Created with Sketch.
Susana Pinto

À conversa com: Monte do Ramalho – espaço para casamentos no Alentejo

Chegaram os dias de calor e as respectivas noites, por isso nada mais apropriado do que nos sentarmos à conversa com a Manuela Estevinha, do Monte do Ramalho, um espaço para casamentos no coração dourado e manso do Alentejo.

Há qualquer coisa de muito mágico nesta paisagem sossegada, no calor que sobe do chão e no céu estrelado que não tem fim. O Monte do Ramalho mantém essa pureza natural, sem deixar de estar preparado para receber uma bela festa – a vossa.

Deixem-se encantar!

Ter o controle das decisões não é importante, isto é, deixamos praticamente tudo na mão de quem nos procura, sejam noivos, wedding planners, empresas de decoração, cedemos o espaço aos nossos noivos e apresentamo-lo como sendo a sua casa. Aqui podem idealizar o dia da forma que sonharam, não impomos formatos nem fornecedores. O que mais nos interessa é acompanhar o processo, orientando, discutindo ideias e criando juntamente com quem nos procura.

 

Contem-nos um bocadinho do vosso percurso, como vieram parar ao universo dos casamentos?

Eramos apenas uma quinta de turismo rural, quando em 2013 fomos descobertos por um casal, ela de Lisboa e ele de Itália. Adoraram o espaço e principalmente o facto de nunca termos tido nenhum casamento, foram os nossos primeiros noivos. O evento ocorreu em Junho de 2014, totalmente ao ar livre, com a nossa iluminação de arraial e mesas corridas, tudo no exterior. Não tínhamos espaço para plano B e felizmente o bom tempo ajudou. Ainda no mesmo ano, recebemos outro casamento no início de Setembro, e para que se pudesse realizar, fizemos obras numa das nossas salas, porque a existência de um plano B era condição para que o nosso espaço fosse escolhido. Foi também nesta data que o colocámos em prática, choveu torrencialmente no dia do casamento. Em 2015 voltámos a fazer obras no espaço para podermos receber os casamentos com melhores condições, e desde aí até agora temos vimos em crescendo.

 

A imagem de marca do Monte do Ramalho é, na minha opinião, um estilo rústico, descontraído e romântico. Concordam com esta definição?

Totalmente. E pudemos ainda acrescentar: puro e genuíno.

 

Esta assinatura faz parte do ADN do espaço, ou é algo que escolheram como tendência e tema para este ano? Porquê?

Faz parte do ADN do espaço, não fizemos nenhuma alteração ao que já existia. É a simplicidade que o torna diferente dos demais. A nossa praia é um olival a perder de vista, devemos ser dos poucos que nos podemos orgulhar disso!

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait-divers?

São apenas fait-divers, acompanhamos as tendências mas deixamos este assunto nas mãos dos demais.

 

Ter o controle das decisões é importante? Têm uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como querem que o vosso espaço e trabalho sejam mostrados e vividos, ou é o prazer discutir ideias, de criar e acompanhar o processo, que vos interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Ter o controle das decisões não é importante, isto é, deixamos praticamente tudo na mão de quem nos procura, sejam noivos, wedding planners, empresas de decoração, cedemos o espaço aos nossos noivos e apresentamo-lo como sendo a sua casa. Aqui podem idealizar o dia da forma que sonharam, não impomos formatos nem fornecedores. O que mais nos interessa é acompanhar o processo, orientando, discutindo ideias e criando juntamente com quem nos procura.

 

Onde buscam inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Não buscamos. Procuramos manter o espaço tal e qual como é. As tendências vêm com os nossos noivos e fornecedores por eles escolhidos.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescam a mente e o olhar?

Não temos fadiga criativa, temos apenas fadiga mental! Refrescamos a mente e o olhar em cada novo casamento que acolhemos no nosso espaço.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho

 

Monte do Ramalho - espaços para casamento

 

Como é o vosso processo de trabalho, como criam uma ligação aos vossos clientes?

Para além da importância que tem o nosso espaço e da preocupação que temos em mante-lo o mais natural possível, acompanhamos e ajudamos os nossos noivos a concretizarem o seu dia especial, deixando-os sonhar.

 

Qual foi o casamento em que mais gostaram de trabalhar? Porquê?

Todos são diferentes, relembramos um em que o plano B foi accionado duas horas antes do início da cerimónia. Também, de certa forma, os casamentos religiosos, porque são realizados ao ar livre e têm todo um ambiente especial.

 

Escolham uma imagem favorita do seu portfolio e contem-nos porquê:

 

Casamento no Monte do Ramalho, no Alentejo

 

 A escolha foi difícil, no entanto escolhemos uma imagem das mesas colocadas para o jantar no exterior debaixo das nossas amoreiras. A imagem lembra as maravilhosas noites de verão que temos no Alentejo, sob um céu estrelado.

 

 

Os contactos detalhados do Monte do Ramalho estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens maravilhosas, e contactem a Manuela Estevinha directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Inspirarte – decoração e styling para casamentos

Esta semana, a conversa é com a Susana Abreu, da Inspirarte – decoração e styling para casamentos.

Acompanho o trabalho da Susana há mais de uma década – ainda o Simplesmente Branco nem estava no horizonte, já tínhamos trocado uns emails simpáticos, a propósito de um DIY coleccionável que eu fazia na altura, e a consistência que atravessa estes 10 aos de trabalho é, de facto, a sua melhor assinatura.

O trabalho da Susana é sempre, indiscutívelmente, bonito, mas não é apenas isso – é actual, é completo (há sofás, há candeeiros e abat-jours, há mesinhas de apoio, molduras e almofadas, plantas, pontos de luz) e é impecavelmente profissional, sem nunca deixar de ser elegante, confortável e apelativo ao olhar. A visão que tem para o vosso evento não se reduz à mesa dos noivos e restantes convidados, mas sim ao espaço total do evento, ao ambiente de toda a festa. Isso é um feito, e a linha que de facto separa um verdadeiro profissional do resto dos fornecedores, nunca duvidem.

 

Hoje comunica-se demasiado através do email e de outras plataformas digitais. Por vezes contactam-me apenas para pedir um orçamento sem querer agendar uma reunião presencial. Na minha opinião, é uma forma bastante redutora de fazer uma triagem. Tem que haver empatia, tem que se “captar” a essência do projeto que está a ser proposto, tem que se gostar dos materiais que o profissional tem disponíveis… Acima de tudo, tem que se perceber o que é que realmente esse profissional poderá oferecer. E isso não se consegue por email.

 

Como é que nasceu a Inspirarte?

