Created with Sketch.
Marta Ramos

As flores da Primavera, por KCKliKO

Têm nome de papoila (do francês, coquelicot), o que sugere de imediato um misto de delicadeza e força, de natureza selvagem com sofisticação. É uma boa forma de descrever o trabalho da Albane e do Luís, o casal KCKliKO. Inspirados pelas estações do ano, concebem ramos de flores espontâneos e bravios, com ênfase em espécies singulares, valorizando os recursos naturais e locais. Respeitam sempre a sazonalidade das plantas. Gostam de misturar flores grandes com outras mais pequenas, flores de cultivo e silvestres, tanto abertas como em botão e por vezes carregadas das suas sementes, permitindo ao ramo continuar a evoluir. As sementes e algumas das plantas que usam podem ser semeadas ou plantadas mais tarde.

Agora que a Primavera nos dá um ar de sua graça, apesar de estarmos mesmo quase no Verão, fomos saber quais são as flores desta primeira estação do ano:

«A Primavera, com a sua exuberância de flores traz cores e perfumes que nos enchem de alegria. A papoila, de aparência frágil que perde rapidamente as suas pétalas se a colhermos, regala os olhos salpicando do seu carmim os campos!As ervilhas-de-cheiro violáceas, as papoilas-da-califórnia laranjas, o jasmim e os trevos, tal como as anémonas, as frésias e os ranúnculos multicores misturam-se com os milhares de pequenos detalhes verdes das gramíneas. A dramática e fascinante nigella também faz parte da paisagem desta estação. As esplêndidas peónias despertam só durante um mês debaixo de uma chuva de pétalas de rosas cor-de-rosa.»

Inspirem-se nas bonitas fotografias de arranjos primaveris da KCKliKO.

 

 

 

 

 

 

 

Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado da KCKliKO para ficarem a conhecer melhor a Albane, o Luís e o seu trabalho. E falem com eles, aconselhem-se acerca das melhores flores para usar na época do vosso casamento.
Acompanhem também os artigos que vamos publicando acerca do trabalho magnífico da KCKliKO. Só coisas espantosas!

Susana Pinto

À conversa com: Kckliko, decoração floral para casamentos

Hoje conversamos com a Kckliko (que se lê coquelicot e quer dizer papoila em francês), que se dedica à decoração floral para casamentos. Fazem os mais incríveis bouquets orgânicos, misturando de forma tão delicada e singular flores domesticadas e flora selvagem.

Conheço o trabalho da Albane Chotard há vários anos e é um orgulho tê-la, e ao Luís Moreno, em nossa casa, prontos a criarem a mais bonita decoração floral para o vosso casamento.

Atentem no portfolio e no processo de trabalho: slow flower design, tão ao avesso dos dias que correm, e por isso mesmo, ainda mais especial.

Há melhor maneira de dar as boas vindas à primavera?

 

Optamos por não utilizar plantas importadas e todas as espécies que selecionamos são forçosamente de estação.

Sentimos que estes tempos globais impõem um peso tremendo em toda a natureza e procuramos, nas soluções locais, uma convivência mais harmoniosa e delicada com o que nos rodeia.

 

Como começou a Kckliko?

A KCKliKO nasce do nosso amor incondicional pelas flores e da vontade de viver rodeados por elas.

Foi um sonho que acarinhámos e alimentámos durante algum tempo, enquanto tínhamos ainda outros compromissos profissionais. Aos poucos, ganhou raízes no nosso coração, deu-nos a coragem necessária para mudar de vida e o tornar realidade.

Hoje, a alegria e a força transmitidas pelas flores permanecem intactas e sentimos que fizemos a escolha certa!

 

Como definem a vossa assinatura?

O que caracteriza o nosso trabalho é a diversidade de elementos e a forma solta e indomada como os utilizamos.

Gostamos de misturar espécies cultivadas e espontâneas, e tão facilmente nos apaixonamos por uma flor notável, como nos cativa uma pequenina planta de aspecto mais peculiar. Procuramos dar a cada uma o merecido destaque.

