Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento na Quinta do Vale: Beatriz + Rui

Hoje mostramos o mais bonito dos dias da Beatriz + Rui: um casamento na Quinta do Vale, com a luz dourada e baixa de Outubro.

E que doce e cheio de amor é este dia, temos sorrisos e abraços que duram dias e pormenores para lá de bonitos.

 

Na terça-feira, mostrámos aqui o maravilhoso vestido de noiva da Beatriz, criado especialmente para ela pela Imauve e hoje, como combinado, contamos como todo este dia bonito se desenrolou. As fotografias belíssimas são da dupla D10Photo.

 

Juntam-se a nós?

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia feliz, rodeados de todas as pessoas que são importantes para nós.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi um caminho muito relaxado, muito calmo e intuitivo. Namorámos 6 anos antes de casar e por isso o casamento era o passo natural seguinte. Não estava à espera que o Rui me pedisse em casamento, mas quando o fez senti que era certo. A preparação para o dia foi muito fácil. Sabíamos que queríamos um dia muito simples e o que importava eram as pessoas que estavam connosco. Importava acima de tudo, nós os dois. O facto de pensarmos assim tirou um grande peso de toda a organização. Fomos calmamente vendo as coisas que precisávamos e tomávamos decisões a partir daí.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

No próprio dia. Acho que por muito que se planeie ou se imagine, só no próprio dia é que percebemos que “era mesmo isto”, independentemente se tudo o que foi planeado foi cumprido ou não. Outros valores se levantam, como costumam dizer.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Diria que é bastante fiel. Fomos nós que organizamos tudo.

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para a missa, conseguir uma das igrejas onde os nossos pais casaram. Ambos os nossos pais têm casamentos muitos felizes e continuam apaixonados depois de tantos anos. Nós queremos seguir o exemplo deles e achámos que casar onde eles casaram nos poderia trazer sorte nesse sentido.
Para a festa, encontrar um sítio onde conseguíssemos ter todas as pessoas que queríamos ter connosco e que ao mesmo tempo reflectisse quem nós somos.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Diria que foi tudo muito fácil excepto o design das peças do casamento (missal, convites, mesas…). Eu sou designer, e posso dizer que foi muito mais difícil desenhar para mim do que para os meus clientes. Não deveria ser, mas é! Acho que este é o problema de qualquer criativo que faça um trabalho para si mesmo. Somos demasiado críticos.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A celebração do casamento (a missa).

 

E o pico de diversão?

Dançámos a noite inteira sem parar. Foi inacreditável ter toda a gente a acompanhar-nos!

 

Um pormenor especial…

No dia em que nos casámos, formámos uma nova família: Ramos de Oliveira. Todo o nosso casamento, igreja e quinta, foi enfeitado com ramos de oliveira. Depois do casamento secámos os ramos e ainda os temos em jarras em nossa casa.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

NADA!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem o vosso dia!! É possivelmente um dos dias mais felizes da vossa vida, por isso, enjoy the ride. Relaxem e não ponham pressão em nada. Tudo o que precisavam de fazer para que o dia do casamento acontecesse, já está feito. No próprio dia não podem fazer nada, por isso aproveitem todos os momentos.

Relaxar antes do casamento foi essencial. Na véspera do nosso casamento fiz questão de não fazer absolutamente nada! Acordei e fui para a praia. No dia seguinte estava a casar.

 

Casamento na Quinta do Vale Casamento na Quinta do Vale Casamento na Quinta do Vale

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Beco Creative Studio (da noiva!);

cerimónia: Igreja dos Capuchos;

espaço, catering e bolo dos noivos: Quinta do Vale, Loures;

fato do noivo e acessórios: fato Hugo Boss e relógio Omega;

vestido de noiva e sapatos: IMAUVE;

maquilhagem: Antónia Rosa;

cabelos: Rosa Mendonça;

bouquet: Flores a la Carte;

decoração: a noiva e Quinta do Vale;

ofertas aos convidados: doámos um montante por pessoa à Liga Portuguesa contra o Cancro.

fotografia: D10Photo;

vídeo: FreeSoul;

luzes, som e Dj: Nuno Garcia.

