Created with Sketch.
Susana Pinto

O poder das palavras no casamento

As palavras e o casamento podem não ter a mais evidente das relações, mas a verdade é que o poder das palavras pode aportar muito à vossa celebração.

 

Quantos de nós afirmam, com convicção, que não têm “jeito para as palavras”?

Não as manobramos com a agilidade e clareza necessárias para transmitir o que nos vai no coração e, na hora de escrever algo memorável e relevante, sentimos que o que nos sai não expressa a intensidade daquilo que temos cá dentro. Se as palavras que escrevemos fluissem como os pensamentos que temos, iriam espelhar os sentimentos que burbulham – o amor, a gratidão, a admiração.

 

Continuamos a série iniciada pela Alexandra Barbosa (A Pajarita),  “Preparar o caminho, descomplicando-o”, e hoje o assunto é o poder das palavras no casamento. Vamos detalhar a importância e papel do texto nos vários momentos chave do vosso casamento: o convite, os votos de casamento, os discursos e brindes, e os agradecimentos.

 

Como escrever os votos do casamento

A nossa relação com as palavras começa no primeiro momento do vosso caminho até ao dia do casamento: no texto do convite, o seu conteúdo e a sua forma.

O texto do convite pode ser mais ou menos formal – espelhará o espírito da festa e sugere, desde o primeiro momento, como será o dia.

A sua dimensão e disposição também podem ter várias formas, que são camadas de contexto para a vossa festa. Esta informação pode ser mais detalhada e incluir um bonito texto, ou ser mais sintética, focada na informação relevante.

A informação que decidem escolher e a forma como o vão fazer, determina o tamanho do convite. Ponderem sempre a dimensão do convite em conformidade com a quantidade de texto que irão compor, para que tudo respire e tenha o seu lugar, com a leveza e elegância que o acontecimento pede.

 

À medida que a data do vosso tão desejado dia se aproxima, a vontade de dominar as palavras e a necessidade de fazer delas o espelho da vossa alma vai aumentando – e, possivelmente, também os nervos!

 

Chegou o momento de escreverem os vossos votos de casamento.

Os votos são uma reflexão sobre a vossa união, sobre os fundamentos do vosso amor, sobre o vosso caminho passado e futuro. Quando juramos amor eterno, usamos palavras que vêm do coração, que somam tudo o que vivemos, separados e juntos, o que nos liga e nos expande, o que nos define como dois e como unos.

Este é um dos picos emocionais da cerimónia, quiçá o único momento só vosso. Não é uma tradição nacional, mas tem vindo a conquistar-nos: o tempo pára num instante absolutamente mágico e comovente, feito de muita emoção e coragem. Serão o foco da atenção de uma centena de pessoas, à frente das quais expõem o vosso coração de forma clara, emocionada e transparente. É de arrepiar!

 

Personalizar os votos de casamento, os dela e os dele, é algo muito especial e significativo, e dedicar este momento ao companheiro que escolheram para partilhar o resto da vida é uma montanha russa de emoções.

 

Como escrever os votos de casamento

A Manuela Azevedo, dos Clã, canta lindamente este “problema de expressão”.
E se a nossa capacidade de escrita não é capaz de expressar a intensidade e qualidade do que queremos dizer?

 

Há muitas formas de verbalizarmos o que vai cá dentro, e o que dizemos e como o dizemos deve estar alinhado com a nossa personalidade. As palavras podem ser gentis, com graça ou mesmo poéticas, cada noiva e noivo terá a sua forma de se exprimir.

Sabemos que o caminho até ao casamento é feito de muitos nervos e ansiedades, é preciso fazer escolhas certas, agradáveis a muitos e aos próprios, há uma expectativa para cumprir, na nossa cabeça e achamos, também, que na dos outros, e ainda vamos ter que por o coração cá fora? Como é que isto se faz, como é que vou verbalizar todo o sentimento que tenho por ti?

É um medo natural. Aceitem-no, mas não o valorizem.

