Created with Sketch.
Ana Apolinario

Não aprendi a dizer “adeus”…

Hoje as palavras custam a sair. E são poucas as situações que me deixam sem palavras! As despedidas fazem parte deste grupo. Mesmo que não signifiquem necessariamente um “adeus”, mas provavelmente um “até logo”… ou, aliás, um “até breve”, recorrendo à forma como sempre me despedi no final das palavras que vos escrevi durante este período em que morei nesta casa, numa aceno que será, seguramente, mais prolongado no tempo, mas que nem por isso significa que venha a ser definitivo.

 

Quando abracei este projeto, fi-lo com grande entusiasmo e enorme vontade de perpetuar o sucesso de um site de inspiração incrível, com a mais valia de poder contar com as ideias e dinâmicas que nasceram do casamento com a Zankyou, a “casa mãe” onde fui sempre muito feliz. E, claro, contando com os nossos exigentes leitores e os nossos talentosos fornecedores para alimentar a elegância, a frescura e o extremo bom-gosto pelos quais o Simplesmente Branco sempre se pautou.

 

Para crescer, no entanto, este (e qualquer) projeto precisa de tempo e dedicação, qual relação amorosa. De nada adianta plantar, se não cuidarmos, não é verdade? É preciso dispormos dos nossos dias e horas para cultivar. Por isso, sem mais rodeios ou floreados, mas com a maior das honestidades, digo-vos, hoje, que o meu caminho, neste momento, não me permite continuar a ajudar a perpetuar os anos de vida deste espaço, que tem vindo a mostrar o melhor que se faz por cá no mundo dos casamentos, dando a conhecer produtos, serviços e ideias bonitas e especiais, que partilhamos com todos vocês para dar resposta aos vossos sonhos.

 

Prosseguem, por isso, as palavras que não serão as minhas, mas que continuarão, como até aqui, a inspirar os dias mais felizes de tantas vidas.

 

Aqui fica, então, mais um “até breve”, desejando ao Simplesmente Branco a continuação de uma viagem cheia e vibrante pela estrada do sucesso!

Não saberei nunca
dizer adeus

Afinal,
só os mortos sabem morrer

Resta ainda tudo,
só nós não podemos ser –

Mia Couto

 

Photo by Kelly Sikkema on Unsplash

Photo by Kelly Sikkema on Unsplash

 

Ana Apolinario

Mafalda & André: “Achava que era um cliché o casamento ser um dos dias mais felizes da vida, mas não é.”

Não escondo, e vocês sabem, que o que mais gosto de partilhar são inspirações de casamentos reais. Dos dias que foram, em tudo, perfeitos, mesmo com as imperfeições que fazem parte do que é ser humano. Em que nos apaixonamos pela manga abalonada do vestido da noiva, pela etiqueta personalizada da lembrança, pelos arranjos da mesa ou o bolo magnífico que mais parece uma obra prima. Em que vos conseguimos projetar no futuro para aquele que será o vosso casamento, através dos sorrisos repletos de felicidade, que se rasgam nos rostos radiantes não só de quem diz o “Sim”, como de quem os acompanha neste momento tão especial das suas vidas. Dos abraços, dos olhares e dos gestos que ficam registados para sempre através da lente de um fotógrafo. De bons fotógrafos, claro, cujos trabalhos nos deleita partilhar.

 

Hoje este momento que é vosso (porque o leem) é sobretudo da Mafalda e do André. E da KrystaPhotos. E de todos os que tornaram possível um dia que – sim! – é muito feliz. Ninguém vos ilude com o cliché. Estes noivos constataram-no. Viveram-no. Assim como todos os outros.

 

E é com este dia feliz que vos deixo. Com as palavras que relatam a história de um amor “verdadeiro e simples e um dia boho chic que ficou na memória de quem o viveu e ficará, certamente, na memória de quem o irá agora reviver.

 

Como se conheceram?

Conhecemo-nos na escola. Éramos colegas de turma e amigos.

Como e quando foi o pedido de casamento?

O pedido de casamento foi em La Spezia, Itália. Eu sem estar à espera e ele com o coração a palpitar. Ele andava com o anel atrás, mas não arranjava o momento oportuno. Era verão e Cinque Terre estava cheio de turistas. Até que lá se ajoelhou à minha frente e me entregou o anel. Eu não suspeitei de nada e não podia acreditar no que estava a acontecer!

Como definem o vosso amor, a vossa história?