Susana Pinto

Um vestido de noiva diferente e moderno para a Beatriz.

Há acasos assim: de repente passa-nos pelos olhos uma imagem que nos prende a atenção. Pode ser um detalhe, uma cor, umas flores, uns sapatos, um movimento de mãos.

Neste caso, foi o vestido de noiva da Beatriz. Com a sua capinha de tule, um laço de fitinhas a fechar, tão diferente, leve e etéreo, tão inesperado.

Averiguei junto de quem o tinha filmado e fotografado, e cheguei à doce Beatriz, a nossa noiva de hoje.

 

Vamos então falar deste vestido de noiva diferente e mágico!

 

Perguntei à Beatriz como é o que o tinha escolhido:

Sou apaixonada pela IMAUVE e soube imediatamente que queria que fosse a Inês de Oliveira a desenhar o meu vestido para este dia tão especial.
Não tinha nada muito concreto em mente, mas sabia que queria que fosse uma peça só minha e que reflectisse quem eu sou. Como a Inês diz, quis dar-lhe muita liberdade criativa. Sou designer e reconheço a importância de termos liberdade no processo de criação.

A Inês apresentou-me algumas propostas e houve uma que sabia que era para mim. Foi amor à primeira vista!

O que procurei foi um vestido elegante, confortável e único. E o resultado final foi mesmo esse.

 

À nossa conversa junta-se a Inês de Oliveira, diretora criativa e fundadora da IMAUVE, que nos conta como nasceu este vestido de noiva tão especial:

 

O vestido da Bea foi criado de raiz para ela. É um vestido IMAUVE Atelier, de design exclusivo, único no mundo… tal como a Bea.

Tive muita liberdade criativa e todo o processo de desenvolvimento do vestido correu de forma muito natural. Apresentei alguns croquis, dentro dos quais houve um que saltou aos nossos olhos mais que os outros e, emocionadas, decidimos por esse.

O vestido é composto por duas camadas. Uma base em cetim duchesse branco natural, com um decote profundo, traçado, uma tira a definir a cintura, a apertar com 3 botõezinhos forrados e alças que terminam em cordões muito finos, tornando-o vestido quase sem costas. Na parte de cima do body foram sobrepostas várias camadas drapeadas de musselina de seda natural, cosidas à mão e direccionadas para abraçar a silhueta, e ainda uma segunda saia de musselina esvoaçante para criar leveza e acrescentar uma segunda textura.

Sendo a Bea muito nova, extremamente bonita e com uma postura de extrema elegância, queria muito realçar a sua juventude e pureza, e assim criámos este vestido tão simples mas com materiais ricos e pormenores delicados.

Para a igreja, fizemos uma ”capa de princesa” a substituir o tradicional véu. Em tulle de seda, com pregas atrás, cobria os ombros, debruada com atilhos de seda, e escorria pelo comprimento do vestido ultrapassando-o em mais 2 metros de cauda adornada à mão com finas folhas bordadas em tulle.

A simbologia das folhas surge do nome dos noivos – Ramos de Oliveira – e foi transposta para o vestido também como um síbolo de paz e abundância: tudo aquilo que desejo para os noivos.

Criámos uma obra de arte para uma artista fabulosa que, acima de tudo, foi uma noiva deslumbrante, leve e muito, muito feliz.

 

Bouquet de noiva com ramos de oliveira Vestido de noiva diferente com capa bordada com folhas de oliveira Vestido de noiva diferente com capa longa bordada com ramos de oliveira. Vestido de noiva diferente com capa longa bordada com ramos de oliveira. Vestido de noiva diferente com capa em tule bordado com folhas de oliveira Vestido de noiva diferente com capa longa bordada com ramos de oliveira. Vestido de noiva diferente com capa em tule bordado com folhas de oliveira Vestido de noiva diferente com capa longa bordada com ramos de oliveira. Vestido de noiva diferente com capa em tule bordado. Vestido de noiva diferente com capa longa bordada com ramos de oliveira. Vestido d enoiva com capa bordada com ramos de oliveira Vestido de noiva diferente com capa longa bordada com ramos de oliveira.

