Created with Sketch.
Marta Ramos

Um casamento em tons de rosa e beringela, com Jardin d’Époque

Ana e Marc casaram no dia 1 de Setembro de 2018 no Palácio do Freixo e fizeram da sua festa uma verdadeira celebração cosmopolita. Ana é portuguesa, Marc é alemão, e vivem em Hong Kong. Para decorar o seu grande dia, escolheram uma dupla de wedding planners muito conceituada do mercado brasileiro: Fábio Borgatto e Telma Hayashi. E foi esta dupla que contactou Ema Ramos, do Jardin d’Époque, a quem confiou a curadoria, a selecção das espécies de flores e folhagens e o desenho e execução das peças de design floral.

Reuni presencialmente com o Fábio e a Telma no início de Março e houve uma empatia imediata, talvez por eu ter um carinho muito grande pela cultura brasileira e por ‘aquele’ sotaque adocicado que me recorda os tempos que passei por terras de Vera Cruz e os amigos especiais que ainda tenho por lá. – Ema Ramos

Começaram por definir uma paleta de tons rosa e beringela suaves e quentes, aos quais adicionaram toques de verde e castanho: «Pretendíamos peças florais ricas em texturas, com uma estrutura orgânica e uma linguagem assumidamente ‘despenteada’. Às rosas inglesas, às nigella, às scabiosa e a uma série de outras espécies vindas de longe, juntámos bagas, dálias, ramos de carvalho e de magnólia dos jardins de pequenos produtores nacionais.»
Foram mais de cinquenta mil pés de flores e folhagem que se transformaram no cenário do dia feliz de Ana e Marc: instalações suspensas na tenda montada no jardim; um arco quebrado e assimétrico meticulosamente colocado no jardim italiano de forma a que o Rio Douro fosse o seu horizonte; arranjos com mais de um metro de largura que emolduraram a mesa dos doces; jarrões que pontuavam os percursos e os nichos dos muros do palácio. Às flores, juntaram-se cerca de quarenta oliveiras estrategicamente colocadas na tenda em vasos gigantes de terracota, segundo o projecto dos decoradores, balizando áreas de estar, a zona de jantar e a pista de dança.

«O trabalho em equipa foi crucial», conta Ema Ramos. «Estar rodeada de pessoas imbuídas do mesmo espírito, sensíveis, com um sentido estético apurado e totalmente disponíveis foi, definitivamente, o meu verdadeiro braço direito. A equipa do Jardin d’Époque foi composta por doze pessoas que, ao longo de uma semana intensiva, tornaram possível este projecto. E foi igualmente maravilhoso partilhar o momento de construção de algumas peças florais com a mestria do Fábio. A partilha de técnicas de trabalho e de métodos de construção e organização não tem preço e poder fazê-lo com profissionais tão talentosos foi um verdadeiro privilégio.»

Créditos:

fotografia: Inga Freitas
planeamento e decoração: Fábio Borgatto e Telma Hayashi
flores: Jardin d’Époque
espaço: Palácio do Freixo
apoio à produção: Romã Eventos
aluguer de materiais: Saiotes / O Saltimbanco

Marta Ramos

Nova montra Por Magia: flores e emoções

As galerias das fichas de fornecedor seleccionado são como montras do trabalho dos profissionais que escolhemos para vos recomendar. Hoje destacamos a renovação da montra Por Magia – decoração de casamentos.

A paixão pelas flores, por ouvir histórias e conhecer novas pessoas, motivou a dupla Por Magia a aceitar o desafio de transformar momentos especiais em dias memoráveis. Juntos interpretam sonhos, reinventam ideias e acrescentam magia a dias absolutamente únicos! Desenham todos os detalhes do início ao fim, desde o bouquet à decoração dos centros de mesa ou à total decoração do evento, trabalhando cuidadosamente todas as texturas, cores e tecidos para que o conjunto se reflicta em pormenores elegantes e distintos.
A Andreia e o Bruno escolheram trabalhar nesta área porque se consideram eternos apaixonados: pela natureza, pela vida, pelos momentos vividos especialmente a dois, pelo amor. Acreditam na magia da história de cada casal. Gostam da partilha, dos sonhos, do entusiasmo. São felizes por terem a oportunidade de juntar cada palavra, cada sorriso, cada lágrima e poderem trabalhá-las cuidadosamente através das texturas, cores e tecidos – e sobretudo através das flores.
Orgulham-se de se entregarem inteiramente a cada momento, a cada dia, a cada casal. Orgulham-se de serem sonhadores e entusiastas, de viverem intensamente cada história e de a traduzirem de forma mágica! Orgulham-se de serem lamechas, românticos e coração mole; e de muitas vezes soltarem lágrimas de emoção enquanto preparam ambientes lindos e sofisticados, únicos, onde as memórias passarão a ser eternas.
Seleccionámos algumas das imagens fresquinhas que a Por Magia adicionou recentemente à sua galeria – mas não deixem de ir à ficha de fornecedor para ver o conjunto completo.

