Real Weddings Arquivos - Página 2 de 61 -  Simplesmente Branco 

0 Comentários

Quando o amor é feito de sorrisos…

Não é novidade que sou fã do trabalho da americana Samm Blake. De tempos a tempos, dou um pulinho ao seu site para uns minutos de espanto, e venho de lá com um monte de coisas bonitas para mostrar por aqui.

Para hoje, enquanto celebramos o sol, trago-vos sorrisos. Isso mesmo, sorrisos!

Podia descrever o casamento de Adriana + Dave como super elegante, cheio de estilo, etc., etc., que é, mas o que se retêm destas 3 dezenas de imagens, são os sorrisos incriveis, generosos, autênticos e contagiantes: da noiva, do noivo, do pai da noiva, dos amigos, da família e, arrisco dizer, até da própria Samm Blake, porque não há como ficar indiferente a esta energia feliz e transversal…

 

Absorvam a felicidade, que é para lá de real e bonita. No fim, deixamos a versão em vídeo: 7 minutos e meio de sol, assinados por Humdrum Films.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

Épico!

 

5 Comentários

Raquel + Ricardo: um casamento fora do comum

Celebramos a primavera gentil que chegou – aqui na rua, em pleno coração da cidade, tenho cerejeiras em flor – umas a despontar muito vagarosamente, outras a perder as pétalas, como se fosse uma neve delicada a cair com a brisa!

O casamento que fecha a semana é o da Raquel + Ricardo, a norte, no Museu D. Diogo de Sousa, em Braga. Desalinhado da norma, muito bonito também por isso, foi fotografado pela Adriana Morais.

Deleitem-se com uma bonita história de amor com imagens a condizer!

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Sempre desejámos que o nosso dia fosse um espelho da forma como mais gostamos de nos divertir e de celebrar. Somos os dois apaixonados por noites quentes de verão, num ambiente descontraído é onde somos mais autênticos, a isto bastava juntar a música que nunca deixámos de ouvir, a família e os amigos mais próximos.

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Quando escolhemos a data sabíamos que poderia ser necessário alterá-la devido às disponibilidades dos fornecedores que queríamos muito juntar para este dia. Mas (com muita sorte) nunca tivemos de o fazer. E dizemos isto porque só começámos a tomar decisões a cerca de seis meses do casamento – só isto deixaria muitos noivos com os nervos em franja. O mais difícil mesmo foi encontrar o espaço, queríamos “fugir” das tradicionais quintas, tentámos alugar casas particulares com grande área de jardim, e com muita pesquisa e desconstrução completa de onde é possível organizar uma festa, chegámos ao Museu D. Diogo de Sousa, em Braga.

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Na primeira visita técnica ao espaço, com a incrível equipa das Pilar que materializou o que desejávamos, soubemos que aquele jardim tinha um potencial imenso.

Além disso, foi muito gratificante para nós apoiar uma nova empresa, com muita vontade e uma sagacidade que às vezes só encontramos nas equipas mais experientes. E também sentimos o “é mesmo isto” quando percebemos os desafios diários de um organismo público – o Museu – que pode ser aproveitado de tantas outras formas.

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Temos muitas vezes flashbacks, pequenas memórias fragmentadas daquele dia, que nos fazem sorrir e ter a certeza que nunca imaginámos algo tão bonito.

Além da Mónica e da Soraia, que são o coração das Pilar, que se adaptaram a cada pedido nosso, contámos com a ajuda e talento de amigos. Muitos elementos gráficos foram desenvolvidos por uma das fundadoras da Salva, mais um incrível projeto que continuamos a ver crescer.

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós era fundamental que o nosso casamento fluísse naturalmente, que houvesse espaço para brindar, para dançar, para brincar em frente à câmara da Adriana Morais, e que isso pudesse acontecer a qualquer momento. Nunca nos identificámos com festas mais formais, com espaço e tempo definidos para que tudo aconteça.

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Sempre soubemos que queríamos a Adriana Morais a fotografar o nosso “sim” e quando tivemos a confirmação da disponibilidade de agenda… tudo ficou tão mais fácil!

Se não pensarmos no difícil que foi cumprir o orçamento que tínhamos definido para a festa, o mais complicado foi encontrar “o” vestido.

“Entrar nas mais variadas lojas, fazer marcações, e ser constantemente direcionada para um tipo de vestido que nada tinha a ver comigo, foi desanimador. Mas encontrei a UHMA que fez os esboços, os testes e as provas necessárias até me deixarem confiante”, lembra a noiva.

