Created with Sketch.
Susana Pinto

Dicas para casar: o protocolo no dia do casamento

Nas dicas para casar da semana passada, falámos sobre a comunicação e algum protocolo do casamento, desde o sim à pergunta mais esperada, até ao regresso da lua-de-mel.

 

Hoje falamos mais em detalhe sobre o protocolo ou estrutura do dia mais bonito. Faço esta ressalva óbvia – isto é a norma, que vos ajuda a perceber a sequência e forma como as coisas acontecem – como se fosse o alfabeto. A partir desta estrutura, podem fazer a vossa própria interpretação e decidir livremente como querem que o vosso dia flua. Mas nunca se esqueçam que uma boa comunicação entre todos os intervenientes – família e amigos próximos envolvidos nos vários passos do evento, convidados em geral e fornecedores – é uma das garantias para um dia perfeito!

 

A palavra protocolo vem sempre carregada de peso e formalidade, mas apenas significa um conjunto de regras que regulam uma situação formal e pouco habitual. Podem ser mais rígidas e complexas, ou ligeiras e mais leves; no fundo, a forma como encararem todo processo é que definirá a fluidez dos procedimentos.

No caso do dia do casamento, quase podemos trocar o termo por simples boa educação e maneiras: saber a quem dar o braço, sentar quem e onde, quem vai com quem, são questões que chamamos de protocolares, mas facilmente resolvíveis com uma boa dose de bom senso.

No fundo, a regra é apenas esta: atravessarem o dia vestindo a pele de genuínos anfitriões: atentos, com boas maneiras, acessíveis e gentis. Juntem uma generosa pitada de bom senso, fará de vocês o par mais bonito e simpático do mundo!

 

Antes de mais, aconselhamos a leitura atenta do nosso artigo sobre a gestão das redes sociais no dia do casamento: são cinco regras apenas, que evitarão mal-entendidos e desconfortos desnecessários.
Imaginemos, agora, que estamos todos à porta da igreja.

Postas as regras em prática, o noivo entra com a mãe; na sua ausência, pode fazer-se acompanhar da madrinha de baptismo, da irmã, ou de uma amiga de família muito especial.

A noiva entra pelo braço do pai e só depois do noivo, da família e dos convidados. Um atraso de dez a vinte minutos é aceitável, mais do que isso já é pouco simpático e pode ser considerado má educação.

As famílias de ambos ocupam os primeiros bancos dos dois lados, atrás sentam-se os convidados.

 

Finda a cerimónia, os noivos e padrinhos tratam das assinaturas, os convidados saem e aguardam-nos para a chuva de pétalas e arroz (atirados para cima, não aos noivos!).

 

No cocktail de recepção, os pais recebem os convidados, e os noivos, os últimos a chegar, devem tentar cumprimentar e agradecer a vinda dos familiares e convidados. Todas estas pessoas vão querer dar-vos um abraço e partilhar o amor, é o momento certo para vibrar e retribuir toda esta energia e felicidade palpáveis!

Terminado o cocktail, segue-se a refeição sentada: entram primeiro os pais, que dão indicação aos convidados, e em último os noivos, em entrada festiva e com banda sonora a preceito, ou de modo mais singelo e natural (o que for a vossa cara e feitio será a decisão certa!).

 

À mesa, os padrinhos sentam-se lado a lado dos noivos, seguidos dos pais.

Já na sala, distribuam os convidados, mantendo a regra menino+menina: junto da mesa principal deverão ficar as mesas dos familiares, com os membros das famílias bem distribuídos. Não criar separações, os meus e os teus, é de bom tom e ajuda a estreitar laços, terão pela frente muitos Natais, aniversários e almoços de domingo; quando todos se conhecem melhor, o ambiente é muito mais simpático e descontraído!

Podem equilibrar as mesas em termos de idades, é perfeitamente aceitável e até mais confortável para todos, para que as conversas entrem rapidamente em sintonia de assuntos e tom.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol-fotografia de casamento Joao Makes Photos 

Se há pais separados e situações delicadas, tudo se resolve com diplomacia e doçura: na mesa dos noivos ficam os ditos e os padrinhos, e prepara-se uma mesa de pais, com sinalética especial, onde se sentam também os familiares mais queridos e os convidados de honra: se o pai da noiva está sem acompanhante, sentem-no junte aos pais do noivo, todos pertinho de vocês.

Não isolem os solteiros, distribuam-nos pelas mesas e misturem-nos com os casais: ao contrário do que imaginam, todos se sentem menos constrangidos!

Se há muitas crianças que já comem sozinhas, preparem uma mesa especial para elas e não dispensem ajuda profissional para as acompanhar – toda as partes agradecem, miudagem incluída.

Os menos jovens também merecem e precisam de atenção especial: mesas de fácil acesso, longe do barulho e de correntes de ar, em boa companhia e, se possível, também com um mimo especial.

 

Terminamos o protocolo com o plano com a distribuição, literal, dos lugares. Se possível, marquem cada lugar de modo individual, com o nome do conviva (e podem manter o seating plan na mesma, agiliza o processo). Um cartãozinho com o nome de cada um é muito simpático e ultrapassa qualquer constrangimento que surja (“mas como é que esta miúda gira se chama…?”, “este casal simpático, quem serão?”), é um modo muito mais elegante de criar boas relações à mesa.