 

Não é fantástico e poderoso? Este é um “daqueles” vestidos de noiva, os de princesa, os que ficam na memória, os que são épicos na sua singularidade.

Este é, de facto, um vestido de noiva diferente: de uma elegância intemporal, sem nunca perder a sua leveza e importância.

 

Na sexta-feira vamos mostrar mais detalhes deste casamento, passem por cá para ver o mais bonito dos dias da Beatriz + Rui!

As imagens felizes são da dupla D10Photo.

 

Susana Pinto

À conversa com: D10Photo – fotografia de casamento

Hoje conversamos demoradamente com a dupla David Pereira e Sara Gomes, que assinam como D10Photo e fazem fotografia de casamento.

É o trabalho deles que ilustra o nosso outro site, We are The Destination, e as suas imagens são muito, muito bonitas e intemporais. Há sempre uma leveza permanente no seu registo, nada intrusivo, apenas muito orgânico e natural. Tudo flui, como uma brisa, e para isso é preciso talento e confiança no que se faz.

Fiquem a conhecê-los, e ao seu belo trabalho, um pouco melhor.

 

Damos muito nos casamentos, mas recebemos imenso e isso é mágico.

 

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

O David formou-se como arquitecto, mas ainda não tinha acabado o curso quando decidiu aliar o gosto pela fotografia à oportunidade de ir trabalhar com um fotógrafo de arquitectura. Ficou-se pela fotografia de arquitectura durante uns anos, e, depois de ter trabalhado com outros fotógrafos em alguns casamentos, teve um convite para fotografar um casamento com 6 pessoas e foi aí que se apaixonou pelos casamentos.

A Sara formou-se em fisioterapia, mas sempre teve uma curiosidade aguçada e muito crítica relativamente ao que o David ia fazendo. Basta dizer que sempre que o David chegava após um dia de casamento, a Sara queria saber tudo e pedia para ir ver todas as fotografias. Mesmo hoje em dia, em que fotografamos quase sempre juntos, ela quer ver as fotos quando chegamos a casa, não importa a hora! Há cerca de três anos que ela decidiu arriscar no mundo da fotografia de casamento e, desde então, estamos nesta aventura a dois.

 

D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa

Há quanto tempo fotografam? E porquê casamentos?

Desde 2010 que fotografamos, mas o tal casamento de 6 pessoas que iniciou esta jornada foi no final de 2014.

Damos muito nos casamentos, mas recebemos imenso e isso é mágico. Por muitos casamentos que já tenhamos feito, há sempre um borbulhar na barriga antes de começar.

 

Como o definem e como construíram essa assinatura?

Somos muito descontraídos e gostamos de passar despercebidos e isso reflecte-se na forma como fotografamos. O que nos caracteriza é mesmo isso, mostramos o nosso ponto de vista, o que vemos, da forma como somos.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

É principalmente às coisas boas do dia-a-dia e que nada têm a ver com casamentos, apesar de acompanharmos o que os nossos colegas vão fazendo e isso também nos inspirar.

Cinema, arquitectura e criativos são as nossas principais fontes de inspiração.

 

D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Viajar é a nossa fuga. É a forma que encontramos para restabelecer as energias e voltar a ver o mundo como crianças. Adoramos conhecer cidades novas, mas não dispensamos estar em contacto com a natureza.

 

De Lisboa para o mundo, ou Portugal de lés a lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?

Sim, é diferente, mas tende a ser cada vez menor essa diferença. Mesmo dentro de Portugal é diferente fotografar um casamento no Norte, Centro ou Sul, e isso é maravilhoso.

