Created with Sketch.
Susana Pinto

À conversa com: A Pajarita, convites de casamento

Hoje sentamo-nos a conversar com a Alexandra Barbosa, que assina como A Pajarita, convites de casamento.

E que bonito e incrivelmente delicado é o trabalho da Alexandra! Já o vi ao vivo várias vezes e já visitei a Alexandra no seu belíssimo estúdio na Póvoa do Varzim: conversamos sempre sobre o seu trabalho de gravura e o nosso fascínio pelos papéis artesanais.

É sempre um prazer perceber as técnicas, processos e acabamentos destas peças tão singulares e femininas, de uma beleza discreta e intrigante.

Venham conhecer A Pajarita!

Acredito que cada casal é uma fórmula. Se pensarmos nas pessoas, não há duas iguais. Quando conheço um casal, conheço duas pessoas diferentes e é a soma deles que eu tenho de calcular para lhes puder apresentar uma fórmula que respeite quem são juntos. É nessa comunhão que nasce a fórmula que retrata o casal. Se não há duas pessoas iguais, não há duas somas iguais, logo não há duas fórmulas iguais.

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional, das artes plásticas para o universo dos casamentos. Foi um caminho natural ou uma situação específica que o apontou?

Sou artista plástica e especializei-me em gravura e produção artística.

Terminada a licenciatura, parti para Espanha onde estudei e trabalhei, e acabei por ficar por lá cinco anos. A minha vida profissional era partilhada pela docência e pelo desenvolvimento da minha investigação e trabalho artístico (e por consequência concursos, bienais e exposições).

Regresso a Portugal e começo a dar aulas e a criar peças personalizados num atelier: foi aí que conheci uma noiva, que acabei por ajudar, ao criar detalhes que ela idealizava e não tinha conseguido encontrar.

Esta experiência despertou algo em mim. A alegria dela foi contagiante, e desafio tinha sido estimulante. Como gosto de desafios e de fazer coisas sempre diferentes (a monotonia desconcerta-me!), a ideia foi amadurecendo e ganhando forma e, assim, “nasceu” A PAJARITA.

 

Há quanto tempo trabalha nesta área? E porquê este universo dos casamentos?

Desde Dezembro de 2014.

O universo dos casamentos, tal como eu o encaro, é estimulante, cheio de desafio e aventuras. Não é estático nem monótono. É algo contagiante e que me faz levantar de manhã cheia de energia e de vontade de trabalhar.

 

EStaionário de casamento A Pajarita Convites de casamento em papel artesanal e aguarela, desenhados por A Pajarita Livro de votos em papel artesanal e aguarela, desenhado por A Pajarita

Como define o seu trabalho e como construiu essa assinatura?

É um trabalho feito de raiz, a medida de cada casal e tem como base a partilha. Tudo é pensado e desenhado com base no que os noivos partilham comigo: os seus gostos, expectativas, histórias, interesses, viagens…

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolheu para explorar e trabalhar este ano? Porquê?

É, sem dúvida, o ADN. O fascinante é começar do zero. O caminho estimulante do processo ao produto final. Se deixar de existir, A PAJARITA não tem fundamento, não tem razão para existir.

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

É sempre importante conhecer e debater as tendências, mas não serão um caminho a seguir se não se enquadram com a personalidade dos noivos dessa estação.

 

Boas-vindas ao Outono, por A Pajarita (26) Boas-vindas ao Outono, por A Pajarita (17) Boas-vindas ao Outono, por A Pajarita (22)

Ter o controle das decisões é importante? Tem uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como quer que o seu trabalho seja consumido ou é o prazer de discutir ideias, de criar, que lhe interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Tenho de controlar a qualidade da execução, sou perfecionista, cada detalhe conta. Os materias são fundamentais e gosto de ter o controlo dos materiais usados e a sua qualidade. O processo criativo em si é muito orgânico, e parte sempre das conversas que tenho com cada casal. É delas que vou extrair os pormenores, as subtilezas em que me vou basear para criar os protótipos que lhes irei apresentar posteriormente.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplica, ou cada convite, produto ou serviço é pensado totalmente de raiz?

Fórmulas vencedoras? Eu acredito que cada casal é uma fórmula. Se pensarmos nas pessoas, não há duas iguais. Quando conheço um casal, conheço duas pessoas diferentes e é a soma deles que eu tenho de calcular para lhes puder apresentar uma fórmula que respeite quem são juntos. É nessa comunhão que nasce a fórmula que retrata o casal. Se não há duas pessoas iguais, não há duas somas iguais, logo não há duas fórmulas iguais.