A Inspirarte nasceu da identificação de várias oportunidades, sendo que a principal foi mesmo a de dar uma resposta às necessidades que existiam no mercado da decoração de eventos e dos casamentos em particular. Há 10 anos a oferta era insuficiente, tanto em quantidade como em qualidade. Tinha nessa altura uma loja de decoração de interiores e algumas das minhas clientes, que começavam a tratar dos pormenores do seu casamento, pediam-me frequentemente sugestões. Comecei a interessar-me por esta área, fiz algumas formações essenciais para quem quer ser profissional e avancei. Surgiu a Inspirarte!

 

Como defines a assinatura da Inspirarte?

Os meus projetos de decoração são pensados e personalizados ao pormenor. Se tivesse de escolher duas características, diria que simplicidade e elegância são, sem dúvida, a assinatura da Inspirarte. O lema “menos é mais” enquadra-se em tudo que faço! Alguém dizia que o maior sinal de qualidade era a inexistência de sinais de não qualidade. Esse é, do princípio ao fim de tudo o que faço, o meu maior objectivo. A delicadeza dos pormenores faz parte da essência da Inspirarte e assina claramente todos os projetos.

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é algo que escolheste como tendência e tema para este ano? Porquê?

A simplicidade e a elegância são intemporais! As tendências são importantes e inevitáveis, acabando muitas vezes por dar o tom à inspiração para novos projetos. Pensando em cores e tons, e utilizando um exemplo básico, recordo-me que há 10 anos os dourados raramente eram utilizados – e quando o eram serviam essencialmente para ilustrar uma decoração de gosto duvidoso… Imaginem só nos dias de hoje, gostando-se mais ou menos do tom, as decorações maravilhosas que se fazem com dourados!

 

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Noivos audazes querem propostas novas, diferentes, inovadoras… vão a0 encontro das tendências e modas, e gostam de surpreender no seu casamento. Como na moda, há quem só vista básicos e há quem esteja sempre em cima da última coleção. As tendências da estação, geralmente mais breves e passageiras, refletem a necessidade de apresentar alternativas para consumo imediato. Tal como a moda, a indústria dos casamentos não está imune a esse fenómeno. Ter flexibilidade para dar resposta a estas tendências, diferencia-nos enquanto profissionais.

 

Ter o controle das decisões é importante? Tens uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como queres que o teu trabalho seja mostrado e vivido ou é o prazer discutir ideias, de criar e acompanhar o processo, que te interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Ter uma “linha” definida e mais ou menos rígida para a decoração de um casamento é essencial. Essa é para mim a essência do styling – a coerência. Mas para funcionar, e porque é para os noivos que tem que funcionar, só discutindo, simulando, formulando e reformulando é que as coisas farão sentido.

Em jeito de desabafo, entristece-me que por vezes esse esforço não seja compreendido, não seja valorizado. São dias que se investem neste “fine tunning” para que o resultado seja maravilhoso, e por vezes percebes que o “modelito”, a “chapa 5” vista neste ou naquele blog teriam chegado. Recuso-me, desde o primeiro dia, a copiar ou a adaptar trabalhos de outros. O que me move é criar. Não é, nem nunca será, replicar. Felizmente que a grande maioria dos noivos que me procura sabe que esta é a minha postura e porque quase todos estão a casar pela primeira vez e não têm noção do que resulta ou não resulta, acabo por ter uma grande liberdade criativa. Ao fim de umas centenas de casamentos, o know how que tenho soluciona-me muitos problemas e dissipa muitas dúvidas e receios. Fazer os meus noivos entenderem que por vezes as ideias que têm em mente não resultam, e demonstrar-lhes isso, é dos desafios mais interessantes do meu trabalho. Digo-lhes sempre que quando procuram um verdadeiro profissional desta área têm de se sentir confiantes – porque 1) sabemos o que estamos a fazer e porque 2) mais do que ninguém, queremos que o resultado do nosso trabalho seja fantástico aos olhos de todos! Discutir ideias é ótimo e enriquecedor para ambas as partes, criar um projeto a partir das ideias discutidas e ver o resultado final é o auge de tantas horas de trabalho!

 

Existem fórmulas vencedoras ou cada projecto de decoração é pensado totalmente de raiz?

Todos os projetos são pensados de raiz. Por vezes sou procurada por noivos a dizerem-me que viram um casamento meu publicado aqui ou ali e que querem um igualzinho… Explico-lhes que é impossível, que tal como a decoração não existem casais nem circunstâncias iguais. Não temos “packs”, aliás muitas das vezes, de um ano para o outro, já nem tenho determinado material ou acessório porque já o usei de variadíssimas formas e chego à conclusão que a sua substituição é necessária.

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

Onde buscas inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Basicamente em tudo que me rodeia! Preciso e gosto de ter noção das tendências. Começo sempre pela decoração de interiores e tento aplicá-las nos eventos. Mas consulto blogs, como todas as profissionais da área, vejo revistas, viajo, passeio e observo.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescas a mente e o olhar?

Acho que criar faz parte de mim. O meu dia devia ter 48 horas para poder criar mais do que consigo, criar tudo o que tenho alinhavado nos meus esboços. Mas quando estou sem ideias basta um passeio pela cidade, visitar certas lojas de decoração, conversar com pessoas que me inspiram… a minha cabeça já vem a fervilhar para o atelier!

 

Como é o teu processo de trabalho, como crias uma ligação com os vossos clientes?

Sobretudo através da comunicação presencial. Hoje comunica-se demasiado através do email e outras plataformas digitais! Por vezes contatam-me apenas para obter um orçamento sem querer agendar uma reunião presencial. Na minha opinião, é uma forma bastante redutora de fazer uma triagem. Tem que haver empatia, tem que se “captar” a essência do projeto que está a ser proposto, tem que se gostar dos materiais que o profissional tem disponíveis… Acima de tudo, tem que se perceber o que é que realmente esse profissional lhes poderá oferecer! E isso não se consegue por email!

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

Inspirarte - decoração de casamento

 

Qual é a melhor parte de decorar um casamento? E o mais desafiante e difícil?

Chegar a um espaço que não tem nada e transformá-lo num ambiente perfeito é qualquer coisa de fenomenal! O desafio é mesmo esse, que às vezes é muito difícil de conseguir!

 

Qual foi o casamento em que mais gostaste de trabalhar? Porquê?

Para quem faz o que gosta, esta pergunta é muito difícil de responder. Saio sempre de um evento com a sensação de “missão cumprida”. Empenho-me em todos os projetos da mesma maneira e acreditem que o friozinho na barriga não é só para os noivos! Mas é extremamente gratificante, no dia seguinte, os noivos telefonarem-me a dizer que adoraram, que estava maravilhoso! É, sem dúvida, uma das coisas que me dá vontade de fazer mais e ainda melhor…

 

Escolhe uma imagem favorita do teu portfolio e conta-nos porquê:

Inspirarte - decoração de casamentos

 

A reacção da noiva quando entrou no espaço! São momentos espontâneos como este que me fazem adorar o que faço!

