Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento rústico e emotivo em Braga: Tânia + Nuno

Fecho esta selecção de casamentos que escolhi para partilhar convosco durante este mês com imensa nostalgia e um sorriso doce: quantos dias bonitos passaram por aqui, quantas palavras de estima, quantas histórias de amor, quantas ideias frescas e flores maravilhosas, quantas celebrações diferentes, de todas as formas e feitios!

 

Em todos estes casamentos, há um denominador comum: a concretização do mais bonito dos dias à medida de cada casal, da sua personalidade, da sua história, do seu coração! Validarmos esta intenção, sedimentá-la com raízes robustas para que floresça com alegria, é o nosso grande trabalho, a melhor marca que deixamos destes dez anos aqui!

 

Brindo a isso e deixo-vos com o dia bonito da Tânia + Nuno, em 2018!

Amanhã regressamos à nossa agenda do costume!

 

O casamento rústico e muito romântico da Tânia + Nuno chegou-me à caixa de correio no fim do ano. Vinha envolto nestas palavras tão bonitas:

 

“Boa noite,

Resolvi enviar este email no dia em que faz seis meses que estou casada. Tudo para vos agradecer…

Começo por explicar que namorei mais de dez anos com o meu marido e nunca tive o sonho de casar porque nunca me imaginei a entrar numa igreja e a ter um casamento tradicional… 

As coisas começaram a mudar quando duas amigas minhas tiveram casamentos lindos e completamente diferentes do habitual. Nessa fase, falaram-me do vosso site que comecei a espreitar de vez em quando…

 

Até que um dia o meu marido, decide pedir-me em casamento em frente à nossa família de quarenta pessoas. A partir desse dia, tudo mudou… Tornei-me leitora assídua do vosso site e tirava inspirações dos real weddings que publicavam. Sabia que queria um casamento fora do tradicional, algo simples e bonito, mas não sabia o que fazer. Foi aí que o Simplesmente Branco teve um papel fundamental…

Percebi com os vossos posts que era possível aquilo que eu sonhava ter e que era possível fazer um casamento lindo, muito handmade e personalizado… Perdi a conta ao número de vezes que reli os vossos posts… As inspirações que retirei dos vossos conteúdos eram tantas que tive que fazer selecções das selecções e, no final de tudo, consegui fazer o casamento mais bonito, simples e sentimental que já vi (não sou a única a dizer isso, claro que sou suspeita)…

 

Por esse motivo quero-vos agradecer do fundo do coração… Obrigada por me terem ajudado a ter o dia mais bonito e perfeito da minha vida! Tenho perfeita noção que não teria conseguido sem vocês, porque me mostraram que era possível… 

Obrigada também pelos fornecedores seleccionados que têm. Contratei o serviço de DJ dos LSS que, apesar de não conhecer o trabalho, confiava a 100% porque eram vossos fornecedores e só podiam ser muito bons. E tinha razão!

Por tudo isto, obrigada!”

 

Tânia e Nuno, um brinde ao mais bonito dos dias! Tchim, tchim!

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

A verdade é que sempre dissemos que nunca iríamos casar porque não nos identificávamos com o tipo de casamento tradicional, mas já tínhamos falado que um dia poderíamos fazer algo simples e descontraído. Assim, depois do pedido (que foi uma verdadeira surpresa), decidimos logo que seria por aí o caminho. Não tínhamos uma ideia clara do que queríamos nem onde poderíamos fazer o casamento, mas começámos a enviar emails para vários locais menos “tradicionais” para ver o que surgia.

 

Sabíamos que queríamos uma festa bastante descontraída e natural, uma espécie de cocktail com boa música, boa comida e as pessoas importantes da nossa vida. Isso era o fundamental. Não queríamos cerimónia pela igreja nem os protocolos que a maior parte dos casamentos tem. Não queríamos um local muito moderno nem muito grande. Queríamos apenas uma festa onde que as pessoas se sentissem parte da nossa história.

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Não nos sentíamos muito preparados porque nunca ligámos à questão do casamento e não sabíamos como começar a organizar um. No entanto, tivemos apoio de amigos que já tinham casado e que nos ajudaram com check-lists para percebermos o que tínhamos de tratar.

O casamento foi organizado em nove meses e tivemos tempo suficiente de tratar de tudo, até porque houve muita decoração feita por nós, à mão. Mais perto da data, sentimos um pouco mais de nervos, porque há sempre aquele receio de alguma coisa falhar e de nos esquecermos de algo importante…

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Na escolha da quinta. A quinta era perfeita para o dia que estávamos a idealizar. Uma quinta muito rústica e bonita, com um espaço exterior perfeito para a festa que queríamos ter. A partir daí as ideias não pararam de surgir.

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Acho que o resultado ainda foi melhor do que ideias iniciais. Mocho Eventos prontificou-se desde logo a seguir todas as nossas ideias e sugestões, e o resultado foi mais que perfeito. Em todo o processo acreditávamos que iam conseguir, mas nunca pensámos que ficasse um espaço e uma decoração tão bonita… Além da Mocho Eventos tivemos uma grande ajuda da nossa família: na decoração, lembranças, almofada das alianças, etc. Tudo foi pensado ao pormenor e feito à mão com muito carinho.

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

O fundamental era termos um dia bonito e com muito amor em todos os pormenores. O nosso objectivo era fazermos uma festa bonita com as pessoas de quem mais gostamos. Foi um casamento diferente do habitual e, por isso, tão sentimental e relaxado. Queríamos que tudo fluísse de forma natural, sem pressas e sem horários.