 

Onde busca inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Para além de me inspirar na singularidade e personalidade de cada casal, busco-a nas exposições, nos filmes, na moda…

 

Convites de casamento artesanais, feitos por A Pajarita

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?

Faço coisas simples, mergulhos nos livros, foco-me na minha família, perco-me nas risadas do Vasquinho e na tranquilidade do bebé Gustavo (os meus sobrinhos e afilhados), vou ouvir o mar, desenho casas (que é uma forma simplista de descrever o meu trabalho artístico).

 

Qual é a importância do convite de casamento (e respectivo conjunto de estacionário), na grande lista de itens e tarefas?

Normalmente é encarada como uma tarefa secundária, e, a meu ver, erradamente. É a primeira impressão do dia que estamos a preparar. O convite é a imagem do nosso dia, logo, a nossa. Daí trabalhamos para que o feedback do convidado seja sempre: “o convite é mesmo a tua/vossa cara”.

 

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Primeiro é necessário perceber se sou o fornecedor ideal. Se for, preciso de conversar com eles, perceber quem são, o que perspetivam. Seja pessoalmente, por videoconferência ou por email, quanto mais informações me derem, mais matéria prima tenho. Mostro exemplos, acabamentos, papéis para ir percebendo as preferências. As conversas costumam ser amenas e muito interessantes. Posteriormente, apresento-lhes um protótipo. Ele sofre o processo necessário de forma a responder às expectativas, e só depois passa para a produção.

 

Estacionário em papel artesanal e aguarela, desenhado por A Pajarita

Estacionário em papel artesanal e aguarela, desenhado por A Pajarita

Livros de votos desenhado por A Pajarita

Qual é a melhor parte de criar convites de casamento, ser o primeiro capítulo visível da história que leva ao grande dia? E o mais desafiante e difícil?

O melhor é não termos limites nem condicionantes estabelecidos pelo trabalho já desenvolvido e conhecermos pessoas novas. O que se torna desafiante, é o facto de se começar do zero, encontrar a imagem do casal sem usar recursos evidentes. O difícil, que é diferente de desafiante, a meu ver, é não ficar empolgado com os projetos e dizer aos noivos que a A PAJARITA não é o seu fornecedor ideal (acontece quando procuram convites padronizados).

 

Escolha o convite de que mais gosta no vosso portefólio, e conte-nos porquê:

É difícil escolher, mas os que mais me empolgam são os convites com intervenção manual, sem dúvida! O facto de cada um ser inevitavelmente diferente do outro, esse cunho pessoal e irrepetível desperta aquele brilhinho no meu olhar.

 

Marcador de mesa de casamento desenhado por A Pajarita Estacionário de casamento desenhado por A Pajarita Estacionário de casamento desenhado por A Pajarita

Os contactos detalhados de A Pajarita, estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem a Alexandra directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

O trabalho da Alexandra Barbosa não se fica pelos convites: das suas mãos sai tudo o que é papel e também belas flores: bouquet de noiva, flor de lapela, pulseira para as madrinhas e outras delicadas maravilhas. Sigam tudo aqui!

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

Susana Pinto

Casamento intimista inspirado numa styled shoot

Quando um copo está a meio da sua capacidade, vocês acham que está meio cheio ou meio vazio?

Por outras palavras, somos optimistas e fazemos parte da solução, ou seremos mais pessimistas e achamos que tudo é muito difícil?

 

Eu faço assumidamente parte da primeira equipa!

Se neste cenário difícil e incerto que continuamos a viver, com a interacção reduzida a um grupo mínimo de pessoas, tudo será mais desafiante e pouco divertido, experimentem olhar para o vosso casamento deste novo ponto de vista: como se fosse uma styled shoot!

 

inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita

Ora, por aqui estamos sempre a afirmar que uma styled shoot não é um casamento e o que vemos não pode ser transportado para a escala e realidade de um casamento. Continua a ser verdade e não nos desviamos um milímetro desta afirmação, mas o facto é que o contexto e características de um casamento em 2020 e 2021 mudou muito e, se algo se perdeu no caminho, outros elementos interessantes também foram encontrados.

 

A principal diferença – e a que permite voos mais ambiciosos, é, sem dúvida, a escala: com menos, podemos fazer muito mais.

Podemos escolher outro tipo de espaços, outro tipo de ementa e o seu serviço, outro tipo de decoração e outros tipos de quase tudo! Agora, com um grupo muito reservado de duas mãos cheias de pessoas, é fazível todo o requinte que encontramos numa styled shoot, com um orçamento muito aceitável, desafios quase inexistentes e um resultado absolutamente fantástico.