 

Juntem ideias e usem o vocabulário com que se sentem mais confortáveis, é muito importante sermos nós mesmos, autênticos. Respirem fundo, pensem no que vos levou até este bonito compromisso, e tomem as vossas notas, de forma simples e sincera. Saltem as frases feitas e discursos comuns e genéricos. Não somos todos poetas ou escritores, mas todos conhecemos a sensação de amar alguém.

 

No entanto, se querem muito viver este momento e sentem que escrever os votos vos está a tirar o sono e a tornar-se numa tarefa pesada, peçam ajuda profissional.

A Rafaela Martins, que assina como Somos as Palavras, está à vossa disposição para desatar o que vos vai no coração em belas palavras de viva voz.
Contem-lhe a vossa história, tudo o que anseiam dizer à vossa cara-metade, e das vossas palavras tímidas mas sentidas, nascerão os votos de casamento que são a vossa essência e a vibração do vosso amor.

Fará a diferença, o que podia ser apenas mais um momento da cerimónia tornar-se-á num momento inesquecível para todos os que testemunham a vossa união. Já falámos dos arrepios, não foi?

 

Tanto esforço, empenho e magia não se vão esgotar aqui, há que lhes dar uma forma palpável, para que possam ser guardados ao alcance das mãos. Para imortalizar este momento, falem com o vosso fornecedor de estacionário e peçam-lhe que vos desenhe estes votos de casamento num bonito papel a combinar com a restante linha gráfica. Funcionará como uma cábula que dá suporte aos muitos nervos e tremeliques de voz e mãos, facilita a leitura, e é uma recordação bonita que trará uma elegância ao registo fotográfico e videográfico do momento.

 

O mesmo se aplica aos discursos e brindes. Em Portugal ainda é algo recente mas que acabará por conquistar o seu devido espaço no planeamento do casamento, porque é outro momento mágico e cheio de emoções, entre gargalhadas e lágrimas no canto do olho.

Esta tradição estrangeira, que tão bem conhecemos dos filmes de comédia (há sempre um padrinho desbocado e um momento de vergonha alheia) ou dos bonitos vídeos de destination weddings que vão acontecendo por cá, pode aportar à vossa festa um momento especial para vocês ou de vocês para alguém que queiram homenagear e celebrar, como os vossos pais ou alguém importante na vossa relação.

 

Por norma, estes discursos e brindes são feitos por quem vos conhece muito bem – como os padrinhos, irmãos e pais, ou por vocês próprios, verbalizando o quanto gostam desta/s pessoa/s, recorrendo a história vividas, momentos hilariantes ou mesmo recordações comoventes. O importante é demonstrar todo o amor e gratidão pelos momentos partilhados, e o quão é significativo, para todos, estarem juntos neste dia e neste momento do vosso percurso de vida.

Os discursos e brindes acontecem quando já estamos todos mais descontraídos, bem comidos e bebidos. São momentos memoráveis e muito felizes e merecem também o vosso investimento.

 

Para se tornarem memórias que nunca vão querer esquecer, não poupem no amor que lhes dedicam e, se continuam a não se sentir confortáveis com a escrita, a Rafaela Martins vai novamente em vosso socorro, criando um texto claro e emotivo que ninguém irá esquecer.

E tal como nos votos, estas palavras e gestos podem e devem ter uma forma física para que os guardem como recordação. Inclusive, uma ideia muito bonita é incluir os discursos na vossa linha de estacionário e oferecerem-nos aos homenageados. Garantimos muita emoção nesse gesto de entrega!

 

Em jeito de brincadeira e de forma a ilustrarmos com clareza o impacto das palavras e o quanto isto pode ser bonito e especial, a Rafaela imaginou e escreveu um discurso de agradecimento da noiva para os pais, e eu dou-lhe voz:

 

 

É toda uma experiência, não é?

 

Seguimos então para os agradecimentos finais. A festa superou as expectativas, a lua-de-mel não podia ser melhor e estamos de regresso.

Com calma e gentileza, preparamos um cartão de agradecimento.

