Created with Sketch.
Susana Pinto

Making of e agradecimentos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Chegámos a Vila do Conde às 9.30h da manhã e terminámos a sessão já passava das 18.30h… Foi um dia muito intenso, mas com muita fluidez, riso e trabalho!

Os meus agradecimentos pessoais vão, obviamente, para o Luís, o Raimundo, a Elisa, a Ana, a Mariana e a Eloísa, que não hesitaram perante a ideia e tiveram a confiança tranquila para embarcar nela… thumbs up e um abracinho!

Outro agradecimento especial ao dr. Paulo Pinto, director do Centro de Memória, que nos deixou circular e fotografar à vontade, aproveitando um dia de encerramento ao público… conseguem imaginar o que é ter um espaço destas dimensões e beleza por vossa conta…? É fantástico!

Para terminar, à Inês e Alberto, que me acolhem com conforto e carinho, todas as vezes que vou ao Porto.

 

E agora os detalhes… Foi de facto divertidíssimo e muito trabalhoso…! Andámos a marinar a ideia até conseguir que ela tomasse forma e confiámos muito na nossa capacidade de improviso, criação e execução… A maior parte dos adereços são nossos, ou como se diz, “da produção”. Os sapatos vermelhos são meus, os vestidos são da Eloísa, a louça, brinco e alianças (repararam na aliança fininha com a inscrição no interior…?) são peças de família da Elisa, e a Mariana vestiu-se de noiva novamente.

O grande lote de imagens foi feito pelo Luís e o Raimundo registou o making of… pena não ter apanhado todos os detalhes (impossíveis), como o momento em que o senhor da limpeza me disse, com um ar muito cândido, “ah, pois, você deve ser da minha idade, uns quarenta, não…?!”… Optei por me rir a bom rir e tomar nota mental para um creme para as rugas mais eficaz!

 

Espero que tenham gostado do que viram. Para nós, esta estreia do Working together is good não poderia ter sido mais auspiciosa!

 

 

 

 

 

 

 

Susana Pinto

Mudando de ambiente…

 

 

 

 

Agora no salão nobre, com mobília e decor de época, com um ambiente mais romântico, feminino e intimista!

Todos os adereços são da Ana Jordão, da Pinga Amor: birdcage veil com flores brancas para a Mariana e pregadeiras várias (para o cabelo, vestido ou cinto) para a Eloísa. E não esquecer a almofadinha das alianças, com cores a combinar ao milímetro!

Os pormenores em papel, convite, missal, são da Wise_up Weddings.

 

Susana Pinto

Segunda parte…!

 

 

 

 

 

Álbum, almofadinha e pequenas peças para decorar… corações, borboletas, bandeirinhas, detalhes que tornam especiais as peças quotidianas e são reflexo do carinho que se põe em todos os pormenores da grande festa… e um cupcake perfumadíssimo a limão e baunilha, delicioso e fotogénico, da Pinga Amor, com decor Design com Texto: “working together is good”!

Susana Pinto

“An affair to remember…”, primeira parte

 

 

 

Foi com este título que começámos a desenhar a nossa sessão fotográfica!

Tudo começou com um desafio da Elisa, da Design com Texto, após uma visita ao Centro de Memória, em Vila do Conde, um belíssimo solar de fim de século com um anexo contemporâneo novinho em folha… Porque não fazermos uma sessão fotográfica neste espaço maravilhoso?


Partimos desta ideia simples: uma noiva e os momentos finais que antecedem a cerimónia, os objectos em redor, os detalhes do vestido e adereços, as emoções que enchem a cabeça e aceleram o coração…

Reunimos a Lounge Fotografia, a Fotografia de Casamentos, a Design com Texto, a Wise_up Weddings e a Pinga Amor e ainda a Mariana (a noiva) e a Heloísa (a amiga da noiva), e deixámos o bom humor, capacidade criativa e disponibilidade dar forma a este guião:


“Uma luz serena e doce invade e transforma o ambiente.
Hoje é um dia muito especial, repleto de pormenores e detalhes sonhados e antecipados ao longo de muitos e muitos dias.
Tenho a cabeça num turbilhão… estará tudo em ordem?… Respiro fundo, calma… Vai correr tudo bem!
Ao meu redor, as peças maravilhosas que vou usar hoje, escolhidas a dedo… sinto-me bem neste momento só meu, especial.
Tranquila, segura, bonita.

Gosto destas pequenas tradições passadas ao longo de gerações, acrescentam magia, memória  e algum mistério ao meu momento, ao meu casamento. São peças escolhidas para mim e por mim e que irei passar às minhas filhas e netas.

Estou pronta!”


E o resultado foi este que iremos mostrar ao longo do dia.

Espero que gostem, para nós foi um verdadeiro prazer!






Estas peças são da Design com Texto. A Elisa tem uma abordagem mais gráfica e muito contemporânea, com texturas e combinações feminino/masculino, grandes contrastes, muito menos girlie do que estamos habituados a ver… Eu adoro o resultado, com um ligeiro toque quase punk e arranhento, mas absolutamente romântico e muito especial, num equilíbrio perfeito… A almofadinha das letras é simplesmente perfeita!


