Created with Sketch.
Susana Pinto

O texto do convite de casamento, por A Pajarita

Continuamos a partilhar o série “Preparar o caminho descomplicando-o“, criada pela Alexandra Barbosa, de A Pajarita, e publicada no seu site todas as semanas.

 

Hoje a Alexandra Barbosa fala-nos sobre o texto do convite de casamento e a importância do tom, que antecipa o tipo de festa que iremos ter – formal ou informal, elegante ou relaxado

 

Formal ou informal: o que escrever no convite

A data está marcada e ansiedade de ver os primeiros detalhes materializados está ao rubro. Chegou o momento de fazer os convites de casamento!

O convite é a primeira impressão do dia que estão a planear, é o início da história que vão contar e define aquela que será a vossa imagem gráfica. Informa a família e os amigos – os vossos convidados – que irão dar este passo importante, formalizando o vosso Amor, e que será com cada um deles que irão partilhar esse momento.

 

O que esc rever nos convites de casamento? Texto para convites de casamento

O convite deve ser desenhado à vossa imagem, reflectindo a vossa identidade enquanto casal. O primeiro passo é decidir que tipo de convite melhor vos representa e se enquadra no orçamento disponível. De seguida, escolhemos o tipo de papel, as cores, o tipo de letra e o grafismo mais adequado.

Se até agora estivemos a falar da forma, chegamos ao conteúdo: que tipo de texto vamos escrever no convite?

 

Tal como a componente visual, o tom do texto deve reflectir sempre o estilo de casamento que estão a planear. Existem, grosso modo, três tipos de texto – obviamente, com todas as suas nuances: formal e rigoroso do ponto de vista protocolar,  informal (o mais comum), e descontraído (que pode incluir brincadeiras com as palavras e até algum humor).

A diferença na tipologia do texto vai além do tom. Tem também impacto na quantidade de texto e na sua paginação, influenciando o tamanho do próprio convite. Devemos ter sempre em conta o espaço branco, o parceiro quase invisível que acrescenta a leveza e delicadeza a todos os objectos e ambientes.

 

Texto para convites de casamento Texto para convites de casamento

Se estão a planear um casamento formal, para o qual são os pais dos noivos a convidar (pagando a festa ou não), podem optar pela seguinte estrutura tradicionalmente clássica: 

 

  • frase introdutória
  • nomes dos pais dos noivos
  • frase sobre o tipo de evento, como por exemplo: “Têm a honra de convidar V. Ex.a(s) a assistir ao casamento dos seus filhos
  • nomes dos noivos
  • data, local e horário da cerimónia
  • local da festa
  • confirmação ou RSVP com data e os contactos para o qual os vossos convidados devem confirmar a sua presença. Esta última linha aplica-se apenas nos modelos de convite que não incluam adicionalmente um cartão de detalhes ou um RSVP.

 

Se o vosso plano é um casamento mais informal,  podem optar por colocar uma citação que vos inspire, um poema ou mesmo uma frase escrita por vocês. 

Neste caso, são os noivos a convidar, retirando o nome dos pais:

 

  • nome dos noivos
  • frase sobre o tipo de evento, como por exemplo: “Temos o prazer de vos convidar para o nosso casamento
  • data, local e horário da cerimónia
  • local da festa
  • confirmação ou RSVP com data e os contactos para o qual os vossos convidados devem confirmar a sua presença. Esta última linha aplica-se apenas nos modelos de convite que não incluam adicionalmente um cartão de detalhes ou um RSVP.

 

Se a vossa intenção é algo mais descontraído,  podem optar por um convite informal, apenas com a informação essencial:

 

  • nome dos noivos
  • frase sobre o tipo de evento, como por exemplo: “Vamos casar!
  • data, local e horário da cerimónia
  • local da festa
  • confirmação ou RSVP com data e os contactos para o qual os vossos convidados devem confirmar a sua presença. Esta última linha aplica-se apenas nos modelos de convite que não incluam adicionalmente um cartão de detalhes ou um RSVP.

 

 

Estes exemplos são apenas isso mesmo, uma certa norma que organiza a informação. No entanto, estes formatos de texto do convite de casamento não são estanques, são guias, não se esqueçam disso.

Com todos estes detalhes definidos, deixem a imaginação voar e criem ou dêem liberdade ao vosso fornecedor para criar o convite que melhor vos representa. Mostrem a vossa personalidade, alinhem-na com o vosso plano de festa, desprendam-se de ideias pré-feitas e confiem no fornecedor escolhido, que dará o melhor de si para vos interpretar e surpreender!

 

Este post foi originalmente publicado em A Pajarita.

Susana Pinto

À conversa com: DJ Rui Almeida – DJ para casamentos

Hoje conversamos com o DJ Rui Almeida, DJ para casamentos, com base em Guimarães.

