Created with Sketch.
Marta Ramos

We are everything, you and me – por Pixel

Na última vez que vos trouxe aqui um vídeo da Pixel, falei-vos da sensação de intimidade conseguida no filme, que nos sugeria poder tratar-se de um romântico elopement. Não era o caso da Emily e do Sérgio. Mas hoje mostro-vos um verdadeiro elopement, uma escapadinha a dois com a tão apaixonante urgência de dar o nó sem esperar. Apertem os cintos, pois vamos voar até Nova Iorque.

Como sempre, a câmara da Pixel trata o casal como se nada mais à sua volta existisse no mundo, de uma maneira muito intensa. A Pixel é a expressão documental da imensa paixão que o Zé, a Luísa e o João têm pelo cinema em particular, e pelas artes em geral. Acreditam que as histórias não se repetem e que nenhum detalhe é pequeno demais para ser documentado, pelo contrário, inúmeras vezes são estes que tornam as histórias únicas e irrepetíveis. Com base nesta crença, tentam conferir aos seus trabalhos uma linguagem despretensiosa, emocionalmente e visualmente carregadas e com uma profunda atenção ao pormenor.

A Maria João e o Afonso conheceram-se em Nova Iorque e a ideia inicial seria registá-los na Big Apple, numa sessão filmada pela Pixel. Com tudo combinado, rumaram aos Estados Unidos. Acontece que o Afonso já tinha outra coisa em mente, e aproveitou a oportunidade para pedir a Maria João em casamento, em directo para a câmara. O elopement foi assim gravado para a posteridade.

 

 

Não deixem de espreitar os outros trabalhos dos Pixel que já aqui publicámos. Para falarem com eles, encontrarão todos os contactos na respectiva ficha de fornecedor seleccionado.

Susana Pinto

Casamento intimista na Quinta da Quintã: Joana + Vasco

Hoje celebramos um maravilhoso casamento intimista na Quinta da Quintã: é a festa da Joana + Vasco.

Parece feita às avessas, umas coisas primeiro que as outras, numa ordem que desafia o cenário habitual, mas vistas bem as coisas, que importância isso terá?

Uma festa de casamento celebra o amor. A forma como damos corpo a isso, é um detalhe à medida de cada casal. Mais elaborada e sofisticada, mais singela e intimista, mais divertida, mais emocional ou mais protocolar, são visões singulares dos noivos. No caso da Joana + Vasco, tudo é amor: dos pequeninos aos mais velhos, o fio condutor que liga e une todos é um imenso amor partilhado, feito de felicidade, abraços, sorrisos e algumas lágrimas.

Tudo lindo e tão doce, e a ajudá-los a pôr de pé este épico dia, estiveram a Quinta da Quintã e todo o seu staff impecável, a dupla de fotógrafos Menino conhece Menina, os Pixel ao comando do vídeo e se virem com atenção, vão descobrir um dos bonitos bastidores para as alianças, bordados com andorinhas, da Jubela.

Bom fim-de-semana!

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

O “sim” foi quase “imposto” por mim, porque um dia decidi ir ver vestidos de noiva e, sem estar à espera, apaixonei me por um vestido, que comprei. Logo a seguir ligo ao Vasco a dizer “Vamos casar para o ano, já comprei o vestido!”.

Depois disto, e o Vasco já recuperado do susto, imaginámos que teria de ser mais do que uma celebração da nossa união, mas sim uma celebração da família que construímos com os nossos filhos e um dia que marcasse todos os nossos convidados!

“O melhor casamento de sempre”, “o mais emocionante”, “um dia marcante para a vida de todos”, foram algumas das mensagens que fomos recebendo nos dias seguintes à nossa festa. E nós sentimos o mesmo.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sim, preparados! Começámos a namorar em 99, fizemos um intervalo longo e voltámos a namorar em 2012. Já tínhamos vivido juntos na primeira fase do nosso namoro, em Coimbra, onde estudámos os dois e novamente desde 2012. Agora, os nossos filhos foram os nossos convidados super especiais. Há sempre nervos na preparação de um evento tão grande e num dia tão importante como este, mas sentimos que se não tivéssemos filhos e tivéssemos mais tempo teria sido mesmo muito tranquilo todo o processo.

E claro, a gestão do orçamento também traz algum stress, porque há coisas das quais não queríamos mesmo abdicar. Assim, fomos gerindo o processo melhor que soubemos e no fim conseguimos ter tudo o que queríamos, como os nossos fotógrafos e videógrafos preferidos: os Menino conhece Menina e os Pixel. E ainda bem que não abdicámos da sua presença, porque o trabalho de ambos ficou incrível!

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Todas as partes do processo foram importantes, mas nas reuniões com a Joana, o João e a Tânia, sentimos muita segurança e uma cumplicidade muito grande com eles, que sempre nos tranquilizaram garantindo que tudo iria ser como queríamos. Aliás queríamos casar de novo, pelo processo das reuniões, estar na Quinta com eles e rirmos com todas as ideias “inovadoras” do Vasco. Divertimo-nos bastante em todo o processo, mas principalmente com eles!