Deixamos as plantas mais sinuosas exprimir a sua graciosidade e procuramos transmitir esta fluidez nos nossos arranjos.

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolhem para explorar e trabalhar este ano? Porquê?

É algo intrínseco e natural na KCKliKO.

Fascina-nos a natureza no seu estado mais selvagem e é este carácter não domesticado que gostamos de espelhar no nosso trabalho.

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Não é algo que influencie em demasia o nosso trabalho, mas não deixamos de as acompanhar.

 

 

Kckliko-bouquet de noiva e decoração floral para casamentos

 

Kckliko-bouquet de noiva e decoração floral para casamentos

 

Kckliko-bouquet de noiva e decoração floral para casamentos

 

E as estações do ano, o ritmo e produção de cada época, são influências, contingências ou indiferenças nestes tempos globais?

São a essência da KCKliKO e pautam todo o nosso trabalho.

Optamos por não utilizar plantas importadas e todas as espécies que selecionamos são forçosamente de estação.

Sentimos que estes tempos globais impõem um peso tremendo em toda a natureza e procuramos, nas soluções locais, uma convivência mais harmoniosa e delicada com o que nos rodeia.

 

Têm espécies favoritas ou a beleza e potencial são características transversais a todas as flores e plantas?

Gostamos das particularidades de cada espécie e são raras as que não encontram espaço no nosso trabalho. Claro que temos algumas favoritas mas não se trata de uma lista finita. A cada estação e a cada passeio, a natureza surpreende-nos com novas espécies, pelas quais muito rapidamente nos apaixonamos.

 

Ter o controle das decisões é importante? Têm uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como querem que o vosso trabalho seja mostrado e vivido, ou é o prazer de discutir ideias, de criar e acompanhar o processo, que vos interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Somos perfeccionistas, claro, e é com método que preparamos cada trabalho, não deixando muito espaço ao acaso. Gostamos de sugerir ideias mas as soluções de cada projecto resultam de um caminho percorrido em conjunto. Agrada-nos sempre manter alguma surpresa em relação ao resultado final, mas é com enorme satisfação que vemos as pessoas reconhecerem-se nele.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplicam, ou cada projecto de decoração floral é pensado totalmente de raiz?

Encaramos sempre cada novo projecto como uma oportunidade para criarmos algo único.

Existe uma continuidade no nosso trabalho e naturalmente trazemos connosco a aprendizagem adquirida, mas é o desafio, renovado a cada situação, que estimula a nossa criatividade.

 

Kckliko-bouquet de noiva e decoração floral para casamentos

 

Kckliko-bouquet de noiva e decoração floral para casamentos

 

Kckliko-bouquet de noiva e decoração floral para casamentos

 

Onde buscam inspiração para cada nova temporada de trabalho?

A natureza que se reinventa a cada estação, é, sem dúvida, a nossa principal fonte de inspiração. O nosso olhar é cativado pelas cores, formas e texturas que nos envolvem e que virão dar corpo ao nosso trabalho.

No entanto, é também com enorme fascínio que acompanhamos o trabalho de outros floristas que admiramos e cuja linguagem e originalidade nos emociona, surpreende e sem duvida influencia.

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescam a mente e o olhar?

Somos os três, a nossa filha Violetta incluída, apaixonados por escalada. É na sua exigência de concentração e no despojar de preocupações, que reencontramos o nosso centro.

É frequente regressarmos de uma saída com algumas espécies em mão e de ânimo revigorado para novos projectos.

 

Como é o vosso processo de trabalho, como criam uma ligação com os seus clientes?

Nós abraçamos com paixão cada projecto e acreditamos que tal só faz sentido quando se estabelecem laços de proximidade e empatia entre as pessoas.

Gostamos de as conhecer pessoalmente, de perceber as suas expectativas e sonhos, e de as implicar no nosso trabalho para que cada projecto contenha a alma de todos os envolvidos.

 

Qual é a melhor parte de trabalhar com flores e plantas, em decoração? E o mais desafiante e difícil?

O melhor é o contacto quase diário que temos com a natureza e, claro, termos a nossa vida permanentemente florida!

