Created with Sketch.
Susana Pinto

À conversa com: PortoFesta – animação de eventos

Hoje conversamos com a PortoFesta, uma conceituada empresa de animação de eventos que anda a fazer gente feliz desde 2007, segundo as palavras do DJ Tiago Baptista.

Falamos do seu percurso e do que faz uma bela pista de dança num evento – e as diferenças entre momentos de trabalho e momentos de lazer.

Juntam-se a nós?

Uma pessoa com experiência de leitura de pista num espaço nocturno tem muito mais bagagem para interpretar as reacções das pessoas, os seus gostos e para que direcção deve encaminhar o percurso musical da festa.

 

Conte-nos um bocadinho do seu percurso, até às pistas de dança: como é que isso aconteceu?

Comecei a pôr musica aos 13 anos de idade. Um amigo da família tinha uma empresa de som e luz e com ele comecei a desenvolver o gosto pela música e pela técnica. Na altura comprei uns giradiscos Technics Profissionais, que só algumas discotecas tinham, que eram para fazer as edições de audio para as passagens de modelos e esse foi o meu primeiro contacto com esta área, teria uns 12 anos. Entretanto comecei a pôr musica num bar que existia no Foco, no Porto, o Bib’ó Porto, e assim nunca mais parei, trabalhando em algumas das discotecas mais conceituadas do Norte incluíndo no percurso a gravação de um CD duplo que foi disco de prata juntamenten com dois conceituados DJ’s da nossa praça.

 

Animação noturna e casamentos – sendo a música um assunto transversal, esta é uma ligação natural e inevitável?

Pode não ser, mas considero que, obviamente, uma pessoa com experiência de leitura de pista num espaço nocturno tem muito mais bagagem para interpretar as reacções das pessoas, os seus gostos e para que direcção deve encaminhar o percurso musical da festa.

 

O que ouve quando não está a trabalhar? Separa lazer e profissão?

É quase impossível separar. Inevitavelmente, até quando estou numa esplanada, se ouço um tema que me agrada, adiciono ao arquivo. Tento ouvir um bocado de tudo, não tenho preconceitos musicais.

 

Gosta dançar ou prefere ouvir? Como se mantém actualizado?

Prefiro ouvir mas também gosto de dançar. Normalmente mantenho-me actualizado a partir da plataformas digitais.

 

Portofesta - DJ para casamentos Portofesta - DJ para casamentos Portofesta - DJ para casamentos

Trabalha com clientes corporativos e com clientes particulares: no dance floor somos todos iguais ou o vibe da festa é muito diferente?

O vibe da festa é diferente, algumas pessoas, em ambiente profissional e com colegas de trabalho, não se desinibem totalmente estão sempre condicionadas pelo que os outros possam pensar. Num ambiente familiar tudo é diferente.

 

O que faz uma grande noite (ou pista de dança)?

Em primeiro lugar a música, depois, no caso de um casamento, os convidados, e numa discoteca, os clientes.

 

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação aos vossos clientes?

No caso da Portofesta, em que já estamos implantados no mercado há 12 anos, os pedidos surgem maioritariamente por “passa a palavra”, clientes satisfeitos que passam o nosso contacto a amigos. É claro que plataformas como o Simplesmente Branco nos ajudam a divulgar o nosso trabalho e aumentam a nossa visibilidade.

Normalmente, os noivos contactam-nos, expõe as suas necessidades e, em função das mesmas, apresentamos um orçamento.

Na fase seguinte marcamos uma reunião onde normalmente são discutidos todos os pormenores.

 

Portofesta - DJ para casamentos Portofesta - iluminação para casamento

Como cria a playlist para o seu cliente? É tudo trabalho prévio ou há espaço de improviso, um pesa mais do que outro?

Normalmente pedimos uma lista dos temas e bandas preferidas dos noivos, assim como alguns temas que os tenham marcado. Existe um trabalho prévio na preparação dos temas para os momentos especiais e da playlist para o baile, tentamos fazer a melhor junção possível de músicas que sabemos que à partida podem funcionar com aqueles sugeridos pelos noivos, juntando assim o útil ao agradável, criando um cocktail explosivo de diversão.

 

Se se casasse, com que música abria a pista?

Como elas é que mandam, deixava a noiva escolher!

 

Para fechar, qual é a música a que regressa sempre?

Dancing Queen, dos ABBA.

