Hugo Coelho Fotografia Arquivos -  Simplesmente Branco 

0 Comentários

Margarida + Diogo, um casamento simples e épico!

Mais uma semana, mais um casamento bonito e doce. Começamos um optimista mês de Março com um casamento em Alenquer: a festa da Margarida +Diogo, no calor do mês de Julho.

A enchente de imagens é do Hugo Coelho, exímio contador de histórias: escolhemos quase 70, das 100 enviadas, porque todas fazem falta para contar  – e mostrar – como foi bonito, à sua maneira descomplicada e focada no essencial, o casamento da Margarida + Diogo.

É uma festa bonita, feliz, apetece-nos estar ali com eles, passar o dia, celebrar e dar abraços, brindar e, no fim, dançar como se não houvesse amanhã (e a Margarida dá uns belos conselhos para se conseguir um dia assim).

 

O melhor dos dias, é assim, vão ver!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos uma festa simples, descontraída, num ambiente familiar e rústico/campestre.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Estávamos preparados, mas há sempre aquele nervoso miudinho, queremos que tudo corra bem. Com tempo, conseguimos organizar tudo sem grandes sobressaltos nem imprevistos de última hora.

 

Convite de casamento rústico

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Sabíamos bem o que pretendíamos, íamos com ideias bem definidas na escolha de tudo – local, decoração, vestido de noiva, etc… Mas a prova de ementa, na Quinta da Taipa, foi a certeza de que tínhamos decidido o melhor local e as melhores pessoas. O ambiente familiar em que nos receberam, juntamente com os nossos pais, foi fundamental.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

 

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado final ainda foi melhor do que planeámos! Tudo foi perfeito, até o clima! O facto de termos a colaboração com a Quinta da Taipa, também nos permitiu passar o dia de forma descontraída porque sabíamos que estávamos em boas mãos.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Bouquet rústico cor de rosa

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Queríamos essencialmente aproveitar ao máximo o nosso dia, descontraidamente, e que todos disfrutassem da nossa festa tanto quanto nós. Queríamos que o dia fosse inesquecível, não só para nós. A música é muito importante – nada pior que uma pista de dança vazia!

O menos importante era ter um casamento planeado com grandes pormenores e timings. Quanto mais natural melhor.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Organizar o casamento não foi, de todo, o “bicho-de-sete-cabeças” que dizem. Pelo contrário, com tempo, deu-nos muito gozo imaginar as coisas e vê-las ganharem forma. Inclusivamente o vestido de noiva, inteiramente personalizado, foi das coisas mais fáceis.

O mais difícil foi decidir onde traçar o limite de quem se convida e quem se deixa de fora. Facilmente se começa a fazer uma lista e se chega aos 300 convidados, o que para nós estava fora de questão, pois queríamos poder dar atenção e estar com todos. A divisão das mesas também é uma tarefa complicada!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Os discursos dos padrinhos, sem dúvida! Numa cerimónia civil, em que muitas vezes o notário não conhece os noivos e acaba por fazer um discurso contratual (apesar de não ter sido o nosso caso), ter os melhores amigos a recordar os melhores momentos e peripécias, tornou o momento muito especial.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

E o pico de diversão?

No seu todo, o casamento foi bastante animado, com um belo dia de verão, convidados bem-dispostos e divertidos. Talvez destacássemos o brinde e corte do bolo, como o momento mais emblemático da festa.

 

Decoração de casamento rústica e romântica

 

Decoração de casamento rústica e romântica

 

Decoração de casamento rústica e romântica

 

Decoração de casamento rústica e romântica

 

Decoração de casamento rústica e romântica

 

Um pormenor especial…

Namorámos 14 anos e conseguimos fazer 14 mesas de convidados, uma por cada ano que passámos juntos. O tema era o ano em questão, com os principais acontecimentos e curiosidades acerca desse ano.