O que não tinha importância era seguir o protocolo típico dos casamentos.

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi decidir o tipo de festa e decoração. Queríamos um casamento “handmade”, ou seja, uma decoração muito simples, rústica, com pormenores pensados por nós e feitos à mão por nós e pela nossa família.

O mais difícil: para o noivo foi a gestão do stress nos dias que antecederam o casamento. Para a noiva foi a gestão de tantas ideias e o querer fazer tanta coisa “handmade”. Algumas ideias mais secundárias tiveram que ficar pelo caminho porque não dava mesmo para fazer tudo.

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Tivemos vários picos sentimentais durante a cerimónia civil: os textos que os irmãos dos noivos leram e que faziam uma bonita homenagem a amigos e família que tinham falecido recentemente, as músicas que a tuna da noiva tocou e que deixaram as lágrimas no canto do olho, os votos dos noivos que tanto fizeram rir como chorar e que deixaram toda a gente emocionada…

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

E o pico de diversão?

Durante a tarde, o cocktail com música ao vivo da banda do irmão da noiva, os “Maria Ninguém”, que pôs toda a gente a cantar e a dançar, e a festa no final da noite com o dj LSS, que conseguiu que todas as gerações fossem para a pista. Também foi muito divertido um vídeo feito pela família, que pôs toda a gente às gargalhadas.

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Um pormenor especial…

Tivemos vários pormenores especiais porque queríamos que o casamento fosse muito personalizado e especial: para a cerimónia fizemos tsurus em origami para decoração do espaço, cones de papel kraft e um leque com as músicas para oferecer aos convidados; fizemos à mão vários textos e desenhos que colocámos nas ardósias e espalhámos por toda a quinta; fizemos bandeirolas de serapilheira com várias frases para decoração dos vários espaços; tínhamos um local no jardim para tirar fotos polaroid onde os convidados colavam as fotos num álbum feito por nós e deixavam dedicatórias; na sala de jantar tínhamos uma moldura de madeira com fotos de todos os convidados e com aqueles que, infelizmente, nos tinham deixado recentemente.

 

Nas mesas da família e amigos colocamos uma moldura com um texto muito bonito a relembrar essas pessoas; fizemos um livro com várias actividades para os mais pequenos se divertirem; os marcadores das mesas eram fotos nossas dos vários locais do mundo que tínhamos visitado; no ramo da noiva, foi colocado um pormenor de feltro feito à mão para relembrar uma grande amiga; as lembranças foram frascos de doce de framboesa caseiro feito pela família; os bonecos no topo do bolo eram o “Manel e a Maria” vianenses, uma vez que parte da família da noiva é de lá. A família e a tuna também fizeram algumas surpresas durante o jantar, que nos deixaram bastante emocionados.

 

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Casamento rústico em Braga

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

No geral não mudávamos nada porque o dia foi perfeito, mas, apesar de termos dito desde logo que não queríamos fotos formais com os convidados, se fosse hoje, teríamos aproveitado a entrega das lembranças pelas mesas, para termos fotos com todos, sem excepção. Também alterávamos a dança para o exterior, caso o tempo pemitisse.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

O maior conselho é que aproveitem tudo, desde a preparação, ao dia… São meses a sonhar e a idealizar toda a festa e é uma emoção tão grande que o dia passa mesmo a correr! Façam o casamento dos vossos sonhos, não ligando ao que as pessoas estão à espera. É o vosso dia e tem que ser à vossa imagem. A melhor coisa que vos podem dizer é que o casamento foi a vossa cara. No nosso caso, toda a gente o disse e é motivo de muito orgulho. Casávamos já outra vez!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: os convites e algum material gráfico foram desenhados por duas amigas designers, Filipa Fortunato e Raquel Carvalho, e o restante foi desenhado pela noiva;

local e catering: Quinta de Vilaça com o catering Mocho Eventos;

bolo: Pastelaria Glicínia;

fato do noivo e acessórios: fato Miguel Vieira e sapatos Arcar;

vestido de noiva e sapatos: vestido Rembo Styling e sapatos H&M;

maquilhagem: Francisca Roboredo Professional Makeup;

cabelos: Luzia de Sá Cabeleireiro;

bouquet: Fábia Fernandes;

decoração: Mocho Eventos, noivos e família;

ofertas aos convidados: família dos noivos;

fotografia: José Crispim Photography;

vídeo: Os Tais do Video;

luzes, som e Dj: LSS como dj, Gatuna e Maria Ninguém com actuações durante o cocktail e jantar.

 

Susana Pinto

Casamento na Quinta do Hespanhol: Sofia + David

Há blogues que assentam as suas seleções de imagens nos detalhes do casamento: no bouquet de noiva, nos centros de mesa, na decoração do espaço e das mesas, na delicadeza do vestido, nos fantásticos sapatos, etc., etc..

Aqui no Simplesmente Branco, incluo detalhes sim, que são diferenciadores e servem de inspiração para quem lê, mas o que eu mais gosto e escolho de forma generosa são as pessoas. Os abraços, as lágrimas, os sorrisos, as mãos que se tocam, aquela energia que vibra e é transversal a todos, em todas as imagens… e as minhas imagens favoritas são sempre as da saída da cerimónia!

