Created with Sketch.
Susana Pinto

And the winner is…

E a vencedora do give away da Lounge Fotografia, foi a Vânia Beliz, com esta frase:

“Quero muito esta sessão com a Lounge porque preciso eternizar para sempre a felicidade que existe pelo facto de o amar, assim, se um dia a minha memória me trair, quero reconhecer nestas fotografias o brilho de existirmos, para que um dia, no nosso “sempre”, possa admirá-las,  afagar as mãos do meu amor com cuidado, beijá-lo e dizer-lhe…Vês, eu não me esqueci de ti!”


Bem bonito e especial!

Parabéns à Vânia e o obrigado à Lounge.

 

Susana Pinto

Susana + Luis: Hot Pink!

Hoje deixo-vos com o casamento da Susana e do Luís, cheio de momentos emocionantes e detalhes hot pink!

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

 

Foi numa noite que é para nós muito especial.

Na Passagem de Ano é nosso costume fazer um jantar bem diferente e comemorar a entrada do novo ano a dois. Adoramos este ritual desde que estamos juntos (2007…!)

Apesar de algumas vezes ter sido tema de conversa casarmos, nunca foi nada que tivéssemos tornado “materialmente palpável”, pois já vivíamos juntos e surgia sempre a inevitável pergunta – casar para quê se tudo o que temos é o que sempre desejamos?

Foi ao início da noite de 31 de Dezembro de 2008 que a primeira rosa vermelha apareceu. Disse-me que era um mimo. Não estranhei, o Luis às vezes tem destas coisas. Quase à meia-noite, estávamos nós a preparar os derradeiros segundos para os tradicionais festejos, eis então que ele sai da sala e aparece com um ramo enorme de rosas vermelhas. Estava eu ainda meia atordoada com a surpresa, ele ajoelhou-se, tirou uma caixinha do bolso das calças e com um lindíssimo solitário na mão disse as palavras mágicas: ”Queres casar comigo?”

Depois desse momento tenho uma vaga ideia, tal fiquei toldada em emoção… ajoelhei-me, abracei-o e disse: Sim, sim, sim !!!!

E assim começamos 2009.

 

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

 

No início foi um pouco estranho. Acho que a grande parte das noivas sente-se muito perdida.

Montes de perguntas surgem na nossa cabeça como… onde vai ser o casamento? Qual o estilo de vestido que me fica bem? Como vão ser os convites?

Depois veio a fase da pesquisa na net!

Felizmente, hoje existe uma enorme panóplia de sites e fóruns dedicados a este tema e se por um lado fiquei mais descansada, pois encontrei muitas outras noivas solidárias e com as mesmas dúvidas existenciais, por outro fiquei aterrada ao descobrir que todas as minhas dúvidas iniciais eram básicas, pois existiam pormenores que nunca me tinham passado pela cabeça.

A agenda passou a ser a minha melhor amiga!

Definimos que o nosso casamento seria em 2010, mas não fomos fundamentalistas em datas.

Sendo a noiva tripeira e o noivo alfacinha, ambos a viver em Lisboa, surgiu a primeira dúvida… onde seria o casamento?

Após um “curso teórico-intensivo” via Web, foi a vez de passar à prática, já com ideias muito determinadas de quem queríamos contratar com os nossos fornecedores.

Definimos três pontos como muito importantes: o local, a fotografia e a música.

 

A nossa primeira dúvida rapidamente se desfez, quando encontramos o espaço ideal na Póvoa do Varzim. Vimos o site da Aqueduto Eventos e nele a materialização do tipo de casamento que desejávamos.

Um lugar ímpar e requintado, que foge aos conceitos tradicionais do mercado e que dá imensa importância ao pormenor.

Encontramos na Cristina e no Francisco, algo que vai muito mais além de um negócio.

Encontramos uma filosofia de vida e a realização pessoal de duas pessoas que adoram tornar inesquecível, um dos momentos mais importantes da vida de um casal.

Sendo um casamento civil, foi muito importante a escolha da sala dentro do espaço, de forma a tornar aquele acto formal em algo mágico e singular.

Após definição da data, passámos aos restantes fornecedores.

Grande parte desse trabalho foi efectuado por e-mail e telefone, uma vez que nem sempre foi possível deslocarmo-nos ao Porto, pelo que as reuniões foram para formalizar as nossas ideias.

 

Foi a abordagem natural e descontraída das fotos que prendeu a nossa atenção e que nos levou até o Luis e a Marta, da Lounge Fotografia.

A forma singular como captam os momentos e a intensidade que transmitem nas suas fotos, aguçou a nossa curiosidade.

Assim que os conhecemos tivemos certeza que o resultado ia ser perfeito.

 

A música é algo que está sempre presente em nossa casa.

