Created with Sketch.
Marta Ramos

Wise words: Por onde começar a organizar o casamento?

Wise words é o nome da nossa novíssima rubrica de dicas úteis para vos ajudar de facto a pôr de pé, com equilíbrio e com prazer, o vosso grande dia. Contaremos, todas as semanas, com a ajuda dos nossos fornecedores seleccionados – afinal, quem melhor para vos aconselhar do que os especialistas na matéria? Temos também um manual de instruções que nos servirá de guia, do qual estou certa de que já ouviram falar: o livro Queres casar comigo?, escrito pela imbatível dupla Susana Esteves Pinto & Maria João Soares.

 

A pergunta foi feita e a resposta, emocionada, foi dada: sim! E agora…? Como é que isto se faz? Por onde é que se começa? Pelo princípio, com uma calma entusiasmada e um belo sorriso.

 

São estes os ingredientes com os quais cozinharemos fornadas perfeitas de palavras sábias para vos servir aqui, sempre às segundas-feiras. Hoje, para começar pelo princípio, contamos com as wise words de Maria João Soares, da Design Event Weddings, e de Rita Soares-Alves, da Wedwings; e com bonitas imagens de Um Dia de Sonho.

 

 

 

 

Lembrem-se de que o dia deve reflectir cada um de vós e o que são como casal! – Rita Soares-Alves

 

Isto é um projecto a dois. Quando começarem a espalhar a palavra, o mais certo é que comecem a chover as ideias, os conselhos, as sugestões. Apesar das boas intenções, o mais provável é que se sintam confusos com tanta informação. É por isso que Rita Soares-Alves vos aconselha a ouvir e a agradecer mas, mais importante que tudo, a filtrar. Sentem-se calmamente os dois e desenhem o vosso dia, definindo aqueles aspectos fundamentais nos quais não vão querer ceder.

 

E cheguem aos dois números mágicos, aconselha Maria João Soares: o número de convidados e o tecto do vosso orçamento. Sem estas duas balizas  não vale a pena começar a fazer escolhas, sob o risco de alguma coisa derrapar.

 

 

 

 

Mesmo que já tenham algumas ideias definidas, um bom profissional de organização de casamentos pode ajudar a rentabilizar ainda mais as vossas escolhas. – Maria João Soares

 

Fazer tudo sozinhos pode parecer divertido e romântico ao início, mas não é de todo o melhor caminho, se querem desfrutar do processo – e do noivado! Maria João Soares sugere que assumam as rédeas do projecto, que se dediquem a alguns pormenores nos quais poderão imprimir o vosso cunho pessoal, mas que deleguem as ‘dores de cabeça’ num profissional de organização de casamentos. E, ao contrário do que poderão pensar, esta é uma alínea do vosso orçamento que vos poderá ajudar a encurtar a soma final.

Rita Soares-Alves partilha desta opinião, e lembra que os amigos com jeito para algo específico também não são a melhor opção. Poderão ajudar-vos a tomar certas decisões, claro – um fotógrafo será um bom conselheiro na hora de escolherem o vosso fotógrafo – mas deixem-nos ser apenas convidados no grande dia e evitem tensões desnecessárias. E, já que têm que começar por algum lado, Rita aconselha-vos a contactar em primeiro lugar os potenciais espaços, fotógrafos/videógrafos e profissionais de animação. Se tiverem dúvidas relativamente às respostas que vão obtendo, esclareçam-nas com um telefonema. Para Maria João, uma enchente de e-mails gera caos – e há sempre o factor humano, que também conta: falar um pouco de viva voz pode ajudar-vos a medir melhor o vosso grau de empatia com quem está do outro lado. Porque, na hora da decisão final, não é só o valor a pagar que deverão ter em conta, mas também a fiabilidade, o interesse, a disponibilidade.

 

 

 

 

Estejam atentos aos sinais: se começarem a sentir-se assoberbados, parem para respirar fundo. Desliguem durante uns dias, vão namorar e relembrem-se do caminho que vos levou ao “sim!”. 

Comentar