Created with Sketch.
Susana Pinto

Desacelerar: o caminho para a felicidade

Esta é a semana em que fechamos a porta devagarinho, trabalhamos o dobro para vos entreter em modo leve e inspirado durante o mês de Agosto, e nos preparamos para o merecido descanso. Vamos a banhos!

Desacelerar é um assunto. É um bem precioso, que nos permite regressar, seja de onde for que tenhamos parado, com uma frescura de ideias, passo leve e entusiasmo. Vale para o nosso quotidiano de trabalho, onde procuramos trazer-vos sempre novidades valiosas e informação acertada, e sentimos o desgaste; e vale de igual forma para cada par de noivos que nos lê.

O caminho até ao mais bonito dos dias é feito de tensões, decisões complexas com custos elevados, vontade de agradar a todos e um esforço imenso para não perder o leme e a própria visão do que se quer. Há discussões, há dúvidas a mais, há cansaço que se soma aos nervos e esse  não é o mind set com que queremos entrar na semana que antecede o casamento.

A minha forma de ultrapassar esta montanha de emoções e cansaço é desacelerar.

Parar, respirar fundo, desligar e sair do momento. Menos estímulos exteriores, mais paz de espírito interior. Menos ruído, mais sossego. Trocado por miúdos, é tomar a rédea ao tempo e re-alinhar as prioridades, de forma consciente – não apenas o que é mais importante de forma genérica, mas o que é mais importante para nós, neste momento, que nos vai permitir chegar ao destino que queremos.

Os dias que antecedem o vosso casamento serão sempre intensos, esse é o cenário natural. Entre os preparativos profissionais que antecipam a vossa ausência por umas semanas (certamente semelhantes aos nossos!), as últimas corridas, recolhas, compras, pequenas decisões e pontas para rematar, assegurem-se de que guardam tempo para os dois, a dois (façam-no também durante o caminho até aqui, namorem muito e relembrem-se, várias vezes, do que vos trouxe até este dia). Vão ao cinema, vão à praia, durmam até tarde, marquem uma massagem, recuperem alguma rotina pré-casamento (já nem se devem lembrar de como era…!) ou vão, simplesmente, aparvalhar com os amigos, sem tocar no assunto casamento. Vale tudo o que vos faça encher o peito de ar e rir livremente, dar abraços e beijos e sorrir generosamente.

 

 

 

 

No dia, acordem devagar e tomem, juntos (porque é tão doce…) ou separados (porque a antecipação pode ser deliciosa), um maravilhoso pequeno-almoço – será, ainda mais que o habitual, a refeição mais importante do dia: completo, guloso e saudável, vai ser o vosso combustível.

Cerquem-se das vossas pessoas queridas e especiais (e possuidoras de uma tranquilidade contagiante!), nomeiem um braço direito/mestre de cerimónias e passem-lhe todas as informações fundamentais, será o “frente de casa”, a pessoa que resolve tudo, sabe tudo e antecipa tudo, para que não vos chovam perguntas a cada três minutos e consigam, tranquilamente, in the moment e envoltos numa bolha de amor e conforto, preparar-se. Reservem uns minutos rápidos para um first look: avisem apenas o vosso cúmplice que sabe de tudo e o vosso fotógrafo, e fujam por uns instantes para este momento que é só vosso. A carga emocional é electrizante e as imagens que vão guardar deste encontro fugaz serão as mais incríveis.

Et voilá, estes são os nossos conselhos para abrandar e entrar na zona. Para absorver a onda de amor. Para guardar, de forma palpável, todos os momentos mágicos que enchem o dia. Para celebrar o caminho feito. Para dar início à próxima viagem.

Vou pegar nos livros volumosos que me piscam o olho todos os dias, pacientemente, à minha espera e no meu querido rapaz, e vamos espreguiçar a mente e o corpo, com vista para o mar. Desacelerar é o caminho para a felicidade!

 

Imagens via Jessica Comingore; The home made haus; Sunday Suppers.

Susana Pinto

Do SB com amor: 1% do vosso orçamento

O mais bonito dos dias é, na sua essência, a união e partilha do amor.

O formato que toma, seja uma festaça para 200 ou espumante e bolo para 10, acaba por ser um detalhe na grande ordem das coisas. Como dizemos sempre por aqui, o fundamental é que seja à vossa medida, a vossa cara, o vosso reflexo.

Depois do “sim!” emocionado e muito feliz, depois das borboletas na barriga só a dois, depois de contada a novidade e depois de marcada a data, começa esta viagem longa, tensa, divertida também, e muito desafiante. Toda a gente à vossa volta terá uma opinião, uma ideia genial, um direito devido, uma sugestão irrecusável.  Saber gerir estas forças que puxam para direcções que são diferentes entre si e que são diferentes da vossa, de forma delicada mas também assertiva, é um processo e uma aprendizagem, feita de ponderações várias, cedências com importâncias relativas (menos para um dos lados, muito mais para o outro) e firmeza no essencial e inquestionável.

