Created with Sketch.
Marta Ramos

Um casamento DIY na ilha do Pico, por OCASO – True Love Stories

Para o Gil e a Joana, do OCASO – True Love Stories, cada casamento é como um filme de desenhos animados com príncipes e princesas: um verdadeiro conto de fadas mas com pessoas reais, sem encenação e sem repetições. Orgulham-se de se manterem fiéis aos seus princípios e de concretizarem os sonhos de cada casal que os escolhe. Para se inspirarem, regressam muitas vezes às praias (ou às memórias das praias) que os viram nascer, em S. Miguel, nos Açores, e em Matosinhos.
Desta vez, foram convidados a rumar aos Açores, mas à ilha do Pico:

«Todo o processo de preparação foi recheado de emoções, desde a escolha do vestido de noiva à viagem, passando pela breve paragem em São Miguel, ilha onde uma das metades do OCASO nasceu. E culminando na alegria de vermos o sonho do casal totalmente materializado a quatro mãos, num casamento super intimista, pincelado pelas paisagens únicas que só os Açores nos podem oferecer.
O casamento da Verónica e do Luís nasceu nos seus sonhos e foi todo desenhado pelos seus corações, até ao mais pequeno detalhe. Tudo foi criado por eles.
Para a cerimónia civil não poderiam ter optado por local mais representativo da denominada “ilha cinzenta”: o Museu do vinho Pico, recheado de vegetação única e de vinhas, e com as suas enormes portadas encarnadas, que se destacam ao longe.
E se ao longo da nossa estadia não tínhamos ainda vislumbrado o cume do ponto mais alto de Portugal, como por sinal de benção aos noivos a montanha mostrou-se no grande dia. Uma história inesquecível.»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mágico!
Consultem a ficha de fornecedor seleccionado da OCASO – True Love Stories, onde encontrarão uma bonita amostra dos seus trabalhos. E vão acompanhando as nossas publicações sobre eles, vêm aí mais coisas bonitas!

Marta Ramos

Lendas e histórias de amor, por Feel Creations

O castelo de Santa Maria da Feira é um dos exemplos mais completos de arquitectura medieval portuguesa, tendo assumido um papel primordial em batalhas desde a causa independentista de D. Afonso Henriques até ao século XVI. Hoje, é o centro de actividades culturais e de lazer do concelho – e um ícone romântico por excelência. Reza a lenda que um alcaide mouro de Santa Maria da Feira se disfarçou de mendigo e planeou o sequestro de uma donzela cristã, para depois fingir tê-la salvo dos raptores, lavando a rapariga a apaixonar-se e a aceitar viver com ele no castelo.

A Feel Creations foi até lá para registar mais uma história de amor: «A Bárbara e o João são de Santa Maria da Feira e pediram-nos para começarmos a sessão de namorados no castelo. Não poderíamos ter começado melhor, dado que o ambiente rústico e medieval do local se conjugou na perfeição com a cumplicidade do casal. Depois de explorarmos o castelo – as escadas, os interiores e as esquadrias de pedra –  descemos à cidade. A Bárbara e o João são tão curiosos, intensos e aventureiros, que praticamente nos esquecemos do contexto que nos circundava, orientando o nosso registo fotográfico para o casal e para os gestos que iam trocando. Acabámos a sessão junto dos estábulos da Feira Medieval, num cenário idílico que misturou o tom primaveril das camélias com o sol torrado de fim de tarde.»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não deixem de consultar as duas fichas de fornecedor seleccionado da Feel Creations para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho: a de  fotografia  e também a de vídeo. E acompanhem os artigos que vamos publicando acerca deste talentoso quarteto.

Marta Ramos

Bouquet DIY, por Arte Magna

Na sexta-feira passada publicámos o casamento orgânico e cheio de emoções da Ana e do Daniel, fotografado pela dupla Arte Magna. Uma festa belíssima, carregada de pormenores e de intencionalidade. Ficámos de vos falar em mais detalhe sobre o bouquet e as flores deste casamento, um trabalho delicado da noiva. Pois bem, é isso que faremos agora. Ou melhor, que fará a Ana, nas suas palavras:

Cada um tem a sua flor favorita. São sem dúvida a materialização natural do amor e por isso um elemento central na celebração da união de duas pessoas. Como apaixonada por flores, queria aproveitar a oportunidade para explorar uma paixão e coordenar a decoração e selecção das flores, combinando cores e texturas.

