Created with Sketch.
Marta Ramos

Decorar com madeira: apontamentos por Momentos com Design

No nosso último showcase  YOU + US = FUN! em Lisboa, havia uma pequena peça no cantinho decorado pelo casal Momentos com Design que chamou a atenção de praticamente toda a gente que por ali passou. Era apenas um pormenor – mas nós sempre dissemos que o segredo está nos pormenores, de facto. Tratava-se de um bloco de madeira natural, em formato de casa, com um parafuso gancho para ali se pendurar as alianças de casamento, e com a inscrição: «Home is wherever I am with you».

Hoje lembrámo-nos disso e fomos à procura de outros apontamentos em madeira usados nos trabalhos da Filipa e do Frederico. Agora que os dias estão frios e soalheiros, apetece imaginar uma magnífica festa de casamento de inverno, e a madeira não poderia ficar de fora de uma decoração mais aconchegante.

 

Momentos com Design - convites de casamento e decoração de casamento

 

Decoração de casamento - pormenores em madeira (9)

 

Decoração de casamento - pormenores em madeira (10)

 

 

Decoração de casamento - pormenores em madeira (7)

 

Decoração de casamento - pormenores em madeira (8)

 

Decoração de casamento - pormenores em madeira (6)

 

Os materiais naturais transmitem uma sensação tão confortável, não acham? Madeira e flores: aqui está uma combinação garantidamente vencedora! A Filipa e o Frederico concordam: eles gostam de ideias frescas, simples e elegantes,  de cores, aromas, sabores, sons, texturas. De criatividade e sintonia.  Gostam de celebrar e  de o fazer de uma forma bonita. Com alma, com personalidade, criando um ambiente mágico que as pessoas sintam. Esta é a sua forma de contribuir para um mundo melhor e mais bonito.

Acreditamos que passando Amor através do que criamos, esse Amor vai chegar a outras pessoas. É isto que nos motiva a criar ambientes e espaços bonitos e mágicos!

Nascida em 2010, a Momentos com Design é uma empresa especialista na arte de bem celebrar, que oferece serviços de design de eventos & styling de ambientes. A Filipa é a Directora Criativa & Magical Maker; o Frederico é o Responsável Logístico & Companheiro de todas horas. Juntos, fazem aquilo de que mais gostam e orgulham-se muito de perceber que os seus clientes sentem a sua mensagem e que os procuram por isso mesmo.

Procurem-nos também e falem-lhes da vossa ideia para o grande dia. Serão, garantidamente, recebidos de braços abertos.

Susana Pinto

À conversa com: Histórias com Alma – espaço para casamentos

Hoje sento-me à conversa com a Ana Freitas, que está à frente do belíssimo projecto Histórias com Alma, um espaço para casamentos muito especial, em Ponte de Lima. Ontem mostrámos aqui um pequeno e muito elegante exercício de estilo, e hoje falamos sobre tendências, escolhas e como fazer crescer um negócio.

Conheci a Ana Freitas e o Francisco Sousa quando o seu projecto Um dia de sonho estava a ganhar consistência, no nosso showcase  You+Us=Fun!, no Clube dos Fenianos, em 2012, no Porto. Apresentaram-se de forma impecável, mesmo sendo marinheiros de primeira viagem neste tipo de evento. Quando me contaram sobre a nova aventura da Casa Grande do Fontão, e mais tarde, me proporcionaram uma visita guiada, um dia muito bem passado e um delicioso jantar, não me restaram dúvidas de que seria um sucesso. Apenas desconhecia, certamente por falta de oportunidade, o talento e gosto apuradíssmo da Ana, para a decoração. Esta foi uma aventura que exigiu coragem, maturidade e golpe de asa. Isso não só é admirável, como comprova a qualidade e o profissionalismo deste dynamic duo!

Vamos conhecê-los e ao magnífico espaço para casamentos que é a Casa Grande do Fontão!

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Vieste da Engenharia, tens um pé (muito bem assente) na fotografia e estás à frente deste projecto ambicioso e de imensa qualidade que é o espaço Histórias com Alma.

O que te trouxe até aqui?

Provavelmente são poucas as pessoas que conhecem o caminho que percorri até aqui. Licenciada em Engenharia Metalúrgica e de Materiais, rapidamente percebi que o meu percurso profissional não passaria por polir amostras de aço e fazer testes de laboratório. Desde os tempos da universidade que já pegava nas ainda rudimentares máquinas e lentes que tinha e transportava momentos (alguns bem loucos e intensos!) para fotografias com um toque clássico e elegante. Via amigos a fotografar prédios, o metro, as pontes, ruas sujas, o pôr-do-sol e lugares da cidade (o Porto que me acolheu de braços abertos) e a sentirem-se realizados com a chamada “fotografia de rua”… mas eu nunca me senti atraída por isso. Desde sempre que gosto de fotografar coisas bonitas de forma bonita.

Depois, vivendo com o Francisco e caminhando lado a lado com ele, correria sempre o risco de, num piscar de olhos, estar envolvida em projectos maiores que a nossa pequena dimensão… Nasce assim a Um Dia de Sonho, quase sem darmos por isso. Começou por fazer parte da nossa vida e, lentamente (mas a passos largos), começou a ser a nossa vida e um projecto para o qual vivemos intensamente.

