Created with Sketch.
Susana Pinto

Quatro madrinhas e uma noiva!

várias vezes falei aqui da marca Needle & Thread, e já uma das nossas queridas noivas se casou com um belo vestido destes… São lindos de morrer, muito românticos e esvoaçantes, com este pormenor curioso – o preço é interessante.

Ora esta semana entram em saldos (uns razoáveis 40%), e escolhi por lá quatro gloriosos vestidos para madrinhas (ou convidadas!) e um vestido de noiva pelo joelho – sempre tão especiais.

Querem ver?

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de noiva para casamento no Registo Civil

 

Vestido de noiva para casamento no Registo Civil

 

Vestido de noiva para casamento no Registo Civil

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Vestido de cerimónia para madrinhas

 

Não são épicos?

Vamos a nomes, preços e ligações.

De cima para baixo, 1. Sunburst Gown, que existe nesta versão comprida, numa versão curta e numa versão de decote subido, 280 euros; 2. Prism Ditsy Gown, em lilás, 380 euros; 3. Rainbow Gown, que existe nesta versão comprida, numa versão curta e em saia (adoro!), 226 euros; 4. Layered Lace Dress (o giríssimo vestido de noiva perfeito para um casamento no registo civil), 275 euros; e 5. Iris Cami Dress, o curto, 260 euros.

Interessante, não? Esqueçam o low cost – o mindset certo, neste assunto de casar, é sempre o modo smart saving – comprar bom e bem, e este é um perfeito exemplo disso.

Passem pelo site e deliciem-se com as peças bordadas. Se estão para casar e o vestido ainda não está decidido, maravilhem-se com a secção Bridal. É uma tentação!

 

 

Susana Pinto

Marta + André, um casamento campestre e oh so chic!

Damos as boas vindas a Maio, o nosso mês de festa (festejamos o 7º aniversário online, imaginam…?)! Esta semana fechamos com o casamento campestre e totalmente chique, da Marta + André, em Águeda, com uma passagem pela Curia, cheio de detalhes maravilhosos, capºtados pela lente da dupla Momento Cativo.

A Marta escolheu um colorido vestido da Needle & Thread (é sempre giro encontrarmos alguém com a mesma visão que nós!), que fez acompanhar por umas deliciosas sandálias douradas (yet again, tenho iguais, vermelhas!), tudo numa sintonia simplesmente elegante e festiva. Tudo o resto acompanha, sendo a felicidade geral, o fio condutor.

Que bonito que foi este dia e o caminho até lá!

Bom fim-de-semana!

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?
Pensámos sempre no nosso dia como uma celebração muito natural, rodeados de amigos e família, num espaço descontraído onde todos nos sentíssemos bem.

 

 

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?
Claro que ao longo de mais de um ano de preparação houve altos e baixos… momentos em que estávamos entusiasmadíssimos, outros em que percebíamos que não era tão fácil concretizar a nossa visão e que desanimávamos um bocadinho, mas ao longo de todo este tempo estivemos sempre muito calmos, tentámos desfrutar ao máximo desta experiência.

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?
Soubemos desde sempre que o nosso dia seria 9 de Junho mas só percebemos mesmo que se ia concretizar quando encontrámos um espaço como queríamos e fechámos com a quinta. Até lá, parece sempre que ainda não é bem real, que tanto pode ser naquele dia como em qualquer outro, naquele ano ou no próximo… Escolher o local onde tudo se vai realizar é a materialização de tudo!

 

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?
Quando se fala em casamento, todos temos uma ideia do que gostaríamos de fazer. Achamos sempre que é possível fugir ao convencional e fazer diferente. Sempre quisemos que este fosse um dia de festa, descontraído, sem grandes formalidades. Conseguir receber todos numa casa de família foi logo a primeira opção que rapidamente se revelou impossível dada toda a logística. Depois de sermos chamados à realidade, tivemos apenas que encontrar o melhor local e os fornecedores certos para nos ajudarem na realização deste dia. Se pensarmos apenas no local, não foi fiel às ideias iniciais, mas na verdade foi ao encontro de tudo o que sempre imaginámos. Conseguimos fazer uma cerimónia ao ar livre, intimista, rodeados por uma natureza incrível, num cenário que estávamos longe de imaginar ser possível. Seria também de todo impossível sem o apoio dos nossos pais que desde o primeiro dia puseram literalmente mãos à obra connosco, para conseguirmos materializar tudo da forma personalizada que queríamos. Desde pendurar painéis no tecto, até construir um bar de raiz, as nossas ideias só se tornaram possíveis com a ajuda incansável que nos disponibilizaram!

