Adriana Morais Arquivos -  Simplesmente Branco 

0 Comentários

Wow factor, por Adriana Morais

 

 

 

Quem disse que luxuoso e rústico são uma combinação impossível?

A doce Adriana Morais confirma: vão lindamente juntos! Conheçam melhor o seu portfolio e se gostarem, falem com ela (nós temos a certeza de que vão gostar muito!). Todos os dados na sua ficha de fornecedora seleccionada Simplesmente Branco.

 

5 Comentários

Raquel + Ricardo: um casamento fora do comum

Celebramos a primavera gentil que chegou – aqui na rua, em pleno coração da cidade, tenho cerejeiras em flor – umas a despontar muito vagarosamente, outras a perder as pétalas, como se fosse uma neve delicada a cair com a brisa!

O casamento que fecha a semana é o da Raquel + Ricardo, a norte, no Museu D. Diogo de Sousa, em Braga. Desalinhado da norma, muito bonito também por isso, foi fotografado pela Adriana Morais.

Deleitem-se com uma bonita história de amor com imagens a condizer!

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Sempre desejámos que o nosso dia fosse um espelho da forma como mais gostamos de nos divertir e de celebrar. Somos os dois apaixonados por noites quentes de verão, num ambiente descontraído é onde somos mais autênticos, a isto bastava juntar a música que nunca deixámos de ouvir, a família e os amigos mais próximos.

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Quando escolhemos a data sabíamos que poderia ser necessário alterá-la devido às disponibilidades dos fornecedores que queríamos muito juntar para este dia. Mas (com muita sorte) nunca tivemos de o fazer. E dizemos isto porque só começámos a tomar decisões a cerca de seis meses do casamento – só isto deixaria muitos noivos com os nervos em franja. O mais difícil mesmo foi encontrar o espaço, queríamos “fugir” das tradicionais quintas, tentámos alugar casas particulares com grande área de jardim, e com muita pesquisa e desconstrução completa de onde é possível organizar uma festa, chegámos ao Museu D. Diogo de Sousa, em Braga.

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Na primeira visita técnica ao espaço, com a incrível equipa das Pilar que materializou o que desejávamos, soubemos que aquele jardim tinha um potencial imenso.

Além disso, foi muito gratificante para nós apoiar uma nova empresa, com muita vontade e uma sagacidade que às vezes só encontramos nas equipas mais experientes. E também sentimos o “é mesmo isto” quando percebemos os desafios diários de um organismo público – o Museu – que pode ser aproveitado de tantas outras formas.

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Temos muitas vezes flashbacks, pequenas memórias fragmentadas daquele dia, que nos fazem sorrir e ter a certeza que nunca imaginámos algo tão bonito.

Além da Mónica e da Soraia, que são o coração das Pilar, que se adaptaram a cada pedido nosso, contámos com a ajuda e talento de amigos. Muitos elementos gráficos foram desenvolvidos por uma das fundadoras da Salva, mais um incrível projeto que continuamos a ver crescer.

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós era fundamental que o nosso casamento fluísse naturalmente, que houvesse espaço para brindar, para dançar, para brincar em frente à câmara da Adriana Morais, e que isso pudesse acontecer a qualquer momento. Nunca nos identificámos com festas mais formais, com espaço e tempo definidos para que tudo aconteça.

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Sempre soubemos que queríamos a Adriana Morais a fotografar o nosso “sim” e quando tivemos a confirmação da disponibilidade de agenda… tudo ficou tão mais fácil!

Se não pensarmos no difícil que foi cumprir o orçamento que tínhamos definido para a festa, o mais complicado foi encontrar “o” vestido.

“Entrar nas mais variadas lojas, fazer marcações, e ser constantemente direcionada para um tipo de vestido que nada tinha a ver comigo, foi desanimador. Mas encontrei a UHMA que fez os esboços, os testes e as provas necessárias até me deixarem confiante”, lembra a noiva.

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Se para o noivo foi “ver a Raquel entrar na igreja, de braço dado com o pai, emocionados, e um instrumental dos Beatles a encher o ambiente… foi um momento de arrepiar”, a noiva nunca esquecerá “a sensação de encontrar os olhos do Ricardo e abraçá-lo no altar”.

 

E o pico de diversão?

O momento em que cortámos o bolo foi tão romântico como divertido. Todos os convidados de sparklers a brilhar na mão, a dançarem, e nós a beijarmo-nos muito!

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…

Quisemos lembrar quem não podia estar fisicamente entre nós, quem fez parte das nossas histórias e com quem desejaríamos partilhar muito este dia. Por isso, dedicámos um espaço na festa, onde tínhamos retratos dessas pessoas, que de alguma forma estarão sempre presentes.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nunca queremos mudar nada quando estamos tão felizes com o resultado. Verdade?