Verdadeiro e simples. Gostamos um do outro, cuidamos um do outro e gostamos de estar um com o outro. Foi um amor que brotou de uma amizade.

 

Como correu a organização do casamento?

A organização do casamento correu bem, apesar de ter sido feita maioritariamente à distância. Estávamos a trabalhar e a viver nos Açores, mas somos do Porto e quisemos casar no Porto.

Qual a escolha mais difícil e a mais fácil? Porquê?

Foi fácil e rápido escolher a fotógrafa. Foi-nos recomendada por uma amiga e gostámos muito do trabalho que nos mostrou.

Tiveram ajuda na organização do casamento?

Não, a não ser a dos fornecedores que contratámos e dos nossos pais.

Onde foram buscar inspiração?

Fui buscar inspiração ao Instagram e aos websites dos fornecedores de casamentos que consultei. Descobri que me identificava com os boho weddings.

 

Como foi o grande dia?

O casamento foi um dia de sonho. Achava que era um cliché o casamento ser um dos dias mais felizes da vida, mas não é. Foi um dia muito feliz e de festa.

Onde foi a lua-de-mel? Recomendam?

A lua de mel ia ser no Japão, mas devido à pandemia optámos por ficar em Portugal. Atravessámos a ponte pedonal suspensa em Arouca, passeamos na Costa Nova, fomos à praia em Castro Marim, no Algarve, e visitamos Reguengos de Monsaraz, Alentejo. Foi espetacular. O nosso País tem muito para oferecer. Se pudesse, voltava já!

 

Fornecedores:

(que os noivos recomendam vivamente)

 

Espaço: Palácio da Igreja Velha | Fotógrafia: krystaphotos e Vânia Carneiro | Vestido de noiva: Joana Montez | Toucado: Cata Vassalo | Ramo: Afeto atelier | Design: Flor d´Alecrim | Vídeo: Edgar Félix

 

Até breve!

Ana Apolinario

Raquel & David: assim é o amor!

Dizem que as imagens falam mais do que mil palavras. Concordo. Mas só se forem como estas. Sempre e quando a expressão artística das imagens reflete o momento que está a ser fotografado de uma forma genuína, transparente e reveladora. Quando se pretende eternizar o amor e ele é percetível ao olhar, não só o nosso – que agora o testemunhamos – mas sobretudo de quem, por detrás da câmara, vive a sua arte com paixão, tendo especial atenção aos detalhes, colocando as pessoas no centro de toda a narrativa da história que se propõe a contar, na procura dos gestos e das emoções verdadeiras, que através do clique ficam perpetuadas para o resto da vida.

 

Sim: as imagens, podem, de facto, dizer tudo. Muito mais do que as palavras que eu possa utilizar para fazer o enquadramento da sessão de namoro da Raquel e do David, que nos presenteia os sentidos através da arte de Pedro Nogueira, da Spark My Wedding.

 

E, assim, hoje, trago-vos, mais uma vez, a inspiração do amor. O poder dos olhares penetrantes, dos toques ternos e sorrisos rasgados que espelham a cumplicidade e a felicidade, num cenário de luz “algodão doce”, onde a linha do horizonte que espreita sob a ondulação do mar se mistura com tons azuis e rosa.

 

As imagens que hoje partilho convosco contam-vos tudo. E eu não preciso de dizer mais nada.

 

O coração fica leve quando a alma transborda de amor

Viver a vida como se fosse um sonho

Até breve!

Ana Apolinario

Catrin & Joaquim: um elopement de príncipes

E hoje no Simplesmente Branco contamos mais uma bonita história. E o que eu gosto de as partilhar! Porque são todas estas histórias de casamentos reais que nos inspiram verdadeiramente, quer nos detalhes e no estilo, como na felicidade e no amor. Sobretudo no amor.

 

A história que vos trago é da Catrin e do Joaquim, que decidiram casar na bonita vila de Sintra, onde disseram o “Sim” num maravilhoso cenário principesco. A organização do grande dia ficou a cargo de Mio Oliveira, designer de eventos apaixonada pelos casamentos intimistas e elopement weddings, que tendem a ser mais pessoais e repletos de emoções e devem ter um styling que coincida com o conceito. Tal como aconteceu no grande dia deste bonito casal que, apesar de não querer prescindir de um casamento com a família e amigos, foi obrigado (como tantos outros!) a adiá-lo por causa da pandemia, acabando por decidir avançar com um Elopment na mesma data, sempre com o cuidado de que a família e os amigos, apesar de não estarem presentes, sentissem que os noivos tinham pensado neles no decorrer do dia.