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?
Era fundamental para nós termos a presença dos nossos familiares e amigos mais próximos. Conseguir estar com todos e dar um bocadinho de atenção a cada um deles era uma preocupação. Queríamos que fosse um casamento bonito, com bom tempo para usufruirmos da natureza, com boa comida para que todos saíssem satisfeitos, boa música e, acima de tudo, boa disposição. Sem importância? Talvez tudo tenha tido a sua importância, na verdade… Talvez o vestido de noiva tenha sido mesmo o elemento com menos preocupação no meio de tudo…

 

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?
O mais fácil foi decidir a data. Na manhã seguinte ao pedido, acordámos e decidimos que seria a 9 de Junho. Queríamos uma data especial, que não se sobrepusesse a nenhuma das nossas datas já existentes. Foi basicamente uma data a pensar no futuro… Pensámos que casar na véspera de um feriado era a melhor ideia para que todos os anos pudéssemos celebrar a data da melhor forma e não pensámos duas vezes!
O mais difícil foi decidir o local e cumprir com o budget que tínhamos em mente. Fazer um casamento low cost com as exigências que tínhamos foi mesmo uma utopia que nos custou a assumir logo de início. Depois de percebermos que para andar com as coisas tínhamos que ceder em algum ponto, tudo se tornou mais simples…

 

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?
A cerimónia foi sem dúvida o pico sentimental do nosso dia… As leituras dos nossos familiares, os discursos dos nossos padrinhos e, claro, os nossos votos, foram momentos em se tornou quase impossível conter as lágrimas.

 

 

 

 

E o pico de diversão?
O pico de diversão chegou depois do jantar, quando todos estávamos mais descontraídos mas na verdade, também, antes do próprio casamento. Como ficámos alojados com pais, avós e padrinhos num hotel na noite anterior, acordámos todos no mesmo sítio, o que tornou o dia logo animado desde o pequeno-almoço. No quarto da noiva viveram-se momentos absolutamente inesquecíveis, de pés descalços, entre maquilhagens e pregos no pão, comidos a correr. Mas o mais inesperado surgiu mesmo à noite, quando os padrinhos desafiaram o noivo para dançar!

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…
O bambi! Este foi provavelmente o pormenor mais especial do nosso casamento e que praticamente só nós nos devemos ter dado conta mas que, na verdade, foi verdadeiramente inesquecível para nós. Este foi um dos motivos, aliás, que nos levou a escolher a quinta Cheiro DʼAlecrim. A quinta assemelha-se muito a um parque natural e numa zona da propriedade tem veados. Poder fotografar com um deles foi inesquecível. Afinal, quem pode dizer que alimentou um veado em pleno casamento?

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?
Não mudávamos nada. Foi um dia inesquecível, irrepetível e que vamos guardar para sempre como um dos melhores da nossas vida.

 

 

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Desfrutem o momento. Desde a preparação até ao próprio dia, é importante que façam uma celebração a pensar em vocês e que consigam relaxar até lá. Tentar fazer tudo com calma, estabelecer prazos para ter as coisas prontas e respirar fundo depois.

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Dois Igual a Três Lifestyle Agency;

local: Cheiro D’Alecrim;

catering: Francisco Vieira;

bolo: Teresa Pinto Basto;

fato do noivo e acessórios: Hugo Boss;

vestido de noiva e sapatos: vestido Needle and Thread, sapatos Bimba & Lola;

maquilhagem: Inês Mocho;

cabelos: Cristina, Góis Cabeleireiro;

bouquet: Cracha Wedding Agency;

decoração: Dois Igual a Três Lifestyle Agency com o apoio de Cracha Wedding Agency e Pilar Eventos;

fotografia: Momento Cativo;

video: Ctrl + N;

som e Dj: Francisco Aires Pereira.

 

Susana Pinto

Vestidos de noiva brilhantes!

Foi amor à primeira vista, esta minha relação com a marca inglesa Needle & Thread. Acho que nos conhecemos no Net-a-Porter, através de um top e de uma saia e daí para uma paixão fulminante e respectiva relação longa, foi um pulinho inevitável!

Subscrever as suas newsletters tem destas coisas: semana sim, semana não, chega-me um rebuçado guloso e açucarado… sempre estes vestidos, tops e saias incrivelmente bordados sobre tule, que vão conhecendo a companhia de novas peças como bomber jackets, jardineiras, calções, jumpsuits e um belo sobretudo de ganga (têm de ver, porque a descrição não lhe faz justiça!).

A juntar a esta maravilhosa mistura de trabalho artesanal com desenho contemporâneo, há o factor preço: todas estas peças são inesperadamente acessíveis, como podem ver (e comprar) no site da marca.

As opções para vestidos de noiva são muitas e estes são alguns dos meus favoritos:

 

 

 

 

 

 

 

 

De cima para baixo, Supernova midi dress, por 475 libras; Floral Border gown, por 225 libras; Floral Border dress, por 185 libras; Starlit midi, por 285 libras; Ditsy Scatter gown, por 375 libras (acho que é o meu favorito); Dragonfly Garden midi dress, por 325 libras e Prairie Rose gown, por 300 libras.