 

 

Contactem a Paula Gomes, da PortoFesta, através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias e entrem em contacto directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática da Paula Gomes.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Rituais – animação, audiovisuais e produção de eventos

Hoje conversamos com o Luís Alves, da Rituais – animação, audiovisuais e produção e eventos.

Falamos sobre como ter uma bela e animada pista de dança que dá vida à vossa festa e sobre as diferenças entre os eventos profissionais e sociais – é sempre interessante!

Juntem-se a nós e descubram o trabalho deste fornecedor seleccionado Simplesmente Branco!

 

Rituais - animação para casamentos e DJ
Rituais - animação para casamentos e DJ
Rituais - animação para casamentos e DJ
Conte-nos um bocadinho do seu percurso, até às pistas de dança: como é que isso aconteceu?

O gosto pela música  já vem de raízes familiares.  O meu pai é saxofonista e, desde cedo, habituei-me a estar em palcos com ensaios, montagem de equipamentos de som, luz, instrumentos , convivendo com artistas e o mundo dos espectáculos.

Aos catorze anos o meu cunhado era DJ e comecei a aprender a trabalhar com ele com os pratos technics e cassetes. Aos dezasseis, iniciei a actividade como DJ em festas de escolas, passando pelas universidades e em bares e discotecas. Aos dezoito iniciei, paralelamente com os espaços onde trabalhava, o trabalho de DJ em casamentos.

Hoje em dia faço a gestão de vários DJ’s da Rituais para os nossos eventos e  pessoalmente alguns trabalhos em cocktailssunsets e festas da Rádio Remember.

 

Animação nocturna e casamentos –  sendo a música um assunto transversal, esta é uma ligação natural e inevitável?

O tipo de trabalho nocturno em discotecas é completamente diferente dos casamentos, normalmente está associado a um tipo de música e de público especifico.

Inevitavelmente a animação nocturna é uma boa escola para os DJ’s  fazerem a ponte para os casamentos, que na minha óptica são mais exigentes devido a trabalharmos com públicos completamente diferentes, quer na classe social, idade, gosto e disposição para dançar. Temos que ser mais flexíveis, ter um vasto conhecimento musical e disponibilidade física e mental para estarmos imensas horas a trabalhar.

 

O que ouve quando não está a trabalhar? Separa lazer e profissão?

Oiço um pouco de tudo, depende do espírito no momento, adoro música e tem que estar sempre presente, quer no escritório, carro ou em casa.  Soul, funk, soulful e deep house, passando pela música tradicional cubana, reggae e também na rádio online que temos  – Remember anos 70, 80 e 90’s os hits destas décadas.
Separo na medida em que quando estou a trabalhar estou concentrado no que estou a fazer, analisando a pista de dança e em lazer apenas quero relaxar com a música que passa na rádio ou no Spotify da Rituais.

 

Rituais - animação para casamentos e DJ Rituais - animação para casamentos e DJ Rituais - animação para casamentos e DJ

Gosta dançar ou prefere ouvir? Como se mantém actualizado?

Apesar de gostar de dançar, prefiro ouvir música.

Em diversos canais, como por exemplo rádio, charts internacionais,  internet em sites de compra de música, entre outros.

 

Trabalha com clientes corporativos e com clientes particulares: no dance floor somos todos iguais ou o vibe da festa é muito diferente?

A música quando devidamente tocada é bem recebida por todos os públicos, no entanto no universo corporativo é mais selectivo e discreto no início da pista de dança, mas rapidamente o público começa a  descontrair e ter a mesma vibe do cliente particular.

 

O que faz uma grande noite (ou pista de dança)?

Uma boa selecção musical e saber ler a pista de dança.

 

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação aos vossos clientes?

Através da Rituais que promove o meu trabalho e que faz todo o processo comercial com os clientes.

 

Rituais - animação para casamentos e DJ Rituais - animação para casamentos e DJ Rituais - animação para casamentos e DJ

Como cria a playlist para o seu cliente? É tudo trabalho prévio ou há espaço de improviso, um pesa mais do que outro?

Há sempre um trabalho prévio preparando e adequando o estilo musical ao tipo de evento e cliente. No decorrer da festa também percebemos a vibe da pista de dança e improvisamos com alguns temas que nos vão pedindo.

 

Se se casasse, com que música abria a pista?

“September”, Earth, Wind & Fire

 

Para fechar, qual é a música a que regressa sempre?

Normalmente não repetimos músicas que já foram tocadas, só em situações especificas em que o cliente nos pede para o fazer.
Uma das músicas de eleição para repetir e apesar de oldie é  “Show me love”, de Robin S.