 

Assim,  no dia 26 de setembro de 2020, qual princesa alemã e príncipe francês, Catrin & Joaquim tiveram só para eles dois palácios, em total exclusividade, como conta Mio Oliveira. “Num processo cheio de descobertas surpreendentes de parte a parte, tudo culminou num dia intenso, cheio de momentos bonitos e apaixonados, tal como eles!”, remata.

 

Elopement Wedding Mio Oliveira

Elopement Wedding Mio Oliveira

Um sonho a dois

“Incrível e memorável”, foram os dois adjetivos usados pelo casal para descrever um dia que foi vivido, precisamente, a dois. “Nunca iremos esquecer certamente deste grande dia. Principalmente porque foi um dia em que nos dedicamos a nós (uma vez que foi uma cerimónia apenas com os noivos presentes) e a tudo o que tínhamos direito neste dia tão especial”, contam-nos cheios de felicidade. Um dia irrepetível, mas que repetiram sem hesitação e exatamente igual. “Todos os anos, se fosse possível!”, brincam.

 

Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira

Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira

A organização do casamento

Elopment lindíssimo, tudo feito com imenso gosto e de acordo com os nossos gostos e preferências, com o enorme contributo da Maria Inês como Wedding/Elopment Planner. Foi, de facto, um dia memorável e único!

Como correu a organização do casamento?

A Maria Inês praticamente decidiu tudo e nós confiámos 100%.

Qual a escolha mais difícil e a mais fácil? Porquê?

A escolha mais difícil foi decidir o que escrever nos votos durante a cerimónia, uma vez que em tão pouco tempo temos de expressar algo que é tão importante. É muito difícil descrever tantas emoções e palavras num pequeno texto.

A mais fácil: o local da cerimónia. Ficámos apaixonados logo na primeira visita.

Tiveram ajuda na organização do casamento?

Muita! Maria Inês forever!

Onde foram buscar inspiração? Consultaram blogues, revistas…?

Algumas pesquisas no Pinterest, sim. Mas, acima de tudo, foi com a ajuda da Maria Inês que decidimos todos os pormenores, decoração, etc. Foi ela que nos trouxe a “inspiração” que precisávamos.

Qual foi o tema do casamento?

Amor num Palácio de Charme!

 

Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira Elopement Wedding Mio Oliveira






Almas gémeas

Tão bom morrer de amor e continuar vivendo. Mario Quintana

Como se conheceram?

Através de amigos em comum.

Como definem o vosso amor, a vossa história?

O nosso amor é fruto de uma excelente relação onde a amizade, o carinho e o respeito prevalecem. Somos, de facto, almas gémeas em muita coisa, o que acreditamos ser também um dos fatores de sucesso para ver este amor durar e continuar sempre a crescer.

Houve pedido de casamento? Quando e como foi?

22 de Novembro. No mesmo local onde o noivo fez o pedido de namoro, precisamente 1 ano e meio antes.

 

Elopement Wedding Mio Oliveira

Quão linda é esta história? Inspiradora, sem dúvida.  E a prova que o “amor não se adia”, decisão que resultou num dia encantador onde, como salientam os fotógrafos Idiane Oli Fotografia, “o amor não coube só neles, transbordou, iluminou, preencheu, alegrou.”

 

E o melhor? A festa com os amigos chegou agora, um ano depois, assim como a lua-de-mel. E certamente com um “sabor” especial. Porque o que vale a pena ter, vale a pena esperar!

 

Fornecedores

Wedding Planner e Wedding Design: Mio Oliveira WP | Venue: The Biester Charm House | Catering: Supper Stars, Chef Rita Lourenço | Alocação de Material: Festas e Sonhos | Make Up & Hair: Lu Damasceno | Celebrante: Mafalda Resende | Arte Floral: Afeto Atelier | Design gráfico  e Estacionário: Airflower Design | Vestido de Noiva: Atelier Sofia Lima | Alianças, brincos, pulseira e tocado: Sofia Tregeira Joalharia de Autor | Bolo de noivos: Tias Cakes | Fotos: Idiane Oli Fotografia | Video: Freesoul films

Ana Apolinario

Must Have: uma boa festa de casamento, um bom DJ!

A pandemia não acabou, mas numa altura em que estamos quase, quase a deixar de ter limite de lotação nos casamentos (e vão abrir as discotecas e os bares) acho que já podemos começar a pensar em… festa (de casamento, claro)!

