Created with Sketch.
Marta Ramos

Como duas pessoas se apaixonam, por The Breeders

Lauren e Mason vivem em Portugal e uma das coisas que mais gostam de fazer a dois a viajar, sobretudo porque se divertem imenso na companhia um do outro a descobrir novas paisagens e novos caminhos. Laren é wedesigner e professora de yoga e Mason é escritor. Decidiram casar de um dia para o outro: comunicaram aos familiares, convidaram as pessoas que lhes são mais próximas para irem jantar com eles nesse dia e assim aconteceu o casamento, de uma forma descontraída e espontânea – exactamente da mesma forma como duas pessoas se apaixonam.

Quiseram assinalar a sua união com um registo especial e, para isso, escolheram um momento íntimo e muito bem-humorado: uma luta de almofadas! «O Mason é super envergonhado e não muito dado a câmaras mas foi incrível como uma simples luta de almofadas fez com que tudo fluísse e chegássemos rapidamente àquilo que pretendíamos», conta-nos o Vítor Barros, dos The Breeders, que assinam o vídeo. Foi uma sessão muito rápida e genuína».

O resultado é verdadeiramente feliz. Ora vejam:

 

 

Vejam também as fotos desta sessão, da autoria de Diana Nobre, e consultem a ficha de fornecedor seleccionado The Breeders para verem mais vídeos e saberem um pouco mais sobre este nosso fornecedor seleccionado.

Vítor Barros trabalha como fotógrafo e videógrafo desde 2008, tendo desde então acumulado diferentes experiências e construído, com essas aprendizagens e com a sua própria intuição e percepção estética, uma abordagem pessoal aos casamentos. 2018 foi o ano de dar um grande passo e criar a sua marca, The Breeders, para poder pôr em prática a sua visão daquilo que devem ser as memórias em filme de um dia tão especial como o do vosso casamento: «Para mim, o mais importante é conseguir transmitir a felicidade que os noivos vivem, sendo o mais discreto possível. Sempre fiel à minha estética, mas adaptando-me a cada casal.»

Falem com o Vítor, ele está à espera de vos conhecer e de contar a vossa história.

Marta Ramos

Edgar Dias Photography: um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

A equipa Edgar Dias Photography abraçou a fotografia de casamentos com o objectivo de captar a espontaneidade e a expressão de emoções. Definem o seu trabalho como consistindo em imagens iluminadas, naturais e contemporâneas, numa tendência fotojornalística. A luz é uma característica central nas suas produções fotográficas, dado que se movem pela vontade de explorar e alimentar a curiosidade pela estrutura, cor e, sobretudo, a luminosidade de cada imagem.
A experiência levou-os valorizar cada vez mais a importância destes registos, das lembranças de um dia único vivido junto da família e dos amigos. São memórias que cada casal merece guardar para sempre.
Escolheram trabalhar nesta área porque acreditam que são a equipa certa para captar cada momento de um dia único e cheio de significados. Orgulham-se muito da vontade de explorar as infinitas possibilidades que cada fotografia dá, da relação fácil e próxima que naturalmente estabelecem com os casais que os desafiam a registar o seu dia de casamento, e do profissionalismo que lhes tem sido reconhecido. Vão procurar inspiração a cada história que ouvem, a cada casal que conhecem, ao mundo e às experiências que vão guardando. Para eles, uma ida ao café pode ser tão inspiradora como a viagem dos nossos sonhos.

 

Edgar Dias - fotógrafo de casamento

 

Edgar Dias - fotógrafo de casamento

 

Edgar Dias - fotógrafo de casamento

 

Edgar Dias - fotógrafo de casamento

 

Edgar Dias - fotógrafo de casamento

 

Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado de Edgar Dias Photography para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho. E falem com o Edgar, ele está à vossa espera para guardar as vossas melhores memórias para sempre.

Susana Pinto

Casamento na Casa do Souto: Filipa + Nelson, alinhados na diferença

Fechamos a semana com o último casamento do ano: Filipa + Nelson, na Casa do Souto, fotografados pelo talentoso trio Feel Creations.

Bonito, animado e feito de opções e gostos muito pessoais, este é o resultado do mais bonito dos dias destes noivos.

 

Sejam vocês mesmas, mesmo que seja algo desalinhado do que é “supostamente” normal. Encontrem-se e sejam fiéis a vocês mesmas e, no dia, façam o que vos apetecer, porque o dia é vosso e passa a voar!

 

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Um dia rodeados das pessoas de quem mais gostamos, num ambiente descontraído.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sim, sentíamos-nos preparados. Na semana anterior estávamos mais ansiosos, mas no fim foi tudo tranquilo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando estávamos mais próximos da data do casamento, quando o puzzle se começa a formar, com a escolha da decoração, do vestido, das músicas, etc., etc..

