par de sapatos de noiva – não há pares certos ou pares errados.

 

Todos os domingos escolhemos um par de sapatos de noiva para o nosso trio da semana – e por aqui já passou de tudo! Saltos vertiginosos e impossíveis, formatos modernos e arquitectónicos, todas as cores e acabamentos, saltos rasos, de tacão, agulha ou kitten, sandálias, abertos à frente ou atrás, sapatilhas e até pares de botas super sexy. Gostamos mesmo de sapatos e há sempre um que é o par perfeito para cada menina, alinhado com a sua personalidade e dia de festa.

Ainda assim, no meio de todas estas sugestões, sabemos que o conforto é um factor importantíssimo – o mais bonito dos dias dura muitas horas, queremos dançar e dar abraços e beijos com a leveza só o bem-estar proporciona.

 

Como sapatos não são apenas forma, mas também função, pedimos à Patrícia Pontes, podologista e especialista em pés e postura, que nos ajudasse a perceber como é que a escolha do calçado influencia o conforto e o bem-estar, e partilhasse connosco algumas sugestões de cuidados a ter com os vossos pés antes, durante e depois do dia do casamento!

Para mim falar de sapatos é um verdadeiro universo que me fascina, é o meu mundo. Se me colocarem um par de sapatos nas mãos conseguem ter uma longa conversa comigo sobre estas obras de arte. São vários os detalhes de que vos posso falar e cada noiva terá necessidades particulares, mas vou mencionar alguns a que devem mesmo dar atenção.

Há que ter em conta três factores no momento da escolha do sapato: o tamanho, a largura e a própria estrutura ou morfologia anatómica do pé.

Certo formato de sapato pode adaptar-se perfeitamente a um pé de tamanho 37, mas não ser adequado em termos de largura. Numa situação destas, esqueçam a ideia de comprar os sapatos para os alargarem em casa. No momento da compra têm de sentir-se confortáveis, não pode existir dor nem incómodo – os pés falam convosco, escutem-nos. Trazer os sapatos para alargar em casa é estar a criar problemas nos pés que por vezes não surgem naquele momento exacto após os usarem, mas irão dar sinal mais tarde.

 

Sapatos de noiva Anna Walker Como escolher os sapatos de noiva

Ao calçar, é também importante experimentar os sapatos com o tipo de meia que vão usar no dia do casamento, não só pelo espaço que ocupa mas também pelas sensações que o pé vos vai transmitir. Há meias que em contacto com determinados materiais fazem o pé deslizar e não vos vão dar segurança ao andar.

Quanto à escolha do tamanho dos sapatos, orientem-se pelo dedo mais comprido e não pelo dedo mais gordo. «Entre o sapato e o vosso dedo mais comprido deve existir cerca de meio centímetro de espaço livre para que, ao caminhar, o pé possa avançar livremente, impulsionando o passo seguinte sem bater com os dedos ou as unhas na frente do sapato.»

 

Todo o design é também relevante. Há sapatos com belos apliques em forma de laços, pedras ou brilhantes, mas muitas vezes estas peças estão posicionadas em zonas de conflito com pontos sensíveis à dor. Ao experimentar, tenham este detalhe em conta.

O modelo do sapato também tem o seu papel no conforto ou desconforto. Sapatos stilleto são sempre mais desconfortáveis para um dia exigente, a sua própria forma é mais estreita. É preciso saber escolher muito bem este tipo de sapato caso contrário antecipamos dores horríveis nos pés – e até dores de cabeça. Para além disso, vão estar muitas horas em pé no dia do vosso casamento, e, com o calor, os pés tenderão a dilatar.

 

«Costumo dizer que andar de saltos é uma arte. Há mulheres que naturalmente deslizam com saltos mas para outras a ligação não se faz, e pode ser uma autêntica tortura.» Os pés são todos diferentes e cada mulher tem o seu próprio estilo de andar. Também existem pés instáveis por natureza e com determinados problemas que naturalmente têm maior dificuldade com os saltos ou simplesmente não os conseguem usar. Os saltos finos oferecem mais instabilidade e provocam mais cansaço que os saltos mais largos. «Para mim é fundamental uma noiva manter a sua elegância sem perder o seu conforto e naturalidade.»

 

Os saltos compensados costumam estar associados a maior conforto, mas isso pode ser ilusão. Diz-nos a Patrícia:

«É verdade que não se sente a textura de uma calçada, mas a maior parte das plataformas bloqueiam os movimentos naturais do pé. Há plataformas tão exageradas e com materiais tão rígidos que impedem as mulheres de fazerem a flexão normal de que o pé precisa.»