 

inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita

Muito do trabalho manual que entra nesta história que estamos a contar é possível em números pequenos, mas impossível em grandes, a personalização ganha músculo e reflecte o amor que lhe atribuímos e a qualidade de tudo é multiplicada. Bacalhau e vitela podem sair das ementas e no seu lugar entram pratos mais elegantes, sabores requintados e outro apuramento (e empratamento) digno do melhor restaurante, porque servir uma refeição impecável para dez convidados exige menos simplificação de processos que a mesma refeição deliciosamente confeccionada e servida em simultâneo, à mesma temperatura e da mesma forma, para cento e vinte convivas!

 

As melhores dálias café ao lait (ou peónias, se estivermos no verão) ocupam destaque glorioso na mesa porque é necessário apenas um centro de mesa de cortar a respiração, e assim falamos também dos talheres que podes ser um serviço de prata antigo, a melhor louça Vista Alegre e copos de cristal, uma toalha bordada com guardanapos de linho a condizer.

 

E se as quintas eram espaços um pouco anónimos preparados para a elasticidade de acomodar dentro e fora, oitenta ou cento e oitenta pessoas, estacionamento incluído, apostadas numa logística eficaz e sempre a rolar, um número pequeno de convidados abre as portas a uma nova categoria de espaços – a sala -, que pode ser em casa (a vossa ou a de alguém), uma galeria, um hotel, um restaurante, um jardim, uma biblioteca, um museu.

 

inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita inspiração para casamento intimista com A Pajarita

Tudo aquilo que vemos de espantoso numa styled shoot pode agora, factualmente, ser o vosso espaço para casar. Claro que, de forma equivalente, o preço desta qualidade se vai reflectir no serviço e produtos que estão a adquirir, mas uma mesa cuja soma sejam uns 300 euros, por exemplo, entre flores, objectos e detalhes, é só isso mesmo e não um sonho impossível que se irá multiplicar por 10, 12 ou vinte outras mesas.

 

O nosso melhor conselho? Não façam um downgrade do vosso orçamento literal, em função do número de convidados. Vistam a vossa camisola de anfitriões fantásticos e planeiem um dia inesquecível e rico – em todos os sentidos -, desde o sim até ao fechar da porta!

 

Conceito: Sublime Luxury Weddings; fotografia: Portugal Wedding Photographer; decoração floral: Liz Garden; bolo dos noivos: Sucre & Cacao; estacionário: A Pajarita.

 

Susana Pinto

Decoração interior para casamentos: cores bonitas!

Na próxima sexta-feira vou mostrar-vos um casamento intimista, pequenino, com cerimónia na praia e almoço em casa dos pais da noiva.

É todo um charme, por várias razões, e estou já a mencioná-lo por um detalhe muito especial: tem uma decoração floral muito bonita, feita pela Bouquet de Liz, que, terminada a cerimónia, transita e se adapta para a sala de estar.

Ora se isto já era mais ou menos comum nos espaços de casamento onde tudo acontecia no mesmo local, agora que atravessamos tempos diferentes e todo o paradigma está a mudar e a ser repensado, porque não agarrar esta ideia com as duas mãos e muito entusiasmo?

 

Provavelmente os orçamentos dos casamentos que se seguem serão substancialmente mais baixos, consequência directa, mais do que tudo, da diminuição do número de convidados. Isto significa que há um conjunto de detalhes que pode ganhar um reforço qualitativo – falamos da tipologia do espaço, da decoração floral, dos componentes da ementa ou do estacionário (na semana passada, A Pajarita escreveu sobre a sua importância na criação do ambiente da festa).

 

decoração colorida para altar civil com pranchas de madeira decoração colorida para altar civil com pranchas de madeira decoração colorida para altar civil com pranchas de madeira decoração colorida para altar civil com pranchas de madeira decoração colorida para altar civil com pranchas de madeira Decoração colorida para casamento intimista Decoração colorida para casamento intimista

Com esta mudança para uma celebração mais intimista – e dentro de portas quando arrefecer -, é importante continuarmos a olhar para tudo isto como uma festa e uma ocasião celebratória e muito feliz! Se já tivemos de encolher a lista, não vamos deixar de valorizar ao máximo os que estão e como estamos todos juntos, não é?

 

Com isto em mente, trago-vos uma ideia para a decoração do espaço que escolherem, com muita graça e fácil de implementar em modo DIY – o Pinterest está cheio de variações!

 

Ora ponham os olhos neste altar civil feito de pranchas de madeira colorida. O remate é cortado em meia lua, o que corresponde à tendência da estação, tal como a paleta de cores do verão, que andou ali pelos corais e rosas, mas podem ser simplesmente tábuas rectangulares, que a seguir passam a photobooth e mural de mensagens aos noivos e, num futuro próximo se transformam em tampos de secretária, cabeceiras de cama ou painéis de mensagens – há tantas vidas possíveis!