 

 

Os contactos detalhados de Inspirarte estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens maravilhosas, e contactem a Susana Abreu directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Hugo Sousa Films – filmes de casamento

Hoje conversamos com Hugo Sousa Films – filmes de casamento.

O Hugo Sousa é fornecedor seleccionado Simplesmente Branco há pouco tempo. Iniciámos a nossa conversa com um pedido de publicação de uma série de filmes de casamento no We are The Destination, e prestámos atenção ao seu portfolio: bonito, discreto, emocional. Conhecemo-nos pessoalmente de raspão, em Março num evento, e conversámos um pouco.

Esta entrevista confirma a primeira impressão e abre a porta, de uma forma honesta e tranquila, transparente, para a visão do Hugo Sousa sobre o seu ofício, a sua função na narrativa do casamento e a sua visão sobre o mais bonito dos dias. E digo-vos, gostei muito de o conhecer.

Fiquem a conhecê-lo, também. Vão gostar, tenho a certeza!

 

Ponho sempre a emoção, o “feeling” geral do dia à frente do próprio storytelling.

 

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional até aqui, ao video de casamento.

Tive uma adolescência pouco convencional. Talvez um pouco complicada, e percebi que tinha na música uma forma de expressão. E assim, nessa altura teria já assimilado que de alguma forma estaria ligado às artes.

Em 2005, comecei por tirar um curso de som, que na altura encarei como um erro mas que hoje reconheço alguma utilidade prática e de seguida, em 2006, tirei um curso de pós-produção audiovisual que adorei. Viajei com a minha namorada – hoje estamos juntos e temos 2 filhos, o Manuel e a Olívia – para Edimburgo, com o objetivo de alargar horizontes onde estivemos um ano.

Quando regressámos, iniciei a minha “carreira” de videógrafo editando e filmando um pouco de tudo, desde casamentos a videos promocionais para empresas, eventos e videoclips. Por volta de 2010 e 2014 trabalhei como editor de imagem na SIC, mas despedi-me para experimentar uma produtora de publicidade como videógrafo – Zoe Films. Entretanto, na qualidade de realizador abri uma empresa. Na altura, fizémos imensas coisas, publicidade, eventos, promocionais… Mas a verdade é que ao contrário dos filmes de casamento, isto não me preenchia artisticamente. E assim foi, decidido a seguir a minha paixão, larguei a empresa e praticamente todos os clientes que tinha do mundo corporativo para investir na minha marca de filmes de casamento, Hugo Sousa Films.

 

Há quanto tempo filma? E porquê casamentos?

Como o tempo passa! Enquanto respondia à pergunta anterior, apercebi-me que já lá vão 12 anos. Mas casamentos em particular, não contando com as primeiras experiências mais esporádicas, há cerca de cinco anos.

Sinto-me que é um privilégio de fazer parte do dia e ter a responsabilidade de lhes dar o vídeo de casamento, pois penso sempre na importância que tem quando é entregue, e que terá depois, passados vinte anos.

Porque temos liberdade artística (faço questão), porque é divertido, viajamos e fazemos amigos. Porque testemunhamos emoções verdadeiras. Aqui não digo “corta” e repetimos. Documento o que acontece, da forma que eu vejo e processo na câmara.

Para qualquer fotógrafo ou videógrafo, o ambiente de casamento pode ser bastante caótico e para mim isso é desafiante: no meio desse caos, conseguir, sem condicionar demasiado os noivos e os seus convidados, um filme artístico, em que se revejam e de que se orgulhem.

 

Como construíu a sua assinatura, o seu ponto de vista? Como é que o define?

De uma forma mais ou menos consciente, tudo moldou a forma como vejo e interpreto o mundo e as pessoas. Toda a minha vivência desde criança até aos dias de hoje, a minha educação em casa e na escola. A minha sensibilidade inata e a adquirida, tal como a experiência profissional que tive até hoje, moldaram aquilo a que eu chamei a Hugo Sousa Films. Este ponto de vista não é estático, mas evolui constantemente. Não apenas na forma como vejo a acção no dia do casamento, a interpreto e depois processo na edição (resultando no filme), mas também toda a bagagem visual adquirida que nos acaba por condicionar nas milhares de escolhas que fazemos até chegar ao resultado final.

Definir-me enquanto marca, não é de todo um exercício fácil, na medida em que, está aqui muito de nós a todos os níveis. Prefiro sempre que sejam os outros a fazê-lo. Mas penso que tenho uma videografia documental, descontraída, mas ao mesmo tempo intensa e com uma abordagem cinematográfica. Ponho sempre a emoção, o “feeling” geral do dia à frente do próprio storytelling.

 

 

Num casamento, para onde olha, o que lhe prende a atenção? O que procura?

A filmar tento sempre ser objetivo a nível técnico e intuitivo a nível artístico. E com a experiência, começamos a perceber onde e quando as coisas normalmente acontecem. Procuro sempre, em primeiro lugar, a acção. Por exemplo, das interacções muitas vezes resultam abraços, risos, as brincadeiras típicas na preparação dos noivos, as pessoas emocionam-se. Há que estar atento às pessoas! Planos de localização e de pormenores nunca são demais. Também procuro frequentemente linhas e sombras e, sempre que possível, procuro retratos dos noivos. Gosto quando olham diretamente para a lente. Passa-se sempre qualquer coisa.

No fundo, procuro tudo aquilo que acho que acrescenta ao filme.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vai buscar inspiração?

É impressionante a velocidade a que as coisas evoluem e a quantidade de trabalho que aparece diariamente nas diferentes plataformas. Apesar disso, tento fazer com que esta torrente de informação me seja útil. É preciso fazer uma boa curadoria e ir beber aos sítios onde mais nos revemos na sua forma de expressão, sem nunca esquecer a minha intuição e individualidade. Mas é muito mais do que isso: nas sessões de inspiração podemos experimentar e descobrir coisas novas, e isso também acontece em conversas com amigos, no cinema, videoclips, fotografia e, claro, a um nível menos consciente, na bagagem visual que se adquire ao longo do tempo.

 

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?

Isso acontece-me com frequência no processo de edição. É-me particularmente difícil o início, e é aí que preciso do tal reset. Não é necessário muito tempo: faço coisas básicas! É verdade! Vou ter com amigos, ver televisão, andar ou correr para descomprimir.

 


Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Há todo um trabalho desenvolvido para que a ligação com o cliente seja facilitada. Isto é, o trabalho de promoção nas redes sociais, os filmes, quer sejam casamentos reais ou sessões de inspiração, que são publicados tanto nas minhas plataformas ou em blogs de casamentos, como o Simplesmente Branco, e, claro, o site.