O melhor conselho é sempre o mais lógico: procurem um formato de sapato com bom apoio, que respeite a largura, o volume e as necessidades dos vossos pés, proporcionando-lhes conforto. Os materiais também são de extrema importância para o conforto e a saúde do pé. Materiais naturais como a pele, algodões, sedas entre outros materiais inovadores já existentes no mercado são sempre boas escolhas, desde que sejam macios, confortáveis, com boa respiração do pé e absorção da transpiração.

A leveza também é importante: quanto mais leves forem os vossos sapatos, menos esforço terão que fazer e menos cansadas ficarão no fim do dia.

Os sapatos certos são aqueles com que podem sair da loja com eles calçados. Ainda assim, é aconselhável que usem o vosso par algumas vezes, antes do grande dia. Se não o quiserem fazer na rua, façam-no em casa para uma adaptação natural e gradual, ou até mesmo para decidirem se foi de facto a compra certa ou se precisam de um plano B.

 

Sapatos de noiva Anna Walker Sapatos de noiva Anna Walker

E os rapazes, deverão ter também o mesmo tipo de preocupação com a escolha do calçado? «Sim, claro. Apesar de aparentemente os sapatos de homem serem mais confortáveis, nem sempre se faz a melhor escolha mediante aquilo de que os pés precisam.»

Há sapatos masculinos com design bem estreito que não obedece à anatomia do pé.  Um noivo que esteja habituado a usar calçado mais casual ou desportivo, terá mais dificuldade adaptar-se ao calçado clássico. As solas em couro são menos flexíveis e sem amortecimento e por vezes o tipo de pele é mais dura. É aconselhável dar preferência a peles mais macias ou outros materiais flexíveis e que permitam a respiração.

É também importante escolherem adequadamente o tamanho, tendo em conta a largura e a estrutura anatómica do pé. Sapatos com atacadores ou fivelas permitem que ao longo do dia do casamento possam reajustar os sapatos. Lembrem-se de ter em conta a dilatação ao calor e experimentem os sapatos com o mesmo tipo de meia que usarão no dia. Tal como as meninas, também os meninos devem usar os sapatos em casa, algumas vezes.

 

Agora que já vimos a questão do calçado, debrucemo-nos sobre os pés propriamente ditos. O que é que pode ser feito para prepará-los para o esforço do dia do casamento?

«No caso de terem alguma dor ou problema de unhas, pele, calos ou calosidades, devem procurar um podologista com antecedência para tratarem devidamente dos vossos pés. No caso de terem os pés saudáveis e sem problemas, aconselho o corte das unhas com cerca de uma semana de antecedência. Ao longo de pelo menos um mês, fazer uma esfoliação aos pés uma a duas vezes por semana, conforme as vossas necessidades, e hidratá-los todos os dias (excepto entre os dedos!). Estes cuidados vão deixar os vossos pés bonitos, sedosos, perfumados e com um conforto maravilhoso.»

 

As meninas que queiram pintar as unhas dos pés tenham também em atenção as seguintes orientações: primeiro, garantir que as unhas estão saudáveis. Depois, cortá-las em formato recto. As cutículas não devem ser cortadas mas empurradas suavemente (aproveitem o momento da esfoliação de pés para esfoliar as cutículas e mantê-las sempre hidratadas). Apliquem previamente ao verniz de cor uma boa base protectora da unhas e escolham sempre vernizes de qualidade.

 

Como escolher os sapatos de noiva

E depois do grande dia? Como ajudar os pés a recuperar de um esforço extraordinário?

«Preparar um banho relaxante de pés com sal grosso, adicionar umas hastes de alfazema e alecrim, e umas rodelas de limão e mergulhá-los por uns minutos, vão ficar rapidamente revigorados. Secar muito bem os pés, não esquecendo o meio dos dedos e unhas, e fazer uma boa hidratação acompanhada com uma boa massagem por todo o pé para aliviar todos os pontos de tensão. Aproveitem para desfrutar deste momento a dois. Se possível, andem algum tempo descalços pela casa e, no dia seguinte, larguem os saltos e usem sapatos bem confortáveis.»

 

E que bem que isto soa, não é? Sigam os conselhos da Patrícia Pontes à risca e verão como o dia do vosso casamento desliza! E se tiverem alguma dúvida ou questão, falem com ela. Não há nada como a opinião de uma profissional e a Patrícia Pontes é uma simpatia!