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Após o primeiro contacto, normalmente por email, o que mais nos interessa é conhecer o casal e tentar que eles nos conheçam. Nada melhor que uma boa conversa, relaxada e informal. Gostamos de chegar ao casamento e sentir que fazemos parte da festa.

 

D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa Casar no L'And Vinyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo.

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

O mais importante é que se identifiquem com o nosso trabalho, isso é tudo para nós, mas temos um gosto especial por casamentos pequenos, em que seja uma festa constante.

 

Qual é a melhor parte de fotografar casamentos? E o mais desafiante e difícil?

Diríamos que o melhor são as pessoas e as suas histórias, juntamente com todos os locais novos que conhecemos. Tal como dissemos no início, damos muito nos casamentos, mas recebemos imenso, e isso é especial.

Desafiante é estarmos a registar um dia de festa que é único e que não se repete.

A mais difícil é tudo aquilo que fazemos para além de fotografar, e que passa maioritariamente despercebido, mas que nos ocupa muito tempo.

 

Escolham uma imagem favorita do vosso portefólio e contem-nos porquê:

Acho que todos devemos dizer o mesmo, mas é quase cruel ter de escolher uma imagem.

Não sei se é a nossa favorita, não é perfeita, mas foi feita num dos últimos casamentos, com uns noivos apaixonantes e que nos deixaram viver o dia deles.

 

D10 Photo - fotografia de casamento

 

Os contactos detalhados da dupla D10Photo estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem o David Pereira e a Sara Gomes directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

Susana Pinto

Casamento no L’And Vineyards: Catherine + Mark

Hoje mostramos um casamento no L’And Vineyards, captado pela dupla D10Photo.

É o mais bonito dos dias de Catherine + Mark, vindos da Suiça para casar no coração do Alentejo, entre Montemor e Évora.

 

O contraste entre o branco predominante do L’And Vineyards e as cores quentes alentejanas foram os argumentos que levaram os noivos a apaixonar-se por este local. E como é fácil ficarmos de coração preso ao Alentejo!
As cores, a paisagem, a gastronomia, a natureza e as noites estreladas são imbatíveis e há todo um compasso que parece desacelerar o tempo, que é muito mágico e singular.

 

É certo que nós regressamos a casa para casar, às raízes de um ou de outro, ou de ambos – é impensável viajarmos para um destino longínquo, vestido de noiva na bagagem, e dizermos o sim num cenário que nada nos diz, verdade?

Mas é inegável que, ao olharmos para cada um destes casamentos estrangeiros, nos sintamos fascinados e atraídos pela energia contagiante que atravessa cada uma destas imagens.

Estes dias de festa – porque nunca são apenas umas horas -, são sempre cheios de amor, de paz, de alegria, de diversão, de emoções.

Porque estamos todos lá, durante dois ou três dias, para aquelas duas pessoas: para absorver o amor que generosamente partilham connosco, para festejá-lo, para vivê-lo, construíndo memórias doces e robustas.

 

E nestes dois ou três dias, há tempo, de facto, para tudo: para dormir a sesta, para dar mergulhos na piscina, para brincar com os mais pequenos, para rir, para chorar, para dar abraços, para conversar, para nos conhecermos melhor e fazermos novos amigos, para nos construirmos como família alargada.
E isso é muito especial, não acham?

 

Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo.

Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo.  Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo.

Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo.

Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo. Casar no L'And Vineyards, no Alentejo: fotografia de D10Photo.

Todos os pormenores foram feitos pelos noivos, e a decoração das mesas no dia do casamento ficou nas mãos de Mark, enquanto Catherine e as suas madrinhas acabavam de se arranjar.

Há por aqui umas gargalhadas bem sonoras e a alegria e boa disposição foram absolutamente constantes durante todo o dia, prolongando-se pela pista de dança noite fora.

O mais bonito dos dias é assim – e se forem dois ou três, ainda melhor!

 

O trabalho da Sara Gomes e David Pereira, que assinam como D10Photo é muito bonito. Se não o conhecem em detalhe, passem por aqui!