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Cada noiva é única e devem conseguir sempre a autenticidade que lhes é própria. É muito importante que respeitem os vossos gostos e nunca vos apressem a tomar decisões.

No dia do vosso casamento planeiem um momento para relaxar e comer, antes de tudo começar.

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: noiva e Salva;

local: Museu D. Diogo de Sousa;

bolo: Bolosofia;

fato do noivo e acessórios: fato Sacoor Brothers, camisa Calvin Klein, laço The Tie Bar, suspensórios Creattive Collective e sapatos Armando Silva;

vestido de noiva e sapatos: vestido UHMA e sapatosWhat for;

maquilhagem: Gabriella Damin;

cabelos: Benvinda Cabeleireiros;

bouquet: Pilar; lapela do noivo: Isabel Castro Freitas Arte Floral;

decoração: Pilar e Salva;

ofertas aos convidados: feitas pelos noivos;

fotografia: Adriana Morais;

vídeo: João Trindade e Ricardo Sampaio;

luzes, som e Dj: David Fraga.

 

0 Comentários

Primavera em Londres, por Adriana Morais

Por estes dias, também em Londres irrompem flores de árvores há muito adormecidas e ouvem-se cantos de pássaros quase esquecidos. Claro que a paleta de tons primaveris londrina é muito própria, mas não deixa de ser encantadora.

Adriana Morais voou até à capital do Reino Unido para fotografar uma sessão de inspiração neste cenário mágico de jardins e canais. E o que dizer da imponência desta igreja?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O vestidinho bonito é da Asos… in case you were wondering!

 

0 Comentários

London calling, por Adriana Morais

O casamento vai ser em Portugal mas Mafalda+Ruben quiseram que a sessão de namoro fosse em Londres, onde vivem actualmente… e assim conseguiram juntar o melhor dos seus dois mundos! Foi uma tarde à turista, com o casal a mostrar à Adriana Morais os seus lugares preferidos e, entre Westminster Bridge, Big Ben, St. James’s Park e o Palácio de Buckingham, foram-se captando momentos de sonho, numa cidade de sonho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lovely London, lovely lovebirds…

 

Adriana Morais é fornecedora seleccionada Simplesmente Branco. Podem encontrar mais informação e contactos detalhados na sua ficha de fornecedor, arquivada em Fotografia e Despedida de Solteira.

 

0 Comentários

Margarida + António, casa é onde o coração está

Estreamos o ano com as bonitas fotografias da Adriana Morais, do casamento da Margarida+António, na Quinta de Sant’Ana. Perfeito, delicado e muito emocional, foi a cerimónia intimista e perto do coração que tanto queriam.

As escolhas são certeiras e entre elas, está o mais lindo topo de bolo, feito pelas meninas da Senhor de si, de quem somos absolutamente fãs.

 

Comecemos mais um ano de publicações, então, e da melhor forma!

 

 

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Uma surpresa total para mim, há bastante tempo planeada pelo noivo. Com muitas das nossas trapalhadas pelo meio, acabou por ser muito íntimo, cúmplice e discreto em Nova York no dia do meu aniversário. Foi “só” perfeito!

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Um ano antes, começámos por escolher a quinta. No entanto, depois de vermos a Quinta de Sant’Ana todas as opções seguintes foram só para cumprir calendário. Posteriormente, com a ajuda de outras noivas fizemos uma lista de Excel com todas as tarefas e fomos seguindo passo-a-passo.

 

 

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

A nossa primeira opção foi casar em casa da nossa família mas como não foi possível, escolhemos a Quinta de Sant’Ana, já que foi lá que conseguimos recriar esta sensação. Durante o dia, sentimos que os nossos amigos e família tinham ido visitar-nos a casa, tal como imaginamos.

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Confesso que o DIY que não é a nossa área de especialidade. Fizemos os convites porque queríamos algo muito mais simples do que a oferta “normal”, os leques, os cones para o arroz e pouco mais.

 

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Falar com os casais recém-casados foi uma enorme ajuda. No dia, a Adriana Morais e a Filipa Teixeira (Galeria) apoiaram-nos imenso. Conhecem todos os pormenores do dia e foram dando dicas. Não esquecendo os nossos pais, que em todos os passos foram opinando.

 

O que era o mais importante para ti?

O mais importante era ter os nossos convidados sempre divertidos, o dia fazer jus à beleza de Quinta de Sant’Ana e conseguir dedicar tempo de qualidade a todos os presentes. A última parte, apesar de termos escolhido convidar só as pessoas mais próximas, foi a mais difícil das três.

 

 

 

 

 

 

E secundário?