 

Estes sapatos que nos deixam a suspirar são da Anna Walker, nossa fornecedora seleccionada. Passem pela sua ficha de fornecedor para descobrir todos os detalhes e entrem em contacto com a Ana Oliveira, através do formulário, para saber mais detalhes.

 

Não deixem de acompanhar as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Dicas para casar: vamos planear a Lua-de-Mel?

Continuamos a nossa série Dicas para Casar e hoje falamos sobre planear a lua-de-mel.

Já reflectimos por aqui porque não devem deixar o vosso plano de lua-de-mel para depois, mas agora queremos ajudar-vos com os preparativos para uma lua-de-mel perfeita, com a ajuda da I Go Travel. O resultado será uma viagem inesquecível, repleta de memórias que guardarão para sempre, seja qual for o destino.

 

O plano ideal é pensar na data para o casamento em simultâneo com o destino da lua-de-mel, por uma razão simples: a sintonia destas duas ideias deve estar alinhada, para que o destino e a época do ano para o desfrutar, coincidam. Ora se vão casar no verão e a vossa viagem de sonho tem como destino uma cabana de madeira numa montanha coberta de neve, terão de esperar uns meses entre o mais bonito dos dias e a grande viagem.

Isto é o plano perfeito para quem é super organizado e muito metódico – não é para todos e não há problema nenhum com isso, relaxem e não acrescentem mais itens à vossa lista de preocupações. Tudo converge!

 

A Andreia Augusto, da I Go Travel aconselha: comecem por fazer uma lista dos vossos destinos de sonho. Os meus, os teus e os nossos. Se há coincidências, então há vencedores. Mas se a lista for completamente diversa, analisem os gostos de cada um e os pontos fortes e fracos que vos levaram a fazer essas escolhas. Que tipo de viajantes são? Gostam mais de natureza e aventura ou são as cidades e a cultura urbana que fazem uma viagem valer a pena? São adeptos de roteiros ou dão tudo por uns dias só de sol e praia?

Pensem no contexto em que vão viajar, logo após um dia tão mágico, que foi precedido de uma carga emocional tão grande, e pensem no que querem para esses dias – essa reflexão vai ser também um factor de decisão para o destino a escolher.

 

Lista feita (não é má ideia ter pelo menos três opções, diversas, de destino), há que fazer contas e perceber qual o orçamento disponível. Não há viagem de sonho se não houver também (alguma) disponibilidade financeira para sonhar. No plano de custos que traçarem, contemplem ainda um montante para gastos extra no local, que podem ser mais ou menos, mediante o plano de viagem que escolherem.

 

Como planear uma viagem de lua de mel com a I Go Travel Como planear uma lua-de-mel exótica, com a I Go Travel  Planear a lua-de-mel com safari, com a I Go Travel

Com três opções de destino alinhavadas e uma noção de custos e orçamento disponível, é altura de fazer algum trabalho de casa. Estas são algumas questões para as quais devem procurar respostas claras:

 

Quanto tempo demorará a viagem?

Considerem um dia de descanso entre o dia do casamento e a data da partida (o mesmo para a viagem de volta, em relação ao regresso ao trabalho ou às rotinas). Evitam nervosismos de maior, pressas malucas, malas feitas a correr, viajar com um imenso cansaço acumulado (e talvez uma certa ressaca…) e ajuda ao ajuste ao jet lag, caso escolham um destino com um fuso horário bastante diferente do vosso.

Viajar milhares de quilómetros durante um dia inteiro só vai valer a pena se, depois, puderem usufruir do destino com tranquilidade e intenção. O tempo de correria e stress acabou no dia anterior ao casamento. Agora, aproveitar cada instante é apalavra de ordem.

 

Qual é o estado do tempo no período em que estarão lá?

O facto de o vosso casamento ser no verão, não significa que no destino da lua-de-mel as temperaturas sejam iguais. Muita atenção também aos alertas metereológicos, aos desastres naturais potenciados pelas natureza das próprias estações (como esta vaga de incêndios em pleno verão australiano) e às épocas de furacões e monções, habituais no sudoeste asiático. Cada vez mais as alterações climáticas têm genuíno impacto no clima e compete-nos estarmos atentos e sermos cuidadosos e conscientes.

 

O que há para ver, conhecer e fazer?

Façam esta pesquisa em conjunto, sobretudo se (ainda) não estiverem alinhados em relação ao destino a escolher. Apresentem, de forma individual, os vossos pros e contras em relação aos respectivos destinos e, certamente, chegarão a bom porto.

 

Qual a situação política e social actual?