 

 

 

Contactem a Rituais através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias, feita de belas imagens e vídeos, e entrem em contacto directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática do Luís Alves.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Lemonview – fotografia e video de casamento

Hoje aproveitamos o feriado para ficar a conhecer o trabalho bonito da dupla Lemonview, que faz fotografia e video de casamento a partir do Porto.

Conversamos com a Joana Deusdado e Sofia Miranda sobre o que as inspira, o que as levou até aqui, ao registo em fotografia e video dos mais bonitos dias e o que as emociona.

Juntam-se a nós?

Gostamos de capturar emoções. E, para nós, a celebração de um casamento é isso mesmo, são emoções ao rubro, a alegria que circula pelo ar e que é contagiante.

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, à fotografia e vídeo de casamento.

Eu e a Sofia somos amigas desde o tempo da universidade e portanto já nos conhecemos há bastante tempo.  Estudámos na área de imagem e pós-produção, e acabámos por ir trabalhar para a mesma produtora audiovisual. À medida que o tempo foi passando, fomos percebendo que os gostos, mesmo a nível de trabalho, ou seja, estética visual eram muito similares. A Sofia sempre fez fotografia e eu, a Joana, sempre fui muito ligada ao que estaria por detrás da câmara. Em 2015, pensámos porque não fazer um projeto só nosso e assim surgiu a Lemonview.

 

Há quanto tempo captam imagens? E porquê casamentos?

O fascínio pela imagem existe desde sempre e a fotografia sempre esteve presente nas nossas vida. A Lemonview surgiu em 2015, mas já trabalhamos em audiovisual há cerca de 12 anos.

Gostamos de capturar emoções, como nós costumamos dizer. E, para nós, a celebração de um casamento é isso mesmo, são emoções ao rubro, a alegria que circula pelo ar e que é contagiante.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

Podemos dizer que vemos o mundo por imagens. Tudo que nos rodeia influencia-nos, as nossas vivências, a nossa família e amigos, os nossos casais, tudo à nossa volta serve como inspiração. Até o mais pequeno pormenor que pode parecer trivial, mas na verdade não é. Estamos sempre atentas à arte, a maneira como vai evoluindo, como se vai transformando… seguimos sempre vários autores de fotografia, de vídeo, looks de que gostamos e com os quais nos identificamos.

 

Lemonview - fotografia de casamento Lemonview - fotografia de casamento Lemonview - fotografia de casamento

 

Como construiram a vossa assinatura, como a definem?

Lemonview é a junção do fruto com a perspectiva. O nosso símbolo é um triângulo, que representa a perspectiva invertida, ou seja, o olhar mas criativo. Chegamos bastante rápido ao nosso nome e logo.

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Férias! É sempre um reset ótimo! No entanto, acabamos sempre por reparar em algo que nos leva a pensar novamente nas “nossas imagens”. Passar tempo com a família e amigos simplesmente a descontrair, uma boa gargalhada é sempre uma boa maneira de descomprimir.

 

Do Porto para o mundo, ou Portugal de lés-a-lés: fotografar e filmar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar e filmar casamentos nacionais?

É engraçado, pois de facto existem alguns pormenores curiosos em casais que visitam Portugal. Talvez por virem para um país diferente do deles, estão muito atentos a todos os pormenores. Normalmente, muitos destes casais trazem convidados internacionais e cada um deles acaba por juntar um bocadinho da sua cultura ao casamento! Já tivemos convidados em cima de mesas, pois é costume beijarem-se em cima de mesas em festas, gostam de discursos e de passearem por cá. Acabamos por conhecer sítios novos nas nossas cidades ao passearmos com eles.

 

Lemonview - fotografia de casamento Lemonview - fotografia de casamento Lemonview - fotografia de casamento

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação aos vossos clientes?

Fazemos sempre uma reunião com os nossos casais, para nos conhecermos, quer seja presencialmente ou via online. Gostamos de ter este contacto pois a empatia também é muito importante para nós, assim como fazer com que eles se sintam à vontade connosco. Contam-nos como se conheceram e o que esperam de nós.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

O tipo de festa… com emoções! Acho que procuramos essencialmente isso, quer seja na simplicidade de uma cerimónia pequenina ou numa festa de arromba em que a dança toma conta de todos, inclusivé de nós! Para além disso gostamos bastante de casamentos boho style, que tragam algo de diferente!

 

Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo e videógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?