 

O Rui conta-nos como foi o seu percurso profissional, que começou na rádio, passou pelos espaços nocturnos e cresce, saudavelmente, através dos casamentos que vai animando com entusiasmo e muito sucesso.

 

Nesta conversa há espaço para percebermos em detalhe o que faz uma boa pista de dança e a importância que um verdadeiro profissional tem, como condutor da noite e da animação: a percepção e capacidade de leitura de pista, o conhecimento profundo sobre o o cliente e os seus convidados e o equilíbrio saudável e frutuoso entre o improviso e o trabalho de casa.

Juntem-se a nós!

A audiência é a minha prioridade e coloco a música de que mais gostam. Existem mil e uma maneiras de o fazer e, ao longo de uma festa com muitas horas, há sempre tempo para construir um alinhamento musical completo e distinto, que agrade até aqueles que têm um gosto musical mais eclético. Ao mesmo tempo, tento enriquecer o alinhamento musical, para que os meus clientes tenham um serviço com valor acrescentado.

Conte-nos um bocadinho do seu percurso, até às pistas de dança: como é que isso aconteceu?

O meu percurso começou na rádio, onde durante quatro anos tive um programa de música de dança em que semanalmente revelava algumas das novidades  da House Music, género musical que continua a ser um dos meus preferidos. Isto aconteceu entre 1994 e 1998, quando a internet não estava democratizada como está hoje e, por isso, o acesso à musica nova não acontecia à velocidade atual.

O programa era emitido em direto e todo misturado em suporte de vinil. Durante este período também coloquei música em algumas festas de House Music que se faziam com alguma frequência, e em alguns bares e discotecas.

 

Em 1998 surgiu o primeiro convite para assumir uma residência noturna, acabei por deixar a rádio e, até 2004, fui DJ residente em alguns espaços nocturnos. Esta experiência noturna foi extremamente importante, porque cresci enquanto Disc-Jockey, a minha cultura musical aumentou consideravelmente, outros géneros musicais começaram a fazer parte dos meus repertórios e aprendi a interpretar uma pista de dança e a saber geri-la durante umas horas.

 

Rui Almeida - DJ para casamentos Rui Almeida - DJ para casamentos Rui Almeida - DJ para casamentos

Animação noturna e casamentos –  sendo a música um assunto transversal, esta é uma ligação natural e inevitável?

É uma ligação natural, mas não inevitável. Nem todos os Disc-Jockeys “noturnos” acabam por fazer animação de casamentos, porque não têm perfil para fazer este trabalho ou porque simplesmente não gostam de o fazer.

Também não é uma ligação natural, porque existem muitos “animadores”, cujo  percurso começou precisamente na animação de casamentos.

Obviamente, não estão tão bem preparados para fazer este trabalho. Por muitos anos de experiência que consigam acumular, terão muito mais dificuldade em enfrentar uma pista de dança difícil. Sim, porque este é um trabalho muito exigente. De uma forma geral, os clientes têm a expectativa de ter uma festa longa, até de manhã, se possível. Ora, para conseguir fazer uma festa com muitas horas de dança, tendo em conta que temos habitualmente cerca de uma centena de convidados, é preciso conhecimento e larga experiência.

 

Nenhuma festa é igual à anterior, temos um número limitado de convidados a dançar, com diferentes idades e muitas vezes com diferentes gostos musicais, e é preciso agradar a todos.

Por isso é importante que os noivos tenham plena noção de quem estão a contratar e se essa pessoa será capaz de assumir a responsabilidade de colocar música num dos dias mais importantes das suas vidas.

 

O que ouve quando não está a trabalhar? Separa lazer e profissão?

Ouço um pouco de tudo, embora a música Soul, Jazz, Funky e alguma Música Electrónica sejam as que reúnem as minhas preferências.

Contudo trabalho é trabalho, e quando assim é, a audiência é a minha prioridade e coloco a música que eles mais gostam.

Existem mil e uma maneiras de o fazer e ao longo de uma festa com muitas horas, há sempre tempo para construir um alinhamento musical completo e distinto, que agrade até aqueles que têm um gosto musical mais eclético. Não gosto de ir pelo caminho vulgar de desbobinar somente música comercial. Coloco-a, é claro, nos momentos necessários, mas tento ao mesmo tempo enriquecer o alinhamento musical, para que os meus clientes tenham um serviço com valor acrescentado.

 

Rui Almeida - DJ para casamentos Rui Almeida - DJ para casamentos Rui Almeida - DJ para casamentos

Como cria uma playlist para os seus noivos? É tudo trabalho prévio ou há espaço de improviso? Um pesa mais do que outro?

Tento conhecer ao máximo o gosto musical dos noivos e o que eles pretendem para a festa do seu casamento, que muitas vezes é uma coisa bem diferente dos seus gostos musicais.

