Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento no Solar da Levada: Marina + João Paulo

Esta semana mostramos um belíssimo casamento no Solar da Levada, perto de Braga, filmado pela dupla Vanessa & Ivo. É o mais bonito dos dias da Marina + João Paulo, com vista para os Açores.

Juntem-se a nós e fechemos a semana da melhor forma: repleta de amor!

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?
Imaginámos um dia de celebração do amor e da alegria de nos rodearmos de todos aqueles que, independentemente do motivo ou dos laços afectivos, são verdadeiramente importantes nas nossas vidas.

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?
Sentíamos-nos mais do que preparados. Depois de uma relação de 12 anos, foi um um passo mais do que seguro, sem espaço para inseguranças nem para os nervos que normalmente delas derivam.

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?
Quando decidimos que a cerimónia de celebração do matrimónio teria lugar na pequena capela familiar da casa da avó da Marina, onde os pais e tios já o tinham celebrado também, e onde a propria Marina e os restantes primos se batizaram.

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?
Sim, foi bastante sobreponível àquilo que desejávamos – um casamento à nossa imagem. Relativamente à organização da festa, o Solar da Levada prestou um serviço mais do que completo a todos os níveis, incluindo escolha da ementa, disposição do espaço, decoração ao nosso gosto, etc..

O que era fundamental para vocês? E sem importância?
Era fundamental que fosse um dia feliz, que celebrasse o nosso projecto de vida a dois junto daqueles que nos são mais importantes. Irrelevante para nós, manifestações exteriores de festa, tais como fogo de artifício, charretes com cavalos, entre outros.

Sejam fiéis àquilo que é verdadeiramente importante para vocês, sem dar ouvidos àquilo que a “indústria” vos tenta dizer acerca do que “um casamento deve ser ou ter”. Relaxem, disfrutem da festa e… não se esqueçam de ir comendo qualquer coisa!

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?
Mais fácil, a escolha do Solar da Levada, o primeiro e único sítio que visitámos; e a escolha da Vanessa & Ivo como fotógrafos e videógrafos, os únicos com quem nos encontrámos pessoalmente e que nos conquistaram desde o primeiro vídeo que assistimos.  Mais difícil, foi mesmo a árdua tarefa de distribuir os convidados pelas mesas.

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?
Foram dois picos sentimentais: o primeiro, o momento em que realmente casámos. O segundo, o momento da visualização do same day edit brilhantemente “construído” pela Vanessa & Ivo.

E o pico de diversão?
As três horas que passaram desde a nossa chegada até ao jantar propriamente dito. Três horas volantes de convívio, gargalhadas, boa disposição, conversa, e muitos kilómetros realizados a pé entre todos os nossos convidados.

Um pormenor especial…
Termos sido abençoados com a presença das nossas avós: a avó Vitória, uma refrescante senhora de 97 anos, orgulhosa por acolher a nossa celebração na sua capela, e a avó Luisinha, que, com 89 anos, se deslocou da ilha de São Miguel propositamente para assistir ao casamento do seu querido netinho!

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?
Não!

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Sejam fiéis àquilo que é verdadeiramente importante para vocês, sem dar ouvidos àquilo que a “indústria” vos tenta dizer acerca do que “um casamento deve ser ou ter”. Relaxem, disfrutem da festa e… não se esqueçam de ir comendo qualquer coisa!

 

Os fornecedores envolvidos:

convites e materiais gráficos: Diferente – Soluções Criativas para Eventos;
local e catering e bolo dos noivos: Solar da Levada, Amares – Braga;
fato do noivo e acessórios: fato Hugo Boss e sapatos Miguel Vieira;
vestido de noiva e sapatos: Rosa Clará;
maquilhagem: Pretty Exquisite;
cabelos: Carlos Fins Cabelereiros;
bouquet de noiva: Flores com Amor;
decoração: Flores com Amor e Solar da Levada;
fotografia e vídeo: Vanessa & Ivo;
luzes, som e Dj: Paulo Vatayan.

Marta Ramos

Damos as boas-vindas: Little Joy Photography

As boas-vindas de hoje são dadas à Little Joy Photography!