O mais difícil é seguramente o carácter efémero das flores, que nos exige concentrar todo o trabalho em breves instantes para garantir a sua frescura. É algo que gerimos com uma planificação muito detalhada e precisa, mas que permanece um desafio.

 

Kckliko-bouquet de noiva e flores para casamento

 

Kckliko-bouquet de noiva e flores para casamento

 

Kckliko-bouquet de noiva e flores para casamento

 

Qual foi o casamento em que mais gostaram de trabalhar? Porquê?

Não somos capazes de preferir um ou outro casamento. podemos afirmar que todos foram emotivos, animados, bonitos, divertidos e apaixonados, e de todos guardamos memórias únicas.

 

Escolham uma imagem favorita do vosso portfolio e contem-nos porquê (juntar foto):

 

Kckliko-bouquet de noiva e flores para casamento

 

Temos o hábito de registar a maior parte dos nossos trabalhos e somos fotógrafo e modelo. Esta fotografia foi tirada em Janeiro, num dia que amanheceu muito frio e com um denso nevoeiro. A Albane tinha este belo vestido de Verão, prenda do último natal, e estava mortinha por o experimentar. E foi assim, com a cor do vestido a combinar na perfeição com as folhas das árvores, descalça e enregelada, mas muito divertidos que fotografámos este ramo de noiva pronto a entregar, num parque perto de casa.

 

 

Os contactos detalhados da Kckliko, estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, cheia de imagens bonitas e contactem a Albane Chorad e o Luís Moreno directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Marta Ramos

Wise words: 5 pequenos passos para um casamento sustentável

A organização do casamento vai levantar muitas questões e obrigar-vos a fazer muitas escolhas. Nas nossas wise words de hoje, dedicamo-nos a ajudar-vos a fazer escolhas sustentáveis, para que o vosso dia feliz seja também leve, em termos ambientais. E não pensem que vos queremos complicar a vida, nada disso. Aliás, a palavra de ordem aqui é mesmo ‘simplificar’.

Vamos a isso? Escolhemos umas belas fotos dos nossos fornecedores seleccionados de flores KCKliCO para vos ajudar a entrar no espírito!

 

. Tudo o que sobe, desce

Há dois momentos em que, provavelmente, vão querer que os vossos convidados lancem coisas ao ar: no fim da cerimónia, quando costumamos assistir a uma chuva de arroz e pétalas sobre os noivos, e no momento do corte do bolo, que muitos de vocês gostariam de ver acompanhado de uma largada de balões ou de lanternas chinesas.

O que há de errado nestes cenários? No primeiro caso, o uso de arroz já vem sendo há muito desaconselhado. Sim, é um material orgânico, mas não desaparece com facilidade, e entretanto cria sujidade, torna o chão perigosamente escorregadio e é prejudicial à saúde dos pássaros que se sentirem atraídos pelos grãos. Em nome dos pássaros, há quem prefira usar sementes próprias para a sua alimentação, porque cumprem o efeito visual do arroz e é garantido que desaparecerão num abrir e fechar de olhos. Estou a partir do pressuposto de que já ninguém usa confetti de papel – mas se a ideia vos passou pela cabeça, estejam descansados que há já muitas versões amigas do ambiente: espreitem estes bonitos Throw and Grow: pequenos corações ou flores carregadinhos de sementes de flores silvestres, para deixarem o sítio onde festejaram ainda mais bonito.

No segundo caso, o do lançamento de balões ou lanternas luminosas pelos céus – e todos nós sabemos que o efeito visual é forte – é possível que venha mesmo a ser proibido em Portugal em breve. Pelo menos, no caso dos balões. Vários são os estudos que comprovam que mesmo os balões em latex, ou seja, biodegradáveis, demoram seis meses a desaparecer e entretanto deixam o rasto impressionante de estragos, sobretudo quando chegam ao mar. Há várias alternativas para um efeito visual cinematográfico, como os pompons, as bandeirinhas, as fitas e os catavento em papel, com a vantagem que podem (e devem) ser guardados como recordação. Mas a minha preferida são as bolhas de sabão: basta ter o cuidado de preparar o líquido com um detergente biodegradável (mais água e um pouco de açúcar) e farão as delícias de todos os convidados, sem excepção.