 

Acima dos 200 convidados, ponderem um livrinho de distribuição de lugares: é o mesmo que o tradicional quadro com a lista de mesas e respectivos ocupantes, mas em forma de livrinho pequeno, colocado em local bem visível, com uma legenda explicativa. Um exemplar para cada dois convidados será mais do que suficiente e torna viável e agiliza a circulação e distribuição de tanta gente, de forma autónoma.

Não se pode exigir ao convidado que não dispa o casaco à mesa para comer (protocolo dixit!), mas podemos proporcionar-lhe a oportunidade de conhecer alguém interessante!

 

Casamento na Quinta do Hespanhol-fotografia de casamento Joao Makes Photos Casamento na Quinta do Hespanhol-fotografia de casamento Joao Makes Photos

Terminado o jantar, cortado o bolo e com a festa a rolar em modo rijo e farto, algumas pessoas começarão a partir. Fiquem atentos às despedidas e deleguem nos vossos pais a cortesia de acompanhá-las até à saída.

E pronto. Fechado que está o protocolo do dia, só vos resta gozar a festa até ao último instante e depois partir para a lua-de-mel dos vossos sonhos (de preferência depois de um dia de descanso!) Atenção que ainda vos falta completar o círculo com os agradecimentos finais- mas não se preocupem, explicamos tudo aqui.

 

As fotografias bonitas são do casamento da Joana + Hendrik, fotografados pelo talentoso João Makes Photos – não deixem de espreitar o seu portefólio bestial.

 

Acompanhem as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira. Queremos ajudar-vos a navegar a viagem até ao mais bonito dos dias, reunindo e partilhando bons conselhos, ideias frescas e muito sentido prático, real e experiente.

Susana Pinto

Dicas para casar: convites de casamento e agradecimentos

Hoje as nossas dicas para casar abordam o processo de anunciar o casamento, convidar as nossas pessoas mais queridas e agradecer a sua presença no mais bonito dos dias.

Falamos das pequenas regras de cortesia que fazem uma grande diferença na forma como as coisas correm. Chamamos-lhes protocolo, mas a verdade é que podíamos chamá-las, simplesmente, de boas maneiras.

 

O pedido foi feito, o “sim!” foi dado, e agora é preciso dar as boas notícias às famílias e iniciar a viagem que aí vem: o ideal é juntar os pais de ambos e convidá-los para um delicioso almoço ou jantar.

Passados os brindes, abraços e congratulações, é um bom momento para apresentar à família o plano que têm em mente, o tipo de festa que querem, o orçamento que têm disponível, e aferir a disponibilidade familiar para vos dar suporte  e apoio (financeiro e não só). Será sempre um assunto com as suas tensões e exigências, mas, se abordado com carinho e gentileza, poderá abrir caminho para uma jornada mais tranquila e serena até ao grande dia.

 

Depois dos pais, seguem-se os padrinhos: outro belo almoço ou jantar, já com datas alinhavadas, para alinhar agendas. A partir daqui, é altura de contar a novidade a toda a gente!

 

Convites de casamento Molde Design Weddings

Vejamos agora os convites, que é o passo protocolar que se segue. Dizem as regras que deverão ser feitos e enviados com uma antecedência de 6 a 3 meses, mas outros intervalos serão ainda bastante aceitáveis. O importante é que tenham em conta a logística (o espaço e o catering), e os números finais, em tempo útil: quanto mais convidados tiverem, maior deverá ser o prazo que separa a confirmação da resposta em relação à data do evento, para que tudo se organize da melhor forma.

 

Neste momento, é fundamental discutir com o vosso fornecedor o processo de alteração de datas: que soluções podemos antecipar, que custos pode ter, que boas ideias podemos pôr em prática para salvaguardar o trabalho e o investimento.

Aqui repetimos a nossa fórmula habitual, consultem a oferta de fornecedores de convites de casamento, escolham cinco e contactem três. Poderão escolher convites de casamento pertencentes a uma colecção, prontos a serem entregues, ou encomendar um estacionário original, feito à vossa medida, sendo que esta opção será sempre mais cara que a anterior.

 

Aproveitem para orçamentar todo o material de que irão precisar (e incluímos aqui as ementas, marcadores de mesa, missais, cartões de agradecimento, legendas e sinaléticas variadas, etiquetas e packaging, cartões ou livrinhos de distribuição de lugares, etc.) e decidam, juntamente com o vosso designer, as melhores soluções e serviços – um casamento intimista pede um tipo de trabalho e de peças, uma festa com muita gente precisa de muita eficácia na comunicação.

No que toca a quantidades, a norma é que a encomenda de convites seja, aproximadamente, metade do número dos convidados da lista (façam as contas a um convite por família, por casal sem filhos e por cada solteiro, com direito a acompanhante). Juntem mais uma boa dezena para imprevistos e não se esqueçam de guardar o vosso próprio exemplar!

 

O texto deve incluir, de forma clara, a data, hora e local, a sequência dos eventos e as indicações para lá chegar. A data e contactos para confirmação da presença também devem vir bem legíveis. Posto isto, preparem-se para uma tarefa frustrante: a recolha de respostas definitivas ao vosso convite!

 

Convites de casamento Molde Design Weddings Convites de casamento Molde Design Weddings

E depois da festa?

É tempo de agradecer a todos, convidados e fornecedores, a sua presença e serviço. O modo mais bonito de o fazer é por escrito.