«O ponto de partida foi a definição da peça central da decoração e que deu o mote para as cores e ambientes de todo o casamento: a protea king. Esta flor, com origem na África do Sul, trazia consigo muitas lembranças que queríamos presentes neste dia. Com grande presença, a protea king foi complementada com outras flores que compuseram em escala e cor toda a decoração, navegando entre tons de rosa suaves e verdes de diversas tonalidades. Foram escolhidas rosas David Austin de tom rosa claro, lisianthus brancos, lírios do vale, dianthus brancos e dois tipos de eucalipto. Cada uma destas flores incluía um significado especial, dando intenção à sua escolha.
O bouquet reflectiu a selecção de flores e foi um momento de experimentação. Os preparativos das flores iniciaram-se no dia antes do casamento. Depois de ir buscar as flores ao fornecedor Florineve, juntei-me com uma amiga que me ajudou a compor o bouquet e alguns elementos especiais que fizemos para oferecer à madrinha e irmã do noivo, às meninas das alianças e a alguns amigos. Quisemos presenteá-los com algo personalizado e que trouxesse mais flores para a cerimónia: uma coroa de flores, um conjunto de gancho de cabelo e pulseira, pequenos ganchinhos floridos e boutonnières.
Por questões de logística, o bouquet foi só finalizado no próprio dia, umas horas antes da cerimónia, o que trouxe algum stress a este momento, pois sendo inexperiente nesta matéria não estava certa do tempo de que precisaria para concluir o processo. Mas, com a ajuda da minha mãe nos últimos retoques, o resultado final superou todas as expectativas e fez jus ao imaginário idealizado.
A finalização do bouquet foi verdadeiramente um momento de grande euforia e partilha com quem estava presente, principalmente com a minha mãe, que apoiou desde o princípio esta ideia. Cortaram-se as pontas do ramo, prendeu-se a fita de cetim e de repente estava tudo a postos para o grande momento.»

Depois das palavras, as imagens, igualmente assinadas pelos talentosos Teresa e Dado, da Arte Magna.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E que belo resultado! Não deixem de ver o registo completo deste casamento no nosso artigo de sexta-feira; e aproveitem para passear um pouco pelas publicações que já fizemos sobre a Arte Magna. Não vão resistir a querer falar com a Teresa e o Dado sobre os vossos planos para o vosso dia – e eles vão adorar conversar convosco!

Marta Ramos

Wise words: noivas plus size

A ideia surgiu ao ler o blogue The Paper and Ink, a casa virtual de Joana Cardoso para assuntos variados, mas sobretudo para falar de moda, com especial foco no estilo com formas generosas. Acontece que a Joana é fotógrafa e trabalha também na área dos casamentos, pelo que nos pareceu a pessoa indicada para nos ajudar a preparar um artigo de wise words dedicado às noivas plus size.

«Penso que cada vez mais o mercado da moda responde às exigências da mulher real, ou seja, aquela que tanto veste um 34 como 54», diz-nos Joana Cardoso. «Claro que os modelos base são sempre pensados numa silhueta mais estreita, mais conforme os parâmetros dos desfiles de moda, mas quase todas as lojas e grande parte das marcas e estilistas acabam por, na área de vestidos de noiva, ter à disposição uma maior variedade de tamanhos. Há modelos que assentam melhor numa mulher mais magra, enquanto outros são escolhas mais seguras para mulheres com mais curvas – mas a verdade é que já encontramos uma boa variedade de vestidos em diversos tamanhos.»