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Se para o noivo foi “ver a Raquel entrar na igreja, de braço dado com o pai, emocionados, e um instrumental dos Beatles a encher o ambiente… foi um momento de arrepiar”, a noiva nunca esquecerá “a sensação de encontrar os olhos do Ricardo e abraçá-lo no altar”.

 

E o pico de diversão?

O momento em que cortámos o bolo foi tão romântico como divertido. Todos os convidados de sparklers a brilhar na mão, a dançarem, e nós a beijarmo-nos muito!

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…

Quisemos lembrar quem não podia estar fisicamente entre nós, quem fez parte das nossas histórias e com quem desejaríamos partilhar muito este dia. Por isso, dedicámos um espaço na festa, onde tínhamos retratos dessas pessoas, que de alguma forma estarão sempre presentes.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nunca queremos mudar nada quando estamos tão felizes com o resultado. Verdade?

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Cada noiva é única e devem conseguir sempre a autenticidade que lhes é própria. É muito importante que respeitem os vossos gostos e nunca vos apressem a tomar decisões.

No dia do vosso casamento planeiem um momento para relaxar e comer, antes de tudo começar.

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: noiva e Salva;

local: Museu D. Diogo de Sousa;

bolo: Bolosofia;

fato do noivo e acessórios: fato Sacoor Brothers, camisa Calvin Klein, laço The Tie Bar, suspensórios Creattive Collective e sapatos Armando Silva;

vestido de noiva e sapatos: vestido UHMA e sapatosWhat for;

maquilhagem: Gabriella Damin;

cabelos: Benvinda Cabeleireiros;

bouquet: Pilar; lapela do noivo: Isabel Castro Freitas Arte Floral;

decoração: Pilar e Salva;

ofertas aos convidados: feitas pelos noivos;

fotografia: Adriana Morais;

vídeo: João Trindade e Ricardo Sampaio;

luzes, som e Dj: David Fraga.

 

0 Comentários

Lurdes + Hugo, uma nuvem de amor no Alentejo

Fechamos a semana com assomos de primavera e um casamento de Maio, na paisagem dourada do Alentejo, mais exactamente em Serpa. O dia da Lurdes + Hugo, envoltos numa nuvem de amor, contou com os impecaveis serviços a Foto de Sonho, Molde Design Weddings e Vestidus Atelier, todos fornecedores seleccionados da nossa distinta lista.

Acompanham os preparativos, por escrito e pelas imagens: o amor é assim, doce, intencional, consequente. Partilhado, para se multiplicar.

Bonito!

 

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Quando a resposta foi Sim, a pergunta que se seguiu foi: “E agora…?”

Para a Lurdes foi bem mais fácil, porque ela já sonhava com este dia desde sempre, mas a verdade é que uma coisa é uma cabeça a sonhar, outra coisa são duas pessoas a sonharem juntas. Desde cedo que imaginámos o nosso dia, acima de tudo, com as pessoas que nos querem bem e que são importantes para nós. Seria o nosso dia, mas também seria um dia para darmos uma fração de nós mesmos a todas as pessoas que nos são próximas. Sabíamos que queríamos simplicidade, elegância, muitos detalhes simbólicos e muita emoção. E conseguimos tudo isso!

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Em termos da relação, sim, sem dúvida que o pedido veio no momento certo. Apesar de ser um sonho mais da Lurdes, depressa se tornou algo também muito importante para o Hugo. Estávamos mentalmente preparados, apesar de desconhecermos a quantidade de fornecedores, ideias e mudanças que existem no mundo dos casamentos atualmente, principalmente porque não tínhamos grandes pontos de referência recentes nesta matéria. Mas sabíamos o que não queríamos, e quando encontrámos o site Simplesmente Branco, tudo se tornou muito mais fácil de encontrar.

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Penso que a partir do momento em que começámos a reunir com fornecedores, tornou-se muito claro que “isto” estava a acontecer. Além disso fomos bastante selectivos ao escolher que fornecedores passariam do email para reunião, o que facilitou muito o processo, e quando as decisões finais foram tomadas o sentimento de “é mesmo isto!” foi crescendo.

A entrega dos convites , que optámos por fazer em mão, sempre que possível,foi um marco, por vários motivos. Esse foi o momento em que, principalmente o Hugo, conheceu familiares e amigos da família da Lurdes que não conhecia. E a quantidade de histórias que ouvimos nesses momentos não tem preço. Sentimos que nos redescobrimos um pouco pelas palavras de outras pessoas que nos conhecem desde pequenos. Foi talvez nessa altura que a certeza que o nosso casamento também seria importante para outras pessoas tornou forma na nossa mente e principalmente no nosso coração. Porque era exatamente essa partilha e proximidade que gostaríamos que estivessem presentes no nosso dia especial.