 

Ao preparem os vossos matérias gráficos, contemplem a execução de simpáticos cartões de agradecimento, escolham uma bonita foto do vosso lote e preparem umas palavras singelas – não precisa de ser nada de complicado, o facto de ser pessoal e atencioso será doce o suficiente.

Enviem um cartão por cada casal ou família, e um a cada solteiro (como fizeram com os convites); os vossos pais deverão fazer o mesmo aos seus convidados; e todos os cartões deverão ser assinados pelo casal. Este envio deve ser feito num prazo de 30 dias, no máximo, após a festa.

 

Para os padrinhos e madrinhas, caprichem numa edição mais especial. E para os pais que vibraram, se empenharam e até contribuíram em espécie, um agradecimento especialíssimo e bem doce.

Não deixem de fora a vossa equipa. Podem fazê-lo por email, é claro, mas os vossos fornecedores empenhados valem cinco minutos de atenção e palavras justas e calorosas. Foram parte activa e substancial na vossa festa memorável e merecem sabê-lo!

 

Lembram-se da nossa sugestão de enviarem alguns postais de agradecimento do vosso destino de lua-de-mel? Afinal, toda a gente gosta de receber um postal na caixa do correio, com selos de um destino longínquo e imagens de uma paisagem inspiradora – e ainda mais com as palavras felizes de quem o enviou. Esta é uma simpática maneira de tratarem de alguns dos agradecimentos – aos vossos amigos mais chegados e àquelas pessoas com quem têm uma relação mais informal e que imaginam com um sorriso no rosto ao receber notícias vossas via postal.

 

Nada de muito complicado ou trabalhoso, verdade?

 

As imagens bonitas deste artigo são do portefólio da Molde Design Weddings, a marca da talentosa Joana Duarte. Espreitem a galeria actualizada e deliciem-se com tantos convites de casamento e detalhes espectaculares.

 

Acompanhem as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira. Queremos ajudar-vos a navegar a viagem até ao mais bonito dos dias, reunindo e partilhando bons conselhos, ideias frescas e muito sentido prático, real e experiente.

Susana Pinto

Dicas para casar: a importância do álbum de casamento

Aproximamo-nos a passos largos do Natal, que iremos celebrar certamente de forma diferente.

A distância está instalada nas nossas rotinas e é importante que mantenhamos a cabeça fria e as boas práticas recomendadas pela DGS, todos temos um papel activo no desenrolar da pandemia.

Eu assumo que cá por casa estaremos em forma recatada e muito singela, não mais que três lugares à mesa, no máximo – e isso não me tira o sono nem entristece: é o que é. Em contrapartida, o meu plano é fazer chegar à família – a próxima e até aquela um bocadinho mais distante, aos amigos e aos parceiros, tudo aquilo que mais gosto no Natal.

E isto é a combinação certa de pequenos objectos, escolhidos a dedo, e palavras doces. Não há distância que resista e um abraço pode ter inúmeras formas!

 

Ora um presentaço, que segue muito bem pelo correio carregado de amor, é uma fotografia – seja na sua forma mais singular ou num belo álbum que agrega momentos, história e memórias.

 

As fotografias impressas são uma jóia de família e um álbum fotográfico é um pedaço de história. É um facto que caminhamos a uma velocidade louca para a imaterialização dos objectos, o papel está a desaparecer das nossas vidas. Mas se quisermos pensar nisso mais a fundo, quantas vezes nos sentamos ao computador para revisitar uma pasta de fotografias (nem lhe vou chamar álbum…)? Em contrapartida, quantas vezes olhamos para aquela fotografia que escolhemos emoldurar? E quantas vezes olhamos com curiosidade para fotografias antigas? Os nossos pais com a nossa idade ou com a idade dos nossos filhos, as diferenças, as parecenças, as modas, os semblantes? Todas estas emoções e conversas são apenas possíveis a partir da imagem impressa, que seguramos na mão.

 

Falemos então do álbum fotográfico, que pode tomar muitas formas, já que o invólucro das memórias do dia do casamento tem que ser, também ele, digno de apreciação. A maior parte dos bons fotógrafos trabalha em articulação com os melhores profissionais na área da encadernação e a informação é o melhor caminho para fazer boas escolhas.

 

Silvia Pontes Encadernação Personalizada - álbuns de casamento e livros de honra Silvia Pontes Encadernação Personalizada - álbuns de casamento e livros de honra

Silvia Pontes Encadernação Personalizada - álbuns de casamento e livros de honra

A Sílvia Pontes, artesã de serviço para os álbuns mais bonitos, explica-nos um bocadinho as diferenças.

 

Os tamanhos normalizados dos álbuns tradicionais com folha de papel vegetal variam entre 25x25cm, 30x30cm e 25x35cm, e têm 40, 60, 80 ou 100 páginas.

Os acabamentos podem ser em telas ou linhos (tecidos próprios para encadernação), com opção da personalização do nome e data ou outra denominação e podem ser simples (apenas o álbum), de luva (como um arquivador) ou com caixa.

 

Para que tenham vida longa como se quer, sempre bonitos e impecáveis, os álbuns fotográficos devem ser arquivados ou guardados num local seco, longe da exposição solar e na posição horizontal e, quando folheados, deverá ser sempre com as mãos limpas e secas. A caixa ou saco em que são entregues é um auxiliar importante no processo de conservação.