 

Fiquem com o casamento da Sofia + David, que publicámos em Fevereiro. Há muito amor por aqui!

 

Hoje mostramos o mais bonito dos dias da Sofia + David: um casamento na Quinta Nova do Hespanhol, fotografado pelo Hugo Coelho Fotografia.

Ufa, por onde começar?  Os casamentos fotografados pelo Hugo Coelho são sempre muito difíceis de editar e geram selecções gigantes. Todas as imagens têm o seu lugar na narrativa do dia e ocupam o seu espaço de forma relevante e especial, somando nuances e detalhes.

O mais bonito dos dias da Sofia + Diogo tem aqui cento e quarenta imagens e nem imaginam quantas ficaram de fora, igualmente bonitas, doces e que mostram os momentos delicados e cheios de emoções de que este casamento foi feito!

 

Reparem na avó maravilhosa do David, com um sorriso orgulhoso, modernaça, com o seu smartphone em punho e a dançar com uma energia contagiante… ou os abraços, refrescados com um par de minis geladas… ou os sorrisos colectivos, de coração cheio, durante a cerimónia religiosa, ou o vestido maravilhosamente singelo e tão elegante da Sofia, ou a deliciosa vespa com sidecar azul bébé, ou tudo junto, porque o amor é a soma das partes…

Os dias mais bonitos só podem ser assim!

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Converse All Star para noivas Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Vestido de noiva Uhma Vestido de noiva Uhma Vestido de noiva Uhma Vestido de noiva Uhma Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Vestido de noiva Uhma Vestido de noiva uhma

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Nunca tínhamos se quer falado em casar, e quando houve um pedido e um sim foi uma explosão de sentimentos… E agora como isto se faz? Com a nossa agenda e stress do dia-a-dia, sabíamos que queríamos uma cerimónia e festa com a nossa cara, simples mas cheia de sentimento e em que todos se divertissem, com pormenores que nos identificássemos.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi uma construção diária, com alguns nervos pela falta de tempo e por termos decidido fazer tudo à nossa maneira e sozinhos, mas sempre em mente que era um passo positivo e não para ser uma razão de desavença ou stress para a nossa relação.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

No dia!

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sim, fiel a ideia que fomos construído e que fomos idealizando, estava tudo perfeito.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Vespa com side car azul bébé Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Era fundamental todos se divertirem, ter uma festa animada e com boa comida e bebida. Que todos se sentissem satisfeitos e felizes, o que aconteceu!!! Não teve importância o politicamente correcto, a tradição, o é suposto.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Foi mais difícil perceber o que queríamos ao certo e ter cedido em algumas coisas, como a localização não ser Lisboa, mas que valeu muito a pena, a qualidade-preço foi a melhor, sitio impecável e todos diziam que era a nossa cara. Corremos alguns riscos e contratámos fornecedores que não conhecíamos directamente e correu tudo acima do esperado.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Bolo dos noivos decorado com folhas de oliveira Bolo dos noivos com cake topper Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Entrada na igreja e os elogios do noivo aquando da chegada ao altar . Ah, e a visualização do vídeo com participação de todos os nossos convidados estava espetacular (que bela surpresa!).

 

E o pico de diversão?

Saída da igreja, banda, amigos djs no final da noite.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Miniaturas Licor Beirão Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Um pormenor especial…

A surpresa do noivo ao sairmos da igreja num sidecar azul bébé lindo, o brinde à saída da igreja com logos personalizados surpresa, a nossa dança, o lançamento do bouquet.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não! Vivia tudo outra vez, nunca pensei dizer isto, mas já tenho saudades do nosso dia… Foi uma bolha de amor incrível.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Respirem fundo quando se sentirem perdidas, no meio de tantos pormenores e inspirações tentem visualizar o que faz mais sentido, às vezes menos é mais, e se alguma coisa não estiver a correr como o esperado desdramatizem, muita vezes os vossos convidados nem notaram.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho Casamento na Quinta do Hespanhol, com fotografia de Hugo Coelho

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: M2 Artes Gráficas;

local, catering, bolo dos noivos e decoração: Quinta Nova do Hespanhol;

fato do noivo e acessórios: fato CBI Indústria Vestuário, sapatos Armando Silva;

vestido de noiva e sapatos: vestido de noiva UHMA Store, sapatos Michael Kors;

maquilhagem: Ioana Florea Makeup Artist;

cabelos: HairFit Cabeleireiro

bouquet: Florista Tininha;

decoração: Quinta Nova

ofertas aos convidados: donativo para Associação Acreditar (marcador de livros com mensagem dos noivos aos convidados);

fotografia: Hugo Coelho Fotografia;

vídeo: OnWeddings;

luzes, som e Dj: banda Octopus e dj familiares e amigos.

 

Susana Pinto

Casamento na Quinta do Vale: Beatriz + Rui

A Beatriz casou com um dos mais bonitos looks de noiva que já vi, eu, que sou tão pouco sensível a vestidos de noiva…

Desenhado pela irmã do noivo, com uma maravilhosa capa de tule com ramos de oliveira bordados – tinha que estar nesta lista de Agosto!

 

Deixo-vos com o casamento da Beatriz + Rui, em 2020.

 

Hoje mostramos o mais bonito dos dias da Beatriz + Rui: um casamento na Quinta do Vale, com a luz dourada e baixa de Outubro.

E que doce e cheio de amor é este dia, temos sorrisos e abraços que duram dias e pormenores para lá de bonitos.