Gosto  também de perceber previamente como é composto o grupo de convidados e também o que estes apreciam.

O trabalho, obviamente, só faz sentido em direto, a sentir constantemente a reacção da audiência, contudo, se for bem preparado é geralmente mais bem sucedido.

Sou também um pouco selectivo na gestão da minha agenda para assim ter tempo para preparar o trabalho.

Existe por isso um equilíbrio entre o trabalho prévio e o espaço para improviso, porque o trabalho do DJ também é isso.

 

Gosto de agir por antecipação e não por reacção. Não espero que saiam pessoas da pista para mudar de género musical, mudo atempadamente para as agradar constantemente, para as surpreender pela positiva e para lhes dar constantemente motivo para estarem presentes na pista de dança.

Como os noivos e os seus convidados não são todos iguais, não faria sentido ter uma playlist igual para todas as festas. Isso não resultaria. Existe, sim, uma identidade musical no meu trabalho e um fio condutor que tem como objectivo guiar a festa pela noite dentro, durante algumas horas, e onde deve haver  espaço para um repertório musical variado que agrade a todos os presentes.

Como tenho uma cultura musical abrangente, consigo fazê-lo com alguma facilidade. Este alinhamento musical tem também, obviamente, de ser um reflexo do gosto musical dos noivos ou do que estes pretendem que seja.

 

Um trabalho personalizado é a chave para o sucesso e é isso que gosto de proporcionar aos meus clientes.

 

Como se mantém actualizado?

De muitas formas, através da rádio, da internet, com algumas saídas noturnas e através da partilha com outros amigos DJ.

 

Rui Almeida - DJ para casamentos Rui Almeida - DJ para casamentos Rui Almeida - DJ para casamentos

Trabalha com clientes corporativos e com clientes particulares: no dance floor somos todos iguais ou o vibe da festa é muito diferente?

Normalmente uma festa de casamento tem uma vibe bem diferente da de um evento corporativo.

É uma festa de família e amigos em que se comemora um dia muito especial, por isso é normal que tenham uma atmosfera mais solta do que a de um evento corporativo.  Mas, é claro, Também tenho muitos eventos corporativos que são uma grande festa, muito animada.

 

O que faz uma grande noite (ou pista de dança)?

Um público divertido, noivos presentes na pista, uma boa sintonia entre o público e o DJ, e temos festa até de manhã.

 

Gosta dançar ou prefere ouvir?

Estou mais habituado a ouvir do que a dançar, o que acaba por ser normal, uma vez que numa festa estou quase sempre do lado de dentro da cabine de DJ. Contudo, mesmo do lado de dentro não estou parado, acabo sempre por dançar, porque também me divirto com o que estou a fazer e, no fundom faz parte da performance do DJ transmitir boa disposição para a pista de dança.

 

Ao casar, com que música abria a pista?

Já me casei e como sou adepto de clássicos em momentos que queremos eternizar, foi com o Wonderful Tonight, num dueto do Ivan Lins com o Michael Bublé, que abrimos o baile.

 

Para fechar, qual é a música a que regressa sempre?

Confesso que não tenho uma música à qual regresso sempre, da mesma forma que não tenho uma música preferida. Ambas as coisas seriam muito redutoras e não fariam sentido entre tantas músicas que aprecio e que merecem lugar de destaque.

 

 

Contactem o Rui Almeida, através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias e entrem em contacto directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática do Rui Almeida.

 

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

Inspiração boho e rústica para noivas de espírito livre

Chegamos pela fresca com inspiração de verão: uma ode aos dias de calor com Setembro no horizonte, quando a luz dourada e a secura do campo convidam a desacelerar, na companhia de um drink bem fresco!

 

A Quinta do Avesso, por terras nortenhas, abre-nos as portas para uma sessão fotográfica bem inspirada. Os elementos fundamentais estão todos por aqui: bolo dos noivos, bouquet de noiva, uns bonitos sapatos e um vestidaço, prontos a fazer as delícias das meninas que têm em mente um casamento de inspiração boho.

 

Bolo dos noivos moderno para sessão fotográfica na Quinta do Avesso com Lounge Fotografia Bolo dos noivos moderno para sessão fotográfica na Quinta do Avesso com Lounge Fotografia Bolo dos noivos moderno para sessão fotográfica na Quinta do Avesso com Lounge Fotografia Sapatos de noiva Anna Walker Bouquet com flores desidratadas cor de mostarda Isabel Castro Freitas Travessão de cabelo para noiva com flores desidratadas de Isabel Castro Freitas Bouquet com flores desidratadas cor de mostarda Isabel Castro Freitas Bouquet com flores desidratadas cor de mostarda Isabel Castro Freitas

A paleta de cores está alinhada com o tema: tons de mostarda, dourado e ferrugem que são transversais às madeiras naturais e rústicas do próprio espaço, às cores do campo e do décor, e que acabam por combinar lindamente com o exterior bem verde e fresco.