 

. Contra as emissões, a favor das emoções

Todas as deslocações de carro que possam ser evitadas, é um ‘mais’ na caderneta. Não só cortam nas emissões de CO2 para a atmosfera, como trazem conforto acrescido aos vossos convidados. A solução ideal para este simpático compromisso é celebrar a cerimónia e a festa no mesmo local. No caso de casamento civil, isso é fácil. Se falamos de casamento pela Igreja, pode não ser tão fácil, mas não é, de todo, impossível – há vários espaços para casamento com capela própria ou muito próximos de igrejas. Falem com o vosso pároco atempadamente e verão que tudo se compõe.

Mas quando a deslocação é inevitável, há sempre a hipótese de proporcionar transporte colectivo aos convidados.

 

 

 

 

. Pensar global, agir local

Manifestem aos vossos fornecedores a vossa preocupação com a origem dos produtos a usar – como as flores e os alimentos. Reforcem a ideia de comprar a produtores locais e respeitem a sazonalidade de cada coisa. Esta pode ser, aliás, uma estratégia muito eficaz para vos ajudar nas vossas escolhas. Há naquela altura do ano, e ali perto? Óptimo. Não há? Passemos à hipótese seguinte.

 

. Palhinhas? Sim, mas não

Sabiam que a Bacardi já baniu as palhinhas de plástico dos seus eventos em 2016? Muitas outras marcas de bebidas já lhe seguiram o exemplo – e no Reino Unido a guerra às palhinhas como nós as conhecemos (e ao plástico descartável em geral) está a ser levada muito a sério. É fácil perceber porquê: as palhinhas (e os copos e pratos de plástico) não são reciclados, porque a qualidade do plástico com que são fabricados é demasiado baixa para compensar o custo da operação. Assim, usam-se uma vez, e ficam para sempre. Não faz sentido, pois não?

Então e o sim, perguntam vocês? O sim é para as palhinhas de bambu, que duram anos – e até dão um ar mais sofisticados aos cocktails. Falem neste assunto ao vosso fornecedor de catering.

 

. Lembranças solidárias (as mais ecológicas do mundo!)

Já conhecem os PARCEIROS SIMPLESMENTE BRANCO, certo? Foi uma das nossas novidades deste ano e é um prazer ver esta iniciativa crescer. Trata-se de uma porta aberta a instituições cujo trabalho admiramos e que vos recomendamos para que transformem as lembranças para os convidados do vosso casamento em contribuições para o bem-estar das pessoas que os nossos parceiros apoiam. Nas palavras da Susana: «É uma ideia genial, acreditem! Acabam com a pegada ecológica, facilitam alguma logística, ajudam quem precisa, à medida da vossa generosidade, sensibilizam os vossos convidados e amigos e podem, com isso, gerar toda uma cadeia de partilha de conhecimento e valor para com a instituição que escolheram, de forma pública, informada e, com uma dose de optimismo, viral (e que bonito que isso pode ser…!). AS QUE SUGERIMOS NA NOSSA LISTA partem de escolhas pessoais, minhas e da Marta: porque conhecemos pessoas envolvidas de ambos os lados (quem lá trabalha e quem foi ajudado), e por contactos profissionais que vamos tendo – todos estes projectos são valiosos e muito importantes nas comunidades que servem, e revemo-nos neles. Já o dissemos – é a nossa parte favorita do novo Simplesmente Branco.»

Um por cento do vosso orçamento é quanto basta para causar verdadeiro impacto na vida de algumas pessoas, com zero impacto ambiental. Juntem ao pacote um pequeno discurso que explique aos vossos convidados a vossa opção, um brinde, e pronto!

 

Agora já sabem: em caso de dúvida, escolham a opção mais sustentável. Fácil, não é? Para a próxima, aprofundaremos este assunto em torno da mesa: o que servir, como, quanto, e o que fazer no fim da festa para evitar desperdícios.

Stay tuned!