Susana Pinto

Casamento no Palácio Fronteira: Lara + David

Hoje é dia de casamento no Palácio Fronteira, no coração de Lisboa.

Mostramos o mais bonito dos dias da Lara + David, filmado pelo Dado Nunes, da Every Heart Films. Juntaram-se à festa uma mão cheia de fornecedores seleccionados Simplesmente Branco: organização, decoração e detalhes da Amor e Lima, fotografia da dupla D10Photo, e animada pista de dança com o talento e serviço impecável da Jukebox.

Deixem-se levar pelas imagens emocionantes!

No início pode parecer que tudo está contra nós, com a presença de alguns contratempos, mas com o passar do tempo e com o foco centrado naquilo que realmente desejam, o vosso dia vai ser fantástico, porque no fim vai ser o melhor de todos os casamentos. Aproveitem o dia ao máximo, porque ele vai passar a correr e é um momento singular!

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Muitas coisas passaram pela nossa cabeça, visitámos espaços, não muitos, mas queríamos evitar o aspecto quinta, a nossa ideia foi sempre poder reunir aqueles que mais gostamos e proporcionar, tanto a eles como a nós, um dia inesquecível e diferente. Como um de nós é apaixonado por História da Arte, pensámos num local com história, e outro gosta dos aspectos estéticos e de natureza. Alguns espaços poderiam ser opção, mas sem dúvida que encontrámos o local ideal!

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Os momentos de ansiedade ficaram algo dispersos durante os preparativos, os nervos chegaram no dia do casamento, quando “caiu a ficha” do “isto vai mesmo acontecer”. Desde o início tivemos a ajuda da empresa de wedding planning, do catering e do responsável pelo palácio (Dr.Filipe) que nos elucidavam sobre realidades passadas e do que era possível fazer no espaço.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Durante todo o percurso da organização estivemos preocupados com os mais pequenos pormenores, só pela segunda visita ao espaço, com todos os elementos da organização presentes, conseguimos ter a certeza que a nossa ideia se poderia concretizar.

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado foi superado relativamente ao espectável, contámos sempre com a ajuda da nossa wedding planner Raquel Melo, da Amor e Lima, e também com a pessoa responsável pelo catering e gestão do espaço, Ana Moura, da Silva Carvalho Catering.

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós o importante era que não existisse qualquer tempo morto! Que fosse tudo aproveitado do início ao fim do casamento pelos presentes, por esse motivo tivemos a ideia de ter uma cerimónia mais tardia e aproveitar tudo ao máximo. Não tivemos qualquer necessidade de incluir um animador na festa, unicamente o DJ, com o nosso perfil musical. A música ao vivo foi um momento que não queríamos abdicar e que correu na perfeição, de tal modo que a maioria dos convidados queria prolongar a festa por muito mais tempo.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Foram meses de muita ansiedade, com a noção de realidade um pouco alterada. As ideias de “será que vai acontecer?” “será que as pessoas vão gostar?”. Todo o planeamento foi feito com menos de 8 meses da data da cerimónia e queríamos que tudo fosse ao encontro das nossas ideias. Tentámos fazer tudo o mais personalizado possível deste os convites, as lembranças, a lista de das músicas e a ordem das mesmas. Mas para nós o mais difícil, por compromissos profissionais e pela gestão de tempo, foi conseguir ensaiar a dança!

 

A leitura dos votos foi, sem dúvida, o pico sentimental do dia! Sendo o casamento civil, sem qualquer motivo religioso, conseguimos expressar aquilo que sentimos um pelo outro por palavras nossas e foi muito intenso.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A leitura dos votos foi, sem dúvida, o pico sentimental do dia! Sendo o casamento civil, sem qualquer motivo religioso, conseguimos expressar aquilo que sentimos um pelo outro por palavras nossas e foi muito intenso.

 

E o pico de diversão?

O pico da diversão aconteceu na pista de dança onde todos os convidados participaram e se divertiram. Poucos eram os que não estavam a dançar. Como está supracitado foi com muita pena que terminou “cedo”.