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Contámos com muitas ajudas, mas mantivemos sempre  como opinião final, a nossa. Nós não tínhamos nenhum ideal de casamento, fomos pesquisando e vendo o que se encaixava mais nos nossos gostos e personalidade, o que tinha mais a ver connosco.

 

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

O mais importante para nós era a escolha musical e o ambiente descontraído, para não ser enfadonho para ninguém. O menos importante, sinceramente, não sabemos dizer, pois o que para nós não tinha importância tirámos da lista: animadores, coreógrafos, limousine ou fotos tradicionais com os convidados.

 

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

A escolha mais fácil foi a quinta. O mais difícil foi a distribuição dos lugares.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

O corte do bolo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o pico de diversão?

O casamento foi animado do início ao fim, mas o ponto máximo da diversão talvez tenha acontecido após a abertura da pista de dança.

 

Um pormenor especial…

Todo a decoração foi bem pensada e era incrível: caçadores de sonhos, livros, música, uma tenda no jardim e muito crochet de família…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não mudaríamos nada.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Sejam vocês mesmas, mesmo que seja algo desalinhado do que é “supostamente” normal. Encontrem-se e sejam fiéis a vocês mesmas e, no dia, façam o que vos apetecer, porque o dia é vosso e passa a voar!

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites, materiais gráficos, decoração e bouquet de noiva: Milene Styling and Event Planner;

local, catering e bolo dos noivos: Casa do Souto – Paços de Ferreira;

fato do noivo e acessórios: Elisabeth Videira (Freeport Alcochete);

vestido de noiva e sapatos: sapatos Parfois e vestido foi feito pela minha modista, Leninha;

maquilhagem: Tânia Morais Makeup;

cabelos: Isabel Leão;

fotografia e vídeo de casamento: FeelCreations – Wedding Photo & Film;

luzes, som e Dj: We – Wedding & events djs – Pedro Campos.

 

Marta Ramos

Sinfonia de cores e flores, por Flor de Laranjeira

Se quisermos adjectivar o casamento da Yasmin e do Pedro, as duas palavras mais adequadas serão diversidade e simplicidade. Trata-se de casal que sabia exactamente o que queria: flores tropicais, exóticas mas com uma mistura de flores nacionais. Foram estas algumas das indicações dadas à Flor de Laranjeira, que ficou encarregue das flores do seu grande dia: «mas foi-nos dada total liberdade para criar, tendo em conta a harmonia perfeita entre texturas diversas, formas e cores», conta-nos a Teresa. «A Yasmin escolheu jarras de vidro transparentes para que pudessem sobressair sempre as cores das flores. Flores e verduras exuberantes como Anturium, estrelícia, delfim, heliconia, amarilis, girassol, craspédia, mulucella, gladilo, liatres e dendrobium alegraram o espaço e garantiram o ambiente que os noivos desejavam.»

Mais um trabalho delicado e cheio de detalhes bonitos com assinatura Flor de Laranjeira. Vamos ver as fotos? São da Amarephotoart.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Flor de Laranjeira nasceu da união de dois amores: a designer de interiores por formação dá a mão à florista por criação e juntas dedicam-se ao desenho com flores. A inspiração vem da paixão: trabalham com flores frescas, de preferência sazonais e nacionais. Desde o ramo de noiva e complementos, aos locais de celebração e festa, tudo é permitido e possível, tendo como única condição o respeito pela essência da flor​. E do amor, claro.

Vejam aqui OUTROS TRABALHOS DA FLOR DE LARANJEIRA e FALEM COM A TERESA. Ela terá todo o prazer em ouvir as vossas ideias e conhecer os vossos gostos, para depois traduzi-los em flores.

Marta Ramos

Nova loja Pisamonas no Porto

Estávamos a entrar no Verão deste ano quando vos anunciámos a abertura da primeira loja física da Pisamonas em Portugal – em Lisboa, concretamente. Hoje estendemos a boa notícia ao Grande Porto: já podem levar os vossos pequenotes a experimentar sapatinhos e acessórios à loja Pisamonas do Porto, situada no MAR Shopping Matosinhos.

A sapataria infantil Pisamonas nasceu em 2013 com um modelo inovador de vendas online. Apostando na qualidade do fabrico artesanal de calçado, garante ainda preços acessíveis, graças ao volume de negócio possível de obter através da Internet. As suas simpáticas políticas de entregas e devoluções grátis (em Portugal, apenas em vigor para o continente) também contribuíram para que assumisse uma posição de liderança no sector. Já aqui vos falámos, várias vezes, das vantagens de fazer compras neste nosso fornecedor seleccionado, com um catálogo de cerimónia irresistível para meninos e meninas super elegantes e práticos em todas as festas de casamento para que sejam convidados.