A semana anterior ao casamento também se revelou espectacular. Foi como um ensaio para o grande dia. Conversávamos os dois e dizíamos “ainda bem que decidimos casar, porque receber tanto carinho e amor está a ser delicioso”!

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sim, muito fiel. O pessoal da Quinta da Quintã alinhou em tudo o que íamos planeando e ajudaram-nos imenso! Alinharam na nossa ideia de casarmos num laranjal da Quinta que não costuma ser usado para este efeito, alinharam na nossa entrada da sala de jantar pela cozinha com os nossos amigos a carregarem-nos em ombros, no flash mob que os nossos amigos preparam e que foi incrível e em muitos outros detalhes que fizeram da nossa festa um dia muito nosso! Confiei plenamente neles, mas no dia lembro-me de ter pensado que estava a ser muito melhor do que eu tinha imaginado!

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental era personalizar, emocionar e eternizar determinados momentos na memória de todos e não ser “mais um casamento”. Também tentámos que todos os nossos convidados percebessem porque estavam ali e que se sentissem especiais por partilharem aquele momento connosco, em especial os nossos pais e filhos, avós, irmãos, cunhada, mas também todos os amigos e restante família.

Sem importância era obedecer a “regras”, como oferecer uma lembrança. Isto, para nós, era um gasto desnecessário, que preferimos investir num filme feito pelos Pixel que passou no dia do casamento e que vai ser uma das mais belas recordações que guardaremos para a vida e para deixar aos nossos filhos. Ainda hoje nos falam desse vídeo.

A banda sonora de toda a cerimónia e o corte de bolo dos noivos também foram fundamentais para tudo se encaixar. Nos dias seguintes muitos amigos nos diziam que não conseguiam parar de ouvir as músicas e que com elas iam revivendo aquele dia tão especial.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Eu sempre gostei de espreitar blogs e páginas como o Simplesmente Branco e já tinha na minha cabeça que se um dia casasse, queria que fosse na Quinta da Quintã, cos Pixel e os Menino conhece Menina, tornando tudo muito fácil. Numa semana tínhamos tudo definido, inclusive o vestido de noiva. Tivemos sorte por estarem todos disponíveis, e, a partir daqui, só tivemos de nos preocupar com os pormenores. O mais difícil foi o Vasco encontrar o fato que queria. Foi uma longa procura mas que também acabou por correr bem! Contou com a ajuda do alfaiate Ayres Bspoke Tailor e o processo da escolha do tecido, forro e provas também foi muito giro.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Toda a cerimónia foi muito bonita, pela simplicidade e emoção à flor da pele, mas no final da festa ambos concordámos que o melhor momento foi o corte de bolo! Foi muito emocionante e bonito pelos discursos que dirigimos a todos os presentes num momento muito envolvente e tranquilo em que todos nos rodeavam no laranjal. Um dia, um amigo disse-nos que tinha sonhado que íamos todos viver um momento incrível num laranjal e este foi mesmo!! Muitos abraços, beijos, palavras de afecto e amor, lágrimas… Foi mesmo o pico sentimental do dia.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

E o pico de diversão?

Diversão à séria foi a coreografia inesperada, preparada pelos nossos melhores amigos e irmãos e que envolveu todos os convidados. Foi incrível, porque víamos os nossos amigos a dançarem com os nossos pais, os nossos tios mais velhos e os colegas de trabalho, tudo misturado, e não conseguíamos perceber como é que pessoas que não se conheciam tinham conseguido pôr 200 e muitas pessoas a dançar. Mal começou, a energia deles invadiu-nos e dançámos muitoooo!

Sentimo-nos duas crianças genuinamente felizes!

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Um pormenor especial…

Durante a cerimónia quisemos homenagear os nossos avós, que já sabem o que é viver um Amor para a Vida Toda, com a ajuda da música da Carolina Deslandes. Abraçámos os avós em primeiro lugar e pedimos que todos abraçassem os seus amores naquele momento.

Este momento foi inspirado por uma missa Gospel a que assistimos em Nova York. Queríamos que as pessoas se movimentassem durante a cerimónia e não estivessem só a assitir, mas sim a participar e a reflectir sobre as suas próprias vidas.

Este momento terminou com um copo de champanhe e um brinde colectivo entre todos. Foi maravilhoso!

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

O que não correu tão bem como tínhamos planeado foi o baile, mas já estávamos tão felizes que não alterou o nosso estado de espírito e o sentimento de que tudo estava como queríamos.

A Joana, da Quinta da Quintã, mais experiente, alertou-nos para isso, e devíamos ter seguido os conselhos dela.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Viverem o dia! Não sentimos que o dia passou a correr como muitos noivos dizem. Conseguimos saborear todos os momentos ao máximo, primeiro porque sabíamos que o nosso dia estava nas melhores mãos do mundo, a Joana, o João e a Tânia, e em nenhum momento do dia nos preocupámos com nada. Só vivemos intensamente o nosso dia de celebração.