Diria mesmo que, juntamente com a gestão totalmente cerebral do orçamento (a única forma de o fazer!), são os faróis para navegar durante meses, entre decisões complexas e valores elevados, em direcção a um dia muito feliz e leve: o melhor dia da vossa vida.

 

Porque sentimos que também nós fazemos parte do vosso círculo de amigos próximos, é claro que também temos uma opinião, e também temos uma ideia, e também temos um conselho que achamos ser o melhor de todos!

 

Permitam-me a audácia de saber o que é melhor para vocês, porque juntamos razão e coração neste gesto e mensagem.

A ideia que quero partilhar convosco é simples, valiosa e com impacto, e resume-se a um número singular: 1%.

Tomem nota deste valor, que explico a seguir: 1% do vosso orçamento.

1% do vosso orçamento.

Gentileza é um dos nossos valores essenciais. É algo que pratico de forma discreta, em público e em privado, à minha maneira, pela minha cabeça, em sintonia com o meu coração. Estender a mão, de forma real ou em sentido figurado, quando alguém precisa (seja de uma informação ou de uma ajuda mais real e concreta), é um pouco como respirar, é um bem essencial e natural. Se o podemos fazer, parece-me sempre tonto não o fazermos, de facto.

Nesta remodelação imensa que o Simplesmente Branco atravessou, pusemos à vista esta nossa vontade: sermos gentis.

E fizémo-lo de forma estruturada e intencional, escolhendo um conjunto singelo de parceiros fazedores de imensa diferença no quotidiano de quem está menos bem. Se passamos os dias a celebrar a felicidade alheia, vamos alocar uma pequena parte dessa festa a um objectivo igualmente especial, não?

A nossa resposta é: claro que sim! E assim chegamos ao número mágico lá de cima…

Considerem doar 1% do vosso orçamento a uma instituição à vossa escolha (é isso mesmo, unzinho!), como substituto das lembranças para os convidados.

É uma ideia genial, acreditem! Acabam com a pegada ecológica, facilitam alguma logística, ajudam quem precisa, à medida da vossa generosidade, sensibilizam os vossos convidados e amigos e podem, com isso, gerar  toda uma cadeia de partilha de conhecimento e valor para com a instituição que escolheram, de forma pública, informada e, com uma dose de optimismo, viral (e que bonito que isso pode ser…!).

As que sugerimos na nossa lista, partem de escolhas pessoais, minhas e da Marta: porque conhecemos pessoas envolvidas de ambos os lados (quem lá trabalha e quem foi ajudado), e por contactos profissionais que vamos tendo – todos estes projectos são valiosos e muito importantes nas comunidades que servem, e revemo-nos neles. Já o dissemos – é a nossa parte favorita do novo Simplesmente Branco.

 

Nenhum é a vossa cara ou causa? Não há problema, façam a vossa ligação directa e mantenham a nossa ideia de génio (Simplesmente Branco knows best, party people!) em mente: 1% do vosso orçamento. Têm amigos que vão casar? Pois opinem sobre as lembranças, com um tom sábio e bem humorado: vão convencê-los de certeza, porque as boas ideias  são luminosas e as ideias bonitas são irresistíveis!

 

1% do vosso orçamento, singelo ou generoso. É só isto.

 

Lembranças para os convidados: 1% do vosso orçamento

 

Save

Susana Pinto

À conversa com: Susana Esteves Pinto

Em sintonia com esta grande mudança, decidimos falar um pouco mais de todos nós, quem faz o Simplesmente Branco todos os dias, e quem faz parte dele também. A inaugurar estas conversas mais longas e curiosas, cheguei-me eu à frente, e pedi à maravilhosa Marta Neves, que assina o animadíssimo blog de lifestyle The Coolunista (o melhor título de sempre!), para me entrevistar.

Qual é a ligação, estarão vocês a perguntar? É simples. Podia dizer que é a boa disposição e energia da Marta, podia dizer que é a qualidade da escrita ou o sentido de humor, mas é tudo isso e um pormenor muito especial: a Marta foi uma das nossas queridas noivas e o seu casamento (uma festaça!) passou por aqui.

Conhecemo-nos pessoalmente quando lhe fui entregar em mão uma The Love Tree, conversámos 10 minutos junto à Assembleia da República (empatia imediata!), e fomos mantendo o contacto (a Marta foi uma das duas pessoas que opinou sobre a capa do “Queres casar comigo? – guia pratico para um dia muito feliz”). Quando chegou o momento, a ligação foi imediata.