 

Na terça-feira, mostrámos aqui o maravilhoso vestido de noiva da Beatriz, criado especialmente para ela pela Imauve e hoje, como combinado, contamos como todo este dia bonito se desenrolou. As fotografias belíssimas são da dupla D10Photo.

 

Juntam-se a nós?

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia feliz, rodeados de todas as pessoas que são importantes para nós.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi um caminho muito relaxado, muito calmo e intuitivo. Namorámos 6 anos antes de casar e por isso o casamento era o passo natural seguinte. Não estava à espera que o Rui me pedisse em casamento, mas quando o fez senti que era certo. A preparação para o dia foi muito fácil. Sabíamos que queríamos um dia muito simples e o que importava eram as pessoas que estavam connosco. Importava acima de tudo, nós os dois. O facto de pensarmos assim tirou um grande peso de toda a organização. Fomos calmamente vendo as coisas que precisávamos e tomávamos decisões a partir daí.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

No próprio dia. Acho que por muito que se planeie ou se imagine, só no próprio dia é que percebemos que “era mesmo isto”, independentemente se tudo o que foi planeado foi cumprido ou não. Outros valores se levantam, como costumam dizer.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Diria que é bastante fiel. Fomos nós que organizamos tudo.

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para a missa, conseguir uma das igrejas onde os nossos pais casaram. Ambos os nossos pais têm casamentos muitos felizes e continuam apaixonados depois de tantos anos. Nós queremos seguir o exemplo deles e achámos que casar onde eles casaram nos poderia trazer sorte nesse sentido.
Para a festa, encontrar um sítio onde conseguíssemos ter todas as pessoas que queríamos ter connosco e que ao mesmo tempo reflectisse quem nós somos.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Diria que foi tudo muito fácil excepto o design das peças do casamento (missal, convites, mesas…). Eu sou designer, e posso dizer que foi muito mais difícil desenhar para mim do que para os meus clientes. Não deveria ser, mas é! Acho que este é o problema de qualquer criativo que faça um trabalho para si mesmo. Somos demasiado críticos.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A celebração do casamento (a missa).

 

E o pico de diversão?

Dançámos a noite inteira sem parar. Foi inacreditável ter toda a gente a acompanhar-nos!

 

Um pormenor especial…

No dia em que nos casámos, formámos uma nova família: Ramos de Oliveira. Todo o nosso casamento, igreja e quinta, foi enfeitado com ramos de oliveira. Depois do casamento secámos os ramos e ainda os temos em jarras em nossa casa.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

NADA!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem o vosso dia!! É possivelmente um dos dias mais felizes da vossa vida, por isso, enjoy the ride. Relaxem e não ponham pressão em nada. Tudo o que precisavam de fazer para que o dia do casamento acontecesse, já está feito. No próprio dia não podem fazer nada, por isso aproveitem todos os momentos.

Relaxar antes do casamento foi essencial. Na véspera do nosso casamento fiz questão de não fazer absolutamente nada! Acordei e fui para a praia. No dia seguinte estava a casar.

 

Casamento na Quinta do Vale Casamento na Quinta do Vale Casamento na Quinta do Vale

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Beco Creative Studio (da noiva!);

cerimónia: Igreja dos Capuchos;

espaço, catering e bolo dos noivos: Quinta do Vale, Loures;

fato do noivo e acessórios: fato Hugo Boss e relógio Omega;

vestido de noiva e sapatos: IMAUVE;

maquilhagem: Antónia Rosa;

cabelos: Rosa Mendonça;

bouquet: Flores a la Carte;

decoração: a noiva e Quinta do Vale;

ofertas aos convidados: doámos um montante por pessoa à Liga Portuguesa contra o Cancro.

fotografia: D10Photo;

vídeo: FreeSoul;

luzes, som e Dj: Nuno Garcia.

Susana Pinto

Um casamento DIY: Bruna + César

Os sapatos da Bruna estiveram na nossa lista de sapatinhos de domingo, várias vezes, de tão lindos que são. Sei que nesta estação calçaram muitas meninas!

A fotógrafa Carina Oliveira é uma das pessoas mais doces que conheço, ainda que apenas virtualmente. Temos sempre belas conversas e descobrimos que, no Pinterest, podíamos ser gémeas.

 

O casamento da Bruna + César foi fotografado por ela, em 2017. Façam o favor de o espreitar, que é uma delícia!

 

Fechamos o doce Outubro de modo muito especial e igualmente doce: com um casamento DIY, o dia bonito da Bruna + César.

São muitas imagens, mais de meia centena, captadas pela Carina Oliveira, e vou explicar-vos o que é tão bonito nelas.

Começo por vos apresentar a Carina, que foi nossa cliente no projecto S Baby. Tem um trabalho muito delicado e feminino, e um olhar muito atento aos detalhes e aos pequenitos, o que faz dela uma óptima fotógrafa de famílias. Sem nos conhecermos pessoalmente, conhecemo-nos virtualmente há vários anos e temos muitas coisas que nos aproximam e sobre as quais gostamos de conversar. Acompanhar o seu trabalho, vê-lo crescer, chegar a sítios, é um prazer imenso, sempre.

 

Ora a Carina não foi apenas a fotógrafa de serviço no casamento da Bruna + César: é a irmã do noivo e a mãe do Hugo, o muito divertido menino das alianças. Com tanto amor no ar, não se espantem com a quantidade de fotografias de abraços que vão encontrar nesta selecção.