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

 

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia
Acompanhem os nossos posts acerca do trabalho da Por Magia e consultem também o seu portefólio de fotografia de casamento. E falem com a Andreia e o Bruno, que estão à vossa espera para acrescentar magia a dias absolutamente únicos!

Marta Ramos

Wise words: tudo sobre caligrafia, com Telmo Nunes

Na semana passada, as nossas wise words dedicaram-se aos votos de casamento. E em Janeiro falei-vos de convites de casamento. Dois bons assuntos para articular com esta preciosidade que vos trago hoje: a caligrafia de Telmo Nunes, que eleva esta arte de desenhar a escrita a um nível extraordinário: «Curiosamente, quando decidi entrar para o mundo da caligrafia a minha ideia era fazer convites de casamento. No entanto, o destino acabou por me apontar mais na direcção de eventos de luxo e habitualmente o que faço é escrever nomes ou moradas nos convites, e não desenhar o convite em si.»
Mas se quiserem um convite inteiramente caligrafado, é claro que é possível. Partindo do texto com todos os detalhes informativos, passa-se à escolha do estilo de letra. Tendo em conta que o tamanho mínimo aceitável para as letras minúsculas é de 3mm, as dimensões do convite não deverão ser inferiores a A5. Depois, discutem-se os elementos decorativos, os monogramas, mapas e outros, e com base em todos estes elementos Telmo Nunes cria um esboço para apresentar aos clientes.

São sempre convites com um aspecto clássico, com escrita essencialmente histórica, apesar de se poder fazer uma escrita mais moderna e contemporânea – mas nada que tenha a ver com as formas idiossincráticas da tipografia. As regras e os preceitos da caligrafia são algo que valorizo bastante.

Chegados ao formato final, o prazo ideal para produzir um convite seria uma semana: «Eu gostava de poder dizer que consigo ter prazos alargados para trabalhar com calma e tranquilidade, mas em geral 90% do que faço é com urgência, o que às vezes é extremamente stressante. Existe quase como que um ritual para começar a escrever, é preciso preparar a tinta, preparar a folha, o aparo, pensar como o texto vai ficar na folha, onde é que as linhas vão terminar no papel; temos de pensar qual a dimensão da letra, fazer a grelha onde toda a escrita vai assentar; a escrita em si é lenta, todas as letras têm de bater nas linhas para todas terem a mesma altura.» Já se falarmos em escrever as moradas nos envelopes, 200 moradas deveriam poder demorar três semanas a ser escritas. Não é que Telmo não o tenha já feito, e muito bem feito, em bastante menos tempo. Mas fica toda a gente a ganhar se houver espaço para respirar.
E quanto a valores? Quanto pode custar um trabalho destes e como é feito um orçamento, perguntam vocês? É impeditivo?
Não, de todo. «Após alguns anos a trabalhar unicamente com caligrafia e com uma grande ajuda do meu mentor, que é um dos melhores mestres calígrafos do mundo e me tem ensinado tudo o que existe para saber sobre caligrafia, já sei que a melhor forma de calcular qualquer orçamento para qualquer trabalho é o tempo. Eu sei que demoro X horas para produzir X trabalho é com base nisso que faço os orçamentos.»
Então, para terem uma ideia concreta, um convite caligrafado pode custar qualquer coisa desde 105€, dependendo do grau de complexidade da encomenda (decoração, monograma, cartão de confirmação, etc). Se a impressão ficar também a cargo de Telmo Nunes, esse valor é diluído pela quantidade de impressões e há todo um novo conjunto de factores a determinar o preço final do conjunto, como sendo o tipo de papel, se a impressão é digital ou letterpress, se querem usar um fio ou apenas tinta, entre outros. Contas feitas, na realidade, o valor não difere muito de um convite escrito em tipografia. E há um projecto em curso, em parceria com a Inpressed, para a criação de alguns modelos de convites caligrafados em catálogo, o que reduzirá, claro, os preços.