Mais tarde cresce a parceria com o Simplesmente Branco, e sentimos um reconhecimento forte da nossa marca e do nosso estilo de fotografar e filmar. Decidi começar então uma nova abordagem com os clientes que nos visitavam cá em casa e a ser muito exigente com eles. Não basta “está na hora de casar” porque queremos viver juntos, “viemos cá porque vocês são os fotógrafos da moda”, mas olhem que nós “nem gostamos nada de ser fotografados”! Vamos ter um casamento “intimista com 300 convidados” e a quinta “é bonitinha, toda moderna e fica pertinho de casa”. Decidi barrar completamente esse cliente e focar-me ativamente na procura de casais verdadeiramente apaixonados e apaixonantes. Começámos, então, a contar histórias.

Comecei a fazer menos casamentos e a ter mais tempo para mim. Investi em mim. E com isso passas a abrir mais vezes a porta da tua casa para receber os teus amigos. Apaixonas-te pela arte de bem receber. Gostas da sensação e do friozinho na barriga de “estarem quase, quase, a chegar” e a mesa ainda não está como idealizaste para aquela noite. “Põe aquele álbum da Maria Rita fantástico que me mostraste na outra noite, Francisco!”. Gostas do “Oh Ana, não temos pratos marcadores brancos para toda a gente… e agora?”…

Quem me segue no Instagram sabe que adoro cozinhar com alma, que adoro receber com alma. Sabe que transporto a cozinha para ambientes impecavelmente bem decorados e acolhedores. E assim surge a Histórias com Alma.

 

A imagem de marca da Histórias com Alma é, na minha opinião, um estilo rústico, elegante, muito contemporâneo, e minimalista. Concordas com esta definição?

É agradavelmente estranho ter uma percepção real sobre a forma como vês o meu trabalho. Contemporâneo e simples – sem dúvida.

Tento abordar cada evento e cada disciplina da Histórias com Alma (planeamento, decoração, estacionário e flores) de forma elegante e minimalista. “Menos é mais” (sempre me disseste isso) e já nos conhecemos há uns bons anos!

Talvez esta definição e abordagem nos defina a nós (Ana Freitas e Francisco Sousa) enquanto pessoas. Talvez esta definição personifique os nossos gostos pessoais. Talvez esta definição vá ao encontro dos clientes que nos procuram. Talvez.

 

Esta assinatura faz parte do ADN do espaço, ou é algo que escolheste como tendência e tema para este ano? Porquê?

Na verdade, intrínseco à marca Histórias com Alma está também a Casa Grande de Fontão que é um espaço com um solar limiano histórico que tem uma energia mágica muito própria, com raízes rústicas muito fortes. Este é o ADN do espaço que muito nos agrada mas que, ao mesmo tempo, nos permite multiplicar fórmulas e interpretações para os vários eventos de cada ano.

É muito bom ter um espaço com a personalidade da Casa Grande do Fontão. É muito gratificante sentir que os nossos clientes respeitam a história do solar (e as suas características) e a incorporam na forma como vão abordar o seu dia de casamento.

Todos os eventos que crio partem de uma parceria muito forte entre mim e o cliente. Eu limito-me a editar cada decisão que o cliente tem de tomar. Nunca permito que as ideias resvalem por falta de bom gosto e/ou exagero. Edito, edito e edito. Instruo e abro portas para visões que talvez o cliente nunca tenha pensado ou sequer saiba que existem. Edito e edito tudo mais umas quantas vezes, e apresento soluções para que o cliente se apaixone e fique confortável.

E, por vezes, tenho a sorte de trabalhar com clientes que me editam a mim! Há noivas com um sentido estético e conhecimento do mercado muito bons!

As tendências, na minha opinião, nascem das parcerias. Nascem da discussão. Nascem do erro. Nascem do fazer.

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima
Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Eu diria que quando são um assunto de trabalho, é bom sinal.

Tenho notado uma forma de abordagem um tanto facilitista – se é que a expressão existe – em algumas pessoas que me contactam e pedem preços para um bouquet igual ao que fiz para a noiva do blog A ou que me ligam para perguntar (simplesmente) qual a marca de sapatos da noiva da publicação B… e, já agora, quem é que a penteou? Não é que não fique feliz quando isso me acontece – uma vez que isso reflete o impacto que a marca tem nas pessoas que a seguem – mas, por outro lado, fico sem entender e sem base para interpretar correctamente aquela pessoa em termos de gosto e linhas de raciocínio. Não tem de ser assim e não tem de ser sempre igual. Tem de ser pensado por vocês e para vocês.

Inspirem-se nas tendências trendy (yes, please!) mas … e porque não nos clássicos também?

Dediquem o vosso tempo aos detalhes. Dediquem tempo à preparação do vosso evento. Sejam criativos e opinativos. Não sejam controladores. Nós, autores e criadores, precisamos de espaço e de liberdade criativa (controlada, claro que sim).

 

Ter o controlo das decisões é importante? Tens uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como queres que o teu espaço e trabalho sejam mostrados e vividos ou é o prazer discutir ideias, de criar e acompanhar o processo, que te interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Sinto-me dividida. É importantíssimo assumir o controlo criativo dos projectos e dos eventos que crio. Por outro lado, é crucial auscultar os meus clientes e tentar entender quais as suas raízes, ideias, expectativas. Quais os seus sonhos… Tento ir ao encontro das expectativas deles mantendo, sempre, a minha identidade.

No entanto, não nego, que existe uma pressão “media” muito alta para publicar apenas aquilo com o que mais me identifico e com o que mais gosto. Se publicas o que gostas e o que te enche o coração vais atrair clientes que te apreciam por esse trabalho. Gosto de trabalhar as redes sociais dessa forma.