Os pormenores que correm fora do planeado. Por exemplo, a massa do bolo de noiva partiu-se, a responsável da Quinta veio dar-nos o recado “a medo”. Nós colocámos umas flores a disfarçar e acabou. Não vale a pena deixar estes percalços estragarem o dia.

 

Onde gastaste mais dinheiro?

Na quinta e lua-de-mel, em ambos os casos, todos os cêntimos foram bem investidos.

 

 

 

 

Onde gastaste menos?

Em adereços no dia. A Quinta de Sant’Ana é demasiado bonita para isso.

 

O que foi mais fácil?

Sei que parece estranho dizer isto mas acho que foi tudo fácil, apesar de ser dar imenso trabalho organizar o casamento.

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

Na preparação destacaria o facto de 2 dias antes do casamento ter partido o pé. Mas com motivação e a quantidade certa de medicamentos, tudo se fez! No dia, o momento mais difícil ocorreu durante a missa, na leitura dos nomes das pessoas que já partiram.

 

O que te deu mais prazer criar?

Uns cartões que colocámos nas mesas para que os convidados nos dedicassem algumas palavras (em vez do livro de honra). O momento da leitura foi uma mistura muito sui generis de risos e lágrimas.

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Foi a nossa cara mas com algumas cedências pelo caminho de ambas as partes (mais do noivo, vá…). Como escolhemos fornecedores com quem nos identificamos imenso nas reuniões prévias, foi tudo a nossa cara.

 

Um pormenor especial?

A música. A irmã do noivo e grande amiga minha cantar a Avé Maria na minha entrada da Igreja, acompanhada pelas minhas amigas da faculdade. No cocktail tivemos um conhecido de longa data (Nery Ribeiro) a tocar. Reforçou o sentimento de estarmos a “casar em nossa casa”

O padre Tiago Neto que celebrou o nosso casamento, envolveu as crianças na cerimónia fazendo-lhes perguntas sobre nós. Foi inesperado, muito pessoal e culminou num momento de rara beleza.

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Casávamos antes das 15h para o dia durar mais…

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Fact check…o dia nunca será exactamente como imaginaram. Se não se prenderem demasiado a este facto, vão conseguir aproveitar todos os minutos de um dia que, no final, é sempre perfeito!

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: GODAL, no Entrocamento

local e catering: Quinta de Sant’Ana

fato do noivo e acessórios: Hugo Boss

vestido de noiva e sapatos: Arte& Chic e Fátima Alves

anel de noivado, alianças e brincos: Ourivesaria Torres, os brincos foram uma das nossas homenagens à mãe do noivo, que já não está entre nós

adereços: preferia destacar os porta alianças e o topo do bolo: Senhor de si, que descobri no Simplesmente Branco

maquilhagem: Andreia Almeida, MUA

flores e bouquet: Martins Alves

lembranças para os convidados: resolvemos doar o valor que pretendíamos usar à operação Nariz Vermelho

fotografia: Adriana Morais

vídeo: Galeria

 

0 Comentários

Fugir para Lisboa e casar, por Adriana Morais

Cidadãos do mundo, Anja + Almir são naturais da Bósnia, mas vivem actualmente em Viena, na Áustria. Almir viveu alguns meses em Espanha e Anja passou por Portugal em Erasmus, onde se apaixonou pela nossa luz e não só. Quando decidiram casar, decidiram fazê-lo a sós e “fugiram” secretamente para este cantinho à beira-mar plantado.

 

Adriana Morais ajudou nos preparativos e captou este elopement luminoso que começou num registo descontraído no coração de Lisboa e terminou na praia, em Cascais, onde os noivos deram o nó.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma verdadeira lufada de ar fresco…

 

Adriana Morais é fornecedora seleccionada Simplesmente Branco. Podem encontrar mais informação e contactos detalhados na sua ficha de fornecedor, arquivada em Fotografia e Despedida de Solteira.

 

 

0 Comentários

Os melhores dos melhores, dizemos nós!

Fechamos o ano devagarinho, já a congeminar novos projectos para 2016. É tempo de alguns balanços e hoje damos atenção a uma mão cheia dos nossos fornecedores seleccionados, para quem 2015 foi um ano de passos largos, muito trabalho e crescimento saudável, que adorámos acompanhar e ver acontecer. Queremos dar-lhes os parabéns pelos sucessos conquistados e partilhar convosco estes trabalhos de formiguinha, que muitas vezes são invisíveis para os noivos, mas não para nós, que os acompanhamos há muito tempo e adoramos fazer parte da viagem!

 

Comecemos esta espécie de best of com a Vestidus.

No início do verão, depois de meses e meses à procura do sítio certo, a Vestidus mudou de instalações, saíu da sossegada Carnide e instalou-se na movimentada Av. João XXI. mesmo no centro de Lisboa. Os resultados foram imediatos, a vizinhança é óptima e a Sara Silva ganhou um espaço luminoso, desafogado e muito bonito, pronto para receber todas as noivas que acompanham regularmente as suas publicações no Facebook, onde mostra as novidades, partilha informação útil e responde a todas as questões, sempre com uma simpatia doce e sábia.