O noivo (agora marido) adora tocar viola e guitarra eléctrica e em tempos teve as suas bandas.

Inevitavelmente, para o casamento, o padrão de qualidade era elevado.

Foi então que conhecemos o Ricardo Pereira.

Excelente profissional, extremamente disponível para concretizar todas as nossas ideias.

 

 

Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

 

Não definimos nenhum tema, não queríamos “rotular” no nosso casamento.

Tínhamos uma certeza, queríamos um ambiente muito intimista.

Baseamo-nos em pormenores criados por nós.

Tudo começou com a criação do convite.

Transpusemos a ideia, as cores e alguns materiais usados do convite, como as fitas de cetim, o papel de parede e as borboletas, para os restantes elementos como a caixa de honra, uma moldura com uma foto nossa, os apontamentos nas mesas, as lembranças, o jornal, etc.

 

 

Tiveste ajuda?

 

Foi decisão conjunta, que iríamos empenharmo-nos em todos os pormenores.

Todas as tarefas foram divididas entre mim e o Luis e funcionamos como equipa.

Eu fiquei incumbida do lado criativo. Tinhas as ideias e fiz experiências na conjugação de materiais.

O Luis materializava as minhas ideias, com a mestria perfeccionista que só um virginiano consegue ter e a paciência que tantas vezes me falta.

Claro que também tivemos a preciosa ajuda da Cristina, que se encarregou da decoração do espaço, baseando-se nos detalhes que lhe transmitimos.

Na recta final, mobilizamos a família para ajudar nos últimos pormenores, entre eles, um importantíssimo que seria a minha entrada na Sala da Cerimónia, cantada ao vivo pela minha cunhada, Teresa Macedo.

Foi sem dúvida o momento tcharam do casamento!

 


 

O que era o mais importante para ti?

 

Muito mais que o vestido ou o fato, o que se tornou realmente relevante foi saber que aquele dia não seria só para nós, mas também para aqueles que mais amávamos, como um dia incomparável.

Queríamos contagia-los com a nossa felicidade.

 

 

E secundário?

 

Não posso dizer que houvesse algo que considerasse secundário.

Demos sempre tanta importância a tudo, que nunca relevamos nada para segundo plano.

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

 

Foi no evento, no próprio dia.

 

 

Onde gastaste menos?

 

Tive algumas simpáticas e importantes ofertas, feitas pelos pais e padrinhos, como o vestido, o ramo, a maquilhagem e a noite de núpcias.

 

 

O que foi mais fácil?

 

Escolher o local do casamento.

 

 

O que foi mais difícil?

 

Escolher as alianças.

 

 

O que te deu mais prazer criar?

 

Tudo deu-nos um imenso prazer em criar, mas fiquei muito emocionada quando vi o resultado final do convite e da caixa de honra.

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

 

100% a nossa cara!

 

 

Um pormenor especial?

 

Tenho mesmo de enumerar dois pormenores muito especiais: os meus lindos sapatinhos cor fucsia (ainda hoje me falam deles) e o nosso bolo de casamento.

 

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

 

Nada! Apenas desejava que aquele dia tivesse mais 24h.

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

 

Vivam o vosso dia em pleno.

Pleno de emoção, de alegria, pleno de momentos únicos, indescritíveis sensações e muitas lágrimas de felicidade, porque tudo o que irão ter no dia seguinte será uma doce lembrança.

 

 

 

Os nossos fornecedores:

 

Convites e materiais gráficos: fomos nós que fizemos

Local, catering: Aqueduto Eventos

Fato do noivo e acessórios: Enzo Romano

Vestido de noiva e sapatos: Fara Sposa e Haity Sapataria

Anel de noivado, alianças e brincos: Eternis, First Day, Swarovski

Maquilhagem: Liliana Ribeiro

Cabelos: Odete Cabeleireira

Flores: Manuela Rego

Lembranças para os convidados: pregadeiras feitas por mim para as senhoras, cigarrilhas Monte Cristo e um jornal do casamento.

Fotografia: Lounge Fotografia

Luzes, som e Dj –  Ricardo Pereira

Susana Pinto

Give Away!

Esta semana temos mais um fantástico give away no Simplesmente Branco!

Desta vez, a oferta é da Lounge Fotografia, um dos nossos fotógrafos seleccionados e o give away é, nada mais nada menos, que uma sessão fotográfica!

 


É uma sessão IN|tímo, válida para uma pessoa ou um casal, no estúdio da Lounge ou em local a combinar na área do grande Porto, e pode ser feita durante 2011.

A sessão dura aproximadamente duas horas e as fotos seleccionadas são entregues em formato digital num CD, e 5 delas editadas e impressas no formato 20×30.