No que concerne à relação de proximidade com cada cliente… Aí tenho de dar destaque ao Francisco. Ele é muito querido com os clientes das Histórias com Alma. É super dedicado e sabe gerir muito bem todos os passos desde o planeamento até à concretização do evento em si. É o Francisco, na maioria dos casos, que acompanha os nossos clientes. Eu reservo-me para a parte criativa e prática; cabe-me a mim concretizar o que os clientes idealizam com o Francisco. Esta parceria e estratégia tem resultado muito, muito bem.

Nota: confesso que tenho tido umas quantas clientes que opto por “roubar carinhosamente” ao Francisco. O motivo? sei que o planning me vai dar muito prazer!

 

Onde buscas inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Hummm… não existe um local, fórmula ou fonte únicas.

Em primeiro lugar inspiro-me nos próprios eventos em que tenho a sorte de participar. Enquanto fotógrafa da Um Dia de Sonho, tenho a felicidade de participar (activamente) em eventos lindíssimos e muito especiais onde posso (e devo) absorver  ideias, aprender técnicas, abordagens e linguagens de outras equipas e de outros autores e criadores de eventos.

Tenho a sorte de manter relações muito próximas de respeito e amizade (e até parceria) com equipas fantásticas que organizam eventos lindíssimos em Portugal. Duas delas a norte e com abordagens bastante similares às minhas – mas com clientes diferentes, claro. Mas é fantástico ter esse privilégio e sentir que consegui um lugar de respeito entre os melhores. Muitas das vezes, é junto eles que me inspiro. E, por vezes, sei que eles também se inspiram em mim…. (mas isso fica cá entre nós!).

Depois, a inspiração chega através das viagens que faço, do instagram, das lojas onde compro roupa, da moda (em si), dos filmes que o Francisco me obriga a ver, de uma ida ao Ikea, de uma noitada de copos com os meus amigos, de um concerto gratuito, de um jantar num restaurante, de uma youtube battle

Nota: não seria intelectualmente correcto da minha parte se não dissesse que a própria industria dita as tendências de cada temporada. Isso acontece imenso com o mobiliário. É difícil contornar as lojas comuns. Tal como na música, temos de fazer dig in de fórmulas e soluções alternativas.

 

Eu crio e conto histórias com alma. Crio infinitos detalhes que se alinham – todos – apenas no momento certo. São esses infinitos detalhes que me ocupam infinitas horas de trabalho e culminam com um sorriso exclamativo de uma noiva e de um noivo. É essa a melhor parte de decorar um casamento. A reação do cliente à decoração, ao detalhe, às flores, à dinâmica, à surpresa, à sala… É aquela lágrima que teima em cair e abraça o sorriso. É a troca das horas de trabalho pelo “uauu!” do cliente.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescas a mente e o olhar?

A fadiga criativa, no meu caso, está irremediavelmente associada à fadiga muscular e física uma vez que sou eu que faço todos os trabalhos que adjudicam à Histórias com Alma e uma vez que a minha equipa é reservada a um número muito restrito de colaboradores.

A solução passa sempre por procurar um hotel boutique irresistível num local mágico (longe ou perto de casa) e comunicar ao Francisco dois dias antes que está tudo reservado. Ele trata – unicamente – da banda sonora para a viagem. O resto fica tudo ao meu encargo e critério.

Um pecado: não consigo – e já tentei por múltiplas vezes – desconectar do universo das redes sociais. É mais forte do que eu. E, por norma, surge sempre um enorme buzz à volta dos locais que escolho para repor as energias. Bom sinal, certo?

 

Como é o teu processo de trabalho, como crias uma ligação com os vossos clientes?

Os processos Histórias com Alma e Um Dia de Sonho são bastante similares nesse aspecto. É muito raro termos um cliente que não se sinta nosso cliente desde o primeiro segundo. Desde o momento em que abrimos o portão verde do solar em Fontão, sentimos que essa ligação acontece.

Depois, e o mais complexo, é reforçar essa mesma ligação. Os clientes são muito precoces no que concerne à procura de espaços e fornecedores para o seu casamento. E isso faz com que exista um gap de um ano (muitas vezes mais) de “não ligação” ao cliente. A nossa estratégia para colmatar esse intervalo, é a comunicação. Eu desenvolvo os estilos e o grafismo das nossas comunicações com os clientes e o Francisco trata da comunicação directa e personalizada com cada cliente. Ele é fantástico nessa área.

Nota: tenho notado que existe um défice muito grande na comunicação com os clientes que abraça, de forma transversal, o mercado dos casamentos. Todos os meus clientes ficam absolutamente rendidos com a forma como comunico com eles. É algo raro e precioso hoje em dia.

 

Qual é a melhor parte de decorar um casamento? E o mais desafiante e difícil?

Eu crio e conto histórias com alma. Crio infinitos detalhes que se alinham – todos – apenas no momento certo. São esses infinitos detalhes que me ocupam infinitas horas de trabalho e culminam com um sorriso exclamativo de uma noiva e de um noivo. É essa a melhor parte de decorar um casamento. A reação do cliente à decoração, ao detalhe, às flores, à dinâmica, à surpresa, à sala… É aquela lágrima que teima em cair e abraça o sorriso. É a troca das horas de trabalho pelo “uauu!” do cliente.

É a forma carinhosa (ou eufórica) como sou recebida quando desvendo um bouquet meu para a cliente.

Essa é a melhor parte.