Este não é um casamento sobre detalhes, e os próprios noivos o afirmam. É um casamento sobre pessoas e o amor palpável, visível, que as une. As fotografias da Carina fazem, genuinamente, justiça ao momento. São feitas de amor, e por isso, são perfeitas.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos sempre um dia tranquilo e super relaxado. Um dia em que estivessem presentes os nossos mais íntimos, para que estivéssemos todos rodeados de amor e mais amor. Procurámos, acima de tudo, fugir de um casamento tradicional com demasiada etiqueta e protocolo.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Tentámos levar as coisas sempre na maior das calmas. Contudo, acabámos por perceber que estávamos demasiado relaxados! Digamos que começámos a organizar o casamento propriamente dito, no mês anterior. Mas claro, nas semanas antecedentes não poderíamos negar os nervos.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Nos dois dias imediatamente antes do grande dia, quando andávamos a colocar a iluminação e a tratar da decoração do espaço.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sim, sem dúvida. Ficou tudo como queríamos, graças à ajuda de todos os nossos queridos. Amigos, padrinhos, tios, tias, as senhoras responsáveis da Casa da Portela e claro, as nossas mães que foram uma ajuda fundamental. Tudo feito com muito amor, carinho e dedicação. O resultado só poderia ser mágico.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Era fundamental que todos os nossos convidados se sentissem confortáveis e que fosse um dia relaxado essencialmente para nós, pois sabemos aquilo que os noivos passam no dia do casamento. Só o queríamos aproveitar ao máximo e não ser ‘marionetas’ do dia.

Tudo o que se aproximasse de um casamento tradicional (nada contra, só não nos identificamos) como carros de luxo, foguetes, danças exóticas, cuspidores de fogo ou qualquer situação que não faz parte da nossa identidade, não era de todo importante.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi dizer o “sim” e comunicarmos ao mundo que íamos casar. O mais difícil foi tudo o resto!

 

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Da noiva: a coisa começou a ficar real no momento em que me vestiram o vestido,  puseram a coroa de flores e o pico foi, claro, o momento em que os meus dois irmãos (em representação do meu falecido pai) me abraçaram e levaram até ao altar civil, onde estava o amor da minha vida à espera.

Do noivo: quando a noiva entra, como não poderia deixar de ser… Uma emoção indescritível.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

E o pico de diversão?

Logo após a cerimónia, quando nos juntámos aos nossos amigos e familiares, até noite dentro.

 

Um pormenor especial…

Os presentes que os amigos nos prepararam, nomeadamente o vídeo que nos dedicaram e os alunos da noiva que apareceram de surpresa, após o jantar.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Tentaríamos que fosse ainda mais relaxado. De resto, há sempre coisas que se podem mudar, mas não nos arrependemos de nada. Foi o casamento que queríamos.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Mandei fazer o meu vestido e este  passou por um odisseia que iria terminar muito mal. Por isso, caso mandem fazer os vossos vestidos, pesquisem bem sobre quem o vai confeccionar, incluindo historial da pessoa com as clientes.

Aconselho também a relaxar ao máximo, pois só assim conseguirão aproveitar não só todo o processo de organização, como também o próprio dia.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Vejam a reportagem completa na página da Carina Oliveira Fotografia.

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos:  o noivo, que é designer gráfico;

local e catering: Casa da Portela Eventos;

bolo: feito e decorado pela mãe da noiva;

fato do noivo e acessórios: fato e camisa Sacoor, sapatos Massimo Dutti e laço Zara;

vestido de noiva e sapatos: vestido de noiva desenhado pela própria e executado por duas costureiras do Porto,  sapatos Uterque;

maquilhagem e cabelo: Alexandra Castro;

bouquet: Arte Bruna;

decoração: feita por todos nós;

ofertas aos convidados: feitas pelo marido;

fotografia: Carina Oliveira Fotografia;

vídeo: Ricardo Marques e Gonçalo Rodrigues;

luzes, som e Dj: amigos.

 

Susana Pinto

Casar em casa: Sara + Nuno, no mais bonito dos dias!

Nestes meses que passaram, falámos muito sobre novos formatos para casar, dadas as circunstâncias: em cerimónias intimistas com um grupo restriro, no civil, seguido de um almoço elegante, ao ar livre em formato piquenique e também em casa, que pode ter tanto encanto e conforto.

 

Casa é onde o coração está, e a Sara + Nuno, foram literais: em 2019, casaram em sua casa!

 

Hoje temos aquilo que para mim é a festa perfeita: um casamento em casa!

 

É o mais bonito dos dias da Sara + Nuno, aconchegados entre família e amigos no seu próprio jardim.

A cerimónia foi intimista, e aconteceu num ambiente caseiro que não descurou a atenção ao detalhe, com decoração a preceito para um dia tão especial. Lá porque estamos a jogar em casa, este dia é muito mais do que um churrasco de domingo.

Ao escolher a decoração certa, a Sara + Nuno elevaram todo o ambiente à altura do momento especial que é, sem lhe retirar o conforto e aconchego pensados desde o primeiro momento.

 

As fotografias bonitas são da equipa Feel Creations.

Eu casava-me assim… e vocês?

Ah, e reparem nuns certos sapatinhos de noiva fantásticos: estiveram na nossa lista de sunday shoes!