E agora, se quisermos falar de formatos mimosos para a época natalícia, que podem ser enviados por correio para as pessoas mais especiais, os min-álbuns em formato de harmónio, com 15x15cm ou 20x20cm ou as caixas forradas e personalizadas (para 200 fotografias no tamanho 10×15 ou para 100 fotografias no tamanho 15x22cm), são óptimas opções. E nem sequer precisam de as encher, porque são objectos que o receptor pode completar e acrescentar a sua história.

 

Silvia Pontes - livro de honra e album fotográfico

Espreitem o trabalho bonito da Sílvia e preparem com tempo as vossas encomendas de Natal. Seja um álbum fotográfico com o mais bonito dos dias ou um pequeno arquivo de momentos com espaço para completar, aqui está tudo certo!

 

Acompanhem as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira. Queremos ajudar-vos a navegar a viagem até ao mais bonito dos dias, reunindo e partilhando bons conselhos, ideias frescas e muito sentido prático, real e experiente.

Susana Pinto

Dicas para casar: lembranças solidárias para os convidados

Esta temporada tão desafiante que estamos a atravessar exige de nós muito mais do que o habitual: mais empatia, mais cuidado, mais resiliência, mais paciência, mais disponibilidade e atenção.

 

Hoje falamos sobre pequenos gestos de agradecimento e generosidade: lembranças solidárias para os convidados ou ofertas para o vosso círculo de contactos, seja profissional ou pessoal.

 

O mais bonito dos dias é, na sua essência, a união e partilha do amor.

O formato que toma, seja uma festaça para duzentos convivas ou espumante e bolo para as dez pessoas mais próximas do vosso coração, acaba por ser um detalhe na grande ordem das coisas. Como dizemos sempre por aqui, o fundamental é que seja à vossa medida, a vossa cara, o vosso reflexo.

Depois do “sim!” emocionado e muito feliz, depois das borboletas na barriga só a dois, depois de contada a novidade e depois de marcada a data, começa esta viagem longa, tensa, divertida também, e muito desafiante. Toda a gente à vossa volta terá uma opinião, uma ideia genial, um direito devido, uma sugestão irrecusável.  Saber gerir estas forças que puxam para direcções que são diferentes entre si e que são diferentes da vossa, de forma delicada mas também assertiva, é um processo e uma aprendizagem, feita de ponderações várias, cedências com importâncias relativas (menos para um dos lados, muito mais para o outro) e firmeza no essencial e inquestionável.

Diria mesmo que, juntamente com a gestão totalmente cerebral do orçamento (a única forma de o fazer!), são os faróis para navegar durante meses, entre decisões complexas e valores elevados, em direcção a um dia muito feliz e leve: o melhor dia da vossa vida.

 

Porque sentimos que também nós fazemos parte do vosso círculo de amigos próximos, é claro que também temos uma opinião, e também temos uma ideia, e também temos um conselho que achamos ser o melhor de todos!

 

Permitam-me a audácia de saber o que é melhor para vocês, porque juntamos razão e coração neste gesto e mensagem.

A ideia que quero partilhar convosco é simples, valiosa e com impacto, e resume-se a um número singular: 1%.

Tomem nota deste valor, que explico a seguir: 1% do vosso orçamento.

1% do vosso orçamento.

Gentileza é um dos nossos valores essenciais. É algo que pratico de forma discreta, em público e em privado, à minha maneira, pela minha cabeça, em sintonia com o meu coração. Estender a mão, de forma real ou em sentido figurado, quando alguém precisa (seja de uma informação ou de uma ajuda mais real e concreta), é um pouco como respirar, é um bem essencial e natural. Se o podemos fazer, parece-me sempre tonto não o fazermos, de facto.

 

ofertas aos convidados

No Simplesmente Branco pomos à vista, todos os dias, esta nossa vontade: sermos gentis e generosos para com a nossa comunidade.

E fazemo-lo de forma estruturada e intencional, escolhendo um conjunto singelo de parceiros fazedores de imensa diferença no quotidiano de quem está menos bem. Se passamos os dias a celebrar a felicidade alheia, vamos alocar uma pequena parte dessa festa a um objectivo igualmente especial, não?

A nossa resposta é: claro que sim! E assim chegamos ao número mágico lá de cima…

Considerem doar 1% do vosso orçamento a uma instituição à vossa escolha (é isso mesmo, unzinho!), como substituto das lembranças para os convidados.

É uma ideia óptima, acreditem! Acabam com a pegada ecológica, facilitam alguma logística, ajudam quem precisa, gastando à medida do vosso orçamento e generosidade, sensibilizam os vossos convidados e amigos e podem, com isso, gerar  toda uma cadeia de partilha de conhecimento e valor para com a instituição que escolheram, de forma pública, informada e, com uma dose de optimismo viral (que bonito que isso pode ser…!).

Os parceiros solidários que sugerimos na nossa lista partem de escolhas pessoais: porque conhecemos pessoas envolvidas de ambos os lados (quem lá trabalha e quem foi ajudado), e por contactos profissionais que vamos tendo – todos estes projectos são valiosos e muito importantes nas comunidades que servem, e revemo-nos neles. Já o dissemos – é a nossa parte favorita deste Simplesmente Branco.

 

Nenhum é a vossa cara ou causa? Não há problema, façam a vossa ligação directa e mantenham a nossa ideia em prática: 1% do vosso orçamento. Têm amigos que vão casar? Pois opinem sobre as lembranças, com um tom sábio e bem humorado: vão convencê-los de certeza, porque as boas ideias são contagiosas e as ideias bonitas são irresistíveis!