 

Decoração colorida para casamento intimista Decoração colorida para casamento intimista Decoração colorida para casamento intimista Decoração colorida para casamento intimista Decoração colorida para casamento intimista Decoração colorida para casamento intimista Bouquet de noiva colorido

O facto é que enchem uma sala neutra de cor e alegria, ou exactamente o seu contrário, pintadas de cor neutra e clara, criam uma janela de calma numa sala ruidosa. Complementam com pequenos detalhes alinhados com a ideia principal, et voilá!

 

Dentro de portas, ao ar livre, e com um universo de re-utilizações, esta ideia é perfeita para criar ambiente e um ponto focal – e é muito fotogénica!

Mão à obra!

 

Via Every Last Detail. Passem por lá para ver esta sessão fotográfica com todos os pormenores bonitos!

Susana Pinto

Um casamento premiado: o dia de Nicola + Henry

Fechamos esta semana com assomos de outono, com mais uma noiva de vestido de mangas compridas.

Acho mesmo que este detalhe passou a ser um dos meus favoritos quando falamos de vestidos de noiva modernos, poderosos e absolutamente fantásticos!

 

Há poucos dias, a Alexandra Barbosa, de A Pajarita, dedicou um dos seus artigos semanais exclusivamente a este assunto e eu estou totalmente alinhada na sua opinião: ai, as mangas…!

Ora no incrível e oh so sexy vestido de noiva de Nicola, para além do corte justo e mangas compridas, o decote, vertiginoso, é absolutamente espantoso!

Moderno e muito elegante, foi emparelhado com um véu simples, sem adornos, mas ao estilo dos anos vinte (pensem nos casamentos do Downton Abbey), na forma como é colocado – muito delicado, etéreo e sem mais adornos, para brilhe nessa simplicidade espantosa.

 

E vamos lá a confirmar isto mais uma vez: os casamentos mais estimulantes e modernos chegam-nos da Austrália: as flores são exóticas, estranhas e sempre incríveis, o styling dos ambientes é sempre minimal e de um bom gosto que nos deixa a suspirar… e a comida, bom, basta seguir o Masterchef para perceber a cultura gastronómica e a relação que as pessoas têm com a comida é informada e intencional.

 

Deixo-vos com o mais bonito dos dias de Nicola + Henry, que ganharam todo o seu casamento num giveaway, com uma equipa de fornecedores bestiais, como se pode ver no resultado: magnífico!

 

Casamento moderno Alianças de casamento diferentes Noivo de smoking Decoração interior de casamento moderno Decoração interior de casamento moderno Decoração interior de casamento moderno Decoração interior de casamento moderno Decoração interior de casamento moderno Decoração interior de casamento moderno Decoração interior de casamento moderno

vestido de noiva moderno e sexy Bouquet de noiva com flores exóticas  vestido de noiva moderno e sexy vestido de noiva moderno e sexy vestido de noiva moderno e sexy vestido de noiva moderno e sexy vestido de noiva moderno e sexy

vestido de noiva moderno e sexy vestido de noiva moderno e sexy vestido de noiva moderno e sexy    vestido de noiva moderno e sexy vestido de noiva moderno e sexy Bolo dos noivos

Gosto de tudo, casava-me assim, acho o vestido de noiva épico e se repararem na bonita combinação das alianças, a dele e a dela, são absolutamente singulares e muito pessoais.

E vocês, queridas meninas e meninos, o que acham deste dia, deste formato, desta visão: algo que faz sentido e gostariam ou o oposto do que têm em mente? Contem-nos tudo!

 

Fotografia de Bayly & Moore, via Together Journal.

Susana Pinto

Dicas para casar: perguntas frequentes sobre a organização do casamento

Prontos para começar com a organização do casamento?

 

Na semana passada, nas dicas para casar, falámos sobre o conjunto largo de recursos que temos disponíveis para vos ajudar nesta bonita viagem. Entre os inúmeros artigos publicados, fontes de inspiração, entrevistas aos nossos fornecedores seleccionados e conversas com os noivos, temos resposta para quase tudo!

 

Para quem vai agora começar, isto pode parecer tudo muito. Tantas escolhas para fazer, tantas decisões para tomar, tantas contas para fazer… Mas na verdade, como diz e muito bem um querido amigo, “para comer um elefante é preciso parti-lo às fatias”,  e com calma e organização, tudo se resolve.  E para balizar um bocadinho a vossa lista, deixamos aqui 15 perguntas pertinentes para quem vai casar.