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Caligrafia para casamento Telmo Nunes

Depois há todo um mundo de suportes em que poderão utilizar o trabalho de Telmo Nunes: «Não só no caso dos monogramas, mas também com os convites ou qualquer outra coisa que a pessoa tenha em mente, caso queira imprimir ou fazer uma gravação a laser, o cliente recebe um ficheiro preparado e que pode ser aplicado em qualquer lado – aqui o limite é mesmo a imaginação. No caso do monograma que fiz para o meu casamento, gerou as medalhas em prata e o alfinete de lapela que foram gravados a laser. Foi uma ideia que surgiu já em cima da hora pela nossa amiga joalheira Sofia Trejeira, que tratou da produção destas peças. Deram umas prendas de casamento fantásticas que toda a gente adorou e ainda hoje vejo as pessoas a usá-las. O preço para uma prenda destas anda na casa dos 12€ a unidade, já incluindo o design do monograma. No caso das alianças, tanto o nome como a data foram escritas e gravadas a laser no interior, uma opção também interessante para os leitores do Simplesmente Branco.»
No fundo, o seu trabalho é uma missão: «Foram precisos mais de 2500 anos de desenvolvimento do nosso alfabeto para conseguirmos ter algo que realmente apela aos nossos sentidos e que tantas vezes negligenciamos. Portugal já não tinha um calígrafo há mais de 100 anos que honrasse todas as técnicas e preceitos da escrita histórica. Eu trabalho todos os dias para honrar essa história e deixar a minha marca no nosso país. Existem algumas coisas que gostava de fazer mais, ou com mais frequência, como certificados de casamento, os votos dos noivos, pedidos de casamento, árvores genealógicas… pode-se fazer tanta coisa com esta arte que era capaz de passar o dia a enunciar possibilidades. No fundo as que mencionei agora são aquelas que dão mais gozo produzir e que têm um impacto maior nas pessoas. Não precisam ser peças muito complexas, como o meu certificado de casamento, mas uma coisa simples fica lindíssimo e perdura uma vida inteira.»
Podem contactar o Telmo Nunes através do número 910 329 893 ou através do e-mail.E acompanhem-no também no Facebook e no Instagram, onde vão sendo publicadas as pequenas maravilhas que ele vai produzindo.
Sobram dúvidas? Falem connosco, têm a caixa dos comentários inteiramente à vossa disposição. E não deixem de acompanhar todos os artigos de wise words que vamos publicando, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Hoje, o nosso trio de bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva tem uma paleta neutra, mas é uma festa de texturas – toda uma outra forma de adicionar interesse visual ao cenário e elementos.

Ponham os olhos neste bolo dos noivos! São lascas de chocolate temperado, com vários tons cremosos e aspecto geométrico: inesperado e muito vistoso, não acham? Nem imagino como se parte uma fatia, mas digamos que isso agora não interessa nada, porque é mesmo muito espectacular.

Este é singelo, com duas camadas, mas já imaginaram com esta decoração espalhada por vários andares, até à altura dos olhos…? Pois, é isso: mágico!

Juntamos então uns sapatos de noiva que são deliciosos: estes pumps com presilha no tornozelo, em verniz café com leite, tacão largo e biqueira redondinha…? Um mimo!

Fechamos com um bouquet de noiva que é fantástico: campestre, orgânico, desalinhado mas tão singular e especial. Parece genuinamente colhido ali no campo (mas não é, claro), cheio de pequenas flores sem demasiada importância, mas que no seu conjunto são gloriosas. Gosto mesmo muito de bouquets assim, que pelos seus pares se elevam a um outro patamar de riqueza e interesse. Tudo isto é textura, dá vontade de lhe tocar…!

 

Bolo dos noivos com cobertura de lascas de chocolate.

 

Sapatos de noiva em verniz nude.

 

Bouquet de noiva campestre

 

Texturas em grande: geométricas, polidas e ásperas. No seu conjunto, tudo tem interesse e é inesperado!

 

De cima para baixo, bolo dos noivos coberto com lascas geométricas de chcolate temperado, de Creating Moments; sapatos de noiva em verniz café com leite, presilha no tornozelo e tacão, Adolfo Domiguez, por 94 euros; bouquet de noiva orgânico e campestre, de Knot Just Flowers.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Susana Pinto

Casamento no Monte do Ramalho: Joana + Pedro

Fechamos esta semana vagamente primaveril com um belo casamento no Monte do Ramalho: é o mais bonito dos dias da Joana + Pedro, junto dos seus.

Esta festaça foi filmada pelo Edgar Félix e a decoração e bouquet da noiva ficaram nas mãos da Maria João Soares, da Design Events, a nossa expert em casamentos nas planícies alentejanas. Que trio de fornecedores seleccionados, este!

Bom fim-de-semana!

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?
O pedido de casamento foi feito em 2016 numa escapadinha que fizémos a Paris. A nossa ideia, desde o início, sempre foi um casamento religioso acompanhado por uma festa descontraída, no meio da natureza.

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?
Estávamos inexperientemente preparados, sem nervos.

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?
Tudo se começou a compor à nossa imagem de forma gradual. Não sentimos nunca qualquer pressão com timings, o que nos permitiu organizar todo o casamento da forma como idealizámos.

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?
O resultado final excedeu as nossas expectativas! Fomos uns noivos que colocámos muita dedicação em tudo que íamos fazendo e decidindo, foi tudo muito ponderado.
Fizemos tudo praticamente sózinhos, no entanto íamos envolvendo a família e os amigos nas nossas escolhas, queríamos que fizessem parte deste dia.