 

O bolo dos noivos, da Cakeshop, é singular e mistura uma visão bem moderna e interessante com um vibe rústico, com a fatia larga de acrílico transparente a intercalar os dois volumes A decoração lateral com flores desidratadas com hastes a esvoaçar ao vento sugere logo o espírito livre presente em toda a história.

 

O bouquet de flores desidratadas tem um pequeno toucado para o cabelo, a combinar – são ambos feitos pela Isabel Castro Freitas, que tem explorado com talento estes novos ingredientes. Além de ser bem bonito, tem uma vida longa e será uma boa companhia lá em casa, num recanto especial junto a uma moldura com “aquela” fotografia.

 

A completar esta inspiração boho e rústica, claro, um vestido esvoaçante, leve e fluido. Este é da colecção Gio Rodrigues e tem umas costas maravilhosas, não acham? A acompanhá-lo, um belo par de sapatos de noiva Badgley Mischka, distribuídos em Portugal pela nossa fornecedora seleccionada Anna Walker.

 

Sapatos de noiva Anna Walker Sapatos de noiva Anna Walker Vestido de noiva sexy de Gio Rodrigues

Vestido de noiva sexy de Gio Rodrigues Bouquet com flores desidratadas cor de mostarda Isabel Castro Freitas Vestido de noiva sexy de Gio Rodrigues Vestido de noiva sexy de Gio Rodrigues Vestido de noiva sexy de Gio Rodrigues Vestido de noiva sexy de Gio Rodrigues

As fotografias são da Lounge Fotografia, outro dos nossos fornecedores seleccionados.

Ficamos a suspirar com dias longos e dourados, entardeceres que ainda reflectem o calor acumulado do dia e noites animadas com bebidas frescas!

 

Independentemente do tamanho que as novas celebrações possam ter no futuro próximo, esta é claramente uma boa opção!

 

 

Fornecedores envolvidos:

 

fotografia de Lounge Fotografia; vestido de noiva de Gio Rodrigues; sapatos de noiva de Anna Walker; maquilhagem e cabelo de Priscilla Souza, bouquet de noiva e travessão de flores desidratadas de Isabel Castro Freitas; bolo dos noivos da Cakeshop, fotografado na Quinta do Avesso.

Susana Pinto

Dicas para casar: animais de estimação no casamento

Nas dicas para casar de hoje vamos falar sobre os animais de estimação no casamento: os nossos queridos amigos patudos!

Num dia tão especial, o que fazer com os animais de estimação que nos acompanham em todos os momentos da nossa vida? Deixá-los de fora, esquecidos em casa? Entregá-los a alguém menos próximo que possa tomar conta deles durante todo o dia e noite? Deixá-los num hotel com aqueles olhinhos tristes e inquisidores?

 

Nada disso, os nossos bichos podem e devem juntar-se à festa e vamos explicar-vos tudo, com a ajuda da Sóanimarte!

 

Por estes dias, todas as recomendações apontam para cerimónias mais contidas e ao ar livre – ora este é o cenário perfeito para incluirmos os nossos amigos de quatro patas, e até os amigos dos nossos amigos (se forem amigos também!).

Falámos sobre convidados caninos com o Tiago Simões, da Sóanimarte, que dispõe de um inovador serviço de DogSitting:

Sim! Wedding DogSitting, ou seja, babysitting de cães. Os patudos são cada vez mais os filhos da relação e queremos que se sintam assim no dia mais feliz das vossas vidas. Agora já podem levar o vosso amigo mais fiel para a festa do vosso casamento. – Tiago Simões

E como é que isto se processa?

O serviço da Sóanimarte é sobretudo direccionado para os cães dos noivos – mas pode ser aberta uma excepção para algum patudo demasiado próximo da família para ser deixado de fora num dia tão importante: «Tivemos, por exemplo, um DogSitting no Clube Universitário do Porto com quatro cães», conta-nos o Tiago. «Os dois cães dos noivos e os dois cães da mãe da noiva. Como já se conheciam todos, foi muito tranquilo.»

 

Animais de estimação no casamento - serviço de dogsitting com a Animarte

Para que as coisas corram bem, há uma série de regras a cumprir e precauções a tomar. O objectivo é garantir o bem-estar e supervisão dos patudos, pelo que a Sóanimarte disponibiliza uma ou duas pessoas responsáveis e capazes de acompanhar os cães, garantindo que estes estejam atentos aos momentos-chave do grande dia.

 

O trabalho de casa começa antes do casamento propriamente dito, conta-nos o Tiago Simões:

«É muito importante, e por isso obrigatório, conhecermos o cão antes do dia (e o cão conhecer-nos a nós!), para avaliarmos o seu nível de stress e para nos podermos todos acostumar uns aos outros, claro. No caso de os vossos bichinhos estranharem sítios novos, sempre que possível deverão levá-los também a conhecer previamente o espaço onde decorrerá a festa.