Por isso, o melhor conselho, é investirem no mais importante e descomplicarem ao máximo!

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Casamento rústico na Quinta da Quintã, com fotografia Menino conhece Menina.

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Filipa Viana, ilustradora + Joana Coelho (Quinta da Quintã);

espaço, decoração, catering e bolo dos noivos: Quinta da Quintã;

fato do noivo e acessórios: Ayres Bspoke Tailor, sapatos Camper;

vestido de noiva e sapatos: Rembo Styling (Borsini Noivas) Sapatos: Juliana Bicudo, Vila Madalena São Paulo, Brasil;

maquilhagem: Maria José, Secret Garden (Praia da Granja);

cabelos: Cabeleireiro Pente Novo (Praia da Granja);

bouquet: Célia (Quinta da Quintã);

fotografia: Menino Conhece Menina;

vídeo: Pixel;

luzes, som e Dj: Bizarros do Costume, Telmo Oliveira.

 

Susana Pinto

À conversa com: Pixel, filmes de casamentos

Hoje sentamo-nos a conversar com os Pixel, que fazem filmes para casamento.

Lembro-me perfeitamente da primeira vez que vi um trabalho deles, num formato que por si só, já era diferenciador à época: 11 minutos de duração.

Rita + Roberto, absolutos desconhecidos e uma festa onde eu queria muito estar. Foi esta narrativa pulsante e irresistível que me cativou no trabalho dos Pixel, e que me fez segui-los, conversar com eles e insistir que esta era a casa perfeita para o seu trabalho ser visto. Tê-los na nossa lista seleccionada é um privilégio e um prazer. O trabalho que fazem reúne tudo aquilo em que acreditamos: um ponto de vista singular e uma qualidade impecável.

Fiquem com as palavras dos Pixel e conheçam com mais detalhe o que os move e de que se alimentam para fazer um trabalho tão especial.

 

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, ao video de casamento.

A nossa viagem até aos vídeos de casamento começou, curiosamente, numa viagem. Há uns anos, andámos a viajar pelo Sudoeste Asiático e na altura fizemos um vídeo com as imagens que fomos captando. Estávamos longe (muito longe) de imaginar que esse vídeo mudaria para sempre as nossas vidas. Na altura, um fotógrafo (hoje amigo do coração) viu esse filme por intermédio de uns amigos que tínhamos em comum e convidou-nos a fazer um vídeo de casamento à experiência e… cá estamos!

 

Há quanto tempo filmam? E porquê casamentos?

O primeiro ano foi 2012, mas nesse ano ainda todos tínhamos os nossos respectivos empregos. A partir de 2013 é que nos dedicámos em exclusivo à Pixel. Não existe um porquê em relação aos casamentos… simplesmente aconteceu e adorámos a experiência! Ainda assim temos que confessar que cada mais temos trabalhos fora da área dos casamentos.

 

O vosso trabalho junta os pontos de vista de cada um de vocês. Como convergem? 

Ah, é difícil, muito difícil falar de nós próprios e do nosso trabalho. Ainda assim temos a certeza que o nosso trabalho é definido por tudo aquilo que somos, é muito mais uma forma de expressão do que propriamente um produto pensado ou criado a partir de uma estratégia bem definida.

 

Num casamento, para onde olham, o que vos prende a atenção? O que procuram?

Antes de mais, o que mais procuramos são casais que confiem e se entreguem ao nosso processo de criação… a partir daí tudo se resume a “feeling” e acreditar que não temos que nos render a fórmulas standard! Existem tantas formas de contar, de criar, de emocionar e de chegar àquele cantinho no coração que nos faz estremecer, e é aí que queremos estar!

 

 

Como construíram a vossa assinatura? Como é que a definem?

Não construímos, nem tão pouco a conseguimos definir… Como já referimos, nada na Pixel foi ou é exaustivamente pensado, não temos estratégia para o próximo vídeo. Ainda assim, estamos convictos de que as formas de expressão não se criam nem tão pouco se definem… Tudo se resume à nossa forma de ver o mundo ou de recriar um novo mundo através daquilo que escolhemos registar.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

Inspiração no sentido literal vem sobretudo do cinema, filmes indie e música.

Somos consumidores ávidos do Vimeo (aliás, um de nós consegue passar todo o dia no Vimeo!).

Outro factor que se mistura umbilicalmente com inspiração, são as nossa vivências enquanto pessoas. No limite, o que criamos é um reflexo daquilo que somos!

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Este é um foco de divergência entre nós. Enquanto uns precisam nitidamente de “desligar a ficha” e ir para a praia, outros acabam por não sentir essa necessidade. Mas no fundo, achamos que quem vive nesta área de corpo e alma não se consegue desligar completamente. Em boa verdade, as nossas vidas pessoal e profissional unem-se de uma forma tão harmoniosa que já nem pensamos no que é trabalho ou no que pessoal… é apenas um “lifestyle”. Ainda assim, trabalhamos muito, trabalhamos imenso, não pensem que dormimos toda a manhã e vamos para a praia de tarde, não, de todo, não!