Este é um projecto criado, orientado e acarinhado pela fotógrafa Diana Nobre, que já há bastante tempo nos acompanha com a sua visão muito interessante e muito poética da fotografia. Ao longo de mais de cinco anos, Diana Nobre moldou a sua equipa à sua visão e ensinou-lhes tudo o que, na sua opinião, a fotografia deve expressar: todas as emoções, os sentimentos, os estados de espírito. Agora, e empenhada em fazer chegar a sua visão a cada vez mais casais, criou a marca Little Joy para dar asas à equipa que tão bem formou. Na Little Joy, a Diana não fotografa, mas edita as fotografias no final. Contem com a mesma produção, a mesma visão, a mesma faísca. O objectivo é poder oferecer fotografia com a qualidade e a alma Diana Nobre a valores um pouco mais acessíveis. Digam lá se não é uma excelente notícia?
A partir de agora, acompanhem também os nossos posts acerca do trabalho da Little Joy Photography.

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Little Joy Photography, um fornecedor seleccionado Simplesmente Branco

Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado Little Joy Photography para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho. E falem com a Diana: ela tem uma equipa preparadíssima para registar o dia do vosso casamento com a sua visão.

Little Joy, bem-vindos ao Simplesmente Branco!

Marta Ramos

Venham conhecer a nova casa Kabuki Makeup by Rita Amorim

A mudança é virtual: a Rita Amorim acaba de inaugurar o novíssimo site da sua Kabuki Makeup e convida-vos a todos para lhe fazerem uma visita e ficarem a conhecer melhor o seu trabalho: «A experiência de vários anos a trabalhar com diversas marcas na área da cosmética permitiu-me saber identificar diferentes tipos de pele e como respeitar cada um dos casos, com todos os cuidados que qualquer profissional da área deve ter.
A minha formação como maquilhadora iniciou-se em 2010, no Curso de Maquilhadores do Atelier Antónia Rosa. Desde então, fui adquirindo novas formações, pois a minha principal preocupação é estar actualizada numa área em constante evolução.»
Rita Amorim opta sempre por utilizar marcas topo de gama para garantir melhores resultados e um nível de confiança elevado nas suas clientes, do qual não prescinde. Para além disso, escolhe exclusivamente produtos vegan e cruelty free.

Acima de qualquer padrão de beleza, a maquilhagem dá-nos confiança e a nossa pele agradece, sempre, todo o cuidado que temos com ela.

Para além da maquilhagem para noivas, que inclui um mini-spa de rosto, oferece também workshops de auto-maquilhagem ao domicílio (um programa excelente para uma despedida de solteira).
Agora que estão feitas as apresentações, porque não fazerem-lhe uma visita?

Makeup de noiva: Kabuki Makeup by Rita Amorim

Makeup de noiva: Kabuki Makeup by Rita Amorim

Makeup de noiva: Kabuki Makeup by Rita Amorim

Não deixem de acompanhar os nossos posts acerca do trabalho da Kabuki Makeup by Rita Amorim – só coisas bonitas! Destaco dois artigos que vos serão particularmente úteis: as nossas wise words sobre maquilhagem da noiva, em que a Rita Amorim vos deixa informações muito valiosas; e a entrevista que a Susana fez à Rita, uma conversa boa que vos dará a conhecer melhor esta profissional tão atenta e dedicada.
E falem com a Rita: aquilo que ela faz melhor, a seguir a maquilhar, é ouvir!

Susana Pinto

À conversa com: Rita Santana Photography – fotografia de casamento

Hoje sentamo-nos à conversa com a simpática Rita Santana, fotógrafa de casamentos.

Conhecer o trabalho criativo de alguém, para onde olha, o que vê, é sempre muito interessante. Quando conhecemos também o autor, a pessoa, e fazemos essa ligação, acontece uma certa sedução e ficamos ainda mais encantados. É precisamente esse o caso com a Rita Santana Photography: hoje juntamos aqui as duas metades e o resultado é perfeito.
Tenho a certeza de que vão gostar muito de a conhecer!

A  melhor parte de ser fotógrafo de casamento é contribuir para o legado, de testemunhar dias felizes e de sermos recompensados com a amizade e carinho das pessoas que nos escolhem. O mais desafiante e difícil é conseguir conciliar com o nosso próprio legado, os nossos dias felizes e as nossas amizades.

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.
Formei-me em Cardiopneumologia, o que se afasta muito e nada da fotografia de casamentos, porque a bem dizer, acho que sempre fui muito orientada para as matérias do coração. 