 

Para concorrer, basta completar a frase:

“Quero muito esta sessão com a Lounge porque…”


Mandem as vossas frases para giveaway.sb@gmail.com. O prazo termina às 21h de domingo, dia 30 e o vencedor é anunciado na segunda feira, dia 31!

Ganha a melhor, as usual!

Já pensaram que pode ser um presente perfeito para o dia dos Namorados?

Toca a marinar frases geniais, só não ganha quem não concorre!



Susana Pinto

Clara e Helder, sofisticação bem disposta!

 

Hoje o dia é para a Clara e o Helder, os noivos do casamento que se segue… Brancos, cinzas e um toque de frescura verde, fotografado pela Lounge e com materiais gráficos e detalhes da Branco Prata… já estão a imaginar o resultado, não…?

 

 

Como foi o teu pedido de casamento?

Bem… É uma longa história! Foi numa 6ª feira – fazíamos 50 meses de namoro! Como era hábito festejarmos as nossas datas, esse dia também não ia ser diferente… No entanto, o dia começou e terminou com surpresas! Um almoço-surpresa nas Caves Taylor, em Vila Nova de Gaia, seguido de um tratamento de spa, um jantar delicioso num dos nossos restaurantes de eleição e ao cair da noite o pedido depois de uma linda serenata de uma tuna universitária! Nunca pensei muito em como seria este dia, mas a verdade é que o pedido foi soberbo!

 

 

Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Iniciámos pela procura de quinta com cerca de 10 meses de antecedência. Seguiu-se a escolha da igreja para definição da data e aproximadamente 8/9 meses antes, partimos em busca de fotógrafo e música. Pretendíamos poder escolher o que quiséssemos e não ficar com a sensação de que se tivéssemos começado a procurar mais cedo, talvez conseguíssemos. Quanto ao vestido comecei a procura em Fevereiro e nesse mesmo mês comprei-o. Não foi uma escolha muito difícil, pois mal o experimentei soube que era aquele.


Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Pretendíamos ter uma festa com tons claros, idealmente cinzento claro e branco. Inicialmente, tínhamos a pretensão de realizarmos alguns dos pontos-chave de um casamento como os convites e outros itens, no entanto, após conhecermos a Branco Prata ficamos rendidos ao seu talento e depositámos a nossa confiança no seu trabalho. Para além disso, queríamos uma festa pautada pela diversão, mas com o nosso cunho pessoal. Daí termos criado a ideia de um logótipo, mais concretamente, um monograma.

 

 

Tiveste ajuda?

Enquanto casal, quisemos desfrutar a dois dos preparativos de um casamento. No entanto, os nossos familiares mais próximos foram chamados aquando da escolha da quinta e do vestido/fato.

 

O que era o mais importante para ti?

Queríamos algo transversal a todos os casais: que o dia corresse bem e que fosse do agrado dos nossos convidados, mas sem nunca pôr em causa os nossos princípios e gostos pessoais, numa festa que, acima de tudo, é nossa.

 

E secundário?

Tentámos que nada no nosso casamento assumisse um papel secundário. Todos os pontos da “roda” dos preparativos de um casamento são importantes, nas devidas proporções.

 

 

 

Onde gastaste mais dinheiro?

No catering, mas também porque tínhamos muitos convidados. No que se refere a qualidade-preço são fantásticos e a quinta reunia todos os nossos requisitos de quinta ideal!

 

Onde gastaste menos?

O concept design da Branco Prata é fantástico. Há a preocupação de cada casal ser único e ver isso representado no material do seu casamento. Por reunir todos os elementos fundamentais da festa (convites, lembranças, marcadores de mesa, etc) parece-nos ser uma escolha bem adaptada em termos financeiros.


 

 

 

O que foi mais fácil?

O fotógrafo, apesar de termos visto alguns… A Lounge Fotografia foi o nosso primeiro visitado: a simpatia, a empatia e qualidade do serviço mostrado tornaram fácil uma escolha que pode ser bastante difícil… E sem dúvida que foi uma aposta ganha!

 

O que foi mais difícil?

Foram duas as tarefas mais difíceis: preparar o casamento enquanto se mobilava a casa e conciliar o nosso tempo extra com o dos prestadores de serviços. Aproveitávamos os fins-de-semana e o horário pós-laboral para resolver muitas das questões, mas na verdade tivemos que arranjar duas semanas de férias em alturas diferentes para fechar alguns pontos essenciais.

 

O que te deu mais prazer criar?

Conseguir criar mentalmente uma ideia da festa e, tirando uma ou outra situação, conseguir ver as nossas ideias a tomarem forma, cor e vida…

 

 

 

 

O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

O casamento foi sem dúvida a nossa cara. As cores reflectiam o nosso gosto pessoal, transmitindo uma imagem clean e sóbria à festa. No que se refere à moldura humana estava perfeito: a família e os nossos amigos. Não foram necessárias cedências, foi tudo feito à nossa imagem…

 

Um pormenor especial?