Mas também acontece muito o cliente chegar até mim através da recomendação de fotógrafos, amigos, ou de outros noivos com que tenha trabalhado anteriormente.

Tudo isto num todo, acaba por comunicar a marca. E o feedback que tenho tido de muitos clientes ou potenciais clientes, é que quando se cruzam com o meu trabalho, se revêem e sentem que gostariam de ver o seu casamento representado sob esta interpretação. E eu encaro isto como um grande elogio, é claro!

O processo é o mais simples e transparente possível. Depois do primeiro contacto, que normalmente é feito por email através do formulário do site, marcamos uma reunião preferencialmente presencial, para que nos possamos conhecer um pouco melhor, explico-lhes o meu método de trabalho e a minha abordagem no dia do casamento e esclarecemos dúvidas. Depois disso, segue-se por vezes uma sessão, o casamento e a entrega do trabalho terminado.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gosta de registar?

Independentemente do tipo de casamento, o que me dá mais gozo é quando sinto que é autêntico, que há amor entre todos e que os noivos estão a ter o dia que sonharam e a viver o presente. E isso sente-se em tudo.

Para mim um bom casamento é o que tem uma cerimónia emotiva, seguida de uma festa de arromba. O que se pode pedir mais? Uma boa sessão, claro!

Das coisas que mais gosto de ver no dia do casamento, são os momentos de cumplicidade, alguns bastante emotivos entre os noivos e/ou amigos, como se no dia do casamento nada mais existisse e isso pode acontecer em casamentos grandes ou pequenos, nacionais ou estrangeiros.

 

Qual é a melhor parte de ser videógrafo de casamentos? E o mais desafiante e difícil?

“Qual é a melhor parte de ser videógrafo de casamentos”… Essa é uma questão que já surgiu em conversa com amigos do ramo, várias vezes, e a primeira coisa que dizemos em voz alta é: o estilo de vida. O controlo do nosso tempo e da forma como o gerimos. Durante os anos em que trabalhei para outras produtoras, sempre senti que não tinha esse controlo, mas hoje sinto que tenho mais liberdade. Não fico refém de rotinas impostas. As viagens também são um grande privilégio, principalmente quando vamos bem acompanhados, passamos experiências inesquecíveis. Há viagens que nunca esquecerei.

Mas estas razões são insuficientes. Para mim a melhor parte de ser videógrafo de casamentos, é o propósito que ganhamos naquilo que fazemos. É  podermos ser criativos sem o peso corporativo por trás. É saber que o nosso trabalho, nosso esforço e talento, em vez de se transformar num produto comercial provavelmente com um prazo de validade muito curto, se vai traduzir em algo único para aquelas pessoas.

É aqui que entra a parte desafiante: tenho sempre a necessidade de criar uma imagem própria dos noivos e do casamento em geral. Essa imagem começa a ser criada na primeira reunião e termina no final do dia do casamento. O que imponho a mim mesmo, é criar um filme com a minha visão e que, ao mesmo tempo, os represente.

Difícil é gerir o negócio. É garantir uma comunicação consistente, responder a todos os emails atempadamente, garantir que todas as entregas são feitas dentro dos prazos acordados, gerir o site, gerir a contabilidade, gerir outras pessoas. E quando não sabemos como fazer, aprendemos, como sempre!

 

 

Escolha um filme favorito do seu portfolio e conte-nos porquê:

 Posso passar esta pergunta?! Não?

Tenho vários preferidos! Mas posso afirmar que o casamento da Liza e do Nick me encheu as medidas, em todos os sentidos. Os noivos de origem Asiática a e viver nos EUA, passaram boa parte do ano a viajar e decidiram casar no Areias do Seixo, reunindo a família e amigos mais próximos num grupo de 50 pessoas.

Foi um casamento lindo, cheio de emoção. Os noivos super carinhosos mas sem serem demasiado melosos, trocaram votos num first look só para nós. Durante todo o dia, num ambiente bonito e festivo, os amigos e família também lhes fizeram dedicatórias espontâneas que tornavam a tarefa de conter as lágrimas completamente impossível! Todos queriam demostrar o seu carinho e viver uma festa incrível!

 

 

Os contactos detalhados de Hugo Sousa Films estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de filmes bonitos, e contactem o Hugo Sousa directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: TFY Weddings – wedding planning

Hoje conversamos com a luxuosa TFY Weddings, especialistas em wedding planning. Falamos sobre a excelência do serviço, da concretização de sonhos e da importância da organização para que o mais bonito dos dias aconteça em pleno, sem soluços ou hesitações.

Juntam-se a nós?

 

Acreditamos saber criar momentos verdadeiramente especiais, únicos e memoráveis na vida dos nossos casais. Este conhecimento advém da nossa experiência, da nossa dedicação e da nossa capacidade de gerir expectativas e emoções. “Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos.”

 

 

Contem-nos como começou esta aventura de wedding planning:

Tudo começou com a Tours For You, uma D.M.C. (Destination Management Company) em Portugal, especializada em providenciar serviços de turismo de charme, luxo e experiências ímpares. Fundados em 2003, desde então, tornámo-nos o único Virtuoso On-Site Português a ser nomeado como um dos 5 melhores On-Sites em todo o mundo, em 2014. Tudo isto significa uma coisa: que sabemos verdadeiramente como criar os mais especiais, únicos e memoráveis momentos na vida dos nossos casais. Este conhecimento vem da nossa experiência e exigência em providenciar serviços de qualidade e excelência, da nossa dedicação e de um cândido sentimento de curiosidade e encantamento. É por isso que podemos tornar o vosso casamento, inesquecível.

 

Organizar um casamento é coordenar tarefas e um orçamento, mas também gerir emoções e expectativas. Um destes lados pesa mais ou no meio está a virtude?

Acreditamos saber criar momentos verdadeiramente especiais, únicos e memoráveis na vida dos nossos casais. Este conhecimento advém da nossa experiência, da nossa dedicação e da nossa capacidade de gerir expectativas e emoções. “Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos.”

Conhecemos os lugares, as suas texturas, cores e cheiros, conhecemos as pessoas e os seus sorrisos e as suas particularidades.

 

Têm uma perspetiva perfeccionista sobre o resultado, ou é o prazer de acompanhar o processo que é o factor dominante?

Pensamos que ambos os fatores são determinantes para o sucesso do evento e para a garantia da satisfação dos noivos. George Bernard Shaw disse-o um dia, e pensamos que esta frase resume perfeitamente o que nós podemos fazer: criar o que os noivos imaginam. Acreditamos na criatividade, na beleza, no prazer e na felicidade e sabemos como criar momentos únicos e inesquecível.

 

Têm uma assinatura visível no vosso trabalho, um estilo próprio e favorito, ou o é a voz do cliente que define a totalidade do resultado?