 

Sem mais demoras, Marta Neves, estrela do You Tube, à conversa comigo:

 

De onde surgiu esta paixão e gosto por este universo casamenteiro? Sempre foste uma apaixonada pelo Amor?

É simples: gosto de coisas bonitas! E nesta coisa dos casamentos, há muito por onde me deliciar.

Mas não é apenas isso. Formei-me em design gráfico, na Faculdade de Belas-Artes, em Lisboa. Tenho uma paixão pela matéria-prima papel, colecciono catálogos, postais, papéis de embrulho de todos os destinos onde já fui, mesmo tão longínquos como o Japão ou Argentina (a querida Sílvia Pontes já herdou alguns deles). Comecei a trabalhar nesta área pelo serviço mais óbvio: convites de casamento. Criei a minha própria marca, a Wise_up Weddings, brinquei com fine papers, acabamentos sofisticados, tipografia bonita e, disto ao resto, foi um pulinho natural. Não sou casada e, lá em casa, isso não nos faz falta para sermos felizes, um par ou uma família, mas aprecio com espanto e maravilhamento quem dá o nó, sobretudo desta forma tradicional e elaborada. Sou uma romântica optimista e fico sempre emocionada com histórias doces, abraços apertados e aquela energia feliz e contagiante que atravessa as imagens dos casamentos que vejo no meu quotidiano. Essa é a minha cereja, o que me prende a este assunto, todos os dias: a celebração do amor, partilhada com os nossos!

 

Entrevista Susana Esteves Pinto Simplesmente Branco

 

Como chegaste ao Simplesmente Branco? De onde é que ele surgiu? Com que objectivo o criaste?

Quando comecei a pensar nisto, a Wise_up Weddings já existia há uns anos, tinha site próprio e alguma presença na imprensa especializada, em papel. Sentia necessidade de avançar para um posicionamento mais digital, mais robusto, dar um salto como marca (estávamos em 2007!) e prestei atenção às plataformas existentes na altura: pareceu-me tudo péssimo e desajustado da realidade. Ao mesmo tempo, já era leitora assídua da épica revista Martha Stewart Weddings, que coleccionei durante anos, e de vários sites e blogs americanos, que estavam a despontar, como o Style me pretty  ou o Once Wed, e pensei: é isto que faz falta, este formato, esta selecção, esta mensagem, esta visão sobre o casamento, com frescura, inovação, criatividade. Mastiguei mentalmente o assunto nos anos seguintes, fui perguntando aqui e ali (não sabia nada sobre sites, portais, quem os fazia, quanto custavam), até que encontrei uns potenciais parceiros de negócio e propus-lhes este desafio: e se fizéssemos um Style me pretty nacional? Já tinha um círculo amigo de parceiros e fornecedores com as mesmas características, necessidades e vontades, procurávamos uma plataforma com a qual nos identificássemos, em termos de ideias e linguagem, um serviço com um preço possível para ambas as partes e um espaço simpático, gentil, honesto e generoso, sério, profissional.

O Simplesmente Branco nasceu como essa casa: um espaço nosso e para fornecedores como nós, pequenos ou grandes, criativos, entusiasmados, fazedores de coisas bem feitas, empenhados em trazer frescura para o mercado, em torná-lo moderno, real e próximo dos noivos. Uma casa onde o talento podia crescer, onde todos os dias podíamos mostrar o melhor que se faz por cá nesta área, descobrir e mostrar produtos, serviços e ideias bonitas e especiais. Onde quem faz se pode mostrar a quem procura, porque também estes noivos precisavam de encontrar, a nível nacional, quem concretizasse os sonhos que tinham, precisavam de saber que por cá, também havia quem fizesse coisas tão bonitas como aquilo que viam todos os dias lá fora, que não era preciso suspirar com tristeza e escolher entre serviços desactualizados, impessoais e sem graça, que todo esse imaginário americano que nos entrava pelo ecrã adentro todos os dias, estava aqui, disponível à distância de um clique, de um telefonema, de um email ou de um café.

Estes primeiros anos foram muito mágicos, com muitos desafios, muitas aventuras amalucadas, que assentavam no puro entusiasmo de fazer! Criámos um mercado, criámos uma linguagem, abrimos caminho para que jovens fornecedores, muito talentosos, pudessem crescer, ter visibilidade, e da mesma forma estendemos a mão a noivos que estavam perdidos, sem descortinarem forma de concretizar a festa que tinham em mente, dizendo: encontrem-se aqui, esta é a vossa casa!

Este reshape profundo que demos ao mercado, é o meu maior motivo de orgulho: há claramente, um antes e um depois do Simplesmente Branco!

 

Passados 7 anos, como foi o caminho até aqui? 