Desafiámos a Jo (como é mais conhecida) a imaginar que estava de data de casamento marcada. Por onde começaria as suas pesquisas de vestidos de noiva? «Acho que sou aquele tipo de mulher que já tem uma ideia bastante fixa do que quer usar e procurar, mas mesmo assim acredito que muitas vezes somos surpreendidas por aquele vestido ou corte que nunca nos passaria pela cabeça. Sem dúvida que o meu primeiro instinto seria procurar inspirações em sites do género do Pinterest ou até mesmo no Instagram. Faria pesquisa online nas lojas multimarca mais conhecidas e também por pequenas boutiques e designers independentes, algo que começa a ser bastante comum nos dias que correm. Acho que tudo depende do nosso gosto e orçamento, mas acredito que a pesquisa deve ser extensa e termos a certeza de onde estamos a comprar e de realmente escolhermos algo que nos faz feliz. No Porto, onde resido, não perderia as lojas físicas como a Rosa Clará, a Pronovias, Jesus Peiro, Gio Rodrigues ou a Penhalta Novias.
É sempre mais difícil comprar um vestido de noiva online, mas ainda assim pesquisar também lá fora é uma óptima ideia para encontrar marcas e designers que trabalham com tamanhos grandes, sendo que há a possibilidade de algumas lojas em Portugal receberem artigos de marcas internacionais com essa especificidade, como a Kenneth Winston ou a Laure de Sagazan

Para a Joana, a regra número um será fugir aos cortes comuns, isto é, ao estilo princesa, com grandes saias, vestido com decotes cai-cai, alças muito finas. Muitas vezes os modelos mais justos e até estruturados acabam por cair muito melhor num corpo mais volumoso, fazendo sobressair uma maravilhosa forma ampulheta. Cada pessoa tem as suas características, mesmo que duas mulheres vistam o mesmo tamanho isso não significa que tenham a mesma forma. Daí que não pode haver uma fórmula para vestir todas as noivas plus size. «Não tenham medo de experimentar um corte sereia, ou um corte fit and flare, ou algo que nunca vos passaria pela mente sequer. Pensem no tom do vestido, no tecido em si – adoro rendas e sedas ou cetins mais estruturados – e combinem todos os pormenores de modo a ter um vestido coeso, no qual se sintam bem e bonitas. Por vezes os vendedores têm a melhor intenção possível mas acreditem que a decisão final deve ser sempre vossa e se se sentirem bem é o que importa. De que vos vale todos dizerem que estão lindas se não gostam do vestido? O dia é vosso, mantenham isso em mente.»

Quanto a acessórios, a preferência da Jo recai sobre os toucados, embora reconheça que os véus têm um efeito fotogénico muito especial. Uma bonita pulseira, um anel de família ou uns brincos simples são as suas apostas em termos de jóias (sobretudo, em vestidos muito complexos ou com decotes altos). E quanto a sapatos? Elegância, claro, mas conforto, sempre. Se não resistem a uns saltos super altos para arrasar, contemplem a hipótese de ter um segundo par de sapatos para as horas mais agitadas da festa. Podem ser igualmente bonitos e vocês agradecerão muito terem-se lembrado disso, depois de várias horas em pé. E para conselhos sobre lingerie, recomendamos o nosso artigo de wise words com o contributo da Dama de Copas.

 

 

 

 

 

 

 

É então que chega o grande dia, em que a noiva é o centro das atenções, com câmaras apontadas para si a toda a hora. «O modo como nos vemos é sempre diferente daquele que é retratado, temos tendência a ver coisas a mais ou a menos, a fazer poses que resultam bem ao espelho mas que são impossíveis de replicar fotograficamente. Também o ângulo da fotografia nunca será o mesmo de quem se olha a si mesma num espelho. Enquanto que eu olho de cima para baixo num espelho, com a altura dos meus olhos a cerca de 1,60m do chão, já a partir de uma lente o ângulo é posicionado mais abaixo ou mais acima, e a própria abertura angular da lente faz com que pequenas deformações existam o que leva a que acabemos por parecer ou mais gordinhas ou mais magras.»

A verdade é que um bom fotógrafo, quer seja no casamento ou numa sessão, irá ajudar-vos a encontrar o ângulo certo, especialmente se já vos conhecer e tiver trabalhado convosco – algo que acredito ser sempre muito benéfico – e assim dar-vos uma fotos de sonho que vos irão fazer ver o quão bonitas realmente são, algo que nem sempre conseguimos apreciar em nós mesmas.

Um dica da Jo que vale mesmo a pena pôr em prática: experimentem ter uma amiga a tirar-vos fotos na prova dos vestidos, de vários ângulos, sentada, em pé, a andar, e assim conseguirão ter uma melhor percepção de como tudo irá correr no dia e se o vestido fica tão bem – ou não – como vos parece quando se vêem ao espelho.