A TFY Weddings tem uma assinatura criativa muita própria. Consideramos que este é por si só um factor determinante no que toca a identificação dos casais com o nosso estilo. Escutamos atentamente e implementamos todas as inspirações dos nossos noivos, colocando sempre o nosso cunho pessoal, pois acreditamos ser uma mais-valia e a orientação que procuram quando vêm até nós.

 

TFY - organização de casamentos

 

TFY - organização de casamentos

 

TFY - organização de casamentos

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait-divers?

Urbano ou palaciano, na praia ou no campo, clássico ou mais descontraído, adaptamo-nos a qualquer tendência e estamos sempre interessadas em inovar em todas as estações.

 

Ainda há alguma resistência à figura do wedding planner, que é vista mais como um custo adicional do que um genuíno valor acrescentado. Quais são as claras vantagens em contratar-vos?

O papel de uma wedding planner ou por muitas noivas apelidado “fairy godmother”, é imprescindível para uma stress free experience. A TFY Weddings facilita o processo de contacto com os vários fornecedores do evento, actuando como fio condutor. Para além disto, beneficiamos de excelentes relações com os nossos parceiros, proporcionando preços competitivos ao nível dos vários fornecedores.

A wedding planner é suposto ser a pessoa que acompanha e apoia o casal ao longo de todo o processo de organização do casamento. Assim, esta profissional estará presente no desenrolar do mesmo, auxiliando os noivos na tomada de grandes decisões, como a escolha do espaço ou mesmo dos diversos fornecedores que irão compor o grande dia.

É importante que haja uma relação de confiança e que seja estabelecida uma ligação para que seja fácil entender o casal e o que estes pretendem para o seu dia especial.

Assim, a wedding planner garante ir ao encontro de todos os desejos do casal, de modo a que seja um dia verdadeiramente memorável. Esta toma conta de tudo, de forma diligente e responsável, desde a recepção das flores e das decorações do local, ao fotógrafo e videógrafo, catering, músicos, e claro, os convites, podendo ainda estender as suas funções a outros serviços, tais como, transportes ou alojamento para um grupo grande.

 

Como é o vosso processo de trabalho, como criam uma ligação aos vossos clientes?

A TFY Weddings oferece um serviço tailor-made de acompanhamento personalizado, prestado por uma equipa especializada na organização de casamentos. Cada casamento é projetado à imagem dos nossos clientes, sendo que cada proposta é elaborada cuidadosamente após um primeiro contato (por reunião presencial ou remota) para assim ir ao encontro da mensagem que nos é transmitida pelos nossos noivos.

Procuramos prestar sempre um serviço de excelência e um acompanhamento direcionado durante todo o processo de organização do casamento. A nossa oferta é enquadrada sempre pelas necessidades de quem nos procura. É importante para nós conhecermos e estarmos presente em todos os grandes momentos dos nossos noivos, na selecção e gestão de fornecedores, no planeamento e coordenação de todo o processo, no desenvolvimento do conceito do casamento, no suporte, supervisão e presença no dia do casamento e na gestão de alojamento e consultoria de viagem para os convidados.

Temos a consciência da responsabilidade que é organizar este dia tão especial e é através da nossa experiência e conhecimento que acreditamos ser a melhor solução para o fazer.

 

TFY - organização de casamentos

 

TFY - organização de casamentos

 

TFY - organização de casamentos

 

Onde buscam inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Principalmente à evolução e dinamismo da sociedade que tem como consequência a criação de novas inspirações e diferentes abordagens.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescam a mente e o olhar?

Portugal tem algo de especial e há todo um mundo a descobrir no seu interior. Essa busca por locais ainda pouco explorados refrescam-nos a mente e o olhar, e aguçam-nos a vontade de criar momentos ainda mais autênticos.

 

Qual é a melhor parte de organizar um casamento? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte de organizar um casamento é criar eventos diferentes e únicos, sendo que a parte desafiante é que estes correspondam às expectativas criadas pelos noivos.

 

Qual foi o casamento em que mais gostaram de trabalhar? Porquê?

Todos os nossos casamentos fazem parte da nossa história e cada um por uma experiência ou algum momento nos marcou igualmente. Citando Cesare Pavese, “Nós não nos lembramos dos dias, lembramo-nos dos momentos.”

 

Escolham uma imagem favorita do seu portfolio e contem-nos porquê:

 

No meio da mata Alentejana – onde a comida, a amizade e a partilha entre quem mais gostamos abundam – apresentamos um casamento no Sublime Comporta Hotel que pretende acentuar todas estas características da cultura portuguesa. A inspiração começou com o lema “Eat like you meant it” em que a comida local tem um papel muito importante neste dia. Acreditamos que a origem dos ingredientes, a forma natural como são produzidos e confecionados e a sua apresentação na mesa, com loiças locais e tradicionais, são muito importantes e reconfortantes para ocasiões especiais como um casamento. Também decorámos o espaço com elementos da região – mantas alentejanas, loiças em barro e peças de madeira de pinheiro – para que os noivos se sentissem bem e confortáveis e ao mesmo tempo para que todo o conjunto ficasse integrado com o cenário envolvente, de forma a recriar um momento genuíno de partilha português.

 

 

Os contactos detalhados da TFY WEddings estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem a Sofia Catarino directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Isabel Castro Freitas, arte floral

Hoje conversamos com a Isabel Castro Freitas, que cria belos bouquets de noiva e decoração floral para casamentos.

O seu trabalho é sempre muito orgânico e romântico, delicado, verdadeiro reflexo da sua criadora. Juntem-se a nós e fiquem a conhecer melhor a Isabel Castro Freitas e os belos bouquets de noiva que saem das suas mãos.

 

Como começou o projecto Isabel Castro Freitas – arte floral?

O gosto pelas plantas e pelas flores vem da infância, dos tempos em que brincava no jardim e percorria os campos em busca de flores silvestres para oferecer ramos à minha mãe. Entusiasta do mundo das artes e da natureza, (e por isso escolhi formar-me em Arquitetura Paisagista), procuro sempre aprofundar o meu conhecimento sobre plantas, quer através da leitura de livros e artigos, quer através da experiência prática de cultivo das minhas próprias flores e da participação em cursos e viagens. Ao longo dos anos adquiri o hábito de decorar a minha casa com arranjos e coroas de flores e um dia surgiu o convite inesperado (mas muito acarinhado) para dinamizar um workshop de coroas de flores para celebrar a chegada da Primavera: aí conheci a “minha” primeira noiva, e desde então tenho tido o imenso prazer de florir o dia mais bonito de tantos casais.

 

Como define a sua assinatura? Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolhe para explorar e trabalhar este ano? Porquê?