Há quanto tempo fotografa? E porquê casamentos?
Estou a fotografar casamentos desde 2014. Comecei como talvez muitos de nós começámos: a fotografar amigos, ocasiões de família, até que nos convidam para fotografar um baptizado e depois um casamento. Na altura integrava uma equipa, mas foi após a entrega do primeiro casamento que soube que fazer parte de um dos dias mais felizes da vida das pessoas e que seria muito feliz a contribuir para as memórias e os legados das famílias.

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vai buscar inspiração?
Por mais cliché e banal que possa parecer, procuro em filmes, músicas e outros fotógrafos. Quando descubro algo de que gosto acabo por quase estudar essa abordagem e procuro incorporar essas inspirações no meu trabalho.

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Como construiu a sua assinatura, como se define?
Gosto de pensar que sou espontânea e romântica e tento reflectir essa espontaneidade e romance nas minhas imagens.  Tem sido um processo em constante evolução e felizmente consigo encontrar casais que se identificam com a minha linguagem: descontraída e honesta.

Acha que o ponto de vista feminino, os detalhes que escolhe fotografar e como o faz, a narrativa que constrói, é diferente das escolhas que vê no trabalho de um profissional masculino?
Vou ser completamente sincera e dizer que quando comecei achava que a diferença era bem maior do que sinto que seja hoje. Quando comecei a fotografar focava-me muito nos coisas pequenas e na proximidade; hoje em dia procuro também dar um passo atrás e afastar-me para ver a “the bigger picture” por forma a contar a história da melhor maneira possível. Também disso se fazem os detalhes.

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?
Revejo filmes que adoro, desfruto da companhia do meu namorado Miguel, vou nadar, passear com a Miura, a minha cadela, canto num coro – na Sociedade “Loureiros”, em Palmela – e vou ao Teatro O Bando, ver espetáculos, estar com amigos e participar das formações de teatro.

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

O mundo em Lisboa ou Portugal de lés-a-lés: fotografar estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?
É diferente na medida que cada casamento me enriquece culturalmente à sua maneira. Seja na maneira de ser das pessoas, nas tradições que me são novas, na comida que oferecem no dia do casamento, no desafio de falar outra língua.

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação aos clientes?
O processo passa por ser eu mesma. Sinto que tem  início na forma como me apresento no meu site, nas redes sociais, nos portais e nas relações com outros fornecedores. Procuro que os noivos me conheçam  numa reunião, para conversarmos sobre tudo e mais alguma coisa, para que me vejam, me oiçam a voz e me sintam o entusiasmo. Depois, uma sessão que antecede o casamento – ou a minha desculpa para passar mais um pouco de tempo com os noivos, num ambiente descontraído, onde podemos ser nós próprios, e, no final de contas, sacar algumas fotografias.

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gosta de fotografar?
Mais uma vez, e de forma cliché, gosto de todos os casamentos. Os grandes porque são um loucura, super desafiantes, os pequenos porque são íntimos e acabo por sentir que conheço toda a gente; os nacionais porque me sinto em casa, os estrangeiros porque me sinto fora de casa; as cerimónias emotivas porque acabo a chorar com eles e as festas de arromba porque – come on – quem não gosta de um bom festão?

Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?
A  melhor parte de ser fotógrafo de casamento é contribuir para o legado, de testemunhar dias felizes e de sermos recompensados com a amizade e carinho das pessoas que nos escolhem. O mais desafiante e difícil é conseguir conciliar com o nosso próprio legado, os nossos dias felizes e as nossas amizades.

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Rita Santana Photography - fotografia de casamento em Lisboa

Escolha uma imagem favorita do seu portfolio e conte-nos porquê.
Hoje, esta é a minha imagem favorita porque me traz memórias felizes de um dia maravilhoso e de que no final de tudo me senti muito orgulhosa de mim mesma e do meu trabalho. 

Casamento de inverno na Quinta da Bichinha, fotografado por Rita Santana Photography

Contactem a Rita Santana através da sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem a Rita directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

Marta Ramos

Um casamento em tons de rosa e beringela, com Jardin d’Époque

Ana e Marc casaram no dia 1 de Setembro de 2018 no Palácio do Freixo e fizeram da sua festa uma verdadeira celebração cosmopolita. Ana é portuguesa, Marc é alemão, e vivem em Hong Kong. Para decorar o seu grande dia, escolheram uma dupla de wedding planners muito conceituada do mercado brasileiro: Fábio Borgatto e Telma Hayashi. E foi esta dupla que contactou Ema Ramos, do Jardin d’Époque, a quem confiou a curadoria, a selecção das espécies de flores e folhagens e o desenho e execução das peças de design floral.