 

De Portugal para o mundo, ou o mundo em Portugal: filmar fora do país é diferente de filmar cá dentro?

De Portugal para o mundo claramente. O casamento em si pode até nem ser tão diferente do que por cá se faz, mas o simples facto de viajar (e nós adoramos viajar), altera completamente os nossos sentidos, aguça-os, sobredimensiona-os e tendencialmente estamos muito mais “ligados” do que quando estamos na nossa zona de conforto a 5, 50 ou 500km de casa. Este é, na nossa opinião, o grande factor diferenciador. Ainda assim, pela experiência que temos dentro e fora do País, achamos que em Portugal os casamentos duram demasiado tempo, só porque sim…

 


 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Ao receber um contacto, verificamos sempre primeiro a disponibilidade, pedindo a data e local. Depois gostamos de reunir para falamos sobre nós, sobre a forma de trabalhar e sobre o dia em si, ficando a aguardar o feedback do casal.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

Todas, desde que sejam festas de pessoas simples, simpáticas e despreconceituosas, estamos de coração quente e com sorriso nos lábios. Depois, cada “tipo” de casamento tem o seu mood especial e nós sentimo-nos confortáveis para criar com qualquer tipo de mood, desde o underground, electro, love, até um casamento em qualquer castelo ou palácio.

 

Qual é a melhor parte de ser videógrafo de casamentos? E o mais desafiante e difícil?

Ser videógrafo (não só de casamentos) permite-nos ter uma qualidade de vida que não imaginávamos há 6 anos atrás… Estamos rodeados de pessoas felizes, fazemos o nosso próprio horário em termos de pós-produção, fazemos o que gostamos.

Não temos um trabalho, temos uma vida!

Cremos que a gestão de expectativas é – secretamente – o que mais nos apoquenta. O resultado final do nosso trabalho não depende unicamente de nós, longe disso. Tentamos sempre explicar aos noivos que o resultado final depende de imensas variáveis, desde o local, a luz, o tempo que temos disponível nas várias fases do dia, etc., e ainda existe o factor subjectivo de o dia ser retratado sempre através dos nossos olhos.

 

Escolham um filme favorito do vosso portfolio e contem-nos porquê:

Este é um pedido bastante difícil. Cada filme é criado do zero e fazêmo-lo com o mood que consideramos adaptar-se àquele casal e festa específicos. Neste sentido, queremos pensar que todos os vídeos são especiais, e quando os terminamos, achamo-los perfeitos, cada um à sua maneira. Ainda assim, todos os trabalhos que já estão feitos, estão no passado, e não queremos estar “reféns” de nenhum registo ou estilo, pelo que o trabalho anterior não deve ser um prenúncio do próximo.

Mas respondendo mais objectivamente, o filme que melhor nos espelha neste momento é o “NEON BALLROOM”, apenas porque é o mood e o registo visual em que nos revemos nesta fase.

 

 

Os contactos detalhados da Pixel, estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, cheia de videos incríveis e contactem a Luísa Coelho directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

Casamento rústico em Alenquer: Neide + David

Hoje trazemos para vocês o casamento rústico em Alenquer, da Neide + David.

Oiço muitas vezes os fornecedores comentarem que têm os melhores noivos, que isto, que aquilo.

Mas na realidade, quem tem os melhores noivos sou eu! Genuínos, felizes, com um maravilhoso sentido de humor, cheios de emoções e envolvidos naquele que é o mais bonito dos dias.

Foi doce e perfeito o dia da Neide + David, e eles contam-vos como o fizeram acontecer. Para além da partilha e da celebração, era para eles fundamental que todo o dia fosse uma sucessão de bons momentos, muito animados, dos mais pequenos aos mais graúdos, e que essa sensação de felicidade fosse contagiante. E foi.

As fotografias são do Hugo Coelho Fotografia, a decoração ficou a cargo da Amor e Lima para o Páteo Velho e o vídeo é dos Pixel.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Estava tão longe da ideia de casar, que em vez de um “Sim”, a resposta foi “ estás a brincar?!”. O nosso dia tinha de ser rodeado de amigos e família, num espaço cujo ambiente fosse leve, boémio e fresco como uma brisa de final de Verão. Era essa a nossa imagem. E assim foi!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Há sempre nervos, claro.  Entre o pedido e o grande dia, tínhamos apenas alguns meses. Os espaços já estavam com agendas preenchidas (e ainda bem para nós), o que nos levou a uma pesquisa mais demorada e ao encontro daquilo com que mais nos identificávamos. Com muita sorte, acabámos por encontrar as pessoas certas para que cada detalhe espelhasse a nossa personalidade.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando chegámos ao Solar de Pancas! Pela falta de datas disponíveis em todos os espaços que visitávamos, já ponderávamos deixar tudo para 2018. Quando descobrimos o Solar e fomos recebidos pelo Diogo, não foi necessário sequer tempo para pensar. Tinha de ser ali, pelo tons de verde, o jardim, as luzes, a escadaria, o tabuado em madeira das várias salas do solar, o peso leve daqueles 500 anos de história em cada canto… Depois tudo se encaminhou.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado é superior qualquer ideia inicial! Imaginem-se numa tela de Monet com toda a vossa família e amigos, ao som de Bossa Nova… Perfeito! As decisões foram todas tomadas por nós sem margem para “grandes opiniões externas”. Isso deu-nos muito prazer e divertíamo-nos imenso. Na execução de algumas coisas, contámos com ajuda, nomeadamente para os noivos do topo do bolo, feitos em croché pela mãe do David e a execução do photobooth com a ajuda do pai.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