Não excluímos nenhuma raça à partida, mas reforçamos sempre junto dos noivos, que conhecem o seu patudo como ninguém, que é importante manter toda a gente em segurança (convidados, o Dogsitter e o próprio cão). Se um cão demonstrar algum índice de agressividade, um tipo de evento desta envergadura só poderá potenciar essa tendência, pelo que aconselhamos os noivos a ponderar bem a sua presença.»

 

Animais de estimação no casamento - serviço de dogsitting com a Animarte

Cumpridos estes passos, chega a hora de preparar o cenário. Antes de mais nada, certifiquem-se sempre, junto dos responsáveis dos espaços onde decorrerá o vosso dia, se têm permissão para levar cães convosco. No espaço da festa, será preparado um cantinho especial onde os animais se sintam mais do que em casa e muito mimados. Para tal, é importante que os donos levem os objectos pessoais dos cães: a cama ou manta preferidas, um ou outro brinquedo e a sua comida habitual.

 

O serviço da Sóanimarte para acomodar os animais de estimação no casamento é disponibilizado num pacote de dez horas (que pode ser prolongado, mediante ajuste no orçamento, caso necessário).

Vão buscar o patudo a casa e devolvem-no também a casa ou onde irão pernoitar, no final do dia,  podem começar a sua intervenção apenas na igreja ou no local da festa. Tudo isso será ajustado de acordo com a vontade, escolhas e necessidades de cada par de noivos.

 

Por norma, o serviço inclui uma pessoa – apenas nos casos de mais do que um cão de porte médio ou grande é que a Sóanimarte sugere que estejam duas pessoas sempre presentes. E os DogSitters estarão sempre atentos às necessidades dos animais, quer seja protegendo-os do entusiasmo dos convidados (sobretudo os mais pequenos), para que não se enervem, quer seja proporcionando-lhes momentos de passeio e mudanças de ambiente, sempre que sintam que há necessidade disso.

 

Animais de estimação no casamento - serviço de dogsitting com a Animarte

Há ainda alguns detalhes com uma graça extra: podem disponibilizar a trela e a coleira dos vossos amiguinhos à Sóanimarte para que sejam personalizadas, de acordo com as cores ou o tema da vossa festa; e existe também a possibilidade de, através de uma câmara GoPro, obterem um registo do vosso casamento como se fosse pelo olhar do vosso bichinho de estimação. Esta última oferta ainda está em fase de testes, mas estamos desejosos de ver os primeiros resultados.

 

Se os vossos bichos felpudos estão sempre presentes nos momentos importantes da vossa vida, não há razão nenhuma para fiarem de fora no mais bonito dos dias.

Falem com a Sóanimarte e combinem com o Tiago Simões todos os pormenores. Com a correcta preparação prévia, todos os elementos importantes da vossa vida estarão presentes neste dia tão especial!

 

Sobram dúvidas? Falem connosco! E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira, que vos ajudarão a trilhar este caminho até ao mais bonito dos dias, de forma sabedora e tranquila!

Susana Pinto

Cartões de participação de casamento, por A Pajarita

Continuamos a partilhar o série “Preparar o caminho descomplicando-o“, criada pela Alexandra Barbosa, de A Pajarita, e publicada no seu site todas as semanas.

 

Hoje a Alexandra Barbosa fala-nos sobre os cartões de participação de casamento, um objecto caído em desuso nos últimos anos, mas que encontra agora uma nova vida e utilidade, ao encolhermos forçosamente o número de convidados para o grande dia.

 

Os cartões de participação de casamento

Março chegou cheio de incertezas, a primavera lá fora florescia numa paisagem atípica.

Começou uma nova época, a da resiliência. As portas e janelas fecharam-se, nós ficámos confinados, os negócios estagnaram e os sonhos foram suspensos e adiados.

 

O casamento foi um dos planos que mais vi ser repensado e a palavra de ordem era: não cancelar, adiar. Na verdade, o sonho tem de ser adiado, pelo bem de todos. Queremos casamentos vividos em plena alegria e com gestos sem restrições. Queremos receber aquele abraço emocionado de quem nos conhece desde sempre, aquele beijinho repenicado de quem nos viu crescer, queremos saltar, dançar ou simplesmente partilhar a mesa (ou as mesas) com quem mais amamos.  De momento, não o podemos nem o devemos fazer, pelo nosso bem e pelo bem daqueles que fazem parte da nossa felicidade.

 

Cartões de participação de casamento A Pajarita

Vivemos um tempo de incerteza, um tempo novo e ainda muito desconhecido.