Reuni presencialmente com o Fábio e a Telma no início de Março e houve uma empatia imediata, talvez por eu ter um carinho muito grande pela cultura brasileira e por ‘aquele’ sotaque adocicado que me recorda os tempos que passei por terras de Vera Cruz e os amigos especiais que ainda tenho por lá. – Ema Ramos

Começaram por definir uma paleta de tons rosa e beringela suaves e quentes, aos quais adicionaram toques de verde e castanho: «Pretendíamos peças florais ricas em texturas, com uma estrutura orgânica e uma linguagem assumidamente ‘despenteada’. Às rosas inglesas, às nigella, às scabiosa e a uma série de outras espécies vindas de longe, juntámos bagas, dálias, ramos de carvalho e de magnólia dos jardins de pequenos produtores nacionais.»
Foram mais de cinquenta mil pés de flores e folhagem que se transformaram no cenário do dia feliz de Ana e Marc: instalações suspensas na tenda montada no jardim; um arco quebrado e assimétrico meticulosamente colocado no jardim italiano de forma a que o Rio Douro fosse o seu horizonte; arranjos com mais de um metro de largura que emolduraram a mesa dos doces; jarrões que pontuavam os percursos e os nichos dos muros do palácio. Às flores, juntaram-se cerca de quarenta oliveiras estrategicamente colocadas na tenda em vasos gigantes de terracota, segundo o projecto dos decoradores, balizando áreas de estar, a zona de jantar e a pista de dança.

«O trabalho em equipa foi crucial», conta Ema Ramos. «Estar rodeada de pessoas imbuídas do mesmo espírito, sensíveis, com um sentido estético apurado e totalmente disponíveis foi, definitivamente, o meu verdadeiro braço direito. A equipa do Jardin d’Époque foi composta por doze pessoas que, ao longo de uma semana intensiva, tornaram possível este projecto. E foi igualmente maravilhoso partilhar o momento de construção de algumas peças florais com a mestria do Fábio. A partilha de técnicas de trabalho e de métodos de construção e organização não tem preço e poder fazê-lo com profissionais tão talentosos foi um verdadeiro privilégio.»

Créditos:

fotografia: Inga Freitas
planeamento e decoração: Fábio Borgatto e Telma Hayashi
flores: Jardin d’Époque
espaço: Palácio do Freixo
apoio à produção: Romã Eventos
aluguer de materiais: Saiotes / O Saltimbanco

Marta Ramos

Nova montra Por Magia: flores e emoções

As galerias das fichas de fornecedor seleccionado são como montras do trabalho dos profissionais que escolhemos para vos recomendar. Hoje destacamos a renovação da montra Por Magia – decoração de casamentos.

A paixão pelas flores, por ouvir histórias e conhecer novas pessoas, motivou a dupla Por Magia a aceitar o desafio de transformar momentos especiais em dias memoráveis. Juntos interpretam sonhos, reinventam ideias e acrescentam magia a dias absolutamente únicos! Desenham todos os detalhes do início ao fim, desde o bouquet à decoração dos centros de mesa ou à total decoração do evento, trabalhando cuidadosamente todas as texturas, cores e tecidos para que o conjunto se reflicta em pormenores elegantes e distintos.
A Andreia e o Bruno escolheram trabalhar nesta área porque se consideram eternos apaixonados: pela natureza, pela vida, pelos momentos vividos especialmente a dois, pelo amor. Acreditam na magia da história de cada casal. Gostam da partilha, dos sonhos, do entusiasmo. São felizes por terem a oportunidade de juntar cada palavra, cada sorriso, cada lágrima e poderem trabalhá-las cuidadosamente através das texturas, cores e tecidos – e sobretudo através das flores.
Orgulham-se de se entregarem inteiramente a cada momento, a cada dia, a cada casal. Orgulham-se de serem sonhadores e entusiastas, de viverem intensamente cada história e de a traduzirem de forma mágica! Orgulham-se de serem lamechas, românticos e coração mole; e de muitas vezes soltarem lágrimas de emoção enquanto preparam ambientes lindos e sofisticados, únicos, onde as memórias passarão a ser eternas.
Seleccionámos algumas das imagens fresquinhas que a Por Magia adicionou recentemente à sua galeria – mas não deixem de ir à ficha de fornecedor para ver o conjunto completo.