«Se não gostam de ver os braços nus, optem por um vestido com manga. Se não querem realçar a barriguinha, optem por usar uma cinta modeladora ou um vestido em que o corte não evidencie a zona abdominal. A verdade é que, como mulher e fotógrafa, ouço clientes dizer que não gostam disto ou daquilo nas suas silhuetas e, no dia do casamento, aparecem com vestidos que evidenciam todos essas partes que menos apreciam. Pedem-nos “milagres”, pedem-nos Photoshop – não é viável editar 1000 fotos de um casamento de modo a dar uns braços mais magros, uma barriga mais definida. Isto não é de todo uma crítica, é mesmo um conselho, como fotógrafa e como mulher plus size que começou a perceber os truques que a roupa nos permite fazer.»

A confiança também é dos pontos mais importantes. Se uma mulher se sente bonita, sem medos, sem preocupações estéticas face ao seu corpo e ao que veste, isso transparece. A confiança é uma base importante da beleza. «Para as pessoas mais tímidas, acreditem que nós – fotógrafos – temos a nossa maneira de vos deixar mais à vontade. Eu, pessoalmente, adoro conhecer os meus clientes antes, talvez até fotografar com eles antes do casamento para entender toda a nossa dinâmica. Não tenham medo de dizer aquilo de que gostam, não gostam, o que querem ou não querem.»

Da minha parte, eu vou tentar fazer-vos rir, pedir para olharem um para o outro e dizerem o motivo que vos levou a amar, que vos levou àquele dia, e é a partir desses momentos que os olhos brilham, os abraços surgem, os beijos acontecem e eu consigo captar a essência do vosso amor, de modo muito natural, puro e sem grandes poses. O amor torna tudo mais bonito, incluindo as pessoas.

Obrigada, Jo! Não deixem de acompanhar o blogue The Paper and Ink e coloquem as vossas dúvidas à Joana Cardoso, que terá muito gosto em aconselhar-vos.

Fotos: casamento da plus size blogger Callie Thorpe, fotografado por Kirsty Mackenzie.

Marta Ramos

Nova montra Hello Twiggs: fotos fresquinhas e felizes!

As galerias das fichas de fornecedor seleccionado são como montras do trabalho dos profissionais que escolhemos para vos recomendar. Com a remodelação do Simplesmente Branco no ano passado, ficaram ainda mais gloriosas, permitindo-vos folhear e sonhar, enquanto detectam aqueles pormenores especiais que vos fazem querer contactar aquela pessoa.

Hoje destacamos a renovação da montra da Hello Twiggs, a marca com que assina a Cláudia Casal, fotógrafa que vive apaixonada por Lisboa e pelas histórias de amor que tem a felicidade de testemunhar. Sensível à luz, às cores e aos detalhes que contam uma história, gosta de saber que as fotografias que tira são pedaços da história de alguém, e que essas fotografias vão ajudar a sorrir, a relembrar, a reviver e talvez a chorar. Serão o retrato de uma vida. A verdade é que o que levamos desta vida são as histórias e as memórias.

A Cláudia acha que o dia de casamento é um dos dias mais felizes, com todas as pessoas que são importantes na vida daquelas duas pessoas presentes e a celebrar o que há de mais bonito – o AMOR. E gosta de saber que, através da sua perspectiva, vão poder guardar aqueles momentos para o resto das suas vidas e passá-los às futuras gerações. Orgulha-se de não ser apenas a fotógrafa daquele dia, mas uma pessoa que acompanha o casal durante o dia todo, que os aconselha, que os ajuda a fazer daquele dia um dia mais feliz, tranquilo e bonito! E, claro, de prestar atenção a todos os detalhes que lhe contam, para que esses detalhes façam parte da história.

Julgo que a natureza é das minhas maiores inspirações. As cores e a luz que mudam de estação para estação; e de como, independentemente de tudo o resto, a natureza está sempre em constante mudança. E depois, claro, a cidade em que vivo, com a luz mais bonita do mundo, que me inspira também tanto!

Seleccionámos algumas das mais recentes imagens da galeria Hello Twiggs para vos mostrar aqui – mas depois não deixem de ir ver o conjunto completo, que é radioso!