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

O casamento começou às 15h e, se fosse agora, gostávamos que durasse mais tempo. Passa a correr…e é um dia maravilhoso!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Organizem as coisas com tempo, evitem o stress de última hora. No próprio dia, disfrutem ao máximo… quanto menos “planeado ao minuto”, menos preocupações e o dia corre mais fluido. A chave de sucesso para um casamento bonito são uns noivos divertidos, descontraídos e felizes. Aproveitem!

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Casamento rústico em Alenquer, fotografado por Hugo Coelho Fotografia

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: design Filipa Pinto, impressão Serisexpresso;

local, som, DJ, decoração, catering, bolo: Quinta da Taipa, Alenquer;

fato do noivo e acessórios: fato Hugo Boss, sapatos Armando Silva;

vestido de noiva e sapatos: vestido modista D. Aurora, sapatos Atelier Fátima Alves;

ofertas aos convidados: design Filipa Pinto, execução Pikies;

fotografia: Hugo Coelho Fotografia;

vídeo: I Do films.

 

Save

0 Comentários

Inês + Ricardo, a receita para um dia muito feliz!

Atravessamos mais uma semana invernosa e nada melhor do que imagens luminosas (e vistas de mar!) para aquecer e sonhar com dias quentes e longos… Trazemos a festa da Inês + Ricardo, fotografada pelo Hugo Coelho Fotografia.

E o que eu gosto deste nosso casamento de hoje… Ri-me imenso com as respostas dos noivos (Inês, a noiva que nem se queria casar…!), e com a clarividência dos seus conselhos… e gostei tanto das imagens enviadas pelo Hugo Coelho, que contam uma história, que é a da Inês + Ricardo, neste dia de todos os dias: explico-vos porquê.

Há muitos blogues de casamento, certamente quem nos lê segue vários. E há o Pinterest, a plataforma nº1 das noivas actuais, e há o Instagram e isto e aquilo. Em comum, mostram imagens lindas, milhares de detalhes que circulam todos os dias, que guardamos criteriosamente em pastas de inspiração – eu faço o mesmo, são ferramentas de trabalho.

Mas não é isso que me interessa, nem é isso que me enche de espanto e nem é isso que quero, todos os dias, trazer para aqui e sobretudo, para estes artigos de sexta-feira: para mim, a magia são as pessoas e o amor partilhado, a energia do dia, a alegria contagiante, transversal (o sorriso da Inês está em todas as fotografias!)… A última imagem é uma fotografia de rolhas. E até é a minha favorita (e gosto muito de todas), neste contexto, porque fecha a narrativa, de forma épica: foi aquilo, uma festaça, são os despojos, o que fica quando toda a gente já se foi embora, o ponto final de um dia incrível (sim, porque só os dias incríveis e muito especiais terminam com espumante!). É a história contada pela lente do Hugo, a sua perspectiva com as suas escolhas e decisões sobre o essencial e o acessório, e é, sem margem para dúvidas, a história do dia da Inês + Ricardo, na companhia dos seus. E isto tudo, caros leitores, contado assim, é maravilhoso, é único e muito doce.

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Não fazíamos a mais pequena ideia. A Inês toda a vida disse que não queria casar e embora, com o avançar da relação, tenha mudado de ideias, foi uma mudança que até a ela própria fez confusão. Quase que nem queria admitir que estava, realmente, a pôr a hipótese de casar. E como era algo difícil de admitir, nunca se deixou pensar sobre como seria o grande dia. No dia do “sim” estava “tudo por pensar”. O primeiro instinto era casar numa praia tropical, com meia dúzia de amigos, pés descalços e vestido branco mas básico (pelo joelho e de alcinhas, nada de noiva) com uma flor havaiana no cabelo. Isto sem grandes certezas… Por outro lado, o clássico entrar da noiva na Igreja é algo que custa não incluir quando se toma a decisão de casar. Além do mais, a ideia do Ricardo, era o casamento clássico. Pelo que quando começámos a pensar no nosso dia e concluímos que seria clássico, só imaginámos as pessoas que nos são queridas à nossa volta, felizes por nós e orgulhosas por termos decidido partilhar com elas a decisão de ficarmos juntos para sempre.