 

E é precisamente da festa de casamento que hoje vos falamos na nossa rubrica Must Have, pela sugestão de João Rosa Visuals. “Há várias coisas que não podem faltar no dia do casamento, na nossa opinião”, dizem-nos, continuando: “E à medida que vamos fazendo mais casamentos e vamos vendo mais coisas e conhecendo mais, também nos vamos apercebendo do que resulta e do que não resulta tão bem. Mas na nossa opinião, uma das coisas mais importantes é uma boa festa, um bom DJ, sugerem.

 

Foto: Spark My Wedding

Quem casa, quer festa!

Estamos plenamente de acordo com João Rosa. Afinal, a felicidade tem de ser celebrada! E, claro, com “alguém que saiba o que está a fazer e que consiga animar a família e os amigos durante umas boas horas!”, salienta o profissional.

 

Pensem, por isso, na animação de casamento, ainda que possa ter condicionantes. Optem por um bom profissional e aproveitem o vosso casamento para aumentarem o som, ouvirem os temas musicais que mais gostam e mexerem-se ao vosso ritmo. Depois, é só deixarem-se ir! E, claro, deixar que a arte capte os melhores momentos da festa de casamento para sempre.

 

 

“A festa é uma parte que nós gostamos muito de focar nos nossos vídeos, porque é muito dinâmica”, explica-nos João Rosa, salientando que “uma boa festa faz toda a diferença”. 

Dicas para animar a pista de dança

Queria deixar-vos, também, alguns conselhos para evitarem uma pista de dança vazia e criarem um ambiente de festa de casamento convidativo.

 

  • Requisito número 1: noivos animados. Para uma pista cheia, os noivos devem ser os primeiros a dançar e a interagir com os seus convidados. Afinal, são a “atração” principal da festa!
  • Apostem numa playlist eclética. Música para todos os gostos, isto é, considerem os vossos e os gostos dos outros.
  • Contratem bons profissionais. Músicas no vosso grande dia não são “apenas músicas”. A escolha de quem as vai tocar na vossa festa de casamento é fundamental para o sucesso.  Cliquem para verem os nossos fornecedores selecionados.
  • Atenção ao espaço da pista de dança. Se a pista for demasiado grande, pode parecer vazia, mesmo que a maior parte dos convidados esteja a dançar. Até aqui “menos é mais”: mais vale uma pista pequena e cheia do que uma pista grande e vazia.
  • Apostem na decoração. A decoração é fundamental para chamar a atenção dos convidados. Invistam numa iluminação adequada e considerem alguns elementos decorativos, como uma bola de espelhos, leds, gelo seco, etc. E lembrem-se que os ambientes com menos luz são mais convidativos para as pessoas se sentirem menos constrangidas para dançar.
  • O bar ao lado da pista é meio caminho andado para a diversão!
  • Anunciem o momento de início do baile: ou por outras palavras, abram a pista de dança! É essencial para o “engajamento” dos convidados.

 

Foto: DJ Rui Almeida

 

E então, prontos para a festa?

 

Até breve!

Ana Apolinario

Passerelle da Convidada: os looks de Ana Garcia Martins (aka A Pipoca Mais Doce)

Ela dispensa apresentações. E, sinceramente, também dispensa qualquer justificação para surgir neste Passerelle da Convidada. Como não? Ana Garcia Martins, mais conhecida por A Pipoca Mais Doce, é influencer incontestável. Ok, o seu estilo frontal e assertivo não é consensual, mas o seu lado “vaidoso” (no bom sentido) que a leva a partilhar os seus looks é perfeito aqui para a nossa rubrica. Vamos lá?

 

A Pipoca mais doce

Ana Garcia Martins, 40 anos, benfiquista ferrenha, sempre gostou de escrever. Pelo meio da sua carreira jornalística, criou o blogue A Pipoca Mais Doce tornando-a uma das primeiras e mais influentes bloggers a surgir em Portugal. Lançou livros, abriu uma loja, criou uma marca, casou (divorciou-se) e teve dois filhos. A sua mais recente loucura é o stand-up comedy e o mais recente desafio a participação como comentadora no Big Brother, da TVI.

 

1. Lady in Pink

Começo por um modelito da KAOÂ em rosa. Esta cor está mesmo em alta, não está? E eu tendo a gostar, coisa que há algum tempo atrás seria impensável. Na verdade, adoro tudo neste look: o vestido, o cabelo solto estilo “despenteado”, os sapatos prateados e a simplicidade dos acessórios. Perfeito para dia de casamento!