 

Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Não houve propriamente um “Sim!”. Foi algo mais do género: “E se nos casássemos e fizéssemos um churrasco no quintal?”.

Foi assim que, inicialmente, imaginámos o dia. Depois a ideia foi crescendo.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Não tivemos nervos nenhuns, decidimos manter tudo simples e caseiro.

 

Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Como decidimos casar no nosso quintal, o maior desafio era que toda a gente coubesse e tudo ficasse “arranjadinho,” mas sem ter um ambiente formal. Foi quando vimos as ideias das decoradoras a serem postas em prática, que achámos que ia ficar tudo como queríamos.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Não é propriamente fiel porque inicialmente estávamos a pensar num churrasco de fim de tarde para umas trinta pessoas e, com o tempo, acabámos por perceber que queríamos que mais algumas pessoas estivessem presentes e que o espaço também ficasse um bocadinho mais decorado. E acabou por ficar tudo como queríamos. Contámos com a ajuda das decoradoras e do catering.

 

Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para quem partiu da ideia de um churrasco, não tínhamos muitas exigências. Só queríamos que se mantivesse o ar caseiro e fosse uma festa de família e amigos no quintal. No geral, não demos importância à maioria das coisas que acabam por acontecer num casamento mais tradicional. Não houve guião ou planeamento para o próprio dia, ou horas para acontecerem determinadas coisas. Até a música fomos nós próprios, e os nossos amigos, a passar.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Foi tudo fácil. Como éramos poucas pessoas, sempre se conseguiu tudo o que queríamos e de forma rápida.

 

Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Foram os discursos dos nossos amigos e família!

 

E o pico de diversão?

Quando os nossos amigos apareceram com instrumentos musicais e tocaram para nós músicas personalizadas.

 

Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations

Um pormenor especial…

O mais especial foi termos conseguido manter tudo íntimo, por ter sido na nossa casa e no nosso quintal, que é o lugar onde vivemos. Para nós os dois, isso foi dos pormenores mais especiais. Como foi em casa e com as pessoas mais próximas, conseguimos estar com toda a gente e conviver a sério entre nós.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não mudávamos nada!

 

Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Como não tivemos uma festa tradicional, não conseguimos dar grandes conselhos a quem optar por esse estilo. Mas quem quiser optar por um casamento em casa e estiver na dúvida sobre se vale a pena, aconselhamos muito! É muito giro e vale muito a pena. Não é preciso ter uma casa e um jardim grande. A nossa casa é pequena, mas tudo organizado cabe e as pessoas vão ficar surpreendidas como pode ficar tudo caseiro e tão bonito. Além de que não ficam dependentes de datas disponíveis, pode ser quando quiserem e demoram menos tempo a planear tudo.

 

Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations Casar em casa, no Porto: fotografia de Feel Creations

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites, materiais gráficos e ofertas aos convidados: Linhas Coloridas;

espaço de casamento: casa própria;

catering e bolo dos noivos: No Mundo de Luísa;

fato do noivo e acessórios: Pepe Jeans e Hugo Boss;

vestido de noiva e sapatos: Gio Rodrigues e Zara;

maquilhagem: Paula Motta;

cabelos: Pontas Soltas;

bouquet de noiva: Flor.d.ló;

decoração: Dilly Events Design;

fotografia: Feel Creations.

 

Tudo tão doce, não é? Não deixem de ver outros casamentos bonitos captados pelos Feel Creations!

Susana Pinto

Casamento no Monte do Ramalho: Patrícia + Sérgio, que festaça!

O Alentejo vive no meu coração e o Monte do Ramalho é um dos sítios mais bonitos para casar, onde a natureza não está domesticada e o calor sobe, manso, do chão.

 

Um dos casamentos mais maravilhosos que já publiquei, o da Patrícia + Sérgio, na sua bolha de amor e paixão, aconteceu nesta bela casa, em 2018.

 

Hoje trazemos um casamento que é uma ode palpável ao amor!

Patrícia + Sérgio casaram no Monte do Ramalho, no coração do Alentejo e no mais gentil dos meses de verão. Foi em Setembro, num dia de luz dourada e paisagem sem fim.

Organizaram-se à distância, a partir de Londres, com o suporte da Amor e Lima e escolheram casar no campo, rodeados de amigos e família vindos dos quatro cantos do mundo. O cenário rústico do Monte do Ramalho, com o seu altar civil à sombra de uma figueira centenária, as suas mesas corridas ao ar livre, luzes de arraial e a eira que se transforma em pista de dança, foi o local perfeito para celebrar este amor tão generoso.

Juntem-se a nós, venham ver este dia para lá de bonito!

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

O Sérgio pediu-me em casamento em Dezembro de 2016, de uma forma muito sua, na Chef’s table do Petrus, em Londres. Disse imediatamente que sim, mas ambos sabíamos que o casamento tinha que esperar quase dois anos porque eu estava grávida da nossa filha Maria Luísa que ia nascer em Agosto de 2017. Portanto tivemos bastante tempo para programar e organizar o nosso dia. Mas imaginar, já o tínhamos imaginado e ambos estávamos de acordo sobre como seria. Sabíamos que teria que ser ao ar livre, de preferência debaixo de árvores e com luzes de arraial. A cerimónia queríamos que fosse também ao ar livre, com fardos de palha a servir de bancos, e que tivesse um toque pessoal porque tínhamos muito receio da impessoalidade de um acto civil. Queríamos fugir de hotéis e procurar o campo e sabíamos que seríamos rodeados de oliveiras ou de vinhas. Ganhou a primeira!