Como definir a minha assinatura? Em tudo o que faço, coloco muito de mim mesma e por isso torna-se difícil definirmo-nos a nós próprios correndo o risco de sermos redutores na nossa visão egocêntrica, mas se tivesse de escolher um estilo ou registo para definir aquilo que sou e que faço seria o romântico e o silvestre: dois termos que me definem a mim e ao meu trabalho que é a minha forma de interpretar o amor e a alegria que a natureza nos pode dar.

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Apesar de considerar que o mais importante é seguir sempre aquilo em que acreditamos e sabemos que funciona, (claro está, sempre em conjunto com o desejos e gosto dos clientes), as tendências de cada estação são importantes para criar novos desafios, abrir horizontes e construir oportunidades de exploração floral, cromática e técnica e por isso importantes para o enriquecimento da experiência profissional.

 

Isabel Castro Freitas Arte Floral - bouquets de noiva e decoração floral para casamento

 

Isabel Castro Freitas Arte Floral - bouquets de noiva e decoração floral para casamento

 

Isabel Castro Freitas Arte Floral - bouquets de noiva e decoração floral para casamento

 

E as estações do ano, o ritmo e produção de cada época, são influências, contingências ou indiferenças nestes tempos globais?

Com o avanço da tecnologia e com a globalização, torna-se muito mais fácil conseguirmos flores importadas do outro lado do mundo. No entanto, a grande magia deste trabalho é, sobretudo, poder “brincar” com as estações e com a diversidade florística de cada época que se reflete também no nosso estado emocional e claro está nas paletas cromáticas associadas.

 

Tem espécies favoritas ou a beleza e potencial são características transversais a todas as flores e plantas?

Gosto de encontrar beleza no mais inusitado e de me encantar com novas (re)descobertas e na natureza isso é tão fácil acontecer! Mas claro que “gostos não se discutem” e é verdadeiramente surpreendente apercebermo-nos que não há regras de ouro para toda a gente. Se para uns peónias e ranúnculos são um verdadeiro deleite, para outros flores do deserto e proteas são a escolha mais apetecida. E é realmente bom trabalhar e conviver com essa diversidade.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplica, ou cada projecto de decoração floral é pensado totalmente de raiz? Como é o seu processo de trabalho, como cria uma ligação com os seus clientes?

A flexibilidade no processo criativo do moodboard floral para cada casal, é fundamental para o êxito de cada trabalho. Cada trabalho é pensado de raíz, exclusivamente para aquelas pessoas e por isso é um trabalho bastante intenso do ponto de vista emocional. Para mim, o perfeccionismo passa por inteirar-me do gosto e da personalidade de cada cliente para conseguir, além de um bom trabalho, o sorriso e a felicidade no rosto dos noivos, e isso, sim, é o mais importante.

 

Isabel Castro Freitas Arte Floral - bouquets de noiva e decoração floral para casamento

 

Isabel Castro Freitas Arte Floral - bouquets de noiva e decoração floral para casamento

 

Isabel Castro Freitas Arte Floral - bouquets de noiva e decoração floral para casamento

 

Onde busca inspiração para cada nova temporada de trabalho? E nos momentos de fadiga criativa, como refresca a mente e o olhar?

Quando a fadiga criativa desponta, é importante rodear-me de bons livros e revistas, sites e blogs de referência; no entanto a natureza é sempre a derradeira e maior influência para mim, caminhar pelos campos ou pelas matas, atentar aos detalhes, às cores e texturas que vão surgindo a cada estação, dá-me sempre um novo fôlego e ajuda-me a clarificar a mente e a sintetizar ideias. No entanto, por ser extremamente visual, a inspiração pode surgir verdadeiramente de onde menos espero: de um padrão cromático numa parede duma casa antiga, num pôr do sol com um gradiente fabuloso ou até num tecido que vi por acaso numa montra.

 

Qual é a melhor parte de trabalhar com flores e plantas, em decoração? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte de trabalhar com flores é, sem dúvida, poder estar em contacto com um material orgânico, natural e quase tão estimulante quanto a observação uma paisagem campestre em plena Primavera, é poder ter a natureza mais perto e usufruir do bem-estar que ela nos proporciona. Trabalhar com flores em decoração é poder criar ambiências de uma alegria intensa ou de uma sobriedade e delicadeza simultâneas, explorar as cores, os aromas, as texturas para estimular os sentidos. Mas, como na vida, “nem tudo são rosas”: cada espécie tem as suas particularidades, muitos dos truques e técnicas não vêm em livros e lidar com as encomendas a fornecedores e com dias de calor intenso podem ser uma verdadeira aventura.

 

Qual foi o casamento em que mais gostou de trabalhar? Porquê?

Ao longo dos últimos anos, houve momentos que me emocionaram realmente e, a cada dia que passa, fico mais grata por tudo aquilo que este trabalho me traz: as noivas que se abraçam a mim entre risos e lágrimas de emoção ao verem o bouquet, as mensagens de agradecimento e os telefonemas logo no dia a seguir ao casamento, a confiança que depositam em mim quando me dizem: “Isabel, faça como preferir, sei que vou adorar de qualquer forma”. Podia aqui narrar tantos episódios e momentos bonitos mas recordo-me agora do casamento da Emilly e do Bryan no Douro, por toda a cumplicidade que se criou apesar da distância (sim, a Emily e o Bryan vieram da Austrália para se casar e trouxeram a família toda com eles, mas todo o casamento foi preparado à distância!) e pelo grande desafio que foi decorar um casamento ao ar livre sob um céu de trovoada a prometer chuva e uns 38 graus à sombra. Mas no final, o sol abriu radiante para ver os noivos casar e 2 dias depois a Emily veio ao Porto despedir-se de mim , entre abraços e mil obrigadas de parte a parte e contou-me que ofereceu todos os arranjos de flores à igreja da aldeia para que alguém pudesse usufruir da beleza deles durante mais alguns dias. Inesquecível.

 

 Escolha uma imagem favorita do seu portfolio e conte-nos porquê:

 

Isabel Castro Freitas

 

Esta é talvez uma das minhas imagens favoritas do meu portfólio. Retrata uma das coisas que me dá mais prazer criar (além dos bouquets, claro): joalharia floral. Esta é uma peça diferente do comum, um colar de flores que criei para um editorial produzido em parceria com a Meraki Studio e a Cracha Wedding Agengy e que foi publicado na Green Wedding Shoes. Diria que esta peça reflete bastante aquilo que sou enquanto artista e designer floral, o carácter silvestre e romântico, a paixão pela diferença, pelo detalhe e pela delicadeza.

 

 

Os contactos detalhados da Isabel Castro Freitas estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem a Liliana Moreira directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Caramelo, convites de casamento e caligrafia

Hoje conversamos com a Liliana Moreira, da Caramelo, convites de casamento e caligrafia.