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Não nos sentíamos minimamente preparados, mas não houve assim tantos nervos… Foi um caminho emocionante, isso sim. Todo o processo foi uma constante emoção. Uma excitação sempre que dávamos mais um passo na organização e uma felicidade enorme com o aproximar da data. Momentos de ansiedade, foram poucos, pois tivemos a sorte de quase nada fugir ao nosso controlo.

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Não sentimos “é mesmo isto” em nenhum momento concreto da organização. Sentimos isso antes de começar a organização, quando contámos aos nossos pais que tinha havido um pedido de casamento e que íamos dar esse passo.

 

 

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Tudo aquilo que exigiu preparação resultou de acordo com as ideias iniciais. Ou praticamente tudo, vá. Houve algumas adaptações que tiveram de ser feitas mas, de um modo geral, aquilo que idealizámos, concretizou-se. Tivemos bastante ajuda, sim. Principalmente da mãe da noiva… A mãe da noiva, da nossa experiência, é uma ajuda preciosa e fundamental!

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental: conseguirmos aproveitar o nosso dia, sem stress, para podermos sentir e usufruir de cada momento. Queríamos mesmo viver cada minuto. E, claro, ter à nossa volta as pessoas mais próximas e sabê-las felizes por nós.

Sem importância: tudo o que falhasse no dia. Isto é, fizémos os possíveis e impossíveis, até à véspera, para que tudo corresse na perfeição. Mas pusémos para nós que, no próprio dia, o que não corresse de acordo com o plano, não ia ter importância! O que corresse bem, óptimo. O que não corresse como planeado, azar.

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi escolher o fotógrafo! Embora tenhamos visto trabalhos de vários e tenhamos tido reuniões com 2 ou 3, no fundo sabíamos que íamos escolher o Hugo Coelho porque adorámos o trabalho que ele fez no casamento de uns amigos nossos. E esses amigos disseram que ele era “top”.

O mais difícil foi decidir como abrir a pista de dança! Não queríamos a valsa clássica pois não nos identificamos com isso mas não sabíamos bem como fazer uma coisa à nossa medida. Acábamos por dar largas à imaginação, ver vários vídeos no youtube e montámos uma coreografia nossa (que foi muito elogiada!).

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A entrada da noiva na Igreja – há noivos que escolhem outro pico que não este???

 

E o pico de diversão?

Abertura da pista! Não só a dança foi genial (modéstia à parte), como ainda por cima a mesa de mistura encravou e foi uma risota! Tivemos de começar de novo e pedir aos convidados que se fingissem surpreendidos como se não tivessem nunca visto como era o início da dança. Resultou super bem.

 

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…

O aparecimento de um amigo que vive que Xangai e com quem não estávamos a contar no casamento. Foi surpresa. Fez 13.000km em 2 dias para não perder o nosso dia – foi algo que nos honrou muitíssimo. Foi muito especial.

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada! Foi perfeito!! Quer dizer, se calhar comeríamos mais no cocktail (não experimentámos nada dos aperitivos, só mesmo o gin tónico) e certamente que teríamos ido à mesa das sobremesas e à dos queijos… Que desperdício! No dia nem nos lembrámos disso… Tanto empenho e dedicação a escolher cada variedade e depois não provámos nada…

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Não stressem. O vosso casamento acontece uma vez na vida por isso aproveitem cada momento do processo. Há coisas que nos deixam, a nós noivas, de nervos em franja durante a organização mas respirem fundo e  pensem que vai correr bem. Corre sempre e, no dia, não pensem. Não pensem em nada. Estiveram uma data de meses a preparar tudo, preocupadas com tudo e a pensar em tudo… Para quê? Para no grande dia poderem dar-se ao luxo de não pensarem em nada e só sentirem cada momento. Vale a pena! Mas só têm uma oportunidade, por isso não a desperdicem.