 

Num bonito gesto de reconhecimento, agradecemos o contributo indispensável de todos os que fizeram parte do nosso dia e que o tornaram tão bonito e memorável. Um cartão por família é suficiente. Sendo destinado a várias pessoas e de faixas etárias diferentes, o texto deve ser claro mas não elementar. Dediquem tempo a quem fez o esforço para estar presente no vosso dia. Sozinhos ou com a ajuda da Somos as Palavras, construam um parágrafo de coração aberto e cheio de gratidão, afinal estas são as pessoas escolhidas para fazerem parte da vossa história.

 

A Rafaela deixa-nos este último comentário:

“Ao optarem por dar destaque às palavras, quer seja nas diferentes peças de comunicação quer seja nos vossos votos de casamento e discursos, e decidirem abandonar tudo o que são frases feitas, terão mais uma bonita forma de contar a vossa história, transparecer a vossa identidade e tornar o dia ainda mais especial – mais vosso.
Façam um exercício de introspecção… Escrevam, passem para o papel o que sentem e esperam deste momento, e usem as palavras da forma mais pessoal possível. Ou, se sentirem um entrave entre o coração e o papel, peçam ajuda a quem vos possa ouvir e consiga materializar com ternura aquilo que sentem. Escolham a opção que vos for mais confortável mas não desvalorizem esta oportunidade de abrirem o coração a quem escolheram ter por perto neste momento.”
Susana Pinto

Dicas para casar: os discursos de casamento

Hoje dedicamos as dicas para casar aos discursos de casamento.

Os discursos de casamento são, tradicionalmente, um costume anglo-saxónico. Por cá ainda somos muito tímidos com as palavras e quando os há, são simples e curtos, deixando de fora lágrimas, risos e todas as emoções mais fortes e histórias hilariantes e de fazer corar os noivos.

 

Eu sou particularmente apreciadora de discursos e de votos de casamento: acrescentar palavras bem medidas e anda mais bem sentidas a um dia de tantas emoções parece-me uma combinação extremamente feliz.

 

Reconhecendo que existe uma tradição e um figurino no que respeita aos discursos, irei abordá-los, mas, como em tantos outros aspectos da organização do vosso casamento, a palavra de ordem é «vosso». Adaptem, moldem, ajustem à vossa vontade e à vossa realidade. O que importa verdadeiramente é que possam todos ouvir as palavras de algumas das pessoas mais relevantes na vossa história comum.

Estes minutos de voz trémula e sonante com a ajuda de um microfone ficarão para sempre nas vossas memórias, assim como nas de todos os presentes.

 

Padrinho a fazer o seu discurso de casamento. Discurso de casamento dos padrinhosdiscursos de casamento

Convencionalmente, os principais oradores dos discursos de casamento são o padrinho do noivo e a madrinha da noiva, os pais dos noivos e, claro, o próprio casal. Agora, estamos a falar do padrão. Os discursos decorrem pelo final da refeição, quando todos estão mais relaxados e bebidos, é altura para os brindes, e quem abre o palco, digamos assim, é o anfitrião.

 

Lá está, tradicionalmente este papel cabe aos pais da noiva, mas se são vocês os responsáveis máximos pela festa, então deverão ser vocês os primeiros a falar. A ideia é celebrar a união das duas famílias, agradecer a presença dos convidados e dizer algumas palavras simpáticas sobre os recém-casados. Passa a palavra para o padrinho do noivo, seguido da madrinha da noiva e, a finalizar, fala o noivo (ou ambos). Padrinhos e madrinhas contam, normalmente, histórias divertidas sobre o casal, rematando com algum sentimentalismo. E a vocês cabe-vos fechar o microfone com agradecimentos generalizados, algumas respostas aos desafios deixados nos discursos anteriores, e palavras doces para a vossa cara-metade. Podem finalizar com o convite para o corte do bolo, por exemplo, ou abrir a pista de dança, para desanuviar de tantas emoções!