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

A nossa imagem do resultado final foi sendo criada ao longo do caminho. Desde cedo que nos apercebemos que a relação que estabeleceríamos com os nossos fornecedores marcaria o tom do nosso casamento. Podemos parecer super drásticos e exagerados com esta afirmação mas é a pura verdade. Tivemos o privilégio de conhecer profissionais extraordinários, cuja paixão por aquilo que fazem nos emocionou e nos inspirou. Todos os profissionais com quem reunimos nos deixaram uma aprendizagem e nos ajudaram imenso, indepentemente de terem sido contratados ou não. Desde decoração, fotografia, vídeo, vestuário, catering… a todos eles estamos muito gratos. Para nós foi muito simples: os fornecedores andam nisto há anos. Nós vamos casar pela primeira vez. Obviamente que levamos ideias e gostos pessoais, mas nunca fomos intransigentes. Pedimos sempre uma opinião e deixámo-nos guiar e sempre nos interessámos genuinamente pelo trabalho dos outros. No final podemos dizer que alguns deles se tornaram muito mais do que fornecedores. Talvez a coisa que tenha saído mesmo ao lado de todas as previsões foi o vestido de noiva (mais uma vez porque a Lurdes não levou a mente fechada). Chamámos a nós a organização de todo o casamento, embora na escolha do vestuário tenhamos contado com a ajuda das damas-de-honor e padrinhos. A Lurdes escreveu todo este percurso no seu blog de realeza, Tesouras & Tiaras. Foi o Casamento Real do ano!

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós era fundamental que as pessoas que tão generosamente partilharam este dia connosco, se sentissem verdadeiramente parte do dia, e não meros convidados. Era o dia especial da Lurdes e do Hugo, mas para nós este dia, como noivos, só fazia sentido com aquelas pessoas, naquele espaço, em harmonia com o nosso amor. E sem falsas modéstias, foi uma missão plenamente cumprida.

No planeamento do casamento, a lua-de-mel não foi de todo um fator a ter em conta. Mas, como temos os melhores amigos do mundo, no dia do casamento fomos presenteados com uma viagem a Verona, Itália.

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Tivemos um ano para organizar tudo e conseguimos fazer as coisas atempadamente com calma e segurança. O mais fácil foi sem dúvida o tipo de cerimónia e o espaço. Casámos em Maio numa cerimónia civil no Monte da Morena, em pleno coração do Alentejo. Muitas vezes ouvimos dizer que as cerimónias civis são muito impessoais. Também achávamos isso e apesar de termos tido muita sorte com a conservadora, quisemos dar um toque mais especial ao momento: trocámos votos entre nós e pedimos a duas pessoas muito especiais para nos dedicarem algumas palavras, abençoando a nossa união. Digo-vos que foram momentos emocionantes para nós e para todos os convidados. Não poderíamos sentir a nossa união mais abençoada do que ali, em plena comunhão com a Natureza e com palavras vindas de pessoas que nos amam e que amamos.

O mais difícil foi… a gravata do noivo! Parece mentira, mas foi a única “crise” no meio de tudo. Não, não aconteceu nada de catastrófico ao acessório da indumentária, mas foi uma verdadeira “luta” de opiniões entre o Hugo, o padrinho e as damas-de-honor da noiva, em busca da gravata ideal.

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Boa pergunta… Só pode ser um? Para a Lurdes foi mesmo a leitura dos seus votos ao Hugo. Um poema de Alberto Caeiro e mais umas palavras suas. É muito emocionante e também desafiante dizer à pessoa que amamos o que sentimos num momento como este e perante tantas pessoas!

Para o Hugo, segundo as suas palavras, foi “aquela parte entre as 17h da tarde e as 5h da manhã do dia seguinte”. Fomos claros?

 

 

 

 

E o pico de diversão?

A nossa primeira dança foi ao som do “Melhor de mim” da Mariza. E de seguida foi a abertura da pista. Dançar, para a Lurdes, foi como encontrar uma nova paixão. Para o Hugo foi um desafio, mas penso que dançar uma música com tanto significado perante tantas pessoas foi também muito, muito divertido.