Longo, árduo, frustrante algumas vezes, gratificante, muitas outras. Épico, sem dúvida!

Colocámos muitos desafios a nós próprios, quisemos sempre experimentar, fazer mais, melhor, diferente porque era à nossa medida, porque era a nossa cara, a nossa vontade. Acho que trouxemos liberdade, esse bem tão precioso: liberdade de pensar, liberdade de escolher, liberdade de decidir.

Olho para trás, e o caminho feito é imenso e de valor: 7 anos online significam mais de 5 mil posts escritos (e muitos milhares de imagens editadas), sem interrupção. São 10 showcases, com centenas de visitantes, entre Lisboa e Porto, são 5 revistas digitais editadas, com conteúdos integralmente nossos em mais de 200 páginas (a primeira S Magazine, que lançámos no primeiro aniversário, teve, na altura, mais de 100 mil visualizações), que continuam intemporais, um livro bonito e cheio de bons conselhos, editado a meias com a Maria João Soares, um directório seleccionado com mais de 100 clientes e mails bonitos de leitores que passam por aqui no seu caminho até ao mais bonito dos dias, que não conhecemos e que nos deixam palavras muito doces. Vimos crescer muitos projectos óptimos e ajudámos outros tantos a descolar, fizemos amigos pelo caminho, sempre sem ceder na qualidade ou na frontalidade. Acabámos de estrear um novo Simplesmente Branco, a terceira versão, nestes 7 anos.

Que viagem cheia, não?

 

Entrevista Susana Esteves Pinto Simplesmente Branco

 

THE MILLION DOLLAR QUESTION (tirem os papéis e as canetas, meninas!): Qual é o segredo para um casamento de sonho? 

“Conhecer os meus números”, sem dúvida alguma!

Meninas, sonhar em grande de bolso vazio é a viagem mais frustrante que podem fazer, por isso… não a façam!

Podem achar que é uma resposta cerebral para um assunto emocional, mas é o melhor conselho que vos posso dar.  Comecem por esta base sólida, que é o dinheiro disponível para gastar neste dia, e respeitem-na ferozmente. Terão certamente margem para surpresas agradáveis (como alguns presentes inesperados), evitarão discussões afogueadas ou momentos de aflição e o pós-festa não será feito de angústia e contas por pagar. Sejam realistas no planeamento e, no dia, tudo será leve, bonito, doce: são vocês, as vossas pessoas e todo o amor que vos liga, juntos, focados, em comunhão. Tal como deve ser. Perfeito.

 

 

Ao longo destes 7 anos de experiência, com que perspectiva ficas do mercado de casamentos em Portugal? Principais dificuldades, melhores qualidades, concorrência, os grandes desafios…

Com alguma arrogância bem-disposta, justificada pelo peso destes 7 anos online, diria que o mercado de casamentos em Portugal, graças ao Simplesmente Branco, passou de foleiro a cool, e isso é óptimo!

Numa nota positiva, é um mercado democrático, livre, muito criativo, muito capaz, não ficamos atrás de ninguém, em serviço, ideias e competência, e estamos sintonizados com as tendências. Somos globais!

Mas o grande desafio, claramente, continua a ser a profissionalização. Ninguém (ou quase ninguém) se formou nestes assuntos, somos autodidactas que aprendemos no terreno, sem que isso seja depreciativo, é um saber adquirido pela experiência, tão válido como qualquer outro. No entanto, por ser um mercado tão apetecível, em termos de acesso e rendimento, funciona bastante em roda-livre, sem balizas formais de qualidade, certificação ou profissionalismo e isso nem sempre gera bom resultado.

Falta boa vizinhança e diálogo – é a melhor forma de crescermos todos, e a moda recente de que os clientes estrangeiros é que são bons, que só se comunica em inglês (por muito coxo que seja), tem de desaparecer rapidamente, o cliente nacional é valioso e merece todo o nosso respeito e carinho, são quem sustenta o negócio, o que acontece quando Portugal sair de moda?

O Simplesmente Branco quer um mercado melhor (porque é mais interessante, mais frutuoso, mais desafiante), sempre o dissemos. Gostávamos muito que esse fosse um objectivo comum para todos os players, plataformas, profissionais. Fica o desafio lançado!

 

 

Para todas as noivas em aflição por este país fora, consegues partilhar “7 Dicas-Express” para quem quer arrasar na festa mais importante da sua vida?

 

Com certeza!