 

Este é o croquis de base. A partir daqui, risquem e reescrevam o que for necessário para terem um plano que seja a vossa cara.

Se precisarem de ajuda porque vos faltam as palavras para revelar o que têm no coração, se não sabem por onde começar, então o vosso par perfeito é a a Rafaela Martins, que assina como Somos as Palavras e escreve criativamente para casamentos e ocasiões especiais.

 

escrita de votos de casamento Somos as Palavras escrita de votos de casamento Somos as Palavras escrita de votos de casamento Somos as Palavras

Algumas regras para que tudo corra sobre rodas:

 

  • convidem as pessoas que gostariam que discursassem no vosso casamento com muita antecedência, isso dar-lhes-á tempo de sobra para se prepararem, para vencerem alguma resistência inicial e se afeiçoarem à ideia e responsabilidade, para comporem o seu texto e para praticarem, caso sintam necessidade;
  • para os entusiastas mas tímidos e avessos a falar em público, sugiram a leitura de um texto pré-escrito (pode até ser uma bela citação ou excerto), os serviços da Somos as Palavras e deixem-lhes espaço para recusar, se se sentirem demasiado pressionados e ansiosos;
  • organizem bem a sequência dos discursos e informem cada interveniente acerca dessa mesma sequência: quando falarão, quem falará antes e depois, durante quanto tempo deverão discursar;
  • informem previamente os profissionais envolvidos sobre a dinâmica e sequência dos discursos: os chefes de sala, o fotógrafo e equipa de vídeo, o DJ e todos os que tiverem funções nos mesmos timings, para que todos estejam a postos;
  • estabeleçam, gentilmente, um limite: não é à toa que uma canção ronda os três minutos de duração. Entre três e cinco minutos deverá ser o tempo ocupado por cada discurso ou brinde. Sejam elegantemente firmes, para que não haja grandes desequilíbrios entre os diversos intervenientes e também para que toda a gente consiga manter a atenção do público do início ao fim;
  • nomeiem alguém da vossa inteira confiança para articular tudo isto no dia: um padrinho ou uma madrinha, a pessoa que vos pareça mais indicada para ir regendo a orquestra e para garantir que tudo acontece nos timings previstos;
  •  tenham lencinhos à disposição, porque há sempre quem não aguente as lágrimas nestes momentos.

 

As fotos que ilustram este artigo são do casamento de Jamie + Brian, captados pelo Hugo Coelho, que já publicámos aqui: fica clara a energia que enche a sala neste momento das palavras sentidas e cheias de risos e lágrimas – é fantástico!

 

Se esta ideia vos agrada, mas sentem-se tímidos nas palavras  e emoções, entrem em contacto com a Rafaela Martins, através da sua ficha de fornecedor e iniciem esta conversa.

Os dias que vivemos, com tantas emoções acumuladas, pedirão mensagens mais bonitas e especiais.

 

Se estão a tratar da organização do vosso casamento, acompanhem as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Histórias de amor, com Somos as Palavras – sempre ao sábado!

Hoje estreamos com doçura uma nova rúbrica, sempre aos sábados.

Chama-se Um amor (nunca) esquecido e nasce da escrita da Rafaela Martins, que assina como Somos as palavras – escrita criativa.

 

Apresenta-nos a Rafaela:

“Estas poderiam ser as recordações de um amor que começa agora, por força dos anos, a perder a memória. Ou as lembranças de um amor intenso que deixou expirar a validade. Poderiam até ser simples apontamentos, qual diário de bordo, de um amor que é tão fervoroso que mais vale escrevê-lo, para que as memórias não se dissolvam nos dias. Ou poderiam ser simples episódios e promessas de um amor que é sereno e leve, mas que fica tão bem em palavras.
É sobre o amor, que foi ele que nos trouxe aqui – e quanto a isso não há dúvidas.”

 

Escrita criativa para caamentos Somos as Palavras

Acompanhem o trabalho bonito da Rafaela Martins e entrem em contacto através da sua ficha de fornecedor.

Ela vai adorar escrever a história do vosso amor!