 

1% do vosso orçamento, singelo ou generoso. É só isto!

Na imagem acima, têm um coração em origami com uma mensagem por dentro, feito especialmente para nós pela Ana Maio, da Indígo Paper Lab, fotografado de forma magnífica pelo Luis Mateus, da Lounge Fotografia. Foi com estes bonitos corações que agradecemos a todos os que nos visitaram no showcase das Caves Ferreirinha, cuja bilheteira reverteu a favor do nosso parceiro ENCONTRAR+SE.

O valor do trabalho foi gentilmente doado pela Indígo Paper Lab à ENCONTRAR+SE. As fotografias bonitas foram gentilmente feitas pela Lounge Fotografia, para nós. É uma cadeia gentil de acções consequentes, e um objecto, simples, delicado, discreto, que contém em si todo este amor, toda esta soma: obrigado!

 

Neste contexto esquisito que atravessamos, em que apoiar os negócios locais é um dos nossos papéis na comunidade, podem marcar a época natalícia que se avizinha fazendo chegar às vossas pessoas estas lembranças de dias felizes. Se casaram este ano e o fizeram de forma muito reduzida, porque não partilhar essa memória tão especial com quem não pôde estar presente?

 

A Alexandra Barbosa, de A Pajarita tem um conjunto de sugestões lindas de morrer para dar forma a este gesto de carinho que atravessa a distância: uns cartões personalizados com aguarelas originais ou gravuras de autor. Vão lá espreitar, que é tudo muito bonito!

 

Acompanhem as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira. Queremos ajudar-vos a navegar a viagem até ao mais bonito dos dias, reunindo e partilhando bons conselhos, ideias frescas e muito sentido prático, real e experiente.

Aproveitem para explorar a galeria da Lounge Fotografia, a dupla Luís Mateus e Marta Barata!

Save

Save

Save

Susana Pinto

Dicas para casar: como escolher um anel de noivado, com a Romantis

Hoje, com a ajuda do nosso fornecedor seleccionado Romantis, falamos sobre como escolher o anel de noivado.

O Natal e a passagem de ano são duas das ocasiões preferidas pelos românticos incorrigíveis para um pedido de casamento comme il faut! E como diz uma das nossas frases favoritas, knowledge is power, para esta ocasião, cuja decisão é um investimento emocional e financeiro em partes iguais, pedimos ajuda à simpática Marlene Pereira para nos guiar por este assunto.

 

A Romantis é uma das marcas da Fernando Rocha Joalheiros, uma empresa portuguesa com meio século de história. Esta linha de jóias que apresenta colecções particularmente românticas, destaca-se pelas alianças de casamento e anéis de noivado. A alta qualidade, o desenho moderno, a cravação perfeita, as formas volumosas e o acabamento cuidado são os argumentos principais para a distinção da marca.

Aneis de noivado com pérola e diamantes, da Romantis Anel de noivado com diamantes e ouro branco, da Romantis.

Feita a apresentação, passamos ao processo:

«O primeiro passo para procurar o anel de noivado perfeito passa por compreender o gosto de quem o vai receber: se sonha com um anel de noivado tradicional e clássico, como um solitário, se adora anéis mais complexos e com mais detalhe ou o seu oposto, singelo e discreto.»

 

Façam o vosso trabalho de casa, a solo ou com a ajuda de um cúmplice – uma amiga, um familiar, alguém bem próximo que possa observar e perguntar, de forma desinteressada, como se o assunto não fosse, de todo, o assunto!

Com uma ideia em mente, procurem uma ourivesaria com tradição, uma loja que vos transmita confiança e que tenha bastante variedade em anéis de noivado, para que possam ver e experimentar vários tipos e perceber as diferenças. Como em todas as etapas da organização do casamento, é importante definir o orçamento final, para nivelar as expectativas e procurar em conformidade.

 

Uma dica particularmente relevante: invistam no anel, mas também no momento da pergunta mágica.

Como diz a Marlene e muito bem, um anel poderá ser trocado, mas o momento não. A magia do pedido, o cenário, o contexto, o momento, emprestarão um brilho adicional ao anel que escolherem.

Para acertar no tamanho correcto do anel e no gosto de quem o vai receber, voltem a recrutar um ajudante e confiem na vossa intuição. Como base, levem um dos seus anéis (que use com frequência e no dedo certo) à ourivesaria e assim confirmam que compram o anel de noivado com a medida correcta.

 

Ultrapassada a logística, vamos aprofundar os detalhes específicos; material, modelo, corte, etc. – aquilo que define um anel de noivado.

Começamos pelo metal que podem escolher, platina ou ouro, e de que cor – branco, amarelo, rosa ou bicolor.

A seguir, o modelo. Os principais modelos de anel de noivado são o anel solitário clássico, com um diamante no centro; o anel com diamantes no aro (que podem ocupar metade ou a totalidade da peça); o anel com um diamante no centro e diamantes à volta do diamante central e com a opção de diamantes no aro; o anel em que o centro é formado por diversos diamantes parecendo um único diamante e que pode ou não ter diamantes no aro; e o anel com um diamante central com a opção de diamantes no aro. Há ainda outras variantes, que podem ser uma bonita pérola (super clássico!) ou uma fila de diamantes de corte baguette (um formato inesperado e de momento, o meu favorito!)