Em Novembro, a Sara contou-nos mais uma bela novidade: estreou em Portugal a marca Rembo Styling (que ambas namorámos bastante tempo, e que admiro pelo facto de, com assinatura belga, ser fabricada em Leiria, comprovando, mais uma vez, a qualidade de topo da nossa manufactura), primeiro com um trunk show e desde Dezembro, em modo oficial (e soubemos em primeira mão, com muito sucesso!).

 

 

A seguir, falamos da Alma – Artisans Studio, a nova marca da Sílvia Pontes e do José Caldeira, antes conhecida por Book Generation e focada no mercado profissional de fotografia (os álbuns bonitos que são entregues pela maior parte dos nossos fotógrafos aos seus clientes são da Alma)… Absolutamente esplêndida, como tudo o que sai das mãos da Sílvia.

“We don’t just manufacture, we breathe life into ideas and make them come alive with the greatest care and attention, working with fine materials, carefully handpicked for their highest quality. We still believe in truly handmade pieces, just like in the old days, so that everything has a human touch and are always finished to perfection.”

Este foi o ano de repensar o caminho, mudar de nome (conversámos durante o brainstorming e o logotipo elegante foi feito pela talentosa Joana Duarte, da Molde Design Weddings), afinar o volante, definir novos objectivos (a internacionalização é um deles) e subir a fasquia: o resultado está aqui, perfeição manual, acabamentos de luxo e uma visão claríssima do que se é. A Sílvia instalou-se numa nova casa, que é totalmente sua cara. Conhecemo-nos há uns bons anos, somos fãs do trabalho de cada uma e estou muito feliz por este maravilhoso salto!

 

 

Segue-se a Adriana Morais, cujo trabalho temos visto crescer em consistência e talento, sempre em dupla com uma simpatia irrepreensível. Em Junho publicámos um casamento absolutamente maravilhoso na nossa edição dupla das revistas The Destination: weddings in Portugal e The Destination: casar em Portugal. As editoras do Rock my wedding gostaram tanto, que entraram em contacto com a Adriana, pedindo os conteúdos para publicação. Muito bom!

 

 

2015 foi também o ano em que a Jennifer Miranda se estreou com o seu próprio canal no YouTube, com a publicação de videos de tutoriais e bons conselhos, bem feitos, com graça e com ritmo.

Com dois filhotes fofos, a Jenny é uma força da natureza, sempre com novidades e passos firmes na sua carreira de maquilhadora – gostamos de lhe prestar atenção!

 

Histórias com alma foi o nome que a dupla Francisco Sousa e Ana Freitas (reconhecem-nos como os fotógrafos Um dia de sonho?) deram ao seu novo projecto:

“As nossas histórias têm lugar na Casa Grande do Fontão, um histórico Solar minhoto repleto de românticos jardins e de uma lindíssima envolvente que permite a realização de um único evento por dia.
Não temos fórmulas: os nossos ingredientes são os sonhos de cada casal, e o resultado nunca se repete. Orquestramos uma sinfonia de sabores, cores, perfumes, sons, abraços, risos, lágrimas, olhares e palavras que construirá as vossas memórias, carregadas de afectos, para todo o sempre. Queremos conhecer-vos, saber o que vos move, o que vos comove, o que vos entusiasma, o que vos une, o que vos espelha. E depois compilaremos toda essa informação num só dia, inteiramente desenhado à vossa imagem.
O vosso casamento é uma bela História e nós queremos contá-la. Com Alma.”

 

Admiramos o golpe de asa e a coragem para embarcar numa aventura desta dimensão!

 

 

A fechar, 2015 foi o ano em que finalmente conheci o simpático fotógrafo Ricardo Vieira, (português, a viver em França), numa visita curta (e almoço tardio!) que ele fez a Portugal. Que delícia, parecia que nos conhecíamos desde sempre, olhamos para o mercado da mesma forma e claro, aquela energia maravilhosa que vemos no seu trabalho, é real e contagiante! Foi uma hora de riso, muita conversa e boa disposição. Uma das últimas sessões que publicámos por aqui, que acabou em pedido de casamento a sério, preparado no maior dos segredos, é dele. Fico sempre fascinada por estas imagens tão poderosas e sei bem o quanto ele aprecia regressar a Portugal, por isso, se gostam do seu portfolio e se identificam com o que vêm, falem com ele – vão adorar conhecê-lo.

 

teresa_dado_______aventure__ricardo_vieira_photographe_16

 

Tudo óptimo, não acham?