Na Caramelo, que começou como um doce serviço de presentes personalizados e evoluiu para os serviços de casamento, desenha-se à mão. Retratos, histórias, mapas, ilustrações, letras. Num momento em que os algoritimos e as automatizações tomam conta do mundo, aqui regressa-se às origens, ao vagar, ao primor, porque o mais bonito dos dias é isso mesmo: o mais bonito dos dias.

Desenhar, caligrafar, contar histórias. É o que sabemos fazer melhor, e isso é intemporal, não é?

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até ao universo dos casamentos. Foi um caminho natural ou uma situação específica que o apontou?

Nada foi como nos livros, na verdade. Não demos os primeiros passos de mão dada com os casamentos. A Caramelo nasceu como uma empresa de presentes personalizáveis através da ilustração, texto e música, mas muitas dessas ofertas eram destinadas a noivos, ao futuro marido, ao padrinho ou à mãe incansável. E, assim, a relação com este evento tão emocional foi-se estreitando, até conseguirmos oferecer um serviço completo: desenhamos o convite e o restante material gráfico, decoramos e cenografamos o espaço, juntamos flores e outros detalhes. Hoje estamos tão ligados a este universo amoroso, que quase nos esquecemos como nasceu a Caramelo.

 

Há quanto tempo trabalham nesta área? E porquê este universo dos casamentos?

Estamos há cerca de 5 anos na área dos casamentos. Não acreditamos em contos de fadas, mas acreditamos no amor. E se sabemos desenhar tão bem -sem modéstias-, porque não ajudarmos a dar cor a essas histórias de amor num dia que se quer inesquecível, intenso, perfeito? Trabalhar em casamentos não era um objectivo, mas foi uma consequência inevitável.

 

Como definem o vosso trabalho e como construiuram essa assinatura?

O nosso trabalho é feito à medida. Tudo é desenhado por nós, sobretudo à mão-livre e com recurso à caligrafia. Essa é a nossa assinatura, é isso que nos distingue. Fazemos o desenho do percurso que os convidados percorrem num mapa cuidado, pintamos os convites a aguarela, caligrafamos os envelopes, os menus, os nomes dos convidados… tudo feito à mão e à medida dos sonhos de cada um.

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolheram para explorar e trabalhar este ano? Porquê?

Isto é o que nos define, independentemente de modas, de tendências. Desenhar, caligrafar, contar histórias. É o que sabemos fazer melhor, e isso é intemporal, não é?

 

mapas Caramelo (1)

 

mapas Caramelo (5)

 

mapas Caramelo (4)

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers? Só são assunto quando os noivos apontam para esse caminho.

Não que não seja importante perceber para onde as tendências caminham, com que linhas se costuram. Mas um Valentino ou um Chanel vivem para lá do tempo. É assim também que vemos os casamentos. Queremos essa frescura do belo, sempre, independentemente de ser o que agora se faz ou não.

 

Ter o controle das decisões é importante? Têm uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como querem que o vosso trabalho seja consumido ou é o prazer de discutir ideias, de criar, que vos interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Somos perfeccionistas, sim. Mas estamos perfeitamente conscientes que há muitas cedências que têm de ser feitas ao longo do caminho, pelos mais diversos motivos. Ao mesmo tempo, são esses contornos que nos tiram da zona de conforto, que nos levam mais longe, a procurar novas soluções, novas perspectivas.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplicam, ou cada convite, produto ou serviço é pensado totalmente de raiz?

Tudo é pensado e desenhado do zero. Procuramos inspiração (geralmente fora do circuito dos casamentos), percebemos o que pretendem os noivos e quem são, e avançamos. Temos sempre folhas em branco!

 

Onde buscam inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Lá está: num livro, num filme, numa fotografia, numa viagem. Muito mais do que em sítios específicos sobre casamentos e outros eventos. Vamos também muito ao encontro da história do casal, das suas famílias, de um lugar que seja importante, uma carta, um objecto querido…

 

 

 

Caramelo - convites de casamento e caligrafia

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olha, o que faz?

Para todo o lado, menos para o computador. Olha-se, sobretudo, para o silêncio. Fala-se demasiado, hoje em dia. Às vezes diz-se muito pouco. Por isso gostamos de fugir para um canto e ficar só a observar, a descansar. Fechar os olhos também costuma resultar.

 

Qual é a importância do convite de casamento (e respectivo conjunto de estacionário), na grande lista de itens e tarefas?

É o que define o ambiente do casamento. É o que diz aos convidados: atenção que será um evento requintado ou descontraído, urbano ou campestre. O convite é a montra. Ou deveria ser. É a primeira parte de uma história que será contada em alguns capítulos.

 

O vosso trabalho não se resume a convites de casamento. Qual é a amplitude do vosso portefólio?

Fazemos a decoração floral, cuidamos dos presentes mais importantes e das lembranças, desenhamos o espaço do casamento coordenando diversos factores, criamos o material gráfico para a decoração, assistimos os noivos na procura de fornecedores adequados. E, sobretudo, fazemos o possível para que possam aproveitar a aventura dos preparativos. Só a viverão uma vez, assim como o dia.

 

Caramelo - convites de casamento e caligrafia

 

Caramelo - convites de casamento e caligrafia

 

Caramelo - convites de casamento e caligrafia

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Pedimos sempre que nos contem uma história. Gostamos de histórias, por isso não é difícil ficar a ouvir. Há quem nos procure já com ideias muito precisas, há outros casais que não sabem para onde querem ir. Nós ajudamos, orientamos, mas, sobretudo, ouvimos.

 

Qual é a melhor parte de criar convites de casamento, ser o primeiro capítulo visível da história que leva ao grande dia? E o mais desafiante e difícil?

Gostamos tanto de encarar uma folha em branco, de mostrar os esboços, como de chegar ao resultado. Criar um convite que seja “o” convite, é demorado, exige dedicação, concentração e respiração. Às vezes mais do que um par de mãos, também. Mas depois de se encontrar o caminho, o resto do percurso é mais ligeiro.

 

Escolham o convite de que mais gosta no vosso portefólio, e contem-nos porquê:

 

Caramelo - convites de casamento

 

Caramelo - convites de casamento

 

Aqui tenho de olhar para dentro de casa. O meu convite de casamento continua a ser um dos eleitos, sobretudo por ser praticamente todo caligrafado, o que lhe confere esse registo intemporal e único que antes falava, e por ter um conjunto de peças que se coordenam na perfeição, completando-se, como nós casal. Por último, e não menos importante, o texto, que reflecte exactamente o que somos: descontraídos e românticos. Podem ter passado já quase 6 anos, mas este convite continua a apaixonar os casais que nos procuram. E isso diz tudo.