Aliança de noivado com diamantes e ouro branco, da Romantis. Anel de brilhantes e ouro branco, da Romantis.

Vamos a valores. Os factores de variação de preço são, essencialmente, as pedras e o metal.
O tamanho do diamante, a quantidade de diamantes que a peça tem e os seus quilates podem variar bastante. O peso do ouro também faz oscilar o preço das jóias e aqui temos de incluir a variante cotação de mercado, já que o preço do ouro também sofre solavancos.

Ao fazer um investimento numa peça valiosa com tantas características particulares, como um anel de noivado, é fundamental saber em concreto quais as características da jóia que vão comprar. Jóias deste calibre devem vir sempre acompanhadas de um certificado de autenticidade, que permita atestar o seu valor, controlando dados importantes como o metal, gemas e peso da jóia. A Romantis disponibiliza um certificado assim, com garantia das gemas e metais incrustados em todas as peças de diamantes comercializadas.

 

Com a caixinha mágica no bolso, está na hora de começar a planear o momento do pedido. O nosso melhor conselho é estar alinhado com a natureza de quem vai partilhar o momento convosco. Noiva tímida e reservada? Nada de surpresas em público, sob o olhar de amigos e família. Menina festiva e expansiva? Façam-na sentir-se a estrela do momento, com palmas, fotografias, tudo e tudo.

 

Pensem neste momento com o mesmo cuidado com que escolheram o anel certo – esta será a primeira memória da vossa vida como família e isso é muito especial!

Deixamos umas sugestões rápidas, só para vos por a pensar (que os melhores masterminds deste assunto serão sempre vocês): que tal uma viagem a dois, com um momento super romântico e surpreendente pelo meio? A I Go Travel pode ser a parter in crime perfeita para um pedido inesquecível.

Ou o registo fotográfico do momento, para rever depois das grandes emoções? Ou se há uma ideia mais eleborada que precisa de uma mãozinha profissional para tomar forma (como foi o pedido de casamento do Ricardo à Catarina, do qual fomos cúmplices, juntamente com a Romã Eventos e a Jardin d’Epoque, que já mostrámos aqui), falem com um organizador de eventos.

 

Sobram dúvidas como escolher o anel de noivado? Falem connosco ou passem pela página de perguntas frequentes da Romantis. E não deixem de acompanhar as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Dicas para casar: criar um signature cocktail para o vosso casamento

Continuamos a apostar no conceito dos casamentos intimistas e, nas dicas para casar de hoje, falamos de uma personalização muito especial: um signature cocktail, uma bebida alcooólica (ou não), criada exclusivamente para o vosso momento, pelo vosso serviço de catering ou bar.

 

Ora uma das grandes vantagens deste formato de casamento é a sua escala mais pequena, que, como já falámos aqui, permite todo um outro nível de personalização de serviço e objectos. Esta personalização espalha-se a praticamente tudo o que poderão contratar no vosso acsamento e uma uma bebida bonita e saborosa que passa a ser também uma coisa só vossa, a repetir em aniversários de casamento ou em outras ocasiões especiais, e que conta, de alguma forma, a vossa história, é uma ideia fantástica!

 

Cocktail para casamento intimista

O processo de criação pode parecer-vos demasiado complexo, não percebem nada do assunto, e têm muitas incertezas sobre a ideia. Nada a temer, falem com o vosso fornecedor de catering que terá profissionais à altura para vos ajudar nessa tarefa. Nesse caso, só terão que definir alguns pormenores e (a parte melhor) ir provar as propostas para decidirem: a cor do cocktail (harmonizem com a decoração do casamento); um elemento distintivo que vos agrade particularmente (pode ser uma fruta que associem a uma viagem, ou uma bebida de um filme de que ambos gostem muito, um determinada forma de copo que prefiram; bebidas-base preferidas e aquelas que não querem de todo, que façam parte da mistura; e o nome, uma parte essencial!

 

Cocktail para casamento intimista

Chegou, então, a altura de fazer experiências! Normalmente a vodka é considerada a bebida-base mais neutra, mas é evidente que o rum e a tequilha, são amplamente apreciados, e o gin já tem inúmeros produtores nacionais, e premiados!

 

Não vale a pena complicar: apostem em ingredientes de qualidade em vez de se focarem na quantidade. Boas bebidas espirituosas, sumos naturais, frutas e/ou legumes frescos são imprescindíveis. Depois, é tudo uma questão de equilíbrio. Pensem no sabor, nos vossos gostos, mas não descurem a apresentação – afinal, é um dia especialíssimo e os brindes estarão em grande destaque.

 

Se ficam indecisos entre os gostos de um e os gostos de outro, peçam dois signature cocktails, em nome de cada um de vocês, mas disponibilizem-nos generosamente pois muitos dos convidados quererão, certamente, provar ambos. Juntem também uma terceira opção, igualmente vistosa, pensada e saborosa, sem álcool – os miúdos e os graúdos ficarão deliciados e todos poderão brindar em simultâneo, com muito estilo!

 

Cocktail para casamento intimista

Nada de palhinhas, uns copos de arrasar e detalhes de encher o olho farão a festa! Gostamos tanto desta ideia que temos uma pastinha reservada para o assunto no Pinterest: espreitem o nosso Tchim tchim! São precisamente de lá estes cocktails de aspecto delicioso!