Agora, a marca decidiu dar mais um passo e abrir pontos de venda físicos para estar mais próxima dos seus clientes, o que representa uma vantagem acrescida para quem estiver em Lisboa ou no Porto: poder escolher o calçado na loja e solicitar a entrega em casa, ou então fazer a compra online optando pela entrega na loja, para que as crianças possam experimentar os sapatos novos e decidir se há necessidade de fazer alguma troca.

Só bons motivos para ir espreitar as lojas Pisamonas – mas ainda tenho mais um: a colecção Outono Inverno 2018 traz novos modelos e ainda novas cores e padrões para os modelos mais clássicos, oferecendo um leque de escolhas muito apetecível para os casamentos de inverno e para todas as ocasiões especiais dos meses mais frescos. Ora espreitem as imagens.

 

 

 

 

 

 

 

Se estiverem nas redondezas de Telheiras ou de Matosinhos, levem os miúdos às lojas Pisamonas, recheadas de coisas bonitas para ver – e experimentar!
Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado Pisamonas para ficarem a conhecer melhor a sua oferta. E falem com a equipa de atendimento ao cliente, que vos ajudará a  esclarecer todas as dúvidas.
Boas compras, on e offline!

Susana Pinto

À conversa com: João Terra – fotografia de casamento

Hoje a conversa é com João Terra, que faz fotografia de casamento.

Falamos sobre a magia de fotografar casamentos, o que os torna tão relevantes e singulares como tema e o impacto que este registo tem sobre os noivos, família e amigos.

Costumo dizer que “o meu dever foi cumprido” quando os noivos se vêem e revêem na fotografia que produzo. Quando os noivos estão a ver uma imagem e se recordam, automaticamente, da emoção que foi aquele momento, do que efectivamente aconteceu ali, e do porquê de estarem assim naquela fotografia, é algo mágico, não acham? Eu acho que é.

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

Posso dizer que já dei algumas voltas em relação ao que queria fazer como profissional. No secundário preparei-me para a área da engenharia informática. Quando chegou a altura da universidade, vi que não queria seguir aquilo e decidi embarcar no mundo da contabilidade e das finanças. Só depois, no final da faculdade, veio a fotografia. Em suma, acabo por ser mais um que está neste mundo com um background completamente diferente da área audiovisual.

O bichinho da fotografia esteve sempre presente, mas posso dizer que se intensificou quando, ainda no mundo universitário, conheci um grupo de fotógrafos amadores em Aveiro, a cidade onde estava a estudar. Agora até é interessante ver o crescimento profissional de algumas dessas pessoas, assim como a amizade que se cultivou desde então. Daí a começar a fotografar casamentos foi um pulinho, como se costuma dizer. Passados dois anos estava a fotografar como segundo fotógrafo e, pouco depois, iniciei-me a solo.

 

Há quanto tempo fotografa? E porquê casamentos?

Após um ano e meio a fazer trabalhos como segundo fotógrafo, comecei em 2015 a fotografar casamentos, em nome próprio. A fotografia de casamento tem algo de mágico e é extremamente gratificante, penso que muito se deve às sensações e às histórias por detrás de cada dia. O dia em si costuma ser uma loucura de emoções e sentimentos e eu adoro estar lá e presenciar isso. Depois o impacto que cada fotografia tem nos casais, nos familiares e amigos, é outra coisa fantástica. Tento sempre que a minha fotografia demonstre, de forma genuína e fiel, o dia como ele foi e as pessoas como elas são. Costumo dizer que “o meu dever foi cumprido” quando os noivos se vêem e revêem na fotografia que produzo. Quando os noivos estão a ver uma fotografia e se recordam, automaticamente, da emoção que foi aquele momento, do que efectivamente aconteceu ali, e do porquê de estarem assim naquela fotografia, é algo mágico, não acham? Eu acho que é.

Faço fotografia, essencialmente de casamento, porque é algo que realmente me apraz fazer. Já Confúcio dizia, Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vai buscar inspiração?

Estaria a mentir se dissesse que não acompanho trabalhos de outros profissionais. Acompanho alguns que são uma verdadeira fonte de inspiração para mim. Muitos deles nacionais. Há quem esteja a fazer um trabalho simplesmente fantástico.