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sim, bastante preparados e com poucos nervos. Tanto eu como o Sérgio não éramos “marinheiros de primeira viagem” e já tínhamos casado antes. Acho que tínhamos claro o que era imprescindível e o que era dispensável, e isso ajudou bastante na preparação e organização. Houve, sim, alguns nervos por causa das distâncias e pelo facto de termos escolhido casar fora de um lugar comum para qualquer um dos nossos convidados. Acrescenta-se o facto de cerca de 50% dos convidados virem de fora do país (Angola, Estados Unidos, Dubai, Espanha), o que criou alguns constrangimentos adicionais porque tentámos sempre ajudar na logística e arranjar solução para tudo.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

No meu caso, Patrícia, creio que só tomei consciência “é mesmo isto, vai acontecer” quando embarquei no Voo TP286 com destino a Lisboa no dia 1 de Setembro. Organizar um casamento à distância tem destas coisas. Acabamos por não estar tão emocionalmente próximos do evento e do eventual stress que a organização possa causar. Como confiávamos em pleno na Maria Villar, isso também ajudou. Quanto ao Sérgio, acho que foi quando começámos a ensaiar a dança para abertura da pista, depois da nossa amiga Huila a ter coreografado. Recordo dele dizer várias vezes: “Amor, isto está mesmo a acontecer, temos que ensaiar para sair perfeito, mas mais que tudo quero-me divertir a fazê-lo”.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado final foi totalmente fiel às ideias iniciais. Queríamos um casamento pequeno, muito simples, em que os pormenores escolhidos fossem sentidos e recordados pelos presentes e fizessem realmente a diferença.

 

Contámos com a ajuda preciosa da Amor e Lima, mais precisamente da Maria Villar. A Maria foi incansável e crucial durante todo o processo, não só ajudando-nos a manter-nos fiel ao plano e nossos desejos, como em manter um fio condutor do conceito do casamento que começou com o Save the Date e terminou com a execução de todos os detalhes do dia do casamento.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Era absolutamente fundamental que o casamento fosse fiel aos nossos princípios e transmitisse os nossos gostos. Queríamos muito que fosse simples e despretensioso, mas com significado. Queríamos muito, mas muito, aproveitar o dia e não chegar ao fim com a sensação que passou a correr e conseguimos.

 

Era absolutamente fundamental que os nossos filhos tivessem uma atenção especial, de forma a que nem eles se sentissem esquecidos nem nós culpados por não lhes estar a dar atenção, ou a estar a dar atenção de mais e não aproveitar aquele dia único nas nossas vidas. Com a ajuda da Maria Villar conseguimos. Não sei se conseguimos identificar coisas que não tinham importância, porque as excluímos logo de início. Creio que não tinham importância muitas formalidades, dar lembranças desnecessárias e sem significado às pessoas, e olhar para o relógio.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Eu e o Sérgio dividimos responsabilidades. Ele ficou com o catering e a música e eu com o conceito do casamento, decoração, site e logística.

 

O mais fácil e que disfrutámos imenso foi mesmo a escolha, tomar decisões, provar pratos, ver material de decoração, imaginar bouquets, entre tantas outras coisas. Mesmo tendo separado as responsabilidades, havia aspectos que se tocavam. Por exemplo, tive que solicitar outra opção de pratos/louça à Maria Villar porque o Sérgio dizia que não evidenciavam as qualidades do prato principal do jantar. Coisas de chef, mas acabei por concordar e dar razão, ajustando assim algo que tinha decidido.

 

O mais difícil foi a questão logística e a gestão do alojamento para todos. Por coincidência houve um casamento no mesmo dia num hotel próximo e as opções de alojamento, que já eram limitadas, tornaram-se mais limitadas ainda. Ainda que me custasse imenso, houve convidados nossos a dormir a mais de 15 kms do Monte, que era a distância limite que inicialmente tinha definido.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Os discursos! O do Sérgio, que oscilou entre os momentos de choro e de riso e terminou com todos os presentes (exceptuando os estrangeiros) a cantar uma das nossas músicas. O meu, que foi improvisado e surpreendeu muitos dos convidados, e o do meu irmão André, que cumpriu o papel que estava destinado ao meu pai, que infelizmente nos deixou há três anos e não pode viver este dia connosco.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

E o pico de diversão?

A noite anterior já foi um pico de diversão. Oferecemos um churrasco alentejano aos familiares, padrinhos e madrinhas, e por ter sido tão descontraído, foi diversão espontânea. No próprio dia, foi também a parte da festa, que começou com a abertura da pista connosco a dançar uma música coreografada por uma amiga que é bailarina e professora de dança, e a partir daí contámos com a ajuda de muitos convidados para garantir que a diversão se mantinha até as forças acabarem.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Um pormenor especial…

As placas que estavam nas nossas cadeiras na mesa de jantar em que a minha dizia: Cozinhas para mim? e a do Sérgio dizia: Para sempre! Já que este pormenor é alusivo à nossa história e ao que nos uniu. Adicionalmente a leitura do poema que foi feita por uma das minhas madrinhas antes da troca das alianças, “E por vezes”, de David Mourão Ferreira, que imprimiu um significado especial à cerimónia pelo significado das palavras e o que significa para nós, sem dúvida personalizando o momento e fazendo com que todas as pessoas reflectissem sobre a importância de um abraço e do aproveitar do Presente.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