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Miguel Teixeira e Cláudia Alves;

local, decoração, catering e bolo: Quinta do Pé da Serra (serviço próprio);

fato do noivo e acessórios: Alta Roda;

vestido de noiva e sapatos: vestido A Bela Noiva; sapatos Zilian;

maquilhagem e cabelos: Mariana Gonçalves. Cabelos & Maquilhagem

bouquet: feito pela mãe da noiva

ofertas aos convidados: não houve

fotografia: Hugo Coelho Fotografia

vídeo: The Emotion Wedding Films

luzes, som e Dj: luzes e som Boost Audio; DJ Dave Oak

 

Save

0 Comentários

“Simplesmente Branco é…”

Fotografia dos noivos em modo natalício

 

…celebrar, sempre!”

Fotografia bonita do Hugo Coelho, para começarmos a semana.

Bom dia!

0 Comentários

Wow factor, por Hugo Coelho Fotografia

sessão de namoro  Hugo Coelho Fotografia

 

sessão de namoro  Hugo Coelho Fotografia

 

sessão de namoro  Hugo Coelho Fotografia

 

Imagens intimistas, captadas pelo Hugo Coelho. Por cá, somos fãs do seu trabalho!

 

0 Comentários

Hugo Coelho, um fornecedor Simplesmente Branco

Não conhecem o Hugo Coelho ainda? Não faz mal, ele apresenta-se já de seguida e desta forma bem simpática: “A fotografia de casamento tem sido cada vez mais a minha dedicação e paixão. Se tiver que definir o meu estilo fotográfico chamar-lhe-ia ‘uma reportagem natural’, é isso que pretendo fazer: captar a espontaneidade, os sorrisos, as emoções e conjugar tudo com a iluminação e o meu sentido estético.”

 

O Hugo Coelho foi recentemente escolhido para integrar o Wedding Photojournalism Association, um prestigiado grupo de fotógrafos mundiais na área. Ele adora o que faz e isso é fotografar!

 

Hugo Coelho é fornecedor seleccionado Simplesmente Branco. Podem encontrar mais informação e contactos detalhados na sua ficha de fornecedor, arquivada em Fotografia.

 

0 Comentários

Sofia + Aurélio, prova superada!

Em contagem decrescente para o primeiro dia de verão, fechamos a semana com imagens luminosas, pela lente do simpático Hugo Coelho!

Fiquem com a festa (e as aventuras!) da Sofia + Aurélio: muitas atribulações, um vestido lindo e pura diversão: a pista de dança ficou a cargo da Jukebox, e o video, por conta da dupla FullCut, todos fornecedores seleccionados cá de casa.

 

Vai uma festa bonita?

Desfrutem!

 

 

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Em todos os nossos momentos especiais existe sempre uma tempestade tropical que faz questão de aparecer. Já estamos habituados e é motivo de piada geral. O pedido de casamento não podia sair deste esquema e por isso quando fomos para a praia em pleno Inverno num dia de sol, aproximou-se toda uma tempestade do mar e, enquanto chovia, o sol punha-se sem qualquer nuvem. Foi perfeito. E teve direito a joelho na areia!

 

 

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Começámos a organizar-nos alguns dias após o pedido, cerca de 8 meses antes. O primeiro passo, e provavelmente o mais importante, foi construir a lista de tudo o que era necessário tratar e colocar por ordem de urgência cronológica. As primeiras coisas que tratámos foram as mais dificeis de ter vaga: igreja, espaço e fotógrafo. Tudo o resto só tratámos 6 meses antes.

 

 

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Achámos que a quinta já tinha o cariz rústico que gostávamos de ter presente, por isso todos os outros extras foram criados apenas para dar um toque a esta beleza natural. Escolhemos uma paleta vintage com dois tons, e criámos todos os materiais de que nos fomos lembrando, tendo por base a paleta de cores e os tipos de letra escolhidos.

 

 

 

 

 

A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Surgiu à medida que fomos tratando de todos os pontos mais “obrigatórios” e percebemos que conseguíamos tratar também de muitos extras, se mantivéssemos o planeamento e a dedicação. Quisemos ir por esta via, não só pelos custos associados, mas principalmente porque se fôssemos nós a fazê-lo, ficaria 100% de acordo com as expectativas, sem estarmos dependentes de terceiros. Claro que o “feito por nós” dá muito trabalho e claramente só não gera stress se for bem dividido entre os dois e as responsabilidades estiverem bem definidas.