As fotografias foram feitas pelo Luís (inclusive a primeira), da Lounge Fotografia e quando vimos a parede de apresentação da exposição do Júlio Pomar, não resistimos – perfeita sintonia com as peças da Elisa e o casaco de cobra e lantejoulas da Mariana!


O colar é da “Perdi o fio à meada”, daVera João Espinha e está à venda na Design com Texto. Os sapatos são meus, e o diabrete é uma caixa de make up da Pupa. Giro!


Susana Pinto

Working together is good!

 

“Working together is good” é um dos lemas de trabalho aqui no Simplesmente Branco, e no passado dia 11 tivemos a oportunidade de comprovar este realidade no terreno!

A Lounge Fotografia, Fotografia de Casamentos, Pinga Amor, Design com Texto e Wise_up Weddings estiveram a trabalhar numa produção fotográfica em grande estilo, que vos iremos mostrar ao longo das próximas semanas, por isso, stay tunned, que vale bem a pena!

Susana Pinto

Alice e um casamento invulgar!


Hoje temos mais um real wedding nacional, bastante fora do comum, e totalmente recheado da personalidade dos noivos!

Inspirado pela “Alice no País das Maravilhas”, o casamento da M. e do S. foi isso mesmo, um casamento celebrado a dois, uma cocktail party com os amigos e um jantar regional com a família!



Como foi o teu pedido de casamento?

Íamos no carro e perguntei do nada: “Olha, se nos casássemos sem convidados achas que a família e amigos iam ficar chateados?” A resposta foi: “Acho que não”. E assim tudo começou.


Como te organizaste? Por onde começaste, com que antecedência?

Antecedência: nenhuma! Organização: pouca!

O “Pedido” foi em Abril, na altura fomos à conservatória, tratámos das alianças, comprei um vestido “normal” e ficamos descansados por estar tudo resolvido.

A ideia de fazer um cocktail começou a borbulhar por volta de Junho… Ou seja…. Dois meses antes! Depois disso fomos tentado fazer o que queríamos em pouco tempo.

Mantivemo-nos fiéis à ideia de casar sozinhos no dia (a meio da semana) e local que sempre sonhámos, simplesmente adicionámos a isso uma festa em casa, no mesmo dia mas horas mais tarde, apenas para os amigos mais chegados, a fim de partilhar o nosso novo estado civil. A família também teve um espaço de celebração pois fizemos um jantar (em dia mais “próprio”, ou seja, um Sábado) de anúncio de noivado (um noivado bastante curto, diga-se…. Apenas uns dias antes do casamento!) numa Quinta (Ruínas do Cerrado), mais precisamente no Museu do Pão, espaço óptimo para um bom jantar regional).



Que ambiente quiseste criar? Como o fizeste?

Queria criar um ambiente de sonho, magia, com um leve toque de inocência quase infantil. Conceptualmente fui-me guiando pelo universo da “Alice no País das Maravilhas” apesar de mais “estrelado” – as estrelinhas foram a imagem de marca da decoração.

A linha estética que guiou tudo o resto começou pelos convites, com a caricatura dos noivos (feita há alguns anos atrás e reaproveitada para esse efeito). Os tons escolhidos foram o lilás alfazema, o branco e o prateado.

Depois foi só fazer uma investigação nos sites de DIY. As mesas foram decoradas com efeitos de tule, velas e flores. A comida era integralmente da categoria “finger food” com tabuletas identificativas feitas por mim (vi a ideia num post do Simplesmente Branco), fiz também uns pompons de papel (as instruções encontram-se em vários sites, como por exemplo no blog Pinga Amor) e comprei ainda alguns artigos na Confetti (que tem coisa fantásticas e a um preço acessível), como: banners, scatters, paper lanterns e especialmente as Bubbles! As garrafinhas de bolinhas de sabão foram distribuídas pelas meninas e muito usadas nas fotos de grupo, o efeito é muito romântico, delicodoce, lindo!

Os convidados do cocktail tiveram direito a fazer uma caricatura durante a festa (fui à procura do senhor que tinha feito a nossa caricatura!!!!) pelo que assim se fechou um ciclo: A notícia do casamento é dada sob a forma de uma caricatura dos noivos e a festa “Just Married” permite aos convidados realizar a sua própria caricatura.



A opção “feito por ti” surgiu porquê?

Gosto muito de trabalhos manuais e já tinha experiência em criação de figurinos e cenografia.

Sempre que há a hipótese de realizar algo personalizado, original, totalmente feito à mão para quê comprar já feito?


Tiveste ajuda?

Não. Mas prefiro assim. Gosto de fazer as coisas à minha maneira e ritmo


O que era o mais importante para ti?

Que o momento fosse mágico para os noivos e bastante simbólico. O local e data eram muito importantes. Fazer uma festa simples mas atenta a pormenores e animada só para os amigos mais chegados também se tornou, já no último mês, um objectivo importante.



E secundário?

Era secundário fazer o que “é suposto” num casamento. Julgo que a paciência que tivemos em explicar aos amigos o conceito de “Cocktail Just Married” em casa ou a dificuldade em anunciar à família que iríamos casar sozinhos em plena via pública, valeu a pena.


