Created with Sketch.
Marta Ramos

Wise words: lua-de-mel eco-friendly

Quem nos acompanha, já sabe que o International Wedding Trend Report para 2019 aponta a abordagem eco-friendly como uma das grandes tendências para os casamentos daqui em diante – e isso deixa-nos muito felizes. Depois de já vos termos trazido vários artigos de wise words com orientações práticas para organizar um casamento consciente, dedicamo-nos hoje à lua-de-mel: será possível viajar e aproveitar bem a experiência sem prejudicar o ambiente e as comunidades visitadas?

Claro que sim. Este assunto tem vindo a ser estudado nos últimos anos e, sobretudo desde 2017, o ano que a ONU escolheu para dedicar-se ao Turismo Sustentável, já temos bastante informação disponível para nos ajudar a fazer melhores escolhas.
Informação é, de facto, a palavra-chave. Quer viajem em modo aventureiro, quer recorram aos serviços de profissionais, recolham o máximo de dados possíveis sobre o vosso destino previamente, de modo a poderem preparar-se convenientemente. Por exemplo, é um local rico em vida selvagem? Então, lembrem-se de não apoiar actividades que explorem os animais e que façam deles «entretenimento»; e evitem os produtos de origem animal, sejam souvenirs ou alimentos que incluam espécies ameaçadas.
Ainda à mesa, procurem informar-se acerca da gastronomia tradicional e dos locais onde poderão saboreá-la com autenticidade, apoiando, assim, as populações locais, e evitando recorrer a fast food. A água não é de confiança? Munam-se de filtros e garrafas reutilizáveis para não ficarem dependentes da compra de garrafas de água descartáveis. É possível trocar o avião pelo comboio? Se sim, aproveitem a tranquilidade sobre carris para relaxar, ler e admirar a paisagem — a viagem começa assim que se sai de casa!

Na bagagem, não se esqueçam de incluir sacos reutilizáveis, talheres e palhinhas não descartáveis, a imprescindível garrafa de água e sacos para o lixo. Devemos sempre evitar adquirir produtos com demasiado plástico nas embalagens, mas isto é ainda mais importante em locais com um tratamento de resíduos deficiente. Se for esse o caso, o esforço deverá ser redobrado.

Por último, uma palavra acerca das pessoas. Viajar de forma sustentável implica, também, respeitar os costumes locais e a privacidade de quem nos recebe. Não fotografar ou filmar sem autorização, não entrar em propriedade privada só por curiosidade, respeitar o silêncio nas horas de descanso e conhecer as regras básicas de etiqueta locais para um trato cordial e agradável com toda a gente. A experiência será tão melhor para vocês quão melhor for para todos.

 

Lua-de-mel eco-friendly

Para alojamento, prefiram unidades hoteleiras com certificação comprovada. Apostem em actividades na natureza, preferencialmente não motorizadas e que não perturbem a fauna e a flora locais (e lembrem-se de não trazer nada que não sejam fotografias e boas recordações, assim como de não deixar lá nada que não sejam pegadas). Nas cidades, os transportes públicos são sempre a escolha acertada — e, nos casos em que se aplica, a bicicleta, claro. Procurem saber quais são as manifestações culturais genuínas da região e apoiem esses criadores.

No fundo, poderemos resumir tudo a uma cena de um belíssimo episódio da série Northern Exposure, passada no Alaska. Uma das personagens reflectia sobre a sua passagem por aquele sítio inóspito e concluía que o que importa não é o tempo que estamos em cada lugar, mas sim se esse lugar fica melhor depois de por lá termos passado.
Boa lua-de-mel! E que o destino que escolherem fique ainda melhor depois de por lá passarem.

 

A imagem que ilustra este artigo é do nosso fornecedor seleccionado I Go Travel.
Sobram dúvidas? Falem connosco, têm a caixa dos comentários inteiramente à vossa disposição. E não deixem de acompanhar todos os artigos de wise words que vamos publicando, sempre à segunda-feira.

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.