O mais desafiante são as horas extensas de trabalho num só dia e mantermo-nos sempre criativas. A concentração para estar no sítio certo no momento certa! A melhor parte é, sem dúvida, fazer parte desses dias felizes, toda essa alegria que nos enche também. Saber que estamos perante um momento único, que ficará gravado no coração de todos os amigos, familiares e noivos.

 

Escolham os favoritos do vosso portfolio e contem-nos porquê.

Escolher os favoritos é sempre difícil por isso escolhemos aqueles que trouxeram algo de diferente.

A Claúdia e o Daniel para quem era tão importante a sua ligação com a religião e que lavaram os pés um do outro como sinal de amor e cumplicidade.

 

 

 

Contactem a Lemonview através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias, feita de belas imagens e vídeos, e entrem em contacto directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática da Joana e da Sofia.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Feel Creations – fotografia e video de casamento

Hoje conversamos com o trio Feel Creations, que faz fotografia e video de casamento a partir do Porto, para todo o país.

Falamos com a Marta, o Bruno e o Bernardo sobre o seu percurso até aqui, de onde vem este ponto de vista e toda esta qualidade atenta, doce, meiga que o seu trabalho transmite.

Vibramos com todo o tipo de casamentos! Se são emotivos, a Marta quase chora, se são festas de arromba, só falta mesmo sermos os “reis da pista”, se são grandes temos mais gente para registar e para trocar dois dedos de conversa, se são pequeninos recebem-nos como se fôssemos familiares. Por isso, não temos qualquer tipo de preferência. Acreditamos que quem faz a festa são as pessoas e, além disso, são essas mesmas pessoas que nos fazerem querer continuar a fotografar e filmar casamentos.

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, à fotografia e vídeo de casamento.

Esta viagem tem sido bastante gratificante.
Somos três amigos, a Marta, o Bruno e o Bernardo, e estudámos juntos na faculdade. A Marta e o Bruno, ao longo da vida académica, já tinham uma pseudo-empresa a partir da qual faziam alguns trabalhos na área do design e, de vez em quando, de vídeo. Após a licenciatura quisemos tornar a situação mais real e séria e foi quando o Bernardo entrou em acção. O nosso objectivo sempre foi trabalhar na área da fotografia e do vídeo. Tentámos direcionar todo o projecto para essa vertente e, após algum tempo e insistência, conseguimos. E conseguimos até hoje! Cada vez melhores, mais ambiciosos e sempre com fome de aprender mais e melhor.

 

Há quanto tempo captam imagens? E porquê casamentos?

Em Março a Feel Creations fez quatro anos de existência. Não foi um percurso muito fácil mas cá estamos com toda a força e vontade.
Entrámos no mundo dos casamentos muito por culpa de um casal amigo. Na recta final do nosso estágio de faculdade, estes nossos amigos iam casar e queriam que fossemos nós a fotografar e a filmar no casamento deles. Inicialmente recusámos, pois não era esse o percurso que queríamos fazer e, além disso, não percebíamos rigorosamente nada de casamentos.
Insistiram bastante até que acabámos por aceitar o desafio. E ainda bem que o fizemos, pois adorámos a experiência! Compreendemos que o registo de um casamento não teria de ser feito obrigatoriamente de uma forma tradicional. Podíamos criar a nosso própria visão dos acontecimentos e não fazer acontecer, parecendo artificial. Afinal, podíamos ser criativos!

A partir desse momento arriscámos tudo. Começámos a repensar e a direccionar o nosso projecto para a área dos casamentos onde poderíamos ser livres na criação e aplicar a nossa própria visão. E aqui estamos! Prontos para novos desafios e ansiosos por cada casamento!

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

Com o acesso bastante facilitado a diferentes tipos de conteúdos, sejam eles ao nível da imagem ou então do áudio, acaba por ser algo muito importante para nós na hora de ir buscar inspiração.
Acabamos sempre por encontrá-la naqueles dias que ficamos por casa a devorar filmes e muitas séries, sem dúvida nenhuma na música, nas viagens que fazemos e claro, no trabalho de outros fotógrafos e videógrafos que admiramos!

 

 

Como construíram a vossa assinatura, como a definem?

Sempre defendemos que temos de captar o que vemos e não o que os outros gostariam de ver.
Fazemos questão de ser discretos e deixar os momentos acontecer, sem ter qualquer tipo de intervenção, pois achamos que o que é realmente bonito são aqueles sorrisos espontâneos ou aquele abraço sentido depois da cerimónia. E isso, como é óbvio, não se pede.
Tudo isto aliado à nossa forma de ser e fazer, com um olhar sempre atento aos pormenores e gestos e aos nossos gostos, acabam por dar o nosso estilo e estética da Feel Creations.