É o beijinho sentido da mãe e do pai da noiva.

É o beijinho da noiva e o abraço do noivo ao Francisco quando ele lhes mostra a decoração da sala.

É veres o teu trabalho todo ser elogiado em breves segundos. Mas cada segundo vale a pena.

O mais desafiante e difícil é a personalização. Quando atinges um nível de personalização como o que atingi com a Histórias com Alma corres o risco de verificar situações em que te exigem tudo como um dado adquirido.

 

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Qual foi o casamento em que mais gostaste de trabalhar? Porquê?

Não consigo responder de forma taxativa a essa tua pergunta. Nós tivemos eventos na Histórias com Alma verdadeiramente incríveis com noivos muito queridos e que se entregaram verdadeiramente ao dia do seu casamento de forma mágica e impossível de repetir.

Tivemos casos de noivos pouco expansivos que no dia se revelaram anfitriões incansáveis, tivemos casos de noivos que construíram literalmente tudo aquilo que nos mostravam pelo Pinterest mas com uma qualidade e um bom gosto tremendo, tivemos noivos que, de tão queridos que são, nos enchem o coração e nos obrigam a dar tudo e a abdicar da nossa própria vida pessoal para os acompanhar durante todo o processo, tivemos noivos dos países mais improváveis que nos contagiaram com os seus costumes e tradições, tivemos noivos altamente urbanos que adoptaram Fontão como uma vila para todo o sempre…

Destaco também todos os eventos que fiz com a Histórias com Alma fora do nosso solar. Temos tido a oportunidade de criar alguns eventos em casas particulares e em espaços (hotéis e villas) que nos têm dado um prazer muito enorme e que seria injusto não mencionar como algo muito importante e muito prazeroso para mim.

 

Escolhe uma imagem favorita do teu portefolio e conta-nos porquê:

 

Histórias com Alma - espaço para casamentos em Ponte de Lima

 

Esta imagem reflete a dedicação que imprimo nos eventos que crio e na forma como trato cada um dos meus clientes. Encaro cada casamento como se fosse o meu.

Escolhi esta imagem porque reflete tudo aquilo que quereria para o meu casamento.

 

 

Os contactos detalhados da Histórias com Alma estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, vejam as imagens divertidas e cheias de boa disposição e contactem directamente a Ana Freitas através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Save

Susana Pinto

À conversa com: ADORO – fotografia de casamento

Hoje sentámo-nos a conversar sobre fotografia de casamento, com a dupla da ADORO: Carla Guedes Pinto e Sofia Dias. Na realidade, conhecemo-nos dos nossos dias de faculdade, quando estudávamos design nas Belas-Artes e no IADE e tínhamos uma amiga em comum. Voltámos a reencontrar-nos mais tarde, já neste universo casamenteiro em que todas escolhemos trabalhar. Lembro-me perfeitamente desse dia – uma simpática visita à segunda edição do You+Us=Fun!, na Casa do Alentejo.

É sempre um prazer conhecer as pessoas quando já admiramos o trabalho, e é essa experiência que partilhamos convosco hoje.

 

ADORO - fotografia de casamento

 

Do design gráfico para a fotografia não é um salto demasiado grande,    mas para o universo dos casamentos já é bastante específico. Como é que foram lá parar?

Sim, de facto o salto é grande, não tanto pela passagem para a fotografia, onde se continua a trabalhar num universo visual, mas mais pela passagem para o universo dos eventos e dos casamentos.

A fotografia sempre nos acompanhou, em caminhos paralelos, mas esteve sempre presente. Uma das minhas grandes amigas de infância era filha de um grande fotojornalista, o Rui Ochôa. Adorava quando ia lá a casa e via os negativos todos espalhados, grandes formatos impressos pelo chão, uma gaveta cheia de objectivas ou as tardes passadas na redacção do Jornal Expresso. Com ele, comprei a minha primeira máquina fotográfica, uma Nikon 801, quando tinha 15 anos, e pouco a pouco comecei a fotografar.

A Sofia começou com o pai, que lhe punha a sua Canon nas mãos e lhe ensinava que o diafragma era mais do que aquele músculo na cavidade torácica. O seu primeiro ordenado, foi para comprar uma máquina fotográfica (analógica). Desde cedo fomos as fotógrafas de serviço entre os nossos amigos e família. Muitos rolos se consumiram…

O salto para os eventos de casamentos, foi apenas o ajuste necessário para tornar esta nossa actividade em algo comercial. Isto quando o suporte digital finalmente atingia uma qualidade profissional.

O design, área em que trabalhámos durante muitos anos (a Sofia em design gráfico e a Carla em design de equipamento) de certa forma preparou-nos a abordar qualquer desafio de uma forma metodológica, e isso aplica-se na perfeição quando temos um casal que quer concretizar o que sonhou para o seu dia de casamento. É um desafio criativo e projectual.

A passagem do nosso trabalho de designers para este universo “casamenteiro” deu-se num momento de crises várias. A crise do próprio negócio de design, das agências e dos orçamentos pagos a 120 dias, e também da crise criativa, um bocado cansadas de clientes cinzentos e institucionais.

Pensámos que, por nossa conta, se calhar faríamos qualquer coisa mais interessante e mais próxima das pessoas reais.

Quando começámos em 2011, o universo estético dos casamentos era ainda pouco fresco, muito clássico e percebemos que podia ser esse o caminho. Oferecer uma alternativa ao existente. Acabou por ser uma época de transição, em que surgiram fornecedores, como nós, que contribuíram para desenhar e consolidar o universo que hoje existe.