A presença dos convidados e que se lembrassem do nosso dia com um sorriso. É uma sensação única, tentar juntar no mesmo dia, pessoas tão importantes que passaram pelas nossas vidas, em momentos e lugares tão diferentes, que testemunharam o nosso percurso. Por isso, era tão importante para nós que se divertissem, que se envolvessem em cada momento e que sentissem que a sua presença era fundamental. Não há nada sem importância num dia destes.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil: Por incrível que pareça, o vestido de noiva – Obrigada, Joana! O mais difícil: encontrar o fotógrafo! Não há muitos “Coelhos” por aí…

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A entrada na igreja, ver o David comovido no altar, ouvir a Ave Maria de Schubert na voz da Susana Duarte ao som do órgão com o Daniel Oliveira e a luz no interior da Basílica. Mágico.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

E o pico de diversão?

A saída da igreja, tão colorida e emotiva, é um momento de descompressão e euforia ao mesmo tempo. Ah! e o momento de dança, durante a festa, treinado com as amigas. Inesquecível!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Um pormenor especial…

É difícil de eleger um, quando tentámos que o nosso dia fosse repleto de pormenores, tanto para nós como para os nossos convidados. Talvez o carrinho de gelados artesanais da Nutwood com sabores do Oeste que refrescaram os convidados à saída da igreja, o Photobooth Home Made, a mesa de mensagens em Origami, o Palhaço Batatolas (Pedro Almeida) que deixou os pais descansado por largas horas, a maravilhosa voz em estilo Bossa Nova, da Madalena Botelho, a nossa entrada no jantar ao som do Super Mario… Ui… É difícil escolher um!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada! Só comprávamos menos sacos de gomas (entusiasmámo-nos e comprámos uns 13 kg!)

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Tirem prazer dos preparativos a dois e aproveitem o dia ao máximo. Criem momentos únicos para os vossos convidados, eles estão lá por nós. Não há detalhes menos importantes quando se trata de nós!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografia de Hugo Coelho Photography

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites: convites e missais feitos pelos noivos;

local: Solar de Pancas;

catering e bolo dos noivos: Páteo Velho;

gelados artesanais: Nutwood, Torres Vedras;

fato do noivo e acessórios: Ted Baker;

vestido de noiva e sapatos: vestido de noiva Joana Montez, sapatos Nero Giardini;

maquilhagem: Tânia Neves Makeup;

cabelos: Susy Cabeleireiros, Torres Vedras;

bouquet: Flores e Cores Florista, Torres Vedras;

decoração e materiais gráficos: Amor e Lima;

lembranças para os convidados: doces da Pêras e Companhia, Lourinhã;

fotografia: Hugo Coelho Fotografia;

vídeo: Pixel;

animação infantil: Batatolas – Pedro Almeida;

música da cerimónia: Susana Duarte (voz) e Daniel Oliveira (orgão);

música do cocktail: Madalena Botelho de Sousa;

luzes, som e Dj: Dj Rui Franjas

 

 

Marta Ramos

Neon, por Pixel

O elopement é uma ideia ultra romântica. Não é muito comum um casal decidir casar subitamente e em segredo, mas acontece. Nesta vaga crescente de estrangeiros que escolhem Portugal para dar o nó, há vários casais que decidem fazê-lo sozinhos. Já nos filmes e nas séries americanas, nos habituámos a assistir às fugas até Las Vegas para casar de um momento para o outro. Há qualquer coisa de muito bonito nessa urgência.

Bem, mas hoje trago-vos um vídeo da Pixel que não é sobre um elopement nem foi filmado em Las Vegas. No entanto, a câmara trata o casal como se nada mais à sua volta existisse no mundo, de uma maneira muito intensa. Nada a que não estejamos já habituados nos filmes desta equipa. A Pixel é a expressão documental da imensa paixão que o Zé, a Luísa e o João têm pelo cinema em particular, e pelas artes em geral. Acreditam que as histórias não se repetem e que nenhum detalhe é pequeno demais para ser documentado, pelo contrário, inúmeras vezes são estes que tornam as histórias únicas e irrepetíveis. Com base nesta crença, tentam conferir aos seus trabalhos uma linguagem despretensiosa, emocionalmente e visualmente carregadas e com uma profunda atenção ao pormenor. Desta vez, como habitualmente, conseguem-no na perfeição.