 

E se estes têm mais ar de vestidos de madrinhas e convidadas, prestem atenção à Colecção Bridal Spring/Summer 2017:

 

 

 

 

 

Os preços são mais robustos, mas vestidos de noiva são dignos de um conto de fadas!

Querem um conselho…? Subscrevam a newsletter para doses generosas de vestidos bonitos, dos que fazem suspirar!

 

Save

Susana Pinto

Vestidos de festa

Tenho andado de olho na marca inglesa Needle & Thread (com manufactura delicada na Índia), no Net-a-Porter: as peças são exuberantes e vistosas, mas os preços bastante aceitáveis para um vestido deste calibre. O meu favorito (branco, de mangas compridas, inteiramente bordado), já esgotou, mas as peças que acabaram de chegar, para a nova estação, não ficam atrás, ora vejam:

 

 

 

 

 

 

Parecem quase de inspiração minhota!

1. vestido comprido bordado, por 358,74 euros; 2. top (usado com saia), por 160,16 euros; 3. top (usado com saia) por 128,12 euros; 4. vestido curto, por 467,13 euros e 5. vestido curto, por 288,29 euros.

 

Susana Pinto

Uma questão de estilo, muito estilo!

 

 

 

 

Que cool e que estilo…! Grace Kelly revisited, absolutamente perfeito. O vestido, da casa MacQueen (de Sarah Burton) é grandioso, gosto tanto das pregas atrás…

Imagens via Google e Pinterest. E para saber tudinho:

 

“The dress’s beautiful, intricate train measures just two metres 70 centimetres – modest in comparison to many previous royal brides.

The train and bodice are decorated with delicate lace applique flowers, handcrafted using the Carrickmacross lace-making technique, which originated in Ireland in the 1820s.

Kate’s skirt resembles “an opening flower” with white satin gazar arches and pleats.

St James’s Palace said the bride chose British brand Alexander McQueen for the “beauty of its craftsmanship” and its “respect for traditional workmanship and the technical construction of clothing”. Kate worked closely with Burton, who was widely speculated to have won the coveted job to create the historic bridal gown, on the design.

 

“She had a vision in mind that she wanted to support the Arts and Crafts tradition,” St James’s Palace said. The Arts and Crafts tradition advocated truth to materials and traditional craftsmanship using simple forms and often Romantic styles of decoration.

The dress’s lace design incorporates the rose, thistle, daffodil and the shamrock – the four floral emblems of the United Kingdom.

The soon-to-be Duchess of Cambridge, who usually wears her hair fully down, choose a “Demi Chignon” for her wedding day instead.

Her tiara – the little known 1936 Cartier “halo” – was her “something borrowed” and was loaned to the bride by The Queen, a tradition for royal weddings.

The veil, which falls to just below her waist, is made of layers of soft, ivory silk tulle and is decorated with a trim of hand-embroidered flowers.

The top secret dress, which up to two billion people watching across the world were waiting to see, has sleeves – appropriate for a religious wedding in the holy surrounds of Westminster Abbey. Kate’s ivory satin bodice, which is narrowed at the waist and padded at the hips, draws on the Victorian tradition of corsetry – a hallmark of Alexander McQueen’s designs.

Down the back are 58 gazar and organza covered buttons fastened by Rouleau loops. The underskirt is made of silk tulle trimmed with Cluny lace.

The lace applique for the bodice and skirt was hand-made by the Royal School of Needlework, based at Hampton Court Palace.

Workers washed their hands every 30 minutes to keep the lace and threads pristine, and the needles were renewed every three hours, to keep them sharp and clean.

Individual flowers were hand-cut from English lace and French Chantilly lace and hand-engineered onto ivory silk tulle to create a “unique and organic” design, St James’s Palace said.

With the lace coming from different sources, great care had to be take to ensure that each flower was an absolutely identical colour.

Kate’s shoes were also hand-crafted by the Alexander McQueen team. Made of ivory duchesse satin, they also featured lace – hand-embroidered by the Royal School of Needlework.

The bride’s earrings were a touching wedding day gift from her parents, Carole and Michael Middleton. They were created by Robinson Pelham and are diamond-set stylised oak leaves with a pear-shaped diamond set drop and a pave set diamond acorn suspended in the centre.

They were inspired by the Middleton family’s new coat of arms, which includes acorns and oak leaves and was created to echo the tiara.

The earrings are the bride’s “something new”. For her “something blue” – a blue ribbon was sewn into the interior of her dress, while her “something old” is the traditional Carrickmacross craftsmanship used to create the bridal gown.

Kate Middleton’s bridal flowers are a shield-shaped wired bouquet of sweet William, as well as myrtle, lily-of-the-valley and hyacinth.”

 

Via The Daily Mirror.