 

Começaram com um leque de serviços mais alargado, que agora concentraram em fotografia e organização, a solo ou com tudo incluído. É uma evolução natural ou sentiram, de facto, necessidade de estreitar o foco?

Foi um misto. Uma evolução, após sentirmos o mercado, e uma forma de convergir esforços e investimento, sobretudo de tempo.

Quando decidimos fotografar (casamentos e outras celebrações), sentimos necessidade de garantir a harmonia e fotogenia dos ambientes, incluindo o grafismo e a decoração. Para além de termos esta possibilidade de prestar um serviço completo a quem nos procurava, sabíamos também de antemão, que todo o conceito daquela celebração seria coerente.

Isso para nós era perfeito, era fotogenia garantida!

Mas ao longo dos anos sentimos necessidade de ajustar o negócio à realidade e percebemos que o investimento que justifique a contratação de alguém que pense e concretize o conceito de um evento acontece maioritariamente em casamentos, e quase nada em outras celebrações mais pequenas (festas de aniversários, baptizados etc).

Desta forma passámos a prestar serviço de decoração e grafismo apenas para casamentos.

A organização de um casamento requer dedicação e uma total disponibilidade para aquelas duas pessoas que anseiam pelo seu dia, perfeito, sem falhas. Por isso, actualmente aceitamos apenas algumas organizações e desenvolvimento criativo num reduzido número de casamentos, garantindo a nossa total disponibilidade para o sucesso do projecto.

A fotografia continua a ser a nossa actividade principal, e também a nossa paixão. Na fotografia continuamos a fazê-lo em todas as outras situações de festas e celebrações (festas de aniversário, baptizados, celebrações entre amigos e família), bem como sessões a dois ou de família.

 

Como definem a vossa assinatura, o vosso ponto de vista?

Achamos que se quisermos dizer numa palavra, será “verdadeiro”.

Na fotografia como na organização e desenvolvimento criativo, procuramos um olhar e abordagem reais, sempre em função do par. A estética e fotos do casamento têm que reflectir aquelas duas pessoas, e elas reverem-se nela.

As emoções das pessoas e dos momentos são a nossa energia. Não interferimos, apenas observamos, sentimos e reagimos, fotografando. E a relação de entendimento e confiança entre todos, é meio caminho para tudo fluir e o resultado transparecer a naturalidade que procuramos. Sentimos que nos ajuda o facto de virmos de outra área profissional, sem vícios nem preconceitos. E com o tempo percebemos que não é indiferente o facto de sermos um olhar feminino. Não sendo vantajoso nem desvantajoso, é apenas uma particularidade que transparece no nosso trabalho, sem nunca o termos previsto.

 

ADORO - fotografia de casamento

 

Onde buscam inspiração para o vosso trabalho?

Viemos as duas de uma área muito visual e esteticamente ecléctica, por isso qualquer fonte de informação é válida, e não necessariamente a ver com casamentos. A isto juntamos o que o par nos sugere das suas personalidades, vivências e preferências. Damos por nós a pesquisar universos tão díspares como Botânica ou a Culinária.

O cinema e a fotografia de rua e de moda serão as nossas maiores inspirações e agentes provocadores. O universo visual de cineastas como Wong Kar-Wai, Sophia Coppola, Wes Anderson, Jane Campion, Yasujirô Ozu, Stanley Kubrick ou pérolas como “Eu sou o Amor” (Luca Guadagnino) e “Carol” (Todd Haynes), são exemplos disso.

Na fotografia, o enorme trabalho de nomes como Saul Leiter, Tim Walker e as recentes descobertas dos espólios de Albert Khan e Vivian Maier. E por cá o Pedro Cláudio, fundamental pelo trabalho gráfico na fotografia, ou o olhar fresco e sem gavetas da Vera Marmelo.

Na secção mais “casamenteira” adoramos o trabalho do Pablo Beglez, Kristen Marie Parker, ou do Rodrigo Cardoso, dos Piteira ou do Rui Gaiola.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescam a mente e o olhar?

Como o dia-a-dia é tão assoberbado de informação, às vezes apetece apenas desligar para criar espaço mental. Mas quando ainda sobra algum espaço, há todo um mundo para descobrir. Viajar é um óptimo escape, seja cá dentro ou lá fora, e uma forma de nos inspirarmos e refrescar ideias. Por exemplo, nos últimos anos o trabalho levou-nos algumas vezes aos Açores e à Madeira, e foram óptimas descobertas para nós. Claro que aproveitamos sempre que o trabalho nos leva para fora de Lisboa, para sentir um bocadinho do local onde estamos. Isso é uma coisa que adoramos fazer, fotografar para além das pessoas, porque o território envolvente também faz parte das histórias.

É isso que adoramos… contar histórias.

Mas depois há coisas bem mais prosaicas que nos dão imenso prazer e que nos compensam, como meter um disco a tocar e dançar como se ninguém estivesse a ver, ir a um concerto mesmo bom, ou a um espectáculo de dança, ir dar uma volta de bicicleta com amigos. Ai… os amigos… com esta vida tão ao contrário das rotinas tradicionais, às vezes é difícil acertar com os programas dos amigos e família. Quando conseguimos fazer isso, é um luxo, um tempo impagável que se vive com prazer.

 

ADORO - fotografia de casamento

 

Como é o vosso processo de trabalho, como criam uma ligação com os vossos clientes?