 

A Pipoca mais doce com vestido rosa A Pipoca mais doce com vestido rosa

2. Lady in Green

E agora é verde. E mais um modelito da mesma marca KAOÂ, que tem imensos vestidos giros (vão espreitar!). Aliás, os looks da Ana Garcia Martins no Big Brother são, na maioria, desta marca 100% nacional (não posso dizer que são todos, porque não sei). Os que trago aqui hoje são todos. E digam lá se este vestido casaco, com mangas abalonadas à la anos 80 não iria fazer furor em qualquer casamento?

 

3. Elegância Floral

Destaco agora um elegante vestido floral, repleto de lantejoulas, em tons azul e cinza. Um modelito fresco, para os dias quentes, mas chiques, de verão.

 

Pipoca Mais Doce Pipoca Mais Doce

4. Sensual & Elegante laranja

Claro que não podia deixar de escolher um jumpsuit, pois adoro estas peças. É certo que não ficam bem em todos os corpos, mas quando ficam… arrasam! Este modelo é simples, elegante e q.b. sensual, ideal para uma convidada de casamento que quer deslumbrar, sem ofuscar.

 

5. Canário

Sinceramente, não percebo se este visual é de uma ou duas peças. Tentei procurar no site da marca, mas não consegui identificar o modelito (se conseguirem, sintam-se à vontade para deixarem nos comentários). Adoro a simplicidade e a elegância, e o contraste de cor dos sapatos e dos acessórios.

 

6. Yellow shine

E agora olhos postos num estilo color block, que servirá também para atrair os olhares em dia de casamento e transmitir alegria num dia que será sempre (e assim o desejamos) muito feliz.

 

Ana Garcia Martins, Pipoca mais Doce Ana Garcia Martins, Pipoca mais Doce

7. Sparkle

Não se adequam a todos os estilos de casamento, é certo, mas para um casamento ao final da tarde/noite, os brilhos são bem-vindos para quem quer arrasar. E depois sempre se pode usar na passagem de ano! Trés chic.

 

8. Verde-água

Gosto deste vestido casaco, estilo oversized, em verde água e com gola alta e pregas nos ombros. Gosto das mangas com volume e punho com botões. E gosto da versatilidade do modelo  – não precisa de ficar no armário, à espera do próximo grrande evento. Na imagem partilhada pela Pipoca Mais Doce não se consegue ver muito bem a peça, mas encontrei-a no site (em branco, é certo, e eu gosto mais do verde-água).

 

9. Lantejoulas

Voltamos às lantejoulas, neste vestido curto, cor vibrante, de mangas compridas, sem decote, e com cinto a delinear a cintura. Brilhos, já sabem: para a noite. E para arrasar quando decidirem ir dançar!

 

A Pipoca Mais Doce

10. Top & calças para “reutilizar”

Ok, “menti”. Os modelos que trago hoje não são todos da KAOÂ. Termino com um modelito perfeito para quem tem muitos casamentos e não sabe o que fazer à vida: um conjunto de top e calças da MÏA-MÔ que traz um folho reversível que podem usar na cintura ou como gola e que proporciona visuais diferentes, de estilos diferentes  – até mais formais ou menos formais. Com os acessórios certos, dá para “reutilizar” naquelas alturas em que temos “comboios” de casamentos.

 

E já está. O que acharam destes visuais da Pipoca Mais Doce? Qual deles é o vosso preferido?

 

Até breve!

Ana Apolinario

Aí vem a noiva… Noivas de Chapéu

Depois do último Casava-me assim fiquei com vontade de escrever sobre noivas de chapéu. Embora possa parecer um acessório inesperado para um casamento, a verdade é que desde sempre lhe achei imensa piada, influenciada pelos looks dos anos 70  – em particular o da Bianca Jagger, por exemplo (se não sabem do que estou a falar, vejam aqui). Por seu turno, é uma tendência que tem vindo a ser repescada por inúmeros estilistas famosos e inúmeras marcas reconhecidas, quer num estilo clássico, como mais exuberante e, sobretudo, num estilo mais indie ou boho.

 

Gio Rodrigues Atelier usou-os em diferentes momentos da sua carreira e num dos seus últimos desfiles voltou a apostar neste acessório (aqui da CHAPEAUXIK). Devo confessar que fiquei completamente rendida! Com ou sem véu, o chapéu provoca – de facto! – um efeito magnífico em todo o visual da noiva.