 

Um pormenor especial…

Achamos que o que marcou a diferença, foi o seating plan, foi diferente, dedicámos algum tempo a pensar nele e foi algo que todos os presentes gostaram, conseguindo também dessa maneira arranjar uma forma  de oferecer as lembranças do casamento.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Possivelmente prolongaríamos ainda mais o momento de que todos gostaram (a pista de dança), mas de resto, foi um dia perfeito.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

No início pode parecer que tudo está contra nós, com a presença de alguns contratempos, mas com o passar do tempo e com o foco centrado naquilo que realmente desejam, o vosso dia vai ser fantástico, porque no fim vai ser o melhor de todos os casamentos. Aproveitem o dia ao máximo, porque ele vai passar a correr e é um momento singular!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites, materiais gráficos, bouquet de noiva e ofertas aos convidados: Amor e Lima;

espaço de casamento: Palácio Marqueses de Fronteira;

catering: Silva Carvalho Catering;

bolo: Pims Cake Design;

fato do noivo e acessórios: fato Massimo Dutti; sapatos Yucca;

vestido de noiva e sapatos: vestido Pronovias; sapatos Aldo;

maquilhagem de noiva: Joana Moreira;

cabelos: Anabela Miguel, cabeleireira e mãe da noiva;

decoração: Amor e Lima e Silva Carvalho Catering;

fotografia: D10Photo;

vídeo: EveryHeart Films;

luzes, som e Dj: Your Jukebox.

 

Marta Ramos

Nova montra D10Photo, com imagens descontraídas e felizes

As galerias das fichas de fornecedor seleccionado são como montras do trabalho dos profissionais que escolhemos para vos recomendar. Hoje destacamos a renovação da montra dos fotógrafos D10Photo.

Descontraídos, informais e apaixonados é o trio de adjectivos que melhor descreve a dupla David Pereira e Sara Gomes, que assina como D10Photo. Adoram sorrisos, momentos sinceros e toda a intensidade que existe num casamento. Tentam passar o mais despercebidos possível, captando o que se passa ao seu redor, de forma natural e apaixonada. Não tomam nada como certo e adoram procurar coisas novas e fotografias únicas. Gostam de mostrar o seu ponto de vista.

Escolheram trabalhar na área dos casamentos porque adoram contar histórias – e não há melhor que um dos dias mais importantes da vida de duas pessoas para o fazer. Com as suas fotografias, pretendem eternizá-las, de uma forma orgânica.

Para além disso, orgulham-se de fazerem aquilo de que mais gostam:

Para nós, a fotografia não é um trabalho mas sim uma paixão; por isso mesmo, vivemo-la ao máximo.

Seleccionámos algumas das imagens fresquinhas que o David e a Sara adicionaram recentemente à sua galeria – mas não deixem de ir à ficha de fornecedor para ver o conjunto completo.

 

D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa

 

D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa

 

D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa

 

D10Photo: fotografia de casamento em Lisboa

 

Acompanhem os nossos posts acerca do trabalho da D10Photo – e falem com a Sara e o David, que estão à vossa espera para contar a vossa história segundo o seu ponto de vista.

Susana Pinto

À conversa com: D10Photo – fotografia de casamento

Hoje conversamos demoradamente com a dupla David Pereira e Sara Gomes, que assinam como D10Photo.

É o trabalho deles que ilustra o nosso outro site, We are The Destination, e as suas imagens são muito, muito bonitas e intemporais. Há sempre uma leveza permanente no seu registo, nada intrusivo, apenas muito orgânico e natural. Tudo flui, como uma brisa, e para isso é preciso talento e confiança no que se faz.

Fiquem a conhecê-los, e ao seu belo trabalho, um pouco melhor.

 

Damos muito nos casamentos, mas recebemos imenso e isso é mágico.