 

Gustavo Simões Photography: fotografia de casamento em Lisboa Gustavo Simões Photography: fotografia de casamento em Lisboa

1. Como escolher a data?

A resposta a esta pergunta será das mais fáceis, porque naturalmente haverá datas que são muito especiais na vossa história. Mas, com todos os imprevistos deste ano, com adiamentos e remarcações, esta questão deixa de ser tão natural. Deixamos então algumas sugestões menos habituais: se o dia em que se conheceram vai calhar, para o ano, a meio da semana, ou se é num mês dos mais frios, não se atrapalhem. Há muitas vantagens em casar fora de época, só terão que avaliar e decidir.

 

Outra sugestão ajustada ao momento, é casarem pelo civil, mantendo o dia gravado nas alianças, e festejarem quando fôr possível, num dia bonito, mas já sem o constrangimento da agenda. Alguns feriados podem ter graça adicional, como os santos populares, mas atenção aos fins-de-semana prolongados, que poderão oferecer a concorrência de uma escapadinha!

 

2. A quem o devemos anunciar primeiro?

Como dissemos já aqui, repetindo o sábio conselho da querida Filipa, guardem os primeiros dias para desfrutar este segredo só vosso. De seguida, é à família que devem comunicar as novidades primeiro. Organizem um jantar com o núcleo mais próximo de cada um – pais, avós e irmãos, e a partir daqui poderão alargar o leque de contactos. Aproveitem para espreitar o artigo que fizemos com A Pajarita, onde falamos sobre como entregar os convites de casamento.

 

3. Quais são os procedimentos burocráticos necessários?

Para casamentos civis, tudo começa na Conservatória do Registo Civil da zona onde pretendem casar. Marcam a data e definem o local.

 

Se também pretendem uma cerimónia católica, escolham a paróquia, marquem reunião com o padre e combinem data e hora. Habitualmente é a igreja que trata das burocracias com a Conservatória. Se não for esse o caso, logo vos informarão de que documentos terão que trazer da Conservatória para a Igreja. O importante é que o casamento civil é celebrado no mesmo dia do matrimónio, mediante umas assinaturas posteriores à cerimónia.

 

Esta ligação entre casamento civil e religioso (chama-se casamento civil sob a forma religiosa) estende-se também, desde 2007, a outros grupos religiosos radicados em Portugal: Comunidade Judaica de Lisboa, Comunidade Islâmica de Lisboa, Aliança Evangélica Portuguesa, Comunidade Bahá”í, União Adventista, Centro Cristão Vida Abundante e Assembleia de Deus de Viseu. Podem consultar o nosso artigo sobre os procedimentos legais para casar e, havendo ainda algumas dúvidas, o Portal do Cidadão esclarece com clareza.

 

4. Qual o papel dos padrinhos (na Igreja) e das testemunhas (no Registo Civil)?

É literal: testemunham a união. Em ambos os casos, apenas têm que estar presentes no dia marcado, com os respectivos documentos de identificação; não se esqueçam dos vossos cartões de cidadão!

 

Gustavo Simões Photography: fotografia de casamento em Lisboa Gustavo Simões Photography: fotografia de casamento em Lisboa

5. Podemos casar onde quisermos?

No caso do casamento pelo Registo Civil, sim. Basta informar o Conservador da morada onde irá decorrer a cerimónia (e aqui incluímos a vossa própria casa, se for esse o plano). Não se esqueçam que as despesas de deslocação decorrem por vossa conta. Se quiserem casar numa Igreja fora da vossa zona de residência, terão que solicitar autorização ao padre da paróquia onde querem casar.

 

6. E a organização da festa, por onde devemos começar?

O primeiro passo deverá ser a definição do vosso orçamento. Estabeleçam o valor máximo a gastar e distribuam-no pelas diversas rubricas. E mantenham esse documento actualizado ao cêntimo!

São as opções que têm de adaptar-se ao orçamento e não o orçamento que se vai vergar às propostas! Leiam as palavras sábias da Design Events e da Wedwings sobre este assunto.

 

7. Como podemos ter a certeza de que não nos falta nada?

Estabelecer um orçamento e um cronograma é o método mais eficaz para estar em cima dos pormenores. Também podem optar por contratar um wedding planner. Na dúvida, peçam alguns orçamentos e recolham todas as informações que puderem acerca do seu trabalho. Se encontrarem um profissional que venha bem recomendado, com experiência, bom nome na praça e com quem tenham sentido sintonia, então estarão a um passo de poupar muita dor de cabeça, tempo e, muito provavelmente, dinheiro.

 

Em última instância, não se prendam à ideia de que devem ter o mesmo que os vossos amigos que casaram no verão passado. Só vos faz falta o que tem a ver convosco!