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Viajar é o melhor “botão” para fazer alguns resets. Sair por uns tempos da nossa zona de conforto, conhecer novas culturas e ter experiências completamente diferentes das a que estamos habituados a ter. Pensamos que é a melhor forma de renovar energias e inspiração. Claro que nem sempre dá para o fazer, mas aí tentamos fazer de uma outra forma. Viajar dentro do nosso país, que tem paisagens absolutamente incríveis.
Por vezes, temos de perceber que trabalhar nesta área não é equiparável a um outro trabalho. Não podemos ficar presos à frente de um computador todos os dias, pois não é essa a nossa fonte de inspiração. Temos de ser criativos e, para isso, temos de cultivar métodos para o fazer/ser. E isso faz toda a diferença no resultado de cada trabalho.

 

Do Porto para o mundo, ou Portugal de lés-a-lés: fotografar e filmar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar e filmar casamentos nacionais?

Todas as pessoas são diferentes e cada casamento tem uma história diferente para contar. Tudo depende das personalidades, da entrega dos noivos e do que sonham para o seu grande dia.
Acreditamos que os portugueses gostam de aproveitar tudo até à última. Estes são definitivamente mais longos e muito mais dinâmicos. Um casamento estrangeiro tem tendência a ser mais curto e mais intimista. Felizmente já tivemos a oportunidade de fotografar/filmar alguns e temos essa ideia. Contudo, nada muda na hora de contar a história de um casamento. Sendo o nosso registo documental, o processo acaba por ser idêntico, quer seja um casamento português
ou estrangeiro.

 

Feel Creations - fotografia de casamento Feel Creations - fotografia de casamento Feel Creations - fotografia de casamento

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação aos vossos clientes?

Em todos os casos tentamos ter sempre uma ligação muito próxima ao nosso cliente. A nossa abordagem é sempre o mais descontraída possível para quebrar de imediato alguma barreira que possa existir. Achamos que é essencial aproximarmo-nos deles através da sua história e, dessa forma, conhecê-los o melhor possível. Afinal de contas, iremos estar presentes num dos dias mais importantes das suas vidas.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

Vibramos com todo o tipo de casamentos! Se são emotivos, a Marta quase chora. Se são festas de arromba, só falta mesmo sermos os “reis da pista”. Se são grandes temos mais gente para registar e para trocar dois dedos de conversa. Se são pequeninos recebem-nos como se fôssemos familiares. Por isso, não temos qualquer tipo de preferência. Acreditamos que quem faz a festa são as pessoas e, além disso, são essas mesmas pessoas que nos fazerem querer continuar a
fotografar e filmar casamentos.

 

Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo e videógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte é ter a sorte de poder registar e assistir a um momento tão importante da vida de um casal. É do coração. Ficamos sempre muito felizes por ver a felicidade e a emoção dos noivos e das suas famílias.
Fazer o que gostamos e sermos felizes em cada casamento é o que é mais gratificante.
O mais desafiante é conseguir fazer sempre algo diferente e melhor.
O mais difícil é conseguir gerir o cansaço que se vai sentindo ao longo do dia de um casamento.

 

Escolham os favoritos do vosso portfolio e contem-nos porquê.

Um dos favoritos deste ano foi um destination wedding no Douro – Lenora e Hampton.
São um casal Americano e apaixonados por Portugal, que decidiram casar no Pinhão. Queriam uma cerimónia bastante intimista e como pano de fundo as belas paisagens do Alto Douro.
Convidaram apenas os pais e irmã. Decidiram que era a mãe do noivo que arranjava o cabelo da noiva, a irmã a maquilhagem e a mãe da noiva fazia a cerimónia. Foi tudo tão emotivo.

Um outro casamento que nos marcou este ano foi o da Ana e do Joep.
A noiva era portuguesa e o noivo holandês. Queriam que o seu dia fosse descontraído, junto dos seus familiares e amigos, e sem protocolos. No dia anterior ao casamento, prepararam um churrasco para todos os convidados, incluindo nós, numa casa rural que tinha um grande espaço exterior. No grande dia, combinaram que durante a manhã seria realizado um jogo de futebol: Portugal vs Holanda. Seguidamente, no exterior rústico da quinta, realizou-se a cerimónia. No final e já na festa, a noiva apresentou à Marta uma bebida holandesa bastante característica: o Flugel. Ensinou à Marta que para se beber o Flugel, tinha que se colocar a tampa na ponta do nariz, segurar a pequena garrafa com boca, beber de uma vez só, sem a ajuda das mãos e com o objetivo de não deixar cair a tampa.
Depois disto, a Marta nunca mais foi a mesma!