 

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

O David formou-se como arquitecto, mas ainda não tinha acabado o curso quando decidiu aliar o gosto pela fotografia à oportunidade de ir trabalhar com um fotógrafo de arquitectura. Ficou-se pela fotografia de arquitectura durante uns anos, e depois de ter trabalhado com outros fotógrafos em alguns casamentos, teve um convite para fotografar um casamento com 6 pessoas e foi aí que se apaixonou pelos casamentos.

A Sara formou-se em fisioterapia, mas sempre teve uma curiosidade aguçada e muito crítica relativamente ao que o David ia fazendo. Basta dizer que sempre que o David chegava após um dia de  casamento, a Sara queria saber tudo e pedia para ir ver todas as fotografias. Mesmo hoje em dia, em que fotografamos quase sempre juntos, ela quer ver as fotos quando chegamos a casa, não importa a hora! Há cerca de três anos que ela decidiu arriscar no mundo da fotografia de casamento e, desde então, que estamos nesta aventura a dois.

 

Há quanto tempo fotografam? E porquê casamentos?

Desde 2010 que fotografamos, mas o tal casamento de 6 pessoas que iniciou esta jornada foi no final de 2014.

Damos muito nos casamentos, mas recebemos imenso e isso é mágico. Por muitos casamentos que já se tenham feito, há sempre um borbulhar na barriga antes de começar.

 

Como o definem e como construíram essa assinatura?

Somos muito descontraídos e gostamos de passar despercebidos e isso reflete-se na forma como fotografamos. O que nos caracteriza é mesmo isso, mostramos o nosso ponto de vista, da forma como somos.

 

Casamento no Alentejo por D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo por D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo por D10Photo - fotografia de casamento

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

É principalmente nas coisas boas do dia-a-dia e que nada têm a ver com casamentos, apesar de acompanharmos o que os nossos colegas vão fazendo e isso também nos inspirar.

Cinema, arquitectura e criativos são as nossas principais fontes de inspiração.

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Viajar é a nossa fuga. É a forma que encontramos para restabelecer as energias e voltar a ver o mundo como crianças. Adoramos conhecer cidades novas, mas não dispensamos estar em contacto com a natureza.

 

De Lisboa para o mundo, ou Portugal de lés a lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?

Sim é diferente, mas tende a ser cada vez menor essa diferença. Mesmo dentro de Portugal é diferente fotografar um casamento no Norte, Centro ou Sul e isso é maravilhoso.

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, por D10 Photo - fotografia de casamento

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, por D10 Photo - fotografia de casamento

 

Casamento na Quinta do Hespanhol, por D10 Photo - fotografia de casamento

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Após o primeiro contacto, normalmente por email, o que mais nos interessa é conhecer o casal e tentar que eles nos conheçam. Nada melhor que uma boa conversa, relaxada e informal. Gostamos de chegar ao casamento e sentir que fazemos parte da festa.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

O mais importante é que se identifiquem com o nosso trabalho, isso é tudo para nós, mas temos um gosto especial por casamentos pequenos, em que seja uma festa constante.

 

Qual é a melhor parte de fotografar casamentos? E o mais desafiante e difícil?

Diríamos que o melhor são as pessoas e as suas histórias, juntamente com todos os locais novos que conhecemos. Tal como dissemos no início, damos muito nos casamentos, mas recebemos imenso, e isso é especial.

Desafiante é estarmos a registar um dia de festa que é único e que não se repete.

A mais difícil é tudo aquilo que fazemos para além de fotografar, e que passa maioritariamente despercebido, mas que nos ocupa muito tempo.

 

Escolham uma imagem favorita do vosso portfolio e contem-nos porquê:

 

D10 Photo - fotografia de casamento

 

Acho que todos devemos dizer o mesmo, mas é quase cruel ter de escolher uma imagem.

Não sei se é a nossa favorita, não é perfeita, mas foi feita num dos últimos casamentos do ano passado com uns noivos apaixonantes e que nos deixaram viver o dia deles.

 

Os contactos detalhados da dupla D10Photo estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem o David Pereira e a Sara Gomes directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!