 

Os contactos detalhados da Caramelo estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem a Liliana Moreira directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

À conversa com: Edgar Félix, filmes de casamento

Hoje converso com o Edgar Félix, que faz filmes de casamento muito bonitos e singulares.

O primeiro trabalho que vi seu – já nem está online -, era delicioso: a história de amor da Susana + Bruno, uns miúdos, ela tímida, ele taciturno, contavam uma cena de engate que metia t-shirts, comiam bolas de berlim, tinham uns cadernos bonitos e recitavam Álvaro de Campos. Uma mistura improvável, desengonçada e envergonhada, mas tão doce e especial. Lembro-me de o enviar para a querida Susana Almeida, do “Feliz é quem diz”, por achar que era mesmo a cara dela.
A resposta foi imediata: “Oh pá! Que delícia, fiquei com uma lagriminha no canto do olho!!! Iluminaste o meu dia com este vídeo, tão bom!”.

Continuei a acompanhar e sem hesitar fizémos o nosso contacto e cativámos o Edgar para estar em nossa casa. Como se não bastasse ter um trabalho tão bonito, quando fizémos as novas fichas de fornecedor que incluem 4 perguntas curtas (para que os fiquem a conhecer melhor), o Edgar escreveu que “não se ama como calha“.

Está tudo dito, não é?

Gargalhadas, choro, pulos, danças ou muitos abraços são dos principais motivos que despertam a atenção no momento de gravar e de editar. Mais do que tudo, procuro o que considero ser importante recordar daqui a uns anos: as pessoas, a festa e a emoção disso em conjunto.

 

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional até aqui, ao vídeo de casamento.

Entusiasmo-me desde sempre no momento de conhecer pessoas novas. Posso passar horas a conversar e, se pudesse, no fim de muitas conversas começaria um vídeo. Assim que consegui ter uma câmara não foi possível evitar a crescente paixão de poder gravar histórias. Academicamente estudei, tanto na licenciatura como no mestrado, na área da Comunicação e isso fez que me aproximasse ainda mais de pessoas e, antes de terminar estes estudos, já filmava e editava vídeo. O vídeo de casamento trouxe-me o melhor de vários mundos: pessoas com uma história que as leva a um dia de festa para celebrar tudo o que já viveram juntas. Estavam ali reunidos todos os elementos ideais que me fazem adorar gravar casamentos.

 

Há quanto tempo filma? E porquê casamentos?

É um privilégio gravar casamentos. Quando percebi que podia ter acesso a um dia de muitas emoções com uma história para ser gravada, tinha a receita pronta com todos os ingredientes. Nos últimos quatros anos estou dedicado ao vídeo e, desde início, com casamentos. Existe um caminho que é feito com os noivos que torna esta área do vídeo um desafio incrivelmente prazeroso – desde o improviso que o dia de casamento exige à capacidade de anteceder qualquer momento para ser gravado.

 

Como construíu a sua assinatura, o seu ponto de vista? Como é que o define?

Em cada ano que passa sinto que defino melhor o que quero ver representado nos meus vídeos. Registo tudo num casamento, desde as flores, às mesas e a qualquer detalhe, mas são as pessoas que fazem os meus vídeos. Os momentos e a sua genuinidade, são a melhor definição para o meu trabalho.

 

 

Num casamento, para onde olha, o que lhe prende a atenção? O que procura?

Gargalhadas, choro, pulos, danças ou muitos abraços são dos principais motivos que despertam a atenção no momento de gravar e de editar. Mais do que tudo, procuro o que considero ser importante recordar daqui a uns anos: as pessoas, a festa e a emoção disso em conjunto.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vai buscar inspiração?

Gosto de prestar atenção a tudo o que consigo assistir pela internet, quer seja de casamento, quer de outros quaisquer conteúdos. Sei que é importante percebermos o caminho e as tendências que o nosso ofício toma. Ainda assim, a inspiração tantas vezes aparece de onde menos esperamos: de uma música que há muitos anos não ouvimos, de uma série ou filme, de uma aventura entre amigos ou até durante um duche diário. Às vezes, não devemos esquecer o nosso quotidiano, nem de tentarmos conhecer quem somos.

 

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?

Tantas vezes fazer um reset é tão importante quanto aprender. É necessário parar e distanciarmo-nos do que fazemos todos os dias. É determinante quebrar a rotina e, para isso, viajar torna-se dos melhores remédios para nos pôr em pausa. Conhecemos pessoas novas com hábitos, culturas e tradições diferentes das nossas. Comemos, bebemos e sempre que abrimos os olhos vemos outra realidade diferente da nossa. Não haverá melhor forma de reiniciar o nosso sistema operativo.

 

 

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

É demasiado importante reconhecer valor à proximidade que tenho com os noivos. Há muito que se procura chegar ao dia do casamento com um à vontade que permite que não sejamos uns estranhos naquele dia importante. Acabou-se o tempo de conhecer os noivos no dia do seu casamento. Há um processo que faz com que já saibamos o que importa para aquelas pessoas, o que as faz rir e o que as descontrai.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gosta de registar?

 A quantidade de convidados não é determinante para ditar o sucesso de um casamento. Tanto num casamento grande ou pequeno se podem viver momentos prontos a serem gravados. Sinto sempre que o segredo está na união entre noivos e convidados – quando existe um simbiose perfeita entre todos, tudo é vivido com mais energia e isso fica óbvio no vídeo de casamento. Independentemente do formato da festa, importa que isso fique claro no registo que é feito. Grandes ou pequenos, nacionais ou internacionais, é a conexão entre as pessoas que mais gosto de registar.

 

Qual é a melhor parte de ser videógrafo de casamentos? E o mais desafiante e difícil?

Todos os casamentos têm uma percentagem de improviso que torna tudo mais desafiante, mas não necessariamente difícil. É essa aparente dificuldade que dá tanto frenesim sempre que começa um dia de casamento. A melhor parte e também um desafio é anteceder todos os comportamentos de todos os intervenientes de um casamento e conseguir uma melhor gravação de um dia que não é encenado, nem ensaiado.

 

 

Escolha um filme favorito do seu portfólio e conte-nos porquê:

Não é fácil escolher um vídeo favorito, mas algum que tenha como principais protagonistas os noivos e os convidados faz com que sinta que é um vídeo mais próximo do que gostaria de ter para mim. Este vídeo tornou-se muito especial por ter discursos das pessoas mais importantes para os noivos e aí surgirem reacções, lágrimas, gargalhadas que tornaram tudo mais humano e sentido. É também um vídeo que respeita e enaltece a principal vontade dos noivos: viver o casamento de acordo com tudo o que acreditam ser o principal propósito da vida na Terra – celebrar as coisas boas!

 

 

Os contactos detalhados do Edgar Félix estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem o Edgar Félix directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!