1. sintonizar o mindset certo para se levar esta viagem a bom porto: descomplicar!;

2. respeitar os números: saber o dinheiro que se tem e não gastar o que não se tem: é garantia de noites bem dormidas e essencial para a beleza da noiva!;

3. ser-se fiel a si próprio, sem ignorar totalmente a família e amigos que se tem: o compromisso é uma arte e tem consequências bonitas;

4. contratar um wedding planner profissional, seja para todo o processo, a última semana ou apoio no dia: é uma ajuda preciosa e um imenso anti-stress (e gestor de tensões!);

5. dizer que não, de forma firme, sem hostilizar ou magoar: às vezes é preciso e com gentileza e compreensão, é possível;

6. guardar tempo a dois, para aliviar os picos de tensão: parar, respirar fundo e relembrar o que vos trouxe até ali;

7. tomar um pequeno-almoço demorado e delicioso: um bem essencial para começar o mais bonito dos dias!

 

Entrevista Susana Esteves Pinto Simplesmente Branco

 

O que é que a Susana do Simplesmente Branco de hoje diria à Susana de há 7 anos e quais são os planos de futuro para o SB? 

“Abre a pestana, miúda!” – falhou-me algumas vezes…

A maturidade de hoje é equivalente ao entusiasmo de há sete anos – ambos são o alimento e uma resulta da outra. Tudo aconteceu de forma orgânica e muito natural (e com muito trabalho, claro, alguma sorte também), mas sem espaço para grandes dúvidas existenciais. O plano sempre foi e é, fazer bem feito, e esse foi o norte.  Não gosto demasiado de rotinas, e menos ainda de zonas de conforto, aprecio uma certa inquietação, procuro desafios de modo natural, orgânico, e foi dessa forma singela e intuitiva que cheguei aqui: fiz o que quis, como quis, quando quis – como o Frank Sinatra canta -, e isso é um luxo!

Quanto a planos, no imediato, é desfrutar desta nova casa e das mudanças, tão desejadas, que introduzimos nos conteúdos, no nosso trabalho quotidiano e na forma como chegamos às pessoas.

Para um futuro mais pensado, temos um plano muito específico e outro, ligeiramente vago, mas muito desejável. Mas são top secret, os dois, porque estão ainda em forma de semente e são projectos muito ambiciosos. Se e quando despontarem, terás o exclusivo da novidade, querida Marta!

 

Fotografias felizes da dupla Look Imaginary.

 

Save

Save

Susana Pinto

Sejam muito bem-vindos ao novíssimo Simplesmente Branco

E abrimos oficialmente a porta para o novíssimo Simplesmente Branco: uma casa espaçosa e bem arrumada, cheia de luz e cor, à medida do nosso lema “menos é mais” e da nossa missão: juntar as caras-metades fornecedores/noivos.

Para festejarmos e agradecermos a quem de direito, escrevemos este post inaugural a duas mãos, partilhado entre mim e a Marta Ramos.

 

Começo eu!

Não foi fácil chegar aqui. Foi penoso, foi complexo e foi muito mais demorado do que o desejado. O processo matou muita da alegria da chegada, que acabou trocada por uma imensa sensação de alívio – não é pior, é apenas diferente-, e assim que tudo assentar e entrarmos na nossa rotina normal, o imenso orgulho que tenho por esta casa será contagiante. É ainda o cansaço a falar, por isso, não se preocupem!

Fechámos de facto uma porta, um ciclo, uma vida. Com esta mudança, tão desejada, não é apenas a casa que toma outra forma, serão também os conteúdos e a nossa forma de abordar o assunto “casamento”. Saímos do nosso caminho que estava a perder horizonte e passamos para um outro menos trilhado, mais contemplativo, às arrecuas do momento, até. Slow editing for slow reading. Encolhemos a agenda e optámos por ter conteúdos mais longos, assentes nos bons conselhos que a experiência nos dá. Eu passarei a escrever um artigo de opinião às quartas-feiras, intercalado com boas entrevistas aos nossos fornecedores, e as sextas-feiras continuarão com os belíssimos casamentos que publicamos desde o primeiro dia online. Sábados e domingos continuam dedicados as nossos prazeres pessoais: poesia, para a Marta, sapatos, flores e bolo, para mim.

Temos muitas outras novidades, a Marta irá comentar algumas e, durante a semana, falaremos com detalhe das ideias que implementámos e que acreditamos que serão pilares num futuro próximo: queremos muito saber a vossa opinião sobre elas!

 

Termino com os agradecimentos ao girl power que nos proporcionou esta casa tão maravilhosa, tão à nossa medida, tão aquilo que eu tinha na cabeça e que tão bem foi interpretado por este conjunto de mulheres.

Começámos pelo telhado: o logotipo. Como ponto de partida, decidi regressar à paleta de cores inicial (regressa sempre onde foste feliz, certo?): rosa blush e todas as variantes do tom até ao vermelho cereja, passando pelo coral, uma combinação vibrante e feliz. Juntei um descritivo e deixei nas mãos da Filipa Simões Freitas, da Lance Collective, que cumpriu o objectivo soberbamente.