No cômputo geral não, mas se analisarmos o dia com todo o detalhe é impossível não identificar um outro pormenor que precisasse de melhoria ou alteração. Por exemplo, na cerimónia deveríamos ter salvaguardado que as duas primeiras filas eram reservadas aos padrinhos e não alertámos a wedding planner sobre isso. Uma delas efectivamente foi, a outra não e as madrinhas da noiva acabaram por ficar de pé muito perto dos noivos. Por outro lado, o Sérgio deveria ter feito um teste de som com o Filipe dos LBond para ter a certeza que não havia interferência com ele a falar com a música que escolheu para acompanhar o discurso.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Os melhores conselhos que posso dar são: keep it simple, porque é mesmo verdade que menos é mais e só no meio da simplicidade é que os detalhes entoam e se enaltecem. Definam um conceito e procurem ser fiéis ao mesmo, da mesma forma que definam um budget racional e exequível e procurem igualmente não o exceder. Tenham bem claro o que é imprescindível e dispensável, e o que pode estar.

A dada altura da organização de um casamento parece que tudo é pouco, a comida é pouca, a bebida é pouca, não vai haver diversão suficiente, precisamos de mais detalhes ou acontecimentos no dia, e isso são muitas vezes as inseguranças e o stress a falar.

Nessa altura é importante respirar fundo em conjunto e voltar a analisar o conceito e o rácio imprescindível vs dispensável. E por último, lembrem-se que o casamento é vosso e é o vosso dia, se vocês se divertirem e o aproveitarem com as pessoas presentes, nada os vai deixar mais alegres e felizes que essa partilha de sentimentos.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites, materiais gráficos, decoração e bouquet de noiva: Amor e Lima;

local: Monte do Ramalho;

catering e bolo dos noivos: Encontrus;

fato do noivo e acessórios: Alfaiataria San Giorgio, sapatos Armando Silva e botões de punho Cartier;

vestido de noiva e sapatos: vestido Laure de Sagazan e sapatos Manolo Blahnik;

maquilhagem: Lea Magui Louro;

cabelos: Ana Fernandes, Fhair Organic Studio;

ofertas aos convidados: para as senhoras, protectores de saltos da Lelle e echarpes à noite, da Amor e Lima. Para os senhores charutos e cigarrilhas Monte Cristo e José de la Piedra;

fotografia: Madalena Tavares;

vídeo: Fullcut;

luzes, som e Dj: LBond.

 

Susana Pinto

Casar em casa: Ana Marta + Hugo

Neste ano de grandes desafios, entre muitas reflexões, repensamos também o formato da festa e da celebração de casamento.

As cerimónias mais intimistas parecem ser o caminho e, havendo espaço, um casamento em casa pode ser uma bonita ideia. Por aqui temos mostrado alguns (ainda são raros), mas acredito que há muito amor e fineza num dia celebrado dentro de portas, porque a casa é onde o coração está!

 

A Ana Marta+ Hugo casaram assim, na sua casa, em 2018.

 

Hoje trazemos, genuinamente, um casamento diferente. É a festa da Ana Marta + Hugo, num formato intimista, singelo, com uma dose essencial de formalidade, tal como o desejaram, e com a cumplicidade da família.

A Ana Marta + Hugo casaram na bonita Igreja de São Mamede, em Lisboa, e celebraram com a família e amigos com um jantar, em sua casa.

Sem confusões, sem stresses de maior, com um belo vestido de noiva da Vestidus, de forma orgânica, animada e natural, esta foi a sua ideia de celebração do mais bonito dos dias. E a julgar pelas imagens do Bernardo Gouveia, foi perfeito.

Querem ver?

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

A felicidade foi tanta que nem pensámos em mais nada. Honestamente, “o dia” nem nos passou pela cabeça, mas sim o resto dos nossos dias juntos.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Superpreparados e nada nervosos, nem no dia do casamento.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Já sabíamos o que queríamos à partida, algo simples e íntimo, sem confusões.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sim, o resultado foi fiel ao que tínhamos imaginado. Contámos com a ajuda dos nossos pais que organizaram tudo, de acordo com o nosso feedback.

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Ter uma celebração simples, apenas com jantar, de forma a aproveitarmos os momentos juntos sem nos preocuparmos com obrigações. Queríamos algo simples, mas formal, sem grandes decorações e floreados.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Mais fácil? O Sim! Mais difícil? Terminar a festa.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Dizer os votos na igreja, sem dúvida.

 

E o pico de diversão?

A lua-de-mel.

 

Um pormenor especial…

O Hugo tinha meias feias, mas ninguém notou.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

O catering do jantar, porque poderíamos ter sido nós a fazer o jantar.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Simples, sem complicações e sem stress.

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: convites digitais Green Envelope;

local: casa dos oivos;

catering e bolo dos noivos: Salsaparrilha;

aluguer de mobiliário e louça: Mesa Posta;

fato do noivo e acessórios: Massimo Dutti, fato feito à medida;

vestido de noiva e sapatos: vestido da Vestidus Atelier, sapatos Asos;

maquilhagem: feita pela noiva;

cabelos: Flávio Passos Reihn para Toni & Guy, Chiado;

bouquet de noiva: Monceau Fleurs Amoreiras;

fotografia: Bernardo Gouveia;

luzes, som e Dj: playlist Youtube.