 

 

 

 

Um pormenor especial…

Damos dois: Não fizemos lista de presentes, mas fizemos uma campanha NUTRILITE para a aquisição de complementos vitamínicos orgânicos a favor da Associação Princesa Leonor-Aceita e Sorri, uma organização que apoiamos há algum tempo. Quisemos que o nosso amor se estendesse fora dos limites daquela sala e conseguimos mais de 600 euros em complementos que ajudaram a reforçar o sistema imunitário dos príncipes e princesas na luta contra a doença oncológica.

Além disso, escrevemos uma mensagem personalizada para cada convidado (fornecedores incluídos) que se encontrava num envelope fechado em cada lugar. Foi um gesto muito apreciado e que para nós fez todo o sentido, porque num dia de tantas emoções, não queríamos que nada ficasse por dizer.

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada! Foi maravilhoso a todos os níveis possíveis. Todo o processo de organização de casamento foi uma redescoberta pessoal. Foi um retorno às nossas essências e aquilo que realmente valorizamos. Foi um dia, em que claramente, uma página foi virada e um novo capítulo foi iniciado. Aprendemos muito, mas recebemos tanto por cada aprendizagem… E o maravilhoso é sentir que, para muitas pessoas, o nosso dia especial não foi somente mais um casamento. Foi “O” casamento. Não nos sentimos vaidosos por isso. Ficámos simplesmente gratos e felizes por o nosso objectivo principal de partilha e criação de memórias ter sido cumprido.

No ínicio dizíamos que o casamento não iria mudar o que sentimos… Sabem que mais? Muda! Mudamos enquanto pessoas, e enquanto casal. Enquanto filhos, netos, sobrinhos, amigos…

E muda para muito, muito melhor…

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Cada pessoa é uma pessoa. Cada casal é um casal e não há conselhos perfeitos. Para nós foi muito importante sentirmos que estávamos a desfrutar e a partilhar cada momento, desde a organização até ao final do dia. Nervos e preocupações são para serem considerados mas não para serem vividos. Percebem a diferença? No aspetco mais prático do evento, contactem muitos fornecedores e reúnam apenas com os essenciais (5 no máximo dos máximos para cada matéria). A escolha será muito mais clara.

Oiçam, respeitem, mas definam o que querem desde cedo, e se não sabem, não se preocupem, vão descobrir pelo caminho: “Ouve o teu coração. Ele conhece tudo sobre ti, porque onde ele estiver é onde estará o teu tesouro”. E sejam gratos, muito gratos!

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites, materiais gráficos e ofertas aos convidados: Molde Design Weddings;

local: Monte da Morena;

catering: Eventos Magalhães;

bolo: Estefânia Chocosabor;

fato do noivo e acessórios: fato Dielmar; gravata e botões de punho Cortefiel, sapatos e cinto Made In;

vestido de noiva e sapatos: vestido Vestidus Atelier; véu Magia d’Agulha, sapatos Aldo;

maquilhagem: Adriana Brito;

cabelos: Fátima Pires;

bouquet e decoração: Art & Flor;

fotografia: Foto de Sonho:

luzes, som e Dj: Mário Costa.

 

0 Comentários

Rachel + Johnathan: um casamento à prova dos elementos!

O que fazer quando temos uma visão para o nosso grande dia, e o mau tempo choca de frente com o que imaginámos?

O bom senso manda que se tenha um plano B e que o ponhamos em prática, mas no caso da Rachel + Johnathan, a cedência aos elementos, durante a cerimónia ao ar livre, não se deu.

Aguentaram estoicamente – e a chuva abrandou durante alguns momentos, mas o copo-de-água teve de ser forçosamente mudado para um local próximo, à pressa, bastante impessoal e uma incógnita total.

Poderia ser um cenário de horror – tinha tudo para ser, chão de linóleo, ventoinhas no tecto, um cheiro esquisito – , mas quando se tem uma equipa profissional verdadeiramente competente e uma família e amigos generosos e disponíveis, a magia toma forma e o dia de sonho acontece! Talvez não como previsto, ou como sonhado na sua totalidade, mas como esperado, no que toca a emoções e partilha de amor – e isso é o mais importante, sempre!

Comprovem, nas bonitas imagens abaixo, e nos sorrisos contagiantes, que tudo o que acabámos de dizer é a mais pura verdade!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este é um casamento judeu, com um protocolo a que estamos menos habituados – e tão bonito. Mas o que gosto mesmo muito, é o grupo dos mais pequenos, que anunciam a chegada da noiva e dos seus pais com balões coloridos, bandeirolas e flores de papel gigantes – que prenúncio de festa, que alegria!