Seguiu-se a criação dos ícones, feitos à medida, pela ilustradora Rita Antunes: delicados, modernos, elegantes. Perfeitos.

A Carmen Dias juntou tudo e desenhou o mais bonito site de sempre. Para quem não sabe, é a Carmen que desenha as nossas revistas S Magazine e The Destination, criou o logotipo da conferência “The Destination – international wedding conference – Lisboa 2016” e paginou o livro “Queres casar comigo? – guia prático para um dia muito feliz”. É a minha alma gémea designer, com uma doçura, humildade e disponibilidade que já não se usam hoje em dia. E um talento imenso.

 

Cocktail de gin para casamento

 

Façam o favor de entrar, sejam muito bem-vindos, todos os dias: tchim tchim!

Gin tónico de laranja sanguínea, com receita incluída, via White on Rice Couple.

 

Agora eu:

Quando a Susana me falou na ideia dela para a remodelação do SB, em Outubro do ano passado, eu fiquei super entusiasmada. Tinha voltado a trabalhar nesta casa após um ano sabático e começava logo da melhor maneira, com novidades que representam ideias vanguardistas, como sempre foram as ideias da Susana. Vanguardistas no sentido de resultarem de uma reflexão cuidada acerca do status quo; de se traduzirem na delineação de um caminho cuja linha de partida é muito lá mais à frente. Para onde é que queremos ir? De que é que precisamos para lá chegar?

Passado este tempo (muito mais do que desejaríamos) conseguimos agora ver plasmado no ecrã o resultado, com ajudas preciosas de muita gente cheia de talento. E a primeira coisa que vos saltará à vista será a mudança na nossa ‘porta da frente’: porque somos muito mais do que apenas um blog, queremos que tenham uma visão completa sobre a totalidade dos nossos conteúdos assim que chegam a www.simplesmentebranco.com.

Mas as novidades não ficam por aqui. Reforçámos a presença nas redes sociais, para vos acompanharmos não só no Facebook mas também no Pinterest, no Instagram e no Spotify. É verdade, até música vos damos! Também acrescentámos uma área destinada a parcerias de carácter solidário, com o objectivo de vos ajudar a transformar as lembranças dos convidados em actos de bem-fazer. E destacamos as ofertas e as promoções especiais que os nossos fornecedores tenham pontualmente para vos comunicar. Ah, e quanto aos nossos fornecedores, reparem que abrimos uma nova janela aberta a talentos emergentes e tornámos as fichas individuais mais bonitas e mais completas.

Há uma realidade neste meio: são vários os fornecedores de serviços para casamentos que decidem abraçar a carreira após eles próprios terem dado o nó. Se for esse o vosso caso, se se divertiram tanto a criar o vosso dia feliz que querem fazê-lo para outros, então mantenham-se atentos à nossa bolsa de emprego – e usem-na também para se apresentarem a potenciais empregadores. As melhores oportunidades são aquelas que nós próprios criamos!

 

Por fim, reparem que adicionámos um slider à homepage com testemunhos vossos. Difícil foi escolhê-los! Temos muito orgulho no feedback que recebemos dos nossos leitores e trabalharemos sempre para isto, para sermos verdadeiramente úteis nesta fase das vossas vidas e para ficarmos a fazer parte das vossas leituras mesmo após o casamento, simplesmente porque vos faz bem regressar a este lugar que vos apresenta coisas bonitas e bem feitas e, sobretudo, que vos respeita.

Espero que gostem tanto das novidades quanto nós. E agora, venha de lá esse gin, Susana: tchim tchim!Save

Save

Susana Pinto

“Fechado para obras”

Não é novidade, andamos a falar sorrateiramente deste assunto nos últimos dias e agora é mesmo oficial. Esta semana teremos nova cara/casa!

Para podermos fazer a mudança com calma e cabeça, sem deixar nada para trás, e inaugurar o novo site com tudo no seu sítio, devidamente arrumado e ligado (7 anos de conteúdo online é muita bagagem!), decidimos interromper a emissão.

Estaremos feitas formiguinhas (nós, os nossos TI’s e a nossa super designer) a trabalhar nos bastidores e, no nosso momento Cinderela (mas ao contrário!), iremos passar de borralheiras a princesas.

A casa nova é magnífica, estamos em pulgas para escancarar as portas. Sem mais demoras, até já!

 

 

 

Imagem via Lovenordic.

 

Save

Save

Susana Pinto

7 voltas ao sol, algumas reflexões e uma novidade: é dia de festa!

Hoje completamos a nossa 7ª volta ao sol, com mais um ano de vida online. E mais uma vez, a sensação é esta: é incrível onde chegámos!