A Emily e o Sérgio optaram por uma cerimónia civil e uma festa intimista, num espaço magnífico em plena zona histórica do Porto: o Flow, um restaurante e bar com um belo terraço, que ocupa um edifício neo-árabe com arcadas, balaústres, pilares, azulejos exteriores e, agora, uma decoração sofisticada. O pacote fica completo com a deliciosa cozinha mediterrânica do Chef Rui Mingatos. Que bela escolha!

 

 

Não deixem de espreitar os outros trabalhos dos Pixel que já aqui publicámos. Para falarem com eles, encontrarão todos os contactos na respectiva ficha de fornecedor seleccionado.

Susana Pinto

Um casamento rústico e uma festa maravilhosa: Rubina + Filipe

Um casamento rústico e muito descontraído era o desejo da Rubina + Filipe, e foi exactamente essa a festa que tiveram.

Tudo muito bonito, relaxado e uma festa épica que terminou com o sol já a espreitar. A acompanhá-los nesta aventura, uma mão cheia de óptimos fornecedores, muito profissionais e disponíveis, e, nas palavras dos noivos, como vão poder ler, peças fundamentais para que o seu dia fosse tão bonito e perfeito.

As fotografias são da dupla Menino conhece Menina, o vídeo, que publicámos aqui há umas semanas, e que é tão bonito que merece ser revisto, é dos Pixel, o bouquet da noiva é da Isabel Castro  Freitas e o acessório do cabelo que a Rubina usou é da Cata Vassalo. Os sapatos maravilhosos são Guava.

Não digo mais nada, que as palavras da Rubina + Filipe descrevem na perfeição o mais bonito dos dias, o deles!

Bom fim-de-semana!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

O “sim” aconteceu em pleno deserto da Namíbia, num sítio lindíssimo chamado Dead Vlei, e estávamos no início de uma viagem por África que incluiu dormirmos com um elefante encostado à nossa tenda no Botswana, pelo que a “ficha” só caiu quando voltámos. Penso que para ambos o “sonho” começou a ganhar forma no momento em que conhecemos a Quinta da Torre e a amorosa Rocío (a dona do espaço, que foi sempre incansável), e decidimos nesse momento que queríamos uma festa ao ar livre, bem rústica e descontraída (não porque pudesse estar na moda, mas porque o espaço assim o exige).

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Gostávamos de ser uns noivos muito cool e dizer que não foi um processo de nervos e estivemos sempre muito tranquilos, mas estaríamos claramente a mentir! Sobretudo quando se organiza um casamento à distância de 5000 Km (ambos trabalhamos e residimos em Angola). Estamos naquela idade em que vários amigos nossos casaram recentemente e então chovem conselhos e dicas, o que tem aspectos positivos e negativos – de cada vez que nos perguntavam “Então, já têm isto ou aquilo?” e a resposta é “Isso é necessário?” ou “Nem tínhamos pensado nisso”, o nível de ansiedade disparava!! Sobretudo para a Rubina (que não é nada control freak). Valeram-nos os fornecedores maravilhosos que escolhemos e a nossa família e amigos que nos ajudaram tanto!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Difícil escolher, porque apesar de ser um processo de nervos, foi um percurso que nos deu bastante prazer, ver o nosso dia a ganhar forma. Há dois que nos marcaram por terem sido totalmente espontâneos e não planeados:

o momento em que conhecemos a Quinta da Torre que não conhecíamos até então. A escolha foi instantânea – a Rubina visualizou no momento o lugar onde seria a cerimónia com o seu corredor de oliveiras e ambiente etéreo; e o clique instantâneo que sentimos com a Isabel (da Crachá Wedding Agency) e o seu bom gosto que captou tão bem aquilo que pretendíamos e que nos ajudou muito para além do “contrato”. A cada reunião (ainda que por Skype e com todas as dificuldades de rede inerentes a África) conseguia sempre surpreender-nos e deixar os nossos corações mais descansados. Como esquecer a escolha da decoração das mesas que foi feita por Facetime, nas escadas do escritório com o telemóvel apontado para o teto para conseguir melhor rede.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado final não foi fiel à nossa ideia inicial… foi 1000 vezes melhor! Contámos com muita ajuda, não apenas da nossa família e amigos, mas também dos nossos fornecedores que foram absolutamente maravilhosos e incansáveis – escolhemos uma equipa de profissionais que se preocupa verdadeiramente com proporcionar um dia inesquecível aos noivos, e colocam “mãos à obra” para que isso aconteça. Um episódio (agora) engraçado que ilustra perfeitamente o que acabámos de referir – o local e cenário que tínhamos planeado para o corte do bolo teve que ser alterado inesperadamente uns minutos antes, e sem nos apercebermos os Pixel, os Menino Conhece Menina e os VW Pão de Forma para alugar fizeram o impossível e montaram o cenário (lindo!) que podem ver nas fotos para esse momento. E como esquecer o Rúben dos Musicbox que mesmo tendo que trabalhar no dia seguinte (se calhar não devíamos dizer isto…) nos deu as “nossas” músicas até ao último momento, enquanto esperávamos pela última pão de forma e só restávamos nós, os padrinhos e o sol já a brilhar lá no alto.