Muito importante! Procurem informação fidedigna e certifiquem-se de que tudo está tranquilo, sobretudo se optarem por um destino menos convencional. A vossa segurança e bem-estar estão em primeiro lugar, principalmente numa viagem como a lua-de-mel. Consultem os sites do Governo Português, E-Portugal (o portal do cidadão) e o Portal das Comunidades Portuguesas (do Ministério dos Negócios Estrangeiros) para verificar possíveis alertas e destinos não recomendados ou pouco seguros, e cruzem esta informação com a vossa agência de viagens.

 

Quais as burocracias necessárias?

Recolham informações sobre a validade do passaporte necessária para entrar no país, bem como sobre a necessidade de visto e vacinas específicas, junto das entidades responsáveis. Todos estes procedimentos levam algum tempo e não ter tudo pronto com a devida antecedência pode inviabilizar a vossa viagem. Ninguém quer ficar em terra por causa de burocracia, pois não?

 

Recomendações finais: escolham um destino que tenha a ver convosco, não o que esteja na moda. Como na organização e decisões do vosso casamento, deve ser à vossa medida e reflexo de quem são, enquanto indivíduos e enquanto casal.

Se se estão a planear a lua-de-mel sem ajuda, sejam exaustivos no planeamento, de forma a desfrutarem, de facto, de uma viagem de sonho.

 

A Andreia Augusto partilha a sua sabedoria, como profissional, como noiva que foi e como viajante: a lua-de-mel não é uma viagem qualquer, é “A” viagem. Aquela que celebra o vosso Amor, a vossa união e, até, a vossa perseverança. É o presente que vocês se oferecem, depois de um dos momentos mais importantes (e desafiantes) da vossa vida como casal.

 

Sobram dúvidas? Falem connosco ou passem pela ficha de fornecedor da I Go Travel e enviem-lhes uma mensagem.

E não deixem de acompanhar as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Dicas para casar: para as noivas de 2020

O Natal e a passagem de ano são o ponto alto dos pedidos de casamento, já ouvimos dizer.

A família e os amigos estão reunidos, quem está fora, regressa a casa e há meia-dúzia de dias mais relaxados entre ambas as comemorações. É o fim de um ciclo e abrem-se as portas a um ano novinho em folha, com as suas resoluções e vontades e desejos – o cenário perfeito, portanto!

 

Para as nossas meninas leitoras que terão ficado noivas por estes dias, os nossos parabéns!

Esta viagem até ao mais bonito dos dias é um momento fantástico e cheio de emoções, contem com a nossa ajuda para vos guiar até lá, navegando as pressões, os orçamentos e as decisões.

Estaremos por aqui, quais fadas-madrinhas em pleno exercício dos seus poderes mágicos (conhecimento e inspiração), para vos fazer companhia. Temos várias ferramentas ao vosso dispor: uma lista seleccionada de fornecedores de qualidade, com estilos para todos os gostos, inspiração e ideias frescas em quantidade generosa, um guia prático para quem vai casar, testemunhos de quem já casou, partilhados todas as semanas e as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira, em que abordamos um assunto de cada vez, da imensa lista de coisas importantes para quem está de casamento marcado.

 

Começámos esta série em Setembro e temos falado de como fazer o orçamento, como escolher um bom fornecedor, procedimentos legais para casar, como escolher a decoração, como escolher um espaço, como encontrar o vestido de noiva, como ter um casamento mais sustentável, etc..

A ordem que seguimos é cronológica e temos mais temas alinhados para vos acompanhar e dar resposta ao longo deste caminho.  Se alguma questão logística vos está a tirar o sono, partilhem-na connosco: juntamente com os nossos fornecedores dedicados, encontraremos a resposta que procuram!

 

Este ano celebramos dez anos online a partilhar coisas bonitas: palavras, ideias, conselhos, imagens. O fio condutor é o casamento, o mais bonito dos dias, partilhado com os nossos e à nossa medida. A forma que toma e o tamanho que tem – uma festa de arromba, uma celebração intimista em casa, um dia no coração quente do Alentejo, uma comunhão religiosa numa igreja renascentista – são a vossa escolha pessoal, a vossa imagem. O nosso papel é, desde o primeiro momento, validar a diferença e as escolhas que cada casal faz, garantindo e reforçando que, se são feitas com o coração, são as certas, porque são as vossas.

 

Noivos de 2020, vamos a isto?

 

Fotografia de Bruno Ribeiro Photographer, anel e alianças Romantis e convite e styling A Pajarita. Espreitem este editorial bonito, inspirado no Pantone do ano, criado por este trio de fornecedores fantásticos!