O que era fundamental para vocês? E sem importância?
Fundamental era guardarmos nas nossas memórias um dia de sonho, reunir todas as pessoas que são importantes nas nossas vidas e proporcionarmos um dia feliz, divertido e confortável a todos os nossos familiares e amigos.
Sabemos que os imprevistos acontecem, mas que o propósito que nos reunia ali era de tal grandeza que decidimos relativizar qualquer falha de natureza técnica ou de catering que pudesse a acontecer (e felizmente não aconteceu).

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?
O mais difícil foi de facto a escolha do local, sabíamos muito bem o que queríamos, mas não encontrávamos alternativas. A partir do momento em que o encontrámos, marcámos a data, e tudo se tornou tão fácil de organizar.

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?
Ainda não conseguimos descrever o que sentimos na cerimónia campal, foi de cortar a respiração! A envolvência, o coro, as palavras do Padre, os olhares de felicidade dos convidados que testemunhavam a nossa união, os versos lidos pelos sobrinhos do Pedro, foi mágico!

E o pico de diversão?
Após o jantar, quando aquele pequeno nervosismo nos deixa descontrair e aproveitar ao máximo.

Um pormenor especial…
Só um?
Foi um dia de acontecimentos tão especiais!
Fomos surpreendidos por uma grande amiga que subiu ao palco e cantou-nos duas músicas. Sabíamos que cantava bem, mas não tínhamos noção do vozeirão que ouvimos naquela noite. Foi épico!

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?
Não mudávamos nada. Foi tudo tão perfeito e como idealizámos.
Foi um dia tão nosso, emocionante, melhor que nos sonhos.

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Vivam cada momento com calma e com muito alma. Aproveitem os preparativos ao máximo, é um dia muito giro de organizar, pois tudo é feito à vossa medida e como sempre sonharam, façam-no de forma divertida e envolvam os vossas amigos e familiares, eles vão gostar de fazer parte do grande dia.
Quando chegar o grande dia, aí não há mais com o que preocupar, e deixem-se envolver pelo momento, desfrutem do dia. Aproveitem cada momento, pois será um dos dias mais felizes das vossas vidas, cheio de emoções.

 

Os fornecedores envolvidos:

convites e materiais gráficos: Margarida Ferreira (amiga da noiva);
espaço: Monte do Ramalho, Avis;
catering e bolo dos noivos: Casca d’ovo;
fato do noivo e acessórios: fato O Alfaite, acessórios Ourivesaria Atlantis;
vestido de noiva e sapatos: vestido Inês Pimentel e sapatos Fátima Alves;
maquilhagem: Diana Cavaco Pereira;
cabelo: Rita Vasconcelos (amiga da noiva);
decoração e bouquet de noiva: Design Events Wedding;
fotografia: Grão a Grão;
vídeo: Edgar Félix;
banda: Two Radio | Upbeat;
coro: Coro Cá da Terra.

 

 

Marta Ramos

De Miami para Lisboa, com Alex Tome

Janelle e Monica vivem em Miami e têm uma tradição: sempre que viajam, procuram fazer uma sessão fotográfica com um profissional que admirem. Quando marcaram as férias em Portugal, escolheram Alex Tome para construir mais algumas páginas deste seu álbum de memórias pelo mundo: «Encontrámos a página do Alex e soubemos de imediato que ele seria o fotógrafo perfeito para capturar o que nós pretendíamos. Adorámos o seu estilo de fotografia. Fomos encontrar-nos com ele e houve logo um clique entre todos. Ele foi profissional, pontual e fez com que tudo fosse muito confortável. Divertimo-nos tanto a explorar Portugal com ele! Levou-nos a sítios menos turísticos e as fotos ficaram de cortar a respiração. Recomendamo-lo um milhão de vezes!»

Para Alex Tome, fotografia significa o mesmo que o basketball significa para Michael Jordan: ele vive-a e respira-a:  «Adoro captar os momentos únicos da vida e esforçar-me por realçar a personalidade do noivo, não só da noiva. Também adoro capturar os momentos animados e despreocupados, como a festa de despedida de solteira. Finalmente, acho que a coisa mais importante a mencionar é que amo o que faço e divirto-me a trabalhar – acredito que isso é fundamental.»
Acompanhem os nossos posts acerca do trabalho de Alex Tome e visitem a sua ficha de fornecedor seleccionado Sb para ficarem a conhecê-lo melhor e para verem mais imagens bonitas. Utilizem o formulário de contacto para falar com ele – para já, em inglês ou francês, mas, com o tempo, certamente que a nossa língua portuguesa tenderá a tornar-se, também, um pouco dele!