O lastro que está para trás é de valor: 5+2 revistas (e ainda ontem folheei a primeira S Magazine, desenhada a celebrar o primeiro aniversário, e o que lá mostramos continua a ser on trend, muito bem feito e inovador, até mais do que vemos hoje em dia em tantas sessões fotográficas, onde tudo se duplica repetidamente, sem um rasgo de ousadia e transgressão bem pensada), 10 showcases, um livro, várias remodelações, várias entrevistas, uma conferência internacional, uma centena de clientes e um incrível número de 26 mil seguidores.

São números bonitos, claro, e entusiasmantes: demonstram que não gostamos de zonas de conforto, que há sempre outro desafio a alcançar, outra ideia para pôr em prática, porque estas já estão fora da lista.

Não me vou alongar sobre o mercado – que este ano foi um assunto crítico e muito discutido entre nós-, falaremos sobre isso mais tarde. Mas vou falar sobre o futuro, que nos parece ser vagamente luminoso e interessante, moldado à nossa maneira.

Passo a explicar: celebramos este 7º aniversário com uma remodelação de fundo. Mudamos a casa Simplesmente Branco (pela 3ª vez) para um novo formato, mais amplo, com mais divisões, mais acessos. Voltamos às nossas cores de origem, esta magnífica e vibrante paleta que vai do nosso rosinha-blush-assinatura ao vermelho cereja, passando pelo coral, e adoptamos o conceito de slow reading: menos conteúdos, melhores conteúdos. Teremos conteúdos de leitura rápida, pensados para vos fazer companhia ao café, e teremos conteúdos longos, para ler e saborear, com uma chávena de chá: prestam-se a momentos diferentes e a funções diferentes e achamos que isso é bonito, adequado e o caminho certo.

 

 

 

Por estes dias, aconteceu cá em Lisboa, a Business of Luxury Summit, organizada pelo Financial Times, no Hotel Ritz Four Seasons. Um dos oradores foi Axel Dumas, que representa a sexta geração à frente da casa Hermès, que fez este comentário, lido no Observador:

“o objetivo de uma marca não é satisfazer os clientes mas despertar neles os desejos de amanhã, tornar-se relevante no seu tempo”. Dumas, que parece muito mais voltado para apostar na tradição de fazer de cada objeto uma peça de arte, claramente assume que prefere investir na aura e na intemporalidade do que na velocidade e no desejo de conquistar o máximo de clientes possível. Faz notar que os produtos Hermès mudam pouco e também não cedem à velocidade imposta pelo mercado da moda. “Continuamos a trabalhar nos detalhes. Na construção de um estilo, e isso faz-se no fascínio pelos detalhes.”

 

 

 

É esta a nossa posição, que parece andar às arrecuas do momento: tornarmo-nos relevantes no tempo, investir na aura e na intemporalidade, no coração do Simplesmente Branco, aquilo que é a nossa missão:

Oferecer inspiração fresca e bonita, e informação fundamental e fidedigna aos leitores mais exigentes, que acreditam que o seu casamento pode e deve ser um dia único e inteiramente desenhado à sua medida; guiá-los no caminho até ao mais bonito dos dias; garantir que encontram os fornecedores que são a sua cara-metade.

Identificar o talento e promovê-lo; ajudar os profissionais mais criativos e consistentes a crescer com a projecção que merecem, e acompanhá-los nessa viagem; garantir que encontram os clientes que são a sua cara-metade.

Fazemos isto uma postura optimista, aventureira, discreta, séria e muito profissional.

Somos a casa para quem sonha com um casamento doce, repleto de estilo, à sua medida, partilhado com a família e amigos próximos. E somos, também, a casa para quem sabe fazer e o faz com gosto, com talento e competência.

Acreditamos neste rendez-vous feliz e a nossa casa é onde o fazemos acontecer. Sejam bem-vindos, todos os dias, ao Simplesmente Branco.

Sem desvendar mais sobre o que aí vem, porque a seu devido tempo faremos uma visita guiada, partilho a boa nova: estaremos online, com casa nova, arrumada e luminosa, na próxima semana!

Fechamos com um generoso obrigado e um abraço bom: aos nossos clientes, os pioneiros que acreditaram sem pestanejar e os recentes, que nos vêem como uma mais valia para o seu negócio; aos leitores, a nossa massa crítica, que nos vai deixando, através dos seus comentários e agradecimentos simpáticos, pistas aqui e ali com as quais nos guiamos nesta viagem longa, e a todos os outros, que não pertencendo a nenhuma das categorias anteriores, nos fazem uma companhia bestial todos os dias!

Tchim tchim!

Novo logotipo desenhado por Lance Collective. Novo selo de fornecedor seleccionado desenhado por Carmen Dias. Restantes imagens escolhidas a dedo na nossa pasta Pinterest favorita: Perfect match!