 

 

Noiva de chapéu abas largas e véu Noiva com chapéu e véu vestido simples com mangas noivas com chapéu noivas com chapéu - Atelier Gio Rodrigues coleção 2021 noiva com chapéu paloma

A tendência tem vindo a espalhar-se um pouco pelas noivas de todo o mundo, inclusive em influencers e outras famosas, que nos presenteiam looks com chapéus em diferentes estilos. É que já dizia Vasco Santana, “chapéus há muitos” e são, efetivamente, muitas as possibilidades que eles proporcionam.

 

Assim, é possível encontrar chapéus de aba larga que nos remetem para as grandes divas, modelos de palha inspirados na paisagem rural ou ainda chapéus pretos com floppy para um visual alternativo e fedora com aplicações florais para um visual mais cool, entre tantos outros.

 

Para este Aí vem a noiva fui, então, procurar algumas inspirações. Porque não é só no vestido de noiva que se pode arriscar. Um chapéu pode ser um verdadeiro statement no dia do casamento. Esqueçam, por isso, os enfadonhos fascinators e casquettes da realeza. Há uma grande variedade de opções que vão muito para além disso.

 

1. Gipsy Style 

Este chapéu da noiva Van Palma é o detalhe perfeito para um gipsy style, enquadrando-se no tema equestre que envolveu todo este casamento.

 

Saliento os arranjos florais, que são muito usados para estilizar este acessório. Trata-se da combinação perfeita entre a intemporalidade romântica das flores e um inesperado acessório de moda. Neste caso, o pequeno arranjo é da  Salted Blooms. Já as fotos são assinadas por Wisteria Photography.

 

Noiva com chapéu com pequeno arranjo floral vestido de renda

noivas com chapéu

2. Boho look por excelência

Noivas de chapéu… e damas de honor também! Esta é a segunda proposta que vos trago hoje: chapéus vintage e flores, muitas flores. Os chapéus são da Gigi Pip e as fotos da Cassandra Farley Photography.

 

noiva e damas de honor de chapéus estilo boho noivas de chapéu noivas de chapéu

3. Natureza em ambiente da realeza

Em vez de optar por um fascinator abstrato para este casamento inspirado na realeza, esta noiva usou um chapéu de palha de aba larga, preso com uma fita de veludo azul. Este elegante visual foi concebido por Janie Lucia da Idyll Stories Events & Design para um editorial realizado no Chateau de Champlatreux, em França, e que quer contar a história de uma filha de uma rainha francesa moderna.  As fotos são de Alexandra VonkTrés chic!

 

4. Throwback às noivas de chapéu 

Vou voltar de novo à Bianca Jagger. Porque o look que vos trago agora, de um editorial para a TELVA Magazine fotografado por Tomás de la Fuente, foi inspirado nela: chapéu tipo pamela branca da marca espanhola Mimoki, com um véu de tule e combinado com um vestido de noiva de manga comprida Maria Barragan.

 

noiva com chapéu e veu

Aproveito para mostrar outro look da mesma produção, onde usaram também um chapéu da mesma marca, com uma fita preta, combinado com um vestido Miguel Crespí e sapatos Jimmy Choo.

 

noiva com chapéu com uma fita preta

5. Boho chic com chapéu Panamá

Mais um look boho, desta feita com um chapéu tipo panamá branco e um arranjo floral com flores secas, em vez de naturais, o que fica também lindamente

 

6. Noivas de chapéu Modern Bohemian

Mais um visual para noivas modernas e descontraídas, em que o chapéu da Cottage Rose Florist- Kansas City é também a estrela do visual, mesmo que a complementar um vestido maravilhoso da Rue De Seine Bridal.

 

noivas de chapéu

7. Vintage & Romântico com peónias

Termino com mais uma inspiração de chapéu de palha de aba larga, este da Savrani Creations, com um arranjo de flores em cores pastéis & peónias de Betty Flowers Santorini. O look é inserido num editorial que quis retratar uma noiva moderna e ousada, mas também muito romântica e elegante. Aliás, a opção foi usar o chapéu num ângulo ligeiramente inclinado, para uma dose extra de chic, num visual que remete à Belle Époque, combinando classe e gosto eclético. A fotografia é de Jacobo Pachón.

 

noiva de chapéu de palha de abas largas com flores vestido com aplicações florais 3D noiva com chapéu de palha abas largas inclinado com arranjo floral

noivas de chapéu

E então, o que acham das noivas de chapéu? Eu, mais uma vez, confesso: estou rendida. O difícil seria escolher um!

 

Até breve!