 

Sobram dúvidas? Falem connosco! E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira, que vos ajudarão a trilhar este caminho até ao mais bonito dos dias, de forma sabedora e tranquila!

Susana Pinto

Dicas para casar: decoração do casamento DIY

Hoje  quero deixar-vos algumas sugestões para um casamento DIY, no que toca à decoração.

 

Agora que temos em mãos um conceito de casamento muito mais intimista no que toca à sua dimensão, é natural que vejamos alguns serviços a ganharem um caractér mais qualitativo, o que é óptimo: com um orçamento que encolhe na sua escala total, as parcelas nominais, que dizem respeito às flores, ao catering e aos detalhes de estacionário, por exemplo, podem aumentar e oferecer aos convidados uma experiência mais rica e sofisticada.

 

Este é um caminho possível, mas se tivermos em mente manter aquela festaça com que sonhámos, adiando-a para quando fôr recomendável, neste momento organizamos uma celebração pequenina e muito personalizada.  Uma opção para manter este carácter “muito lá de casa” é arregaçar as mangas e dar asas ao talento DIY.

Com tanta informação disponível hoje em dia, com tanta inspiração fantástica e tanta gente competente a partilhar o seu conhecimento, é natural que já tenham ideias muito precisas acerca do ambiente que pretendem para o vosso casamento e se sintam com vontade de criar o cenário desejado pelas vossas próprias mãos.

 

Para um projecto DIY  com sucesso, comecemos pelos custos: calculem detalhadamente o dinheiro e o tempo (vosso e dos vossos ajudantes) que irão dispender (atenção às parcelas invisíveis, como gasolina, deslocações, compras avulso, etc.), pois a decisão de assumir a decoração do vosso casamento pode não resultar na poupança que aparenta. Se, à parte disso, querem mesmo fazê-lo por questões de personalidade e gosto, estas são algumas das sugestões que achamos importante partilhar.

 

Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral

Considerem bem os timmings e as tarefas necessárias. Para além do vosso tempo livre, a maior parte delas terá de acontecer na véspera e no próprio dia (montagem e desmontagem), que são os dias mais intensos e ocupados. Certifiquem-se de que os vossos ajudantes estão disponíveis e devidamente informados, e deleguem e confiem. A falta de experiência será um factor, mas os imprevistos e solavancos resultareão em histórias para contar nos dias de sol.

 

Se estão a pensar em comprar jarras, jarrinhas, copos, velas, molduras, têxteis e outros acessórios e miudezas, pensem antecipadamente no que irão fazer a todo o material a seguir. Podem oferecê-lo aos vossos convidados (jarras e jarrinhas com flores, molduras com uma foto vossa, por exemplo), mas podem considerar outra solução mais interessante e sustentável – o aluguer de material para decoração de casamento! A norte podem contar com os serviços da Inspirarte e mais cá para baixo, com  a Design Events Rentals. Se vos faltam sofás, cadeiras ou mesas, na logística mais pesada, ou apenas pequenos detalhes como umas almofadas coloridas, tealights, jarras ou candelabros para compor uma mesa mais especial,alugar pode ser a melhor das ideias!

 

Escolhido o material de decoração, vamos aos complementos: as flores e o estacionário. Como sempre, recomendamos flores da época e nacionais, mais acessíveis e resistentes, e a entrega da tarefa a quem tiver mais jeito de mãos, contabilizando ensaios feitos com tempo. Se colocar flores numa jarra parece ser uma coisa simples, desenganem-se, que é preciso talento! Posso vos garantir que compro flores frescas quase todas as semanas e jeito para as compor na jarra é coisa que me continua a faltar, mesmo vindo de uma área criativa e muito visual Não tenho dificuldades na escolha das cores e texturas, mas a composição estrutural de um arranjo é todo um outro assunto!

Fazer um arranjo bonito requer mais talento e paciência do que parece, multiplicá-lo, transportá-lo e montá-lo (se fôr o caso) no dia seguinte é só para quem tem nervos de aço, capacidade de organização e gestão de tempo!

 

Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral

Podem comprar as vossas flores nos grandes distribuidores e produtores, por grosso, reservando um dia para as limpar e preparar, acomodando-as sempre em local fresco e escuro: se casam num sábado, encomendem-nas numa terça-feira e vão buscá-las na quinta-feira. A probabilidade de haver surpresas é grande quando são encomendas de espécies que vêm de fora; por isso, joguem pelo seguro, sem grandes invenções, e apostem no que é nacional e robusto.

Depois de feitos os arranjos, não se esqueçam de acomodar devidamente o seu transporte: pouca água – preenchem com mais já no local -, tudo colocado em caixas, bem travado, e uma condução delicada. Em alternativa, podem levar a matéria-prima para o local e contar com o tempo para os fazer. Atenção, será sempre o dobro do que imaginam!

 

Quando temos menos convidados, podemos dedicar uma atenção mais personalizada a cada um. Isto é algo simples de transmitir através do estacionário adicional: cartões nominais para marcação de lugar, mensagens doces aqui e ali, cartões de agradecimento personalizados, ementas detalhadas e tudo o mais que vos possa ocorrer para tornar a celebração mais acolhedora e especial.

É provável que por estes dias estejamos a falar de uma escala mais pequena para tudo e a opção DIY tenha mais a ver com gosto e talento do que factores financeiros. Neste caso, a vossa florista local pode ser uma opção e a logística um pouco mais simplificada – mas o tempo será sempre necessário e nestes dias parece ser mais curto!