 

 

Contactem a Feel Creations através da sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens e vídeos, e entrem em contacto directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática deste trio criativo.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Deambulando – fotografia de casamento

Aproveitamos o dia chuvoso para conversar de forma demorada com a dupla Deambulando, fotógrafos de casamento no Porto.

Sentamo-nos com a Elisa e o Paulo e ficamos a saber o que os trouxe até aqui, o que fizeram antes e porque gostam tanto de fotografar casamentos.

Estas são sempre as melhores conversas, descobrimos pequenos detalhes sobre as personalidades de cada um, o que os move, o que lhes interessa e como tudo isso soma  e se traduz no trabalho que fazem.

Vamos a isto?

Adoramos casamentos emotivos! Os abraços, os sorrisos, as lágrimas de alegria são para nós o mais bonito de uma festa em que se celebra o amor! Adoramos testemunhar casamentos cheios de emoções até porque nós normalmente nos emocionamos também por detrás das nossas câmaras!

 

Deambulando - Fotografia de Casamento Deambulando - Fotografia de Casamento

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

O nosso percurso foi um pouco peculiar. A Elisa iniciou a sua actividade profissional numa área completamente distinta da fotografia, mas, entretanto, decidiu seguir o sonho, estudou fotografia e desde há quatro anos para cá que se dedica a 100% a fazer o que mais gosta. O Paulo estudou Som e Imagem na Universidade Católica e desde que iniciou a sua carreira que se dedica a esta área.

A Deambulando surgiu em 2015, inicialmente como um projeto pessoal, onde a Elisa expunha todo o seu trabalho de fotografia. Foi também nessa altura que começou a trabalhar para outros fotógrafos de casamento, maioritariamente como segunda fotógrafa. Com o crescimento da sua paixão pela fotografia de casamentos, decidiu dedicar a Deambulando exclusivamente a este tipo de fotografia.

Como já tínham vários projetos em comum, fez todo o sentido o Paulo juntar-se à equipa e acrescentar assim o serviço de vídeo.

 

Há quanto tempo fotografam? E porquê casamentos?

Trabalhamos na área desde 2013. O que mais nos atrai na fotografia de casamentos é o facto de estarmos a marcar a vida das pessoas. Estamos a criar memórias que vão passar de geração em geração.

 

O vosso trabalho é feito a duas mãos. Como o definem e como construíram essa assinatura?

Nós trabalhamos sempre em conjunto, apesar de um fazer fotografia e o outro vídeo, tentamos sempre completar-nos um ao outro. Bebemos sempre das ideias um do outro e como já é hábito trabalharmos em conjunto, tudo flui muito naturalmente e muitas vezes nem precisamos de falar um com o outro para perceber o que vamos fazer a seguir.

 

Achas que o ponto de vista feminino, os detalhes que escolhes fotografar e como o fazes, a narrativa que constróis, é diferente das escolhas que o Paulo faz, do seu ponto de vista masculino? Como convergem?

Sim, sem dúvida, temos perspetivas muito diferentes. A Elisa é muito perfecionista e extremamente atenta ao detalhe no que se trata de pormenores. O Paulo é muito prático mas muito criativo e com ideias sempre frescas. Ajudamo-nos imenso um ao outro em todos os momentos e isso é evidente no resultado final.

 

Deambulando - Fotografia de Casamento Deambulando - Fotografia de Casamento Deambulando - Fotografia de Casamento

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

Adoramos cinema e este é uma grande fonte de inspiração para nós. Claro que alguns workshops e formações na área também nos ajudam muito.

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Viajar, viajar, viajar!!!

 

Do Norte para o mundo, ou Portugal de lés a lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais? É muito diferente sem dúvida. As culturas, os hábitos, as tradições, tudo é diferente de país para país, de cultura para cultura.

A diferença que assistimos de casamento para casamento é também aquilo que nos faz gostar tanto desta área. Todos eles trazem algo novo! Em cada casal aprendemos e conhecemos pessoas diferentes! É tão bom e inspirador!

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Tentamos conhecer os nossos noivos desde o primeiro contacto, gostamos de conversar, conhecê-los o melhor possível! A ligação que criamos com os noivos é para nós o mais importante para que tudo corra bem.