Não sabemos ainda quando ou como poderemos voltar a juntar-nos e, por isso, a maior parte de vocês decidiu adiar o casamento para 2021. Outros, mais optimistas, empurraram para o inverno o seu sonho de casar com uma grande festa.

 

Mas tudo continua envolto num enorme ponto de interrogação. Ainda assim, não se deixem guiar pela ansiedade, não se desgastem com detalhes e foquem-se no que é mais importante: vocês e as vossas pessoas. Por agora, outras soluções criativas se proporcionarão para quem não quer deixar o dia, que escolheu como seu, passar em branco.

 

Nesta data, no vosso dia, reservem o tempo e o foco para vocês e dêem um passeio juntos ou planeiem um jantar romântico em casa (aproveitem para dar suporte ao vosso restaurante favorito ou para experimentar um novo, encomendando um take away sofisticado e saboroso). Preparem uma mesa bonita, ponham uma música a tocar baixinho, acendam umas velas para criar uma atmosfera intimista e recordem o que vos une, visitem as vossas memórias mais bonitas.

 

Cartões de participação de casamento A Pajarita

Se pretendem dar mais ênfase ao momento, podem, por exemplo, fazer uma troca de votos num sítio bonito e que tenha um significado especial. A ideia é criar um marco e se não pensaram na troca de votos para o vosso casamento, esta pode ser a motivação para o fazer. Longe da pressão adicional do olhar dos muitos convidados, podem trocar juras amor eterno, usando palavras que vêm do coração e que somam tudo o que viveram, separados e juntos, o que vos liga e vos expande, o que vos define como par e como unos.

E saibam que este momento pode ser integrado nas memórias registadas do vosso casamento.

 

Materializem os vossos votos na mesma linha gráfica do estacionário de casamento, vistam uma roupa bonita, alegrem o vosso look com algumas flores e deixem-se levar pelo momento.  Para finalizar, cortem e deliciem-se com um bolo em vossa homenagem (encomendem um mini-bolo, ao vosso fornecedor do bolo dos noivos, mais um pequeno negócio que ficou suspenso e agradece a vossa compra), ou façam um piquenique ao pôr-do-sol. Não precisa de ser nada complicado, apenas contemplem e desfrutem o vosso momento de forma genuína e à vossa imagem.

 

As bonitas imagens registadas vão dar um toque especial ao vosso álbum de recordações num época que será parte da nossa história. E se o fizerem ao ar livre, de forma segura e sensata, poderão ter também um fotógrafo (o vosso fotógrafo de casamento!) a captar algumas imagens. Porque não mostrar aos vossos convidados quando celebrarem o vosso casamento? Tenho a certeza que despertará todo um conjunto de emoções fortes e bonitas!

 

Cartões de participação de casamento A Pajarita

Os mais resilientes, os impacientes ou aqueles para quem, legalmente, casar é um assunto premente, podem optar por fazer uma mini-cerimónia, seja civil ou religiosa, ou, quem sabe, casar sem convidados, em segredo. Porque não?

Mais tarde, quando todo o contexto for outro, poderão fazer a grande festa com que sonharam, juntar os vossos entes queridos e amigos, e celebrar com a intensidade que vocês merecem, sem restrições nem medos.

 

Casar e mais tarde festejar pode ser uma solução para os casais que não querem abdicar do seu dia, por ser uma data única e um marco na sua relação.

Neste cenário, pode ser interessante enviar algo que se foi deixando de usar: os cartões de participação de casamento.

Os cartões de participação de casamento são uma peça informativa e têm como função comunicar à família e amigos que casaram. Neste cenário, podem indicar uma data definida para festejar ou simplesmente avisar que festejarão mais tarde, quando for seguro para todos e que estão ansiosos pelos seus abraços. Se tiverem nova morada, não se esqueçam de a incluir, as vossas pessoas podem querer felicitar-vos e responder ao bonito cartão que enviaram.

 

Cartões de participação de casamento A Pajarita

Apesar da incerteza se ter instalado, nada justifica o cancelar a celebração do vosso amor.

 

As vossas famílias e amigos vão compreender a escolha que fizeram para marcar a data tão especial, seja adiando, seja celebrando a dois. Não se deixem levar pela ansiedade, olhem para o copo meio cheio, nem tudo é mau. Têm a oportunidade de dar ao vosso dia mais bonito uma intensidade extra que nenhum casamento teve até então – o desejo genuíno de estarmos juntos. Estamos todos em pulgas para voltar a abraçar, sentir e encurtar distâncias, desvanecendo a saudade e voltar a estar com a família toda junta. É neste ambiente de união e amor, mais desejado que nunca, que o vosso dia vai ser festejado.

 

O amor merece sempre que esperemos por ele!

 

Este post foi originalmente publicado em A Pajarita.