A partir da primeira reunião, em que se dão caras aos nomes, percebemos o perfil do par e as suas espectativas. Isso é essencial para gerirmos um processo de organização de casamento e respectivo desenvolvimento criativo. A partir dessa leitura que fazemos e do próprio pedido dos noivos, iniciamos a nossa pesquisa e vamos trocando ideias com eles, sempre suportado visualmente para que ambos tenhamos a certeza do que estamos a falar. Depois do plano aprovado, começamos a produzir e a gerir cada passo até ao dia do casamento.

Na fotografia, depois da reunião (muitas vezes por Skype) fazemos sempre uma sessão fotográfica antes do casamento. Serve para nos conhecermos melhor, quebrar gelo e testarmos a relação fotógrafo/fotografado, para que no dia do casamento não seja demasiado brusco e invasivo.

Em ambos os casos tentamos sempre ler o mais possível de quem está do outro lado, dizemos que somos quase psicólogas tentado ler as entrelinhas para perceber o que é de facto importante para eles. Absorvemos o máximo e impomos o mínimo possível. E valorizamos a transparência, que é meio caminho para a confiança mútua.

Somos “parceiros no crime” do dia dos nossos noivos, e eles são o mais importante. O dia é deles e não nosso.

 

Ter o controle das decisões é importante? Têm uma perspectiva perfeccionista sobre o resultado ou é o prazer de acompanhar o processo?

Há o prazer em ver as ideias tomarem forma, mas evitamos o perfeccionismo nestes processos assentes num casal de noivos (geralmente estreante) e que envolvem várias valências e fornecedores. Focamo-nos em conseguir o melhor equilíbrio entre todos.

E depois sabemos que estamos a lidar com emoções, e não dá para aplicar fórmulas de Excel nelas. As decisões têm de ser tomadas com tempo, sem pressões, e sabemos que estamos a lidar com duas pessoas, muitas vezes com ideias e até algumas expectativas diferentes entre eles. É preciso saber mediar isso.

Somos o elemento de ponderação, e a voz da experiência, mas mesmo assim, no final, o casal tem de estar confortável com todas as decisões tomadas. Esta gestão requer alguma sensibilidade.

  

Qual é a melhor parte de organizar um casamento? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte é no dia ver tudo materializado, e a felicidade estampada no rosto dos noivos, por verem expectativas superadas.

O desafiante é transpor, para soluções criativas, a vontade dos noivos e tudo o que lemos nas entrelinhas. Adoramos quando os noivos sonham com uma coisa e nós conseguimos concretizá-la. Ver essa felicidade do momento concretizado estampado na cara dos noivos é o melhor dos momentos… e claro, de preferência registá-lo numa fotografia nossa.

 

Qual foi o casamento em que mais gostaram de trabalhar? Porquê?

Difícil responder, porque o envolvimento chega a ser emocional. Não conseguimos dizer apenas um.

Profissionalmente falando, houve um casamento que organizámos à distância, os noivos viviam nos Estados Unidos, e que correu irrepreensivelmente bem do princípio ao fim. Deste a sintonia criativa, ao respeito mútuo e confiança no nosso trabalho e às imagens cheias de luz e amor que nos deram para registar.

Mas claro, não há amor como o primeiro… o primeiríssimo casamento, da Inês e do Ricardo. Esses loucos que confiaram numas miúdas que nunca tinha organizado ou sequer fotografado um casamento (profissionalmente), e nos depositaram toda a confiança. Mostrarmos-lhes uma breve apresentação das nossas intenções, que terminava com “Querem casar connosco?” e eles responderam “Sim!”

Como experiência de tipo de registo e exotismo, tivemos um casamento na Madeira que foi um fim-de-semana em festa, com registos magníficos de paisagem e uma festa cheia de amigos que souberam disfrutar verdadeiramente do momento.

Pela intensidade emocional, e beleza há também um outro pequeno casamento, num Fevereiro soalheiro, em Monserrate (Sintra), que contrariou todos os estereótipos. Simplesmente mágico!

Todas a histórias são únicas e irrepetíveis, e isso é muito especial para nós, dá-nos fôlego.

 

Se fosse o vosso casamento, fariam tudo, uma parte ou mesmo nada? Quem fotografava?

Carla: para mim o mais interessante é a partilha emocional, a cumplicidade com quem mais gostas de estar, a tua cara-metade e os teus amigos e família. Mas nunca me imaginei noiva, e ser o centro de um casamento, que acontece assim num estalar de dedos. Acho que prefiro estar deste lado, com a máquina na mão, contagiada pelas emoções de quem celebra esse dia.

Sofia: adoro o formato de um fim-de-semana com amigos e família, os dias de casamento são assustadoramente rápidos. Teria que conhecer pessoalmente os fotógrafos da minha eleição, a empatia é essencial.

 

Escolham uma imagem favorita do vosso portfolio e contem-nos porquê:

Que maldade… Entre muitas, e por diferentes motivos, esta foto passa bem o que nos continua a surpreender. Adoramos os entretantos, que nos brindam com imagens bonitas e irrepetíveis.

 

ADORO - fotografia de casamento

 

Que bela conversa, esta! Tenho a certeza que gostaram de conhecer melhor esta dupla e que o bonito trabalho que fazem ganhou uma nova amplitude. Aproveitem para dar uma vista de olhos na sua novíssima ficha de fornecedor seleccionado, devidamente actualizada e recheada com muitas imagens bonitas.