 

8. Gostávamos de convidar todos os nosso amigos e colegas, mas o orçamento não o permite. O que podemos fazer?

Descarrilar nas contas é que nem pensar, até porque esta é a parcela maior do vosso orçamento. Convidem os mais próximos e para os restantes enviem uma participação casamento e convidem-nos para um almoço ou jantar em vossa casa. A Pajarita conta-nos tudo sobre este assunto!

 

9. E se não nos conseguirmos decidir acerca do espaço, por exemplo?

São duas cabeças, pelo menos, e tudo se decide com uma boa lista de prós e contras. Respirem fundo, durmam sobre o assunto, ouçam o vosso instinto. Peçam ajuda a alguém experiente e da vossa confiança. Deixamos aqui uma lista de ideias para encontrar o espaço perfeito!

 

Gustavo Simões Photography: fotografia de casamento em Lisboa Gustavo Simões Photography: fotografia de casamento em Lisboa

10. É obrigatório haver entretenimento na festa?

Depende da festa que planearam, da faixa etária dos vossos convidados, do horário alinhavado, etc. Se houver crianças na lista, não descurem o apoio de um serviço próprio: ficam os miúdos mais felizes e os pais deles também! Pensem nos vossos convidados, na duração prevista da festa, no encadeamento dos acontecimentos (cocktail, fotografias, refeição, corte do bolo, discursos e brindes, etc.). Este exercício dir-vos-á se precisam de completar os intervalos com algo mais especial e atractivo.

 

11. Os nossos pais é que pagam. Temos mesmo que deixá-los decidir tudo?

As palavras-chave aqui são as do título do clássico de Jane Austen: sensibilidade e bom-senso. Se encontrarem resistência, mostrem alguns exemplos do que será o resultado final, nada como umas belas imagens para explicar uma ideia.

 

Percebam o que é acessório e o que é fundamental: este equilíbrio será o vosso melhor amigo e pequenas cedências poderão fazer alguém muito feliz.

E podem inclusivamente poupar – sempre de modo inteligente, como tanto gostamos. Sigam as nossas dicas aqui.

 

12. Não percebo nada de flores. Há algumas que sejam erradas para casamentos? De que tamanho deve ser o bouquet?

Flores são flores e serão sempre bonitas, podem no entanto ser mais ou menos adequadas, tendo em conta a sazonalidade, robustez e outras características pertinentes.

Na dúvida (esta ou outras), trabalhem sempre com profissionais e confiem no seu serviço Aqui deixamos algumas sugestões, muito bem acompanhadas por quem sabe, para escolherem o vosso bouquet de noiva. Estas preocupações não vos fazem falta!

 

13. É de mau tom se os noivos deixarem a festa antes do fim?

Se organizaram a vossa festa de sonho, não vão querer sair antes do fim! Mas se tiverem hora marcada para apanhar um avião ou, simplesmente, se estiverem felizes mas esgotados, é totalmente aceitável que se retirem. Façam-no em grande, despeçam-se com simpatia dos vossos convivas e peçam aos vossos pais e padrinhos que façam as honras da casa para os mais noctívagos. Em caso de dúvida, explicamos tudo aqui.

 

14. Precisamos mesmo de oferecer alguma coisa aos convidados?

Não, já lhes estão a proporcionar uma festa e pêras, refeição e baile incluídos. No entanto, agradecer a gentileza da presença é sempre simpático e há maneiras bonitas e simples de o fazer: a mais directa ao coração, é escolherem uma instituição e fazerem um donativo em nome dos convidados.

Podem mencioná-lo num pequeno cartão que acompanha um bombom, ou na altura do brinde. Conheçam as instituições parceiras do Simplesmente Branco aqui.

 

15. Ainda se usa o envio de cartões de agradecimento?

A boa educação e a gentileza usam-se sempre. Têm tempo, mas quando regressarem da lua-de-mel ficar-vos-á bem agradecer os presente, a presença dos convidados e a belíssima prestação dos vossos fornecedores, todos em sintonia no vosso dia.

Juntem uma bonita fotografia, relembrem-se de alguns momentos especiais e inspirem-se para umas palavras bonitas.

 

Mais esclarecidos e prontos para tratar da organização do vosso casamento? Espero que sim!

 

As imagens bonitas são do Gustavo Simões Photography, que captou a mágica sessão de namoro de Anaisa + Matherus, na Praia da Ursa, em Sintra.

Não deixem de passar pela sua ficha de fornecedor para ver o portefólio actualizado e entrar em contacto com o Gustavo Simões.

 

Sobram dúvidas? Falem connosco! E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira, que vos ajudarão a trilhar este caminho até ao mais bonito dos dias, de forma sabedora e tranquila!