Susana Pinto

À conversa com: Ana Wedding Potography – fotografia de casamentos

Hoje conversamos com a Ana Afonso, que assina como ANA.WeddingPhotography e faz fotografia de casamento.

 

No trabalho da Ana Afonso há uma energia constante que vibra em cada imagem e é essa sensação que me prende, sempre, a cada imagem: a alegria pura, vivida no mais bonito dos dias.

De Santarém para todo o país, apresento-vos o trabalho bonito da ANA.WeddingPhotography.

Após a primeira reunião, é crucial para mim criar uma relação com os meus noivos. Quero que vejam em mim uma amiga, que vejam a Ana e não a fotógrafa. No dia do casamento temos que estar unidos, temos que ser um.

Conta-nos um pouco da tua viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

A fotografia sempre esteve muito presente na minha vida. Tenha uma caixa inteira de memórias. Lembro-me perfeitamente de o meu pai andar sempre com a máquina fotográfica para registar as idas à praia, as sardinhadas, os fins-de-semana em casa dos avós.

Mas à medida que fui crescendo e as histórias foram mudando, a máquina  fotográfica passou a ter um papel mais assíduo dentro da mala do que propriamente nas nossas vidas. Anos mais tarde, já adulta, juntei-me a dois amigos e iniciámos o nosso projecto de fotografia de casamento.

 

Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography

Há quanto tempo fotografas? E porquê casamentos?

A ANA.WeddingPhotography completa dois anos. Mas já capto momentos sentidos com o coração desde 2014. Não consigo explicar a mística dos casamentos. Só consigo dizer que todos eles são diferentes, que todas as histórias são distintas, que há intervenientes loucos e outros mais tímidos. E é isto que me agarra! Poder registar a história que se escreve, a história que se sente e as histórias que muitas vezes não se vêem.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vais buscar inspiração?

A inspiração vem do cinema, vem de conversas entre amigos, de gargalhadas e das viagens. Somos seres culturais, temos que nos inspirar! No meu caso, inspiro-me bastante na realidade, de como ela nos molda e nos faz sentir as coisas. Num mundo onde tudo está ao acesso de todos de uma maneira rápida, não há nada como nos inspirarmos nas emoções e na maneira como vemos e sentimos as pessoas e as relações. No registo documental não há nada melhor do que isto: a realidade, a actualidade.

 

Como construíste a tua assinatura, como te defines?

Há uma questão máxima que eu sigo na minha vida: gosto de tratar os outros como gostava que me tratassem a mim. E a minha ANA.WeddingPhotography é muito isto! Eu vivo o dia dos casamento como se fosse eu, eu vivo os preparativos bem de perto com as minhas noivas e sonho alto com elas. Por isso a minha assinatura não podia ser mais do que isto: eu mesma.

 

Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography

Achas que o ponto de vista feminino, os detalhes que escolhes fotografar e como o fazes, a narrativa que constróis, é diferente das escolhas que vês num trabalho de um profissional masculino?

Acho que não tem a ver com o olhar feminino e o olhar masculino. Mas com quem somos, que estímulos temos, quais as nossas vivências, se somos seres mais sensíveis ou não. O nosso trabalho vai-se moldando.

 

Quando precisas de fazer reset, para onde olhas, o que fazes?

Por norma esse reset só é feito quando chego ao carro, no final de um casamento. Durante o casamento eu rebolo, eu ando pelo chão, eu danço, eu choro, tenho os sensores todos ligados.


Qual é o teu processo de trabalho, como acontece a ligação com os teus clientes?

Após a primeira reunião, é crucial para mim criar uma relação com os meus noivos. Quero que vejam em mim uma amiga, que vejam a Ana e não a fotógrafa. No dia do casamento temos que estar unidos, temos que ser um.

 

Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography Fotografia de casamento em santarém - Ana Wedding Photography

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostas de fotografar?

Todos. Todos são diferentes, todos têm histórias, todos eles me fazem borboletas na barriga. Todos me fazem querer sair de casa, pegar na máquina fotográfica e registar.


Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?

Acho que o melhor e o mais desafiante são as emoções. Temos que lidar com elas de manhã à noite.


Escolhe uma imagem favorita do teu portefólio e conta-nos porquê:

Podia ter escolhido imensas fotografias mas esta é muito especial para mim porque foi um momento divertidíssimo! Antes da chegada do noivo à quinta, os “cavalheiros de honra” fizeram uma surpresa ao noivo. Há toda uma história que se conta por fotografias deste momento, desde a sua reacção à surpresa, às gravatas, à carrinha conduzida pelo pai do noivo com fardos de palha a fazer de bancos e de mesa. Foi uma aventura, misturada com adrenalina. Eu não sabia que eles iam fazer isto. Fui apanhada na curva e adorei!

 

Ana Wedding Photography, fotografia de casamento em Santarém

Estão à procura de quem faça a vossa fotografia de casamento?