Onde gastaste mais dinheiro?

No catering, claro! Mas a relação qualidade/preço era óptima e a simpatia das funcionárias excelente. Recomendo: Prima Bolos.


Onde gastaste menos?

No vestido de noiva usado, no Etsy: 21 dólares, ou seja, à volta de 15 euros, em perfeitas condições e mais importante que tudo, perfeito para o que eu queria. Obviamente que não é um vestido de noiva à séria e sim um “prom dress”, mas para mim, que procurava um vestidinho curto género lollipop, a opção “prom” era a mais indicada. Muitas horas passei eu a ver o site Etsy, aquilo vicia, especialmente para quem gosta de artesanato urbano. Foi também nesse site que descobri uma linha linda de vestidos vintage: Peppermint Pretty,  onde me inspirei para o meu acessório de cabelo em forma de cartola. A cartola no fundo pode ter várias leituras, a minha ligação ao teatro, a cartola relacionada com o mundo da magia e, claro está, a cartola em alusão ao Chapeleiro da Alice. O acessório foi concebido pela Ana Jordão, a quem tenho de agradecer ter satisfeito todos os meus pedidos em tão curto espaço de tempo. Ela foi responsável não só pela cartolinha como também pelo birdcage veil (o look vintage é lindo, misterioso, tinha mesmo de ter um véu daqueles!!!!) e também por um casal de gatinhos (tão fofinhos, vestidos a imitar os noivos!) que a Ana faz como cake toppers mas que eu usei como identificador de porta.

Os sapatos também foram uma pechincha. Queria uns pumps que me dessem um ar um pouco pin up (tive quase para comprar na net os “Paris Hilton Women’s Senorita Pump”) mas quis a sorte que num passeio pelas ruas de comércio tradicional de Santiago de Compostela os meus sapatinhos branco-sujo altíssimos sorrissem para mim e a bom preço! O caminho para a cerimónia era um pouco acidentado pelo que mais tarde também comprei outro par mais simples e engraçado (para dar um ar de Alice) em cor alfazema para conseguir fazer “a caminhada”.



O que foi mais fácil?

Dizer “sim” e sorrir nas fotos! Aproveito para agradecer à Lounge Fotografia que eternizou o momento numa sessão fotográfica in loco imediatamente pós-cerimónia civil num cenário maravilhoso. Julgo que captaram nas fotos traços vintage, alusões à infância e também a boa disposição e descontracção dos noivos.


O que foi mais difícil?

Andar nos sapatos altos…!


O que te deu mais prazer criar?

Acho que tudo! Fiquei fascinada pelo universo dos casamentos temáticos, das inspirações de decoração, passei horas a ver sites e mudei por completo a minha visão da cerimónia de casamento. Pensei sempre que não havia grande alternativa ao convencional, mas quando comecei a descobrir um conceito de casamento distinto, criativo, do it yourself que me assentava que nem uma luva quis logo fazer uma cocktail party para eu própria criar o “meu” casamento!



O casamento que planeaste, é a vossa cara, ou foste fazendo cedências pelo caminho?

É sem duvida a nossa cara, não houve cedências mas cancelámos algumas ideias devido à falta de tempo. Por exemplo tinha um programa informático para realizar uma curta-metragem em cinema de animação com uma historinha engraçada dos noivos para passar no cocktail (gostamos muito de cinema de animação) mas quando iniciei o projecto constatei que levaria muito tempo e nunca o completei.


Um pormenor especial?

Houve surpresas inesperadas que tornaram o momento ainda mais especial. Por exemplo a senhora do cartório a quem foi pedido que se deslocasse ao local, tinha demonstrado muita apreensão pelas características da cerimónia – não havia convidados, era no meio de um local publico, eram os próprios noivos que iam buscar a conservadora … Achávamos que “a leitura” iria ser terrível pois deu-me a ideia (quando a contactei ao telefone) que ela estaria um pouco contrariada por ter de realizar a cerimónia daquela forma. Mas afinal de contas acabamos por ter uma agradável surpresa: inesperadamente no fim da leitura pediu-nos para ler um poema. Disse-nos que nunca tinha feito uma cerimónia civil parecida com a nossa e que de apesar de conhecer bem o Porto nunca tinha reparado naquele local e que era lindo!



Algumas words of advice para as próximas noivas?

O mais importante é que o casamento seja o reflexo daquilo que são os noivos e não apenas um sem fim de “tradições” sem sentido pelo simples facto de que “ tem de ser”.

E não se preocupem em ferir susceptibilidades porque a verdadeira família e amigos ficará feliz de saber que o dia, que é vosso e não deles, foi feito à vossa medida e não à medida das expectativas alheias.




Fantástico, verdade?

Podem ver mais imagens e detalhes deste casamento no blog da Lounge Fotografia e no Pinga Amor, da Ana Jordão, ambos fornecedores seleccionados do Simplesmente Branco. Hoje fizemos esta estreia a 6 mãos, partilhando clientes, conteúdos e projectos, para vos proporcionar uma experiência mais completa.

Working together is good!