 

Deambulando - Fotografia de Casamento

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

Adoramos casamentos emotivos! Os abraços, os sorrisos, as lágrimas de alegria são para nós o mais bonito de uma festa em que se celebra o amor! Adoramos testemunhar casamentos cheios de emoções até porque nós normalmente nos emocionamos também por detrás das nossas câmaras!

 

Qual é a melhor parte de fotografar casamentos? E o mais desafiante e difícil?

Nós vivemos estes dias de uma forma tão intensa, que é difícil destacar a melhor parte. Mas adoramos saber que estamos a criar memórias, sabemos que é uma responsabilidade enorme e esta é a parte mais desafiante mas o facto de sabermos que estamos a criar memórias que vão passar de geração em geração cria em nós um friozinho na barriga que nos faz ter motivação para continuar a fazer o nosso melhor!

 

Escolham uma imagem favorita do vosso portfolio e contem-nos porquê.

Fotógrafo de casamento no Porto: Deambulando

Esta é uma fotografia que nos diz muito porque foi realizada no nosso primeiro ano de casamentos e foi a partir deste que muitos outros surgiram. Obrigada Joana a André!

 

 

Contactem a Elisa e o Paulo através da sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e entrem em contacto directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Paulo Castro Photography – fotografia de casamento

Hoje conversamos com o Paulo Castro, que fotografa casamentos.

De Guimarães, tem um trato gentil e educado. Capta imagens cheias de emoção e intensidade, alternando entre um dramático preto e branco e uma festa de cores.

Fiquem a conhecer o seu trabalho um pouco mais e não deixem de visitar a galeria – é uma overdose de emoção!

 

Paulo Castro: fotógrafo de casamento Norte Paulo Castro: otógrafo de casamento Norte Paulo Castro: fotógrafo de casamento Norte

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

Parque Nacional da Peneda-Gerês, com familiares nos anos 90, entre os meus dez e quinze anos, foi onde fiz as minhas primeiras viagens a bordo de um Fiat Panda branco e por lá aprendi a observar a natureza e a luz.

Numa destas viagens tive uma noite memorável, dentro de um saco-cama, deitado no caminho a olhar para estrelas (uma chuva meteoritos), descobrindo uma nova luz que me deu vontade de começar a fotografar.

 

Há quanto tempo fotografa? E porquê casamentos?

Iniciei a viagem em 2003 e nesse mesmo ano comprei o meu primeiro equipamento digital, a minha “querida” Canon EOS 300D, e passei a fotografar intensamente a natureza e retrato, passando depois para os casamentos, naturalmente.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vai buscar inspiração?

Ao global, ao contacto com as pessoas, ao ambiente e a tudo o que me rodeia, livros, culturas, tradições e tudo mais.

 

Paulo Castro: otógrafo de casamento Norte Paulo Castro: otógrafo de casamento Norte Paulo Castro: otógrafo de casamento Norte

Como construiu a sua assinatura, como a define?

A Wedding Photojournalist Association (WPJA), fez-me acreditar que é possível sermos autênticos, capturar e guardar o momento real de cada história. Assim se define a minha identidade como fotógrafo.

 

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?

Desligo-me da tecnologia, rodeio-me de pessoas com boas energias e aproveito para refrescar o olhar, sempre com a máquina fotográfica, em viagens e caminhadas na companhia dos meus familiares e amigos.

 

Do Norte para o mundo, ou Portugal de lés-a-lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?

Em todo o lado as culturas e tradições são diferentes, o mais importante é saber respeitar e deixar que a máquina fotográfica conte a história.

 

Paulo Castro: otógrafo de casamento Norte Paulo Castro: otógrafo de casamento Norte Paulo Castro: otógrafo de casamento Norte

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação com os seus clientes?

Através da internet, recomendações de amigos e casais para quem efectuei trabalhos, casamento e outras coisas.

A ligação pessoal é o mais importante porque isso aparece registado na fotografia, tento conhecer o mais possível e dar-me a conhecer, ouvir os seus anseios e saber o que pretendem e digo-lhes o que podem esperar de mim.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gosta de fotografar?

Tudo, grandes e pequenos, desde que sejam emotivos, nacionais ou estrangeiros, casais rodeados de amigos e familiares que confiem e desfrutem desse dia especial comigo.

 

Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?

Fazer o que mais gosto, que é fotografar. Conhecer novas pessoas, outras realidades e famílias, sendo o desafio o de registar momentos únicos que ficam para sempre, recordar.

