Created with Sketch.
Marta Ramos

Ericeira no coração, por Rodrigo Silva Photography

O Rodrigo Silva escolheu ser fotógrafo de casamentos porque acredita no casamento. Não apenas como um símbolo de união, mas como uma expressão de sentimentos entre duas pessoas que se amam.

Gosto de fotografar casamentos pela motivação que me dá conhecer novas pessoas, com as suas histórias únicas de amor e relacionamento. É um privilégio para mim poder contar essas histórias.

O mundo é dos românticos – é uma teoria que eu defendo com unhas e dentes. E aqui está um exemplo de romântico incurável que decidiu fazer da sua paixão profissão – porque acredita no ‘felizes para sempre’.

As suas imagens relatam contos de fadas da vida real e um ingrediente que nunca falta nos seus registos são as emoções. Fortes, bem fortes! Num estilo natural e descontraído, fotografa casamentos procurando alcançar o equilíbrio perfeito entre a personalidade dos noivos e a sua noção estética. E onde estes dois mundos se encontram, a magia acontece…

Hoje, o Rodrigo leva-nos a passear com a Elina e o Felix, que vieram visitar a Ericeira em Agosto deste ano. A Elina é do Chipre e o Felix, da Rússia; e quando chegaram a Portugal apaixonaram-se tão perdidamente pelo nosso país que quiseram imortalizar a viagem numa sessão fotográfica.
Nós compreendemos, não é? E é certo que a Ericeira tem sido mais falada, ultimamente, pelas ondas (é Reserva Mundial de Surf desde 2011), mas a vila é muito mais do que isto. É boa mesa, ruas pitorescas, maresia no ar, pastelaria deliciosa, cestaria que dá vontade de levar para casa aos molhos, história e e gente com vagar para parar no seu caminho diário e espreitar o mar uma, duas, várias vezes ao dia. Porque podem!

Vamos dar uma volta?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vejam mais trabalhos deste nosso fornecedor seleccionado: sessões fotográficas free spiritcasamentos com atmosfera vintagee-sessions à beira-mar…  diferentes pretextos para o Rodrigo apontar a objectiva a uma emoção. E falem com ele: quem sabe se a próxima emoção capturada pela sua câmara não será vossa…

Comentar