E claro, fundamental a ajuda da Crachá Wedding Agency, a quem nunca teremos palavras suficientes para agradecer. Foram todos tão brutais que até nos custa usar a palavra “fornecedores”, pois foram muito mais do que isso, foram verdadeiros companheiros. Podíamos ficar aqui horas a agradecer a todos que não seria suficiente.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós era fundamental que fosse um dia cheio de alegria, boa música e amor e mais do que isso, que todos os convidados se divertissem e sentissem quão importante era a sua presença para nós – para isso apostámos em pormenores que acreditávamos os fariam sentir bem recebidos como ter as duas carrinhas pão de forma a fazer o transporte dos convidados de e para a quinta, tínhamos protetores de saltos e chinelos para as senhoras descansarem os pés e dançarem à vontade, leques e welcome drink para ajudar a suportar o calor (estava um calor incrível naquele dia), escolhemos com muito cuidado a playlist, que o Rúben da Musicbox interpretou tão bem, etc.. Tivemos muitos convidados que viajaram grandes distâncias para estar connosco neste dia tão especial, alguns de Angola inclusive, e, portanto, quisemos retribuir essa demonstração de carinho.

Era também para nós fundamental fugir da tradicional cerimónia civil, com a leitura entediante e fria da celebração de contrato, e por essa razão queríamos imprimir um cunho pessoal e especial à mesma, e então cada um dos padrinhos e madrinhas teve espaço para dizer algumas palavras, e escolhemos com muito carinho as músicas para acompanhar as várias fases da cerimónia. No final o Filipe fez uma bonita declaração à Rubina que pôs todos os convidados em lágrimas (nem a senhora da conservatória resistiu).

O que demos menos importância foi ao cumprimento de tradições protocolares só porque sim – seguimos aquilo que para nós fazia sentido e deixámos de lado o que achámos que não acrescenta nada à festa e à experiência das pessoas.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Boa pergunta… Diríamos que o mais fácil, e que decidimos sem necessidade de pensar muito, foi a escolha dos padrinhos e madrinhas (o Filipe teve 3 padrinhos e 1 madrinha e a Rubina, 5 madrinhas). São pessoas muito importantes para nós, que nos acompanham há tantos anos e, portanto, não faria sentido que fosse de outra forma.

Houve ainda vários outros aspetos que foram para nós fáceis de decidir – a escolha da dupla vídeo e fotografia, neste caso os Pixel e os Menino Conhece Menina foi instantânea, unânime (importante, pois toda a gente sabe que em caso de dúvida, quem tem razão é a noiva!) e a primeira que fizemos, ainda antes de saber o local e data. Sabíamos que era esta dupla que queríamos que registasse o nosso dia. Inclusive, aconteceu um episódio caricato, porque a data que tínhamos marcado inicialmente (24 de Junho) teve que ser alterada para o dia 17 de Junho. Antes de sabermos se estariam disponíveis chegamos a ponderar – bom, se eles não estiverem disponíveis no dia 17, mudamos de videógrafos e/ou fotógrafos, ou mudamos o sítio? Acho que nem eles sabem isso, portanto será uma surpresa para eles. A escolha da cabeleireira também foi muito fácil para a Rubina, pois a Carla e a Paula do Ixia Salon, são a quem confia o cabelo há vários anos e como sempre, acertaram em cheio. Aliás, nem se tratou de escolha, porque na verdade nem sequer colocou outra hipótese.

O mais difícil e tal como esperávamos, pois foi unanimemente referido nos inúmeros conselhos e dicas dados pelos amigos recém-casados referidos anteriormente – o temível plano de mesas!!! Temos que admitir, fazer isto na semana que antecede o casamento, com os nervos em franja foi a pior experiência na organização do casamento.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Ufa… difícil de decidir! Toda a cerimónia civil foi muito emotiva (a generalidade das senhoras queixou-se imenso porque ficou logo com a maquilhagem arruinada) – os discursos dos padrinhos e madrinhas, o discurso do Filipe, o momento do “sim”. No entanto, não podemos deixar de referir o discurso (mais um) que o Filipe fez para “as mulheres da vida dele”, em especial a avó, durante o jantar. Foi um momento muito especial e que toda a gente presente leva também na memória, de certeza.

Foi o que nos deixou de coração cheio no final do dia e sempre que o recordamos – sentir que todas as pessoas presentes estavam genuinamente contentes por nós e elas próprias de coração cheio também. Foi de facto um dia de muito amor partilhado com as pessoas que mais significam para nós.

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

E o pico de diversão?