Um bom filme e uma boa série também são boas fontes de inspiração. Para além disto, o simples dia-a-dia, as situações do quotidiano, as pessoas e locais que vamos conhecendo também trazem o seu contributo. Explorar e conhecer ajudam-me sempre a melhorar o meu trabalho.

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Como construiu a sua assinatura, como a define?

Penso que isso será sempre algo que irei construíndo ao longo do tempo. Gosto da ideia de abordar o dia como uma reportagem jornalística. Como disse há pouco, tento sempre que a minha fotografia demonstre, de forma genuína e fiel, o dia como ele aconteceu e as pessoas como elas são. Procuro que as fotografias se tornem intemporais e que o casal, mesmo que as veja passado um ano, vinte ou quarenta, seja sempre “transportado” para aquele dia e viva aquelas emoções.

 

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?

Fazendo o que gosto não tenho propriamente motivos para fazer um reset. Mas posso dizer que, quando o preciso fazer, para mim é muito simples. A minha família. Não há nada que me faça melhor do que estar simplesmente a desfrutar da companhia da minha família. Se for possível, a explorar locais novos ou simplesmente a passear.

 

Do Norte para o mundo, ou Portugal de lés-a-lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?

É diferente, mas igualmente gratificante. Podemos presenciar uma cultura, uma religião, um local e pessoas diferentes, mas no final, o dia é definido pelo mesmo, a união de duas pessoas que têm um sentimento muito forte entre elas. E isso é o mote para tudo o resto.

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação com os seus clientes?

Penso que, hoje em dia, o primeiro contacto será transversal a qualquer profissional, e seja via email. Após o primeiro contacto, gosto de poder reunir presencialmente para permitir que nos conheçamos melhor e, a partir daí, ir construindo uma relação de confiança. Acho, por isso, importante irmos sempre mantendo o contacto. Não digo que seja esta a forma correta para todos, mas é a mais correta, para mim.

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gosta de fotografar?

Sou adepto de casamentos pequenos. No entanto, mais que uma questão do número de convidados, o que mais gosto de fotografar são dias emotivos e divertidos.

 

Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?

Poder ter o voto de confiança dos noivos na minha capacidade de passar para a fotografia um dos melhores dias da vida deles e, com isso, conhecer novos locais e pessoas. Encaro isso como um privilégio muito grande.

Há várias coisas desafiantes neste mundo da fotografia de casamento. Posso enumerar duas, a criatividade com o puxar os meus limites e tentar sempre melhorar e  o acompanhar os avanços tecnológicos que estão sempre a aparecer relacionados com as ferramentas de trabalho.

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Joao Terra Fotografia_fotografia de casamento

 

Escolha uma imagem favorita do seu portfolio e conte-nos porquê.

Escolhi uma das fotografias que fiz este ano que mostrou muito a emoção e a força dos sentimentos que adoro captar. Sempre que olho para esta fotografia sinto bem o que foi aquele momento. O pai da noiva tentou sempre guardar a emoção que estava a sentir, mas quando chegou a altura de passar a mão da filha ao noivo, agarrou-se a ela com uma força e deixou que todo aquele sentimento viesse ao de cima. Foi ali um minuto ou dois em que parece que só existiam eles os dois,  o amor de pai e filha que sentem um pelo outro. Deu mesmo para arrepiar um bocadinho.

 

 

Contactem o João Terra através da sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem o João directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Marta Ramos

Damos as boas-vindas: Thisisyourday | Denis Erroyaux

As boas-vindas de hoje são dadas ao Denis Erroyaux e à sua Thisisyourday!

 

Denis Erroyaux nasceu em Charleroi, Bélgica, e divide o seu tempo entre Lisboa e Bruxelas. Gosta de ver os filhos a brincar, de fazer palhaçadas com Aurélie, a sua mulher, e de fotografar casamentos. Para isso, criou a marca Thisisyourday, que apresenta assim: «É estar em todo o lado e ser invisível ao mesmo tempo, ser empático mas manter a distância, capturar o efémero. Acima de tudo, é possibilitar o reviver o infinito de momentos felizes. É o meu trabalho, a minha paixão, o que me define.»

 

A partir de agora, acompanhem também os nossos posts acerca das fotografias de Thisisyourday | Denis Erroyaux.

 

 

Denis Erroyaux-fotografia de casamento

 

Denis Erroyaux-fotografia de casamento

 

Denis Erroyaux-fotografia de casamento

 

Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado Thisisyourday | Denis Erroyaux para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho. E falem com o Denis, ele gostava de saber mais sobre o vosso dia especial: o casamento, um GRANDE momento, ou algo que queiram guardar para sempre.

 

Denis, bem-vindo ao Simplesmente Branco!