As fotografias são dos americanos One Love Photo.

 

0 Comentários

Um casamento urbano, intimista e muito doce: Sofia + Vasco

Fechamos a semana em modo doce e aconchegado, duas palavras que definem bem o casamento urbano da Sofia + Vasco, na Casa Independente, mesmo no coração de Lisboa.

Este foi um casamento descomplicado, tranquilo e sobretudo bonito e intimista, e para isso foi essencial a escolha do local, um dos mais especiais e singulares da cidade, e do catering (um belo restaurante italiano, com boa reputação). O registo fotográfico ficou por conta da simpática Susana Gomes Photography, em total sintonia com tudo e todos.

O resultado está à vista… Lindo!

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos o nosso dia como um dia tranquilo e feliz, juntos dos nossos.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi um caminho muito tranquilo mesmo quando não nos sentiamos preparados.

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando conseguimos assegurar o espaço. A Casa Independente foi o único sítio que visitámos e não equacionávamos outro espaço para o nosso dia.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado é exactamente aquilo que fomos sonhando ao longo de todo o processo de preparação. A ajuda da Patrícia, da Casa Independente, foi fundamental para que tudo se desenrolasse exactamente como tinhamos em mente.

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

A autenticidade era fundamental. Sabíamos bem o que não queríamos e daí partimos sem grandes dúvidas para a construção de um dia feliz.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Foi tudo muito tranquilo. A ideia era mesmo uma celebração com um feeling muito caseiro e de grande tranquilidade e assim foi.

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A cerimónia do casamento em si superou qualquer expectativa que tivéssemos em relação ao quão emotivo e sentimental este dia seria.

 

E o pico de diversão?

Todos os momentos de partilha, emoção e alegria com as “nossas” pessoas.

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Um pormenor especial…

As toalhas de renda de mães e avós que serviram de tema para uma mesa de almoço de domingo em família.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada. O dia foi tão ou mais feliz do que o imaginávamos.

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Quanto mais próximo do vosso coração, e da vossa essência enquanto casal, pensarem no vosso dia, mais feliz e completo ele será.

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

Casamento civil e urbano na Casa Independente, em Lisboa

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites, materiais gráficos e ofertas aos convidados: feitos pelos noivos

local: Casa Independente

catering: Cantina Baldracca

bolo: Migalha Doce

fato do noivo e acessórios: El Ganso

vestido de noiva e sapatos: Etxart & Panno

maquilhagem e cabelos: Djanira Cruz

bouquet: Dona Alice, no Mercado 31 de Janeiro

decoração: noivos e Patrícia, da Casa Independente

fotografia: Susana Gomes

Save

Save

Save

Save

Save

0 Comentários

Um elopement em Nova York

Gosto sempre do trabalho da fotógrafa australiana Samm Blake. Há uma energia magnética que atravessa as imagens que é quase palpável, e o amor entre os visados, seja um casamento a dois no registo ou uma festa épica com uma centena de convidados é algo presente em todas as fotografias.

Para mim, um casamento é sobre isso: o que nos une e como celebramos essa vontade, decisão e alegria incomparável, a dois ou com as nossas pessoas.

Para ilustrar o que acabei de escrever, fiquem com este casamento civil em Nova York: épico, relevante, intemporal!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que estilaço!

 

 

0 Comentários

Catarina + Ricardo, um casamento romântico e muito inspirado!

A festa desta semana pertence à Catarina + RIcardo, fotografados pela dupla Momento Cativo. Aconteceu em Abril, na maravilhosa Quinta do Hespanhol, e foi um dia cheio de doçura.

A ajuda e disponibilidade da família e amigos foi fundamental e com o amor e talento de todos, o resultado foi um casamento à la Pinterest, como a Catarina imaginou.

Eles contam-nos como foi!

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Será demais dizer que o imaginámos tal como foi? Queríamos que fosse um casamento num ambiente descontraído, com muito foco nos pequenos pormenores, e queríamos que fosse num espaço bonito, cheio de flores e com uma decoração ao melhor estilo Pinterest. E conseguimos tudo isso com a ajuda da Quinta do Hespanhol!