Save

Susana Pinto

Dos prémios dúbios, da pressão e da desinformação

Na semana passada, o Huffington Post publicou um artigo com o curioso título Those Wedding Websites Created by Satan’s Helpers.

Depois de lido, foi discutido entre alguns de nós e tornou-se inevitável trazer esta conversa para a linha da frente, porque sentimos que interfere no nosso caminho e no mercado justo que nos esforçamos por criar e alimentar todos os dias: falamos da pressão dos prémios dúbios e da desinformação generalizada, dois assuntos tão perniciosos para um dia genuinamente feliz (e para a contratação de uma equipa de empenhada e séria).

 

Comecemos pelos “prémios” – entre aspas, justamente. De repente, o mercado foi inundado de prémios e premiados, por tudo e por coisa nenhuma, saltam selos, medalhas, menções, tops. Soterrados pela informação em formato soundbite (título e nada mais), engolimos e fazemos escolhas em função disso: quem não tem, não vale.

Só que não é esse o caminho…

Desacelerem e absorvam a informação. Quem é a entidade que atribui o dito “prémio”? O que faz, que peso tem no mercado? Há quanto tempo faz parte dele? Tem qualidade irrepreensível, tem estatuto?  É um opinion maker válido? Quais são os critérios? São transparentes?

E o premiado? Quem é? Como se apresenta? Tem consistência? Tem talento? Tem qualidade? O que fez para ser digno de ser premiado? O que o distingue dos seus pares (não premiados)?

 

São perguntas pertinentes e naturais, certo? E se leram o artigo do Huffington Post, verão que muitas das respostas a estas questões se resumem essencialmente a negócio: são conteúdos pagos – logo, não isentos, não transparentes, não verdadeiros.

 

O que nos leva à segunda questão: a desinformação. Da mesma forma que navegamos num mar de prémios inconsistente, de repente não há suporte digital que não escreva sobre tendências de casamento e outros assuntos relacionados. Nas últimas semanas (imagino que seja assunto sazonal e Fevereiro/Março a época a assinalar), li 3 artigos que me deixaram desolada (o mal que fazem…) e chocada pelo conteúdo absurdo: no site Delas.pt, no NIT e no Observador.

O problema é que plataformas destas são autênticos megafones e quem lê, sabe, naturalmente, pouco (é um assunto específico, só nos casamos uma vez e até estarmos de anel na mão, nunca pensámos no assunto!), e dá isto como verdade, sobretudo quando lido de fugida à hora de almoço… e que bela lista de disparates aqui vai! Quem escreve, pouco ou nada sabe sobre o assunto (apanhou outros soundbites pelo caminho), e esta ligeireza com que trata um assunto financeiramente valioso e muito emocional gera uma entropia complicada de desmanchar.

Não queremos um mercado assim, não é bom para noivos, não é bom para fornecedores, ninguém sai a ganhar, quando todos deviam terminar a viagem com uma boa dose de satisfação, uma sensação de dever cumprido e uma fantástica experiência!

 

Podia esticar este assunto para um artigo de 1200 palavras, mas nem sequer quero que soe a queixume (porque não é, são só factos e o que podemos fazer com eles) – é apenas uma chamada de atenção e um conselho bom, genuíno, sério: abram a pestana, meninas!

Revemo-nos tranquilamente no artigo do Huffington Post (subtraindo a intensidade e ironia do tom): trabalhamos com foco, generosidade e transparência para não sermos um destes sites de casamento. Não acreditamos neste caminho, nesta pressão e sobretudo, nesta desinformação.

E, queridas noivas, achamos que é importante falar sobre o mercado de casamento, sempre, sobre o que está a rolar (ou threading, como se diz agora): acreditamos no poder da informação e por isso lançamos este alerta para o embuste dos números dúbios: tops, listas, prémios, recomendações. Não é disto que se fazem negócios sérios, nem fornecedores profissionais e muito menos mercados saudáveis, interessantes e criativos!
O caminho é outro e passa pela conversa séria entre as partes e a vontade de vender – e comprar – uma boa oferta, justa e com qualidade.

 

Informação é poder – repetimos dúzias de vezes no nosso livro Queres casar comigo? – guia prático para um dia muito feliz. Acreditamos seriamente nisto, mas nos dias de hoje, mais do que nunca, é tão importante destrinçar o que é informação a sério, consistente, verdadeira, transparente e isenta ou que represente uma voz, do soundbite ligeiro, caça ao clique e conteúdo vazio.

Leiam, consultem, façam perguntas. Identifiquem a fonte da informação: se não é clara, passem à frente. Se é consistente e tem bom ar, dêem início a uma conversa frutuosa.

Este é o nosso melhor conselho!

 

 

 

Save

Save