O nosso monograma – CH (que até no bolo esteve presente!) e o cuidado para que as nossas cores (cinza prata, branco e verde claro) figurassem em toda a festa.

 

Agora que já aconteceu, mudavas alguma coisa?

Não mudaríamos nenhum pormenor.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas?

Ui, ui que isso é difícil… O primeiro conselho é que procurem, procurem, procurem… Se realmente aquele prestador não fez um “click”, então é porque não é o indicado para a vossa festa. O segundo prende-se com o vestido: quando experimentam o “tal” é mesmo verdade que a sensação é diferente… E o terceiro é que utilizem um calendário anual para “esquematizar” temporalmente as tarefas a realizar, para vos facilitar na procura e na escolha de serviços. Confesso que não fiz este meu último conselho, mas apenas porque tive alguém que o fizesse por mim: o Helder.

 

 

 

 

 

Os nossos fornecedores:

Convites, materiais gráficos, ofertas aos convidados (vasos com plantas) e animação infantil: Branco Prata

Catering e local: J Almeida Catering, na Quinta do Geraldino, Maia

Fato do noivo e acessórios: Javier Arnaiz, na loja Encanto, na Maia.

Vestido de noiva e sapatos: La Sposa, na Loja Encanto, na Maia. Sapatos Pomares Vázquez, numa loja do Porto.

Anel de noivado, alianças e brincos: Anel Eternis, alianças tradicionais, brincos de família.

Travessa para o cabelo: de família

Maquilhagem: Marisa Santos

Cabelos: Cláudia

Decoração e flores: Deusa Selvagem

Decoração: Deusa Selvagem

Fotografia: Lounge Fotografia

Luzes, som e Dj – DJ Paulo (Braga) e saxofonista João Martins (Aveiro)

 

O resultado está à vista, uma festa chique e fresca, bem divertida! Os detalhes têm toda a importância e mostram o que valem: um monograma que marca as peças principais e total harmonia nas cores dão o tom ao momento…

E as ofertas…? Um mimo!

 

Bom fim de semana!

Susana Pinto

Making of e agradecimentos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Chegámos a Vila do Conde às 9.30h da manhã e terminámos a sessão já passava das 18.30h… Foi um dia muito intenso, mas com muita fluidez, riso e trabalho!

Os meus agradecimentos pessoais vão, obviamente, para o Luís, o Raimundo, a Elisa, a Ana, a Mariana e a Eloísa, que não hesitaram perante a ideia e tiveram a confiança tranquila para embarcar nela… thumbs up e um abracinho!

Outro agradecimento especial ao dr. Paulo Pinto, director do Centro de Memória, que nos deixou circular e fotografar à vontade, aproveitando um dia de encerramento ao público… conseguem imaginar o que é ter um espaço destas dimensões e beleza por vossa conta…? É fantástico!

Para terminar, à Inês e Alberto, que me acolhem com conforto e carinho, todas as vezes que vou ao Porto.

 

E agora os detalhes… Foi de facto divertidíssimo e muito trabalhoso…! Andámos a marinar a ideia até conseguir que ela tomasse forma e confiámos muito na nossa capacidade de improviso, criação e execução… A maior parte dos adereços são nossos, ou como se diz, “da produção”. Os sapatos vermelhos são meus, os vestidos são da Eloísa, a louça, brinco e alianças (repararam na aliança fininha com a inscrição no interior…?) são peças de família da Elisa, e a Mariana vestiu-se de noiva novamente.

O grande lote de imagens foi feito pelo Luís e o Raimundo registou o making of… pena não ter apanhado todos os detalhes (impossíveis), como o momento em que o senhor da limpeza me disse, com um ar muito cândido, “ah, pois, você deve ser da minha idade, uns quarenta, não…?!”… Optei por me rir a bom rir e tomar nota mental para um creme para as rugas mais eficaz!

 

Espero que tenham gostado do que viram. Para nós, esta estreia do Working together is good não poderia ter sido mais auspiciosa!

 

 

 

 

 

 

 

Susana Pinto

Mudando de ambiente…

 

 

 

 

Agora no salão nobre, com mobília e decor de época, com um ambiente mais romântico, feminino e intimista!

Todos os adereços são da Ana Jordão, da Pinga Amor: birdcage veil com flores brancas para a Mariana e pregadeiras várias (para o cabelo, vestido ou cinto) para a Eloísa. E não esquecer a almofadinha das alianças, com cores a combinar ao milímetro!

Os pormenores em papel, convite, missal, são da Wise_up Weddings.