Susana Pinto

Dicas para casar: por onde começar a organizar o casamento?

Nas nossas dicas para casar de hoje vamos fazer um resumo dos assuntos mais estruturais para quem está de casamento marcado.

 

Sabemos que no verão a grande pergunta anda no ar e, por isso, vestimos desde já os nossos fatos de fadas madrinhas para vos acompanhar na viagem até ao mais bonito dos dias: saber é poder e noivos informados e sabedores estarão sempre mais tranquilos e seguros das suas decisões.

 

Temos várias ferramentas ao vosso dispor: uma lista seleccionada de fornecedores de qualidade, com estilos para todos os gostos, inspiração e ideias frescas em quantidade generosa, um guia prático para quem vai casar, testemunhos de quem já casou, partilhados todas as semanas e estas nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira, em que abordamos um assunto de cada vez, da imensa lista de coisas importantes para quem está de casamento marcado.

 

A série Dicas para casar está organizada de forma cronológica no início, com os temas mais relevantes e estruturais, e de forma livre mais para a frente, para os assuntos mais secundários e acessórios. Se alguma questão logística vos está a tirar o sono, partilhem-na connosco: juntamente com os nossos fornecedores dedicados, encontraremos a resposta que procuram!

 

Cerimáoni civil na Pousada de bouro com decoração de Inspirarte Decoração floral para cerimónia civil na Pousada de Bouro, por Inspirarte Decoração floral para cerimónia civil na Pousada de Bouro, no inverno, por Inspirarte

Durante dez anos mostrámos aqui coisas bonitas: palavras, ideias, conselhos, imagens. O fio condutor é o casamento, o mais bonito dos dias, partilhado com os nossos e à nossa medida. A forma que toma e o tamanho que tem – uma festa de arromba, uma celebração intimista em casa, um dia no coração quente do Alentejo, uma comunhão religiosa numa igreja renascentista – são a vossa escolha pessoal, a vossa imagem. O nosso papel é, desde o primeiro momento, validar a diferença e as escolhas que cada casal faz, garantindo e reforçando que, se são feitas com o coração, são as certas, porque são as vossas. Nos momentos mais desafiantes, o nosso melhor conselho é simples: não percam o vosso coração de vista!

 

2021 perspectiva-se ainda de forma pouco clara e já leva um superavit de casamentos agendados, os que estavam marcados e os que foram adiados.

Os nossos conceito de normalidade, do que é indispensável e do que é supérfluo terão certamente mudado um pouco e, independentemente da forma como estão a sonhar o vosso dia, seja ele intimista e cheio de detalhes ou uma festaça com muita diversão e abraços, a nossa lista de bons conselhos e palavras sábias irá ajudar-vos a navegar nesta longa viagem, a gerir nervos e ansiedades, a identificar fornecedores de qualidade e a tomar boas decisões!

 

Se a resposta foi um redondo e feliz “Sim!”, comecem por saber quais são os procedimentos legais para casar, como se iniciam e quanto custam.

De seguida, sentem-se os dois e definam o vosso dia de sonho, com cedências no que não é fundamental e assertividade no que não pode ser diferente, e cabeça fria quanto a custos e orçamento.

 

Com uma ideia mais clara daquilo que se quer, vamos à procura de bons fornecedores capazes de criar este dia à vossa imagem. Detalhamos aqui como os encontram e a que devem estar atentos neste importante contacto e negociação.

E falamos também sobre como escolher um bom espaço para casamentos, como contratar o fotógrafo e videógrafos certos, a experiência e bons conselhos para encontrar o vestido de noiva, escolher o bouquet e o par de sapatos de noiva perfeito!

Também podem saber com mais detalhe tudo sobre a maquilhagem da noiva, o que é o estacionário de casamento (e que escolhas podem fazer). Para os noivos mais gulosos, explicamos tudo sobre o bolo dos noivos e insistimos na emoção incrível que são os discursos de casamento e os votos.

 

Decoração floral para cerimónia civil na Pousada de Bouro, no inverno, por Inspirarte Decoração floral para cerimónia civil na Pousada de Bouro, no inverno, por Inspirarte Bouquet d enoiva orgânico, por Inspirarte

Abominamos o termo low budget, mas acreditamos na importância de ser um smart saver – deixamos uma lista de bons conselhos para uma poupança inteligente no vosso orçamento para casar.  E para vos inspirar, façam o favor de nos seguir! Se mergulhar no Pinterest vos angustia um bocadinho, sigam os nossos bons conselhos para tirar o melhor partido possível desta plataforma fantástica e gigantesca.