 

Marta Ramos

Conto de fadas: o making of

Lembram-se no Conto de Fadas orquestrado pelo trio Design Events + Wedwings + In Love Unique Moments no nosso showcase You + Us = Fun! de Lisboa? Antes de acontecer, fomos levantando a ponta do véu sobre este projecto criativo que ocupou magnificamente uma sala do Palacete Gomes Freire (podem reler os posts  (aqui, aqui e aqui),

Agora, passamos a palavra à Rita Soares-Alves da Wedwings, que vos vai guiar ao longo de todo o processo, retrospectivamente.

 

«Tal como na preparação dos casamentos dos nossos clientes, munimo-nos das nossas skills, da nossa criatividade e das expectativas de um casal que quer ter um dia memorável, uma festa cheia de detalhes e pormenores bonitos e elegantes.

Começamos por criar um conceito, identificar o contexto e as suas especificidades: neste caso, tratava-se de um destination wedding. Era necessário, por exemplo, preparar as peças gráficas em duas línguas para que todos os convidados se sentissem integrados.

Começámos por visualizar o dia como um todo: como é que os noivos se querem sentir? O que querem partilhar com os seus convidados? Quais os momentos de ouro desse dia?

 

A partir desse momento, demos inicio ao desenvolvimento das peças gráficas, escolha de cores e materiais, elementos decorativos. Testámos a paleta de cores, os tecidos, a integração dos vários elementos decorativos. Pesquisámos fornecedores e alternativas de produção, escolhemos os que mais se adequavam ao nosso objectivo e gerimos um orçamento.

Na véspera, demos inicio à montagem deste projecto: cada canto representado cada momento de um casamento, começou a ganhar vida e o resultado final começou a ganhar contornos reais. E tal como acontece nos casamentos, também a resolução dos imprevistos aconteceu e garantimos que o resultado final até foi melhor do que o planeado!»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

«Este foi um projecto que desenvolvemos com todo o carinho. Quisemos partilhar com os futuros noivos o que acontece quando um conjunto de fornecedores empenhados, focados na concretização de ideais de cada casal se junta para dar vida a um casamento de sonho.»

 

Obrigada, Rita! E obrigada também à Maria João, da Design Events, e à dupla Inês Marujo e Rita Pedro, da In Love Unique Moments, por nos terem brindado com um trabalho tão bonito. E à Alice Vicente, pelas fotos.

Até ao próximo!

 

Susana Pinto

Que dias bonitos: obrigado!

 

Já recuperámos dos dois domingos de festa, em Lisboa e no Porto: You+Us=Fun!, edições nº9 e nº10, foram um sucesso!

Olhamos para trás e o caminho feito é bastante diverso… começámos em 2011, no Porto, no antigo Externato Lumen, na Rua da Boavista. Muito DIY, algumas atribulações hilariantes e uma experiência rica de partilhas e de momentos novos. Chegámos ao fim cansadíssimos, mas estava tudo tão bonito, tinha sido tão fixe, falámos e recebemos muita gente, tudo uma novidade.

Fizemos uma revista, a S Magazine #3, sob o título auspicioso de “Less”, tão bonito e especial foi o registo do dia!

 

Seguiu-se a Casa do Alentejo, em Lisboa, tivemos espumante e pipocas e um salão glorioso e decadente, cruzámo-nos com os bailes de fim-de-semana da comunidade alentejana e com os visitantes curiosos àquele que foi o primeiro casino de Lisboa.

No ano seguinte, voltámos a dar um pulinho ao Porto, e escolhemos o Clube dos Fenianos, bem no coração da cidade: fizémos a festa em tons de azul e ouro, e voltámos a ter um dia cheio de visitas e conversas.

Temos fotografias bonitas da dupla estreante, Um dia de Sonho e Arc Fotografia.

 

Para a 4ª edição, épica e inesquecível, instalámo-nos no incrível ballroom do Ritz Four Seasons: enchemos o tecto com mais de 600 andorinhas douradas feitas em origami e vimos o salão encher-se de gente: assim tão bom! Estarmos aqui, neste sítio luxuoso e gentil, significou chegar ao topo da montanha. Tudo o que fizémos levou-nos até ali, em nome próprio, com consistência, trabalho bonito e uma simpatia a toda a prova.

Vejam as fotos da Lounge Fotografia, da Inspirarte e da One Love Photography.

 

Voltámos ao Porto, para a 5ª edição: calhou à magnífica Casa Allen receber-nos: Passámos duas tardes a fazer flores de papel para um enorme logotipo que ficou à entrada: uma delicadeza só e um prazer para quem, como nós, gosta tanto de criar e fazer coisas com as mãos. Pegámos no Paper to Petal, da Rebeca Thuss e seguimos a inspiração para as nossas próprias flores.

Vejam imagens lindas da dupla Um dia de Sonho, Lounge Fotografia, Inspirarte e Momento Cativo.

 

Mais uma voltinha, e nova edição em Lisboa, por onde ficámos nos anos seguintes. Regressámos ao Ritz, para a 6ª edição, e fomos até Cascais para a 7ª, em 2015.

Vejam as imagems da One Love Photography, da Adriana Morais e da Inspirarte, em Lisboa, e da One Love Photography, da Atmosfia e da Inspirarte em Cascais

 

Por esta altura, tínhamos muitas dúvidas sobre este nosso formato: continuava a ser muito especial, mas sentíamos um claro desajuste com o público. Menos visitas, menos entusiasmo, menos ligação. Pensámos e decidimos parar, até encontrar, novamente, a fórmula certa. Queríamos voltar à alegria e energia do Ritz, a esse dia tão incrível. Calhou tropeçarmos no charmoso Palacete Gomes Freire e, em 3 semanas, decidimos e concretizámos mais um evento: pequenino, literalmente de bolso, com pouco mais de uma dezena de fornecedores, mas tão intimista e especial. Deixámos a decisão de repetir, no ano seguinte, em aberto.