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

 

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia

Styling e design floral para casamentos: Por Magia
Acompanhem os nossos posts acerca do trabalho da Por Magia e consultem também o seu portefólio de fotografia de casamento. E falem com a Andreia e o Bruno, que estão à vossa espera para acrescentar magia a dias absolutamente únicos!

Susana Pinto

Casamento no Monte do Ramalho: Joana + Pedro

Fechamos esta semana vagamente primaveril com um belo casamento no Monte do Ramalho: é o mais bonito dos dias da Joana + Pedro, junto dos seus.

Esta festaça foi filmada pelo Edgar Félix e a decoração e bouquet da noiva ficaram nas mãos da Maria João Soares, da Design Events, a nossa expert em casamentos nas planícies alentejanas. Que trio de fornecedores seleccionados, este!

Bom fim-de-semana!

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?
O pedido de casamento foi feito em 2016 numa escapadinha que fizémos a Paris. A nossa ideia, desde o início, sempre foi um casamento religioso acompanhado por uma festa descontraída, no meio da natureza.

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?
Estávamos inexperientemente preparados, sem nervos.

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?
Tudo se começou a compor à nossa imagem de forma gradual. Não sentimos nunca qualquer pressão com timings, o que nos permitiu organizar todo o casamento da forma como idealizámos.

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?
O resultado final excedeu as nossas expectativas! Fomos uns noivos que colocámos muita dedicação em tudo que íamos fazendo e decidindo, foi tudo muito ponderado.
Fizemos tudo praticamente sózinhos, no entanto íamos envolvendo a família e os amigos nas nossas escolhas, queríamos que fizessem parte deste dia.

O que era fundamental para vocês? E sem importância?
Fundamental era guardarmos nas nossas memórias um dia de sonho, reunir todas as pessoas que são importantes nas nossas vidas e proporcionarmos um dia feliz, divertido e confortável a todos os nossos familiares e amigos.
Sabemos que os imprevistos acontecem, mas que o propósito que nos reunia ali era de tal grandeza que decidimos relativizar qualquer falha de natureza técnica ou de catering que pudesse a acontecer (e felizmente não aconteceu).

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?
O mais difícil foi de facto a escolha do local, sabíamos muito bem o que queríamos, mas não encontrávamos alternativas. A partir do momento em que o encontrámos, marcámos a data, e tudo se tornou tão fácil de organizar.

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?
Ainda não conseguimos descrever o que sentimos na cerimónia campal, foi de cortar a respiração! A envolvência, o coro, as palavras do Padre, os olhares de felicidade dos convidados que testemunhavam a nossa união, os versos lidos pelos sobrinhos do Pedro, foi mágico!

E o pico de diversão?
Após o jantar, quando aquele pequeno nervosismo nos deixa descontrair e aproveitar ao máximo.

Um pormenor especial…
Só um?
Foi um dia de acontecimentos tão especiais!
Fomos surpreendidos por uma grande amiga que subiu ao palco e cantou-nos duas músicas. Sabíamos que cantava bem, mas não tínhamos noção do vozeirão que ouvimos naquela noite. Foi épico!

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?
Não mudávamos nada. Foi tudo tão perfeito e como idealizámos.
Foi um dia tão nosso, emocionante, melhor que nos sonhos.

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Vivam cada momento com calma e com muito alma. Aproveitem os preparativos ao máximo, é um dia muito giro de organizar, pois tudo é feito à vossa medida e como sempre sonharam, façam-no de forma divertida e envolvam os vossas amigos e familiares, eles vão gostar de fazer parte do grande dia.
Quando chegar o grande dia, aí não há mais com o que preocupar, e deixem-se envolver pelo momento, desfrutem do dia. Aproveitem cada momento, pois será um dos dias mais felizes das vossas vidas, cheio de emoções.

 

Os fornecedores envolvidos:

convites e materiais gráficos: Margarida Ferreira (amiga da noiva);
espaço: Monte do Ramalho, Avis;
catering e bolo dos noivos: Casca d’ovo;
fato do noivo e acessórios: fato O Alfaite, acessórios Ourivesaria Atlantis;
vestido de noiva e sapatos: vestido Inês Pimentel e sapatos Fátima Alves;
maquilhagem: Diana Cavaco Pereira;
cabelo: Rita Vasconcelos (amiga da noiva);
decoração e bouquet de noiva: Design Events Wedding;
fotografia: Grão a Grão;
vídeo: Edgar Félix;
banda: Two Radio | Upbeat;
coro: Coro Cá da Terra.