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sentíamo-nos razoavelmente preparados. Há sempre partes do percurso que nos deixam mais nervosos, especialmente em relação aos timings e à ida da Catarina para o Japão, cuja chegada seria apenas um mês e meio antes do grande dia. Assim sendo, tivemos de decidir algumas das coisas muito mais cedo do que a maior parte dos noivos, para garantir que a Catarina ainda estaria disponível para visitar os espaços, experimentar os vestidos e decidir outras coisas importantes. Quando a data se começou a aproximar, os nervos começaram a ficar mais à flor da pele, mas foi um caminho percorrido sem percalços e que nos deu imenso gozo!

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando visitámos o espaço que viria a ser aquele que escolhemos: a Quinta do Hespanhol. Depois de falarmos com a Ana Thomaz e começarmos a perceber que todas as ideias que estavam apenas na nossa imaginação poderiam ser uma realidade, ficámos incrivelmente felizes – e muito mais tranquilos – e sentimos verdadeiramente ‘É mesmo isto!’.

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

É muito fiel às nossas ideias! Contámos com a ajuda a maravilhosa dos profissionais que trabalharam connosco, que foram incansáveis e que nos fizeram sempre sentir à vontade para fazermos as nossas perguntas e sugestões e com a ajuda de alguns familiares, em particular da prima da Catarina, a Solange, que foi a responsável por toda a parte do casamento (convites, menus, marcadores de livros, etc.) e das nossas mães! A mãe do Ricardo foi a responsável por fazer o laço lindo que ele usou no casamento e a da Catarina responsável pela montagem dos envelopes dos convites, pela almofada das alianças e pelos lenços que iriam servir para enxugar as lágrimas no dia D. Claro que há muitas coisas que não se viram no dia final, mas para as quais os nossos pais contribuíram muito e tudo isso ajudou a que o caminho percorrido fosse muito mais descomplicado.

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental, para nós, era que estivessem presentes todas as pessoas que convidámos, o que, infelizmente, não foi possível. Porque essas eram as pessoas que sentíamos que queríamos que partilhassem connosco aquele dia que foi tão feliz!

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi, sem dúvida, decidir o espaço! O mais difícil foi o Ricardo finalmente se decidir a comprar o fato!

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Para além do momento em que a Catarina apareceu totalmente pronta ao pé do pai e o momento em que ambos nos vimos pela primeira vez, enquanto a Catarina caminhava para o altar, talvez o momento mais sentimental tenha sido a altura dos nossos votos feitos ao melhor estilo Love Actually, com os cartazes com uma narrativa que falava um bocadinho da nossa história! Isso e ver a cara de confusão, emoção e expectativa das pessoas quando pensaram que a novidade que íamos partilhar era a vinda de um bebé. Foi hilariante para nós vermos todas as expressões!

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

E o pico de diversão?

A flash mob que fizémos com a primeira dança! Foram duas tardes a ensaiar os passos e, quando chegou a altura, a Catarina estava super nervosa porque não se queria enganar e ela não é muito boa a decorar os passos! Mas correu tudo super bem e foi um momento muito divertido com toda a gente a dançar connosco!

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Um pormenor especial…

Não é um, são vários! Termos o nosso sobrinho como menino das alianças, os convites que foram feitos pela nossa prima, os brincos que a Catarina usou e eram da avó materna dela e termos presentes dois ursinhos feitos de propósito para a ocasião por uma amiga que a Catarina fez enquanto esteve no Japão.

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Acho que podemos dizer, com segurança, que não mudávamos nada! Só, talvez, ter lá o resto das pessoas que gostávamos mesmo que fossem.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Escolham profissionais que tentem sempre compreender-vos, que sejam “descomplicados” e que tenham sempre um conselho ou ideia que melhore alguma que já tenham. O planeamento do casamento e o dia em si são momento stressantes e nada melhor para diminuir os nervos do que ter uma equipa de profissionais que sabe exatamente como as coisas funcionam e permite aos noivos no dia D simplesmente disfrutarem de todos os momentos.

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Casamento com decoração romântica e elegante na Quinta do Hespanhol

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Solange Marques;

local, decoração, catering e bolo: Quinta do Hespanhol;

fato do noivo e acessórios: fato e botões de punho Massimo Dutti; sapatos Foreva; laço feito pela mãe do noivo;

vestido de noiva e sapatos: vestido Nova Noiva; sapatos Diana (marca japonesa); brincos da avó materna da noiva;

maquilhagem: Joana Moreira;

cabelos: Alice Trewinnard (Golden Locks);

bouquet: Romeira;

ofertas aos convidados: nariz da Operação Nariz Vermelho;

fotografia: Momento Cativo;

luzes, som e DJ: Gonçalo Portela (Quinta do Hespanhol).