 

Contactem a Ana Afonso através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias e entrem em contacto, directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem e, na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

Maquilhagem para noivas, com Ana Branco – Pó de Arroz

Quando procuramos um fornecedor de maquilhagem para noivas, para além do talento e conhecimento visíveis no seu portefólio, as qualidade humanas deverão ter um peso equivalente na decisão. Afinal, vamos passar alguns dos momentos mais importantes na sua companhia, com um certo grau de intimidade, e com uma premissa de valor muito elevada. A empatia e a disponibilidade serão dois grandes trunfos nesta relação longa e a querida Ana Branco, maquilhadora da Pó de Arroz, conta-nos a sua importância nestes tempos tão diferentes.

 

Desde o início da quarentena que a Ana Branco sentiu a necessidade de cuidar das suas noivas como se de família se tratasse, de as acompanhar, saber como estavam e proporcionar-lhes momentos de descontracção com informação, através de lives no Instagram que as ajudassem a manter a conexão com as suas metas, planos e objectivos.

Na opinião da Ana Branco, a ligação que se cria para um dia tão especial é um processo contínuo desde o primeiro contacto. Esta relação toma uma forma mais real no dia em que a noiva faz a reserva e a prova, e é sedimentada em todos os momentos de partilha ao longo dos meses ou anos até ao casamento. A empatia e disponibilidade são dois factores essenciais na construção desta ligação longa e bem bonita.

 

Conta-nos a Ana:

“A realização plena do meu serviço para noivas vai além da maquilhagem para um dia especial. Faço todo o aconselhamento para a sua preparação, seja sobre a maquilhagem, o penteado, a pele, a escolha de acessórios, e incluo algumas sugestões sobre o vestido, criando uma linha de harmonia com o temperamento pessoal e a mensagem que a noiva quer transmitir.”

 

Pó de Arroz: maquilhagem para noivas Pó de Arroz: maquilhagem para noivas Pó de Arroz: maquilhagem para noivas Pó de Arroz: maquilhagem para noivas

Durante o confinamento, foram várias as noivas que enviaram mensagens à Ana, apreensivas com o comportamento da pele do rosto, que reflectia as alterações hormonais e o stress inerente a estes tempos tão estranhos. Para a maquilhadora, foi muito gratificante poder dar esse apoio de forma muito presente e empenhada, de tal forma que ainda hoje continuam a fazer os seus encontros online, a frequentar aulas com dicas personalizadas, mantendo-se ligadas através de redes sociais. Agora que vamos regressando a uma certa normalidade cheia de cautelas, algumas noivas acabam por pedir uma consulta ao domicílio para perceberem o que podem fazer para melhorar a pele para o grande dia.

 

Pó de Arroz: maquilhagem para noivas Pó de Arroz: maquilhagem para noivas Pó de Arroz: maquilhagem para noivas Pó de Arroz: maquilhagem para noivas Pó de Arroz: maquilhagem para noivas

Agora que muitas noivas regressam ao seu local de trabalho, também as novas rotinas têm impacto numa pela mais sensível. Para isto a Ana volta a soluções prontas, partilhando com as suas clientes e seguidoras conhecimento específico focado nestes quadros de pele sensibilizada, ajudando a definir a limpeza correcta com produtos personalizados, com foco na reposição da hidratação e sugerindo a introdução de suplementos específicos, sempre revendo os tratamentos que já estavam em prática e sugerindo as alterações mais adequadas..

Além das sugestões sobre pele, maquilhagem e cabelo, a Ana Branco tem estado muito empenhada em dar todo o apoio às suas noivas, fazendo a ponte entre a informação profissional que vai circulando e as muitas questões que todos as noivas estão a atravessar neste desafiante ano de 2020.

 

Mais do que nunca, este espírito de missão e toda a empatia que coloca na sua postura profissional são trunfos no serviço de qualidade  que presta. Esta disponibilidade permanente manteve um canal aberto, tranquilizador e feliz, com toda a sua comunidade, revelando-se imprescindível tanto para as meninas que vivem no estrangeiro, com diferentes fusos horários, como para as nacionais.

Nestes tempos tão estranhos, a missão da Ana Branco foi clara: dar apoio, de forma gentil, animada e sempre muito profissional.

 

Saber ouvir e acomodar as questões e dúvidas, dando-lhes respostas tranquilizadoras e sábias é o que fazem os bons profissionais. E por estes dias malucos, em que tanta desinformação, pressão e destrato circulam, num “salve-se quem puder” pouco cuidadoso, encontrar alguém assim especial e empático como a doce Ana Branco, é muito bom e tranquilizador.

 

Contactem a Pó de Arroz, através da sua ficha de fornecedor. Espreitem as galerias e entrem em contacto com a Ana Branco directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem e, na volta do correio, terão uma resposta simpática.