 

 

 

 

Tiveste ajuda?

Claro! É muito importante saber delegar. Os pais ajudaram a tratar do carro, as madrinhas, dos missais, os padrinhos compraram material para a festa, etc.. Toda a gente próxima adora poder ajudar na preparação do casamento, é um desperdício não aproveitar.

 

 

 

 

O que era o mais importante para ti?

Garantir que nós os dois nos íamos divertir ao máximo, que íamos sorrir muito ao lado de todos os que mais gostamos, que ia ser um dia muito feliz como todos os que passámos ao lado um do outro!.

 

E secundário?

Queríamos também ter a certeza que todos os nossos convidados teriam um dia que se lembrassem mais tarde… e achamos que o objectivo foi cumprido.

 

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No catering.

 

Onde gastaste menos?

Em todo o material feito em gráfica (convites, menus, bases de copos, etc), porque foi oferecido.

 

 

 

 

O que foi mais fácil?

Comprar as alianças: escolhemos em 20 minutos e ficaram prontas num instante.

A quinta: decidimos num fim-de-semana.

A ementa: num almoço ficou tudo fechado.

 

 

 

 

O que foi mais difícil?

Tratar do processo na igreja da noiva: a igreja não está preparada para tratar deste tipo de burocracia e obriga a fazê-lo na paróquia de residência da noiva, sendo que uns podem ter sorte e outros, azar. Nós tivemos tanto azar na nossa paróquia, que mesmo abrindo o processo 4 meses antes, na semana anterior ao casamento ainda não tinham tratado de nada…

O anel de noivado: ao primeiro cairam 2 diamantes, ao segundo aconteceu o mesmo! Só o terceiro anel resistiu, foram 6 meses de luta… e a melhor história de sempre para contar: um noiva, um noivo, três aneis de noivado, um casamento!

Fazer mesas de convidados: é uma dor de cabeça… há pessoas que cancelam na semana ou até no dia antes e isso obriga a 400 versões diferentes!

 

 

 

 

 

O que te deu mais prazer criar?

A dança de coreografia com os padrinhos e madrinhas para entrada na sala. Foi épico.

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

Completamente a nossa cara!

 

 

 

 

 

Um pormenor especial?

Os leques durante a missa ajudam bastante, principalmente em casamentos de Verão. O nosso miminho de oferecer pimentas da terra deliciou os convidados que ainda hoje nos pedem reforços. E o fogo de artificio no final… foi mágico.

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Sim, tinha a noite de núpcias no dia a seguir ao casamento. O casamento acaba tão tarde que o melhor é ir dormir para casa nesse dia, acordar no dia a seguir e ir fazer check in cedo no hotel e aproveitar o dia todo lá. Assim sim, é um bom investimento!

 

 

 

 

Algumas words of advice para os próximos noivos?

Sim, garantam que contratam uma pessoa para vos ajudar no próprio dia. Existem mil coisas pequeninas que só no próprio dia se podem tratar, não se obriguem a vocês, os vossos irmãos ou madrinhas a estarem preocupados com os detalhes no próprio dia. Arranjem uma profissional para garantir que tudo corre sob bem e desfrutem do dia.

 

 

Os nossos fornecedores:

 

convites e materiais gráficos: LUV, Litojesus e LineStation;

local, catering e bolo: Quinta Valle Riacho, servido por Páteo Velho;

fato do noivo e acessórios: Labrador, Wesley e Mr. Blue;

vestido de noiva e sapatos: Joana Montez e Fátima Alves;

maquilhagem: Nuno Pereira;

ofertas aos convidados: Quintal dos Açores e Fábrica de Tabaco Estrela;

fotografia: Hugo Coelho:

vídeo: FullCut;

luzes, som e Dj: Jukebox