 

Agora que já estão a par deste lado mais operacional, vamos abraçar o processo criativo. Ferramentas: Pinterest, caderno de notas (ou ferramenta digital equivalente) e folha de orçamento (sempre!).

A inspiração é muita, há milhares de imagens disponíveis com cenários lindos de morrer, mesas fantásticas, bouquets de perder a cabeça, e é natural que passem por uma fase de indecisão, mesmo que já tenham alinhavado generosamente as vossas pastas do Pinterest. Não se preocupem: haverá um fio condutor a emergir naturalmente. Um conjunto de cores que é constante nas imagens seleccionadas, ideias e elementos decorativos que se repetem, flores e formas que estão sempre presentes. Escolher uma paleta de cores como base é um óptimo ponto de partida; definir um estilo que funcione com o espaço é outra parcela importante da equação.

 

Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral

A decoração tem o dom mágico de transformar um espaço sem interesse em particular num local acolhedor e bonito, preparando-o para ser o cenário perfeito do vosso casamento, presente em todas as imagens registadas ao longo do dia. Às vezes é preciso um grande investimento, mas muitas vezes nem por isso, apenas olho clínico para definir os pontos que farão a diferença.

 

Peguem nas vossas notas e revejam os pontos fortes e fracos do espaço escolhido. Com isto em mente, acertem um estilo e definam o ambiente que querem ter, a tal paleta de cores, o tipo de iluminação e os detalhes, incluindo o design floral. Se há uma regra a respeitar, é esta: espaço e ambiente devem estar em sintonia. Se escolheram um sítio com cariz histórico, dificilmente funcionará com uma decoração contemporânea ou demasiado descontraída: façam escolhas simples e elegantes, tirem partido da grandiosidade do local. Para amaciar o ambiente austero, a solução é uma decoração floral à séria, elegante, sofisticada: brancos e pastéis, ou apenas uma cor, e, para um toque romântico,  muitas e muitas velas (nada de luzes frias e gerais).

 

Se optaram por um espaço sem características que saltem à vista, direccionem a atenção para as mesas. Cor e um ambiente caloroso são as palavras de ordem, com flores de cores fortes e detalhes bonitos. Para tornar a sala mais interessante, trabalhem a entrada com arranjos florais, escolham um ou dois recantos, adicionem uns sofás, flores de dimensões generosas e velas de tamanho XL. A transformação será enorme!

Se houver espaço no orçamento, peçam copos coloridos (para dar um ar da sua graça à loiça básica que compõe o serviço). Aqui a regra é tornar o ambiente caloroso através da cor e limar as arestas com cantinhos simpáticos.

 

Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral Inspiração para decoração de casamento DIY em tons coral

Vão casar ao ar livre? Que bom e que desafio! Terão certamente espaço com fartura e muitas dúvidas acerca de por onde começar. Uma regra básica é orientar as mesas para uma zona pouco ventosa e com sombra. Para o catering, é importante que estejam perto do edifício principal; e, com isto em mente, é só desenhar o resto do plano. Se possível e se têm arvoredo em quantidade razoável, dispensem a tenda e apostem em toldos ou velas penduradas entre as árvores, é suficiente para criar zonas de sombra. Se optaram por jantar, troquem as mesas redondas por quadradas ou rectangulares, corridas (ou ambas), e toalhas simples de algodão – se os tampos estiverem em condições e forem bonitinhos, um runner de linho ou papel será suficiente. Juntem loiça branca ou desemparelhada, idem para os copos, somem arranjos florais com uma bonita mistura, descomplicada e harmoniosa, e terão um resultado boémio e chique.

 

Preparem uma sala de estar ao ar livre, para que os vossos convidados desfrutem verdadeiramente do campo e do ambiente romântico que se instala ao pôr-do-sol: sofás confortáveis, movéis de rattan ou colchões com pés (ou sobre paletes), com tecidos bonitos; não se esqueçam de mesinhas de apoio, uns leques para o calor, chapéus para quem veio desprevenido (e protector solar disponível na casa de banho), cinzeiros e mantinhas leves para a noite, assim como alguns repelentes de mosquitos, orgânicos e de cheiro aceitável. Para rematar, luzinhas de feira ou de natal e uma pista de dança feita com mosaico de madeira, comprado, em peças de 1m2, nas lojas de bricolage: evita a poeira, o desgaste do relvado e o desalinho do terreno.

 

Não cobrimos aqui todas as variantes possíveis de uma decoração DIY – mas partam deste esquema e acrescentem-lhe a vossa personalidade.  E acima de tudo, tenham em conta o tempo que as coisas demoram a concretizar e a imensa quantidade de solicitaçãoes no dia.

Mesmo com uma celebração intimista com apenas duas mãos cheias de convidados, não queremos mesmo nada que se sintam assoberbados com as tarefas que decidiram abraçar. A única fórmula de sucesso é planear com clareza e contabilizar o dobro do tempo estimado!

 

Espreitem algumas das ideias de decoração DIY para casamentos que fomos partilhando por aqui.

Imagens do dia bonito de Megan + Aaron, via Junebug Weddings.

 

Sobram dúvidas? Falem connosco! E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira, que vos ajudarão a trilhar este caminho até ao mais bonito dos dias, de forma sabedora e tranquila!