 

Os artigos que assinalamos foram feitos com a colaboração dos melhores profissionais de casamento: os que trabalham com os noivos ano após ano, são experientes e sabedores, conhecem as dúvidas e sabem muito bem as respostas claras.

 

Prontos para casar?

 

As imagens que escolhi são da bonita decoração que a Inspirarte criou para o casamento de Susana + Éric, que já mostrámos por aqui – vão espreitar e fiquem impressionados com a grande reviravolta, tudo o que estava planeado para o exterior, na véspera, teve de passar para dentro de portas, por causa do mau tempo!

 

Sobram dúvidas? Falem connosco! E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Convites fine art em xilogravura, com A Pajarita

Continuamos a partilhar o série “Preparar o caminho descomplicando-o“, criada pela Alexandra Barbosa, de A Pajarita, e publicada no seu site todas as semanas.

 

Hoje a Alexandra Barbosa fala-nos sobre convites fine art, que são obras de arte. Vamos descobrir a xilogravura!

 

 

Convites em Xilogravura: quando dois mundos se encontram

Convites em xilogravura são convites de autor, gravados de forma singular e exclusiva, para cada casal. É um trabalho manual, e, por isso, um processo mais longo e complexo, onde cada convite é feito individualmente, do entalhe até à impressão final.

 

Artista gravadora que sou, é com a técnica da xilogravura que mais me identifico, a que melhor me une o coração à mão. A forma como a emoção atravessa o nosso corpo e se condensa na mão, comandando a linha na sua batalha contra a resistente madeira, é algo fascinante, libertador e até frustrante, quando uma linha se liberta, dando-se por vencida.
É a pouca certeza e a constante adaptação que tornam a xilogravura uma técnica tão interessante, em constante desgaste e desafio.

 

Com os seus primeiros registros datados do século V, na China, a xilogravura é uma técnica de gravura que consiste na entalha da madeira, com ajuda de um instrumento cortante (goiva ou buri), da figura ou forma (matriz) que se pretende imprimir. Com um rolo de borracha embebido em tinta, cobre-se essa matriz, tocando só nas partes elevadas do entalhe. A sua impressão ficará invertida, com a tinta a impregnar o papel, revelando a figura entalhada.

Numa técnica que respira simplicidade e decisão, cada traço tem a intensidade desejada pela emoção, sem possibilidade de volta atrás, a gestualidade fica registada e uma bonita impressão deve deixar ver o veio da madeira, límpido.

 

Quando transportamos esta técnica para o estacionário de casamento, criamos peças que são uma verdadeira jóia para os sentidos: tácteis e com uma identidade muito própria.

 

Quando escolhem esta técnica artística, onde estamos a criar uma obra de arte altamente pessoal, os noivos podem optar por uma impressão a uma ou mais cores, ou a seco (sem cor, apenas o relevo). A madeira deve ser escolhida em função do desenho e da forma de expressão de cada autor, sendo que as madeiras mais aconselhadas são as de árvores de fruto, como a cerejeira, por exemplo, madeiras duras que permitem um corte limpo, uma impressão clara, onde o veio da madeira se fará sentir.

 

A matriz que é criada para o convite pode ser pensada para ser aplicada nas outras peças do estacionário, como os votos, ou para criar uma edição ou série: um conjunto de imagens idênticas, obtidas pela impressão de uma única matriz.

 

Cada exemplar é numerado, a lápis, no canto esquerdo inferior com a fração x sobre y (x/y, onde x é o número daquele exemplar e y é o número total de exemplares impressos nessa série). À direita, de forma alinhada, é colocada a assinatura do autor.

Esta edição pode ser a vossa lembrança de casamento, surpreenderá os vossos convidados pela originalidade e delicadeza.

 

Tudo neste processo é um tesouro: a própria matriz, que ocupa o lugar de uma pequena escultura colorida e gasta pelo uso; as impressões, desde as provas de autor que ilustram o caminho apurado para a matriz finalizada, a impressão original, tal como criada, a número 1, que representa o pico de qualidade e autoria, até às sucessivas provas que completam a série.

 

As variantes coloridas, que desvendam as várias personalidades da gravura, e a prova seca, sem tinta, apenas o relevo delicado e táctil que desponta na textura do papel, a pureza do desenho e a alma do autor.

E a assinatura do artista, e o número limitado de cópias, que validarão sempre o quão especial e valioso foi para os noivos o mais bonito dos dias e as pessoas que com eles o partilharam.

 

Uma xilogravura será sempre uma obra de arte – e se fôr também o vosso convite de casamento, tantas histórias e memórias viverão na sua companhia, no vosso tempo e futuro que há de vir!

 

 

Este post foi originalmente publicado em A Pajarita.