 

 

 

 

 

Uma alegria contagiante! Se gostaram desta amostra, mais ainda gostarão de navegar demoradamente pela galeria completa. Aconselhamos, também, que releiam todos os artigos que já publicámos acerca da Hello Twiggs e que falem com a Cláudia, que está à vossa espera para vos ajudar a contar a vossa história.

Marta Ramos

Um olhar delicado sobre as anémonas, de Por Magia

A paixão pelas flores, por ouvir histórias e conhecer novas pessoas, levou a Andreia e o Bruno Ribeiro a dedicarem-se a criar dias memoráveis. Juntos interpretam sonhos e reinventam ideias. Desenham todos os detalhes da vossa festa do início ao fim, desde o bouquet à decoração dos centros de mesa ou à total decoração do evento, trabalhando cuidadosamente todas as texturas, cores e tecidos para que o conjunto se reflicta em pormenores elegantes e distintos. Já contamos há algum tempo com a Por Magia entre os nossos fornecedores seleccionados, na área da decoração para casamentos. Recentemente, duplicámos a dose, com a Andreia e o Nuno a estenderem a sua paixão à fotografia. Assim nasceu a Por Magia Photography, que defende uma imagem simples, elegante, intemporal, que nos transporta para dias vividos de uma forma autêntica.

As imagens que vos trazemos hoje são o resultado de um momento de liberdade criativa da Andreia e do Bruno. Depois de um trabalho com anémonas, não resistiram a criar uns quadros inspiradores e a fotografá-los com delicadeza: «Anémonas… São delicadas e com uma natureza selvagem, são enigmáticas e com um toque obscuro! Prendem o olhar e fazem-nos sentir atraídos, transportam-nos para um ambiente etéreo e mágico… São fabulosas aos nossos olhos!»

 

 

 

 

 

 

 

Quanta doçura e quanto carácter!
Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado de Por Magia Photography para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho, assim como o seu portefólio de decoração para casamento. E falem com a Andreia e o Bruno sobre as vossas ideias e os vossos sonhos. Eles terão muito prazer em dar-lhes vida.

Marta Ramos

Entre o pinhal e o mar, por Nuno Guerra Fotografia

No concelho da Marinha Grande há um recanto meio escondido, para lá do majestoso Pinhal do Rei, que tanto sofreu nos incêndios do ano passado, mas que regressará em toda a sua glória. É preciso percorrer uma estrada sinuosa e misteriosa, que não nos deixa antever o que nos espera lá à frente, dar curvas e contracurvas por entre a moldura de pinheiros, até chegarmos à placa que anuncia São Pedro de Moel. Logo ali se abre o cenário para dar lugar às bonitas casas de varandas em madeira e ao azul profundo do mar em linha de fundo.

Hoje combatemos o cinzento do céu com as cores de São Pedro de Moel, numa tarde quente de Julho passado. Verde-pinheiro e azul-oceano, sobretudo. Só é pena não vos podermos transmitir os aromas correspondentes. Quem nos leva a passear é o fotógrafo Nuno Guerra:

«Reuni com o Jorge e a Ana num simpático café em Leiria. Conversámos sobre coisas de que todos gostamos – fotografia e viagens – e sobre o que seria, para eles, mais importante no dia do casamento. Escolheram São Pedro de Moel como cenário para as fotos da sessão de namoro. A Ana é de lá e ambos gostam desta simpática terra costeira.
Do pinhal saíram os primeiros cliques; depois, junto ao mar, o icónico farol e o passadiço oferecerem-nos presentearam-nos bonitas vistas. Uma tarde algo ventosa, quente (não estivéssemos em julho) e bem passada. Bem dispostos e de sorrisos abertos, a lente da minha câmara registou-os sempre em cumplicidade e amor, no lugar onde se sentem em casa e onde, algum tempo depois, casaram.»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que vontade de passear à beira-mar! Obrigada, Nuno Guerra Fotografia, por este passeio.

Não deixem de seguir o Nuno nos muitos outros passeios que ele já nos proporcionou. E falem com ele. Contem-lhe a vossa história, discutam com ele os vossos gostos, falem-lhe do que é mais importante para vocês e dos lugares onde se sentem em casa. Ele é um excelente ouvinte e tradutor das vossas emoções em imagens doces.