Vejam as imagens lindas do Hugo Coelho, da Atmosfia, da One Love Photography e da Mariana Megre.

 

Este ano regressámos para esta nossa casa de Lisboa, onde abrimos as portas à 9ª edição: é o sítio onde somos sempre tão bem recebidos, com uma luz maravilhosa que entra pelas salas adentro, e podemos criar um evento íntimo, doce, acolhedor, carinhoso.

Rumámos ao Porto, para o Clube Universitário do Porto: festejámos a 10ª edição e ficámos com a clara sensação: também encontrámos a nossa casa no Porto.

Pensámos em algumas novidades de valor acrescentado: um goodie bag giro, com um caderno, vouchers variados, postais e o nosso calendário de parede para 2017, levámos o nosso “Queres casar comigo? – guia prático para um dia muito feliz” a preço simpático, juntámos 2 workshops para noivos, com o b-á-bá precioso, informativo e bem-disposto (falámos de orçamento, preparativos, escolhas, contratos, etc.) e agarrámos as pessoas pelo estômago, com cocktails deliciosos e bem servidos.

 

Tivemos, nestes dois domingos, casa cheia, and some.

Vejam as imagens de tudo tão bonito, captadas pela Atmosfia, One Love Photography e MC Photography em Lisboa, e pela dupla Menino conhece Menina e Inspirarte, no Porto.

Talvez os editores da Monocle tenham razão (costumam ter…!): é tempo de sair da bolha digital e conversar e estar com as pessoas. É tempo de proximidade, de olhar para cima, para a frente, para o que está à nossa volta, em vez de para baixo, é tempo de absorver e apreciar, de tocar, em vez fazer um scroll apressado entre um semáforo vermelho.

O formato que sempre pensámos, por ser de proximidade, cara a cara, com um sorriso e papel, flores, imagens e bolo nas mãos, que sentimos escapar-nos pelos dedos com alguma desolação, voltou a ser a escolha certa: estamos aqui, queremos tratar-vos pelo nome e mostrar o que fazemos melhor, para que o vosso dia seja o mais bonito dos dias.

 

Aos visitantes, aos clientes que participaram (e aos que não participando, ajudaram na propagação do evento), aos amigos, aos novos contactos, aos convidados, aos fantásticos anfitriões, aos fotógrafos generosos que registam e partilham estas imagens felizes e memoráveis, aos clientes generosos que facilitam, agilizam e propiciam a beleza que este evento é (já falei da comida? Que delícia!), à Inês, ao Alberto e ao Pedro que me acolhem sempre com amor, abraços, deliciosa comida e liberdade na Rua Oliveira Monteiro, à Ana e ao Mike, sempre os meus braços direitos portuenses, e à Maria João, o meu (sempre paciente) braço direito Lisboeta:

Obrigado!

Voltamos no próximo ano. Tchim Tchim!

 

A fotografia é do Miguel Cachapa, MC Photography.

Save

Susana Pinto

Obrigado!

E fechámos devagarinho a porta a mais um You+Us=Fun!, em dose dupla.

Foram duas semanas muito intensas, entre Lisboa e Porto, mas o resultado não poderia ter sido melhor: dois domingos de festa! Partilhámos conhecimento, conhecemos clientes novos, revimos clientes antigos, fizémos novos contactos, partilhámos histórias.

Comemos pequenas delícias, brindámos, tirámos fotografias e despedimo-nos com abraços e sorrisos: não é isto que faz uma bela festa?

 

 

Obrigado a todos!

Continuem a seguir a nossa página do Facebook, onde estamos a colocar as imagens lindas que vão chegando, como esta, que é do MC Photography.

 

Susana Pinto

You+Us=Fun! Porto: sejam muito bem-vindos

Às 14h abrimos as portas para a 10ª edição do mais bonito evento de casamentos: o showcase You+Us=Fun! Parabéns a nós!

É no Clube Universitário do Porto, na Rua do Campo Alegre 877, 4150-180 Porto, e vamos estar por aqui até às 20h.

 

A entrada é livre e vamos ter goodie bags, worshops, cenários lindos de morrer e os melhores fornecedores estão à vossa espera, para conversar e mostrar o melhor que sabem fazer: LSS Produção de Eventos, Inspirarte, Por Magia, Menino conhece Menina, DJ Nuno Rodrigues, Jukebox, Miguel Ribeiro Fernandes, Jesus Peiró, Paper Moons with Diana Nobre, Amor à Portuguesa, Jenny Makeup Land, Cata Vassalo, Coro Génesis, Pilar Eventos, Crachá Wedding Agency, Bridal’s Boudoir, Torga Filmes e Vive la Fête, juntamente com o nosso anfitrião Silva Carvalho Catering. Contamos com a vossa companhia animada para uma tarde de conversa com bons profissinais, ideias bonitas e algumas novidades.

Também vão encontrar o muito simpático “Queres casar comigo? – guia prático para um dia muito feliz”, e eu e a Maria João Soares estamos por aqui, se quiserem uma dedicatória das autoras!

 

 

Be our honored guests!