 

Escolha uma imagem favorita do seu portefólio e conte-nos porquê.

Fotógrafo de casamentos em Guimarães: Paulo Castro Photography

É difícil de escolher uma só, assim são duas.

Uma igreja hermética, sem luz natural. No decorrer da cerimónia a luz que entrava pela porta principal foi descendo e aproximando-se do rosto das crianças, sentei-me no chão e esperei, ali estava a foto.

Na segunda, o momento, a luz envolvente, o casal, a pomba e a magia do Largo da Oliveira em Guimarães, a minha cidade. Fotografia é luz!

 

Contactem Paulo Castro através da sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e entrem em contacto directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: AVVA Eventos: wedding planning, decoração, catering e espaço para casamentos

Hoje damos um pulinho até aos Açores, para conversar com a equipa da AVVA Eventos.

Espaço para casamentos, serviço de catering, decoração e wedding planning são as valências desta bela casa na ilha de São Miguel. Se estão a namorar este destino e a considerá-lo para casar, esta pode ser a vossa equipa perfeita para o mais bonito dos dias!

Fiquem a conhecer a Avva Eventos com mais detalhe.

Depois de algumas reuniões, os nossos casais já são mais que clientes, são amigos e já sabemos exactamente quais são as suas expectativas para o grande dia – a nossa missão é superar estas expectativas!

Contem-nos um bocadinho do vosso percurso, como vieram parar ao universo dos casamentos?

AVVA-Eventos começou por ser Atlântico Vila e entrou no universo dos casamentos a pedido dos seus colaboradores. O espaço tinha já um health club, um parque de diversões aquáticas e um restaurante. A nossa equipa, muito jovem, começou a desafiar-nos para acolhermos as festas dos seus casamentos –  gostámos tanto do desafio que nos especializámos nisso mesmo!

 

Como definem o estilo AVVA Eventos?

A AVVA-Eventos define-se como uma romântica, minimalista, mas que adora detalhes.

 

Esta assinatura faz parte do ADN do espaço, ou é algo que escolheram como tendência e tema para este ano? Porquê?

Faz parte do ADN da equipa.

 

Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait-divers?

Gostamos de conhecer as tendências, interpretá-las e adaptá-las, sempre que para nós façam sentido.

 

Ter o controle das decisões é importante? Têm uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como querem que o vosso espaço e trabalho sejam mostrados e vividos, ou é o prazer discutir ideias, de criar e acompanhar o processo, que vos interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Cada projeto é um projeto, cada casal é um desafio novo. Gostamos de ouvir as suas histórias e perceber como idealizaram para o seu dia. Com esta matéria-prima criamos moodboards que contêm o nosso toque pessoal e onde nos reconhecemos. Não alinhamos em projetos em que não acreditamos, temos de nos apaixonar por cada novo conceito, mesmo que numa primeira reunião achemos que nada tem a ver connosco, trabalhamos até que tudo comece a convergir na direcção pretendida.

 

Onde buscam inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Nas tendências que encontramos na internet, nas viagens, no que nos trazem os novos casais.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescam a mente e o olhar?

Vendo o que se anda a fazer por este mundo fora.

 

Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos

Como é o vosso processo de trabalho, como criam uma ligação aos vossos clientes?

Em Janeiro de cada ano, os nossos wedding planners reúnem com os casais e começam a construir o moodboard do seu dia e a definir todos os pormenores importantes, catering incluído. Depois de algumas reuniões, os nossos casais já são mais que clientes, são amigos e já sabemos exactamente quais são as suas expectativas para o grande dia – a nossa missão é superar estas expectativas!

 

Qual é a melhor parte de organizar e decorar um casamento? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte é mesmo decorar, montar o projeto, ver o resultado final e a satisfação dos nossos clientes. O mais desafiante e difícil só acontece algumas vezes, quando o cliente não tem a mesma visão estética que nós e temos de desistir do projecto que idealizámos.

 

Qual foi o casamento em que mais gostaram de trabalhar? Porquê?

Não temos um preferido, mas os nossos favoritos são aqueles que nos desafiam, que fazemos fora das nossas salas, em lugares novos. São os mais trabalhosos, mas gostamos sempre muito do resultado final. Recordo-me de um casamento muito especial na Lagoa das Furnas, Ilha de São Miguel, onde a paisagem era tão avassaladora que não havia como não ser perfeito.

 

Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos Wedding Planner em São Miguel, Açores: Avva Eventos

Contactem a AVVA Eventos através da sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem Sílvia Vasconcelos directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!