Acho que não conseguimos escolher um pico. Foram tantas as surpresas boas que os nossos amigos nos preparam –  a Rubina teve direito a um mini concerto de originais preparados pelas madrinhas (recordando o hobby de adolescência que partilharam, de pegar em músicas conhecidas e alterar-lhes as letras), os nossos amigos da faculdade preparam um vídeo à lá “How I Met Your Mother” a caricaturar a nossa história, a nossa entrada no jantar com os padrinhos e madrinhas, a dançar ao som de “Kids” dos MGMT… Acho que é impossível escolher só um momento… isso é bom, não é?

 

Um pormenor especial…

Como lembrança aos convidados, decidimos oferecer uma peça de artesanato feita por crianças de uma favela do Quénia, que estão inseridas num projeto fundado por uma jovem de Amarante (a terra natal do Filipe) e que se chama Há Ir e Voltar. Pela nossa ligação evidente a África (estamos cá há 5 anos), sempre soubemos que queríamos ajudar uma instituição de cá – ainda tentamos procurar em Angola, mas como não tínhamos garantia que o donativo chegasse a quem devia, decidimos pelo Há Ir e Voltar, pois o Filipe conhece a Diana (fundadora do projeto) e sabemos a paixão que ela emprega à causa. Não podíamos pedir melhor garantia do que essa. A melhor parte – tivemos vários convidados que após o casamento nos contactaram a pedir os dados do projeto para poderem efetuar donativos individuais!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Esta é a pergunta mais fácil de responder – não mudávamos nada!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Planeamento, planeamento, planeamento… Acho que esta é a chave para gerir nervos. Aceitem toda a ajuda que vos oferecerem e a que possam recorrer. O conselho mais importante de todos – no dia esqueçam tudo o que pode correr mal e desfrutem muito! É um dia tão inesquecível e cheio de amor, rodeado pelas pessoas de que mais gostam, que não o devem desperdiçar a tentar controlar todos os pormenores. Acreditem nos profissionais que escolheram, que corre tudo bem!

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento rústico na QUinta da Torre, com fotografia de Menino conhece Menina

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Anita Geraz;

local: Quinta da Torre – Lanhelas;

catering: Maria José Pinho Catering;

bolo: Ameadella Pastelarias;

fato do noivo e acessórios: Prassa;

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido Rosa Clara, sapatos Guava, tocado Cata Vassalo;

maquilhagem: Marlene Vinha, Pretty Exquisite Image Consulting;

cabelos: Ixia Salon;

bouquet: Isabel Castro Freitas Arte Floral;

decoração: Cracha Wedding Agency;

ofertas aos convidados: peças de artesanato do projeto Há ir e Voltar;

fotografia: Menino conhece Menina;

vídeo: Pixel;

luzes, som e Dj: Musicbox Porto e Quarteto Pop;

babysitting: SoAnimarte;

transporte convidados: VW Pão de Forma para alugar.

Save

Marta Ramos

Raízes, por Pixel

Há qualquer coisa nos casamentos celebrados no meio de árvores que me toca. Normalmente, as cerimónias ao ar livre são de carácter civil, mas este cenário, o verde das copas compactas das árvores, os troncos como pilares, o chão de terra e vegetação caída, acrescenta-lhes qualquer coisa de cerimonial, como se se tratasse de um ritual pagão muito antigo. Acaba por ser, na verdade: desde sempre que o ser humano encontrou na natureza ligações que lhe deram bases para construir tradições com as quais acrescentar significado, solenidade, aos momentos mais importantes da vida, às grandes transições.

Acrescentar raízes, no fundo. Como se, enquanto o casal escuta as palavras que oficializam a sua união, outras palavras fossem murmuradas debaixo da terra, e as suas raízes despontassem ali mesmo, entrelaçadas.

Os Pixel trazem-vos hoje um vídeo magnífico, breathtaking, com fragmentos do casamento da Rubina e do Filipe no mês passado. Sabemos que este casal de muito bom gosto escolheu outro fornecedor seleccionado para fotografar o grande dia, a dupla Menino conhece Menina. Talvez ainda venhamos a ter oportunidade de vos mostrar as fotografias; eu sei que gostaria de ver mais daquelas flores silvestres, do vestido em duas peças da Rubina, das danças que têm todo o ar de terem durado até altas horas. Festejar com alegria, com prazer.

Mas, para já, são imagens em movimento que quero que apreciem. Deixem-se levar pelo ambiente onírico criado pelos Pixel – é fundamental que ouçam a música, é como que mais uma personagem desta bonita história. Ponham os headphones e desliguem-se do mundo por alguns minutos para apreciarem esta bonita peça, um hino às uniões, às celebrações. Às raízes.

 

 

E não deixem de espreitar os outros trabalhos dos Pixel que já aqui publicámos. Para falarem com eles, encontrarão todos os contactos da ficha de fornecedor seleccionado.

 

Créditos:

 

wedding planner: Crachá Wedding Agency

fotografia: Menino conhece Menina

vídeo: Pixel

dj: Musicbox Porto

espaço: Quinta da Torre – Lanhelas